Pol­ticas Econ´micas - Cambial

download Pol­ticas Econ´micas - Cambial

of 22

  • date post

    20-Dec-2015
  • Category

    Documents

  • view

    10
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Políticas Econômicas - Cambial

Transcript of Pol­ticas Econ´micas - Cambial

  • Polticas Econmicas

    CAMBIAL

    Prof.: Tiago Antunes Soares

  • POLTICA CAMBIAL

    A Poltica Cambial est baseada na administrao

    das taxas de cmbio, promovendo alteraes das

    cotaes cambiais, e, de forma mais abrangente,

    no controle de transaes internacionais

    executadas por um pas.

    fixada de maneira a viabilizar as necessidades de

    expanso da economia e promover seu

    desenvolvimento econmico.

  • POLTICA CAMBIAL

    Identicamente s demais polticas econmicas, a poltica

    cambial deve ser administrada, evitando-se conflitos

    com outros agregados macroeconmicos.

    Por exemplo, uma forte expanso das exportaes pode

    promover, pela converso de divisas em moeda

    nacional, um crescimento acentuado da base

    monetria, gerando presses inflacionrias na

    economia e prejudicando o controle dos juros.

  • POLTICA CAMBIALA principal caracterstica do comrcio internacional reside na

    utilizao de diferentes moedas, representativas das economiasenvolvidas nas operaes. Gera-se, com isso, uma necessidade deestabelecer a conversibilidade de uma moeda em outra, definidapor taxa de cmbio.

    Taxa de cmbio expressa uma relao entre unidade de umamoeda e outra, ou seja, uma relao entre os valores dasmoedas. Por exemplo, real frente ao euro, dlar diante dalibra esterlina, e assim por diante. Ao admitir-se que sonecessrios R$2,50 para se adquirir 1,00, diz-se que a taxade cmbio de 2,50 reais por 1,00 euro. Se, em algummomento, forem necessrios mais reais para se adquirir amesma quantidade de euros, conclui-se que a moedanacional se desvalorizou; em caso contrrio, entende-se queo real se valorizou frente a moeda estrangeira.

  • POLTICA CAMBIAL

    Em verdade, a moeda de uma economia como se fosseum produto, negocivel no mercado, que pode sercomprado ou vendido a determinado preo emrelao a outra moeda.

    A taxa de cmbio representa o valor com que a autoridademonetria de um pas aceita negociar sua moeda, ouseja, vender a moeda de sua emisso (compra demoeda estrangeira) ou adquiri-la (vender moedaestrangeira).

  • POLTICA CAMBIALO BACEN deve adquirir moeda estrangeira e

    pagar em moeda nacional os exportadores de bens

    e servios e os devedores que tenham obtido

    emprstimos no exterior. As operaes de venda

    de moeda estrangeira vinculam-se a diversos

    pagamentos internacionais, como importaes,

    amortizaes de dvidas internacionais etc.

  • POLTICA CAMBIAL

    Um cmbio encontra-se valorizado quando se

    necessita de menor volume de moeda nacional

    para adquirir um mesmo volume de moeda

    estrangeira. Nesse caso, o ambiente econmico

    mostra-se favorvel aos importadores, os quais

    podem adquirir produtos por um valor em

    moeda nacional mais baixo.

  • POLTICA CAMBIAL

    Um cmbio definido como desvalorizado quando

    necessria mais moeda nacional para se comprar

    o mesmo volume de moeda estrangeira. O

    cmbio desvalorizado atraente aos

    exportadores, os quais podem receber, em

    moeda nacional, um volume maior de moeda

    para vender seus produtos.

  • POLTICA CAMBIAL

    Cmbio Fixo, quando tem seu valor atrelado a umreferencial fixo, como ouro, dlar ou at mesmo umacesta de moedas de diversas economias. O valor damoeda passa, assim, a ser expresso em determinadaquantidade desses padres de maneira fixa.

    As taxas de cmbio fixas permitem maior nvel de certezaao comrcio internacional, por revelarem, previamente,o valor futuro da moeda. No entanto, a manutenodesse padro de maior risco aos governos, obrigando,em momentos de desequilbrio, que gastem elevadassomas de suas reservas cambiais para manter a cotaoda moeda nacional.

  • POLTICA CAMBIAL

    Cmbio flutuante ou (flexvel), apesar de menos

    disciplinador, permite maior liberdade s

    economias na execuo de suas polticas

    monetrias. Atribui, tambm, agilidade no

    tratamento de eventuais desequilbrios

    econmicos, promovendo alteraes nas taxas

    do cmbio em consonncia com as variaes da

    oferta e procura de moeda no mercado.

  • POLTICA CAMBIAL

    Currency board (conselho de moeda) um sistema em que aautoridade monetria assume o compromisso legal de efetuaro cmbio de moeda nacional por moeda estrangeira forte(moeda ncora) a uma cotao fixa. A idia bsica de que aautoridade monetria de um pas passe a funcionar como umacaixa de converso, detendo reservas em moeda forteequivalentes a pelo menos 100% da moeda nacional emcirculao. Nesse regime monetrio, a autoridade podesomente emitir moeda nacional at o limite das reservasinternacionais mantidas no pas, devendo honrar toda aoperao de compra e venda de moeda forte a uma taxa decmbio predeterminada.

  • POLTICA CAMBIAL

    Para atingir os objetivos do currency board, o

    governo deve atuar com bastante disciplina,

    vinculando as emisses da moeda local ao volume

    de suas reservas internacionais. Nesse regime, a

    autoridade monetria no pode promover

    alteraes no valor da moeda como forma de

    administrar eventuais desequilbrios, devendo atuar

    com mais rigor e parcimnia sobre as contas

    nacionais.

  • POLTICA CAMBIAL

    Cmbio Spot e Cmbio Forward

    As taxas de cmbio podem ser cotadas no

    mercado vista (cmbio a vista ou spot) ou no

    mercado a prazo (cmbio futuro, cmbio a termo

    ou Forward).

    No mercado a vista ou Spot, so realizadas

    operaes de cmbio para liquidao imediata. No

    Brasil, a liquidao da operao costuma ocorrer

    dois dias teis aps a sua contratao, conhecida

    por D+2.

  • POLTICA CAMBIAL

    As operaes de cmbio futuro so realizadas em

    ambientes organizados de bolsas, seguindo as

    normas e padronizaes adotadas.

    Exemplo: as bolsas usualmente impem certas

    exigncias de garantias, depsitos de margens,

    limites de flutuaes das cotaes, datas

    predeterminadas de vencimento dos contratos,

    lotes padres de negociao e assim por diante.

  • POLTICA CAMBIAL

    O cmbio a termo, ou Forward, tambm uma

    operao a prazo, porm tem seus principais

    parmetros de negociao determinados

    livremente pelas partes contratantes.

    As operaes Forward no costumam seguir

    critrios estabelecidos nos mercados futuros de

    bolsas, permitindo que sejam negociados os

    prazos, preos e garantias.

  • POLTICA CAMBIALNo que se refere entrega da moeda estrangeira

    objeto da negociao, o cmbio pode ser manual

    ou sacado.

    No mercado de cmbio manual, as operaes so

    realizadas em espcie (cdulas, moedas ou

    travellers checks), envolvendo a troca fsica da

    moeda nacional pela moeda estrangeira.

    O mercado de cmbio sacado engloba a maioria

    das operaes de compra e venda de dividas

    realizadas pelas instituies bancrias autorizadas a

    operar em cmbio.

  • POLTICA CAMBIAL

    O Balano de Pagamentos registra os valores de

    todas as transaes internacionais efetuadas por

    um pas, destacando os pagamentos pelos vrios

    tipos de operaes realizados entre os residentes e

    no residentes em determinado perodo.

  • POLTICA CAMBIAL

  • POLTICA CAMBIAL

    Saldo em conta corrente:

    Se os resultados financeiros da balana comercial e

    da balana de servios, somados aos das

    transferncias unilaterais, forem negativos, este

    dficit deve ser coberto por alguma das rubricas da

    conta movimentos de capitais, provavelmente

    emprstimos, financiamentos, ou investimentos

    diretos.

  • POLTICA CAMBIALQuando as reservas monetrias do pas no forem

    suficientes para cobrir o dficit em conta corrente, as

    decises para soluo do desequilbrio devem ser

    bastante rpidas, de maneira que no se agrave a crise

    cambial instaurada.

    Algumas medidas que podem ser acionadas:

    renegociao da dvida externa com os credores;

    negociao de novos emprstimos emergenciais;

    medidas de controle de sada de divisas fortes do pas,

    principalmente nos itens da conta de servios;

    desvalorizao cambial visando estimular as exportaes

    e provocar um supervit na balana comercial.

  • POLTICA CAMBIAL

    Ttulos brasileiros no mercado internacional

    Os principais motivos de interesse do Brasil (governo e

    iniciativa privada) na captao internacional de recursos

    so:

    1. Diversificao dos investidores e elevada capacidade

    de poupana dos mercados externos;

    2. Diferencial do custo do dinheiro no pas (mais

    elevado) em relao s taxas praticadas no mercado

    externo;

    3. Prazos mais longos disponveis nas operaes

    externas.

  • POLTICA CAMBIAL

    O governo brasileiro vem captando recursos em

    diversos mercados internacionais, principalmente por

    meio da emisso de ttulos pblicos ttulos soberanos

    brasileiros. A iniciativa privada brasileira aproveita essa

    presena do setor pblico para tambm captar

    poupana externa atravs da colocao de ttulos de

    dvida de sua emisso. Os ttulos do governo brasileiro

    no mercado internacional so conhecidos por globais,

    quando emitidos em dlares e com negociao em

    todos os mercados; eurobnus quando emitidos em

    euros no mercado europeu e samurai, quando

    lanados no Japo em ienes.