AGREGADOS GRADOS RECICLADOS PARA CONCRETO pos.demc.ufmg.br/novocecc/trabalhos/pg3/122.pdf  NBR

download AGREGADOS GRADOS RECICLADOS PARA CONCRETO pos.demc.ufmg.br/novocecc/trabalhos/pg3/122.pdf  NBR

of 46

  • date post

    02-Dec-2018
  • Category

    Documents

  • view

    213
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of AGREGADOS GRADOS RECICLADOS PARA CONCRETO pos.demc.ufmg.br/novocecc/trabalhos/pg3/122.pdf  NBR

  • Monografia

    "AGREGADOS GRADOS RECICLADOS PARA CONCRETO ARMADO:

    ALTERNATIVAS PARA O MERCADO BRASILEIRO "

    Autora: Sullen Mota Marques Costa

    Orientadora: Profa. Dra. Adriana Guerra Gumieri

    Julho/2014

    Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia

    Departamento de Engenharia de Materiais e Construo

    Curso de Especializao em Construo Civil

  • ii

    SULLEN MOTA MARQUES COSTA

    "AGREGADOS GRADOS RECICLADOS PARA CONCRETO ARMADO:

    ALTERNATIVAS PARA O MERCADO BRASILEIRO"

    Monografia apresentada ao Curso de Especializao em Construo Civil

    da Escola de Engenharia da UFMG

    nfase: Gesto e Avaliaes nas Construes

    Orientadora: Profa. Dra. Adriana Guerra Gumieri

    Belo Horizonte

    Escola de Engenharia da UFMG

    2014

  • iii

    As pessoas querem o ideal, rejeitam o que

    bom e tem que se contentar com o pssimo.

    Edsio Fernandes

  • iv

    AGRADECIMENTOS

    Agradeo aos meus pais, Raquel e Vilson, pelos valores que formaram meu

    carter, base de toda minha conduta, seja profissional seja pessoal. O valor

    que sempre deram ao conhecimento serviu como modelo para minha vida.

    Agradeo a minha irm, Suzane, que me incentivou a no desistir frente s

    dificuldades.

    Agradeo UFMG, que com sua vasta equipe de colaboradores, contribui para

    que milhares de alunos posssam enxergar o mundo de outras formas,

    promovendo a liberdade.

    No poderia deixar de mencionar os colegas da ps-grauao, funcionrios da

    secretaria e profesores, que sempre estiveram abertos para compartilhar

    experincias, criando um ambiente agradvel e propcio para a aprendizagem.

    Agradeo minha orientadora, Profa. Adriana, que confiou em mim, aceitando

    colaborar com este trabalho e fornecendo o suporte que eu tanto precisava.

    Por fim, agradeo Deus, pela maravilhosa oportunidade de conhecer e de

    criar, aes essas que me trazem felicidade.

  • v

    SUMRIO

    1. INTRODUO ...................................................................................................... 1

    2. OBJETIVO ............................................................................................................ 4

    3. REVISO BIBLIOGRFICA ................................................................................. 5

    3.1 Breve histrico da reciclagem de resduos de construo e demolio (RCD) no

    Brasil ........................................................................................................................ 5

    3.2 Breve histrico das normas nacionais e estrangeiras sobre agregados reciclados

    para concretos .......................................................................................................... 7

    3.3 Propriedades dos concreto com agregados reciclados ....................................... 9

    3.3.1 Caractersticas gerais ................................................................................... 9

    3.3.2 Absoro de gua e retrao por secagem .................................................10

    3.3.3 Trabalhabilidade ..........................................................................................12

    3.3.4 Resistncia compresso...........................................................................13

    3.3.5 Resistncia trao ....................................................................................17

    3.3.6 Resistncia flexo ....................................................................................18

    3.3.7 Mdulo de elasticiadade ..............................................................................19

    3.3.8 Durabilidade ................................................................................................20

    3.4 Como melhorar as propriedades do concreto com agregados reciclados ..........21

    3.4.1 Beneficiamento dos agregados grados reciclados .....................................21

    3.4.2 Teores de substituio de agregados naturais por reciclados .....................22

    3.4.3 Uso de superplantificantes e de cinzas volantes .........................................23

    3.4.2 Adio de vidro modo e de tensoativos ......................................................26

    4. ANLISE CRTICA: APLICAES NO BRASIL ..................................................29

  • vi

    4.1 Estratgias para implantao no Brasil ..............................................................30

    5. CONCLUSO ......................................................................................................32

    6. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS .......................................................................33

  • vii

    LISTA DE FIGURAS

    Figura 1: Resistncia compresso de concretos com agregados

    reciclados - 28 dias ..................................................................................................... 15

    Figura 2: Comparaes entre resistncias de concretos com agregados reciclados ... 16

    Figura 3: Resistncia trao de concretos com AGR ............................................... 18

    Figura 4: mdulo de elasticiade de concretos com agregados grados reciclados ...... 19

    Figura 5: Retrao por secagem de concretos reciclados com e sem cinzas volantes

    aos 28 dias. ................................................................................................................. 25

    Figura 6: Permeabilidade a ons cloreto de concretos reciclados com e sem cinzas

    volantes aos 28 dias.. .................................................................................................. 26

    Figura 7: Resistncia compresso de concretos com AGR, com e sem

    vidro modo... ............................................................................................................. 27

    Figura 8: Permeabilidade a cloretos de concretos com AGR, com e sem vidro

    modo.............................................................................................................................28

  • viii

    LISTA DE TABELAS

    Tabela 1: Retrao por secagem de concretos com agregados

    grados reciclados. ..................................................................................................... 11

    Tabela 2: Resistncia compresso (MPa) e resistncia compresso relativa

    conforme idade do concreto. ....................................................................................... 14

    Tabela 3: Comparao das resistncias a compresso para concretos reciclados

    obtidos por MALESEV et al (2012) e por DAL MOLIN e VIEIRA (2004). ..................... 15

    Tabela 4: Resistncia trao de concretos com AGR ao 28 dias em MPa. .............. 17

    Tabela 5: Resistncia compresso de concretos reciclados com e sem cinzas

    volantes ....................................................................................................................... 24

  • ix

    LISTA DE NOTAESE ABREVIATURAS

    a/c = gua/cimento

    AGR = agregado grado reciclado

    AMR = agregado mido reciclado

    MPa = Mega Pascal

    NBR = Norma Brasileira Registrada

    Pa = 1.000.000 N/m

    RCD = resduos de construo e demolio

  • x

    RESUMO

    Este trabalho analisa a viabilidade de utilizao de agregados grados

    reciclados de concreto de demolio para fins estruturais na construo civil

    brasileira. Na primeira parte, apresenta-se um panorama da gesto de resduos

    no Brasil, bem como as normas nacionais e estrangeiras existentes sobre a

    reciclagem de agregados. Em um segundo momento, mostram-se os

    resultados das pesquisas mais relevantes sobre o tema. Por fim, as

    informaes so analisadas com foco na construo civil brasileira. A utilizao

    de agregado grado reciclado de concreto de demolio pode ser vivel

    quando combinado a outros materiais tais como superpalstificantes e vidro

    modo. Tais adies compensam a diferena de desempenho do material

    reciclado em relao ao agregado grado de rocha natural. Todavia, incentivar

    pesquisas nessa rea fundamental, uma vez que h poucas publicaes que

    consideram o contexto brasileiro.

  • 1

    1. INTRODUO

    Atualmente, verifica-se a escassez de locais para deposio de resduos em

    vrios pases, sejam eles de resduos de construo e demolio ou de outros

    tipos. O crescimento da populao urbana, requer reas cada vez maiores para

    lavoura, pecuria e urbanizao, o que aumenta o preo da terra.

    Consequentemente, utilizar grandes reas como aterro sanitrio cada vez

    mais difcil.

    Essa falta de espao para deposio de resduos pode ser verificada em nvel

    internacional, como aconteceu com o Brasil em 2009. Segundo LANG (2009),

    em novembro daquele ano chegaram ao Brasil 1.477 toneladas de resduos

    slidos diversos que foram repatriados Europa. Na ocasio, o Ministro do

    Meio Ambiente, Carlos Minc, declarou que O Brasil no ser lata de lixo do

    planeta. Teremos um papel de protagonista nesta questo, exigindo mudanas

    nesse tipo de comportamento por parte dos pases ricos.. Atualmente, fala-se

    em trfico de lixo dos pases desenvolvidos para os subdesenvolvidos, dada a

    escassez de espao e o descaso com a questo ambiental.

    Contudo, a falta de espao tambm pode ser percebida em pases em

    desenvolvimento, conforme acontece com as cidades brasileiras Belo

    Horizonte e Sabar. Segundo a PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO

    HORIZONTE (2014), o aterro sanitrio da cidade foi fechado em 2007, sendo

    que o