PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE...

of 87 /87
PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS LTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO DE PERICULOSIDADE São José dos Pinhais/PR - 2018

Transcript of PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE...

Page 1: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAIS

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS

LTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO

LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE

TRABALHO

LAUDO DE INSALUBRIDADE

LAUDO DE PERICULOSIDADE

São José dos Pinhais/PR - 2018

Page 2: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 2

DADOS DA PREFEITURA

Prefeitura São José dos Pinhais

Endereço: Rua Passos de Oliveira, 1101

Bairro: Centro

Cidade: São José dos Pinhais / Pr

CEP: 83030-720

CNPJ: 76.105.543/0001-35

CNAE:84.11-6/00

Grau de Risco da Atividade: 01

Prefeito Municipal: Antonio Benedito Fenelon

Responsável pelo Setor de Segurança do Trabalho: Juliano de Andrade Rosa

Telefone: (41) 3381-6689

Responsável pelos Registros Ambientais - LTCAT Nome: Marcos José Taborda

Registro: 29.772-D/PR

NIT: 123.474242.49-0

Page 3: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 3

DADOS DA UNIDADE

Unidade: Centro de Especialidades Odontológicas

Endereço: Rua Alcídio Viana, 1.047

Cidade: São José dos Pinhais / Pr

CNPJ: 76.105.543/0001-35

CNAE: 84.11-6/00

Grau de Risco da Atividade: 1

Prefeito Municipal: Antonio Benedito Fenelon

Secretário(a):Giovani de Souza

Representante da Unidade: Adriana Zawadzki de Quadros

Telefone: (41) 3283-1182

Page 4: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 4

LAUDO TÉCNICO DE CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO

1. Introdução ....................................................................................................................................................... 5 2. Da Metodologia ............................................................................................................................................... 5 3. Características dos ambientes de trabalho ................................................................................................ 6 3.1 – Departamento/ Divisão: Regional de Saúde Central / Centro de Especialidades Odontológicas...6

3.1.1 - Setor: Consultório Odontológico .................................................................................................. 6 3.1.1.1 - Função:Atendente de Consultório Dentário ......................................................................... 6 3.1.1.2 - Função:Cirurgias .................................................................................................................... 14 3.1.1.3 - Função:Endodontia ................................................................................................................ 22 3.1.1.4 - Função: Estomatologia .......................................................................................................... 30 3.1.1.5 - Função: Pacientes Especiais ................................................................................................ 36 3.1.1.6 - Função: Periodontia ............................................................................................................... 44 3.1.1.7 - Função: Odontopediatria ....................................................................................................... 52

3.1.2 - Setor: Coordenação do Centro de Especialidades Odontológicas ......................................... 59 3.1.2.1 - Função: Coordenação da Unidade ....................................................................................... 60 3.1.2.2 - Função: Administrativo ......................................................................................................... 62 3.1.2.3 - Função: Apoio da Coordenação de Odontologia da SMS ................................................. 70

3.1.3 - Setor: Recepção ............................................................................................................................ 72 3.1.3.1 - Função: Atendimento ao Público ......................................................................................... 73

3.1.4 - Setor: Diagnóstico por Imagem ................................................................................................... 75 3.1.4.1 - Função: Atendimento ............................................................................................................ 76

3.1.5 - Setor: Serviços Gerais de Higienização e Limpeza .................................................................. 81 3.1.5.1 - Função: Higienização e Limpeza .......................................................................................... 81

4. Informações Periciais .................................................................................................................................. 86 5. Considerações Finais .................................................................................................................................. 86 6. Anexo I – Levantamento de Iluminação nos Postos de Trabalho .......................................................... 87

Page 5: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 5

1. Introdução

Este documento objetiva avaliar as atividades exercidas pelo trabalhador no exercício desuas funções e/ou

atividades, determinando se o mesmo esteve exposto a agentes nocivos, com potencialidade de causar danos à

saúde ou a sua integridade física, emconformidade com os parâmetros estabelecidos na legislação vigente

Considerando o contido no art. 7º, inciso XXII, da Constituição Federal de 1998; e considerando o contido no

art. 57 e 58 da Lei nº 8.213 de 24 de Julho de 1990; e considerando o contido no art. 68 do Dec. Nº 3.048, de 7 de

maio de 1999; e considerando o contido na Portaria nº 5.404, de 2 de julho de 1999, do Ministério da Previdência e

Assistência Social; e considerando o contido no item I da Ordem de Serviço conjunta - do diretor de arrecadação e

fiscalização e do diretor do Seguro Social do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS nº 98, de 9 de junho de 1999,

emitimos o presente Laudo Técnico das Condições Ambientais de Trabalho - LTCAT.

2. Da Metodologia

Determinada pela Lei nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977, em conformidade das Normas

Regulamentadoras aprovadas pela Portaria nº 3.214, de 08 de junho de 1978, das NHOs – Fundacentro –

Procedimentos Técnicos para avaliação ocupacional e do Estatuto dos Servidores Municipais e Leis Municipais

Vigentes. Verificação de laudos anteriores aplicáveis aos locais de trabalho que permaneçam inalterados no

momento que foram avaliados a data atual, referenciamos o Laudo realizado em 20 de maiode 2016, pelo Eng. de

Seg. do Trabalho Jakcson Olmes Lovera, CREA 87.026-D/Pr, com Anotação de Responsabilidade Técnica no

20160085278.

Page 6: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 6

3. Características dos ambientes de trabalho

3.1 - Departamento: Regional de Saúde Central / Centro de Especialidades Odontológicas

3.1.1 - Setor: Consultório Odontológico

Descrição Física do Ambiente: Paredes em alvenaria, piso em granilha, construção com pé direito de aproximadamente 3,0m, aberturas em alumínio, portas internas em madeira, ventilação natural, iluminação natural complementada com sistema de luminárias fluorescentes grupos de 2x40W. Observação do Setor: Local dotado de: * Bebedouro com água potável e copos descartáveis disponíveis, localizados em área comum. * Banheiros localizados em área de uso comum, separados por sexo, dotados de papel toalha, dispenser de sabonete líquido e lixeira com tampa. * Lavatório dotado de papel toalha, dispenser de sabonete líquido e lixeira. * Foram localizados extintores de incêndio e sinalização adequada.

3.1.1.1 - Função: Atendente de Consultório Dentário CBO: 322415 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Descrição da Atividade: Auxiliar nos atendimentos odontológicos, dando suporte ao dentista; preparar instrumental, sala e paciente; realizar orientações odontológicas a pacientes; realizar a lavagem de materiais odontológicos e esterilização dos materiais em autoclave, higienizações e desinfecção superficial; manter o arquivo de fichas dos pacientes.

Jornada de Trabalho da Função: Das 07:00h às 12:00h - 13:00h às 16:00h - totalizando 40 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como insalubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). Enquadramento de atividade insalubre: NR-15, Anexo 14 - Agente Biológico - Atendimento a pacientes em estabelecimentos destinados aos cuidados da saúde humana - Grau Médio. No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde,deverá ser utilizada a GFIP 05. Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Atendente de Consultório Dentário 3224-15

Técnico em Higiene Dental 3224-05

Agentes Associados à Atividade

Micro-organismos (contato com pacientes) Agente Biológico

Exposição ao Agente: Habitual e Permanente Funcionários expostos ao Risco: 08

Page 7: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 7

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Sim Grau de Insalubridade: Médio

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato com pacientes e materiais infecto contagiantes durante o trabalho e operações de atendimento e/ou procedimentos odontológicos.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvaspara procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Observações: Agentes Biológicos (NR-09) - bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários,vírus, entre outros.

Sangue Agente Biológico

Exposição ao Agente: Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Sangue humano durante os tratamentos odontológicos e manuseio de utensílios contaminados com sangue.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Condições Ambientais de Trabalho - Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =54 dB(A)

Tempo de Exposição: 08:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente. Outros ruídos: caneta alta rotação - 68,0 dB(A) e sucção 67 dB(A) - exposição média de 50% da jornada.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção.

Page 8: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 8

Respingos nos olhos Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 9.722

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Proveniente dos respingos de substância química (médico-hospitalar) e contato com material biológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Óculos de Proteção com C.A, conforme orientação da NR-06.

Perfurocortantes Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Atendimentos e procedimentos odontológicos com a utilização de agulhas e outros utensílios.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: Coletor de Material Perfurocortante: utilizado para o descarte de materiais perfurantes e cortantes provenientes das ações de atenção à saúde, gerados em hospitais, laboratórios, farmácias, consultórios médicos, odontológicos e veterinários, com carga potencialmente infectante. O bocal permite o descarte dos perfurocortantes utilizando apenas uma das mãos, protegendo o contato da mão com a parede interna e com o conteúdo do coletor. A caixa coletora é dotada de tampa para fechamento do bocal com aplicação fácil e segura, dispensando o uso de materiais complementares para fixação e vedação, garantindo a integridade até o tratamento ou destinação final. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: É necessário atender à NR32 - 32.2.4.16, em que a Prefeitura deve elaborar e implementar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes, conforme as diretrizes estabelecidas no Anexo III desta Norma Regulamentadora (alterado pela Portaria GM nº 1.748, de 30 de setembro de 2011).

Lesões em membros inferiores Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Possibilidade de quedas de objetos perfucortantes sobre os pés do trabalhador.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Page 9: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 9

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: não utilizado.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Treinamento de Biossegurança Hospitalar. Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Calçado de Segurança com C.A, conforme orientação da NR-06.

Adesivo fotopolimerizável Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Devido à utilização de adesivo fotopolimerizável em restaurações, cimentação de restaurações, cimentação de facetas, adesão de núcleos de preenchimento, adesão de cimentos, reparo de restaurações, reparo intra oral de restaurações, dessensibilização de raízes, selamento, adesão de selantes e verniz de proteção.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações:

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE ADESIVO E SECAGEM COM FOTOPOLIMERIZADOR

Substância Resultado L.T. Norma Laudo Trietilenoglicol < 0,50 ppm NE 56.017/16 Terc-Butanol < 1,0 ppm 78 ppm NR-15 56.018/16

Formocresol Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Aplicações ao efetuar a mumificação da polpa dentária.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações:

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE FORMOCRESOL Substância Resultado L.T. Norma Laudo Formaldeído < 0,030 ppm 1,6 ppm NR-15 56.020/16 Álcool Etílico < 5,0 ppm 780 ppm NR-15 56.021/16

Page 10: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 10

Álcool Etílico Hidratado - 70% Líquido INPM (Uso Hospitalar) Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: <5 ppm

Tempo de Exposição: 00:30 h

Limite de Tolerância: =780 ppm

Fonte Geradora: Assepsia da pele do paciente e limpeza de superfícies em ambientes hospitalares.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato direto ao efetuar a assepsia das mãos; contato indireto na assepsia de superfícies e pele do paciente; pelo ar através da dispersão de gases.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações: Avaliação quantitativa sob Laudo nº 55732/16.

Desinfectante Hospitalar – Glucoprotamina Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Aplicação de desinfectante com composição química: cloreto de alquil-dimetil-benzil amônio, surfactante não iônico, glucoprotamina, solvente, agente complexante, agente anticorrosivo e água.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato e dispersão de gases: aplicação direta em superfícies (diluição).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações: Produto saneante classificado como Risco II, de acordo com a Portaria n°15, de 23 de agosto de 1988 e Resolução RDC n°14, de 09 de fevereiro de 2007. Recomendações e Medidas de Controle: Quanto ao manuseio e armazenamento, adotar as medidas discriminadas na FISPQ - Medidas técnicas apropriadas: ao manusear o produto, usar Equipamento de Proteção Individual (jaleco de tecido, luvas, máscara e óculos de proteção). - Precauções para manuseio seguro: sempre utilizar EPI, conforme descrito acima, ao manipular o produto. - Armazenamento: manter o produto em embalagem original, em lugar fresco e ao abrigo da luz solar direta. - Produtos e materiais incompatíveis: aldeídos. - Materiais seguros para embalagens: armazenar somente em embalagem original fechada.

Radiações Ionizantes - Odontológico Agente Físico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: Sim EPI é Eficaz: Não CA EPI: Não

Page 11: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 11

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico (disparo de feixe de Raios-X).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: são utilizados biombos de chumbo. Quanto ao EPI: não são utilizados Equipamentos de Proteção Individual para neutralização do agente.

Observações: Produto saneante classificado como Risco II, de acordo com a Portaria n°15, de 23 de agosto de 1988 e Resolução RDC n°14, de 09 de fevereiro de 2007. Recomendações e Medidas de Controle: Conforme regulamentações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), todo profissional que trabalha com radiodiagnóstico sempre deve usar um dosímetro, somente quando estiver na área de risco, além de submetê-lo mensalmente à leitura dos dados nele contidos, a fim de monitorar a radiação individual acumulada, fornecendo, assim, informações acerca da exposição à radiação ionizante; manter a proteção de áreas adjacentes (distância mínima de 2,00m da cabeça do paciente) em ângulo de 90° a 135°; nunca permanecer na direção do feixe útil, na monitoração do operador e pessoal auxiliar.

Mercúrio Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Preparo e acondicionamento de sobras de amálgama utilizada nas restaurações.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato e ar.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar avaliação quantitativa com a finalidade de detectar a real exposição dos funcionários aos agentes presentes no ambiente de trabalho – mercúrio.

Substâncias Químicas Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Page 12: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 12

Fonte Geradora: - Resina: Composição - Resina do tipo BIS-GMA, Tri-Etilenoglicol-dimetacrilato (resina diluente – solvente), Canforoquinona (foto-iniciador), Amina (ativador), Pigmentos de Óxido de Ferro, Vidro de Borossilicato de Alumínio, Sílica Coloidal (SiO2). - Ionômero Fotopolimerizavel: líquido contém 2-Hidroxietil Metacrilato, Solução Aquosa de Ácidos Poliacrílico e Tartárico, Peróxido de Benzoíla e Canforoquinona. - Ionômero auto Fotopolimerizavel: Ingrediente ativos Ácido Poliacrílico (mistura de pó e líquido). - EDTA Trissódico Solução – 17% hidróxido de sódio, água purificada. - Tricresol Formalina – Formaldeído, O-cresol, álcool etílico 96º e água purificada. - Revelador e Fixador para radiografias. - Hipoclorito de Sódio 1%.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção. Detergente Enzimático Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Aplicação de detergente enzimático na lavagem de materiais, antecedendo o processo de esterilização - composto de Água Deionizada, Álcool Isopropílico, Propilenoglicol, Emulsão de Polidimetilsiloxano, Enzima Lipolítica, Enzimas Amilolíticas, Enzimas Proteolíticas, Derivado de Isotiazolinona, Nonilfenol 9,5 EO, Nonilfenol 7 EO, Formiato de Sódio, Cloreto de Cálcio, Amida de Trietanolamina..

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção.

Produtos de Limpeza Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Uso de detergente alcalino, saponáceo em pó e água sanitária.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção.

Page 13: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 13

Vício postural auxiliando no atendimento do paciente Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho com atendimento dos pacientes, vícios posturais e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar avaliação do esforço durante o atendimento de pacientes e através da AET propor formas de prevenção. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

EPI – Equipamento de Proteção Individual

Descrição Observação

Calçado de Segurança - Saúde CALÇADO DE SEGURANÇA (SAÚDE) com sola antiderrapante para a proteção dos pés do usuário contra agentes de natureza leve, agentes abrasivos, escoriantes, agentes térmicos (frio) e contra umidade, conforme recomendação da EN 345/1992, EM 347/1992, BS5.145/1989 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores). NR-32 - 32.2.4.5 - O empregador deve vedar: e) o uso de calçados abertos. Indicado para utilização em hospitais, laboratórios farmacêuticos, clínicas em geral, indústrias alimentícias, restaurantes, câmaras frigoríficas, hotéis, limpeza, instalações internas e indústrias em geral.

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Luva de látex para procedimento nãocirúrgico e não estéril

LUVA DE LÁTEX PARAPROCEDIMENTO NÃO CIRÚRGICO E NÃO ESTÉRIL para a proteção em áreas médicas, odontológicas, hospitalares, laboratoriais e ambulatoriais contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR 13391:1995 ou ISO 10282:2014 (ou alteração posterior). Luvas de látex para procedimentos não estéreis estão classificadas para a proteção do profissional de saúde durante procedimentos médicos, odontológicos e de enfermagem. Usar luvas sempre que existir a possibilidades de contato com sangue,fluídos corporais, membranas mucosas,artigos sujos ou em procedimentos não invasivos, tais como: procedimentos não cirúrgicos. Importante: Uso único, individual e por procedimento; não deve ser reprocessada; não devem ser utilizadas para atividades abrasivas ou em contato com contaminantes químicos agressivos; nunca tocar uma superfície qualquer usando luvas contaminadas;após o uso, remover e descartar as luvas em recipiente para resíduo infectante; é necessário sempre lavar as mãos antes e depois de entrar em contato com pacientes e materiais contaminados. Quando usar: Utilizar durante procedimentos médicos e de enfermagem não invasivos, bem como na possibilidade de contato com sangue e fluídos corporais.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Não CA EPI:30.695

Situação: Utilizado

Luva cirúrgica em borracha natural LUVA CIRÚRGICA para Procedimento Cirúrgico - Estéril - indicadas para uso em áreas médico hospitalares e odontológicas, laboratoriais e ambulatoriais para procedimento cirúrgico, utilizadas por profissionais

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 30.314

Page 14: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 14

Situação: Utilizado em procedimentos onde haja a necessidade de uma luva esterilizada, proteção em contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR ISO 11193-1:2009 ISO 11193-2:2006 ou alteração posterior.

Respirador PFF2 – N95 RESPIRADOR PFF2 utilizado na execução das atividades a fim deproteger as vias respiratórias contra poeiras, névoas não oleosas e fumos. PFF2 N95 - Filtro para Particulados: classe PFF-2 / N95, Eficiência mínima de filtragem de 95%, BFE > 99% (Eficiência de Filtração Bacteriológica), Formato Concha e Resistente a fluídos. IMPORTANTE: Este respirador ajuda a reduzir a exposição por inalação a certos contaminantes particulados, incluindo aqueles de origem biológica (tais como: vírus, bactérias, fungos, bolores, mofo, Bacillus anthracis, Mycobacterium tuberculosis, entre outros), mas não elimina o risco de contrair infecções, enfermidades ou doença. Ainda não foram estabelecidos pelos órgãos oficiais competentes níveis máximos aceitáveis ou limites de exposição ocupacional seguros para agentes biológicos perigosos dispersos no ar. Quando utilizado no controle da exposição ocupacional a patógenos transmitidos também por contato, recomenda-se o descarte do produto imediatamente após cada uso.

Utilizado: Não EPI Eficaz: Não CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Óculos de segurança ÓCULOS DE PROTEÇÃO VISUAL ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas e em que haja a projeção de partículas, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (B - EPI para proteção dos olhos e face - B.1 Óculos): óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas e material biológico.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 9.722

Situação: Utilizado

Outros Equipamentos/Acessórios

Descrição Observação

Máscara Cirúrgica Descartável Tripla com Elástico

MÁSCARA CIRÚRGICA TRIPLA COM ELÁSTICO, composta por tripla camada com filtro.

Situação: Utilizado

Touca descartável de uso hospitalar TOUCA DESCARTÁVEL DE USO HOSPITALAR, indicada para evitar a queda de cabelos em ambientes em que há a necessidade de alta limpeza, devendo ser utilizada em diversas áreas de saúde (cuidados à saúde humana).

Situação: Utilizado

Uniforme UNIFORME ao realizar atividades em área médica.

Situação: Utilizado

3.1.1.2 - Função: Cirurgias CBO: 223208 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Descrição da Atividade: Realizar atendimentos odontológicos (atividades eletivas, não atende emergência, sempre pacientes agendados) como procura de lesões, aplicação de anestésico, realizar extrações, cirurgias de dentes inclusos, cirurgias pré-protéticas, remoção de cistos; eventualmente finalização de procedimentos realizados inicialmente nas unidades de saúde, e reparos de traumas em dentes anteriores. Eventualmente utiliza o equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico. Promover a educação em saúde bucal, participar de equipe

Page 15: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 15

multiprofissional, prescrever medicamentos, emitir atestados, preenchimento de fichas de atendimentos realizados, eventualmente realizar procedimento de biópsia.

Jornada de Trabalho da Função: 07:00h às 11:00h - totalizando 20 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como insalubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). Enquadramento de atividade insalubre: NR-15, Anexo 14 - Agente Biológico: atendimento / contato com pacientes - Grau Médio. No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05.

Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Cirurgião Dentista 2232-08

Agentes Associados à Atividade

Micro-organismos (contato com pacientes) Agente Biológico

Exposição ao Agente: Permanente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.314

Insalubre NR15: Sim Grau de Insalubridade: Médio

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato com pacientes e materiais infecto-contagiantes durante o trabalho e operações de atendimento e/ou procedimentos odontológicos.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de luva cirúrgica e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Observações: Agentes Biológicos (NR-09) - bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários,vírus, entre outros.

Sangue Agente Biológico

Exposição ao Agente: intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Sangue humano durante os tratamentos odontológicos e manuseio de utensílios contaminados com sangue.

Page 16: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 16

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de luva cirúrgica e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina. Condições Ambientais de Trabalho - Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =54 dB(A)

Tempo de Exposição: 04:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente. Outros ruídos: caneta alta rotação - 68,0 dB(A) e sucção 67 dB(A) - exposição média de 50% da jornada.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho.

Respingos nos olhos Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 9.722

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Proveniente dos respingos de substância química (médico-hospitalar) e contato com material biológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Treinamento de Biossegurança Hospitalar. Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Calçado de Segurança com C.A, conforme orientação da NR-06.

Perfurocortantes Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.314

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Page 17: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 17

Fonte Geradora: Atendimentos e procedimentos odontológicos com a utilização de agulhas e outros utensílios.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: Coletor de Material Perfurocortante: utilizado para o descarte de materiais perfurantes e cortantes provenientes das ações de atenção à saúde, gerados em hospitais, laboratórios, farmácias, consultórios médicos, odontológicos e veterinários, com carga potencialmente infectante. O bocal permite o descarte dos perfurocortantes utilizando apenas uma das mãos, protegendo o contato da mão com a parede interna e com o conteúdo do coletor. A caixa coletora é dotada de tampa para fechamento do bocal com aplicação fácil e segura, dispensando o uso de materiais complementares para fixação e vedação, garantindo a integridade até o tratamento ou destinação final. Quanto ao EPI: uso de luva cirúrgica.

Recomendações e Medidas de Controle: É necessário atender à NR32 - 32.2.4.16, em que a Prefeitura deve elaborar e implementar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes, conforme as diretrizes estabelecidas no Anexo III desta Norma Regulamentadora (alterado pela Portaria GM nº 1.748, de 30 de setembro de 2011).

Lesões em membros inferiores Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Possibilidade de quedas de objetos perfucortantes sobre os pés do trabalhador.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: não utilizado.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Treinamento de Biossegurança Hospitalar. Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Calçado de Segurança com C.A, conforme orientação da NR-06.

Adesivo fotopolimerizável Agente Químico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.314

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Devido à utilização de adesivo fotopolimerizável em restaurações, cimentação de restaurações, cimentação de facetas, adesão de núcleos de preenchimento, adesão de cimentos, reparo de restaurações, reparo intra oral de restaurações, dessensibilização de raízes, selamento, adesão de selantes e verniz de proteção.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (disperção de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de luva cirúrgica e óculos de proteção.

Observações:

Page 18: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 18

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE ADESIVO E SECAGEM COM FOTOPOLIMERIZADOR

Substância Resultado L.T. Norma Laudo Trietilenoglicol < 0,50 ppm NE 56.017/16 Terc-Butanol < 1,0 ppm 78 ppm NR-15 56.018/16

Álcool Etílico Hidratado - 70% Líquido INPM (Uso Hospitalar) Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 16/02/2016

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: <5 ppm

Tempo de Exposição: 00:30 h

Limite de Tolerância: =780 ppm

Fonte Geradora: Assepsia da pele do paciente e limpeza de superfícies em ambientes hospitalares.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato direto ao efetuar a assepsia das mãos; contato indireto na assepsia de superfícies e pele do paciente; pelo ar através da dispersão de gases.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção.

Observações: Avaliação quantitativa sob Laudo nº 55736/16.

Desinfectante Hospitalar – Glucoprotamina Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 05/09/2017

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Aplicação de desinfectante com composição química: cloreto de alquil-dimetil-benzil amônio, surfactante não iônico, glucoprotamina, solvente, agente complexante, agente anticorrosivo e água.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato e dispersão de gases: aplicação direta em superfícies (diluição).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção.

Observações: Produto saneante classificado como Risco II, de acordo com a Portaria n°15, de 23 de agosto de 1988 e Resolução RDC n°14, de 09 de fevereiro de 2007. Recomendações e Medidas de Controle: Quanto ao manuseio e armazenamento, adotar as medidas discriminadas na FISPQ - Medidas técnicas apropriadas: ao manusear o produto, usar Equipamento de Proteção Individual (jaleco de tecido, luvas, máscara e óculos de proteção). - Precauções para manuseio seguro: sempre utilizar EPI, conforme descrito acima, ao manipular o produto. - Armazenamento: manter o produto em embalagem original, em lugar fresco e ao abrigo da luz solar direta. - Produtos e materiais incompatíveis: aldeídos. - Materiais seguros para embalagens: armazenar somente em embalagem original fechada.

Page 19: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 19

Radiações Ionizantes - Odontológico Agente Físico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: Sim EPI é Eficaz: Não CA EPI: Não

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico (disparo de feixe de Raios-X).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: são utilizados biombos de chumbo. Quanto ao EPI: não são utilizados Equipamentos de Proteção Individual para neutralização do agente.

Observações: Diretrizes Básicas de Proteção Radiologia em Radiodiangnóstico Odontológico, Portaria Secretaria de Vigilância Sanitária/MS nº 453, de 1º de junho de 1.998. Recomendações e Medidas de Controle: 3.47 Monitoração individual b) Todo indivíduo que trabalha com raios-x diagnósticos deve usar, durante sua jornada de trabalho e enquanto permanecer em área controlada, dosímetro individual de leitura indireta, trocado mensalmente. 5.2 O equipamento de radiografia intra-oral deve ser instalado em ambiente (consultório ou sala) com dimensões suficientes para permitir à equipe manter-se à distância de, pelo menos, 2 m do cabeçote e do paciente. 5.7 Em adição às características gerais aplicáveis, todo equipamento de raios-x para uso odontológico deve atender aos seguintes requisitos: g) O botão disparador deve ser instalado em uma cabine de proteção ou disposto de tal forma que o operador que o maneje possa ficar a uma distância de, pelo menos, 2 m do tubo e do paciente durante a exposição. 5.9 Proteção do operador e equipe b) Em exames intra-orais em consultórios, o operador deve manter-se a uma distância de,pelo menos, 2 metros do tubo e do paciente durante as exposições. Se a carga de trabalho for superior a 30 mAmin por semana, o operador deve manter-se atrás de uma barreira protetora com uma espessura de, pelo menos, 0,5 mm equivalentes ao chumbo.

Vício Postural - posto de trabalho no atendimento do paciente e uso de computador

Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 08

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho no atendimento dos pacientes e uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar avaliação do esforço durante o atendimento de pacientes e através da AET propor formas de prevenção. Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Page 20: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 20

Acessórios Ergonômicos

Descrição Observação

Apoio para os pés APOIO PARA OS PÉS para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, poderá ser exigido suporte para os pés que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Situação: Recomendado

Apoio para os punhos APOIO PARA PUNHOS (teclado e tapete p/ mouse) para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

Cadeira ergonômica CADEIRA ERGONÔMICA para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto: a) Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida; b) Característica de pouca ou nenhuma conformação na base do assento; c) Borda frontal arredondada; d) Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar. A norma NBR 13962:2006 especifica as características físicas e dimensionais e classifica as cadeiras para escritório, bem como estabelece os métodos para a determinação da estabilidade, resistência e durabilidade de cadeiras de escritório, de qualquer material, excluindo-se longarina e poltronas de auditório e cinema. Os padrões adotados pela norma baseiam-se em uso de 8h ao dia, por pessoas com peso de até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada: cadeira giratória operacional. A norma define cadeira operacional, aquela com as seguintes características: · Regulagem de altura do assento. · Regulagem do apoio lombar. · Apoio com regulagem de antebraço. · Base giratória. · Base com pelo menos cinco pontos de apoio, provida ou não de rodízios. · Conformação da superfície do assento um pouco acentuada e borda frontal arredondada.

Situação: Utilizado

Suporte para monitor SUPORTE PARA MONITOR para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

EPI – Equipamento de Proteção Individual

Descrição Observação

Calçado de Segurança - Saúde CALÇADO DE SEGURANÇA (SAÚDE) com sola antiderrapante para a proteção dos pés do usuário contra agentes de natureza leve, agentes abrasivos, escoriantes, agentes térmicos (frio) e contra umidade,

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI:NA

Page 21: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 21

Situação: Recomendado

conforme recomendação da EN 345/1992, EM 347/1992, BS5.145/1989 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores). NR-32 - 32.2.4.5 - O empregador deve vedar: e) o uso de calçados abertos. Indicado para utilização em hospitais, laboratórios farmacêuticos, clínicas em geral, indústrias alimentícias, restaurantes, câmaras frigoríficas, hotéis, limpeza, instalações internas e indústrias em geral.

Luva de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril

LUVA DE LÁTEX PARAPROCEDIMENTO NÃO CIRÚRGICO E NÃO ESTÉRIL para a proteção em áreas médicas, odontológicas, hospitalares, laboratoriais e ambulatoriais contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR 13391:1995 ou ISO 10282:2014 (ou alteração posterior). Luvas de látex para procedimentos não estéreis estão classificadas para a proteção do profissional de saúde durante procedimentos médicos, odontológicos e de enfermagem. Usar luvas sempre que existir a possibilidades de contato com sangue,fluídos corporais, membranas mucosas,artigos sujos ou em procedimentos não invasivos, tais como: procedimentos não cirúrgicos. Importante: Uso único, individual e por procedimento; não deve ser reprocessada; não devem ser utilizadas para atividades abrasivas ou em contato com contaminantes químicos agressivos; nunca tocar uma superfície qualquer usando luvas contaminadas; após o uso, remover e descartar as luvas em recipiente para resíduo infectante; é necessário sempre lavar as mãos antes e depois de entrar em contato com pacientes e materiais contaminados. Quando usar: Utilizar durante procedimentos médicos e de enfermagem não invasivos, bem como na possibilidade de contato com sangue e fluídos corporais.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Situação: Utilizado

Luva cirúrgica em borracha natural LUVA CIRÚRGICA para Procedimento Cirúrgico - Estéril - indicadas para uso em áreas médico hospitalares e odontológicas, laboratoriais e ambulatoriais para procedimento cirúrgico, utilizadas por profissionais em procedimentos onde haja a necessidade de uma luva esterilizada, proteção em contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR ISO 11193-1:2009 ISO 11193-2:2006 ou alteração posterior.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI:30.314

Situação: Utilizado

Respirador PFF2 – N95 RESPIRADOR PFF2 utilizado na execução das atividades a fim deproteger as vias respiratórias contra poeiras, névoas não oleosas e fumos. PFF2 N95 - Filtro para Particulados: classe PFF-2 / N95, Eficiência mínima de filtragem de 95%, BFE > 99% (Eficiência de Filtração Bacteriológica), Formato Concha e Resistente a fluídos. IMPORTANTE: Este respirador ajuda a reduzir a exposição por inalação a certos contaminantes particulados, incluindo aqueles de origem biológica (tais como: vírus, bactérias, fungos, bolores, mofo, Bacillusanthracis, Mycobacterium tuberculosis, entre outros), mas não elimina o risco de contrair infecções, enfermidades ou doença. Ainda não foram estabelecidos pelos órgãos oficiais competentes níveis máximos aceitáveis ou limites de exposição ocupacional seguros para agentes biológicos perigosos dispersos no ar. Quando utilizado no controle da exposição ocupacional a patógenos transmitidos também por contato, recomenda-se o descarte do produto imediatamente após cada uso.

Utilizado: Não EPI Eficaz: Não CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Óculos de segurança ÓCULOS DE PROTEÇÃO VISUAL ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas e em que haja a projeção de partículas, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (B - EPI para proteção dos olhos e face - B.1 Óculos): óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas e material biológico.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 9.722

Situação: Utilizado

Page 22: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 22

Outros Equipamentos/Acessórios

Descrição Observação

Máscara Cirúrgica Descartável Tripla com Elástico

MÁSCARA CIRÚRGICA TRIPLA COM ELÁSTICO, composta por tripla camada com filtro.

Situação: Utilizado

Uniforme UNIFORME ao realizar atividades em área médica e odontológica.

Situação: Utilizado

Biombo Revestido em Chumbo Biombo revestido em chumbo ao realizar atividades com radiações ionizantes.

Situação: Utilizado

Dosímetro Individual Dispositivo usado junto às partes do corpo de um indivíduo, de acordo com regras específicas, com o objetivo de avaliar a dose efetiva ou a dose equivalente acumulada em um dado período. Também chamado de monitor individual. Situação: Utilizado

3.1.1.3 - Função: Endodontia CBO: 223208 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Descrição da Atividade: Realizar atendimentos odontológicos (atividades eletivas, não atende emergência, sempre pacientes agendados) como aplicação de anestésico, tratamento de canal, abertura de dentes, realizar limpeza, desinfecção de canais, preparação para posterior obturação endodôntica, fazer uso de curativos endodônticos e finalizando com a obturação do canal. Realizar tomadas radiográficas com o equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.Promover a educação em saúde bucal, participar de equipe multiprofissional, prescrever medicamentos, emitir atestados, preenchimento de fichas de atendimentos realizados.

Jornada de Trabalho da Função: 07:00h às 11:00h - totalizando 20 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como insalubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). Enquadramento de atividade insalubre: NR-15, Anexo 14 - Agente Biológico: atendimento / contato com pacientes - Grau Médio. No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05.

Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Cirurgião Dentista 2232-08

Page 23: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 23

Agentes Associados à Atividade

Micro-organismos (contato com pacientes) Agente Biológico

Exposição ao Agente: Habitual e Permanente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Sim Grau de Insalubridade: Médio

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato com pacientes e materiais infecto contagiantes durante o trabalho e operações de atendimento e/ou procedimentos odontológicos.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Observações: Agentes Biológicos (NR-09) - bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários,vírus, entre outros.

Sangue Agente Biológico

Exposição ao Agente: Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Sangue humano durante os tratamentos odontológicos e manuseio de utensílios contaminados com sangue.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Condições Ambientais de Trabalho - Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =54 dB(A)

Tempo de Exposição: 08:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Page 24: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 24

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente. Outros ruídos: caneta alta rotação - 68,0 dB(A) e sucção 67 dB(A) - exposição média de 50% da jornada.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção.

Respingos nos olhos Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 9.722

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Proveniente dos respingos de substância química (médico-hospitalar) e contato com material biológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Óculos de Proteção com C.A, conforme orientação da NR-06. Perfurocortantes Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Atendimentos e procedimentos odontológicos com a utilização de agulhas e outros utensílios.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: Coletor de Material Perfurocortante: utilizado para o descarte de materiais perfurantes e cortantes provenientes das ações de atenção à saúde, gerados em hospitais, laboratórios, farmácias, consultórios médicos, odontológicos e veterinários, com carga potencialmente infectante. O bocal permite o descarte dos perfurocortantes utilizando apenas uma das mãos, protegendo o contato da mão com a parede interna e com o conteúdo do coletor. A caixa coletora é dotada de tampa para fechamento do bocal com aplicação fácil e segura, dispensando o uso de materiais complementares para fixação e vedação, garantindo a integridade até o tratamento ou destinação final. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: É necessário atender à NR32 - 32.2.4.16, em que a Prefeitura deve elaborar e implementar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes, conforme as diretrizes estabelecidas no Anexo III desta Norma Regulamentadora (alterado pela Portaria GM nº 1.748, de 30 de setembro de 2011).

Lesões em membros inferiores Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Page 25: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 25

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Possibilidade de quedas de objetos perfucortantes sobre os pés do trabalhador.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: não utilizado.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Treinamento de Biossegurança Hospitalar. Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Calçado de Segurança com C.A, conforme orientação da NR-06.

Adesivo fotopolimerizável Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Devido à utilização de adesivo fotopolimerizável em restaurações, cimentação de restaurações, cimentação de facetas, adesão de núcleos de preenchimento, adesão de cimentos, reparo de restaurações, reparo intra oral de restaurações, dessensibilização de raízes, selamento, adesão de selantes e verniz de proteção.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações:

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE ADESIVO E SECAGEM COM FOTOPOLIMERIZADOR

Substância Resultado L.T. Norma Laudo Trietilenoglicol < 0,50 ppm NE 56.017/16 Terc-Butanol < 1,0 ppm 78 ppm NR-15 56.018/16

Formocresol Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Aplicações ao efetuar a mumificação da polpa dentária.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Page 26: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 26

Observações:

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE FORMOCRESOL Substância Resultado L.T. Norma Laudo Formaldeído < 0,030 ppm 1,6 ppm NR-15 56.020/16 Álcool Etílico < 5,0 ppm 780 ppm NR-15 56.021/16

Álcool Etílico Hidratado - 70% Líquido INPM (Uso Hospitalar) Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: <5 ppm

Tempo de Exposição: 00:30 h

Limite de Tolerância: =780 ppm

Fonte Geradora: Assepsia da pele do paciente e limpeza de superfícies em ambientes hospitalares.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato direto ao efetuar a assepsia das mãos; contato indireto na assepsia de superfícies e pele do paciente; pelo ar através da dispersão de gases.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações: Avaliação quantitativa sob Laudo nº 55732/16.

Radiações Ionizantes - Odontológico Agente Físico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: Sim EPI é Eficaz: Não CA EPI: Não

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico (disparo de feixe de Raios-X).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: são utilizados biombos de chumbo. Quanto ao EPI: não são utilizados Equipamentos de Proteção Individual para neutralização do agente.

Observações: Produto saneante classificado como Risco II, de acordo com a Portaria n°15, de 23 de agosto de 1988 e Resolução RDC n°14, de 09 de fevereiro de 2007. Recomendações e Medidas de Controle: Conforme regulamentações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), todo profissional que trabalha com radiodiagnóstico sempre deve usar um dosímetro, somente quando estiver na área de risco, além de submetê-lo mensalmente à leitura dos dados nele contidos, a fim de monitorar a radiação individual acumulada, fornecendo, assim, informações acerca da exposição à radiação ionizante; manter a proteção de áreas adjacentes (distância mínima de 2,00m da cabeça do paciente) em ângulo de 90° a 135°; nunca permanecer na direção do feixe útil, na monitoração do operador e pessoal auxiliar.

Page 27: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 27

Substâncias Químicas Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: - Resina: Composição - Resina do tipo BIS-GMA, Tri-Etilenoglicol-dimetacrilato (resina diluente – solvente), Canforoquinona (foto-iniciador), Amina (ativador), Pigmentos de Óxido de Ferro, Vidro de Borossilicato de Alumínio, Sílica Coloidal (SiO2). - Ionômero Fotopolimerizavel: líquido contém 2-Hidroxietil Metacrilato, Solução Aquosa de Ácidos Poliacrílico e Tartárico, Peróxido de Benzoíla e Canforoquinona. - Ionômero auto Fotopolimerizavel: Ingrediente ativos Ácido Poliacrílico (mistura de pó e líquido). - EDTA Trissódico Solução – 17% hidróxido de sódio, água purificada. - Tricresol Formalina – Formaldeído, O-cresol, álcool etílico 96º e água purificada. - Revelador e Fixador para radiografias. - Hipoclorito de Sódio 1%.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar avaliação quantitativa com a finalidade de detectar a real exposição dos funcionários aos agentes presentes no ambiente de trabalho - Hidróxido de Sódio e Hipoclorito de Sódio (Cl2).

Vício Postural - posto de trabalho no atendimento do paciente e uso de computador

Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho no atendimento dos pacientes e uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar avaliação do esforço durante o atendimento de pacientes e através da AET propor formas de prevenção. Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Page 28: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 28

Acessórios Ergonômicos

Descrição Observação

Apoio para os pés APOIO PARA OS PÉS para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, poderá ser exigido suporte para os pés que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Situação: Recomendado

Apoio para os punhos APOIO PARA PUNHOS (teclado e tapete p/ mouse) para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

Cadeira ergonômica CADEIRA ERGONÔMICA para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto: a) Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida; b) Característica de pouca ou nenhuma conformação na base do assento; c) Borda frontal arredondada; d) Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar. A norma NBR 13962:2006 especifica as características físicas e dimensionais e classifica as cadeiras para escritório, bem como estabelece os métodos para a determinação da estabilidade, resistência e durabilidade de cadeiras de escritório, de qualquer material, excluindo-se longarina e poltronas de auditório e cinema. Os padrões adotados pela norma baseiam-se em uso de 8h ao dia, por pessoas com peso de até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada: cadeira giratória operacional. A norma define cadeira operacional, aquela com as seguintes características: · Regulagem de altura do assento. · Regulagem do apoio lombar. · Apoio com regulagem de antebraço. · Base giratória. · Base com pelo menos cinco pontos de apoio, provida ou não de rodízios. · Conformação da superfície do assento um pouco acentuada e borda frontal arredondada.

Situação: Utilizado

Suporte para monitor SUPORTE PARA MONITOR para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

EPI – Equipamento de Proteção Individual

Descrição Observação

Calçado de Segurança - Saúde CALÇADO DE SEGURANÇA (SAÚDE) com sola antiderrapante para a proteção dos pés do usuário contra agentes de natureza leve, agentes abrasivos, escoriantes, agentes térmicos (frio) e contra umidade, conforme

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI:NA

Page 29: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 29

Situação: Recomendado

recomendação da EN 345/1992, EM 347/1992, BS5.145/1989 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores). NR-32 - 32.2.4.5 - O empregador deve vedar: e) o uso de calçados abertos. Indicado para utilização em hospitais, laboratórios farmacêuticos, clínicas em geral, indústrias alimentícias, restaurantes, câmaras frigoríficas, hotéis, limpeza, instalações internas e indústrias em geral.

Luva de látex para procedimento nãocirúrgico e não estéril

LUVA DE LÁTEX PARAPROCEDIMENTO NÃO CIRÚRGICO E NÃO ESTÉRIL para a proteção em áreas médicas, odontológicas, hospitalares, laboratoriais e ambulatoriais contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR 13391:1995 ou ISO 10282:2014 (ou alteração posterior). Luvas de látex para procedimentos não estéreis estão classificadas para a proteção do profissional de saúde durante procedimentos médicos, odontológicos e de enfermagem. Usar luvas sempre que existir a possibilidade de contato com sangue,fluídos corporais, membranas mucosas,artigos sujos ou em procedimentos não invasivos, tais como: procedimentos não cirúrgicos. Importante: Uso único, individual e por procedimento; não deve ser reprocessada; não devem ser utilizadas para atividades abrasivas ou em contato com contaminantes químicos agressivos; nunca tocar uma superfície qualquer usando luvas contaminadas; após o uso, remover e descartar as luvas em recipiente para resíduo infectante; é necessário sempre lavar as mãos antes e depois de entrar em contato com pacientes e materiais contaminados. Quando usar: Utilizar durante procedimentos médicos e de enfermagem não invasivos, bem como na possibilidade de contato com sangue e fluídos corporais.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Situação: Utilizado

Respirador PFF2 – N95 RESPIRADOR PFF2 utilizado na execução das atividades a fim de proteger as vias respiratórias contra poeiras, névoas não oleosas e fumos. PFF2 N95 - Filtro para Particulados: classe PFF-2 / N95, Eficiência mínima de filtragem de 95%, BFE > 99% (Eficiência de Filtração Bacteriológica), Formato Concha e Resistente a fluídos. IMPORTANTE: Este respirador ajuda a reduzir a exposição por inalação a certos contaminantes particulados, incluindo aqueles de origem biológica (tais como: vírus, bactérias, fungos, bolores, mofo, Bacillus anthracis, Mycobacterium tuberculosis, entre outros), mas não elimina o risco de contrair infecções, enfermidades ou doença. Ainda não foram estabelecidos pelos órgãos oficiais competentes níveis máximos aceitáveis ou limites de exposição ocupacional seguros para agentes biológicos perigosos dispersos no ar. Quando utilizado no controle da exposição ocupacional a patógenos transmitidos também por contato, recomenda-se o descarte do produto imediatamente após cada uso.

Utilizado: Não EPI Eficaz: Não CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Óculos de segurança ÓCULOS DE PROTEÇÃO VISUAL ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas e em que haja a projeção de partículas, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (B - EPI para proteção dos olhos e face - B.1 Óculos): óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas e material biológico.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 9.722

Situação: Utilizado

Outros Equipamentos/Acessórios

Descrição Observação

Máscara Cirúrgica Descartável Tripla com Elástico

MÁSCARA CIRÚRGICA TRIPLA COM ELÁSTICO, composta por tripla camada com filtro.

Situação: Utilizado

Page 30: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 30

Uniforme UNIFORME ao realizar atividades em área médica e odontológica.

Situação: Utilizado

Biombo Revestido em Chumbo Biombo revestido em chumbo ao realizar atividades com radiações ionizantes.

Situação: Utilizado

Dosímetro Individual Dispositivo usado junto às partes do corpo de um indivíduo, de acordo com regras específicas, com o objetivo de avaliar a dose efetiva ou a dose equivalente acumulada em um dado período. Também chamado de monitor individual. Situação: Utilizado

3.1.1.4 - Função: Estomatologia CBO: 223208 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Descrição da Atividade: Tratar da cavidade bucal com o objetivo à prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças da boca e estruturas anexas, manifestações bucais de doenças sistêmicas, bem como à prevenção de doenças sistêmicas que possam interferir no tratamento odontológico. Promover a educação em saúde bucal, participar de equipe multiprofissional, prescrever medicamentos, emitir atestados, preenchimento de fichas de atendimentos realizados.

Jornada de Trabalho da Função: 07:00h às 11:00h - totalizando 20 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como insalubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). Enquadramento de atividade insalubre: NR-15, Anexo 14 - Agente Biológico: atendimento / contato com pacientes - Grau Médio. No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05. Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Cirurgião Dentista 2232-08

Agentes Associados à Atividade

Micro-organismos (contato com pacientes) Agente Biológico

Exposição ao Agente: Habitual e Permanente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Sim Grau de Insalubridade: Médio

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato com pacientes e materiais infecto contagiantes durante o trabalho e operações de atendimento e/ou

Page 31: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 31

procedimentos odontológicos.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Observações: Agentes Biológicos (NR-09) - bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários,vírus, entre outros. Sangue Agente Biológico

Exposição ao Agente: Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Sangue humano durante os tratamentos odontológicos e manuseio de utensílios contaminados com sangue.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina. Condições Ambientais de Trabalho - Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =54 dB(A)

Tempo de Exposição: 08:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente. Outros ruídos: caneta alta rotação - 68,0 dB(A) e sucção 67 dB(A) - exposição média de 50% da jornada.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção.

Respingos nos olhos Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 9.722

Page 32: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 32

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Proveniente dos respingos de substância química (médico-hospitalar) e contato com material biológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Óculos de Proteção com C.A, conforme orientação da NR-06. Perfurocortantes Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Atendimentos e procedimentos odontológicos com a utilização de agulhas e outros utensílios.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: Coletor de Material Perfurocortante: utilizado para o descarte de materiais perfurantes e cortantes provenientes das ações de atenção à saúde, gerados em hospitais, laboratórios, farmácias, consultórios médicos, odontológicos e veterinários, com carga potencialmente infectante. O bocal permite o descarte dos perfurocortantes utilizando apenas uma das mãos, protegendo o contato da mão com a parede interna e com o conteúdo do coletor. A caixa coletora é dotada de tampa para fechamento do bocal com aplicação fácil e segura, dispensando o uso de materiais complementares para fixação e vedação, garantindo a integridade até o tratamento ou destinação final. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: É necessário atender à NR32 - 32.2.4.16, em que a Prefeitura deve elaborar e implementar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes, conforme as diretrizes estabelecidas no Anexo III desta Norma Regulamentadora (alterado pela Portaria GM nº 1.748, de 30 de setembro de 2011).

Lesões em membros inferiores Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Possibilidade de quedas de objetos perfucortantes sobre os pés do trabalhador.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: não utilizado.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Treinamento de Biossegurança Hospitalar.

Page 33: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 33

Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Calçado de Segurança com C.A, conforme orientação da NR-06.

Álcool Etílico Hidratado - 70% Líquido INPM (Uso Hospitalar) Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: <5 ppm

Tempo de Exposição: 00:30 h

Limite de Tolerância: =780 ppm

Fonte Geradora: Assepsia da pele do paciente e limpeza de superfícies em ambientes hospitalares.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato direto ao efetuar a assepsia das mãos; contato indireto na assepsia de superfícies e pele do paciente; pelo ar através da dispersão de gases.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações: Avaliação quantitativa sob Laudo nº 55732/16.

Vício Postural - posto de trabalho no atendimento do paciente e uso de computador

Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho no atendimento dos pacientes e uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar avaliação do esforço durante o atendimento de pacientes e através da AET propor formas de prevenção. Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Acessórios Ergonômicos

Descrição Observação

Apoio para os pés APOIO PARA OS PÉS para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de

Situação: Recomendado

Page 34: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 34

trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, poderá ser exigido suporte para os pés que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Apoio para os punhos APOIO PARA PUNHOS (teclado e tapete p/ mouse) para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

Cadeira ergonômica CADEIRA ERGONÔMICA para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto: a) Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida; b) Característica de pouca ou nenhuma conformação na base do assento; c) Borda frontal arredondada; d) Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar. A norma NBR 13962:2006 especifica as características físicas e dimensionais e classifica as cadeiras para escritório, bem como estabelece os métodos para a determinação da estabilidade, resistência e durabilidade de cadeiras de escritório, de qualquer material, excluindo-se longarina e poltronas de auditório e cinema. Os padrões adotados pela norma baseiam-se em uso de 8h ao dia, por pessoas com peso de até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada: cadeira giratória operacional. A norma define cadeira operacional, aquela com as seguintes características: · Regulagem de altura do assento. · Regulagem do apoio lombar. · Apoio com regulagem de antebraço. · Base giratória. · Base com pelo menos cinco pontos de apoio, provida ou não de rodízios. · Conformação da superfície do assento um pouco acentuada e borda frontal arredondada.

Situação: Utilizado

Suporte para monitor SUPORTE PARA MONITOR para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

EPI – Equipamento de Proteção Individual

Descrição Observação

Calçado de Segurança - Saúde CALÇADO DE SEGURANÇA (SAÚDE) com sola antiderrapante para a proteção dos pés do usuário contra agentes de natureza leve, agentes abrasivos, escoriantes, agentes térmicos (frio) e contra umidade, conforme recomendação da EN 345/1992, EM 347/1992, BS5.145/1989 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores). NR-32 - 32.2.4.5 - O empregador deve vedar: e) o uso de calçados abertos. Indicado para utilização em hospitais, laboratórios farmacêuticos, clínicas em geral, indústrias alimentícias, restaurantes, câmaras frigoríficas, hotéis, limpeza, instalações internas e indústrias em geral.

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Luva de látex para procedimento nãocirúrgico e não estéril

LUVA DE LÁTEX PARAPROCEDIMENTO NÃO CIRÚRGICO E NÃO ESTÉRIL para a proteção em áreas médicas, odontológicas,

Page 35: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 35

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

hospitalares, laboratoriais e ambulatoriais contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR 13391:1995 ou ISO 10282:2014 (ou alteração posterior). Luvas de látex para procedimentos não estéreis estão classificadas para a proteção do profissional de saúde durante procedimentos médicos, odontológicos e de enfermagem. Usar l uvas sempre que existir a possibilidades de contato com sangue, fluídos corporais, membranas mucosas, artigos sujos ou em procedimentos não invasivos, tais como: procedimentos não cirúrgicos. Importante: Uso único, individual e por procedimento; não deve ser reprocessada; não devem ser utilizadas para atividades abrasivas ou em contato com contaminantes químicos agressivos; nunca tocar uma superfície qualquer usando luvas contaminadas; após o uso, remover e descartar as luvas em recipiente para resíduo infectante; é necessário sempre lavar as mãos antes e depois de entrar em contato com pacientes e materiais contaminados. Quando usar: Utilizar durante procedimentos médicos e de enfermagem não invasivos, bem como na possibilidade de contato com sangue e fluídos corporais.

Situação: Utilizado

Respirador PFF2 – N95 RESPIRADOR PFF2 utilizado na execução das atividades a fim de proteger as vias respiratórias contra poeiras, névoas não oleosas e fumos. PFF2 N95 - Filtro para Particulados: classe PFF-2 / N95, Eficiência mínima de filtragem de 95%, BFE > 99% (Eficiência de Filtração Bacteriológica), Formato Concha e Resistente a fluídos. IMPORTANTE: Este respirador ajuda a reduzir a exposição por inalação a certos contaminantes particulados, incluindo aqueles de origem biológica (tais como: vírus, bactérias, fungos, bolores, mofo, Bacillusanthracis, Mycobacterium tuberculosis, entre outros), mas não elimina o risco de contrair infecções, enfermidades ou doença. Ainda não foram estabelecidos pelos órgãos oficiais competentes níveis máximos aceitáveis ou limites de exposição ocupacional seguros para agentes biológicos perigosos dispersos no ar. Quando utilizado no controle da exposição ocupacional a patógenos transmitidos também por contato, recomenda-se o descarte do produto imediatamente após cada uso.

Utilizado: Não EPI Eficaz: Não CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Óculos de segurança ÓCULOS DE PROTEÇÃO VISUAL ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas e em que haja a projeção de partículas, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (B - EPI para proteção dos olhos e face - B.1 Óculos): óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas e material biológico.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 9.722

Situação: Utilizado

Outros Equipamentos/Acessórios

Descrição Observação

Máscara Cirúrgica Descartável Tripla com Elástico

MÁSCARA CIRÚRGICA TRIPLA COM ELÁSTICO, composta por tripla camada com filtro.

Situação: Utilizado

Uniforme UNIFORME ao realizar atividades em área médica e odontológica.

Situação: Utilizado

Page 36: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 36

Dosímetro Individual Dispositivo usado junto às partes do corpo de um indivíduo, de acordo com regras específicas, com o objetivo de avaliar a dose efetiva ou a dose equivalente acumulada em um dado período. Também chamado de monitor individual. Situação: Utilizado

3.1.1.5 - Função: Pacientes Especiais CBO: 223208 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Descrição da Atividade: Atender pacientes encaminhados pela unidade básica, com necessidades especiais que não são atendidos na unidade básica devido ao grau de comprometimento (deficiência física e/ou mental, adultos ou crianças). Conforme paciente realizando contenção mecânica (uso de faixas e estabilizador de Godoy), física ou química (sedação eventual). Realizar exames de cavidade oral, utilizando aparelhos específicos para verificar a presença de cáries e outras afecções; efetuar a aplicação de anestésicos; realizar restaurações, extrações e demais procedimentos; promover a educação em saúde bucal; participar da equipe multiprofissional, efetuando treinamentos e desenvolvimento de programas e projetos; prescrever medicamentos, quando necessário; emitir atestado, quando necessário; providenciar o preenchimento das fichas e relatórios informando as atividades dos serviços prestados. Eventualmente utiliza o equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.

Jornada de Trabalho da Função: 07:00h às 16:00h - totalizando 40 horas/semana. 07:00h às 11:00h - totalizando 20 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como insalubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). Enquadramento de atividade insalubre: NR-15, Anexo 14 - Agente Biológico: atendimento / contato com pacientes - Grau Médio. No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05.

Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Cirurgião Dentista 2232-08 Agentes Associados à Atividade

Micro-organismos (contato com pacientes) Agente Biológico

Exposição ao Agente: Habitual e Permanente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Sim Grau de Insalubridade: Médio

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato com pacientes e materiais infecto contagiantes durante o trabalho e operações de atendimento e/ou procedimentos odontológicos.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Page 37: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 37

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Observações: Agentes Biológicos (NR-09) - bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários,vírus, entre outros. Sangue Agente Biológico

Exposição ao Agente: Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Sangue humano durante os tratamentos odontológicos e manuseio de utensílios contaminados com sangue.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina. Condições Ambientais de Trabalho - Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =54 dB(A)

Tempo de Exposição: 08:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente. Outros ruídos: caneta alta rotação - 68,0 dB(A) e sucção 67 dB(A) - exposição média de 50% da jornada.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção. Respingos nos olhos Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 9.722

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Proveniente dos respingos de substância química (médico-hospitalar) e contato com material biológico.

Page 38: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 38

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Óculos de Proteção com C.A, conforme orientação da NR-06.

Perfurocortantes Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Atendimentos e procedimentos odontológicos com a utilização de agulhas e outros utensílios.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: Coletor de Material Perfurocortante: utilizado para o descarte de materiais perfurantes e cortantes provenientes das ações de atenção à saúde, gerados em hospitais, laboratórios, farmácias, consultórios médicos, odontológicos e veterinários, com carga potencialmente infectante. O bocal permite o descarte dos perfurocortantes utilizando apenas uma das mãos, protegendo o contato da mão com a parede interna e com o conteúdo do coletor. A caixa coletora é dotada de tampa para fechamento do bocal com aplicação fácil e segura, dispensando o uso de materiais complementares para fixação e vedação, garantindo a integridade até o tratamento ou destinação final. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: É necessário atender à NR32 - 32.2.4.16, em que a Prefeitura deve elaborar e implementar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes, conforme as diretrizes estabelecidas no Anexo III desta Norma Regulamentadora (alterado pela Portaria GM nº 1.748, de 30 de setembro de 2011).

Lesões em membros inferiores Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Possibilidade de quedas de objetos perfucortantes sobre os pés do trabalhador.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: não utilizado.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Treinamento de Biossegurança Hospitalar. Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Calçado de Segurança com C.A, conforme orientação da NR-06.

Page 39: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 39

Adesivo fotopolimerizável Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Devido à utilização de adesivo fotopolimerizável em restaurações, cimentação de restaurações, cimentação de facetas, adesão de núcleos de preenchimento, adesão de cimentos, reparo de restaurações, reparo intra oral de restaurações, dessensibilização de raízes, selamento, adesão de selantes e verniz de proteção.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações:

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE ADESIVO E SECAGEM COM FOTOPOLIMERIZADOR

Substância Resultado L.T. Norma Laudo Trietilenoglicol < 0,50 ppm NE 56.017/16 Terc-Butanol < 1,0 ppm 78 ppm NR-15 56.018/16

Formocresol Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Aplicações ao efetuar a mumificação da polpa dentária.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações:

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE FORMOCRESOL Substância Resultado L.T. Norma Laudo Formaldeído < 0,030 ppm 1,6 ppm NR-15 56.020/16 Álcool Etílico < 5,0 ppm 780 ppm NR-15 56.021/16

Álcool Etílico Hidratado - 70% Líquido INPM (Uso Hospitalar) Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Page 40: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 40

Intensidade da Concentração: <5 ppm

Tempo de Exposição: 00:30 h

Limite de Tolerância: =780 ppm

Fonte Geradora: Assepsia da pele do paciente e limpeza de superfícies em ambientes hospitalares.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato direto ao efetuar a assepsia das mãos; contato indireto na assepsia de superfícies e pele do paciente; pelo ar através da dispersão de gases.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações: Avaliação quantitativa sob Laudo nº 55732/16.

Radiações Ionizantes - Odontológico Agente Físico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: Sim EPI é Eficaz: Não CA EPI: Não

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico (disparo de feixe de Raios-X).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: são utilizados biombos de chumbo. Quanto ao EPI: não são utilizados Equipamentos de Proteção Individual para neutralização do agente.

Observações: Produto saneante classificado como Risco II, de acordo com a Portaria n°15, de 23 de agosto de 1988 e Resolução RDC n°14, de 09 de fevereiro de 2007. Recomendações e Medidas de Controle: Conforme regulamentações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), todo profissional que trabalha com radiodiagnóstico sempre deve usar um dosímetro, somente quando estiver na área de risco, além de submetê-lo mensalmente à leitura dos dados nele contidos, a fim de monitorar a radiação individual acumulada, fornecendo, assim, informações acerca da exposição à radiação ionizante; manter a proteção de áreas adjacentes (distância mínima de 2,00m da cabeça do paciente) em ângulo de 90° a 135°; nunca permanecer na direção do feixe útil, na monitoração do operador e pessoal auxiliar.

Mercúrio Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Preparo e aplicação de amálgama na execução de restaurações.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato e ar.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Page 41: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 41

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar avaliação quantitativa com a finalidade de detectar a real exposição dos funcionários aos agentes presentes no ambiente de trabalho – mercúrio.

Substâncias Químicas Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: - Resina: Composição - Resina do tipo BIS-GMA, Tri-Etilenoglicol-dimetacrilato (resina diluente – solvente), Canforoquinona (foto-iniciador), Amina (ativador), Pigmentos de Óxido de Ferro, Vidro de Borossilicato de Alumínio, Sílica Coloidal (SiO2). - Ionômero Fotopolimerizavel: líquido contém 2-Hidroxietil Metacrilato, Solução Aquosa de Ácidos Poliacrílico e Tartárico, Peróxido de Benzoíla e Canforoquinona. - Ionômero auto Fotopolimerizavel: Ingrediente ativos Ácido Poliacrílico (mistura de pó e líquido). - EDTA Trissódico Solução – 17% hidróxido de sódio, água purificada. - Tricresol Formalina – Formaldeído, O-cresol, álcool etílico 96º e água purificada. - Revelador e Fixador para radiografias. - Hipoclorito de Sódio 1%.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar avaliação quantitativa com a finalidade de detectar a real exposição dos funcionários aos agentes presentes no ambiente de trabalho - Hidróxido de Sódio e Hipoclorito de Sódio (Cl2). Vício Postural - posto de trabalho no atendimento do paciente e uso de computador

Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho no atendimento dos pacientes e uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar avaliação do esforço durante o atendimento de pacientes e através da AET propor formas de prevenção. Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Page 42: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 42

Acessórios Ergonômicos

Descrição Observação

Apoio para os pés APOIO PARA OS PÉS para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, poderá ser exigido suporte para os pés que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Situação: Recomendado

Apoio para os punhos APOIO PARA PUNHOS (teclado e tapete p/ mouse) para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

Cadeira ergonômica CADEIRA ERGONÔMICA para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto: a) Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida; b) Característica de pouca ou nenhuma conformação na base do assento; c) Borda frontal arredondada; d) Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar. A norma NBR 13962:2006 especifica as características físicas e dimensionais e classifica as cadeiras para escritório, bem como estabelece os métodos para a determinação da estabilidade, resistência e durabilidade de cadeiras de escritório, de qualquer material, excluindo-se longarina e poltronas de auditório e cinema. Os padrões adotados pela norma baseiam-se em uso de 8h ao dia, por pessoas com peso de até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada: cadeira giratória operacional. A norma define cadeira operacional, aquela com as seguintes características: · Regulagem de altura do assento. · Regulagem do apoio lombar. · Apoio com regulagem de antebraço. · Base giratória. · Base com pelo menos cinco pontos de apoio, provida ou não de rodízios. · Conformação da superfície do assento um pouco acentuada e borda frontal arredondada.

Situação: Utilizado

Suporte para monitor SUPORTE PARA MONITOR para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

EPI – Equipamento de Proteção Individual

Descrição Observação

Calçado de Segurança - Saúde CALÇADO DE SEGURANÇA (SAÚDE) com sola antiderrapante para a proteção dos pés do usuário contra agentes de natureza leve, agentes abrasivos, escoriantes, agentes térmicos (frio) e contra umidade,

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI:NA

Page 43: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 43

Situação: Recomendado

conforme recomendação da EN 345/1992, EM 347/1992, BS5.145/1989 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores). NR-32 - 32.2.4.5 - O empregador deve vedar: e) o uso de calçados abertos. Indicado para utilização em hospitais, laboratórios farmacêuticos, clínicas em geral, indústrias alimentícias, restaurantes, câmaras frigoríficas, hotéis, limpeza, instalações internas e indústrias em geral.

Luva de látex para procedimento nãocirúrgico e não estéril

LUVA DE LÁTEX PARAPROCEDIMENTO NÃO CIRÚRGICO E NÃO ESTÉRIL para a proteção em áreas médicas, odontológicas, hospitalares, laboratoriais e ambulatoriais contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR 13391:1995 ou ISO 10282:2014 (ou alteração posterior). Luvas de látex para procedimentos não estéreis estão classificadas para a proteção do profissional de saúde durante procedimentos médicos, odontológicos e de enfermagem. Usar l uvas sempre que existir a possibilidades de contato com sangue, fluídos corporais, membranas mucosas, artigos sujos ou em procedimentos não invasivos, tais como: procedimentos não cirúrgicos. Importante: Uso único, individual e por procedimento; não deve ser reprocessada; não devem ser utilizadas para atividades abrasivas ou em contato com contaminantes químicos agressivos; nunca tocar uma superfície qualquer usando luvas contaminadas; após o uso, remover e descartar as luvas em recipiente para resíduo infectante; é necessário sempre lavar as mãos antes e depois de entrar em contato com pacientes e materiais contaminados. Quando usar: Utilizar durante procedimentos médicos e de enfermagem não invasivos, bem como na possibilidade de contato com sangue e fluídos corporais.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Situação: Utilizado

Respirador PFF2 – N95 RESPIRADOR PFF2 utilizado na execução das atividades a fim de proteger as vias respiratórias contra poeiras, névoas não oleosas e fumos. PFF2 N95 - Filtro para Particulados: classe PFF-2 / N95, Eficiência mínima de filtragem de 95%, BFE > 99% (Eficiência de Filtração Bacteriológica), Formato Concha e Resistente a fluídos. IMPORTANTE: Este respirador ajuda a reduzir a exposição por inalação a certos contaminantes particulados, incluindo aqueles de origem biológica (tais como: vírus, bactérias, fungos, bolores, mofo, Bacillusanthracis, Mycobacterium tuberculosis, entre outros), mas não elimina o risco de contrair infecções, enfermidades ou doença. Ainda não foram estabelecidos pelos órgãos oficiais competentes níveis máximos aceitáveis ou limites de exposição ocupacional seguros para agentes biológicos perigosos dispersos no ar. Quando utilizado no controle da exposição ocupacional a patógenos transmitidos também por contato, recomenda-se o descarte do produto imediatamente após cada uso.

Utilizado: Não EPI Eficaz: Não CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Óculos de segurança ÓCULOS DE PROTEÇÃO VISUAL ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas e em que haja a projeção de partículas, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (B - EPI para proteção dos olhos e face - B.1 Óculos): óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas e material biológico.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 9.722

Situação: Utilizado

Page 44: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 44

Outros Equipamentos/Acessórios

Descrição Observação

Máscara Cirúrgica Descartável Tripla com Elástico

MÁSCARA CIRÚRGICA TRIPLA COM ELÁSTICO, composta por tripla camada com filtro.

Situação: Utilizado

Uniforme UNIFORME ao realizar atividades em área médica e odontológica.

Situação: Utilizado

Biombo Revestido em Chumbo Biombo revestido em chumbo ao realizar atividades com radiações ionizantes.

Situação: Utilizado

Dosímetro Individual Dispositivo usado junto às partes do corpo de um indivíduo, de acordo com regras específicas, com o objetivo de avaliar a dose efetiva ou a dose equivalente acumulada em um dado período. Também chamado de monitor individual. Situação: Utilizado

3.1.1.6 - Função: Periodontia CBO: 223208 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Descrição da Atividade: Realizar exames de cavidade oral, utilizando aparelhos específicos para verificar a presença de cáries e outras afecções; efetuar a aplicação de anestésicos; realizar restaurações, extrações e demais procedimentos; promover a educação em saúde bucal; participar da equipe multiprofissional, efetuando treinamentos e desenvolvimento de programas e projetos; prescrever medicamentos, quando necessário; emitir atestado, quando necessário; providenciar o preenchimento das fichas e relatórios informando as atividades dos serviços prestados.

Jornada de Trabalho da Função: 07:00h às 11:00h - totalizando 20 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como insalubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). Enquadramento de atividade insalubre: NR-15, Anexo 14 - Agente Biológico: atendimento / contato com pacientes - Grau Médio. No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05.

Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Cirurgião Dentista 2232-08

Page 45: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 45

Agentes Associados à Atividade

Micro-organismos (contato com pacientes) Agente Biológico

Exposição ao Agente: Habitual e Permanente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Sim Grau de Insalubridade: Médio

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato com pacientes e materiais infecto contagiantes durante o trabalho e operações de atendimento e/ou procedimentos odontológicos.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Observações: Agentes Biológicos (NR-09) - bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários,vírus, entre outros.

Sangue Agente Biológico

Exposição ao Agente: Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Sangue humano durante os tratamentos odontológicos e manuseio de utensílios contaminados com sangue.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Condições Ambientais de Trabalho - Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =54 dB(A)

Tempo de Exposição: 08:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Page 46: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 46

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente. Outros ruídos: caneta alta rotação - 68,0 dB(A) e sucção 67 dB(A) - exposição média de 50% da jornada.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção.

Respingos nos olhos Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 9.722

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Proveniente dos respingos de substância química (médico-hospitalar) e contato com material biológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Óculos de Proteção com C.A, conforme orientação da NR-06. Perfurocortantes Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Atendimentos e procedimentos odontológicos com a utilização de agulhas e outros utensílios.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: Coletor de Material Perfurocortante: utilizado para o descarte de materiais perfurantes e cortantes provenientes das ações de atenção à saúde, gerados em hospitais, laboratórios, farmácias, consultórios médicos, odontológicos e veterinários, com carga potencialmente infectante. O bocal permite o descarte dos perfurocortantes utilizando apenas uma das mãos, protegendo o contato da mão com a parede interna e com o conteúdo do coletor. A caixa coletora é dotada de tampa para fechamento do bocal com aplicação fácil e segura, dispensando o uso de materiais complementares para fixação e vedação, garantindo a integridade até o tratamento ou destinação final. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: É necessário atender à NR32 - 32.2.4.16, em que a Prefeitura deve elaborar e implementar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes, conforme as diretrizes estabelecidas no Anexo III desta Norma Regulamentadora (alterado pela Portaria GM nº 1.748, de 30 de setembro de 2011).

Lesões em membros inferiores Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Page 47: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 47

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Possibilidade de quedas de objetos perfucortantes sobre os pés do trabalhador.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: não utilizado.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Treinamento de Biossegurança Hospitalar. Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Calçado de Segurança com C.A, conforme orientação da NR-06.

Adesivo fotopolimerizável Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Devido à utilização de adesivo fotopolimerizável em restaurações, cimentação de restaurações, cimentação de facetas, adesão de núcleos de preenchimento, adesão de cimentos, reparo de restaurações, reparo intra oral de restaurações, dessensibilização de raízes, selamento, adesão de selantes e verniz de proteção.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações:

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE ADESIVO E SECAGEM COM FOTOPOLIMERIZADOR

Substância Resultado L.T. Norma Laudo Trietilenoglicol < 0,50 ppm NE 56.017/16 Terc-Butanol < 1,0 ppm 78 ppm NR-15 56.018/16

Formocresol Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Aplicações ao efetuar a mumificação da polpa dentária.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Page 48: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 48

Observações:

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE FORMOCRESOL Substância Resultado L.T. Norma Laudo Formaldeído < 0,030 ppm 1,6 ppm NR-15 56.020/16 Álcool Etílico < 5,0 ppm 780 ppm NR-15 56.021/16

Álcool Etílico Hidratado - 70% Líquido INPM (Uso Hospitalar) Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: <5 ppm

Tempo de Exposição: 00:30 h

Limite de Tolerância: =780 ppm

Fonte Geradora: Assepsia da pele do paciente e limpeza de superfícies em ambientes hospitalares.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato direto ao efetuar a assepsia das mãos; contato indireto na assepsia de superfícies e pele do paciente; pelo ar através da dispersão de gases.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações: Avaliação quantitativa sob Laudo nº 55732/16.

Radiações Ionizantes - Odontológico Agente Físico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 05

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: Sim EPI é Eficaz: Não CA EPI: Não

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico (disparo de feixe de Raios-X).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: são utilizados biombos de chumbo. Quanto ao EPI: não são utilizados Equipamentos de Proteção Individual para neutralização do agente.

Observações: Produto saneante classificado como Risco II, de acordo com a Portaria n°15, de 23 de agosto de 1988 e Resolução RDC n°14, de 09 de fevereiro de 2007. Recomendações e Medidas de Controle: Conforme regulamentações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), todo profissional que trabalha com radiodiagnóstico sempre deve usar um dosímetro, somente quando estiver na área de risco, além de submetê-lo mensalmente à leitura dos dados nele contidos, a fim de monitorar a radiação individual acumulada, fornecendo, assim, informações acerca da exposição à radiação ionizante; manter a proteção de áreas adjacentes (distância mínima de 2,00m da cabeça do paciente) em ângulo de 90° a 135°; nunca permanecer na direção do feixe útil, na monitoração do operador e pessoal auxiliar.

Substâncias Químicas Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 05

Page 49: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 49

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: - Resina: Composição - Resina do tipo BIS-GMA, Tri-Etilenoglicol-dimetacrilato (resina diluente – solvente), Canforoquinona (foto-iniciador), Amina (ativador), Pigmentos de Óxido de Ferro, Vidro de Borossilicato de Alumínio, Sílica Coloidal (SiO2). - Ionômero Fotopolimerizavel: líquido contém 2-Hidroxietil Metacrilato, Solução Aquosa de Ácidos Poliacrílico e Tartárico, Peróxido de Benzoíla e Canforoquinona. - Ionômero auto Fotopolimerizavel: Ingrediente ativos Ácido Poliacrílico (mistura de pó e líquido). - EDTA Trissódico Solução – 17% hidróxido de sódio, água purificada. - Tricresol Formalina – Formaldeído, O-cresol, álcool etílico 96º e água purificada. - Revelador e Fixador para radiografias. - Hipoclorito de Sódio 1%.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar avaliação quantitativa com a finalidade de detectar a real exposição dos funcionários aos agentes presentes no ambiente de trabalho - Hidróxido de Sódio e Hipoclorito de Sódio (Cl2).

Vício Postural - posto de trabalho no atendimento do paciente e uso de computador

Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho no atendimento dos pacientes e uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar avaliação do esforço durante o atendimento de pacientes e através da AET propor formas de prevenção. Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Acessórios Ergonômicos

Descrição Observação

Apoio para os pés APOIO PARA OS PÉS para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho.

Situação: Recomendado

Page 50: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 50

17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, poderá ser exigido suporte para os pés que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Apoio para os punhos APOIO PARA PUNHOS (teclado e tapete p/ mouse) para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

Cadeira ergonômica CADEIRA ERGONÔMICA para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto: a) Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida; b) Característica de pouca ou nenhuma conformação na base do assento; c) Borda frontal arredondada; d) Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar. A norma NBR 13962:2006 especifica as características físicas e dimensionais e classifica as cadeiras para escritório, bem como estabelece os métodos para a determinação da estabilidade, resistência e durabilidade de cadeiras de escritório, de qualquer material, excluindo-se longarina e poltronas de auditório e cinema. Os padrões adotados pela norma baseiam-se em uso de 8h ao dia, por pessoas com peso de até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada: cadeira giratória operacional. A norma define cadeira operacional, aquela com as seguintes características: · Regulagem de altura do assento. · Regulagem do apoio lombar. · Apoio com regulagem de antebraço. · Base giratória. · Base com pelo menos cinco pontos de apoio, provida ou não de rodízios. · Conformação da superfície do assento um pouco acentuada e borda frontal arredondada.

Situação: Utilizado

Suporte para monitor SUPORTE PARA MONITOR para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

EPI – Equipamento de Proteção Individual

Descrição Observação

Calçado de Segurança - Saúde CALÇADO DE SEGURANÇA (SAÚDE) com sola antiderrapante para a proteção dos pés do usuário contra agentes de natureza leve, agentes abrasivos, escoriantes, agentes térmicos (frio) e contra umidade, conforme recomendação da EN 345/1992, EM 347/1992, BS 5.145/1989 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores). NR-32 - 32.2.4.5 - O empregador deve vedar: e) o uso de calçados abertos. Indicado para utilização em hospitais, laboratórios farmacêuticos, clínicas em geral, indústrias alimentícias, restaurantes, câmaras frigoríficas, hotéis, limpeza, instalações internas e indústrias em geral.

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Luva de látex para procedimento nãocirúrgico e não estéril

LUVA DE LÁTEX PARAPROCEDIMENTO NÃO CIRÚRGICO E NÃO ESTÉRIL para a proteção em áreas médicas, odontológicas,

Page 51: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 51

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

hospitalares, laboratoriais e ambulatoriais contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR 13391:1995 ou ISO 10282:2014 (ou alteração posterior). Luvas de látex para procedimentos não estéreis estão classificadas para a proteção do profissional de saúde durante procedimentos médicos, odontológicos e de enfermagem. Usar luvas sempre que existir a possibilidades de contato com sangue,fluídos corporais, membranas mucosas,artigos sujos ou em procedimentos não invasivos, tais como: procedimentos não cirúrgicos. Importante: Uso único, individual e por procedimento; não deve ser reprocessada; não devem ser utilizadas para atividades abrasivas ou em contato com contaminantes químicos agressivos; nunca tocar uma superfície qualquer usando luvas contaminadas; após o uso, remover e descartar as luvas em recipiente para resíduo infectante; é necessário sempre lavar as mãos antes e depois de entrar em contato com pacientes e materiais contaminados. Quando usar: Utilizar durante procedimentos médicos e de enfermagem não invasivos, bem como na possibilidade de contato com sangue e fluídos corporais.

Situação: Utilizado

Respirador PFF2 – N95 RESPIRADOR PFF2 utilizado na execução das atividades a fim de proteger as vias respiratórias contra poeiras, névoas não oleosas e fumos. PFF2 N95 - Filtro para Particulados: classe PFF-2 / N95, Eficiência mínima de filtragem de 95%, BFE > 99% (Eficiência de Filtração Bacteriológica), Formato Concha e Resistente a fluídos. IMPORTANTE: Este respirador ajuda a reduzir a exposição por inalação a certos contaminantes particulados, incluindo aqueles de origem biológica (tais como: vírus, bactérias, fungos, bolores, mofo, Bacillusanthracis, Mycobacterium tuberculosis, entre outros), mas não elimina o risco de contrair infecções, enfermidades ou doença. Ainda não foram estabelecidos pelos órgãos oficiais competentes níveis máximos aceitáveis ou limites de exposição ocupacional seguros para agentes biológicos perigosos dispersos no ar. Quando utilizado no controle da exposição ocupacional a patógenos transmitidos também por contato, recomenda-se o descarte do produto imediatamente após cada uso.

Utilizado: Não EPI Eficaz: Não CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Óculos de segurança ÓCULOS DE PROTEÇÃO VISUAL ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas e em que haja a projeção de partículas, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (B - EPI para proteção dos olhos e face - B.1 Óculos): óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas e material biológico.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 9.722

Situação: Utilizado

Outros Equipamentos/Acessórios

Descrição Observação

Máscara Cirúrgica Descartável Tripla com Elástico

MÁSCARA CIRÚRGICA TRIPLA COM ELÁSTICO, composta por tripla camada com filtro.

Situação: Utilizado

Uniforme UNIFORME ao realizar atividades em área médica e odontológica.

Situação: Utilizado

Biombo Revestido em Chumbo Biombo revestido em chumbo ao realizar atividades com radiações ionizantes.

Situação: Utilizado

Page 52: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 52

Dosímetro Individual Dispositivo usado junto às partes do corpo de um indivíduo, de acordo com regras específicas, com o objetivo de avaliar a dose efetiva ou a dose equivalente acumulada em um dado período. Também chamado de monitor individual. Situação: Utilizado

3.1.1.7 - Função: Odontopediatria CBO: 223208 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Descrição da Atividade: Realizar procedimentos de saúde bucal em crianças e adolescentes encaminhadas pelas UBS que apresentam comportamento não cooperativo, conforme paciente realizando contenção física e mecânica; realizar orientações de higiene oral, remoção de cálculo dental, cirurgias para correções estéticas de gengivas, cirurgias para reposicionar gengiva em virtude de cáries extensas, fraturas. Participar da equipe multiprofissional e desenvolver programas e projetos; prescrever medicamentos e emitir atestado, quando necessário; providenciar o preenchimento das fichas e relatórios informando as atividades dos serviços prestados. Eventualmente utiliza o equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.

Jornada de Trabalho da Função: 07:00h às 11:00h - totalizando 20 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como insalubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). Enquadramento de atividade insalubre: NR-15, Anexo 14 - Agente Biológico: atendimento / contato com pacientes - Grau Médio. No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05.

Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Cirurgião Dentista 2232-08

Agentes Associados à Atividade

Micro-organismos (contato com pacientes) Agente Biológico

Exposição ao Agente: Habitual e Permanente Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Sim Grau de Insalubridade: Médio

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato com pacientes e materiais infecto contagiantes durante o trabalho e operações de atendimento e/ou procedimentos odontológicos.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Page 53: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 53

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Observações: Agentes Biológicos (NR-09) - bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, entre outros.

Sangue Agente Biológico

Exposição ao Agente: Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Sangue humano durante os tratamentos odontológicos e manuseio de utensílios contaminados com sangue.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Condições Ambientais de Trabalho - Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =54 dB(A)

Tempo de Exposição: 08:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente. Outros ruídos: caneta alta rotação - 68,0 dB(A) e sucção 67 dB(A) - exposição média de 50% da jornada.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção.

Respingos nos olhos Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 9.722

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Proveniente dos respingos de substância química (médico-hospitalar) e contato com material biológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Page 54: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 54

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Óculos de Proteção com C.A, conforme orientação da NR-06.

Perfurocortantes Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Atendimentos e procedimentos odontológicos com a utilização de agulhas e outros utensílios.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: Coletor de Material Perfurocortante: utilizado para o descarte de materiais perfurantes e cortantes provenientes das ações de atenção à saúde, gerados em hospitais, laboratórios, farmácias, consultórios médicos, odontológicos e veterinários, com carga potencialmente infectante. O bocal permite o descarte dos perfurocortantes utilizando apenas uma das mãos, protegendo o contato da mão com a parede interna e com o conteúdo do coletor. A caixa coletora é dotada de tampa para fechamento do bocal com aplicação fácil e segura, dispensando o uso de materiais complementares para fixação e vedação, garantindo a integridade até o tratamento ou destinação final. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: É necessário atender à NR32 - 32.2.4.16, em que a Prefeitura deve elaborar e implementar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes, conforme as diretrizes estabelecidas no Anexo III desta Norma Regulamentadora (alterado pela Portaria GM nº 1.748, de 30 de setembro de 2011). Lesões em membros inferiores Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Possibilidade de quedas de objetos perfucortantes sobre os pés do trabalhador.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: não utilizado.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Treinamento de Biossegurança Hospitalar. Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Calçado de Segurança com C.A, conforme orientação da NR-06.

Adesivo fotopolimerizável Agente Químico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Page 55: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 55

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Devido à utilização de adesivo fotopolimerizável em restaurações, cimentação de restaurações, cimentação de facetas, adesão de núcleos de preenchimento, adesão de cimentos, reparo de restaurações, reparo intra oral de restaurações, dessensibilização de raízes, selamento, adesão de selantes e verniz de proteção.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações: Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE ADESIVO E SECAGEM

COM FOTOPOLIMERIZADOR Substância Resultado L.T. Norma Laudo Trietilenoglicol < 0,50 ppm NE 56.017/16 Terc-Butanol < 1,0 ppm 78 ppm NR-15 56.018/16

Álcool Etílico Hidratado - 70% Líquido INPM (Uso Hospitalar) Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: <5 ppm

Tempo de Exposição: 00:30 h

Limite de Tolerância: =780 ppm

Fonte Geradora: Assepsia da pele do paciente e limpeza de superfícies em ambientes hospitalares.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato direto ao efetuar a assepsia das mãos; contato indireto na assepsia de superfícies e pele do paciente; pelo ar através da dispersão de gases.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações: Avaliação quantitativa sob Laudo nº 55732/16.

Radiações Ionizantes - Odontológico Agente Físico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: Sim EPI é Eficaz: Não CA EPI: Não

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico (disparo de feixe de Raios-X).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: são utilizados biombos de chumbo. Quanto ao EPI: não são utilizados Equipamentos de Proteção Individual para neutralização do agente.

Page 56: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 56

Observações: Produto saneante classificado como Risco II, de acordo com a Portaria n°15, de 23 de agosto de 1988 e Resolução RDC n°14, de 09 de fevereiro de 2007. Recomendações e Medidas de Controle: Conforme regulamentações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), todo profissional que trabalha com radiodiagnóstico sempre deve usar um dosímetro, somente quando estiver na área de risco, além de submetê-lo mensalmente à leitura dos dados nele contidos, a fim de monitorar a radiação individual acumulada, fornecendo, assim, informações acerca da exposição à radiação ionizante; manter a proteção de áreas adjacentes (distância mínima de 2,00m da cabeça do paciente) em ângulo de 90° a 135°; nunca permanecer na direção do feixe útil, na monitoração do operador e pessoal auxiliar.

Mercúrio Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Preparo e aplicação de amálgama na execução de restaurações.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato e ar.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar avaliação quantitativa com a finalidade de detectar a real exposição dos funcionários aos agentes presentes no ambiente de trabalho – mercúrio.

Substâncias Químicas Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: - Resina: Composição - Resina do tipo BIS-GMA, Tri-Etilenoglicol-dimetacrilato (resina diluente – solvente), Canforoquinona (foto-iniciador), Amina (ativador), Pigmentos de Óxido de Ferro, Vidro de Borossilicato de Alumínio, Sílica Coloidal (SiO2). - Ionômero Fotopolimerizavel: líquido contém 2-Hidroxietil Metacrilato, Solução Aquosa de Ácidos Poliacrílico e Tartárico, Peróxido de Benzoíla e Canforoquinona. - Ionômero auto Fotopolimerizavel: Ingrediente ativos Ácido Poliacrílico (mistura de pó e líquido). - EDTA Trissódico Solução – 17% hidróxido de sódio, água purificada. - Tricresol Formalina – Formaldeído, O-cresol, álcool etílico 96º e água purificada. - Revelador e Fixador para radiografias. - Hipoclorito de Sódio 1%.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar avaliação quantitativa com a finalidade de detectar a real exposição dos funcionários aos agentes

Page 57: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 57

presentes no ambiente de trabalho - Hidróxido de Sódio e Hipoclorito de Sódio (Cl2).

Vício Postural - posto de trabalho no atendimento do paciente e uso de computador

Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 03

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho no atendimento dos pacientes e uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar avaliação do esforço durante o atendimento de pacientes e através da AET propor formas de prevenção. Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Acessórios Ergonômicos

Descrição Observação

Apoio para os pés APOIO PARA OS PÉS para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, poderá ser exigido suporte para os pés que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Situação: Recomendado

Apoio para os punhos APOIO PARA PUNHOS (teclado e tapete p/ mouse) para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

Cadeira ergonômica CADEIRA ERGONÔMICA para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto: a) Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida; b) Característica de pouca ou nenhuma conformação na base do assento; c) Borda frontal arredondada; d) Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar. A norma NBR 13962:2006 especifica as características físicas e dimensionais e classifica as cadeiras para escritório, bem como estabelece os métodos para a determinação da estabilidade, resistência e durabilidade de cadeiras de escritório, de qualquer material, excluindo-se longarina e poltronas de auditório e cinema.

Situação: Utilizado

Page 58: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 58

Os padrões adotados pela norma baseiam-se em uso de 8h ao dia, por pessoas com peso de até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada: cadeira giratória operacional. A norma define cadeira operacional, aquela com as seguintes características: · Regulagem de altura do assento. · Regulagem do apoio lombar. · Apoio com regulagem de antebraço. · Base giratória. · Base com pelo menos cinco pontos de apoio, provida ou não de rodízios. · Conformação da superfície do assento um pouco acentuada e borda frontal arredondada.

Suporte para monitor SUPORTE PARA MONITOR para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

EPI – Equipamento de Proteção Individual

Descrição Observação

Calçado de Segurança - Saúde CALÇADO DE SEGURANÇA (SAÚDE) com sola antiderrapante para a proteção dos pés do usuário contra agentes de natureza leve, agentes abrasivos, escoriantes, agentes térmicos (frio) e contra umidade, conforme recomendação da EN 345/1992, EM 347/1992, BS5.145/1989 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores). NR-32 - 32.2.4.5 - O empregador deve vedar: e) o uso de calçados abertos. Indicado para utilização em hospitais, laboratórios farmacêuticos, clínicas em geral, indústrias alimentícias, restaurantes, câmaras frigoríficas, hotéis, limpeza, instalações internas e indústrias em geral.

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Luva de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril

LUVA DE LÁTEX PARAPROCEDIMENTO NÃO CIRÚRGICO E NÃO ESTÉRIL para a proteção em áreas médicas, odontológicas, hospitalares, laboratoriais e ambulatoriais contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR 13391:1995 ou ISO 10282:2014 (ou alteração posterior). Luvas de látex para procedimentos não estéreis estão classificadas para a proteção do profissional de saúde durante procedimentos médicos, odontológicos e de enfermagem. Usar luvas sempre que existir a possibilidades de contato com sangue, fluídos corporais, membranas mucosas, artigos sujos ou em procedimentos não invasivos, tais como: procedimentos não cirúrgicos. Importante: Uso único, individual e por procedimento; não deve ser reprocessada; não devem ser utilizadas para atividades abrasivas ou em contato com contaminantes químicos agressivos; nunca tocar uma superfície qualquer usando luvas contaminadas; após o uso, remover e descartar as luvas em recipiente para resíduo infectante; é necessário sempre lavar as mãos antes e depois de entrar em contato com pacientes e materiais contaminados. Quando usar: Utilizar durante procedimentos médicos e de enfermagem não invasivos, bem como na possibilidade de contato com sangue e fluídos corporais.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Situação: Utilizado

Respirador PFF2 – N95 RESPIRADOR PFF2 utilizado na execução das atividades a fim de proteger as vias respiratórias contra poeiras, névoas não oleosas e fumos. PFF2 N95 - Filtro para Particulados: classe PFF-2 / N95, Eficiência mínima de filtragem de 95%, BFE > 99% (Eficiência de Filtração Bacteriológica), Formato Concha e Resistente a fluídos.

Utilizado: Não EPI Eficaz: Não CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Page 59: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 59

IMPORTANTE: Este respirador ajuda a reduzir a exposição por inalação a certos contaminantes particulados, incluindo aqueles de origem biológica (tais como: vírus, bactérias, fungos, bolores, mofo, Bacillusanthracis, Mycobacterium tuberculosis, entre outros), mas não elimina o risco de contrair infecções, enfermidades ou doença. Ainda não foram estabelecidos pelos órgãos oficiais competentes níveis máximos aceitáveis ou limites de exposição ocupacional seguros para agentes biológicos perigosos dispersos no ar. Quando utilizado no controle da exposição ocupacional a patógenos transmitidos também por contato, recomenda-se o descarte do produto imediatamente após cada uso.

Óculos de segurança ÓCULOS DE PROTEÇÃO VISUAL ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas e em que haja a projeção de partículas, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (B - EPI para proteção dos olhos e face - B.1 Óculos): óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas e material biológico.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 9.722

Situação: Utilizado

Outros Equipamentos/Acessórios

Descrição Observação

Máscara Cirúrgica Descartável Tripla com Elástico

MÁSCARA CIRÚRGICA TRIPLA COM ELÁSTICO, composta por tripla camada com filtro.

Situação: Utilizado

Uniforme UNIFORME ao realizar atividades em área médica e odontológica.

Situação: Utilizado

Biombo Revestido em Chumbo Biombo revestido em chumbo ao realizar atividades com radiações ionizantes.

Situação: Utilizado

Dosímetro Individual Dispositivo usado junto às partes do corpo de um indivíduo, de acordo com regras específicas, com o objetivo de avaliar a dose efetiva ou a dose equivalente acumulada em um dado período. Também chamado de monitor individual. Situação: Utilizado

3.1.2 - Setor: Coordenação do Centro de Especialidades Odontológicas

Descrição Física do Ambiente: Paredes em alvenaria, piso em granilha, construção com pé direito de aproximadamente 3,0 m, aberturas em madeira, portas internas em fibras de madeira, ventilação natural, iluminação artificial por sistema de luminárias fluorescentes. Observação da Seção: Local dotado de: * Bebedouro com água potável e copos descartáveis disponíveis, localizados em área comum. * Banheiros localizados em área de uso comum, separados por sexo, dotados de papel toalha, dispenser de sabonete líquido e lixeira com tampa. * Lavatório dotado de papel toalha, dispenser de sabonete líquido e lixeira. * Não foram localizados extintores de incêndio e sinalização adequada.

Page 60: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 60

3.1.2.1 - Função: Coordenação da Unidade CBO: 223208 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Descrição da Atividade: Coordenar as atividades e equipes de trabalho do Centro de Especialidades Odontológicas; promover e solicitar recursos e materiais; emitir solicitação de compras, relatórios e indicadores de produtividade; desenvolver atividades administrativas em geral. Analisar e controlar administrativamente as ações, procedimentos, protocolos e serviços; participar de reuniões; desenvolver rotinas de gestão, elaborar e acompanhar projetos de saúde.

Jornada de Trabalho da Função: 08:00h às 12:00h - totalizando 20 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como salubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05. Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Cirurgião Dentista 2232-08

Agentes Associados à Atividade

Condições Ambientais de Trabalho – Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 23/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =56 dB(A)

Tempo de Exposição: 04:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção.

Vício Postural - posto de trabalho com uso de computador Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 23/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora:

Page 61: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 61

Posto de trabalho com uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Acessórios Ergonômicos

Descrição Observação

Apoio para os pés APOIO PARA OS PÉS para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, poderá ser exigido suporte para os pés que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Situação: Recomendado

Apoio para os punhos APOIO PARA PUNHOS (teclado e tapete p/ mouse) para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

Cadeira ergonômica CADEIRA ERGONÔMICA para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto: a) Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida; b) Característica de pouca ou nenhuma conformação na base do assento; c) Borda frontal arredondada; d) Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar. A norma NBR 13962:2006 especifica as características físicas e dimensionais e classifica as cadeiras para escritório, bem como estabelece os métodos para a determinação da estabilidade, resistência e durabilidade de cadeiras de escritório, de qualquer material, excluindo-se longarina e poltronas de auditório e cinema. Os padrões adotados pela norma baseiam-se em uso de 8h ao dia, por pessoas com peso de até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada: cadeira giratória operacional. A norma define cadeira operacional, aquela com as seguintes características: · Regulagem de altura do assento. · Regulagem do apoio lombar. · Apoio com regulagem de antebraço. · Base giratória. · Base com pelo menos cinco pontos de apoio, provida ou não de rodízios. · Conformação da superfície do assento um pouco acentuada e borda frontal arredondada.

Situação: Utilizado

Suporte para monitor SUPORTE PARA MONITOR para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: Situação: Recomendado

Page 62: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 62

17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

3.1.2.2 - Função: Administrativo CBO: 322405 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Descrição da Atividade: Auxiliar na coordenação com o preenchimento de relatórios, solicitações de manutenção, pedidos de material, controle de estoque, acompanhamento de solicitações, realizar agendamentos, lançamentos de atendimentos para a regulação, eventualmente auxiliar em atendimentos e na recepção.

Jornada de Trabalho da Função: 08:00h às 12:00h / 13:00h às 17:00h - totalizando 40 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como salubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05.

Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Atendente de consultório dentário 3224-05

Agentes Associados à Atividade

Condições Ambientais de Trabalho – Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 23/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =56 dB(A)

Tempo de Exposição: 04:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção.

Vício Postural - posto de trabalho com uso de computador Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Page 63: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 63

Fonte Geradora: Posto de trabalho com uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Micro-organismos (contato com pacientes) Agente Biológico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato com pacientes e materiais infecto contagiantes durante o trabalho e operações de atendimento e/ou procedimentos odontológicos.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvaspara procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Observações: Agentes Biológicos (NR-09) - bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários,vírus, entre outros.

Sangue Agente Biológico

Exposição ao Agente: intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Sangue humano durante os tratamentos odontológicos e manuseio de utensílios contaminados com sangue.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante a atividade. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Page 64: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 64

Respingos nos olhos Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 9.722

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Proveniente dos respingos de substância química (médico-hospitalar) e contato com material biológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Óculos de Proteção com C.A, conforme orientação da NR-06.

Perfurocortantes Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Atendimentos e procedimentos odontológicos com a utilização de agulhas e outros utensílios.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: Coletor de Material Perfurocortante: utilizado para o descarte de materiais perfurantes e cortantes provenientes das ações de atenção à saúde, gerados em hospitais, laboratórios, farmácias, consultórios médicos, odontológicos e veterinários, com carga potencialmente infectante. O bocal permite o descarte dos perfurocortantes utilizando apenas uma das mãos, protegendo o contato da mão com a parede interna e com o conteúdo do coletor. A caixa coletora é dotada de tampa para fechamento do bocal com aplicação fácil e segura, dispensando o uso de materiais complementares para fixação e vedação, garantindo a integridade até o tratamento ou destinação final. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Recomendações e Medidas de Controle: É necessário atender à NR32 - 32.2.4.16, em que a Prefeitura deve elaborar e implementar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes, conforme as diretrizes estabelecidas no Anexo III desta Norma Regulamentadora (alterado pela Portaria GM nº 1.748, de 30 de setembro de 2011).

Lesões em membros inferiores Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Possibilidade de quedas de objetos perfucortantes sobre os pés do trabalhador.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Page 65: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 65

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: não utilizado.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Treinamento de Biossegurança Hospitalar. Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Calçado de Segurança com C.A, conforme orientação da NR-06.

Adesivo fotopolimerizável Agente Químico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Devido à utilização de adesivo fotopolimerizável em restaurações, cimentação de restaurações, cimentação de facetas, adesão de núcleos de preenchimento, adesão de cimentos, reparo de restaurações, reparo intra oral de restaurações, dessensibilização de raízes, selamento, adesão de selantes e verniz de proteção.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações:

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE ADESIVO E SECAGEM COM FOTOPOLIMERIZADOR

Substância Resultado L.T. Norma Laudo Trietilenoglicol < 0,50 ppm NE 56.017/16 Terc-Butanol < 1,0 ppm 78 ppm NR-15 56.018/16

Formocresol Agente Químico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Aplicações ao efetuar a mumificação da polpa dentária.

Trajetória e Meios de Propagação: Ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações:

Relatório de Análise Atividade: APLICAÇÃO DE FORMOCRESOL Substância Resultado L.T. Norma Laudo Formaldeído < 0,030 ppm 1,6 ppm NR-15 56.020/16 Álcool Etílico < 5,0 ppm 780 ppm NR-15 56.021/16

Page 66: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 66

Álcool Etílico Hidratado - 70% Líquido INPM (Uso Hospitalar) Agente Químico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: <5 ppm

Tempo de Exposição: 00:30 h

Limite de Tolerância: =780 ppm

Fonte Geradora: Assepsia da pele do paciente e limpeza de superfícies em ambientes hospitalares.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato direto ao efetuar a assepsia das mãos; contato indireto na assepsia de superfícies e pele do paciente; pelo ar através da dispersão de gases.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações: Avaliação quantitativa sob Laudo nº 55732/16.

Desinfectante Hospitalar – Glucoprotamina Agente Químico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Aplicação de desinfectante com composição química: cloreto de alquil-dimetil-benzil amônio, surfactante não iônico, glucoprotamina, solvente, agente complexante, agente anticorrosivo e água.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato e dispersão de gases: aplicação direta em superfícies (diluição).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados Luvas de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril.

Observações: Produto saneante classificado como Risco II, de acordo com a Portaria n°15, de 23 de agosto de 1988 e Resolução RDC n°14, de 09 de fevereiro de 2007. Recomendações e Medidas de Controle: Quanto ao manuseio e armazenamento, adotar as medidas discriminadas na FISPQ - Medidas técnicas apropriadas: ao manusear o produto, usar Equipamento de Proteção Individual (jaleco de tecido, luvas, máscara e óculos de proteção). - Precauções para manuseio seguro: sempre utilizar EPI, conforme descrito acima, ao manipular o produto. - Armazenamento: manter o produto em embalagem original, em lugar fresco e ao abrigo da luz solar direta. - Produtos e materiais incompatíveis: aldeídos. - Materiais seguros para embalagens: armazenar somente em embalagem original fechada.

Radiações Ionizantes - Odontológico Agente Físico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: Sim EPI é Eficaz: Não CA EPI: Não

Insalubre NR15: Não Grau de Periculosidade: Não Data da Avaliação: Tipo da Avaliação:

Page 67: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 67

Insalubridade: NA 19/07/2018 Qualitativa

Fonte Geradora: Equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico (disparo de feixe de Raios-X).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: são utilizados biombos de chumbo. Quanto ao EPI: não são utilizados Equipamentos de Proteção Individual para neutralização do agente.

Observações: Produto saneante classificado como Risco II, de acordo com a Portaria n°15, de 23 de agosto de 1988 e Resolução RDC n°14, de 09 de fevereiro de 2007. Recomendações e Medidas de Controle: Conforme regulamentações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), todo profissional que trabalha com radiodiagnóstico sempre deve usar um dosímetro, somente quando estiver na área de risco, além de submetê-lo mensalmente à leitura dos dados nele contidos, a fim de monitorar a radiação individual acumulada, fornecendo, assim, informações acerca da exposição à radiação ionizante; manter a proteção de áreas adjacentes (distância mínima de 2,00m da cabeça do paciente) em ângulo de 90° a 135°; nunca permanecer na direção do feixe útil, na monitoração do operador e pessoal auxiliar.

Mercúrio Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695; 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Preparo e acondicionamento de sobras de amálgama utilizada nas restaurações.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato e ar.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: são utilizados luvas para procedimento não cirúrgico e não estéril e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar avaliação quantitativa com a finalidade de detectar a real exposição dos funcionários aos agentes presentes no ambiente de trabalho – mercúrio. Substâncias Químicas Agente Químico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 081

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Page 68: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 68

Fonte Geradora: - Resina: Composição - Resina do tipo BIS-GMA, Tri-Etilenoglicol-dimetacrilato (resina diluente – solvente), Canforoquinona (foto-iniciador), Amina (ativador), Pigmentos de Óxido de Ferro, Vidro de Borossilicato de Alumínio, Sílica Coloidal (SiO2). - Ionômero Fotopolimerizavel: líquido contém 2-Hidroxietil Metacrilato, Solução Aquosa de Ácidos Poliacrílico e Tartárico, Peróxido de Benzoíla e Canforoquinona. - Ionômero auto Fotopolimerizavel: Ingrediente ativos Ácido Poliacrílico (mistura de pó e líquido). - EDTA Trissódico Solução – 17% hidróxido de sódio, água purificada. - Tricresol Formalina – Formaldeído, O-cresol, álcool etílico 96º e água purificada. - Revelador e Fixador para radiografias. - Hipoclorito de Sódio 1%.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção. Detergente Enzimático Agente Químico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Aplicação de detergente enzimático na lavagem de materiais, antecedendo o processo de esterilização - composto de Água Deionizada, Álcool Isopropílico, Propilenoglicol, Emulsão de Polidimetilsiloxano, Enzima Lipolítica, Enzimas Amilolíticas, Enzimas Proteolíticas, Derivado de Isotiazolinona, Nonilfenol 9,5 EO, Nonilfenol 7 EO, Formiato de Sódio, Cloreto de Cálcio, Amida de Trietanolamina..

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção.

Produtos de Limpeza Agente Químico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Uso de detergente alcalino, saponáceo em pó e água sanitária.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luva e óculos de proteção.

Page 69: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 69

Vício postural auxiliando no atendimento do paciente Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho com atendimento dos pacientes, vícios posturais e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar avaliação do esforço durante o atendimento de pacientes e através da AET propor formas de prevenção. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

EPI – Equipamento de Proteção Individual

Descrição Observação

Calçado de Segurança - Saúde CALÇADO DE SEGURANÇA (SAÚDE) com sola antiderrapante para a proteção dos pés do usuário contra agentes de natureza leve, agentes abrasivos, escoriantes, agentes térmicos (frio) e contra umidade, conforme recomendação da EN 345/1992, EM 347/1992, BS5.145/1989 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores). NR-32 - 32.2.4.5 - O empregador deve vedar: e) o uso de calçados abertos. Indicado para utilização em hospitais, laboratórios farmacêuticos, clínicas em geral, indústrias alimentícias, restaurantes, câmaras frigoríficas, hotéis, limpeza, instalações internas e indústrias em geral.

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Luva de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril

LUVA DE LÁTEX PARAPROCEDIMENTO NÃO CIRÚRGICO E NÃO ESTÉRIL para a proteção em áreas médicas, odontológicas, hospitalares, laboratoriais e ambulatoriais contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR 13391:1995 ou ISO 10282:2014 (ou alteração posterior). Luvas de látex para procedimentos não estéreis estão classificadas para a proteção do profissional de saúde durante procedimentos médicos, odontológicos e de enfermagem. Usar luvas sempre que existir a possibilidades de contato com sangue, fluídos corporais, membranas mucosas, artigos sujos ou em procedimentos não invasivos, tais como: procedimentos não cirúrgicos. Importante: Uso único, individual e por procedimento; não deve ser reprocessada; não devem ser utilizadas para atividades abrasivas ou em contato com contaminantes químicos agressivos; nunca tocar uma superfície qualquer usando luvas contaminadas; após o uso, remover e descartar as luvas em recipiente para resíduo infectante; é necessário sempre lavar as mãos antes e depois de entrar em contato com pacientes e materiais contaminados. Quando usar: Utilizar durante procedimentos médicos e de enfermagem não invasivos, bem como na possibilidade de contato com sangue e fluídos corporais.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Situação: Utilizado

Respirador PFF2 – N95 RESPIRADOR PFF2 utilizado na execução das atividades a fim de proteger as vias respiratórias contra poeiras, névoas não oleosas e fumos. PFF2 N95 - Filtro para Particulados: classe PFF-2 / N95, Eficiência mínima de filtragem de 95%, BFE > 99% (Eficiência de Filtração

Utilizado: Não EPI Eficaz: Não CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Page 70: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 70

Bacteriológica), Formato Concha e Resistente a fluídos. IMPORTANTE: Este respirador ajuda a reduzir a exposição por inalação a certos contaminantes particulados, incluindo aqueles de origem biológica (tais como: vírus, bactérias, fungos, bolores, mofo, Bacillusanthracis, Mycobacterium tuberculosis, entre outros), mas não elimina o risco de contrair infecções, enfermidades ou doença. Ainda não foram estabelecidos pelos órgãos oficiais competentes níveis máximos aceitáveis ou limites de exposição ocupacional seguros para agentes biológicos perigosos dispersos no ar. Quando utilizado no controle da exposição ocupacional a patógenos transmitidos também por contato, recomenda-se o descarte do produto imediatamente após cada uso.

Óculos de segurança ÓCULOS DE PROTEÇÃO VISUAL ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas e em que haja a projeção de partículas, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (B - EPI para proteção dos olhos e face - B.1 Óculos): óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas e material biológico.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 9.722

Situação: Utilizado

Outros Equipamentos/Acessórios

Descrição Observação

Máscara Cirúrgica Descartável Tripla com Elástico

MÁSCARA CIRÚRGICA TRIPLA COM ELÁSTICO, composta por tripla camada com filtro.

Situação: Utilizado

Touca descartável de uso hospitalar TOUCA DESCARTÁVEL DE USO HOSPITALAR, indicada para evitar a queda de cabelos em ambientes em que há a necessidade de alta limpeza, devendo ser utilizada em diversas áreas de saúde (cuidados à saúde humana).

Situação: Utilizado

Uniforme UNIFORME ao realizar atividades em área médica.

Situação: Utilizado

3.1.2.3 - Função: Apoio da Coordenação de Odontologia da SMS CBO: 223208 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Descrição da Atividade: Executar atividades administrativas na gestão da Odontologia na Secretaria de Saúde, elaborar planilhas de controle da vigilância e saúde do município, eventualmente faz atendimento clínico odontológico.

Jornada de Trabalho da Função: 08:00h às 12:00h / 13:00h às 17:00h - totalizando 40 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como salubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99).

Page 71: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 71

No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05.

Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Cirurgião Dentista 2232-08

Agentes Associados à Atividade

Condições Ambientais de Trabalho – Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 02

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 23/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =56 dB(A)

Tempo de Exposição: 04:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção. Vício Postural - posto de trabalho com uso de computador Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 23/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho com uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Acessórios Ergonômicos

Descrição Observação

Apoio para os pés APOIO PARA OS PÉS para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho.

Situação: Recomendado

Page 72: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 72

17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, poderá ser exigido suporte para os pés que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Apoio para os punhos APOIO PARA PUNHOS (teclado e tapete p/ mouse) para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

Cadeira ergonômica CADEIRA ERGONÔMICA para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto: a) Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida; b) Característica de pouca ou nenhuma conformação na base do assento; c) Borda frontal arredondada; d) Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar. A norma NBR 13962:2006 especifica as características físicas e dimensionais e classifica as cadeiras para escritório, bem como estabelece os métodos para a determinação da estabilidade, resistência e durabilidade de cadeiras de escritório, de qualquer material, excluindo-se longarina e poltronas de auditório e cinema. Os padrões adotados pela norma baseiam-se em uso de 8h ao dia, por pessoas com peso de até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada: cadeira giratória operacional. A norma define cadeira operacional, aquela com as seguintes características: · Regulagem de altura do assento. · Regulagem do apoio lombar. · Apoio com regulagem de antebraço. · Base giratória. · Base com pelo menos cinco pontos de apoio, provida ou não de rodízios. · Conformação da superfície do assento um pouco acentuada e borda frontal arredondada.

Situação: Utilizado

Suporte para monitor SUPORTE PARA MONITOR para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

3.1.3 - Setor: Recepção

Descrição Física do Ambiente: Paredes em alvenaria e piso em granilha, construção com pé direito de aproximadamente 3,0 m, aberturas em madeira, portas internas em madeira, ventilação natural, iluminação natural complementada com sistema de luminárias fluorescentes.

3.1.3.1 - Função: Atendimento ao Público CBO: 411010 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Page 73: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 73

Descrição da Atividade: Executar trâmites administrativos no agendamento e recepção aos pacientes do Centro de Especialidades Odontológicas; organizar a agenda de dentistas; efetuar o atendimento telefônico; confirmar e marcar consultas; realizar o arquivamento de documentos e prontuários de pacientes.

Jornada de Trabalho da Função: 08:00h às 12:00h / 13:00h às 17:00h - totalizando 40 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como salubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05. Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Agente Administrativo 4110-10

Agentes Associados à Atividade

Micro-organismos (contato com pacientes) Agente Biológico

Exposição ao Agente: Eventual Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: NA

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 23/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato com pacientes durante atendimento ao público.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: não utiliza equipamento de proteção individual.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Medidas administrativas ou de Organização do trabalho: Uma medida eficiente para prevenção a exposição deste agente é a ação preventiva, com atenção aos seguintes aspectos: vacinação, esterilização de equipamentos e materiais, higiene pessoal, controle médico e uso de equipamentos de proteção individual, como forma de minimização do risco (agente biológico).

Condições Ambientais de Trabalho - Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 23/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Page 74: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 74

Intensidade da Concentração: =56 dB(A)

Tempo de Exposição: 08:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção.

Vício Postural - posto de trabalho com uso de computador Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Permanente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 23/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho com uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Acessórios Ergonômicos

Descrição Observação

Apoio para os pés APOIO PARA OS PÉS para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, poderá ser exigido suporte para os pés que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Situação: Recomendado

Apoio para os punhos APOIO PARA PUNHOS (teclado e tapete p/ mouse) para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

Cadeira ergonômica CADEIRA ERGONÔMICA para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto: a) Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida; b) Característica de pouca ou nenhuma conformação na base do assento; c) Borda frontal arredondada; d) Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar.

Situação: Utilizado

Page 75: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 75

A norma NBR 13962:2006 especifica as características físicas e dimensionais e classifica as cadeiras para escritório, bem como estabelece os métodos para a determinação da estabilidade, resistência e durabilidade de cadeiras de escritório, de qualquer material, excluindo-se longarina e poltronas de auditório e cinema. Os padrões adotados pela norma baseiam-se em uso de 8h ao dia, por pessoas com peso de até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada: cadeira giratória operacional. A norma define cadeira operacional, aquela com as seguintes características: · Regulagem de altura do assento. · Regulagem do apoio lombar. · Apoio com regulagem de antebraço. · Base giratória. · Base com pelo menos cinco pontos de apoio, provida ou não de rodízios. · Conformação da superfície do assento um pouco acentuada e borda frontal arredondada.

Suporte para monitor SUPORTE PARA MONITOR para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

3.1.4 - Setor: Diagnóstico por imagem

Descrição Física do Ambiente: Paredes em alvenaria e piso em granilha, construção com pé direito de aproximadamente 3,0 m, aberturas em alumínio, portas internas em madeira, ventilação natural, iluminação natural complementada com sistema de luminárias fluorescentes. OBS: A sala de Raios X Odontológico juntamente com os consultórios odontológicos devem atender todas as prerrogativas de que trata a legislação em vigilância sanitária contida na Resolução RDC Nº 50, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2002 - ANVISA. Itens fundamentais da Portaria Federal SVS - Nº 453, DE 1 DE JUNHO DE 1998: - A sala para a instalação do equipamento de radiografia intra-oral deve apresentar a dimensão suficiente para permitir que o operador mantenha-se a uma distância do cabeçote de raios-x de, pelo menos, 2 metros; - Não há necessidade de utilizar Barita ou Chumbo para a proteção das paredes e das portas do consultório quando forem utilizados somente os aparelhos radiográficos intra-orais; - Se a carga de trabalho for intensa com o aparelho de raios-x é importante a confecção de uma barreira protetora com equivalência de, pelo menos, 0.5 mm de chumbo para o operador manter-se atrás no momento do disparo dos raios-x; - Prover vestimentas de proteção individual para a proteção dos pacientes e de eventuais acompanhantes de no mínimo 0,25 mm de chumbo; - A presença de acompanhantes durante os procedimentos radiológicos somente é permitida quando sua participação for imprescindível; - O aparelho de raios-x deve apresentar certificação de blindagem do cabeçote quanto à radiação de fuga; - A tensão do tubo de raios-x deve ser preferencialmente maior que 60 kVp; - O sistema de controle da duração da exposição deve ser do tipo eletrônico e não deve permitir exposição superior a 5 segundos; - O cabo do botão disparador deve permitir que o operador fique a uma distância de pelo menos 2 metros do aparelho de raios-x; - É proibido o uso de sistemas de acionamento de disparos com retardo. Este tipo de acionamento era muito comum em aparelhos antigos e devem ser substituídos o mais rápido possível.

3.1.4.1 - Função: Atendimento CBO: 223208 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Leve

Page 76: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 76

Descrição da Atividade: Atender pacientes enviados pelas Unidades Básicas de Saúde; realizar tomadas radiográficas com equipamento móvel de Raios X; revelar películas; enviar radiografias para os profissionais das unidades básicas de saúde. Participar da equipe multiprofissional e desenvolver programas e projetos; providenciar o preenchimento das fichas e relatórios informando as atividades dos serviços prestados.

Jornada de Trabalho da Função: 08:00h às 12:00h / 13:00h às 17:00h - totalizando 40 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como insalubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). Enquadramento de atividade insalubre: NR-15, Anexo 14 - Agente Biológico: atendimento / contato com pacientes - Grau Médio. No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05. Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Cirurgião Dentista 2232-08

Agentes Associados à Atividade

Micro-organismos (contato com pacientes) Agente Biológico

Exposição ao Agente: Permanente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.314

Insalubre NR15: Sim Grau de Insalubridade: Médio

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato com pacientes e materiais infecto-contagiantes durante o trabalho e operações de atendimento e/ou procedimentos odontológicos.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: inviabilidade de aplicação mediante à atividade. Quanto ao EPI: uso de luva cirúrgica e óculos de proteção.

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Observações: Agentes Biológicos (NR-09) - bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários,vírus, entre outros.

Condições Ambientais de Trabalho - Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Page 77: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 77

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 23/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =56 dB(A)

Tempo de Exposição: 04:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente. Outros ruídos: caneta alta rotação - 68,0 dB(A) e sucção 67 dB(A) - exposição média de 50% da jornada.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho.

Radiações Ionizantes - Odontológico Agente Físico

Exposição ao Agente:Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: Sim EPI é Eficaz: Não CA EPI: Não

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Equipamento móvel de Raios X para diagnóstico odontológico.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico (disparo de feixe de Raios X).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: são utilizados biombos de chumbo. Quanto ao EPI: não são utilizados Equipamentos de Proteção Individual para neutralização do agente.

Observações: Diretrizes Básicas de Proteção Radiologia em Radiodiangnóstico Odontológico, Portaria Secretaria de Vigilância Sanitária/MS nº 453, de 1º de junho de 1.998. Recomendações e Medidas de Controle: 3.47 Monitoração individual b) Todo indivíduo que trabalha com raios x diagnósticos deve usar durante sua jornada de trabalho e enquanto permanecer em área controlada, dosímetro individual de leitura indireta, trocado mensalmente. 5.2 O equipamento de radiografia intra-oral deve ser instalado em ambiente (consultório ou sala) com dimensões suficientes para permitir à equipe manter-se à distância de, pelo menos, 2 metros do cabeçote e do paciente. 5.7 Em adição às características gerais aplicáveis, todo equipamento de raios-x para uso odontológico deve atender aos seguintes requisitos: g) O botão disparador deve ser instalado em uma cabine de proteção ou disposto de tal forma que o operador que o maneje possa ficar a uma distância de, pelo menos, 2 metros do tubo e do paciente durante a exposição. 5.9 Proteção do operador e equipe b) Em exames intra-orais em consultórios, o operador deve manter-se a uma distância de,pelo menos, 2 metros do tubo e do paciente durante as exposições. Se a carga de trabalho for superior a 30 mAmin por semana, o operador deve manter-se atrás de uma barreira protetora com uma espessura de, pelo menos, 0,5 mm equivalentes ao chumbo.

Substâncias Químicas (Revelador e Fixador) Agente Químico

Exposição ao Agente: Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 30.695 e 9.722

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Revelação de películas.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato

Page 78: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 78

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: uso de luvas e óculos de proteção.

Vício Postural - posto de trabalho no atendimento do paciente e uso de computador

Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Habitual e Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Posto de trabalho no atendimento dos pacientes e uso de computador, vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Efetuar avaliação do esforço durante o atendimento de pacientes e através da AET propor formas de prevenção. Efetuar a correção visual em frente ao computador; corrigir o posicionamento do monitor (altura x distância do utilizador); adotar o posicionamento postural correto com a utilização de cadeira ergonômica (assento estofado, encosto estofado regulável e apoio regulável para antebraço); apoio independente para os pés; não permitir posicionamento do monitor fora do alinhamento corporal (em diagonal) que permita a rotação do corpo ou pescoço na visualização da tela. Recomenda-se realizar o estudo e a elaboração de Análise Ergonômica do Trabalho.

Acessórios Ergonômicos

Descrição Observação

Apoio para os pés APOIO PARA OS PÉS para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, poderá ser exigido suporte para os pés que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Situação: Recomendado

Apoio para os punhos APOIO PARA PUNHOS (teclado e tapete p/ mouse) para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

Cadeira ergonômica CADEIRA ERGONÔMICA para realizar atividades em que os trabalhos sejam realizados na posição sentada, conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição. 17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto: a) Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida; b) Característica de pouca ou nenhuma conformação na base do assento; c) Borda frontal arredondada; d) Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar.

Situação: Utilizado

Page 79: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 79

A norma NBR 13962:2006 especifica as características físicas e dimensionais e classifica as cadeiras para escritório, bem como estabelece os métodos para a determinação da estabilidade, resistência e durabilidade de cadeiras de escritório, de qualquer material, excluindo-se longarina e poltronas de auditório e cinema. Os padrões adotados pela norma baseiam-se em uso de 8h ao dia, por pessoas com peso de até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada: cadeira giratória operacional. A norma define cadeira operacional, aquela com as seguintes características: · Regulagem de altura do assento. · Regulagem do apoio lombar. · Apoio com regulagem de antebraço. · Base giratória. · Base com pelo menos cinco pontos de apoio, provida ou não de rodízios. · Conformação da superfície do assento um pouco acentuada e borda frontal arredondada.

Suporte para monitor SUPORTE PARA MONITOR para realizar digitações e adequar os postos de trabalho conforme especificações da NR-17 em seus itens: 17.3. Mobiliário dos postos de trabalho. 17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para essa posição.

Situação: Recomendado

EPI – Equipamento de Proteção Individual

Descrição Observação

Calçado de Segurança - Saúde CALÇADO DE SEGURANÇA (SAÚDE) com sola antiderrapante para a proteção dos pés do usuário contra agentes de natureza leve, agentes abrasivos, escoriantes, agentes térmicos (frio) e contra umidade, conforme recomendação da EN 345/1992, EM 347/1992, BS5.145/1989 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores). NR-32 - 32.2.4.5 - O empregador deve vedar: e) o uso de calçados abertos. Indicado para utilização em hospitais, laboratórios farmacêuticos, clínicas em geral, indústrias alimentícias, restaurantes, câmaras frigoríficas, hotéis, limpeza, instalações internas e indústrias em geral.

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Luva de látex para procedimento não cirúrgico e não estéril

LUVA DE LÁTEX PARAPROCEDIMENTO NÃO CIRÚRGICO E NÃO ESTÉRIL para a proteção em áreas médicas, odontológicas, hospitalares, laboratoriais e ambulatoriais contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR 13391:1995 ou ISO 10282:2014 (ou alteração posterior). Luvas de látex para procedimentos não estéreis estão classificadas para a proteção do profissional de saúde durante procedimentos médicos, odontológicos e de enfermagem. Usar luvas sempre que existir a possibilidades de contato com sangue, fluídos corporais, membranas mucosas, artigos sujos ou em procedimentos não invasivos, tais como: procedimentos não cirúrgicos. Importante: Uso único, individual e por procedimento; não deve ser reprocessada; não devem ser utilizadas para atividades abrasivas ou em contato com contaminantes químicos agressivos; nunca tocar uma superfície qualquer usando luvas contaminadas; após o uso, remover e descartar as luvas em recipiente para resíduo infectante; é necessário sempre lavar as mãos antes e depois de entrar em contato com pacientes e materiais contaminados. Quando usar: Utilizar durante procedimentos médicos e de enfermagem não invasivos, bem como na possibilidade de contato com sangue e fluídos corporais.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 30.695

Situação: Utilizado

Luva cirúrgica em borracha natural

LUVA CIRÚRGICA para Procedimento Cirúrgico - Estéril - indicadas para uso em áreas médico hospitalares e odontológicas, laboratoriais e ambulatoriais para procedimento cirúrgico, utilizadas por profissionais em Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim

Page 80: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 80

CA EPI:30.314 procedimentos onde haja a necessidade de uma luva esterilizada, proteção em contra agentes biológicos, conforme recomendação da NBR ISO 11193-1:2009 ISO 11193-2:2006 ou alteração posterior.

Situação: Utilizado

Respirador PFF2 – N95 RESPIRADOR PFF2 utilizado na execução das atividades a fim de proteger as vias respiratórias contra poeiras, névoas não oleosas e fumos. PFF2 N95 - Filtro para Particulados: classe PFF-2 / N95, Eficiência mínima de filtragem de 95%, BFE > 99% (Eficiência de Filtração Bacteriológica), Formato Concha e Resistente a fluídos. IMPORTANTE: Este respirador ajuda a reduzir a exposição por inalação a certos contaminantes particulados, incluindo aqueles de origem biológica (tais como: vírus, bactérias, fungos, bolores, mofo, Bacillusanthracis, Mycobacterium tuberculosis, entre outros), mas não elimina o risco de contrair infecções, enfermidades ou doença. Ainda não foram estabelecidos pelos órgãos oficiais competentes níveis máximos aceitáveis ou limites de exposição ocupacional seguros para agentes biológicos perigosos dispersos no ar. Quando utilizado no controle da exposição ocupacional a patógenos transmitidos também por contato, recomenda-se o descarte do produto imediatamente após cada uso.

Utilizado: Não EPI Eficaz: Não CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Óculos de segurança ÓCULOS DE PROTEÇÃO VISUAL ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas e em que haja a projeção de partículas, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (B - EPI para proteção dos olhos e face - B.1 Óculos): óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas e material biológico.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 9.722

Situação: Utilizado

Outros Equipamentos/Acessórios

Descrição Observação

Máscara Cirúrgica Descartável Tripla com Elástico

MÁSCARA CIRÚRGICA TRIPLA COM ELÁSTICO, composta por triplacamada com filtro.

Situação: Utilizado

Uniforme UNIFORME ao realizar atividades em área médica e odontológica.

Situação: Utilizado

Biombo Revestido em Chumbo Biombo revestido em chumbo ao realizar atividades com radiações ionizantes.

Situação: Utilizado

Dosímetro Individual Dispositivo usado junto às partes do corpo de um indivíduo, de acordo com regras específicas, com o objetivo de avaliar a dose efetiva ou a dose equivalente acumulada em um dado período. Também chamado de monitor individual. Situação: Utilizado

Page 81: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 81

3.1.5 - Setor: Serviços Gerais de Higienização e Limpeza

Descrição Física do Ambiente: Paredes em alvenaria, piso em granilha, construção com pé direito de aproximadamente 3,0 m, aberturas em alumínio, portas internas em madeira, ventilação natural, iluminação natural complementada com sistema de luminárias fluorescentes.

3.1.6.1 - Função: Higienização e Limpeza CBO: 514225 GFIP: 00

Tipo da Atividade: Moderada

Descrição da Atividade: Executar atividades de limpeza e higienização no Centro de Especialidades Odontológicas; executar atividades de varrição, limpeza de chão com panos umedecidos, limpeza de banheiros e móveis, utilizando produtos químicos na higienização; efetuar o recolhimento de lixo e campos fenestrados em sacos plásticos; fazer a lavagem de campos fenestrados, toalhas, aventais, entre outros utilizando máquina de lavar; realizar atividade de copa, como preparar café e aquecer de água.

Jornada de Trabalho da Função: 08:00h às 12:00h / 13:00h às 17:00h - totalizando 40 horas/semana.

Observação: Atividade caracterizada como insalubre (NR-15), não periculosa (NR-16) e não se enquadra como atividade especial, segundo benefício de aposentadoria especial da Previdência Social (Decreto n°3048/99). Enquadramento de atividade insalubre: NR-15, Anexo 14 - Agente Biológico: atendimento / contato com pacientes - Grau Médio. No caso dos profissionais com mais de um vínculo empregatício, sem exposição a agentes nocivos à saúde, deverá ser utilizada a GFIP 05.

Cargos vinculados a Função

Cargo CBO

Servente Feminino 5143-20

Agentes Associados à Atividade

Micro-organismos Agente Biológico

Exposição ao Agente: Habitual e Permanente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 1.555

Insalubre NR15: Sim Grau de Insalubridade: Médio

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Contato indireto com os pacientes e ambientes destinados ao atendimento, diagnóstico e tratamento, efetuando limpeza de mobiliário, equipamentos e materiais utilizados no atendimento de pacientes.

Trajetória e Meios de Propagação: Meio físico e ar.

Forma de Neutralização Utilizada: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: para esta atividade utiliza a luva de látex.

Page 82: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 82

Recomendações e Medidas de Controle: Recomenda-se a aplicação do conceito de imunidade ativa, a fim de promover a proteção conferida pela estimulação antigênica do sistema imunológico com o desenvolvimento de uma resposta humoral (produção de anticorpos) e celular. Esta estimulação pode ocorrer por infecção natural ou pelo uso de vacina.

Medidas administrativas ou de Organização do trabalho: Uma medida eficiente para prevenção a exposição deste agente é a ação preventiva, com atenção aos seguintes aspectos: vacinação, esterilização de equipamentos e materiais, higiene pessoal, controle médico e uso de equipamentos de proteção individual, como forma de minimização do risco (agente biológico).

Condições Ambientais de Trabalho - Ruído Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ausência de Agente Nocivo Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Medição Pontual com Decibelímetro

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 23/07/2018

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: =56 dB(A)

Tempo de Exposição: 08:00 h

Nível de Ruído: =65 dB(A)

Fonte Geradora: Atividades desenvolvidas em ambiente sem fontes de ruído - ruído ambiente.

Observações: Agente associado à atividade relativa à antecipação do risco, segundo à NR-09 e NR-17 - Condições Ambientais de Trabalho. Avaliação realizada na recepção.

Lesões em membros inferiores Agente de Acidentes

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Possibilidade de quedas de objetos perfucortantes ou objetos sobre os pés do trabalhador.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: não utilizado.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Treinamento de Biossegurança Hospitalar.Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso de Calçado de Segurança com C.A, conforme orientação da NR-06.

Álcool Etílico Hidratado - 70% Líquido INPM (Uso Hospitalar) Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise de amostragem EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Sim CA EPI: 1.555

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não Insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Intensidade da Concentração: <5 ppm

Tempo de Exposição: 00:30 h

Limite de Tolerância: =780 ppm

Page 83: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 83

Fonte Geradora: Limpeza de superfícies em ambientes.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato direto ao efetuar a assepsia das mãos e limpeza; pelo ar através da dispersão de gases.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade, a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente, apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: utiliza a luva de látex.

Observações: Avaliação quantitativa sob Laudo nº 55732/16.

Desinfetantes (Solventes) Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise de amostragem. EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 1.555

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Aplicação de desinfetantes em pisos, banheiros, áreas de serviço, entre outros.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato e ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: para esta atividade utiliza a luva de látex.

Observações:

Page 84: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 84

Limpador Multiuso Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise de amostragem. EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 1.555

Insalubre NR15: Não Grau de Insalubridade: Não insalubre

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 02/12/2015

Tipo da Avaliação: Quantitativa

Fonte Geradora: Aplicação de limpador multiuso na higienização de ambientes.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato e ar (dispersão de gases).

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: para esta atividade utiliza a luva de látex.

Observações:

Relatório de Análise Atividade: Limpeza em geral, aplicação de produto diretamente em superfícies. Substância Resultado L.T. Norma Laudo Etermonobutílico < 0,20 ppm 39 ppm NR-15 56015/16 < 5,0 ppm 780 ppm NR-15 56014/16

Produtos de Limpeza Agente Químico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente.

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: Não CA EPI: 1.555

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: NA

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Uso de: detergente neutro, sabão em pó, água sanitária e limpa vidros.

Trajetória e Meios de Propagação: Contato direto e indireto com produtos de limpeza.

Forma de Neutralização Existente: Quanto ao EPC: para esta atividade a utilização de qualquer Equipamento de Proteção Coletiva, a fim de neutralizar este agente apresenta-se tecnicamente inviável. Quanto ao EPI: para esta atividade utiliza a luva de látex.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar avaliação quantitativa com a finalidade de detectar a real exposição dos Servidores aos agentes presentes no ambiente de trabalho - Hidróxido de Sódio e Hipoclorito de Sódio (Cl2).

Levantamento e transporte manual de peso Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Na movimentação e levantamento de materiais.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo extremamente

Page 85: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 85

necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Análise Ergonômica do Trabalho, conforme item 17.1.2 da Norma Regulamentadora - NR-17 do MTE, e posteriormente executar orientações feitas através de Análise Ergonômica.

Vício Postural Agente Ergonômico

Exposição ao Agente: Ocasional ou Intermitente Funcionários expostos ao Risco: 01

Técnica Utilizada: Análise da atividade e ambiente

EPC é Eficaz: NA EPI é Eficaz: NA CA EPI: NA

Insalubre NR15: NA Grau de Insalubridade: Não Aplicável

Periculosidade: Não Data da Avaliação: 19/07/2018

Tipo da Avaliação: Qualitativa

Fonte Geradora: Vício postural e características físicas do indivíduo.

Observações: Esta análise do agente e do ambiente está condicionada à fase de antecipação do risco, sendo extremamente necessária a elaboração de estudo (Análise Ergonômica do Trabalho) a fim de identificar, com maior precisão, agentes agressivos, além de efetuar correções no ambiente para minimizar/controlar o agente associado à atividade.

Recomendações e Medidas de Controle: Realizar Análise Ergonômica do Trabalho, conforme item 17.1.2 da Norma Regulamentadora - NR-17 do MTE, e posteriormente executar orientações feitas através de Análise Ergonômica. EPI – Equipamento de Proteção Individual

Descrição Observação

Calçado de Segurança CALÇADO DE SEGURANÇA para realizar atividades em ambientes sob o risco de quedas de objetos, agentes térmicos, cortantes e escoriantes, produtos químicos, exceto em atividades que envolvam energia elétrica, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores).

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI:NA

Situação: Recomendado

Calçado de PVC CALÇADO DE PVC ao realizar atividades em ambientes sob o risco de quedas de objetos; proteção do usuário contra operações com uso de água, agentes térmicos, cortantes e escoriantes e respingos de produtos químicos, exceto em atividades que envolvam energia elétrica, conforme recomendação da EN 345/1992, EN 347/1992, BS 5.145/1989 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (G - EPI para proteção dos membros inferiores).

Utilizado: Não EPI Eficaz: NA CA EPI: NA

Situação: Recomendado

Luva de látex LUVA DE LÁTEX ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas em geral, conforme recomendação da MT 11/1977, EN 374/1994 e descrição dada pela NR-06, Anexo I (F - luvas): luva de segurança para proteção das mãos contra agentes químicos e material biológico.

Utilizado: Sim EPI Eficaz: Sim CA EPI: 1.555

Situação: Utilizado

Óculos de proteção incolor ÓCULOS DE PROTEÇÃO VISUAL INCOLOR ao realizar toda atividade que requer o manuseio de substâncias químicas e em que haja a projeção de partículas, conforme recomendação e descrição dada pela NR-06, Anexo I (B - EPI para proteção dos olhos e face - B.1 Óculos): óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas e material biológico.

Utilizado: Não EPI Eficaz: Não CA EPI: NA

Situação: Recomendado

Page 86: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 86

Outros equipamentos / Acessórios

Descrição Observação

Jaleco Jaleco ao realizar todas as atividades.

Situação: Utilizado

4. Informações Periciais Perícias realizadas nos dias 19 e 23 de julho e 7 de agosto de 2018.

Metodologia utilizada na perícia: Conforme item 2.0.

5. Considerações Finais Considerando os riscos envolvidos para cada atividade, bem como a Legislação Vigente temos:

• Conforme o disposto na NR-15, as atividades desenvolvidas são enquadradas como atividades não

insalubres ou atividades insalubres, conforme especificado no presente laudo em função das atividades

desenvolvidas por cada função/cargo aqui descritos.

• Conforme o disposto na NR-16, as atividades desenvolvidas são enquadradas como atividades não

periculosas ou atividades periculosas, conforme especificado no presente laudo em função das

atividades desenvolvidas por cada função/cargo aqui descritos.

• Conforme o disposto na Lei n° 8213 de 24 de julho de 1991, e Legislação Complementar, as atividades

desenvolvidas são enquadradas ou não em condições de Aposentadoria Especial, conforme especificado

no presente laudo em função das atividades desenvolvidas por cada função/cargo aqui descritos.

São José dos Pinhais, 23 de agosto de 2018.

Marcos José Taborda

Engenheiro de Segurança do Trabalho CREA 29.772-D/Pr

Page 87: PREFEITURA MUNICIPAL SÃO JOSÉ DOS PINHAISLTCAT - LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTAT – LAUDO TÉCNICO DO AMBIENTE DE TRABALHO LAUDO DE INSALUBRIDADE LAUDO

SIST – Serviço Interno de Segurança e Saúde do Trabalho DASS/DRH/SEMARH

Página: 87

6. Anexo I – Levantamento da Iluminação nos postos de trabalho

Iluminação natural complementada com sistema de luminárias fluorescentes (02 grupos de 2x40W) com níveis de incidência sobre os postos de trabalho, conforme tabela abaixo, de acordo com as especificações da NBR 5413/92 (Nota Técnica MTE n°224/2014) - Iluminância de Interiores - para a atividade realizada. Os servidores podem utilizar os consultórios em sistema de rodízio, conforme agendamento.

Posto de Trabalho Nível de iluminação (lux)

Recomendação ABNT 5413/92 (lux)

Consultório 1 – Cirurgias 370,0 500 Consultório 2 – Paciente especial adulto 524,0 500 Consultório 3 – Radiologia 409,0 500 Consultório 4 – Endodontia 440,0 500 Consultório 5 – Odontopediatria e Paciente especial infantil 486,0 500 Consultório 6 – Endodontia 398,0 500 Consultório 7 - Periodontia 465,0 500 Consultório 8 - Estomatologia 340,0 500 Coordenação 267,0 500