Treinamento Comercial

download Treinamento Comercial

of 50

  • date post

    30-Dec-2015
  • Category

    Documents

  • view

    33
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Treinamento Comercial. - PowerPoint PPT Presentation

Transcript of Treinamento Comercial

  • Treinamento Comercial

  • Ponta Administradora de Consrcio Ltda nasceu em 3 de maro de 1972 com o objetivo de atender seus clientes na aquisio de bens no Brasil (primeira administradora do Brasil autorizada pelo Banco Central para administrar grupos de consrcio para aquisio de bens durveis).

    Nesses 39 anos, a Ponta entregou mais de 160.000 bens aos seus consorciados.No dia 25 de julho de 2011, o Bancoob formalizou acordo para aquisio da Ponta Administradora de Consrcios Ltda, tornando essa mais uma empresa do SICOOB.

  • um sistema que rene em grupo pessoas fsicas e/ou jurdicas com interesse comum para compra de bens ou servios, por meio de autofinanciamento, onde o valor do bem diludo num prazo pr-determinado.ConceitosConsrcio uma associao autnoma de pessoas que se unem, voluntariamente, para satisfazer aspiraes e necessidades econmicas, sociais e culturais comuns, por meio de uma empresa de propriedade coletiva e democraticamente gerida. Cooperativa um movimento econmico e social, entre pessoas, em que a cooperao baseia-se na participao dos associados, nas atividades econmicas com vistas a atingir o bem comum.Cooperativismo

  • Descrio do ProdutoPessoas fsicas e pessoas jurdicas;Associados e no associados ao Sicoob;Funcionrios e dirigentes do Sicoob e empresas coligadas; eCooperativas de crdito.Pblico AlvoVisando manter a sade financeira do Grupo do Consrcio e permitindo que todos os Consorciados integrantes recebam os bens pleiteados, a Administradora dever acompanhar a adeso individualmente de cada novo participante. Para ingresso no grupo, o proponente assinar a declarao de situao econmico financeiro compatvel com a participao no grupo.E responsabilidade da Administradora de Consrcios zelar pela sade financeira dos Grupos de Consrcio, preservando o direito dos consorciados.Na ocasio da contemplao do bem, a Administradora solicitar as informaes cadastrais atualizadas e documentos necessrios do consorciado e garantias ofertadas. Elegibilidade dos Consorciados

  • Descrio do ProdutoIdade mxima = 74 (setenta e quatro) anos.

    OBS: a idade inicial somada ao prazo de financiamento no poder ultrapassar a 75 (setenta e cinco) anos.

    Exemplo 1: 68 anos e 6 meses (idade) + 6 anos e 3 meses (tempo do plano) = 74,9 pode aderir ao seguro.Exemplo 2: 59 anos e 11 meses (idade) + 15 anos (tempo do plano) = 74,11 pode aderir ao seguro.

    Exclusivamente para funcionrios e dirigentes do Sicoob, a idade mxima ser de 79 (setenta e nove) anos

    OBS: a idade inicial somada ao prazo de financiamento no poder ultrapassar a 80 (oitenta) anos.

    Idade do Consorciado

  • Descrio do ProdutoOs limites sero individuais por CPF ou CNPJ, sendo acumulativos para todas as cotas contratadas pelo consorciado. Sendo assim, o valor mximo em cotas contratadas em um mesmo CPF / CNPJ so:

    Para contrataes com pessoa fsica:Na modalidade veculo: R$ 300.000,00. Na modalidade imvel : R$ 500.000,00.

    O limite total de aquisies de cotas do Sicoob Consrcios para um mesmo CPF ficar limitado a R$ 500.000,00.

    Para contrataes com pessoa jurdica:Na modalidade veculo: R$ 500.000,00.Na modalidade imvel: R$ 1.000.000,00.

    O limite total para aquisies de cotas do Sicoob Consrcios para um mesmo CNPJ ficar limitado a R$1.000.000,00Limites Operacionais

  • Descrio do ProdutoSeguradora Mongeral Aegon;

    Taxa de 0,0495% a.m para veculos e imveis;

    O capital segurado o saldo devedor;

    Incentivar a adeso ao seguro visando proteger o grupo;

    Cobertura: morte (natural/acidental) e invalidez permanente total por acidente;

    Emisso de documento de seguro e Declarao de Sade acima de R$ 500 mil.

    Seguro Prestamista

  • Descrio do ProdutoCada consorciado pagar uma prestao mensal, que composta pelos valores correspondentes ao Fundo Comum, Taxa de Administrao, ao Fundo de Reserva e ao Seguro Prestamista:

    Fundo comum: o valor que todo consorciado paga para formar um fundo destinado aquisio do bem objeto.

    Taxa de Administrao: a remunerao da Administradora pela formao, organizao e administrao do grupo de consrcio at o seu encerramento.

    Fundo de Reserva: trata-se de um fundo para garantir o funcionamento do grupo em determinadas situaes previstas no regulamento geral.

    Seguro Prestamista: um benefcio opcional que permite a quitao do valor total do saldo devedor em caso da ocorrncia de falecimento do consorciado, no deixando qualquer nus para sua famlia. Prestaes

  • Descrio do ProdutoExemplo de clculo de valor da prestao mensal para um grupo de 75 meses: Tabela de exemplo do clculo:Prestaes

  • Descrio do ProdutoO valor das parcelas mensais determinado com base no valor do bem objeto vigente na data da respectiva assembleia.

    Para bens mveis: ser atualizada na mesma periodicidade do aumento do veculo, com base no preo mdio de mercado da FIPE Fundao Instituto de Pesquisas Econmicas FGV.

    Para bens imveis: a cada 12 (doze) assembleias, pelo INPC - ndice Nacional de Preos ao Consumidor.Reajuste das parcelas

  • Descrio do ProdutoMximo de 4 (quatro) adeses de cotas por consorciado no mesmo grupo, a fim de ser mantida sua integridade financeira.Controle de Risco de ConcentraoCaso algum associado queira aderir a muitas cotas de consrcio, deve-se investigar qual o objetivo dessa adeso. Se o objetivo for uma atualizao de frota de veculos, por exemplo, justificaria o ato, restando verificar a capacidade financeira e acompanhar o cumprimento do objetivo inicial.Por outro lado, a preocupao est naquele associado que tem objetivo de ganho financeiro na venda de cotas contempladas, por meio da cobrana de gio. Tal situao no se deve ser estimulada, pois aumenta o risco de crdito e de imagem, alm de inibir a venda de novas cotas.Ateno

  • Descrio do ProdutoExemplo:Veculos: novos ou usados com at 5 anos, no incluindo o ano fabricao.

    Motocicletas ou motos: novos ou usados com at 5 anos, no incluindo o ano de fabricao.

    OBS: Fica vedado a alienao de veculos destinados ao transporte coletivo com capacidade de 20 passageiros ou mais, transporte de carga com carga superior a 1500 Kg, tratores, embarcaes, aeronaves, mquinas e equipamentos agrcolas.Bem objeto do plano - AUTOMVELO bem objeto o bem escolhido pelo consorciado por ocasio da sua adeso ao grupo de consrcio. Ele servir nica e exclusivamente como referencial para clculo das parcelas mensais pela Administradora conforme previsto na legislao vigente e para a atualizao do crdito quando necessrio.

  • Descrio do ProdutoBens imveis urbanos: novos e usados

    Aquisio de imvel construdo;

    Imvel na planta;

    Lote urbano;

    Construo;

    Reforma ou ampliao e

    Quitao de financiamento de sua titularidade.

    Bem objeto do plano - IMVEL

  • Descrio do ProdutoPor SorteioModalidades de ContemplaoModalidade de contemplao realizada com base nos nmeros sorteados na LOTERIAL FEDERAL.

    Para apurao do nmero contemplado sero formadas 10 (dez) centenas utilizando-se do 1 ao 5 prmio da Loteria Federal do Brasil, da direita para a esquerda, apurados de acordo com o resultado da Loteria Federal, obedecendo o calendrio anual de assembleias.

  • Descrio do ProdutoPor LanceModalidades de ContemplaoModalidade de contemplao que consiste na oferta de um valor, a ttulo de antecipao de pagamento de parcelas, acrescido das taxas contratuais, objetivando a contemplao por ocasio de uma Assembleia Geral Ordinria.

    Os lances sero ofertados em mltiplos do valor da prestao mensal vigente na data da assembleia em que forem oferecidos, independente da categoria que pertencer o licitante.

    No caso de empate entre os maiores lances ofertados ser considerado vencedor aquele cujo nmero da cota for a mais prxima da cota sorteada com base no 1 prmio da Loteria Federal para aquela assembleia.

  • Descrio do ProdutoPor LanceModalidades de ContemplaoO consorciado poder optar pela utilizao de at 25% (vinte e cinco por cento) do valor da carta de crdito, para pagamento do lance ofertado, descontados do valor do crdito concedido pela Administradora.Lance EmbutidoModalidade de lance onde o consorciado utiliza recursos prprios para antecipao de prestaes do consrcio.Lance LivreO consorciado poder utilizar de forma associada e cumulativa o lance embutido acrescido do valor complementar de lance livre, compondo assim um nmero maior de parcelas para participao na assembleia.Lance Embutido associado ao Lance Livre

  • Descrio do ProdutoPor Lance (somente Consrcio de Imveis)Modalidades de ContemplaoRecursos do FGTS podem ser utilizados pelo consorciado pessoa fsica em lances, sendo deduzido do valor do crdito concedido pela Caixa Econmica Federal. A utilizao dos recursos da conta vinculada do FGTS obedece s regras estabelecidas pela Administradora sendo efetivada no ato da transao imobiliria.Lance com a utilizao do FGTSO consorciado poder optar pela utilizao do lance embutido associado a utilizao dos recursos do FGTS. Nessa situao, o valor do lance embutido somado ao valor do FGTS no poder exceder 50% do valor da carta de crdito.Lance utilizando os recursos do FGTS associado ao Lance Embutido

  • Descrio do ProdutoO sucesso na abordagem e na manuteno do consorciado consiste, primeiramente, na correta identificao de potenciais consumidores do produto. De nada adianta a conquista de um novo consorciado que, com o passar do tempo, perceber que no fez a melhor opo e acabar por desistir do plano.

    O processo de entrevista com o candidato, com levantamento de suas expectativas, necessidades e a identificao de seu perfil scio-econmico-cultural fundamental para uma correta orientao ao associado.

    Por se tratar de um relacionamento de longo prazo (75 meses ou mais), muito importante que a administradora tenha credibilidade n