3 e 4 aula agregados e concreto

download 3 e 4 aula   agregados e concreto

of 22

  • date post

    22-Jun-2015
  • Category

    Education

  • view

    1.278
  • download

    2

Embed Size (px)

description

curso gestor de obras aulas 3º e 4º

Transcript of 3 e 4 aula agregados e concreto

  • 1. 21/04/2014 1 Curso de formao em Gesto de obras Disciplina: Materiais de construo Prof. Nicodemos 12/04/14 Aula 3 e 4 Agregados e concreto AGREGADOS PARA CONCRETO INTRODUO A NBR 9935(ABNT,1987) define agregado como o material: Granular Ptreo (duro, inflexible, tenaz), Sem forma ou volume definido, Relativamente Inerte Origem: Natural ou Artificial 3.2. CLASSIFICAO DOS AGREGADOS 3.2.1. CLASSIFICAO QUANTO ORIGEM Pag. 108 Os agregados naturais so aqueles encontrados em jazidas naturais ou que necessita de pequeno processamento. Areia Britada Pedra Britada Granito rocha gnea intrusiva Gnaisse rocha metamrfica Basalto rocha gnea eruptiva Agregados artificiais so aqueles que, aps sua extrao da natureza, passam por um processo de industrializao.

2. 21/04/2014 2 Pag. 108 Pag. 108 3.2.2. CLASSIFICAO QUANTO DIMENSO DOS GROS Agregados Graudos Agregados Miudo A indicao da peneira refere-se abertura da malha ou ao nmero de malhas quadradas, por polegada linear. Granulometria por peneiramento Porcentagem retida Porcentagem Acumulada Mdulo de finura Dimetro mximo AGREGADOS Anlise granulomtrica - Porcentagem retida: a porcentagem de material retido em uma determinada peneira. - Porcentagem acumulada: a soma das porcentagens retidas em uma determinada peneira e nas outras que lhe ficam acima da numerao. - Mdulo de finura: a soma das porcentagens acumuladas em todas as peneiras da srie normal, dividida por 100. Quanto maior o mdulo de finura mais grosso ser o agregado. 3. 21/04/2014 3 Anote os dados dos prximos slides, para realizao dos clculos das porcentagens retidas e acumuladas Granulometria 1 DETERMINAO 4. 21/04/2014 4 5. 21/04/2014 5 2 DETERMINAO 6. 21/04/2014 6 8,4 g 8,4 g 15,1 g 28,9 g 147.7 g 7. 21/04/2014 7 242,9 g 63,4 g 18,4 g % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 0-------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 0 ------- X 8. 21/04/2014 8 % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 9,6-------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 16,6------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 31,7------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 132,8-------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 234,1-------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 79,4------- X 9. 21/04/2014 9 % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 23,6------- X Mdulo de finura da areia 3.2.2. CLASSIFICAO QUANTO DIMENSO DOS GROS Agregado grado quando pelo menos 95% de sua massa retida na peneira de malha 4,8 mm e passa na peneira 152 mm. Os agregados podem ser divididos em grados e midos. Agregado mido : Os gros passam na peneira de malha 4,8 mm e ficam retidos na de 0,075 mm. Podem ser classificados como areia fina, mdia e grossa. 10. 21/04/2014 10 MASSA ESPECFICA REAL: De acordo com a massa especfica aparente os agregados podem ser: leves (argila expandida, pedra-pomes, vermiculita), normais (pedras britadas, areias, seixos), e pesados (hematita, barita, magnetita). + Cimento + gua PASTA Pag. 108 Pag. 108 11. 21/04/2014 11 MASSA ESPECFICA REAL: De acordo com a massa especfica aparente os agregados podem ser: leves (argila expandida, pedra-pomes, vermiculita), normais (pedras britadas, areias, seixos), e pesados (hematita, barita, magnetita). Desmontadascom explosivos, elas so transportadas, geralmente por caminhes, at a instalao de britagem, onde as pedras so reduzidas a dimenses adequadas ao processamento industrial. Calcrios para a indstria de cimento CIMENTO = calcrio (80% a 95% ) + argila (5% a 20%) e pequenas quantidades de minrio de ferro = clinquer O calcrio fornece o xido de clcio A argila fornece slica, xido de alumnio e xido de ferro. Calcrios para a indstria da cal A cal o resultado da calcinao de rochas calcrias quando aquecidas em fornos a temperaturas superiores a 725C. Tm seu maior emprego na construo civil como aglomerante, dando-se preferncia s cales magnesianas ou dolomticas Concreto e dosagem uma mistura de: Pedras grandes e pequenas - agregados grados. Areia agregados mudos Cola cimento O concreto uma tentativa de reconstruo da pedra natural. As pedras e a areia(inertes) so usadas umas para ocupar os espaos deixados pelas outras e o cimento molhado aglomera tudo. 12. 21/04/2014 12 Cimento = Aglomerante Material ligante que tem por objetivo promover a unio entre os gros dos agregados. AGLOMERANTE GUA CONCRETO+ =AGREGADO + Cimento . O cimento um aglomerante hidrulico produzido a partir de uma mistura de rocha calcria e argila. A finura uma propriedade que influencia diretamente a velocidade da reao de hidratao do cimento, pois a hidratao ocorre em funo do contato do cimento com a gua. Quanto maior a finura, menor ser o tamanho do gro do cimento, maior ser a superfcie exposta e, portanto, maior a velocidade de reao. O clnquer tem como matrias-primas o calcrio e a argila, ambos obtidos de jazidas em geral situadas nas proximidades das fbricas de cimento. A rocha calcria primeiramente britada, depois moda e em seguida misturada, em propores adequadas, com argila moda. O gesso tem como funo bsica controlar o tempo de pega, isto , o incio do endurecimento do clnquer modo quando este misturado com gua. 13. 21/04/2014 13 As escrias de alto-forno so obtidas durante a produo de ferro-gusa nas indstrias siderrgicas e se assemelham aos gros de areia. O resultado um produto de natureza granular que finamente modo adquire propriedades cimentantes e quando adicionado ao cimento contribui na reduo do calor de hidratao, da exsudao e da segregao em concretos. Os materiais pozolnicos so rochas vulcnicas ou certos tipos de argilas queimadas em elevadas temperaturas (550oC a 900oC), ligante hidrulico: A reao s vai acontecer se, alm da gua, os materiais pozolnicos modos em gros finssimos tambm forem colocados em presena de mais um outro material, o clinquer. O emprego das pozolanas como adio do cimento melhora a trabalhabilidade e resistncia do concreto, alm de aumentar a durabilidade e diminuir a vulnerabilidade aos meios agressivos, como ambientes martimos e expostos a sulfatos. O clnquer justamente um desses materiais, no processo de hidratao, libera hidrxido de clcio (cal) que reage com a pozolana. Esse o motivo pelo qual a adio de materiais pozolnicos ao clnquer Os materiais carbonticos so rochas modas, que apresentam carbonato de clcio em sua constituio tais como o prprio calcrio. 14. 21/04/2014 14 A adio de material carbontico, serve tambm para tornar os concretos e as argamassas mais trabalhveis, porque os gros ou partculas desses materiais modos tm dimenses adequadas para se alojar entre os gros ou partculas dos demais componentes do cimento, funcionando como um verdadeiro lubrificante. Quando presentes no cimento so conhecidos como fler calcrio. Materiais carbonticos - F De acordo com as adies: (gesso, material carbontico, escoria de alto forno e pozolana) e com a resistncia compresso mnima que atinge em 28 dias, o cimento recebe uma nomenclatura composta das seguintes partes: simples I composto II de alto forno III pozolnico IV ARI ( alta resistncia) - V E: escoria Z: pozolana F: filler Cimento Portland Comum CP I e CP I-S (NBR 5732) Sem quaisquer adies alm do gesso, muito adequado para o uso em construes de concreto em geral quando no h exposio a sulfatos do solo ou de guas subterrneas; Aplicaes dos tipos de cimento + Cimento Portland Comum CP I e CP I-S (NBR 5732) usado em servios de construo em geral, quando no so exigidas propriedades especiais do cimento; Tambm oferecido ao mercado o Cimento Portland Comum com Adies CP I-S, com 5% de material pozolnico em massa, recomendado para construes em geral, com as mesmas caractersticas. Aplicaes dos tipos de cimento + + 5% de pozolana 15. 21/04/2014 15 Cimento Portland CP II (NBR 11578) uma espcie de cimento comum modificado Gera calor em uma velocidade menor do que o gerado pelo Cimento Portland Comum; Seu uso mais indicado em lanamentos macios de concreto, onde o grande volume da concretagem e a superfcie relativamente pequena reduzem a capacidade de resfriamento da massa; Apresenta melhor resistncia ao ataque dos sulfatos contidos no solo; Recomendado para obras correntes de engenharia civil sob a forma de argamassa, concreto simples, armado e protendido, elementos pr-moldados e artefatos de cimento. Cimento Portland CP II-Z (com adio de material pozolnico): empregado em obras civis em geral, subterrneas, martimas e industriais; + + Pozolana = CPII- Z Cimento Portland Composto CP II-E (com adio de escria granulada de alto-forno): combina com bons resultados o baixo calor de hidratao com o aumento de resistncia do Cimento Portland Comum. + + Escoria = CPII- E Cimento Portland Composto CP II-F (com adio de material carbontico - fller): para aplicaes gerais. Pode ser usado em argamassas de assentamento, revestimento, argamassa armada, concreto simples, armado, protendido, projetado, rolado, magro, concreto-massa, elementos pr- moldados e artefatos de concreto, pisos e pavimentos de concreto, solo-cimento, dentre outros. + + Filler = CPII- F Cimento Portland de Alto Forno CP III (com escria - NBR 5735) emprego das pozolanas como adio um tipo de cimento que apresenta maior impermeabilidade e durabilidade, baixo calor de hidratao, alta resistncia expanso - reao lcali- agregado, resistente a sulfatos; Pode ter aplicao geral, mas particularmente vantajoso em obras de concreto-massa, tais como barragem, peas de grandes dimenses, pilares. Obras em ambiente agressivos, esgotos, efluente industriais, pilares de pontes, pavimentao de estradas e pistas de aeroportos Cimento Portland de Baixo Calor de Hidratao (BC) - (NBR 13116) Designado por siglas e classes de seu tipo, acrescidas de BC. Por exemplo: CP III-32 (BC) o Cimento Portland de Alto-Forno com baixo calor de hidratao, determinado pela sua composio; Este tipo de cimento tem a propriedade de retardar o desprendimento de calor em peas