UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPRITO .adaptadas   seca (suculentas) e plantas vasculares tolerantes

download UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPRITO .adaptadas   seca (suculentas) e plantas vasculares tolerantes

of 29

  • date post

    28-Jan-2019
  • Category

    Documents

  • view

    217
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPRITO .adaptadas   seca (suculentas) e plantas vasculares tolerantes

i

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPRITO SANTO

CENTRO DE CINCIAS AGRRIAS

CURSO DE GRADUAO EM CINCIAS BIOLGICAS BACHARELADO

TRABALHO DE CONCLUSO DE CURSO

COMPOSIO FLORSTICA E ESTRUTURA DO ESTRATO LENHOSO EM UMA

COMUNIDADE RUPCOLA, PEDRA DE PONTES, MIMOSO DO SUL, ES

GUILHERME ANDRIO TRUGILHO

ALEGRE-ES

Junho/2011

ii

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPRITO SANTO

CENTRO DE CINCIAS AGRRIAS

CURSO DE GRADUAO EM CINCIAS BIOLGICAS BACHARELADO

TRABALHO DE CONCLUSO DE CURSO

Ttulo do trabalho

GUILHERME ANDRIO TRUGILHO

Trabalho de Concluso de Curso

apresentado ao Centro de Cincias

Agrrias, Universidade Federal do Esprito

Santo, como exigncia para obteno do

ttulo de Bacharel em Cincias Biolgicas e

avaliao obrigatria da disciplina

Seminrios de Graduao em Cincias

Biolgicas

Orientador: Professora Miriam Cristina Alvarez Pereira

ALEGRE-ES

Junho/2011

iii

GUILHERME ANDRIO TRUGILHO

COMPOSIO FLORSTICA E ESTRUTURA DO ESTRATO LENHOSO EM UMA

COMUNIDADE RUPCOLA, PEDRA DE PONTES, MIMOSO DO SUL, ES

Trabalho de Curso apresentado Universidade Federal do Esprito Santo, como parte das

exigncias do Curso de Graduao em Cincias Biolgicas, para obteno do ttulo de

Bacharel em Cincias Biolgicas

Aprovado: _____de _______ de 20____.

COMISSO EXAMINADORA

_______________________________________

Profa. Dra. Miriam Cristina Alvarez Pereira

Universidade Federal do Esprito Santo

Orientador (a)

_______________________________________

Prof. Dr. Luis Fernando Tavares der Menezes

Universidade Federal do Esprito Santo

_______________________________________

Prof. Dr. Henrique Machado Dias

Universidade Federal do Esprito Santo

iv

Somente quando a ltima rvore for derrubada,

o ltimo animal for extinto e o ltimo rio estiver

poludo que o Homem ir perceber que no se

pode comer dinheiro.

Provrbio Indgena

v

AGRADECIMENTOS

Agradeo a professora Miriam por ter me dado a oportunidade de trabalhar como

voluntario no programa de iniciao cientfica (PIVIC), pela orientao neste trabalho

cientfico e pela confiana depositada em mim. Aos companheiros, Deyvid e Herval que

foram fundamentais desde o inicio dos trabalhos at o desenvolvimento to TCC, ajudando no

transporte para o campo, montagem das parcelas, coleta, identificao das espcies, entre

outros. Ao Taxonomista Jeferson G. Carvalho Sobrinho por tambm ter auxiliado

identificao da espcies.

Aos moradores da localidade da Pedra dos Pontes, por sempre nos receberem com

imensa boa vontade e hospitalidade permitindo que trabalhssemos em suas terras e sempre a

nos oferecer gua, lanche e uma boa conversa. Ao Centro de Cincias Agrrias da

Universidade de Federal do Esprito Santo por ceder transporte, ferramentas e espao para

realizao dos trabalhos.

Aos amigos Victor e Marcelo da repblica da Laje, pela boa vontade sempre que

possvel tirando duvidadas, ajudando e motivando. A todos os amigos e amigas por estarem

juntos nos bons e maus momentos.

Aos colegas da nossa turma de graduao: Victor, Ana Carolina, Bruno, rica,

Fernanda, Isabela, Franciele, Pedro, Henrique, Camila, Gabriela, Mariana, Patrcia, Renato,

Vivian, Ulimar, Amanda, Jaqueline.

Aos meus familiares por toda ateno, dedicao, carinho, amor, pela minha educao,

por nunca me deixarem faltar nada e por serem fundamentais por eu chegar aonde cheguei.

A Deus, que nos concebeu a vida e a natureza com toda sua complexidade e beleza.

vi

RESUMO

A regio montanhosa entre os municpios de Cachoeiro do Itapimirim e Alegre, ES,

apontada como rea prioritria para a conservao. Estudos exploratrios indicam para os

afloramentos rochosos desta regio riqueza de espcies, inclusive endmicas e/ou ameaadas

de extino, elevada biodiversidade e variedade de comunidades vegetais rupcolas. Foi

realizado o levantamento florstico e a anlise estrutural do estrato lenhoso de uma

comunidade rupcola na localidade de Pedra de Pontes, Mimoso do Sul, ES. Para a coleta de

dados usou-se o mtodo de parcelas (belt transect) e somente indivduos com DAP 2,5 cm

(dimetro altura do peito) foram amostrados. O levantamento resultou em um total de 208

indivduos arbreo/arbustivos distribudos em 12 famlias e 12 espcies, somados a mais 18

indivduos pertencentes s categorias de indivduos mortos (14) e de trepadeiras (4),

totalizando 226 indivduos. Guapira opposita apresentou maior abundncia e Pseudobombax

campestre maior dominncia e, consequentemente, foram as espcies com maiores valores de

VI. A diversidade foi medida atravs do ndice de Shannon-Weaver (H = 1,43) e a

equabilidade, de acordo com Pielou, (J = 0,27). A comunidade apresenta uma estrutura

oligrquica, caracterstica comum a outras reas de afloramentos rochosos, habitats

perfricos a Floresta Atlntica.

Palavras chaves: inselbergs, estrato lenhoso, diversidade, estrutura oligrquica.

vii

ABSTRACT

The mountainous region between the towns of Cachoeiro Itapimirim and Alegre, ES, is

identified as a priority area for conservation. Exploratory studies to indicate the rocky

outcrops of this region rich in species, including endemic and endangered species, high

biodiversity and variety of plant communities lithophytes. Was performed a floristic and

structural analysis of woody species in a community lithophyte in locality of Pedra de

Pontes, Mimoso do Sul, ES. For data collection used the plot method ("belt transect") and

only individuals with DBH 2.5 cm (diameter at breast height) were sampled. The survey

resulted in a total of 208 tree/shrubs individuals distributed in 12 families and 12 species and

an additional 18 individuals belonging to the categories of deceased individuals (14) and vines

(4), totaling 226 individuals. Guapira opposita showed greater abundance and Pseudobombax

campestre greater dominance and thus were the species with higher VI. Diversity was

measured by the Shannon-Weaver index (H '= 1.43) and equitability, according to Pielou (J =

0.27). The community features an oligarchic structure, a common characteristic to other areas

of rocky outcrops, the Atlantic forest habitats peripherals.

Keywords: inselbergs, woody species, diversity, oligarchic structure.

viii

SUMRIO

1. INTRODUO.......................................................................................................... 11

2. OBJETIVOS............................................................................................................... 14

3. METODOLOGIA....................................................................................................... 15

4. RESULTADOS e DISCUSSO.................................................................................. 18

5. CONCLUSO............................................................................................................ 23

6. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS......................................................................... 24

ix

LISTA DE TABELAS

Tabela 1 - Espcie; famlia; Nmero de indivduos (N); nmero de intervalos onde

o indivduo encontrado (K); Densidade Relativa (DR); Freqncia

Relativa (FR) encontrados na comunidade rupcola em Pedra de Pontes,

Mimoso do Sul, ES.

18

Tabela 2 - Dominncia Relativa (DR); Valor de Cobertura (VC); Valor de

Importncia (VI) calculado a partir das medidas de DAP e ordenado por

ordem decrescente dos valores VI.

21

x

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 - Vista geral da Pedra de Pontes, Municpio de Mimoso do Sul, ES. 15

Figura 2 - Localizao do municpio de Mimoso do Sul, ES, do afloramento rochoso

denominado Pedra de Pontes e da rea de estudos.

16

Figura 3 - (I) Comunidade arbustivo-arbrea sobre afloramento rochoso. (II)

Esquema da distribuio de parcelas no campo.

17

Figura 4 - Estrato lenhoso de uma comunidade rupcola da Pedra de Pontes,

Municpio de Mimoso do Sul, ES, distribudos em classes de dimetro.

20

Figura 5- Indivduos do estrato lenhoso de uma comunidade rupcola da Pedra de

Pontes, Municpio de Mimoso do Sul, ES, distribudos em classes de

altura.

20

11

1 INTRODUO

A cobertura vegetal do estado do Esprito Santo foi originalmente constituda pela

Mata Atlntica, que ocupava cerca de 87% de todo o territrio do estado, sendo o restante

representado por outras fitofisionomias como mangues e restingas (FUNDAO SOS

MATA ATLNTICA; INPE, 1993). Entretanto, o grande impacto causado pela ocupao

humana fez com que essa vasta cobertura se perdesse significativamente com o passar dos

anos.

Durante o perodo colonial, a vegetao nativa deu lugar s plantaes de cana de

acar, principalmente no sul do estado. Depois o cultivo do caf se tornou o principal fator

que desencadeou a ocupao territorial e a devastao da cobertura vegetal nativa. J na

primeira metade do sculo XX, em virtude dos vrios perodos de crise do caf, muitas das