Nº nº nº_nº_grupo7

Click here to load reader

  • date post

    05-Nov-2014
  • Category

    Travel

  • view

    952
  • download

    1

Embed Size (px)

description

 

Transcript of Nº nº nº_nº_grupo7

  • 1. NDICECAPANDICE: Introduo I. O que a Reforma? II. Quais os seus objectivos? III. Que factores impulsionaram esse movimento? IV. Quais foram as principais entidades desse movimento? V. Quais as suas consequncias: 1. Na Europa 2. Na Pennsula Ibrica e em Portugal VI. O que a Contra-Reforma? VII. Quais os objectivos desse movimento? VIII. De que meios esse movimento se servia? IX. Quais as suas origens? X. Que pessoas tiveram mais influncia nesse movimento? XI. O que que esse movimento originou: 1. Na Europa 2. Na Pennsula Ibrica e em Portugal XII. Biografias XIII. Documentos relevantes XIV. Sntese final XV. Curiosidades XVI. Fontes 1
  • 2. Introduo ao TrabalhoNeste trabalho vamos abordar factos sobre a Reforma e a Contra-Reforma.Tambm abordaremos questes e temas relacionados com os mesmos. As questesque esclareceremos neste trabalho sero as seguintes: O que a Reforma? Quais os seus objectivos? Que factores impulsionaram esse movimento? Quais foram as principais entidades desse movimento? Quais as suas consequncias: Na Europa Na Pennsula Ibrica Em Portugal O que a Contra-Reforma? Quais os objectivos desse movimento? De que meios esse movimento se servia? Quais as suas origens? Que pessoas tiveram mais influncia nesse movimento? O que que esse movimento originou: Na Europa Na Pennsula Ibrica Em PortugalNo trabalho tambm iremos colocar algumas imagens, e, no final deste, biografiasde algumas entidades importantes relativas ao tema, alguns documentos, umasntese, as fontes e, possivelmente, algumas curiosidades.I. O que a Reforma?A Reforma Protestante foi um movimento reformista Cristo iniciado no sculo XVI porMartinho Lutero, que, atravs da publicao das 95 Teses, organizou protestos contradiversos pontos da doutrina da Igreja Catlica, propondo uma reforma no Catolicismo. 2
  • 3. Os princpios fundamentais da Reforma Protestante so conhecidos como as CincoSolas: Sola fide (somente a f); Sola scriptura (somente a Escritura); Solus Christus(somente Cristo); Sola gratia (somente a graa); Soli Deo gloria (glria somente aDeus).II. Quais os seus objectivos?Os seus objectivos eram modificar alguns aspectos e hbitos que achavamincorrectos, na Igreja Catlica, para alm de alguns costumes adquiridos pelosmembros eclesisticos que no lhes agradavam, como a venda de indulgncias, acorrupo, o luxo e a opulncia.III. Que factores impulsionaram esse movimento?No incio do sculo XVI, a mudana na mentalidade das Sociedades Europeiasreflectiu tambm no campo religioso. A Igreja, to omnipotente na Europamedieval, foi duramente criticada.A instituio catlica estava em descompasso com as transformaes do seutempo.Alm disso, uma srie de questes propriamente religiosas colocavam a Igreja comoalvo da crtica da sociedade: a corrupo do alto clero, a ignorncia religiosa dospadres comuns e os novos estudos teolgicos.As graves crticas Igreja j no permitiam apenas consertar internamente acasa. As insatisfaes acumularam-se de tal maneira que desencadearam ummovimento de ruptura na unidade crist: a Reforma Protestante.Assim, a Reforma foi motivada por um complexo de causa que ultrapassaram oslimites da mera contestao religiosa. Vejamos detalhadamente algumas dessascausas.No incio do sculo XVI, a mudana de mentalidade das sociedades da Europasurgiu tambm efeito no campo da religio. A Igreja, que era to poderosa naEuropa Medieval, foi criticada com dureza.A instituio catlica no estava compassada com as transformaes que estavama ocorrer no seu tempo.Outros factores foram o desenvolvimento do Capitalismo, o confronto teolgicoentre as doutrinas do Livre Arbtrio e da Predestinao, o conflito da burguesia coma Igreja tradicional, e o confronto entre as ideias humanistas do Nacionalismo (ideiade individualismo) e o Universalismo (ideia de unio), pois, com o fortalecimento dos 3
  • 4. reinos, cada reino considerava a Igreja uma entidade estrangeira que interferia comos outros reinos (passando assim as ideias de Universalismo para Nacionalismo).IV. Quais foram as principais entidades desse movimento?As principais entidades desse movimento foram os reformadores, como MartinhoLutero, Joo Calvino e John Knox e Henrique VIII de Inglaterra, que no se podeconsiderar um reformador, pois a sua doutrina no era completamente Protestante.Para alm dessas entidades tambm estiveram (apesar de indirectamente)relacionadas com a Reforma, como o Papa Leo X e o Imperador Carlos V.V. Quais as suas consequncias: 1. Na Europa Figura1_Territrios da Europa de maiorias Protestantes (azul) e Catlicas (verde) no sculo XVI.Com o surgimento da Reforma, seguiu-se o aparecimento de novas religiesprotestantes no Norte da Europa, houve uma quebra na Unio da Igreja Catlica,que deu incio a um movimento destinado a combater a Reforma, a Contra-Reforma. A reforma tambm fortaleceu o Capitalismo, sobretudo a partir dadoutrina calvinista (de Joo Calvino, um reformador francs) e a traduo da Bblia,que originou a hiptese de qualquer pessoa que soubesse ler a sua lngua, mas nosoubesse latim, poderia ler a Bblia, e consequente incentivo alfabetizao.Martinho Lutero foi excomungado pelo Papa Leo X e, por no se ter retractado aoimperador Carlos V, foi expulso do Sacro imprio Romano-Germnico, vindo-seobrigado a refugiar-se num palcio, onde traduziu a Bblia para alemo. 4
  • 5. 2. Na Pennsula Ibrica e Portugal Na Pennsula Ibrica e em Portugal, as medidas tomadas pela Igreja, quanto Reforma foram feitas, espalhando a ideia do movimento eclesistico de combate Reforma, a Contra-Reforma, provocando na Pennsula Ibrica uma estagnao cultural e um clima de medo entre as pessoas, que receavam a denncia, que, uma vez feita, no voltava a ser retirada e a pessoa que era denunciada estava, assim, condenada.VI. O que a Contra-Reforma?Tambm chamada reforma catlica, a contra-reforma foi um movimento da IgrejaCatlica que se deu no sculo XVI, como resposta s crticas de diversos membrosda Igreja e de importantes membros de ordens religiosas importantes (tais como osFranciscanos, os Dominicanos e os Agostinhos), que apelavam o regresso pureza eausteridade primitivas e tambm como resposta s crticas humanistas. A contra-reforma surge tambm com o avano feito pela Reforma Protestante (iniciada porMartinho Lutero). Assim, este movimento de contra-reforma procura redefinir aDoutrina da Igreja e a disciplina do clero, ao mesmo tempo que procura combatere impedir o avano do protestantismo. Os principais meios utilizados pela IgrejaCatlica para efectuar a sua reforma foram: a criao de novas ordens religiosas,onde se destacou a Companhia de Jesus, a realizao do Conclio de Trento e acriao da Inquisio e do ndex. 5
  • 6. VII. Quais os objectivos desse movimento?Os objectivos desse movimento eram combater a Reforma Protestante, defendendoa Igreja e os seus costumes e hbitos e tentando fazer com que as pessoaspercebessem que a Igreja que estava certa e que a Reforma Protestante era,meramente, um movimento que se rebeliava contra a diocese da Igreja Catlica,tentando destru-la. Para alm desse movimento de luta contra as doutrinasProtestantes, a Contra-reforma tambm foi um movimento de Renovao Interna,de forma que a Contra-Reforma pretendia no s combater o Protestantismo, comoverificar internamente se de facto havia motivos para as crticas a que a Igreja erasujeita.VIII. De que meios esse movimento se servia?O movimento da Contra-reforma servia-se dos seguintes meios: A Companhia deJesus, O Tribunal do Santo Ofcio (Inquisio), o ndex e a realizao do Conclio deTrento. A Companhia de Jesus, que fora fundada por Incio de Loyola era oexrcito de Deus e servia para evitar a converso de Catlicos para Protestantes.O Tribunal do Santo Ofcio, que fora reanimado, servia para julgar e condenar todosaqueles que no fossem praticantes da f Catlica. O ndex era uma espcie decatlogo de livros que no podiam ser lidos por Catlicos, sob pena de denncia Inquisio e o Conclio de Trento serviu para a Igreja verificar se as crticas a que erasujeita tinham ou no sentido, de maneira que fosse corrigida.IX. Quais as suas origens?As origens da Contra-Reforma so eclesisticas, ou seja, da Igreja, maisprecisamente da Reforma Protestante. Alguns historiadores afirmam que as origensda contra-reforma diferem, de maneira que a nica parte da Contra-Reforma quese originou a partir da Reforma foi a luta contra as doutrinas protestantes, enquantoque a parte da renovao interna no teve qualquer relao com a Reforma. AReforma Protestante defendia a doutrina Protestante,