Ilma de Albuquerque Silva Meus 70 Anos Garanhuns,11 de fevereiro de 2015.

download Ilma de Albuquerque Silva Meus 70 Anos Garanhuns,11 de fevereiro de 2015.

If you can't read please download the document

  • date post

    07-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    213
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Ilma de Albuquerque Silva Meus 70 Anos Garanhuns,11 de fevereiro de 2015.

Apresentao do PowerPoint

Ilma de Albuquerque Silva Meus70 Anos

Garanhuns,11 de fevereiro de 2015

Dedicatria PrefcioPoesiaPoesia EnlacePoesia Experimental AldraviaPoesia Minimalista CrnicaAcrstico DalangolaTrovaPoetrixHabitusMindimPensamento AcrsticoPoesia Pensamento Carta EntrevistaVai Vem Nunix (experimental)Experimental Ecosys BiografiaPosfcioNDICE

Os dias da nossa vidaSobem a 70 anos Ou, em havendo vigor,A oitenta;Neste caso, o melhor deles canseira e enfado, Porque tudo passa rapidamente, E ns voamos

Salmo 90: 10

Aos leitores, com meu carinho e abrao

Prefcio

Jogo aqui minhas palavras.Ouo a voz da imaginao.Nestas pginas derramo meus sentimentos.Palavras que falam do meu mundo, minhas vivncia, meus 70. Estou mudando a pgina da vida para viver outra dcada, essa minha esperana. Esperana que est no Senhor.Estas pginas so especiais para mim. Exprimo o que sinto, o que vivo. Na vida errei o pulo, talvez por ingenuidade, mas, o importante que tenho em mos uma carta- A f em Cristo.

Tudo posso Naquele que me fortalece.

PEDRAS EM MEUS SETENTAMuitas pedras encontreiTantas outras eu chuteiEm muitas tropeceiAlgumas arremessei

Pedras no caminhoPedras no sapatoPedra na vesculaPedra pra todo ladoChuva de pedraChuva de tropeoEstas so de fatoTodas eu conheo

Pedra preciosaSo os filhos que gereiMinhas joias raras:Os netos que ganhei

Abenoadas pedrasRocha que firma os passos meusPedras benditasRocha eterna meu bom Deus!

ENLACESEm meio aos desenganosFao meus setenta anosDe nada me esqueciMuita coisa aprendiMuito n pra desatarAbacaxi pra descascarVida cheia de lembranaTambm muita esperanaDe mos postas clamandoE as velinhas apagando

Meus Setenta(Poesia Experimental)

Muitos dias...Muitos meses...Muitos anos...Uma vida!

Muitos sonhos...Muita dificuldade...Muitas lgrimas Uma saudade!Muita iluso...Muita vitria...Muita emoo...Uma histria!

Muita dor...Muita lembranaMuito amor...Uma esperana!

Muito sentimentoMuita imaginaoMuitos pensamentosUma inspirao!

Aldravia

rugascabelos brancos registrasetentaanos

fortesaudadegrandedepressovelinhaapagando-seengolira vidanosentirsabor

souprisioneiradentrodemimmesma casamentodesfeitoconviverum Fardo

me perdi no labirintoDa vida HojeLembranasSuasDoNossoPassado

Vim. Vi. Venci.(Poesia Minimalista)

VimNo para ficar O cu meu lugar

ViA arte, a naturezaDo cu e mar, a beleza

Venci tudo Todas as dificuldadesS no venci mesmo A saudade!

Crnica

Fecharam-se as cortinas! Hoje, 11 de fevereiro, um novo capitulo da minha histria. Desperto para um novo amanhecer. A luz do sol vai surgir. Anseio crepsculo ridente, noites enluaradas, jardins floridos, uma manh de primavera, porque o inverno j passou. Ao longe vejo um arco-ris, firme aliana com o Senhor.Que Deus faa minha histria! Um novo capitulo cheio de realizaes, novos desafios, grandes oportunidades, ressuscitando esperana. E, que banhada pelas suas bnoschegue aos oitenta acorrentada pelo seu amor!Viver setenta anos, privilgio!A vida um dom de Deus. A minha orao neste monoverso: Deus, em ti tenho confianaNo h problema sem soluo,No h angustia sem esperana Nem trilha sem direo!

Acaso para o Senhor h coisa demasiadamente difcil?

Acrstico 70 anos de vida

Setenta vezes sete, perdoei sEte vezes dez, completei Tanto carinho recebi E s saudade somei Nmeros nunca aprendi Tantas vezes calculei Amar somente consegui

Amigos, conquistei muitos Namorados, poucos Otimismo, suficiente Sofrimento, tantos

Desventura, simplifiquei Esperana, bastante.

Vitrias, dupliquei Incerteza, subtra Dores, reduzi Afinal, sou 70% EU!

Dalangola

Saudades dos tempos vividos Serenidade e pacinciaSinalizam minha existnciaSonhos reais dos meus setentaSumrio dos tempos idos

Setenta anos vividos Lembro do primeiro amor Tambm do primeiro beijoQuanta saudade deixou!

Tantas coisas que deixeiAtiradas pelo choQuantas coisas eu joguei Mas doeu meu corao

Setenta velas! Acendeu, apagouA solido me abraou Somente a saudade ficou Daquele tempo que passou

Meus setenta anosLongevidadeContei com bnos Contei com saudades Trova

Escrevo meus sentimentosFao versos e rimasHomenagem aos meus 70

Fora para lutar Muitos drages vencer F para guardar

Setenta fugiuOitenta poder vir Esperana e fPoetrix

Ultrapasso a barreira dos setenta anosSetenta anos! No quero regredir

Confiando em Deus, sempre prosseguir Habitus

Perdiumamor

Me perditambm.

5060 70

Bnos de Deus. Mindim

Minhaadolescncia foiumsonhogostosoqueexperimentei na vida Pensamento

Matemtica dos 70

Calcule:

Setenta sEte vinTe novEnta duzeNtos Treze quAtro

x + 2 = 90 x 10 + 50 - 20 10 : 3 x 6 - 8 x 9 + 36 -2 eAcrstico

Lembrando (Poesia Pensamento)

Setenta anos!Me decepcionei com algumas pessoas Conquistei muitas amizadesFui mal amada Gritei e pulei de felicidadeQuebrei a cara muitas vezesChorei ouvindo msica Suspirei olhando fotosLendo cartas Me apaixonei por uns olhos verdesPensei que fosse morrer de tanta saudade Errei bastante Quando olho para trs Percebo que fiz muitas bobagens Quando olho para adiante Vejo que a velinha da vida est se apagando Ah! Meus quinze anos!

Amo Vocs(Carta)

Setenta anos de amorMinha me, amo vocMeus filhos, amo vocsMeus netinhos, amo vocsMeu genro e minhas noras, amo vocsMinhas irms, amo vocsMinha cunhada, amo voc Meus sobrinhos, amo vocsMeus amigos, tambm os virtuais, amo vocsMinha famlia, quanto amo vocs.

Setenta anos de amorQuantas vezes deixamos de dizer Eu te amo Amanh pode ser muito tarde!

70 anos (Entrevista)

Voc realizou todos os seus desejos?Nem todos. Contudo, na infncia e adolescncia, nada me faltou

O que faltou fazer?Perdoar. Deveria ter sido mais complacente com as pessoas que me cercaram. Faltou-me o sentimento de perdo.

Tanto tempo, como viver 70 anos?Preservar a sade, alimentar o espirito, usufruir da companhia de Deus, vida de orao e muita pacincia.

70 anos! Acha que viveu o suficiente?Bastante. Mais do que esperava. Louvo a Deus por isso. Tempo suficiente para criar os filhos, hoje adultos, independentes, cada um com sua famlia.

Que mudaria na sua vida?Se pudesse, mudaria o temperamento, a profisso. Mudaria outras coisas que no vou nem dizer. O homem nunca est satisfeito com o que e com o que tem.

Em sua vida houve momentos mais felizes ou mais tristes?Minha vida foi de lutas e vitrias. Tempestades e bonanas. Dias de sol e chuvosos. Foi bem temperado.

O que fez da vida?Rendida aos filhos, Igreja, ao trabalho.

Aproveitou muito esses anos? Muito a desejar, porm satisfeita e agradecida a Deus, o doador.

Que lio aprendeu durante esse tempo? Que a vida um palco: cada um deve representar seu papel com muita garra, tentando agradar no s aos espectadores, mas sentir prazer no que faz. Representar cada pea consciente de que ha um pblico, por isso fazer o melhor para no decepcionar ningum. Que o objetivo seja alcanar a perfeio.

Foi bom?- Uma infncia inesquecvel. Saudades tantas! Adolescncia acorrentada pelo amor. Uma linda famlia, filhos adorveis!Entrevistada por: irms, filhos, netos, noras e genro.

Juramento (Experimental Vai Vem Nunix)

Prometo pro resto da vida Outras estradas percorrer As lutas eu vou vencer Pra tudo encontrar sada

Pra tudo encontrar sadas As lutas eu vou vencer Outras estradas percorrer Prometo pro resto da vida

Andar em outra direo Amar mais o meu irmoAndar somente na luz Confiar s em Jesus!

Confiar s em Jesus Andar somente na luz Amar mais o meu irmoAndar em outra direo

Prometo pro resto da vida.

(Experimental Ecosys)

Completei meus setentaSetenta anos vem vividos Vividos sobre as bnos de Deus Deus que me deu setenta

(Experimental Monoverso)

Eu tenho os meus truques Pois consigo o que quero No sou fada, nem bruxa me Deus que eu espero

(Experimental Poetrs)

EstouApagando As velinhas

Dos meus SetentaAnos

Glria A Deus Graas!

Canto para no chorarChoro pra dor passarChoro por desencanto Clamo, choro, canto (Experimental PoeRima)

Biografia

Ilma de Albuquerque Silva, natural de Palmeirina, cidade Pernambucana, em onze de fevereiro de 1945. Filha de Joo Franco de Albuquerque Filho e Roslia Caetano de Albuquerque. Casada, cinco filhos: Ian, Roslia, Irineu Jnior, Csar e Josu Neto. E cinco netos: Areli, Iany, Silas, Elosa e Ester. Comecei a escrever muito cedo, fazendo dirios e cadernos de poesias. Amante das letras, sempre buscando aprender.Escrevo tudo que vem do meu corao; minhalma grita palavras de amor, de saudade! Escrevo poesias expressando o sentir da alma. Publico minhas obras no site Recanto Das Letras (www.recantodasletras.com.br). ilmaias@hotmail.com

PosfcioEm setenta anos As dores suportei Os medos enfrentei As crticas tolerei As desavenas conciliei As perdas aguentei Todo porque meu Deus Me sustentou

Homenagem aos poetas

Jos Cambinda Dala (Dalangola)Luna Di Primo (Mindim)Christiano Nunes (Vai Vem Nunix)J Coelho (Poetrs)Simplesmente Sys (Ecosys)Fernanda Xeres (PoeRima)Edi Meirelles (Aldravia)RosaAmbianci (Monoverso)

Habitus

A todos os poetas, Minha admira