Biosseguran§a

download Biosseguran§a

of 20

  • date post

    29-Dec-2014
  • Category

    Healthcare

  • view

    125
  • download

    1

Embed Size (px)

description

 

Transcript of Biosseguran§a

  • 1. Biossegurana Alunos: Valria Alves Jessika Arajo Lcia dos Santos Josidalva Tenrio Dayvisson Moraes
  • 2. Aplicao das radiaes ionizantes na rea industrial voltada para a radioproteo.
  • 3. Radiologia Industrial A radiografia um importante ensaio no destrutivo usado pela indstria. Raios X ou raios gama altamente penetrantes atravessam e no danificam a pea a ser analisada, e produzem radiografias que fornecem um registro permanente das condies internas da pea, proporcionando a localizao e determinando o tamanho de descontinuidades que poderiam comprometer sua integridade. A radiografia industrial tremendamente verstil. Os objetos radiografados podem variar em tamanho desde minsculos componentes eletrnicos a grandes componentes de msseis; em composio de produto por praticamente todo material conhecido e em forma de fabricao em uma variedade enorme de fundidos, forjados, soldados e laminados. Podem ser aplicados para materiais orgnicos e inorgnicos; para slidos, lquidos, e at mesmo gases. A produo de radiografias pode variar do exame ocasional de um ou vrios componentes at o exame de centenas de peas por hora. A inspeo radiogrfica utilizada pelas indstrias para assegurar a qualidade de seus produtos, fazendo com que eles atendam a especificaes, normas ou cdigos aplicveis.
  • 4. Radiologia Industrial Com o crescimento e mudana das demandas da indstria, a pesquisa e desenvolvimento no campo da radiografia produziu novas fontes de radiao, como por exemplo fontes de nutrons e radioistopos, aparelhos geradores de raios X mais leves, menores em tamanho mas que geram radiao de maior energia, novos filmes e processadores de filmes automticos, digitalizadores de filmes e a radiografia digital. As radiografias devem ser executadas seguindo procedimento especfico para cada situao, que determinar todos os parmetros tcnicos a serem seguidos para que seja alcanada a sensibilidade radiogrfica necessria para aquela condio.
  • 5. Radioproteo Os profissionais que atuam em radiografia industrial devem ser qualificados pela CNEN - Comisso Nacional de Energia Nuclear quanto radioproteo e segurana para a realizao das radiografias e qualificados pelo SNQC/END Sistema Nacional de Qualificao e Certificao da ABENDE - Associao Brasileira de Ensaios No Destrutivos quanto aplicao das corretas tcnicas para a realizao do ensaio. exigido que a equipe que vai atuar na rea seja composta pelo menos de um RIA(Responsvel por Instalaes Abertas) e um operador qualificados pela CNEN(Comisso Nacional de Energia Nuclear) e um profissional nvel 1 qualificado pelo SNQC(Sistema Nacional de Qualificao e certificao da ABENDE- Associao Brasileira de Ensaios No Destrutivos).
  • 6. Fatores de Radioproteo Tempo Blindagem Distncia Limites primrios anuais de dose efetiva e equivalente Plano de radioproteo
  • 7. Tempo
  • 8. Limites primrios anuais de dose efetiva e equivalente Os limites de doses individuais so valores de dose efetiva ou de dose equivalente nos rgos ou tecidos de interesse, estabelecidos para exposio ocupacional e exposio do pblico decorrentes de prticas autorizadas, cujas magnitudes no devem ser excedidas.
  • 9. Plano de radioproteo Para se assegurar que as doses recebidas pelos indivduos estejam dentro dos limites aceitveis e que as classificaes das reas dentro da instalao radioativa sejam observadas, necessrio que seja feito um planejamento do ponto de vista da radioproteo. Este planejamento elaborado pelo responsvel da instalao radioativa e aprovado pela direo da instalao, e recebe o nome de Plano de Radioproteo, devendo conter todos os itens relativos segurana radiolgica.
  • 10. Plano de radioproteo Dados cadastrais: nome da organizao, nome do titular, endereo, nome dos SPR, CNPJ; Descrio da instalao: principal atividade no uso de fontes de radiao ionizante; Descrio do setor de Radioproteo: relao do pessoal, descrio detalhada dos medidores e monitores de radiao, inventrio de fontes e equipamentos emissores de radiao; Controle e segurana: descrever os sistemas de segurana com fotos, sinalizao; Programa de controle dos instrumentos de medio: plano de calibrao e testes dos instrumentos de medio da radiao;
  • 11. Plano de radioproteo Programa de monitorao de rea: levantamento radiomtrico, periodicidade, registros Classificao das reas Programa de treinamento Instrues de radioproteo Dosimetria pessoal laboratrio contratado Exames mdicos Armazenamento dos equipamentos: local e controles efetuados Programa de transporte de fontes Programa de emergncia: auditorias, investigao de acidentes Planta da instalao Termo de responsabilidade do Diretor da Instalao
  • 12. Equipamentos de proteo individual- EPI Legislao: os equipamentos de proteo individual, tem o seu uso regulamentado, pelo Ministrio do trabalho e Emprego, em sua Norma Regulamentadora no 6 (NR n 06). Definio: Esta Norma define que equipamento de proteo individual todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a sade e a integridade fsica do trabalhador.
  • 13. Equipamentos de proteo individual EPI Seleo e uso Requisitos bsicos: Confortvel na temperatura a ser utilizado; Ajustvel; Proteo adequada ao risco; Durvel; Eficiente; Boa visualizao; Resistente s intempries; No inflamvel; Dificultar penetrao de calor e liberar o calor interno; Refratrio as radiaes no-ionizantes e absorvedor das radiaes ionizantes.
  • 14. Objetivos da Radioproteo Minimizar os riscos de efeitos biolgicos no ser humano Limitar a dose em atividades profissionais Diminuir a probabilidade de efeitos a longo prazo,sendo assim conclumos que a radioproteo tem por objetivo minimizar as consequncias para as pessoas (evitando a ocorrncia de efeitos determinsticos), a sociedade e o meio ambiente, criando e mantendo aes eficazes contra os riscos radiolgicos envolvidos em um possvel acidente radiolgico.
  • 15. Na Radiologia.Nunca silencie um erro! Pois eles podem te calar, quando precisar falar.