PSICOATIVAS - sicad.pt .Subst¢ncias Psicoativas Subst¢ncias que afetam o sistema nervoso...

PSICOATIVAS - sicad.pt .Subst¢ncias Psicoativas Subst¢ncias que afetam o sistema nervoso central,
PSICOATIVAS - sicad.pt .Subst¢ncias Psicoativas Subst¢ncias que afetam o sistema nervoso central,
download PSICOATIVAS - sicad.pt .Subst¢ncias Psicoativas Subst¢ncias que afetam o sistema nervoso central,

of 2

  • date post

    08-Feb-2019
  • Category

    Documents

  • view

    213
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of PSICOATIVAS - sicad.pt .Subst¢ncias Psicoativas Subst¢ncias que afetam o sistema nervoso...

Servio de Interveno nos Comportamentos Aditivos e nas DependnciasSICAD

Autoria:

Substncias Psicoativas

Substncias que afetam o sistema nervoso central, estimulando-o, deprimindo-o ou interferindo de outra forma no seu funcionamento. Delas so exemplo as bebidas alcolicas, o haxixe, a cocana, a ecstasy ou alguns medicamentos como os ansiolticos ou os antidepressivos. O caf ou o tabaco contm tambm substncias psicoativas.

Linhas orientadoras para empresas:

www.sicad.min-saude.pt/PT/Intervencao/DocumentosTecnicoNormativos/Paginas/deta lhe.aspx? i temId=9&l i sta=S ICAD_DOCUMENTOSNORMATIVOS&bkUrl=BK/Intervencao/DocumentosTecnicoNormati-vos/

www.act.gov.pt/(pt-PT)/crc/Publicacoes-Electronicas/Factoresderisco/Paginas/de-fault.aspx

Diretrio do lcool:

www.diretorioalcool.pt

TratamentoRespostas disponveis :

Nvel 1Cuidados de Sade Primrios Medicina do Trabalho.

Nvel 2Equipas de Tratamento Centros de Respostas Integradas (CRI)Unidades de Interveno Local (UIL) das Divises de Interveno em Comportamentos Aditivos e Dependncias (DICAD) das Administraes Regionais de Sade (ARS)

Nvel 3Unidades de AlcoologiaSade Mental.

Nvel 4Comunidades TeraputicasDepartamentos Hospitalares.

Os padres de consumo de risco e nocivo podero implicar maiores problemas de segurana e sade para as empresas do que os de dependncia instalada.

O consumo de substncias psicoativas no local de trabalho pode gerar:

Perda de produtividade e baixo desempenho; Atrasos e incumprimento de horrios; Insegurana e acidentes nos locais de trabalho; Consequncias negativas no esprito de equipa e nas relaes interpessoais; Problemas disciplinares e comportamentais; Desprestgio da imagem da empresa e das relaes externas.

PREVENO DO

CONSUMO DE

SUBSTNCIAS

PSICOATIVAS

LCOOLE OUTRAS DEPENDNCIAS

NAS

MICRO, PEQUENAS E MDIAS

EMPRESAS

Os trabalhadores que consomem substncias psicoativas:

Tm maior probabilidade de provocar ou sofrer acidentes de trabalho que a populao geral.

Tendem a ausentar-se mais frequent-emente do trabalho.

Apresentam mais comportamentos de risco para a sua segurana e de terceiros.

Envolvem-se mais frequentemente em confl itos ou comportamentos violentos e so mais repetidamente alvo de queixas.

O valor da deteo por si s no ter significado.A substncia poder estar no organismo e prejudicar (ou no) o desempenho e a segurana do prprio e a de outros trabalhadores.Neste sentido, a avaliao deve ser sempre feita sob a responsabilidade da Medicina do Trabalho.

O estado de infl uncia refere-se ao impacto negativo do efeito da substncia psicoativa no trabalho.

Enquadramento legal

Encontra-se nomeadamente no Cdigo do Trabalho (Lei n 7/2009, de 12 de fevereiro), bem como na Lei n 102/2009, de 10 de setembro e na Lei n 23/2012, de 25 de junho.

Fases para a implementao e desenvolvimento da abordagem do consumo de substncias psicoativas no local de trabalho:

1. Colocar o problema como uma preocupao da empresaComear por definir os objetivos da empresa para a segurana e sade dos trabalhadores com incluso da preveno do consumo de substncias psicoativas.

2. Sensibilizao Global da EmpresaProcura-se aumentar o grau de conhecimentos na temti ca e aumentar a adeso e o envolvimento dos trabalhadores.

3. Identifi car NecessidadesIdentificar as condies internas e externas para a abordagem destes problemas, des ignadamente, as condies de trabalho, as ati tudes dos trabalhadores face aos consumos de substncias, a disponibilidade de bebidas alcolicas, o contexto cultural em que est inserido o local de trabalho.

4. Servios de Sade do TrabalhoDevero dar apoio empresa desde a fase inicial. Nas consultas (peridicas ou ocasionais a pedido da empresa ou a pedido do trabalhador) o mdico do trabalho determina a Aptido para o Trabalho, alm de dar apoio personalizado aos trabalhadores com risco associado ao consumo de substncias psicoativas: exames complementares de diagnstico, tratamentos, aconselhamento, estratgias de sade, reabi l i tao, etc.Para tratamentos especficos reencaminha para a Medicina Geral e Familiar e restante Rede de Referenciao.

5. ReferenciaoO encaminhamento do trabalhador deve ser feito de maneira a dar a resposta mais atempada s necessidades identificadas em termos de diagnstico, tratamento e reabilitao.

Os problemas com o consumo de Substncias Psicoativas esto por vezes relacionados com as ms condies fsicas e organizacionais de alguns postos de trabalho e estilos de vida no saudveis,entre outros.

SUBSTNCIAPSICOATIVA

INDIVDUOCONTEXTO

SOCIO-LABORAL

Estado de infuncia

A abordagem do consumo de substncias psicoativas no local de trabalho deve:

VANTAGENS

Para a empresa:

maior comprometimento dos trabalhadores, das chefias e dos empregadores; melhoria da imagem; assuno da responsabilidade social (no mercado e na comunidade); reduo de custos relacionados com a sade e a segurana; aumento da produtividade; reduo do nmero de acidentes no trabalho; reduo do absentismo.

Para o trabalhador:

participao pr-ativa em aes de promoo da sade e segurana no trabalho; reduo da probabilidade de acidente de trabalho; melhoria provvel do estado de sade; acesso a informaes adequadas sobre substncias e seus efeitos; oportunidade de reflexo e ajuda profissional para alterao de seu padro de consumo; oportunidade de reflexo e ajuda profissional para mudana do seu estilo de vida.

ESTAR ESCRITASER ESPECFICA

DA EMPRESA

SER PARTICIPADASER TRANSVERSAL