UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA .RESUMO SATO, S. S. Análise econômico-financeira

download UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA .RESUMO SATO, S. S. Análise econômico-financeira

If you can't read please download the document

  • date post

    25-Jan-2019
  • Category

    Documents

  • view

    214
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA .RESUMO SATO, S. S. Análise econômico-financeira

  • UNIVERSIDADE DE SO PAULO

    ESCOLA DE ENGENHARIA DE SO CARLOS

    DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUO

    SONIA SANAE SATO

    Anlise econmico-financeira setorial: estudo da relao entre liquidez e rentabilidade sob a tica do modelo dinmico

    So Carlos SP

    2007

  • SONIA SANAE SATO

    Anlise econmico-financeira setorial: estudo da relao entre liquidez e rentabilidade sob a tica do modelo dinmico

    Dissertao apresentada Escola de Engenharia de So Carlos da Universidade de So Paulo para obteno do ttulo de Mestre em Engenharia de Produo.

    rea de Concentrao: Economia, Organizaes e Gesto do Conhecimento. Orientador: Prof. Dr. Wilson Kendy Tachibana

    So Carlos SP

    2007

  • FOLHA DE APROVAO

    Sonia Sanae Sato

    Anlise econmico-financeira setorial: estudo da relao entre liquidez e

    rentabilidade sob a tica do modelo dinmico

    Dissertao apresentada Escola de Engenharia de So Carlos da Universidade de So Paulo para obteno do ttulo de Mestre em Engenharia de Produo.

    rea de Concentrao: Economia, Organizaes e Gesto do Conhecimento.

    Aprovado em:

    Banca Examinadora

    Prof. Dr. ___________________________________________________________

    Instituio: _________________________ Assinatura: ____________________

    Prof. Dr. ___________________________________________________________

    Instituio: _________________________ Assinatura: ____________________

    Prof. Dr. ___________________________________________________________

    Instituio: _________________________ Assinatura: ____________________

  • DEDICATRIA

    minha amada e saudosa av, Maria (in

    memoriam) por tudo o que fez para mim.

    Obrigada por seu amor e pela oportunidade

    de conviver com voc.

  • AGRADECIMENTOS

    Deus pela ddiva de viver e, sobretudo por me suprir de coragem para avanar e enfrentar as adversidades. Aos meus pais pelo apoio, dedicao e amor incondicional. Pai o seu zelo imprescindvel na minha vida. Me a sua alegria de viver ilumina a minha alma. Ao Jos Carlos pela ternura e incentivo para que eu chegasse ao final deste mestrado. Obrigada por dizer algumas vezes, o que eu realmente precisava ouvir e acima de tudo obrigada por acreditar e confiar na minha capacidade. Aos meus irmos Flvio e Srgio e minha cunhada Elen pelo afeto e carinho. Flvio e Elen a disponibilidade de vocs foi fundamental para a concluso deste trabalho. Srgio a sua torcida mesmo que a distncia me deu foras para seguir em frente. Ao professor Tachibana pela orientao e pacincia nas horas de incerteza. Aos professores Nagano e Tabajara por aceitarem o convite para participarem como membros da comisso julgadora e pelas valiosas contribuies prestadas desde o exame de qualificao. Aos professores e colegas da ps-graduao pela troca de experincias e idias que permitiram ampliar meus conhecimentos. todos os funcionrios do departamento de Engenharia de Produo pela ateno dispensada no atendimento. Um agradecimento especial ao Jos Luiz e ao Fbio pela pronta colaborao nos momentos em que precisei de ajuda. s amigas Janana e Elaine pela acolhida na cidade de So Carlos. Nem mil palavras conseguiriam expressar a gratido que sinto por vocs. amiga Cidinha pela estadia na cidade de Ribeiro Preto. No tenho nada que possa recompensar sua doao e amizade. Aos amigos Cahoni, Val, Osmar e Odair pela considerao e estima e pelas nossas longas conversas e momentos de descontrao.

  • RESUMO

    SATO, S. S. Anlise econmico-financeira setorial: estudo da relao entre liquidez e rentabilidade sob a tica do modelo dinmico. 2007. 204 p. Dissertao (Mestrado) Escola de Engenharia de So Carlos, So Carlos, 2007. Este trabalho teve como propsito apresentar e analisar a relao entre liquidez e rentabilidade das empresas sob a tica do modelo dinmico. Para tanto, recorreu-se reviso bibliogrfica do modelo dinmico que foi introduzido no Brasil pelo professor francs Michel Fleuriet que atuou na dcada de 70 na Fundao Dom Cabral. Este modelo que tem como objetivo analisar o investimento em capital de giro e sua administrao, alm de retomar o tema da liquidez permitiu avaliar a tomada de decises das empresas, bem como revelar diretrizes para o futuro a partir da reclassificao do balano patrimonial e isolamento de trs variveis chaves a Necessidade de Capital de Giro (NCG), o Capital de Giro (CDG) e o Saldo de Tesouraria (ST) cuja combinao culminou na identificao de seis tipos de estruturas financeiras. Deste modo o modelo dinmico, mudou o enfoque da anlise tradicional voltada para o aspecto de solvncia e descontinuidade dos negcios, para uma anlise dinmica voltada para a real situao de liquidez da empresa e integrada a sua dinmica operacional. Assim, para fins de avaliao da liquidez, esta pesquisa optou pela utilizao do modelo dinmico e para a avaliao da rentabilidade foram utilizados os indicadores tradicionais de rentabilidade: Margem Lquida (ML), Retorno sobre o Patrimnio Lquido (ROE) e Retorno sobre o Ativo Total (ROA). Para o desenvolvimento desta pesquisa foram utilizados dados secundrios atravs de pesquisa bibliogrfica e coleta dos demonstrativos contbeis consolidados de final de ano de 16 empresas do subsetor econmico Tecidos, Vesturio e Calados atuando no Brasil no perodo entre janeiro de 1997 a dezembro de 2006 e que tinham suas aes listadas na Bolsa de Valores de So Paulo (Bovespa). A partir da reclassificao desses demonstrativos e clculo das variveis chaves do modelo dinmico foi possvel constatar o predomnio do tipo 3 de estrutura financeira para a maioria das empresas analisadas, ou seja, aquele que indica o uso de emprstimos de curto prazo como complemento dos recursos de longo prazo no financiamento das necessidades de capital de giro. Com relao anlise da rentabilidade, verificou-se que metade das empresas analisadas no apresentou um bom desempenho, considerando a freqncia de indicadores negativos na mdia do perodo analisado. Por fim, os resultados obtidos demonstraram que o pressuposto terico entre liquidez e rentabilidade no pode ser confirmado na prtica da maioria das empresas analisadas, isto porque no foi possvel observar uma relao direta entre a rentabilidade expressa pelos indicadores tradicionais propostos e a participao de capital de terceiros expressa pelo saldo de tesouraria negativo. Neste caso, a rentabilidade variou mais estritamente em funo do desempenho em gerar vendas e administrar os custos e despesas do que do risco de maior ou menor liquidez assumido pelas empresas analisadas. Palavras-Chaves: Administrao financeira; Anlise econmico-financeira; Capital de giro, Modelo dinmico; Modelo Fleuriet; Liquidez; Rentabilidade.

  • ABSTRACT

    SATO, S. S. Sectorial economical-financial analysis: relationship study between liquidity and profitability under the dynamic model's optics. 2007. 204 p. Dissertation (Master's degree) - School of Engineering of So Carlos, So Carlos, 2007. This work had as purpose to present and to analyze the relationship between liquidity and profitability of the companies under the dynamic model's optic. For so much, it was used the bibliographical revision of the dynamic model that it was introduced in Brazil by the French teacher Michel Fleuriet that worked in the 70s in the Fundao Dom Cabral. This model that has as objective analyzes the investment in working capital and its administration, besides retaking the liquidity theme it allowed to evaluate the companies' decision taking, as well as to reveal guidelines for the future starting from the reclassification of the balance sheet and isolation of three keys variables - the Working Capital Requirement, the Working Capital and the Treasury Balance - whose combination culminated in the identification of six types of financial structures. This way the dynamic model, changed the focus of the traditional analysis returned for the solvency aspect and discontinuity of the businesses, for a dynamic analysis returned for to real situation of company liquidity and integrated its operational dynamics. Like this, for ends of liquidity evaluation, this research opted for the use of the dynamic model and for the profitability evaluation the traditional profitability indicators were used: Liquid Margin, Return on Equity (ROE) and Return on Total Assets (ROA). For the development of this research secondary data were used through bibliographical research and collection of the demonstrative accounting consolidated of year end of 16 companies of the economical subsector Woven, Clothing and Shoes acting in Brazil in the period of January from 1997 to December of 2006 and that they had their stocks listed in the Bolsa de Valores de So Paulo (Bovespa). Starting from the re-classification of those demonstrative and calculation of the key variables of the dynamic model was possible to verify the prevalence of the type 3 of financial structure for most of the analyzed companies, that is, which indicates the use of short-term debt as complement of the resources of long-term in the financing of the working capital requirements. Regarding profitability analysis, it was verified that the companies didn't present a good performance, considering the frequency of negative indicators in the average of the analyzed period. Finally, the obtained results demonstrated that the trade-off between liquidity and profitability cannot be confirmed in practice of most of the analyzed companies, this because it wasn't possible to observe a direct relationship among the expressed profitability for the proposed traditional indicators and the participation of capital of the others expressed by negative treasury balance. In this case, the profitability varied more strictly in function of the performance in to generate sales and to manage the costs and expenses than of the larger risk or smaller liquidity assumed by