Patologias em estruturas de concreto - .Patologias em estruturas de concreto Publica§£o...

Patologias em estruturas de concreto - .Patologias em estruturas de concreto Publica§£o mensal
Patologias em estruturas de concreto - .Patologias em estruturas de concreto Publica§£o mensal
download Patologias em estruturas de concreto - .Patologias em estruturas de concreto Publica§£o mensal

of 2

  • date post

    12-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    245
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Patologias em estruturas de concreto - .Patologias em estruturas de concreto Publica§£o...

  • www.obrasonline.com.br

    Patologias em estruturas de concreto

    Publicao mensal da construo civil . ano 5 . n 49 . Maro 2008

    Viaduto Santa Tereza (BH-MG)Patologias como trincas e infiltraes foram recuperadas com o uso de argamassa

  • 12 Maro de 2008 www.obrasonline.com.brRevista Obras on Line

    Asfalto Modificado por Polmeros

    Na construo civil, a modificao de um material com uso de adi-es e/ou aditivos j uma prtica comum, especialmente nos concretos de cimento portland, onde retardadores ou aceleradores de pega, redutores de gua (plastificantes), etc., so utilizados com muita freqncia. Mas no s no velho e bom concreto que podemos usar as adi-es e aditivos. Neste ms, abordaremos seu uso em outra classe de materiais de grande utilizao na construo: o asfal-to, tanto nas impermeabilizaes quanto nos pavimentos.

    Por que modificar?A modificao de materiais tem como

    objetivo adequ-los s condies de apli-cao ou a busca por melhorias em algu-mas propriedades, como desempenho e durabilidade. No caso dos asfaltos, por exemplo, os ligantes modificados podem reduzir os custos ao longo da vida til do pavimento.

    As redues do trincamento trmico, da desagregao, dos danos por fadiga, das trilhas de roda, assim como a melho-ria da suscetibilidade trmica do ligante, permitem que o asfalto modificado subs-titua o convencional em praticamente todas as aplicaes, incluindo CBUQ, tratamentos superficiais, pinturas de li-gao, selagem de trincas, tapa-buracos, reciclagem e lama asfltica.

    Alm disso, o uso de ligantes modifi-cados tem contribudo para o desenvol-vimento de novas tcnicas de pavimen-tao, como o microrevestimento e o uso de tratamentos superficiais em rodovias de trfego elevado.

    Como o polmero altera o desempenho do asfalto

    Asfaltos modificados por polmeros tm significativa alterao em seu com-

    portamento, seja na elasticidade, tenso/deformao, ou creep. Afinal, o aumento da durabilidade do ligante asfltico est ligado capacidade de recuperao els-tica de alguns tipos de polmeros (respos-ta do creep, medido pelo deslocamento do material sob carga e sua recuperao quando a carga removida).

    Adequao ao usoUm ligante especfico e as proprieda-

    des adequadas de uma mistura asfltica podem ser obtidos pela escolha do pol-mero correto para a aplicao desejada. Para isso, na incorporao do polmero, deve-se assegurar a compatibilidade en-tre este e o ligante.

    De maneira geral, os elastmeros so utilizados para aumentar a resilincia e a flexibilidade dos pavimentos, enquan-to os plastmeros aumentam a rigidez e a estabilidade da mistura. Os resultados obtidos dependem da concentrao, do peso molecular, da composio qumica e da orientao molecular do polmero, assim como da origem do leo cru (pe-trleo), do processo de refino e do tipo do asfalto utilizado para a incorporao.

    Melhorias ambientaisPode parecer um pouco estranho re-

    lacionar derivados de petrleo com me-lhorias ambientais, mas pensem que, por exemplo, o uso de agregados, feitos de borracha proveniente da reciclagem de pneus velhos, na composio de alguns pavimentos, embora em fase de estudos de aprimoramentos, j realidade no Brasil.

    Alm desse, h uma classe de mate-rial, quase centenria - as emulses asfl-ticas que, em sua grande maioria, usam gua com solvente (para se tornarem l-quidas), evitando mais uso de solventes derivados de petrleo. As emulses asfl-

    ticas tambm no necessitam de aqueci-mento para serem aplicadas, reduzindo consideravelmente emisses de hidro-carbonetos na atmosfera. Mas no s isso, alguns tipos de emulses conseguem recobrir agregados midos. Desta manei-ra, reduz-se tambm o consumo de com-bustvel quando h necessidade de secar agregados.

    O uso das emulses modificadas por polmeros e a grande variedade de aplica-es continuam crescendo medida que as tecnologias de construo e das pr-prias emulses avanam. Na prtica, as emulses asflticas podem ser utilizadas em vrias tcnicas de impermeabilizao ou pavimentao, desde que adequando o produto certo tcnica correta, poden-do atingir significativa economia, tanto em custo quanto em durabilidade e com grandes benefcios ambientais.

    Eng. Clmenceau Chiabi Saliba JniorCoordenador de ps-graduao do IEC/PUC Minas e

    diretor do Instituto Mineiro de Avaliaes e Percias de Engenharia (Ibape-MG)

    E-mail: bbceng@bbceng.com.br

    Foto

    : ww

    w.g

    oogl

    e.co

    m.b

    r

    Tecno log ia