Esquizofrenia e Outros Distúrbios Psicóticos. Esquizofrenia e Outros distúrbios...

Click here to load reader

download Esquizofrenia e Outros Distúrbios Psicóticos. Esquizofrenia e Outros distúrbios psicóticos  O termo esquizofrenia foi criado em 1908 pelo psiquiatra

of 39

  • date post

    07-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    223
  • download

    6

Embed Size (px)

Transcript of Esquizofrenia e Outros Distúrbios Psicóticos. Esquizofrenia e Outros distúrbios...

  • Esquizofrenia e Outros Distrbios Psicticos

  • Esquizofrenia e Outros distrbios psicticos O termo esquizofrenia foi criado em 1908 pelo psiquiatra suo Eugen Bleuler. A palavra derivava do grego "skhiz" (dividida) e "fren" (mente) (Birchwood et a/., 1989).

    Embora a controvrsia persista, dois fatores gerais parecem estar tendo aceitao entre os clnicos. O primeiro que a esquizofrenia provavelmente no uma entidade clnica homognea, com uma causa nica, mas decorre de uma combinao varivel de predisposio gentica, disfuno bioqumica, fatores fisiolgicos e estresse psicossocial. O segundo fator que ainda no h e provavelmente nunca vai haver um tratamento nico que efetue a cura do distrbio. O tratamento eficaz requer, em vez disso, um esforo multidisciplinar abrangente, incluindo a psicoterapia e diversos tipos de cuidado psicossocial, como o treinamento de capacidades de vida e sociais, reabilitao e terapia de famlia.

    De todas as doenas mentais responsveis pelo sofrimento na sociedade, a esquizofrenia provavelmente cause as hospitalizaes mais demoradas, maior caos na vida familiar, um custo mais exorbitante para indivduos e governos e mais medos que qualquer outra. Por ser uma ameaa to grande vida e felicidade e porque suas causas so um enigma no resolvido, ela tem sido mais estudada que qualquer outro distrbio mental.

  • Natureza do DistrbioTalvez nenhum distrbio psicofisiolgico seja mais incapacitante que a esquizofrenia. Os distrbios dos processos de pensamento, percepo e afeto acarretam caracterstica e invariavelmente uma grave deteriorao do funcionamento social e ocupacional (Hollandsworth. 1990).

    Aproximadamente 1 % da populao vem a apresentar esquizofrenia no decorrer da vida (Birchwood et al., 1989). Os custos econmicos para a sociedade so estimados em bilhes de dlares por ano. Os sintomas geralmente aparecem ao fim da adolescncia ou incio da idade adulta, embora possam ocorrer em meados da idade adulta (American Psychiatric Association [APA], 1994). Alguns estudos indicaram que os sintomas ocorrem mais precocemente em homens que em mulheres. A personalidade pr-mrbida indica geralmente um desajuste social e sexual ou caractersticas de personalidade esquizide, paranide ou borderline (Cutting. 1985; Pfohl & Winokur, 1983).

    Este comportamento pr-mrbido com freqncia um fator de predio no padro de desenvolvimento da esquizofrenia, que pode ser visto em quatro fases,

    Fase I; A Personalidade Esquizide. A DSM-IV (APA, 1994) descreve esse indivduo como indiferente s relaes sociais e apresentando uma gama muito limitada de vivncia e expresso emocional. Eles no apreciam essas relaes e preferem ser "solitrios". Eles parecem frios e distantes. Nem todos os indivduos com caractersticas da personalidade esquizide evoluem para a esquizofrenia. Muitos indivduos; com esquizofrenia, porm, tm evidncias dessas caractersticas na condio pr-mrbida.

  • Fase II: A Fase Prodrmica. As caractersticas desta fase incluem retraimento social; distrbio do funcionamento do papel; um comportamento peculiar ou excntrico; descuido da higiene e aparncia pessoal; afetividade embotada ou inadequada; distrbios da comunicao; idias bizarras; experincias perceptivas fora do comum; e falta de iniciativa, interesse e energia. A durao desta fase muito varivel e muitos anos podem se passar antes da deteriorao ao estado esquizofrnico

    Fase III: Esquizofrenia. Na fase ativa do distrbio os sintomas psicticos so proeminentes. Seguem-se os critrios diagnsticos para esquizofrenia da DSM-IV (APA, 1994): 1. Sintomas Caractersticos: Dois (ou mais) dos seguintes, cada um deles presente por uma parte significativa do tempo durante um perodo de 1 ms (ou menos, caso tratados com xito):a. Delriosb. Alucinaesc. Fala desorganizada (p. ex., freqente desagregao ou incoerncia)d. Comportamento catatnico ou muito desorganizadoe.Sintomas negativos (isto , embotamento afetivo, apatia ou abulia) 2. Disfuno Social/Ocupacional: Por uma pane significativa do tempo aps o incio do distrbio, uma ou mais reas do funcionamento, tais como trabalho, relaes interpessoais ou cuidados pessoais, apresentam-se muito abaixo do nvel obtido antes do incio (ou, nos casos de incio na infncia ou adolescncia, no obteno do nvel esperado de realizao interpessoal, acadmica ocupacional).

  • 3. Durao: Sinais contnuos do distrbio persistem h pelo menos 6 meses. Esse perodo de 6 meses deve incluir pelo menos 1 ms de sintomas (ou menos, caso tratados com xito) que satisfaam o critrio 1 (isto , sintomas da ativa) e podem incluir perodos de sintomas residuais ou prodrmicos. Durante esses perodos prodrmicos ou residuais, os sinais do distrbio podem se manifestar apenas por sintomas negativos ou por dois ou mais sintomas relacionados no critrio 1 e presentes em forma atenuada (p. ex., crenas estranhas, experincias perceptivas fora do comum).4. Excluso de Distrbios Esquizofrnicos e Afetivos: Distrbios esquizofrnicos e distrbios afetivos com caractersticas psicticas foram afastadas porque (1) no ocorreram episdios depressivos maiores, manacos ou mistos concomitantemente aos sintomas da fase ativa; ou (2) caso tenham ocorrido episdios afetivos durante os sintomas da fase ativa, sua durao total foi breve relativamente durao dos perodos ativos e residuais.5. Excluso de Drogas/Condies Mdicas Gerais: O distrbio no se deve aos efeitos fisiolgico diretos de uma droga (p. ex., uma droga de abuso, uma medicao) ou uma condio medica geral.

    6. Relao com um Distrbio de Personalidade Global: Caso haja uma histria de distrbio autista ou um outro distrbio de personalidade global, o diagnstico adicional de esquizofrenia s feito caso delrios ou alucinaes proeminentes estejam tambm presentes h pelo menos 1 ms (ou menos, caso tratados com xito).

  • Fase IV: Fase Residual. A esquizofrenia se caracteriza por perodos de remisso e exacerbao. Uma fase residual segue-se geralmente a uma fase ativa da doena. Os sintomas durante a fase residual assemelha-se queles da fase prodrmica, com embotamento afetivo e distrbios do funcionamento do papel sendo os mais proeminentes. O distrbio residual freqentemente aumenta entre os episdios psicticos ativos.

    FATORES PREDISPONENTESA causa da esquizofrenia ainda no foi estabelecida com certeza. Muito provavelmente no h um fator nico que possa ser apontado como responsvel pela etiologia; a doena decorre, isto sim, de uma combinao de influncias, incluindo fatores biolgicos, psicolgicos e ambientais.

    TIPOS DE ESQUIZOFRENIA E OUTROS DISTRBIOS PSICTICOS

    A DSM-IV (APA, 1994) identificou vrios tipos de esquizofrenia e outros distrbios psicticos. O diagnstico diferencial feito de acordo com o quadro clnico sintomtico total apresentado.

  • Esquizofrenia Desorganizada

    Este tipo era anteriormente designado como esquizofrenia hebefrnica. O incio dos sintomas geralmente antes dos 25 anos de idade e o curso comumente crnico. O comportamento acentuadamente regressivo e primitivo. O contato com a realidade extremamente deficiente. H embotamento afetivo ou incongruncia afetiva evidente, freqentemente com perodos de conduta tola e risos imotivados. Caretas faciais e maneirismos bizarros so comuns, sendo a comunicao consistentemente incoerente. A aparncia pessoal geralmente negligenciada e o distrbio social extremo.

    Esquizofrenia Catatnica

    A esquizofrenia catatnica se caracteriza por anormalidades acentuadas no comportamento motor e pode se manifestar em termos de estupor ou excitao (Kaplan, Sadock]| 1994).O estupor catatnico se caracteriza por um extremo retardo psicomotor. O indivduo apresenta uma diminuio acentuada dos movimentos e atividades espontneos. comum o mutismo (isto , ausncia de fala) e pode evidenciar-se o negativismo (isto , uma resistncia aparentemente sem motivo a todas as instrues ou tentativas no sentido de se mover). Pode haver a pseudoflexibilidade crea. Esse termo descreve um tipo de "postura", ou de adoo voluntria de posies bizarras, nas quais o indivduo pode permanecer por um longo perodo. Os esforos para mover o indivduo se deparam com uma rgida resistncia corporal.

  • A excitao catatnica se manifesta por um estado de extrema agitao psicomotora. Os movimentos so frenticos e desprovidos de finalidade, e geralmente acompanhados por verbalizaes incoerentes e gritos contnuos. Os clientes em excitao catatnica necessitam de controle fsico e mdico, pois mostram-se freqentemente destrutivos e violentos com os outros; sua excitao pode fazer com que se machuquem ou tenham um colapso por exausto.A esquizofrenia catatnica era muito comum h dcadas. Depois do advento das medicaes antipsicticas para uso na psiquiatria, porm, a doena passou a ser rara na Europa e Amrica do Norte (Kaplan, Sadock & Grebb, 1994).

    Esquizofrenia Paranide

    A esquizofrenia paranide se caracteriza principalmente pela presena de delrios persecutrios ou de grandeza e por alucinaes auditivas relacionadas a um tema nico. O indivduo se apresenta com freqncia tenso, desconfiado e retrado podendo mostrar-se querelante, hostil e agressivo. O incio dos sintomas geralmente mais tardio (talvez no final da terceira ou quarta dcadas de vida) e observada uma regresso menor nas faculdades emocionais, resposta emocional e comportamento do que aquela observada nos outros subtipos de esquizofrenia (Kaplan, Sadock & Grebb, 1994).

  • Esquizofrenia Indiferenciada

    Por vezes clientes apresentando sintomas esquizofrnicos no preenchem os critrios para nenhum dos subtipos ou podem preencher critrios para mais de um subtipo. Esses indivduos podem receber o diagnstico de esquizofrenia diferenciada. O comportamento claramente psictico, ou seja, h evidncias de delrios, alucinaes, incoerncia e comportamento bizarro. Todavia, os sintomas no podem ser classificados em nenhuma das categorias diagnsticas citadas anteriormente.