Musculação e emagrecimento LeanLife

of 25 /25

description

Palestra musculação e emagrecimento LeanLife

Transcript of Musculação e emagrecimento LeanLife

TÓPICOS DA DISCUSSÃO

•INTERVENÇÕES USADAS NO PROCESSO DE EMAGRECIMENTO

•VIAS METABÓLICAS E SUBSTRATOS ENERGÉTICOS UTILIZADOS

•FRACIONAMENTO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL;

•TAXA METABÓLICA BASAL

•ESTUDOS COM TREINAMENTO DE FORÇA E EMAGRECIMENTO

SESSÃO DE PERGUNTAS

INTERVENÇÕES

DIETA

(HIPOCALÓRICA, RICA

EM PROTEÍNAS,

CARBOIDRATOS, ETC)

TREINAMENTO DE

ENDURANCE

(AERÓBIO?)

TREINAMENTO DE

FORÇA

(RESISTIDO, MUSCULAÇÃO)

COMBINAÇÕES DE INTERVENÇÕES

TREINAMENTO DE

FORÇA

+

DIETA

TREINAMENTO DE

ENDURANCE

+

DIETA

TREINAMENTO DE

FORÇA + ENDURANCE

+

DIETA

Stieglerand, 2006

VIAS METABÓLICAS DE RESSÍNTESE DE ATP

CITOSÓLICAS

ANAERÓBIAS

MITOCONDRIAL

AERÓBIA

1

LÁTICA

2

ALÁTICAS

VELOCIDADE DAS VIAS DE RESSÍNTESE DE ATP

RER – RESPIRATORY EXCHANGE RATE

PREDOMINÂNICA DE SUBSTRATOS ENERGÉTICOS

VO2

VCO2

RER = 0.69

CARBOIDRATO ÁC. GRAXO

C6H12O6 + 6 O2 6 CO2 + 6 H2O

VO2

VCO2

=6 CO2

6 O2=1.00 VO2

VCO2

=16 CO2

23 O2=0.69

C16H32O6 + 23 O2 16 CO2 + 16 H2O

R = 1.00

1. METABOLISMO BASAL;

2. EFEITO TÉRMICO DOS ALIMENTOS;

3. GASTO ENERGÉTICO DAS ATIVIDADES FÍSICAS.

(JEQUIER, 2002)

COMPONENTES DO GASTO ENERGÉTICO DIÁRIO

DIVISÃO DO CORPO EM 2 COMPARTIMENTOS

1. MASSA DE GORDURA (MG);

2. MASSA LIVRE DE GORDURA (MLG).

MASSA CORPORAL TOTAL = MG + MLG

FRACIONAMENTO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL...

8

7280

0

10

20

30

40

50

60

70

80

90

Massa degordura (kg)

Massa livre degordura (kg)

Massa corporaltotal (kg)

Ma

ssa

(kg

)

Indivíduo com POUCA gordura e MUITA massa livre de gordura

18

62

80

0

10

20

30

40

50

60

70

80

90

Massa degordura (kg)

Massa livre degordura (kg)

Massa corporaltotal (kg)

Massa (

kg)

Indivíduo com MUITA gordura e POUCA massa livre de gordura

1/4/2014 2/3/2014

BODY MASS (kg) 78.0 78.1

% OF BODY FAT 12.5 9.5

FAT MASS (kg) 9.8 7.4

LBM (kg) 68.2 70.7

12.5

9.5

0.0

2.0

4.0

6.0

8.0

10.0

12.0

14.0

1/1/2014 2/1/2014

% of body fat

9.8

7.4

0.0

2.0

4.0

6.0

8.0

10.0

12.0

1/1/2014 2/1/2014

Fat mass (kg)

68.2

70.7

67.0

67.5

68.0

68.5

69.0

69.5

70.0

70.5

71.0

1/1/2014 2/1/2014

LBM (kg)

Stieglerand, 2006

Participants were randomized to RT(one set, 3 d'wk-1, three to six repetition

maximums, nine exercises; N = 22) or control (C, N = 17) groups and completed all

assessments at baseline and at 6 months.

Nine RT and 9 UT male subjects were measured for RMR, creatine

kinase concentration ([CK]), and rating of perceived muscle soreness

(RPMS) on five consecutive mornings. To induce muscle damage,

after the measurements on day 2, each subject performed leg

presses that emphasized the eccentric movement for 8 sets at his

six-repetition maximum (6-RM)

MENSURAÇÃO

DO

DANO TECIDUAL

HISTOLOGIA

↑ [ ] PLASMÁTICAS DE

PROTEINAS

MIOFIBRILARES

↓ DESEMPENHO

NEUROMUSCULAR

↓ AMPLITUDE DE MOVIMENTO

CK

MIOGLOBINA

ROMPIMENTO DE

LINHA Z

DESORGANIZAÇÃO

MIOFIBRILAR

↓ FORÇA

↓ POTÊNCIA

WARREN, GL (1999)↑ PERCEPÇÃO DE DOR

CK

CK

CK

CK

CKCK

CK

CKCK

CKCK

CKCKCK

CKCK

PCr + ADP + H+ ATP + Cr Célula

Sangue

CK

CT: 3X15 60%1RM - leg press, knee extension, knee flexion,

biceps curl, triceps extension, and bench press.

TM: same volume at 85%HRmax

1. AUMENTO DA TAXA METABÓLICA BASAL;

2. AUMENTO DA MASSA LIVRE DE GORDURA;

3. AUMENTO DO CONSUMO ENERGÉTICO PÓS TREINO (EFEITO

EPOC).

OBRIGADO!

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE TREINOS NA MUSCULAÇÃO

VISITE NOSSO SITE

WWW.LEANLIFE.COM.BR