Diagn³stico das condi§µes de trabalho e ... - ....   ausncia de extintores de...

download Diagn³stico das condi§µes de trabalho e ... - ....   ausncia de extintores de incndio,

of 39

  • date post

    02-Dec-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Diagn³stico das condi§µes de trabalho e ... - ....   ausncia de extintores de...

  • Diagnstico das condies de

    trabalho e perfil dos trabalhadores

    nas centrais de triagem de

    materiais reciclveis, conveniadas

    com o municpio de So Paulo.

  • Histrico

    No perodo de 2007 a 2009 foram executadas

    aes de Vigilncia em Sade do Trabalhador

    por tcnicos da COVISA em centrais de

    triagem de resduos slidos reciclveis,

    conveniadas com a Prefeitura Municipal de

    So Paulo, originaria de denncias de

    moradores organizados em associaes de

    bairro do entorno de algumas centrais.

  • Como resultado destas aes iniciais nessas

    centrais de triagem constatamos precariedade

    do ambiente de trabalho e trabalhadores

    expostos a diversos riscos sade.

    Foram desencadeadas vrias iniciativas

    Percebeu-se ento, a necessidade de realizar

    um diagnstico das condies de trabalho das

    centrais de triagem com objetivo de identificar

    melhor os riscos e propor prticas para a

    promoo de sade dos trabalhadores.

    Histrico

  • Foi formado um grupo tcnico para a

    discusso do tema, que teve incio em

    outubro/2011, composto por tcnicos da

    Covisa e Centros de Referncia em Sade do

    Trabalhador.

    Esse grupo percebeu que, alm da necessidade

    de ter um diagnstico das condies de

    trabalho, precisava conhecer o perfil dos

    trabalhadores nas centrais de triagem.

    Histrico

  • Integrou ao grupo tcnicos da Fundacentro

    para discusso sobre as irregularidades

    identificadas

    O grupo permanece at o presente momento

    desenvolvendo atividades com o objetivo de

    minimizar os riscos ocupacionais e estabelecer

    prticas para a promoo de sade dos

    trabalhadores.

    Histrico

  • Resultados e Discusso

    Foram realizadas visitas tcnicas em 20

    centrais de triagem conveniadas prefeitura

    para coleta de dados e observao. Foram

    realizadas no perodo de maio a outubro de

    2012, por tcnicos da Covisa, Centro de

    Referncia da S, Centro de Referncia da

    Freguesia do , Centro de Referncia da

    Mooca e Fundacentro.

  • As centrais de triagem quanto a estrutura:

    So organizadas em cooperativas de Economia Solidria

    Resultados e Discusso

  • Realizam coleta seletiva porta a porta e recebem os resduos

    reciclveis de empresas concessionrias

    Resultados e Discusso

  • Esto instaladas em galpes.

    Resultados e Discusso

  • Esto divididas em setores administrativo, de produo,

    armazenamento e expedio.

    Resultados e Discusso

  • Todas possuem instalaes de conforto.

    Resultados e Discusso

  • O perfil dos trabalhadores foi baseado nos dados

    fornecidos pela Limpurb (atual Amlurb),

    referentes aos meses de agosto, setembro e

    outubro de 2011, para 17, 17 e 18 centrais,

    respectivamente.

    Resultados e Discusso

  • Nmero mdio de trabalhadores que atuam nas cooperativas de coleta seletiva conveniadas com a PMSP (Fonte: Limpurb-2, atual Amlurb).

    Resultados e Discusso

  • Nmero (%) de trabalhadores homens e mulheres que atuam nas cooperativas conveniadas com PMSP (Fonte: Limpurb-2, atual Amlurb).

    Resultados e Discusso

  • 53 66

    38 37 20

    46 59

    47 29 23

    37 29 33

    7 18 17 18

    51 35

    25

    55

    20

    44

    21

    41

    38

    22

    10 11

    14 21 15

    21 12 10 7

    25

    23

    0

    20

    40

    60

    80

    100

    120

    140

    Homens

    Mulheres

    Proporo mdia de trabalhadores homens e mulheres que atuam em cada cooperativa conveniada com a PMSP (Fonte: Limpurb-2,

    atual Amlurb).

    Resultados e Discusso

  • 225 (22%)

    297 (28%)311 (30%)

    158 (15%)

    50 (5%)

    18 a 28 29 a 39 40 a 50 51 a 61 > 61 anos

    Resultados e Discusso

    Composio etria de trabalhadores que atuam nas cooperativas de coleta seletiva conveniadas com a PMSP (Fonte: Limpurb-2, atual Amlurb).

  • 0%

    20%

    40%

    60%

    80%

    100%

    18 a 28 29 a 39 40 a 50 51 a 61 > 61 anos

    Composio etria mdia de trabalhadores, por cooperativa de coleta seletiva conveniada com a PMSP (Fonte: Limpurb-2, atual Amlurb).

    Resultados e Discusso

  • Fundamental 67%

    Mdio 24%

    Superior 1%

    No alfabetizado

    8%

    Escolaridade dos trabalhadores

    Proporo do nmero de trabalhadores nas cooperativas conveniadas com a PMSP, de acordo com a escolaridade (Fonte: Limpurb-2, atual Amlurb).

    Resultados e Discusso

  • 0%

    20%

    40%

    60%

    80%

    100%

    Fundamental Mdio Superior No alfabetizado

    Proporo do nmero de trabalhadores nas cooperativas conveniadas com a PMSP, de acordo com a escolaridade (Fonte: Limpurb-2, atual

    Amlurb).

    Resultados e Discusso

  • Mdia mensal (toneladas) de entrada e de material triado nas cooperativas de coleta seletiva conveniadas com a PMSP (Fonte: Limpurb-2, atual Amlurb).

    0

    50

    100

    150

    200

    250

    300

    350

    400

    450

    ton

    ela

    da

    s

    Entrada (total = 2.985 ton) Triado (total = 2.289 ton)

    Resultados e Discusso

  • Quantidade mdia mensal (toneladas) de material de entrada e triado pelas cooperativas de coleta seletiva conveniada com a PMSP (Fonte: Limpurb-2, atual Amlurb).

    2.985 ton.

    2.289 ton.

    0

    500

    1.000

    1.500

    2.000

    2.500

    3.000

    3.500

    ton

    ela

    das

    Entrada Triado

    Resultados e Discusso

  • Avaliando as condies de trabalho nas

    cooperativas foram constatados riscos sade

    dos trabalhadores associados aos seguintes

    agentes:

    Resultados e Discusso

  • Qumicos: Risco de desenvolvimento de doenas respiratrias e/ou dermatoses por contato com poeiras (p de vidro, isopor, no especificadas, etc). Risco de queimadura e/ou sensibilidade dermatolgica por presena de resduos nas embalagens plsticas.

    Resultados e Discusso

  • Qumicos: Risco de desenvolvimento de doenas ocasionadas por exposio a metais pesados presentes em equipamentos eletroeletrnicos.

    Resultados e Discusso

  • Qumicos: Risco de desenvolvimento de doenas por exposio ao mercrio presente em lmpadas fluorescentes

    Resultados e Discusso

  • Biolgicos: Risco de contrair doenas transmitidas por animais sinantrpicos devido proliferao resultante de empoamento de gua e acmulo de resduos orgnicos misturados ao material reciclvel

    Resultados e Discusso

  • Biolgicos: Risco de contrair doenas por falta de estrutura adequada; por exemplo, ausncia de ligao com a rede de esgoto, ausncia de tela milimtrica nas janelas das cozinhas e refeitrios, e

    pelo contato com materiais provenientes de unidades hospitalares.

    Resultados e Discusso

  • Fsicos: Risco de desenvolver PAIR (Perda Auditiva Induzida por Rudo) pelo rudo excessivo produzido pelos moinhos de triturao, compressores no enclausurados e maquinrios.

    Resultados e Discusso

  • Fsicos: Risco de desenvolvimento de doenas e/ou agravos por exposio ao frio, calor e umidade no trabalho a cu aberto.

    Resultados e Discusso

  • Acidentes: Risco de esmagamento e/ou amputaes das extremidades dos membros superiores por ausncia de proteo das partes mveis de mquinas e equipamentos

    Resultados e Discusso

  • Acidentes: risco de queda pela falta de organizao dos equipamentos e materiais que restringe a circulao e falta de sinalizao de segurana, falta de guarda corpo em fosso presentes no inicio e fim das esteiras de separao

    Resultados e Discusso

  • Acidentes: risco de cortes por materiais perfurocortantes

    Resultados e Discusso

  • Acidentes: risco de choque eltrico e incndios devido fiao eltrica exposta e improvisada, ausncia de extintores de incndio, extintores descarregados ou com data de validade vencida, extintores com acesso obstrudo, armazenamento incorreto de botijo GLP para uso na cozinhas e em empilhadeiras.

    Resultados e Discusso

  • Biomecnicos: Risco de desenvolvimento de doenas msculoesquelticas (LER/DORT) e circulatrias em membros superiores, coluna vertebral e membros inferiores por levantamento e transporte manual de cargas pesadas (big bags e fardos)

    Resultados e Discusso

  • Biomecnicos: realizao de tarefa em p sem pausa para descanso, posturas inadequadas e movimentos repetitivos.

    Resultados e Discusso

  • Observamos tambm : Carncia de capacitao tcnica e gerencial, capacitao quanto s

    atividades desenvolvidas, identificao de riscos e implementao de medidas de segurana.

    Ausncia de medidas de proteo coletiva

    Fornecimento insuficiente de uniformes e equipamentos de

    proteo individual para todos os cooperados, assim como capacitao para seu uso adequado.

    No h gesto em sade e segurana dos trabalhadores, como vistoria do Corpo de Bombeiros ou equipamentos de combate a incndios adequados. Os galpes no possuem rotina de limpeza, higienizao e controle de pragas e roedores.

    Resultados e Discusso

  • Concluso

    As condies de sade e segurana dos trabalhadores nas centrais de triagem de materiais reciclveis, ainda so bastante precrias apesar do apoio da Prefeitura. Embora as condies tenham melhorado, se comparadas com as co