Violncia contra a mulher - refletir e mudar

download Violncia contra a mulher - refletir e mudar

of 25

  • date post

    28-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    214
  • download

    2

Embed Size (px)

description

Trabalho pedagógico realizado pelo prof. Geimes Silva na EEFM Egídia Cavalcante Chagas, Morada Nova (CE/BR) com alunos da terceira série do ensino médio.

Transcript of Violncia contra a mulher - refletir e mudar

  • 1

    Violncia Contra a Mulher

    Refletir e Mudar

    E.E.F.M. EGDIA CAVALCANTE CHAGAS

    AUTORES: Alunos da 3 srie do Ensino Mdio- 2011

    PROF MEDIADOR: Francisco Geimes de Oliveira Silva

  • 2

    Imagem motivadora

    Artista plstica: Micaela Cyrino. Exposio 16 Vezes Arte pelo Fim da Violncia Contra a

    Mulher, que esteve em cartaz de 10 a 31 de janeiro de 2011, na estao Graja - SP.

  • 3

    NDICE

    Prefcio 4

    Epgrafe 5

    Crditos 6

    Lista de autores 7

    Textos 8 - 27

  • 4

    PREFCIO

    Em tempos de louvor liberdade e o respeito entre os povos e raas, ainda vivemos uma profunda e silenciosa opresso:

    a violncia contra a mulher. Crime cruel que se ope pela fora bruta, pela ignorncia e pelo abuso psicolgico e fsico. A

    violncia contra a mulher no tem bero, no tem origem, no tem espao geogrfico e, por vezes, se confunde com cultura.

    Contra aquela que representa o papel de me, de esposa, de filha levanta-se uma mo masculina que deveria ser amiga, dcil e

    respeitosa.

    A educao uma aliada importante que multiplicar a ideia da libertao feminina a essa forma de opresso, j que

    ensinar nossos filhos a manter o dilogo ao invs da fora e o amor ao invs da raiva. Nesse sentido, o professor Geimes

    Silva realizou o presente trabalho com estudantes da 3 srie do ensino mdio da E.E.F.M. Egdia Cavalcante Chagas com o

    objetivo de trazer a reflexo sobre o tema e influenciar as famlias em nossa comunidade escolar. Aps sensibilizao,

    estudantes de cinco turmas produziram textos e 21 deles foram selecionados para compor o livro Violncia contra a mulher

    refletir e mudar. Trabalho que dedicamos a todas as mulheres que sofreram e sofrem por essa mais desonrosa insensatez

    humana.

    Parabns a todos!

    Prof. Cristina Rgia Barreto Moreira

  • 5

    EPGRAFE

    No Brasil, todos os dias morrem em mdia 10 mulheres por violncia domstica ou por atentados de seus parceiros,

    amantes, etc. Isto foi relatado numa pesquisa nacional, anunciado no Globo News. No disque denncia 180, mais de 90

    mil casos foram relatados por mulheres que sofreram com a violncia domstica, em 2009. Sendo que 70% foram

    presenciados pelos filhos. Mais do que nunca, todas ns mulheres precisamos ter em mente que, conviver com uma

    pessoa violenta e com problemas de comportamento por qualquer motivo, pode ser no futuro um destino sem volta.

    Preste bastante ateno no companheiro que voc escolheu, escolhe ou escolher para fazer parte da sua vida.

    (Portal Luso Poemas, disponvel em ,

    acesso em 21 junh 2011)

  • 6

    CRDITOS

    REALIZAO

    E.E.F.M. Egdia Cavalcante Chagas

    PROFESSOR MEDIADOR

    Francisco Geimes de Oliveira Silva

    PROFESSORAS COLABORADORAS

    Cristina Rgia Barreto Moreira

    Maria Nres Maurcio

    Maria Vilaneuda da Silva

    PBLICO-ALVO

    Jovens estudantes e a comunidade escolar

    APOIO

    NTE Paulo Freire 10 CREDE

    Eliana Oliveira Batista

    Maria de Ftima Gonalves Leito

    Monalisa de Paula Chaves

    IMAGENS

    Plano de fundo: http://www.teleios.com.br/tag/estupro/

    Capa: http://www.ojornalweb.com

  • LISTA DE AUTORES

    Anne Karinny Feitosa Nepomuceno (3 A)

    Daiane Pinheiro Chaves (3 A)

    Dbora Mrian Rabelo (3 A)

    Diana Herbnia Lopes da Silva (3 B)

    Eliana Oliveira Pontes (3 B)

    Gabriel Bernardo Freitas (3 E)

    Jane Leyde de Lima (3 B)

    Janderlene Rabelo Saraiva (3 B)

    Jssica Naiane Freire Silva (3 B)

    Karine Bezerra Rabelo (3 A)

    Masa Magna Almeida da Silva (3 A)

    Maria Simara de Brito (3 C)

    Naline Llian Oliveira Lima (3 B)

    Rosilva da Silva Dias (3 A)

    Waldeylson Silva Nobre (3 A)

    Wanny Kssia Giro Santos (3 A)

    Witiane Nobre de Souza (3 A)

  • Um absurdo a violncia contra a mulher e tambm

    inaceitvel. Isso acontece bastante no mundo de hoje,

    os homens querem ter poder e controle sobre a mulher.

    Um dos motivos para essa atitude o fato da mulher ser

    dependente do homem. Na maioria dos casos acontece em

    ambiente familiar, isso inclui todos os tipos de

    ameaas. Essa violncia no doena, nem consequncia

    de alcoolismo, drogas ou raivas e, sim da desigualdade

    entre homens e mulheres.

    Muitas mulheres denunciam e tentam dar

    visibilidade a essa situao, mas com o surgimento da

    Lei Maria da Penha isso melhorou bastante. uma lei

    aplicada violncia domstica que cause morte, leso,

    sofrimento fsico, entre outros traumas, nas mulheres.

    Com essa lei os crimes passaram a ser tratados de forma

    especfica, a lei no permite que a mulher retire a

    queixa prestada, de forma que, a ao possa seguir a diante

    e para que sejam providenciadas proteo a vtima e punio

    ao agressor. Esses so os pontos positivos da Lei, j os

    pontos negativos que muitas mulheres preferem se ver

    agredidas do que ver seus companheiros na cadeia, j que a

    violncia entre casais uma situao das mais delicadas.

    Enfim, homens e mulheres so iguais em direitos e

    deveres e esse tipo de violncia, com certeza, diminuiu aps

    a aprovao da Lei Maria da Penha, apesar de ainda existir

    muitas agresses. As possveis solues so a

    conscientizao do respeito mulher, melhorias nas leis j

    existentes. S assim as mulheres tero seus direitos

    assegurados no cotidiano.

    Anne Karinny Feitosa Nepomuceno

    Lei aplicada violncia contra a mulher

  • Atualmente, as mulheres esto sofrendo com esse

    tipo de violncia. Vtimas de seus prprios companheiros

    elas dirigem-se delegacia para registrarem queixa

    contra eles, pois existe uma lei em vigor que protege as

    mulheres de abusos fsicos e psicolgicos. As mulheres

    que so vtimas de violncia domstica por seus maridos

    no esto mais desamparadas, pois a lei Maria da Penha

    serve para punir os homens que agridem suas

    companheiras. Ento, agora elas no precisam mais terem

    medo de denunci-los.

    Pelo exposto, podemos perceber que a lei Maria da

    penha de grande importncia para as mulheres, pois

    garante a elas proteo, tranquilidade. Vale ressaltar

    que existem mulheres querendo levar vantagens indevidas,

    elas ultrapassam os limites s para poder acusar os

    maridos.

    Daiane Pinheiro Chaves

    Maria da Penha

    Fonte: http://carlalindolfo.wordpress.com, acesso em 21 junh 2011.

    A violncia domstica contra a mulher

  • Atualmente, a violncia contra a mulher um fato

    que se tornou bastante comum no Brasil. Agresses contra

    parceiras, esposas, filhas um caso polmico e difcil de

    se lidar. Segundo pesquisas, 81,1% desse tipo de agresso

    entre casais e, na maioria das vezes, a mulher sofre

    traumas fsicos. O pior disso tudo que muitas no tm

    coragem de denunciar o parceiro, mesmo hoje existindo a

    lei Maria da Penha que protege as mulheres e pode levar o

    agressor a trs meses a um ano de priso.

    Infelizmente, isso no o bastante para deixar as

    mulheres seguras, j que muitas tm medo do homem vingar-

    se delas ou so sustentadas por eles e no podem abandon-

    los para viver na misria. Portanto, fica vamos denunciar

    esses companheiros e fazer um Brasil cada vez melhor e

    mais justo.

    Dbora Mrian Rabelo

    Lei Maria da Penha

    Fonte: http://rossanapinheiro.blogspot.com/2010/04/maria-da-penha-stj-dispensa.html,

    acesso em 21 junh 2011.

    A violncia domstica contra a mulher

  • A violncia domstica contra a mulher est

    aumentando a cada dia. Muitas delas so agredidas por

    seus companheiros e, por medo, ficam caladas, mesmo

    agredidas, ameaadas, humilhadas. Essa violncia no

    s fsica, mas tambm psicolgica, so as agresses por

    palavras que causam frustrao e baixa estima. Muitas

    delas , alm de trabalharem fora, cuidam da casa, dos

    filhos, sob transtornos fsicos e psicolgicos.

    Outras mulheres criam coragem e denunciam seus

    maridos, vo atrs de seus direitos, como a lei Maria da

    Penha. Essa lei foi criada por uma mulher corajosa que

    tambm era agredida e sofria violncia dentro de casa

    pelo seu companheiro. Mas cada mulher que violentada

    precisa ajudar a si mesmo e as outras pessoas podem

    tambm denunciar.

    Diana Herbnia Lopes da Silva

    Central de Atendimento Mulher - LIGUE 180

    Fonte: http://drmarcos.org.br, acesso em 21 junh 2011.

    A violncia domstica contra a mulher

  • Nos dias de hoje, nossa sociedade tem enfrentado

    vrios problemas. Um deles a violncia domstica

    contra a mulher que tem acontecido com muita frequncia.

    Assim como a fome, a droga e a explorao infantil, a

    viol ncia contra a mulher tem sido cada vez mais vista.

    O nmero de mulheres agredidas em suas prprias casa,

    seja verbal ou fisicamente, a cada dia maior.

    preciso que a lei criada para proteger a mulher,

    seja de fato cumprida, pois infelizmente mesmo depois de

    sua criao as mulheres continuam a viverem oprimidas

    por seus companheiros, aquele que um dia prometeu faz-

    la feliz.

    Chega a ser inaceitvel a ideia de que mulheres

    sejam obrigadas a viverem suportando maus tratos e

    humilhaes dentro e fora de casa. admirvel a mulher

    que se torna independente, tanto em seu estado emocional

    quanto financeiro. O fato que muitos cas