Seminrio sobre a hist³ria da igreja. parte 3 as igrejas antigas e no brasil

download Seminrio sobre a hist³ria da igreja. parte 3   as igrejas antigas e no brasil

of 63

  • date post

    01-Nov-2014
  • Category

    Spiritual

  • view

    4.801
  • download

    3

Embed Size (px)

description

O surgimento da denominações no mundo e no Brasil; alguns de seus fundadores.... Seminário apresentado na Igreja Evangélica Cristo Salva, Regional de Pirituba.

Transcript of Seminrio sobre a hist³ria da igreja. parte 3 as igrejas antigas e no brasil

  • 1. Seminrio Sobre aSeminrio Sobre aSeminrio Sobre aSeminrio Sobre a Histria da Igreja.Histria da Igreja.Histria da Igreja.Histria da Igreja. Pr. Alex Rabello Pb. Robson Rocha Parte 3
  • 2. IGREJA PRIMITIVA Foi iniciada no Ano 33 AD. (ano Domini Ano do Senhor). Todas as doutrinas das Escrituras Sagradas eram cridas e praticadas pelo fiis, os quais entregavam suas vidas para morrerem como mrtires, ao invs de negarem sua f. Foi perseguida pelo imprio Romano at o terceiro sculo, o que causou a morte de muitos irmos, nas ruas, praas, no Coliseu de Roma, no qual os fiis eram torturados e massacrado, queimado, degolados e entregues as feras para divertir o povo romano.
  • 3. CATOLICISMO Iniciou se no quarto sculo no ano de 313 A.D., sob o imprio de Constantino o qual oficializou a crist. Isto foi uma brecha na qual muitos pagos frequentavam a igreja sem o compromisso com Deus. Constantino uniu a Igreja com o Estado. O fruto deste ato criou a igreja Catlica Romana, a qual perseguiu mais tarde os verdadeiros fiis.
  • 4. MONTANISTAS: iniciado por Montano, pastor na Frigia (Turquia) por volta do ano 150 d.C. espalhou-se pela sia Menor, frica do Norte, tendo algumas igrejas grandes em suas fileiras, como a de feso (Grcia). Tertuliano, o maior pai da igreja, maior defensor da Trindade, tornou-se montanista... As igrejas erradas reagiram: no conclio de Constantinopla (381 d.C. depois da fuso Estado + Igreja), os montanistas foram declarados pagos e deviam ser julgados e mortos.
  • 5. NOVACIANOS: iniciada por Novcio, pastor na sia Menor em cerca de 250 d.C. Foram os primeiros a serem apelidados de catharis = puros!!! Infectaram a Frana, o que os conecta com os albigenses. Em 413 d.C. um edito de Teodsio e Honrio condenou morte os rebatizadores, iniciando uma perseguio que os levou aos vales do Piemont, Itlia, conectando-os com os valdenses.
  • 6. DONATISTAS: iniciado por Donato, pastor na cidade de Cartago (Tunsia) em cerca de 310 d.C. O historiador Jones (Conferncia Eclesistica, vol I, pg. 474) afirma que rara era a cidade ou vila na frica em que no houvesse uma igreja donatista. O mesmo Constantino, que encheu de favores a igreja oficial, condenou pessoalmente os donatistas em 316 d.C. Isto os obrigou a fugir para as montanhas (na Frana e Itlia), devido ao difcil acesso, uma proteo natural sem muitos atrativos para moradia, principalmente depois que os muulmanos chegaram com a espada de la em 700 d.C.
  • 7. PAULICIANOS: em Histria de Gibbon, V, pg. 386, ele diz: o nome pauliciano, dizem os seus inimigos que se deriva de algum lder desconhecido; mas tenho certeza de que os paulicianos se gloriariam de sua afinidade com o apstolo aos gentios!!! Na Enciclopdia Britnica, XVI, pg. 571, Wellhausen, em sua biografia sobre Maom, afirma que os paulicianos que se espalharam pela Sria, Palestina e Babilnia e que, por incrvel que parea, foram tolerados por muito tempo pelos maometanos eram chamados de sabian, uma palavra rabe que significa batista!!! Foram fortemente perseguidos pela igreja ortodoxa grega, obrigando-os a viverem nas montanhas. A imperatriz Teodora instigou uma perseguio que culminou com a morte de 100.000 paulicianos na Armnia. Por volta do ano 1000, evangelizaram a Trcia, Bulgria, Bsnia, Srvia e de l, a Itlia (Lombardia e Milo), Frana, Alemanha, onde passaram a ser conhecidos por ctaros, blgaros e albigenses.
  • 8. Valdenses (1174) Os valdenses so uma denominao crist que teve sua origem entre os seguidores de Pedro Valdo na Idade Mdia e subsiste hoje como um grupo etno religioso na Itlia e Uruguai nas igrejas Valdense e Evanglica Valdense do Rio da Prata, alm de descendentes na Alemanha, Estados Unidos e Frana. Pedro Valdo era um comerciante de Lyon (Frana) e iniciou seu movimento por volta de 1174
  • 9. Defendiam o direito de cada cristo possuir a Bblia em sua lngua materna, sendo a Bblia a fonte de toda a autoridade na Igreja. Se Reuniam em caverna e em grutas para celebrarem a Ceia e para cultuarem ao Senhor, como tambm para estudarem as Escrituras. Foram perseguidos, mortos pela igreja catlica, a qual os emboscava em sua grutas e ateavam fogo matando-os asfixiados. Tinham em mente grande parte das Escrituras, pois de l no roubariam a Palavra de Deus.
  • 10. Os Valdenses hoje. O crescimento populacional e busca de maior liberdade econmica e religiosa fizeram os valdenses imigrarem em massa no final do sculo XIX, estabelecendo colnias no Uruguai, Argentina e Estados Unidos. Em 1975, a Igreja Evanglica Valdense, ento com 35.000 membros na Itlia e 15.000 no Uruguai se uniram com a Igreja Metodista Italiana (com 5.000 membros) para formar a Unio das Igrejas Valdense e Metodista.
  • 11. Albigenses A origem dos ctaros e albigenses permanecem ainda em mistrio. O mais provvel que fossem fruto da conjuno de vrios fatores. Em primeiro lugar, existiam disseminados pela Europa ocidental pequenos grupos de crentes que se separaram da cristandade organizada no tempo de Constantino, entre os quais os mais conhecidos foram os novacianos, quem tambm foram conhecidos com o nome de ctaros ou 'puros' (gr. cataroi).
  • 12. Por outro lado, durante o incio da Idade Mdia, a corrupo generalizada de uma grande parte da cristandade levou irmos sinceros a apartar-se dos seus males e abusos. Entre esses irmos se destacaram homens de grande zelo espiritual, que denunciaram abertamente os males da cristandade e ganharam um considervel nmero de seguidores para uma f mais bblica e singela, entre os quais se destacam Pedro de Bruys e Henrique de Cluny. Alm disso, existiu uma contnua corrente migratria de irmos que eram perseguidos no oriente (paulicianos e bogomiles), que, ao chegarem ao ocidente entraram em contato com as igrejas dos ctaros, albigenses e valdenses.
  • 13. A CRUZADA ALBIGENSE (denominao derivada de Albi, cidade situada ao sudoeste da Frana), tambm conhecida como Cruzada Ctara ou Cruzada contra os Ctaros, foi um conflito armado ocorrido em 1209 e 1244, por iniciativa do papa Inocncio III com o apoio da dinastia dos Capetos (reis da Frana na poca), com o fim de reduzir pela fora o catarismo, um movimento religioso qualificado como heresia pela Igreja Catlica e assentado desde o sculo XII nos territrios feudais do Languedoque; favoreceu a expanso para sul das posses da monarquia capetiana e os seus vassalos.
  • 14. PURITANOS (SCULOS XV-XVI) O puritanismo designa uma concepo da f crist desenvolvida na Inglaterra por uma comunidade de protestantes radicais depois da Reforma. A Revoluo Puritana foi um movimento surgido na Inglaterra no sculo XVI, de confisso calvinista, que rejeitava tanto a Igreja Romana como o ritualismo e organizao episcopal na Igreja Anglicana.
  • 15. O puritanismo influenciou a tradio reformada no culto, governo eclesistico, teologia, tica e espiritualidade. Quatro convices bsicas: (1) a salvao pessoal vem inteiramente de Deus; (2) a Bblia constitui o guia indispensvel para a vida; (3) a igreja deve refletir o ensino expresso das Escrituras; (4) a sociedade um todo unificado.
  • 16. ANABATISTAS "re-batizadores", do grego (novamente) + (baptizar) So assim chamados porque os convertidos eram batizados em idade adulta, desconsiderando o baptismo da Igreja Catlica Apostlica Romana. Assim, re-batizavam todos os que j tivessem sido batizados em criana, crendo que o verdadeiro baptismo s tem valor quando as pessoas se convertem conscientemente a Cristo.
  • 17. O primeiro uso do termo Anabatistas ocorreu aps o Segundo Conclio de Cartago no ano 225 quando 87 bispos sob a direo de Cipriano de Cartago decidiram rebatizar os fiis das igrejas adeptas Novaciano , porm o bispo da Igreja Catlica, Papa Estvo I combateu a aceitao do batismo feito por grupos cismticos.
  • 18. PERSEGUIO AOS ANABATISTAS Catlicos e Protestantes perseguiram os anabatistas, recorrendo tortura e execuo na tentativa de conter o crescimento do movimento. Os protestantes sob Ulrico Zunglio foram os primeiros a perseguir os anabatistas, com Felix Manz tornando-se o primeiro mrtir em 1527. Em 20 de Maio de 1527, autoridades da Igreja Catlica Romana executaram Michael Sattler. O rei Fernando declarou afogamento (chamado "terceiro batismo") o melhor antdoto para Anabatistas.
  • 19. PROTESTANTES PERSEGUINDO OS ANABATISTAS: O regime de Tudor, mesmo aqueles que eram protestantes (Eduardo VI de Inglaterra e Isabel I de Inglaterra