Or§amento de obra

download Or§amento de obra

of 32

  • date post

    23-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    148
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Or§amento de obra

7 Semestre Eng Civil

Grupo:

Neif Marco Edson Miyazaki Christian Csar Arthur Dias

Verificao de verba:Antes de iniciarmos um oramento devemos tomar algumas decises; a primeira delas verificar qual recurso financeiro que temos disponvel para execuo da obra; essa verba ser prpria ou ser atravs de financiamento bancrio?. Esta informao nos dar parmetro para escolha do terreno, escolha do padro da obra e definio de projetos, e qual ser o lucro da empresa.

Outras etapas: Escolha do terreno

Definio de projetos executivos Documentao necessria para aprovao do projeto Definio do padro da obra (baixo, mdio ou alto) Escolha dos materiais a serem utilizados Levantamento quantitativo de materiais

Outras etapas: Estipular o prazo da obra

Os servios sero empreitados ou executados por administrao prpria? Detalhes construtivos como: Locao de equipamentos pesados para transporte horizontal e vertical; construo do canteiro de obras.

Outras etapas:Todas informaes citadas que antecedem o oramento sero relevantes no custo final do empreendimento. O estudo preliminar execuo de um oramento de extrema importncia pois se o mesmo for feito de forma precria, poder apresentar surpresas durante a execuo da obra; principalmente quando diz respeito a parte financeira.

Montagem da EAP (Estrutura Analtica de Projeto A montagem da EAP uma etapa fundamental para execuo de um bom oramento; pois atravs dela que iremos elaborar o cronograma da obra; alocao de recursos; distribuio de custos e controle fsico financeiro. Para elaborao da EAP devemos estudar a fundo os projetos executivos, assim saberemos por quais etapas a obra passar no decorrer do cronograma. Nenhuma etapa civil ser descartada, pois todas atividades decorrentes da obra iro gerar prazo e custo.

Insero de quantidades no oramento. Com base no levantamento quantitativo feito posteriormente ao incio do oramento iremos inserir as quantidades levantadas em sua devida atividade; atentar que alguns itens do oramento no tero quantidades definidas, assim definimos o item atravs de uma verba. Insero de custos unitrios no oramento. A insero de custo uma das etapas de maior importncia para um bom oramento, para que a mesma seja concluda de forma eficaz dever ser feito um estudo rigoroso de mercado. Devemos levar em considerao tambm os possveis dissdios, pois os mesmos iro influenciar na variao do preo de mo de obra e de materiais e locaes. Podemos utilizar alguns ndices municipais e estaduais para definio dos custos.

Exemplo de ndices da PINI para obteno de valores.

Obteno de valores finais. Aps a insero das quantidades e preos unitrios iremos obter um valor de custo final para obra; atravs desse custo comparado com a verba definida no incio processo, saberemos se o empreendimento vivel ou no. Atentar que algumas medidas podero ser tomadas aps a obteno do valor final como: substituio de materiais, alteraes de projeto, metodologia de execuo, mudana de prazo, entre outras.

Cuidados na elaborao de um oramento. 1. Considerar encargos sociais trabalhistas para mo de obra. 2. Verificar se os ndices utilizados esto atualizados. 3. Verificar a existncia de dissdios coletivos durante a etapa de execuo da obra. 4. Verificar tendncias quanto a aumento no custo de materiais. 5. Considerar despesas como: consumo de gua, energia eltrica, materiais de escritrio, cpias heliogrficas, controle tecnolgico, controle de qualidade.

rea do terreno 385,00m rea construda 784,00m Prazo de obra 12 meses Padro Mdio padro

Fundaes - Sapatas 1. Escavao manual. 2. Locao de eixos. 3. Posicionamento de forma de madeira (utilizao de tbuas, pontaletes e sarrafos para travamento). 4. Armao com ao CA-50 5. Lanamento de concreto Fck 30Mpa

Movimento de terra. 1. Escavao mecnica. 2. Transporte de material com caminho basculante para bota-fora. 3. Locao de obra.

Estrutura 1. Posicionamento de eixos. 2. Formas de madeira (tbuas, pontaletes, sarrafos, compensado resinado)

3. Escoramento e travamento metlico.4. Armao com ao CA-50 5. Lanamento de concreto Fck 20Mpa

Estrutura 1. Posicionamento de eixos. 2. Formas de madeira (tbuas, pontaletes, sarrafos, compensado resinado)

3. Escoramento e travamento metlico.4. Armao com ao CA-50 5. Lanamento de concreto Fck 20Mpa

Alvenarias 1. Blocos cermicos 2. Assentamento com argamassa pronta, misturada com misturador mecnico.

3. Utilizao de telas metlicas fixadas com fincapino em juntas com pilares.4. Contra-vergas e vergas moldadas in loco com concreto feito em obra. 5. Platibanda executada com alvenaria armada (Blocos de concreto) 6. Ventilao das escadas de acesso executada com elemento vazado.

Revestimento Interno 1. Gesso liso aplicado direto na alvenaria 2. Gesso liso aplicado diretamente no teto 3. Gesso acartonado instalado em locais especficos 4. Cermica em reas molhadas, assentada com argamassa pronta misturada com misturador mecnico.

Pintura 1. Pintura ltex acrlica na cor branca sobre massa desempenada nos acessos sociais. 2. Pintura ltex acrlica na cor branca sobre gesso liso nos apartamentos, reas no molhadas. 3. Caio em concreto nos barriletes.

Revestimento Externo 1. Cermica assentada com argamassa pronta misturada em obra atravs de misturador mecnico. 2. Utilizao de balancins para execuo do servio.

Pisos Internos 1. Cermica nos banheiros dos apartamentos. (Rodap acompanha o piso h=7,00cm) 2. Porcelanato na cozinha, sala e dormitrios. (Rodap acompanha o piso h=7,00cm) 3. Granilite nas escadas e hall de acesso aos apartamentos. 4. Cimentado desempenado no barrilete e caixa de gua.

Pisos Externos 1. Cermica PEI-4 antiderrapante aplicados no acesso servios. 2. Ladrilho hidrulico aplicados em caladas presentes na frente do empreendimento

Esquadrias de alumnio 1. Caixilhos de alumnio em todos os cmodos do apartamento e reas comuns. 2. Corrimo de alumnio instalado nas laterais das escadas de acesso aos andares e escada externa. 3. Passarela metlica instalada em rea externa para acesso de servios.

Portas 1. Portas pintadas nos cmodos internos dos apartamentos 2. Portas macias envernizadas entrada dos apartamentos

Portas 1. Portas pintadas nos cmodos internos dos apartamentos 2. Portas macias envernizadas entrada dos apartamentos

Impermeabilizao Externa. 1. Regularizao da superfcie 2. Imper. Manta asfltica 4mm tipo III B E L aderida com asfalto modificado 2,0Kg/m + banho de asfalto 3,0Kg/m 2. Camada separadora 3. Proteo mecnica 4. Proteo mecnica armada para vertical

Impermeabilizao Interna1. Regularizao da superfcie 2. Imper. argamassa elastomrica com fibra estruturada 3. Proteo simples

Cobertura 1. Instalao de telha do tipo CRFS (Fibrocimento) apoiada em estrutura de madeira sob pilaretes de alvenaria. 2. Rufos de alumnio instalados em todo o permetro da cobertura.

Todo detalhamento materiais est presente no Memorial Descritivo da obra. Para cada servio a ser executado dever ser feito uma instruo de trabalho e entregue ao responsvel pela fiscalizao do mesmo com homologao de recebimento. Todas as quantidades presentes em nosso oramento foram levantadas diretamente do projeto fornecido.

Iremos mostrar a seguir a importncia de uma boa elaborao da EAP ( Estrutura Analtica de Projeto) e definio de seu centro de custo Exemplo: Alvenaria Centro de Custo Estrutura da EAP

Quantidade Orada

Real Executada

Atentar que para um bom andamento da obra, todos os desvios, sejam eles positivos ou negativos, devero ser justificados, dessa forma poderemos realizar medidas preventivas e corretivas; ou at mesmo prever um desembolso que na ocasio seria indesejado.