PORTUGUÊS - dhg1h5j42swfq.cloudfront.net · Folha de S.Paulo. . 22.01.18. Adaptado) ... O combate...

of 13 /13

Embed Size (px)

Transcript of PORTUGUÊS - dhg1h5j42swfq.cloudfront.net · Folha de S.Paulo. . 22.01.18. Adaptado) ... O combate...

  • PORTUGUS PROF. DCIO TERROR

    Texto 1

    A revoluo digital fortalece as previses de que as casas ou lares inteligentes oferecero mais

    convenincia e menos dispndio de energia em um futuro prximo.

    A definio de convenincia para esses novos lares tecnolgicos est ligada ao ganho de tempo para

    os moradores, com reduo ou eliminao de trabalhos domsticos. Portanto, para que as edificaes

    inteligentes tenham sucesso, elas devero se estruturar com base nessa viso de convenincia como

    soluo para os que vivem em um mundo acelerado e estar ancoradas em uma grande variedade de

    sistemas tecnolgicos acessveis e fceis de operar, tornando a vida das pessoas mais simples.

    Alm da convenincia, outro relevante benefcio das casas inteligentes para os consumidores a sua

    capacidade de incorporar aspectos relacionados administrao do gasto de energia, principalmente

    com iluminao, condicionamento de ar e eletrodomsticos. Um conjunto de sensores, adequadamente

    configurados para gerenciar esses sistemas, pode gerar diminuio considervel nos gastos com energia,

    com reflexos ambientais e econmicos importantes.

    O departamento de engenharia da computao da Academia rabe de Cincias e Tecnologia

    desenvolveu um estudo para avaliar a economia no consumo de energia gerada com o uso de sensores

    inteligentes em um apartamento de um dormitrio, cozinha, sala de estar, sala de jantar e banheiro. O

    estudo concluiu que a economia pode chegar a quase 40% do consumo mdio mensal de energia.

    A tendncia de crescimento desse mercado clara. A empresa de pesquisas Zion Market Research

    prev que a tecnologia das casas inteligentes deve alcanar um faturamento de US$ 53 bilhes (R$ 170

    bi) em 2022. O crescimento estar calcado, principalmente, na conexo da casa com os ambientes

    digitais externos, como, por exemplo, a conexo do refrigerador com os equipamentos dos fornecedores

    de alimentos.

    Naturalmente, a tecnologia das casas inteligentes continuar a evoluir, tornando-se acessvel e

    barata. Com isso, mais pessoas podero utilizar-se dela, e novos padres, modelos e estilos de vida

    devem se consolidar, principalmente nas reas urbanas.

    (Claudio Bernardes. Casas inteligentes traro convenincia e reduziro gasto de energia. Folha de S.Paulo. www.folha.uol.com.br. 22.01.18. Adaptado)

    Considerando as ideias e estruturas

    lingusticas do texto 1, julgue os itens a

    seguir.

    1. Entende-se do texto que casas inteligentes

    consomem apenas 60% da energia em relao a

    uma casa comum.

    2. Os advrbios mais e menos (linhas 1 e 2)

    apresentam uma oposio de sentido, chamada

    de antonmia.

    3. Como elemento de coeso, o vocbulo que

    (linha 1) apresenta valor anafrico e retoma o

    substantivo previses.

    4. A expresso de energia (linha 2) caracteriza

    tanto o substantivo dispndio (linha 2) quanto

    convenincia (linha 2).

    5. A vrgula aps a conjuno coordenativa

    conclusiva Portanto (linha 4) pode ser excluda,

    mantendo-se a correo gramatical.

    6. As ocorrncias da palavra os, nas linhas 6,

    8, 19, so artigos definidos, especificando seus

    substantivos, e marcam o gnero masculino e o

    nmero plural.

    7. As duas ocorrncias da palavra se, nas

    linhas 23 e 24, no apresentam a mesma relao

    morfossinttica.

    8. Na linha 17, a expresso Zion Market

    Research poderia ser separada por duplo

    travesso, parnteses ou vrgulas, tendo em

    vista cumprir o papel sinttico de aposto.

    9. A expresso a evoluir (linha 22) pode ser

    substituda por evoluindo, preservando-se a

    correo gramatical e a lgica textual.

    10. A insero do vocbulo se imediatamente

    antes de adequadamente (linha 10) mantm a

    lgica textual e a correo gramatical.

    5

    10

    15

    20

    Cursos completos para a Polcia Federal em: www.estrategiaconcursos.com.br

  • 11. As expresses devero se estruturar (linha

    5), deve alcanar (linha 18) e devem se

    consolidar (linha 24) so locues verbais que

    transmitem a noo de obrigao, necessidade.

    12. As ocorrncias da preposio de (linhas 3

    e 4) iniciam termos que completam o sentido dos

    substantivos imediatamente anteriores.

    13. O vocbulo convenincia (linha 5) tem a

    mesma justificativa de acentuao grfica da

    palavra acessveis (linha 7).

    14. Ocorre acento indicativo de crase em

    (linha 9), tendo em vista que o adjetivo

    relacionados rege a preposio a e o

    substantivo administrao precedido do

    artigo a.

    15. O adjetivo simples (linha 7) caracteriza o

    substantivo pessoas (linha 7).

    16. Est adequadamente reescrito o segmento

    A empresa de pesquisas Zion Market Research

    (...) US$ 53 bilhes (R$ 170 bi) em 2022.

    (linhas 17 a 19) da seguinte forma: A empresa

    de pesquisas Zion Market Research estima

    que deve ser alcanado um faturamento de

    US$ 53 bilhes (R$ 170 bi) em 2022 pela

    tecnologia das casas inteligentes.

    17. A pontuao do ltimo perodo do texto

    continua correta da seguinte forma: Com isso,

    mais pessoas podero utilizar-se dela e novos

    padres, modelos e estilos de vida devem se

    consolidar principalmente nas reas urbanas..

    Considerando o Manual de Redao da

    Presidncia da Repblica, julgue os

    prximos itens, relativos redao oficial.

    18. O aviso documento emitido por ministro de

    Estado para destinatrio de mesma hierarquia e

    segue o modelo do padro ofcio.

    19. O registro dos despachos no corpo do

    memorando funciona como um histrico de

    todas as etapas por que passou a matria

    tratada no documento.

    20. A respeito da funo das comunicaes

    oficiais, o memorando uma forma de

    comunicao entre unidades administrativas de

    um mesmo rgo. Trata-se, portanto, de uma

    forma de comunicao interna.

    21. Os adjetivos referidos aos pronomes de

    tratamento concordam com o gnero do

    interlocutor.

    22. Est abolido o uso do tratamento dignssimo

    (DD). Alm disso, fica dispensado o emprego do

    superlativo ilustrssimo para as autoridades que

    recebem o tratamento de Vossa Senhoria e para

    particulares. suficiente o uso do pronome de

    tratamento Senhor.

    ATUALIDADES PROF. LEANDRO SIGNORI

    O governo de Roraima protocolou uma ao civil no Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido de tutela provisria para que a fronteira do Brasil com a Venezuela seja fechada por prazo determinado, impedindo a entrada de

    imigrantes no estado. A ao pede ainda

    recursos adicionais para suprir os custos

    especialmente de sade e educao com os

    imigrantes.

    A governadora do estado, Suely Campos (PP),

    argumenta que a crise no pas vizinho provocou

    "uma verdadeira exploso no fluxo migratrio".

    Segundo a prefeitura de Boa Vista, 40 mil

    venezuelanos moram na capital e j

    representam mais de 10% da populao da

    cidade, que hoje de 330 mil pessoas. A Polcia

    Federal calcula que cerca de 800 imigrantes

    cruzam diariamente a fronteira entre o Brasil e a

    Venezuela, em busca de melhores condies de

    vida.

    O Globo, 13/04/2018 (com adaptaes).

    Tendo o texto acima como referncia inicial,

    julgue os itens a seguir:

    23. A migrao atual de venezuelanos para o

    Brasil tem como causa exclusiva o caos poltico

    instalado na Venezuela, decorrente de fortes

    divergncias e enfrentamentos entre o governo

    de Nicols Maduro e a oposio, que controla a

    Assembleia Nacional.

    24. A Venezuela foi suspensa do MERCOSUL em

    agosto de 2017 em razo da aplicao da

    clusula democrtica do Protocolo de Ushuaia.

    25. Uma das medidas anunciadas pelo governo

    federal para amenizar a crise migratria em

    Roraima a transferncia de migrantes

    venezuelanos para outros estados brasileiros,

    como So Paulo e Amazonas.

    Considerando os mltiplos aspectos

    relacionados violncia e segurana

    pblica no Brasil, julgue os itens a seguir:

    26. O combate efetivo criminalidade no Brasil

    depende de aes abrangentes devido ao fato de

    que a grande violncia existente no pas est

    Cursos completos para a Polcia Federal em: www.estrategiaconcursos.com.br

  • restrita ineficincia das polticas de segurana

    pblica.

    27. Situaes como deixar a casa antes dos 15

    anos de idade, no ir escola ou ter um lar

    desestruturado sem pai ou me no podem ser

    considerados fatores que contribuem para o

    jovem entrar no mundo do crime.

    28. A pouca fiscalizao por parte do governo

    federal nas fronteiras do pas tem sido criticada

    por governos estaduais e municipais. O dficit de

    foras federais nessas regies tem sido utilizado

    como explicao para problemas de segurana

    pblica causados nos centros urbanos pelo crime

    organizado ligado ao narcotrfico.

    29. Alguns especialistas defendem a legalizao

    do uso de entorpecentes, como a maconha,

    como forma de manter a comercializao da

    droga sob controle do Estado, enfraquecendo o

    trfico.

    INFORMTICA PROF. VICTOR DALTON

    30. A criptografia, mecanismo de segurana

    auxiliar na preservao da confidencialidade de

    um documento, transforma, por meio de uma

    chave de codificao, o texto que se pretende

    proteger.

    31. Autenticidade um critrio de segurana

    para a garantia do reconhecimento da identidade

    do usurio que envia e recebe uma informao

    por meio de recursos computacionais.

    32. A execuo dos procedimentos de segurana

    da informao estabelecida em uma empresa

    compete ao comit responsvel pela gesto da

    segurana da informao.

    33. possvel executar um ataque de

    desfigurao (defacement) que consiste em

    alterar o contedo da pgina web de um stio

    aproveitando-se da vulnerabilidade da

    linguagem de programao ou dos pacotes

    utilizados no desenvolvimento de aplicao web.

    34. Os worms, assim como os vrus, infectam

    computadores, mas, diferentemente dos vrus,

    eles no precisam de um programa hospedeiro

    para se propagar.

    35. O Linux, por ser considerado software livre,

    no pode ser comercial nem sua cpia pode ser

    oferecida mediante pagamento.

    36. Mediante o acesso ao cdigo-fonte de um

    software livre, um desenvolvedor poder

    modificar esse software e distribuir cpias da

    verso modificada a outros indivduos, sem

    restrio de propsito de uso.

    Em um desktop foi instalada uma placa-

    me que contm quatro slots para a

    memria DDR3 com suporte para dual-

    channel e com um processador recente da

    Intel da linha core. Aps a instalao do

    sistema operacional, foram obtidas as

    informaes apresentadas na figura a

    seguir.

    Considerando a situao hipottica e a

    figura precedentes, julgue os itens

    seguintes, relativos a hardware e software

    para o ambiente de microinformtica.

    37. Os processadores mais recentes possuem,

    entre outras funcionalidades, a capacidade de

    ajustar dinamicamente seu desempenho de

    acordo com a demanda exigida pelo

    processamento.

    38. Na arquitetura do computador da situao

    em apreo, assim como nas arquiteturas atuais,

    h uma BIOS para cada slot de memria.

    39. A situao apresentada indica que o sistema

    operacional est configurado erroneamente, pois

    h um nico processador e, por isso somente

    poderia haver a identificao um nico

    processador.

    Cursos completos para a Polcia Federal em: www.estrategiaconcursos.com.br

  • 40. A troca do processador do referido desktop

    para um processador com uma frequncia de

    clock maior resultar necessariamente em

    melhora de desempenho do hardware e do

    software.

    41. O stio de buscas Google possui a

    propriedade case sensitive, o que possibilita ao

    usurio pesquisar utilizando palavras e textos

    tanto em caixa baixa quanto em caixa alta, com

    resultados diferenciados para cada tipo de

    pesquisa.

    42. Usando-se o stio de busca Google, a

    pesquisa por cache: www.pf.gov.br apresenta

    como resultado a verso mais nova da pgina

    www.pf.gov.br e a armazena na memria do

    computador.

    43. Em cloud computing, cabe ao usurio do

    servio se responsabilizar pelas tarefas de

    armazenamento, atualizao e backup da

    aplicao disponibilizada na nuvem.

    44. O Windows 10, lanado em 2015,

    compatvel com computadores da arquitetura

    x64, mas no com computadores de arquitetura

    x86, uma vez que o Windows 10 para

    computadores possui apenas verso de 64 bits.

    45. Para acessar um arquivo mais rapidamente

    no Explorador de Arquivos, suficiente

    pressionar o boto direito sobre o arquivo, e, no

    menu de contexto, selecionar a opo Fixar no

    Acesso Rpido. A partir de ento, o arquivo

    estar disponvel para visualizao no Painel

    Esquerdo do Explorador de Arquivos, no item

    Acesso Rpido.

    46. No PowerPoint, o leiaute do eslaide indica o

    modo e a apresentao dos eslaides em tela

    cheia, para exibio ou projeo.

    47. A Faixa de Opes do Word 2016 foi criada

    com o intuito de ajudar o usurio a localizar

    rapidamente os comandos. A Faixa de Opes

    possui diversas Guias, e, em cada guia, existem

    estruturas menores, chamadas Grupos de

    Comandos, que organizam os comandos em

    grupos lgicos.

    ARQUIVOLOGIA PROF. RONALDO FONSECA

    48. Caso os documentos de uma instituio

    forem misturados aos de outra instituio, dois

    princpios arquivsticos estariam sendo

    infringidos: o princpio da provenincia e o

    princpio da ordem original.

    49. A data crnica aquela em que o elemento

    de identificao cronolgico e tem como

    referencial um calendrio e a data tpica

    aquela em que o elemento de identificao o

    lugar de produo do documento.

    50. Os documentos de valor mediato devem ser

    transferidos ao arquivo intermedirio, onde

    aguardaro a sua destinao final, que pode ser

    o recolhimento ao arquivo permanente ou a

    eliminao.

    51. Os documentos substantivos so os que

    compem a atividade meio e os auxiliares, a

    atividade fim.

    52. A autuao abertura de processo no setor

    de protocolo, necessariamente.

    53. Dentre os procedimentos e tcnicas para a

    realizao de reparos em documentos esto a

    pina, o peso de mrmore e o pincel chato.

    54. A microfilmagem de complemento

    utilizada para manter no arquivo os documentos

    que pertencem s outras instituies, quanto

    que a de segurana utilizada para garantir a

    autenticidade da informao.

    55. Um dos objetivos da avaliao de

    documentos liberao de espao fsico e a

    melhor conservao de documentos em todas as

    fases do ciclo documental. Entretanto, a reduo

    da massa documental no deve ser vista como

    um objetivo da avaliao.

    56. Em imagem digital, as sinalticas bsicas

    so as seguintes: escala de cinza; escala de

    cores; escalas de temperatura, escalas e

    sinalizao de dimenses.

    57. Os documentos de arquivo possuem

    classificaes segundo a sua natureza. Desse

    modo, podemos ter concomitantemente um

    arquivo especial e especializado, mas no o

    contrrio.

    58. Com a era da tecnologia da informao,

    alguns procedimentos relacionados gesto

    documental devem ser revistos. A teoria das trs

    idades, por exemplo, no faz mais sentido, pois

    ao tratarmos de documentos digitais, os espaos

    fsicos j no existem.

    59. A digitalizao de acervos uma das

    ferramentas essenciais ao acesso e difuso dos

    acervos arquivsticos, alm de contribuir para a

    sua preservao, uma vez que restringe o

    manuseio aos originais, constituindo-se como

    instrumento capaz de dar acesso simultneo

    local ou remoto aos seus representantes digitais

    Cursos completos para a Polcia Federal em: www.estrategiaconcursos.com.br

  • RACIOCNIO LGICO PROF. ARTHUR LIMA

    Com base na proposio P abaixo, julgue os

    prximos itens a respeito de lgica

    sentencial e de proposies.

    P: Caso a anlise tcnica aponte se tratar de um

    fuzil de alta preciso, ele de uso restrito da

    Polcia Federal, mas a Polcia vai adquirir

    exemplares deste fuzil se, e somente se, ele for

    produzido no Brasil.

    60. A proposio P pode ser representada na

    forma (~p~q)^(rs), onde p, q, r e s so

    proposies simples adequadamente escolhidas.

    61. A tabela-verdade da proposio P possui 8

    linhas.

    62. Menos da metade das linhas da tabela-

    verdade da proposio P possuem valor lgico

    falso.

    63. A proposio A anlise tcnica apontou se

    tratar de um fuzil de alta preciso, mas ele no

    de uso restrito da Polcia Federal, ou a Polcia

    Federal vai adquirir exemplares deste fuzil se, e

    somente se, ele no for produzido no Brasil

    equivalente negao da proposio P.

    64. Sabendo que a proposio P falsa, que a

    Polcia adquiriu alguns exemplares do fuzil, e que

    ele produzido no Brasil, pode-se garantir que o

    fuzil no de uso restrito da Polcia Federal.

    Julgue os itens a seguir, a respeito de

    princpios de contagem e noes de

    probabilidade.

    65. Quando faz uma perseguio em alta

    velocidade nas estradas, a probabilidade de a

    Polcia render o bandido de 70%, e a

    probabilidade de a viatura possuir um novo

    modelo de GPS de 40%. Sabendo que a

    probabilidade de render o bandido na

    perseguio independente da probabilidade de

    a viatura ter o novo modelo de GPS, pode-se

    afirmar que a probabilidade de a polcia no

    render o bandido na perseguio policial e a

    viatura no ter o novo modelo de GPS superior

    a 20%.

    66. O professor Arthur Lima faz aniversrio em

    um dia mpar do ms de maro, enquanto o

    professor Ricardo Torques faz aniversrio em um

    dia do mesmo ms que mltiplo de 3 e divisor

    de 30. Nesta situao, a probabilidade de ambos

    os professores fazerem aniversrio na mesma

    data de 1/32.

    67. A senha de um cofre formada por duas

    letras iguais, dentre as 26 disponveis no

    alfabeto, e trs algarismos distintos, dentre

    todos os disponveis. Sabendo que permitido

    misturar letras e algarismos em qualquer das

    cinco posies da senha, ento, caso eu queira

    adivinhar a senha do cofre e utilize

    adequadamente os conhecimentos de princpios

    de contagem, posso garantir que precisarei de

    menos de um semestre, caso seja capaz de

    testar 1.000 senhas por dia.

    A respeito de estruturas lgicas e

    problemas aritmticos, julgue os itens a

    seguir.

    68. Sabendo que trs policiais, cujas idades so

    de 20, 30 e 40 anos, vo dividir um prmio de

    R$100.000,00 na razo inversa de suas idades,

    pode-se afirmar que o policial mais novo

    receber menos de R$40.000,00.

    69. A soma dos algarismos dos prximos trs

    termos da sequncia lgica 0, 5, 100, 10, 15, 90,

    20, 25, 80, 30, 19.

    Cursos completos para a Polcia Federal em: www.estrategiaconcursos.com.br

  • DIREITO PENAL PROF. RENAN ARAUJO

    70. O princpio da insignificncia afasta a

    tipicidade da conduta, dada a ausncia de

    tipicidade formal, pela ausncia de ofensa

    relevante ao bem jurdico protegido pela norma.

    71. Caso um agente atente contra a vida do

    Presidente da Repblica, no exterior, este agente

    estar sujeito lei penal brasileira, mesmo que

    no seja brasileiro e mesmo que j tenha sido

    absolvido no estrangeiro.

    72. O dolo direto pode ser de primeiro ou de

    segundo grau; no dolo direto de primeiro grau o

    agente quer o resultado, e no dolo direto de

    segundo grau o agente assume o risco de sua

    possvel ocorrncia.

    73. H desistncia voluntria quando o agente

    d incio execuo do delito, mas, durante a

    execuo, resolve abandonar a empreitada

    criminosa, e o resultado no ocorre. Neste caso,

    o agente responde apenas pelos atos j

    praticados, e no pelo delito inicialmente

    pretendido na forma tentada.

    74. Situao hipottica: Imagine que Jos

    agrida Pedro, por conta de uma discusso no

    trnsito. Pedro, para repelir a injusta agresso,

    d um soco em Jos, de forma moderada e

    proporcional. Uma vez cessada a agresso inicial

    de Jos, Pedro continua a agredir Jos, desta vez

    com socos e pontaps. Assertiva: neste caso,

    Pedro age em excesso intensivo.

    75. A embriaguez s afastar a imputabilidade

    penal quando se tratar de embriaguez acidental

    ou culposa completa, ou seja, que retira

    completamente o discernimento do agente.

    76. Situao hipottica: Jos, inimigo capital

    de Maria, resolve mat-la. Para tanto, solicita a

    Pedro, seu amigo, o emprstimo de um revlver,

    j que no possui arma de fogo. Pedro, aps ser

    informado por Jos de todo o plano criminoso,

    resolve emprestar a arma ao amigo. Jos, no dia

    planejado, vai sozinho aos arredores da casa de

    Maria e espera at que esta saia da residncia

    para executar o crime. Minutos depois, Jos

    avista Maria saindo da casa, e efetua 03 disparos

    de arma de fogo, provocando a morte da vtima.

    Assertiva: neste caso, Jos autor do crime e

    Pedro partcipe, pela adoo da teoria objetivo-

    formal.

    77. A prescrio da pretenso punitiva comum,

    ou ordinria, tem prazo calculado a partir da

    pena mxima prevista em abstrato para o delito,

    e tais prazos so reduzidos pela metade se o

    agente era menor de 21 anos poca do fato ou

    maior de 70 anos no momento da sentena.

    78. isento de pena o agente que pratica o

    crime de roubo contra seu prprio pai, desde que

    a vtima no tenha idade igual ou superior a 60

    anos, por se tratar de crime patrimonial

    praticado contra ascendente.

    79. A falsificao grosseira de papel-moeda no

    configura o crime de moeda falsa, nem mesmo

    se o agente conseguir obter alguma vantagem

    patrimonial em prejuzo de algum.

    80. O crime de peculato pode ter como objeto

    bem pblico ou particular, e, por se tratar de

    crime contra a administrao pblica, no

    admite aplicao do princpio da insignificncia,

    conforme entendimento mais recente do STJ.

    81. Testemunha que, deliberadamente, faltar

    com a verdade em inqurito policial responder

    pelo crime de falso testemunho, mesmo no se

    tratando de depoimento prestado em processo

    judicial.

    DIREITO PROCESSUAL PENAL PROF. RENAN

    ARAUJO

    82. Como regra geral, o inqurito dever

    terminar no prazo de 15 dias, se o indiciado tiver

    sido preso em flagrante, ou estiver preso

    preventivamente, contado o prazo, nesta

    hiptese, a partir do dia em que se executar a

    ordem de priso, ou no prazo de 30 dias, quando

    estiver solto.

    83. Nos crimes de ao penal de iniciativa

    pblica condicionada representao, a

    autoridade policial poder instaurar o inqurito

    policial de ofcio, pois a representao da vtima

    ou seu representante legal s necessria para

    o oferecimento da ao penal.

    84. O ofendido, ou seu representante legal, e o

    indiciado podero requerer autoridade policial

    a realizao de qualquer diligncia, que ser

    realizada, ou no, a critrio da autoridade.

    85. Quando a infrao deixar vestgios, ser

    indispensvel o exame de corpo de delito, direto

    ou indireto, no podendo sua falta ser suprida

    pela confisso do acusado.

    86. No interrogatrio em sede policial o indiciado

    tambm ter direito ao silncio, que no pode

    ser considerado como confisso, embora possa

    ser interpretado em prejuzo da defesa.

    Cursos completos para a Polcia Federal em: www.estrategiaconcursos.com.br

  • 87. A me do acusado est dispensada do dever

    de depor, mas, caso queira prestar seu

    depoimento, dever prestar o compromisso de

    dizer a verdade.

    88. A confisso no uma prova superior s

    demais, e para a sua apreciao o juiz dever

    confront-la com as demais provas dos autos,

    verificando se entre ela e estas ltimas existe

    compatibilidade ou concordncia.

    89. Situao hipottica: Jos foi preso em

    flagrante delito pela prtica do crime de roubo

    majorado pelo emprego de arma de fogo, logo

    aps ter praticado a infrao e ter sido

    perseguido por policiais militares. Assertiva:

    Neste caso, pode-se dizer que houve flagrante

    ficto, ou presumido, por no ter sido o agente

    preso no momento em que praticava a infrao.

    90. Situao hipottica: Jos foi preso em

    flagrante delito pela prtica do crime de roubo

    majorado pelo emprego de arma de fogo, logo

    aps ter praticado a infrao e ter sido

    perseguido por policiais militares. Assertiva: na

    falta ou no impedimento do escrivo, qualquer

    pessoa designada pela autoridade lavrar o auto

    de priso em flagrante, depois de prestado o

    compromisso legal.

    91. Situao hipottica: Jos foi preso em

    flagrante delito pela prtica do crime de roubo

    majorado pelo emprego de arma de fogo, logo

    aps ter praticado a infrao e ter sido

    perseguido por policiais militares. Assertiva: o

    Juiz poder, ao receber o auto de priso em

    flagrante, decretar a priso preventiva, de ofcio,

    a requerimento do MP ou por representao da

    autoridade policial.

    92. A autoridade policial somente poder

    conceder fiana nos casos de infrao penal cuja

    pena privativa de liberdade mxima no seja

    igual ou superior a 4 (quatro) anos.

    NOES DE ADMINISTRAO PROF.

    RODRIGO RENN

    93. O princpio que rege a administrao

    pblica, expressamente previsto na Constituio

    Federal de 1988, e que exige dos agentes

    pblicos a busca dos melhores resultados e um

    menor custo possvel, o da moralidade.

    94. Na perspectiva da reforma gerencial, o

    Estado reduz seu papel de prestador direto de

    servios, ampliando, porm, seu papel de

    regulador de servios.

    95. A Constituio Federal de 1988 acabou

    ampliando a rigidez burocrtica e dificultou a

    adoo de tcnicas modernas da administrao

    gerencial.

    96. Atualmente, no h mais espao para a

    utilizao da teoria proposta por Max Weber, em

    nenhum de seus aspectos.

    97. As culturas organizacionais no devem

    dividir-se em subculturas, pois isso pode gerar

    uma srie de problemas e conflitos.

    98. Em uma anlise SWOT, o baixo nmero de

    atendentes capacitados considerado uma

    ameaa.

    99. O controle ex-ante o controle que tem

    como foco o desempenho aps a execuo dos

    processos.

    100. Em qualquer situao, o estilo de

    liderana democrtico o mais apropriado.

    NOES DE ADMINISTRAO (PARTE DE

    AFO) PROF. SRGIO MENDES

    De acordo com a Constituio Federal e com

    a Lei 4320/1964, julgue os itens a seguir.

    101. Assegurado pela autonomia administrativa

    da Polcia Federal, o Ministro o qual o

    Departamento de Polcia Federal estiver

    subordinado poder enviar mensagem ao

    Congresso Nacional contendo proposta de

    alteraes no projeto de Lei Oramentria Anual,

    na parte relativa s despesas previstas para

    investigaes da instituio, desde que no

    tenha sido iniciada a votao, na comisso mista

    de oramento, da parte cuja alterao

    proposta.

    102. Um determinado prdio da Polcia Federal

    pertencente a Unio no ser mais utilizado.

    Caso a opo seja pela venda do imvel, o

    registro do ingresso financeiro resultante da

    venda vista deve ser tratado como receita de

    capital; entretanto, se a opo for o aluguel a

    terceiros, o ingresso financeiro decorrente do

    aluguel deve ser tratado como receita corrente.

    DIREITO ADMINISTRATIVO PROF. HERBERT

    ALMEIDA

    103. Situao hipottica: Joaquim, Escrivo

    da Polcia Federal, foi acusado de cometer ato de

    improbidade administrativa. Mesmo aps tomar

    cincia do andamento de processo judicial

    destinado a apurar o suposto ato de

    improbidade, a autoridade competente

    Cursos completos para a Polcia Federal em: www.estrategiaconcursos.com.br

  • determinou a instaurao de processo

    administrativo disciplinar, concluindo, ao final,

    que Joaquim de fato cometeu o ato de

    improbidade. Assim, a autoridade aplicou-lhe a

    pena de demisso, antes do trnsito em

    julgado do processo judicial de improbidade

    administrativa. Assertiva: a autoridade

    competente poderia ter aplicado a pena de

    demisso, ainda que no tenha transitado em

    julgado a ao de improbidade administrativa.

    104. Em sentido material, a administrao

    pblica envolve as atividades de fomento, de

    prestao de servios pblicos, de polcia

    administrativa e de interveno administrativa.

    105. No se admite a presena de capital de

    sociedade de economia mista na constituio de

    empresa pblica, uma vez que aquela admite a

    conjugao de capital pblico e privado, ao passo

    que esta somente admite capital pblico.

    106. Segundo o Supremo Tribunal Federal,

    a Constituio Federal assegura aos policiais

    federais e civis o exerccio do direito de greve,

    porm tal direito vedado aos policiais militares.

    Em virtude da realizao de concurso

    pblico para o provimento de seus

    servidores, o Departamento de Polcia

    Federal adotou as medidas para a alocao

    e treinamento dos futuros aprovados. Para

    isso, o setor competente requisitou a

    aquisio de 300 (trezentos)

    computadores, no valor total estimado

    de R$ 750.000,00. Alm disso, o setor

    responsvel tambm solicitou a

    contratao de empresa especializada

    para ministrar curso de treinamento para

    os novos agentes.

    Com base na situao hipottica acima,

    julgue os itens a seguir.

    107. A aquisio dos computadores no poder

    ser realizada pela modalidade prego, uma vez

    que a aquisio de bens em valor estimado

    acima de R$ 650.000,00 exige necessariamente

    a modalidade concorrncia.

    108. Aplica-se a inexigibilidade de licitao para

    a contratao de empresa especializada para

    ministrar o curso de treinamento, desde que a

    contratada tenha notria especializao e o

    servio seja de natureza singular.

    DIREITO CONSTITUCIONAL PROF. RICARDO

    VALE E NDIA CAROLINA

    109. A soberania, a cidadania, a dignidade da

    pessoa humana, os valores sociais do trabalho e

    da livre iniciativa e o pluralismo poltico so

    princpios fundamentais adotados pela Repblica

    Federativa do Brasil.

    110. Segundo o STF, a autorizao estatutria

    genrica conferida s associaes por seu

    estatuto no suficiente para legitimar a

    representao processual. Desse modo, somente

    os associados que manifestaram sua autorizao

    expressa que estaro, a posteriori, legitimados

    para a execuo do ttulo judicial decorrente de

    ao ajuizada pela associao.

    111. ilcita a prova consistente em gravao

    ambiental realizada por um dos interlocutores

    sem o conhecimento do outro.

    112. As terras tradicionalmente ocupadas pelos

    ndios so inalienveis e imprescritveis, motivo

    pelo qual vedada a remoo dos grupos

    indgenas de suas terras, em qualquer hiptese.

    113. Os ndios, suas comunidades e

    organizaes so partes legtimas para ingressar

    em juzo em defesa de seus direitos e interesses,

    intervindo a Defensoria Pblica em todos os atos

    do processo.

    114. No estado de defesa, a priso por crime

    contra o Estado pode ser determinada pelo

    executor da medida. A ordem de priso ou

    deteno de qualquer pessoa no poder ser

    superior a 10 dias, salvo quando autorizada pelo

    Poder Judicirio.

    LEGISLAO ESPECIAL PROF. MARCOS

    GIRO E PAULO GUIMARES

    Em relao ao que dispe o Estatuto do

    Desarmamento e a jurisprudncia dos

    Tribunais Superiores, julgue o item a

    seguir.

    115. A conduta de possuir granada de gs

    lacrimogneo ou de pimenta no pode ser

    considerada crime equiparado ao de posse ou

    porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, pois

    para a adequao tpica desse delito exige-se

    que o objeto material utilizado, qual seja, o

    artefato explosivo, seja capaz de gerar alguma

    destruio Tal fato, no entanto no impede

    eventual tipificao em outro crime.

    Cursos completos para a Polcia Federal em: www.estrategiaconcursos.com.br

  • Sobre a Lei n 11.343/2006 e a

    jurisprudncia atual dos Tribunais

    Superiores, julgue os itens a seguir:

    116. A conduta consistente em negociar por

    telefone a aquisio de droga e tambm

    disponibilizar o veculo que seria utilizado para o

    transporte do entorpecente configura o crime de

    trfico de drogas em sua forma tentada, ainda

    que a polcia, com base em indcios obtidos por

    interceptaes telefnicas, tenha efetivado a

    apreenso do material entorpecente antes que o

    investigado efetivamente o recebesse.

    117. do juiz federal do local da apreenso da

    droga remetida do exterior pela via postal a

    competncia para julgar e processar o respectivo

    crime de trfico internacional.

    Julgue o item a seguir, luz do que versa a

    Lei de Crimes Hediondos.

    118. Atualmente, o posse ou porte ilegal de

    arma de fogo considerado delito hediondo, seja

    em sua foram tentada como na consumada.

    Mlvio suspeito de filmar cenas de sexo

    explcito entre adolescentes e public-las

    em determinados sites da rede mundial de

    computadores (internet). Como Mlvio

    muito discreto e h certa dificuldade em

    constituir situao de flagrncia, a equipe

    de policiais chefiada pelo Delegado Tcio

    concluiu que a melhor maneira de

    investigar os crimes cometidos por Mlvio

    seria por meio de infiltrao dos agentes na

    internet. Sobre essa ao, julgue o item a

    seguir, luz do que estabelece o Estatuto

    da Criana e do Adolescente (Lei Federal n

    8.069/1990).

    119. A infiltrao dos agentes dever

    obrigatoriamente ser precedida de autorizao

    judicial devidamente circunstanciada e

    fundamentada, em que sero estabelecidos os

    limites da infiltrao para obteno de prova,

    ouvido o Ministrio Pblico, e no poder

    exceder a 90 dias.

    A Lei Federal n 13.445/2017, apelidada

    como Nova Lei de Migrao, traz como uma

    das modalidades de visto, o visto

    temporrio. Esta espcie de visto poder

    ser concedida ao imigrante que venha ao

    Brasil com o intuito de estabelecer

    residncia por tempo determinado e que se

    enquadre em uma das hipteses previstas

    na citada norma. Sobre este tipo de visto,

    julgue o item subsecutivo.

    120. O visto temporrio para pesquisa, ensino

    ou extenso acadmica poder ser concedido ao

    imigrante, desde que tenha vnculo empregatcio

    com a instituio de pesquisa ou de ensino

    brasileira, exigida a comprovao de formao

    superior compatvel ou equivalente

    reconhecimento cientfico.

    Cursos completos para a Polcia Federal em: www.estrategiaconcursos.com.br

  • PROVA DISCURSIVA PROF. CARLOS ROBERTO E LEANDRO SIGNORI

    Nesta prova, faa o que se pede, usando, caso deseje, o espao para rascunho indicado no presente

    caderno. Em seguida, transcreva o texto para a FOLHA DE TEXTO DEFINITIVO DA PROVA DISCURSIVA,

    no local apropriado, pois no ser avaliado fragmento de texto escrito em local indevido.

    Qualquer fragmento de texto que ultrapassar a extenso mxima de linhas disponibilizadas ser

    desconsiderado.

    No ser avaliado o texto em cuja Folha de Texto Definitivo o candidato insira qualquer assinatura ou

    marca identificadora.

    Ao domnio do contedo sero atribudos at 13,00 pontos, dos quais at 1,00 ponto ser atribudo ao

    quesito apresentao (legibilidade, respeito s margens e indicao de pargrafos) e estrutura textual

    (organizao das ideias em texto estruturado).

    Texto

    O cio, a brutalidade, o ambiente hostil so a rotina do crcere.

    Para aqueles que acreditam que a pena tem funo meramente retributiva, o sistema prisional cumpre

    adequadamente sua funo.

    Ocorre que no se pode esquecer de que nada eterno. Um dia esse homem que no teve qualquer

    possibilidade de reinsero social, que passou sua rotina carcerria convivendo com a violncia e a

    desocupao retorna ao convvio social, e essa a explicao para o alto ndice de reincidncia criminal.

    A psicologia criminal no deixa dvida de que h o criminoso nato. H pessoas que s sabem viver

    margem da lei. Para essas no h sistema carcerrio ressocializador. Mas essa minoria no pode ser

    motivo da omisso social e estatal em colocar em prtica ideias e projetos que visam a dar oportunidades

    de vida fora do crime.

    No de hoje que se tem conhecimento da forte influncia do sistema prisional no papel da segurana

    pblica.

    Mas, o tempo passa. Passa para todos. Para a sociedade e para o apenado que um dia retorna ao seu

    convvio com uma personalidade mais agressiva, e questo de tempo para a sociedade vibrar com

    mais uma priso.

    No se defende uma sociedade sem prises. Os limites do crcere so necessrios segurana pblica.

    Mas a to almejada paz social depende de olhar mais atento e ressocializador do sistema prisional.

    O Globo, 08/01/2018 (com adaptaes)

    Considerando que o fragmento de texto acima tem carter unicamente motivador, redija um texto

    dissertativo acerca do seguinte tema:

    SISTEMA PRISIONAL BRASILEIRO: PROBLEMAS E SOLUES

    Ao elaborar seu texto, aborde os seguintes aspectos:

    1. discorra sobre a realidade do sistema prisional brasileiro; [valor: 4,00 pontos]

    2. disserte sobre o desafio da reinsero social do preso; [valor: 4,00 pontos]

    3. indique propostas de soluo para a crise do sistema prisional brasileiro. [valor: 4,00 pontos]

    www.estrategiaconcursos.com.brCursos completos para a Polcia Federal em:

  • Linha SIMULADO PF - TEXTO DEFINITIVO

    1 2 3 4 5 6 7 8 9

    10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

    Cursos completos para a Polcia Federal em: www.estrategiaconcursos.com.br