DOENÇAS DO COTOVELO E OMBRO E ESQUIZOFRENIA.2418 esquizofrenia site

download DOENÇAS  DO  COTOVELO  E  OMBRO  E  ESQUIZOFRENIA.2418 esquizofrenia site

If you can't read please download the document

Embed Size (px)

description

DOENÇAS DO COTEVELO E OMBRO E ESQUIZO FRENIAS.

Transcript of DOENÇAS DO COTOVELO E OMBRO E ESQUIZOFRENIA.2418 esquizofrenia site

  • 1. Este livro em formato PDF somente para uso pessoal. Atividades comerciais e promocionais so estritamente proibidas. Fast Facts

2. Esquizofrenia Copyright 2012 AUTORES Shn W. Lewis BSc MD FRCPsych Professor de Psiquiatria de Adultos Universidade de Manchester Manchester, Reino Unido Robert W. Buchanan MD Professor de Psiquiatria Centro de Pesquisa em Psiquiatria de Maryland Departamento de Psiquiatria Universidade da Escola de Medicina de Maryland Baltimore, Maryland, Estados Unidos Traduo e reviso mdica: Dr. Ary Gadelha de Alencar Araripe Neto CRM/SP: 118.377 Dr. Cristiano de Souza Noto CRM/SP: 124.706 Proibida a reproduo total ou parcial desta obra. Todos os direitos desta edio esto reservados. IMPRESSO NO BRASIL 2012 Terceira edio Fast Facts Fast Facts Este livro em formato PDF somente para uso pessoal. Atividades comerciais e promocionais so estritamente proibidas. 3. Health Press 2007: Esta traduo de Fast Facts: Schizophrenia, terceira edio, publicada por acordo com Health Press. Traduo e reviso mdica: Dr. Ary Gadelha de Alencar Araripe Neto CRM/SP: 118.377 Mdico pela Universidade Federal do Cear (UFC). Residncia em Psiquiatria pela Universidade Federal de So Paulo (Unifesp). Ps-graduando (Doutorado) da Unifesp. Coordenador Cientfico do Programa de Esquizofrenia da Unifesp (PROESQ). Dr. Cristiano de Souza Noto CRM/SP: 124.706 Mdico em Psiquiatria pela Universidade Federal de So Paulo (Unifesp). Ps-graduando em Psiquiatria e mdico colaborador do Programa de Esquizofrenia (PROESQ) do Departamento de Psiquiatria da Unifesp. Reviso ortogrfica: Glair Picolo Coimbra e Sandra Gasques Diagramao: Sandra Regina Santana ISBN: 978-85-63678-05-8 2012 Conectfarma Publicaes Cientficas Ltda. Rua Alexandre Dumas, 1.562, cjs. 23/24 - Chcara Santo Antonio So Paulo/SP - 04717-004 - Fone: 11 5181-2618 - www.conectfarma.net - RC 2418/12 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicao pode ser reproduzida, armazenada em um sistema de recuperao ou transmitida sob qualquer forma ou por qualquer meio, seja eletrnico, mecnico, fotocpia, gravao ou outro, sem a prvia autorizao por escrito dos editores. Este livro em formato PDF somente para uso pessoal. Atividades comerciais e promocionais so estritamente proibidas. 4. SUMRIO Glossrio de abreviaes.....................................................................5 Introduo....................................................................................................7 1 Histria breve....................................................................................9 2 Sintomas e diagnstico..............................................................17 3 Epidemiologia..................................................................................27 4 Gentica.............................................................................................35 5 Teorias desenvolvimentais e fatores ambientais .........43 6 Neuroanatomia e imagem estrutural ................................49 7 Neuropsicologia e imagem funcional .................................59 8 Neuroqumica.................................................................................73 9 Tratamento farmacolgico.......................................................83 10Intervenes psicossociais e tratamentos no medicamentosos...........................................................................95 11Interveno precoce.................................................................101 Fontes teis...........................................................................................107 ndice remissivo...................................................................................113 Este livro em formato PDF somente para uso pessoal. Atividades comerciais e promocionais so estritamente proibidas. 5. Este livro em formato PDF somente para uso pessoal. Atividades comerciais e promocionais so estritamente proibidas. Glossrio de abreviaes AMPA: cido -amino-3-hidroxi-5-metil-4-isoxazol propinico; neuro- transmissor glutamatrgico. CBT: cognitive-behavioral therapy terapia cognitivo-comportamental. CPZE: equivalente de clorpromazina; dose equivalente a 100 mg de clorpro- mazina (potncia relativa). DPNT: durao de psicose no tratada. DT: discinesia tardia; efeito adverso maior associado com todos os antipsic- ticos convencionais, caracterizado por movimentos involuntrios, afetando primariamente os msculos da lngua e da face. DTI: diffusion tensor imaging imagem do tensor de difuso; tcnica de ressonncia magntica que permite a visualizao dos tratos de substncia branca. DZ: dizigtico (de dois zigotos ou ovos fecundados); gmeos dizigticos no so idnticos. GTS: giro temporal superior. Imagem BOLD: blood-oxygen-level dependent imaging imagem dependen- te do nvel de oxignio; tcnica de ressonncia magntica que usa as proprie- dades paramagnticas naturais da hemoglobina quando perde oxignio para produzir uma imagem do fluxo sanguneo cerebral. 6. 6 Fast Facts: Esquizofrenia Este livro em formato PDF somente para uso pessoal. Atividades comerciais e promocionais so estritamente proibidas. LCR: lquido cefalorraquidiano. MZ: monozigtico (de um zigoto ou ovo fecundado); gmeos monozigti- cos so idnticos. NMDA: N-metil-D-aspartato. PEG: pneumoencefalografia; tcnica de imagem antiga baseada no contraste ao exame de raios X do ar injetado no espao lombar subaracnoide com o osso e tecido cerebral. PET: positron emission tomography tomografia por emisso de psitrons; tcnica de imagem funcional usada para medir o metabolismo de glicose, fluxo sanguneo cerebral ou ocupao do receptor. PGI: paralisia geral do insano. Potncia: quantidade da medicao necessria para ter um dado efeito. rCBF: regional cerebral blood flow fluxo sanguneo cerebral regional. RM: ressonncia magntica. RMf: ressonncia magntica funcional; tcnica de imagem baseada nos mes- mos princpios da imagem BOLD e que pode medir pequenas alteraes metablicas em reas ativas do crebro. SEP: sintomas extrapiramidais, por exemplo: acinesia, distonia, acatisia e tremor. SNM: sndrome neurolptica maligna; caracterizada por rigidez muscular, instabilidade autonmica, febre e alteraes no estado mental. SPECT: single-photon emission computed tomography tomografia computa- dorizada por emisso de fton nico; tcnica de imagem funcional similar, mas menos verstil que o PET. SVCF: sndrome velocardiofacial; doena gentica caracterizada por anorma- lidade na face e no palato, defeitos cardacos e vrios sintomas psiquitricos. TC: tomografia computadorizada. 7. Este livro em formato PDF somente para uso pessoal. Atividades comerciais e promocionais so estritamente proibidas. Introduo A esquizofrenia uma doena estranha e muitas vezes devastadora, que comea numa fase inicial da vida e pode levar incapacidade permanente. um dos maiores desafios em termos de sade pblica. Os recentes avanos em pesquisa deram nova perspectiva quanto s cau- sas da esquizofrenia, em particular o papel de genes especficos e fatores psi- cossociais. Quanto importam os genes? Os fatores psicolgicos e sociais so importantes? E quanto aos efeitos das drogas de abuso? Nesta terceira edio de Fast Facts: Esquizofrenia, abordou-se o que novo e promissor na compreenso dos fatores de risco e dos prejuzos cognitivos e cerebrais. Tambm foram revisadas novas estratgias farmacolgicas e no farmacolgicas de tratamento, sendo consideradas as perspectivas para me- lhor evoluo clnica e funcionamento social. 8. 1 Este livro em formato PDF somente para uso pessoal. Atividades comerciais e promocionais so estritamente proibidas. Histria breve Descries clssicas e pr-clssicas As primeiras descries dos sintomas associados ao diagnstico da esquizo- frenia se originam das culturas do perodo pr-clssico. Esses sintomas eram ento considerados como as manifestaes de foras sobrenaturais invadindo o indivduo, muitas vezes como castigo por um comportamento imoral. Na Grcia e na Roma antigas, o foco para estudar e compreender as doen as mentais mudou para um ponto de vista mais naturalista. Os primeiros mdicos gregos descreveram os delrios de grandeza, a paranoia e a deteriora- o das funes cognitivas e de personalidade. Esses comportamentos eram geralmente atribudos a distrbios nas associaes entre os quatro humores corporais: sangue, blis amarela, blis negra e fleuma. Idade Mdia No perodo medieval, particularmente nas civilizaes ocidentais, houve um retorno s perspectivas moralistas ou supersticiosas do pr-clssico sobre o comportamento psictico. Os modelos clssicos da doena foram em gran- de parte mantidos vivos por mdicos rabes, que praticavam a medicina de acordo com as ideias de Hipcrates, Aristteles e Galeno. Essas concepes clssicas de psicose permaneceram inalteradas at o Renascimento. 9. 10 Fast Facts: Esquizofrenia Este livro em formato PDF somente para uso pessoal. Atividades comerciais e promocionais so estritamente proibidas. Renascimento Nas culturas ocidentais, o Renascimento levou a um ressurgimento do in- teresse no pensamento clssico, com um despertar para a conceituao de doenas mentais, incluindo psicoses, como transtornos naturalistas. Os pri- meiros hospitais psiquitricos europeus foram estabelecidos durante esse pe- rodo. Os sculos XVII e XVIII assistiram a uma exploso de descobertas sobre o funcionamento do corpo, o que levou a uma abordagem mais racio- nal e cientfica das doenas e do estudo da mente. Etiologias orgnicas para a doena mental foram adotadas e as descries iniciais e classificaes desses distrbios foram tentadas. Sculo XIX Na primeira parte do sculo XIX, as bases para o conceito moderno de esqui- zofrenia foram estabelecidas (Tabela 1.1). Um sistema de diagnstico inicial foi proposto e vrias doenas mentais foram descritas, incluindo epilepsia, melancolia, mania, transtornos psicticos associados demncia e, ainda, a esquizofrenia e a paralisia geral do insano (PGI). No entanto, faltava uma abordagem geral que integrasse as diversas manifestaes