Micologia Resumão

Click here to load reader

  • date post

    23-Dec-2015
  • Category

    Documents

  • view

    42
  • download

    11

Embed Size (px)

description

Resumo para estudo de microbiologia

Transcript of Micologia Resumão

  • Fungos

    Os fungos so organismos heterotrficos que, tempos atrs, foram

    considerados plantas primitivas ou degeneradas, sem clorofila. As nicas

    caractersticas em comum com as plantas so a natureza sssil e a forma de

    crescimento multicelular (poucos fungos, incluindo as leveduras, so

    unicelulares). A biologia celular sugere que os fungos so mais relacionados

    com os animais do que as plantas.

    Mais de 70.000 espcies. O maior organismo vivo na terra hoje, um

    indivduo de Armillaria ostoyae, um fungo causador da podrido de raiz e

    tambm decompositor, ocupando aproximadamente 900 hectares, no estado

    de Oregon (EUA).

    Importncia dos fungos

    Junto com as bactrias heterotrficas, os fungos so os principais

    decompositores da biosfera.

    Por serem decompositores e praticamente degradarem qualquer coisa,

    muitas vezes entra em conflito com o interesse do homem.

    Os fungos so os principais causadores de doenas nas plantas,

    atacando culturas de alto valor econmico. Causam srias doenas no homem

    e em animais domsticos. Crescem sob as mais diversas condies, em

    alimentos e podendo liberar micotoxinas, sendo uma praga do ponto de vista

    comercial.

    Os fungos tambm tm alto valor comercial. Certas leveduras produzem

    etanol e dixido de carbono, os quais tm papel preponderante na panificao,

    fermentao e indstria do vinho. Outros fungos proporcionam sabor e aroma

    distintos em diferentes tipos de queijos. Muitos antibiticos so produzidos por

    fungos. Dezenas de diferentes tipos de fungos so ingeridos pelo homem. H

    fungos (Tolypocladium inflatum) de onde se isola a ciclosporina, que suprime

    reaes imunolgicas que causam rejeies de rgos transplantados,

  • reduzindo a probabilidade de rejeio. Devido a ela, as cirurgias de transplante

    tornaram-se corriqueiras e bem sucedidas.

    Os fungos formam relaes simbiticas importantes.

    Caractersticas dos fungos

    Os fungos so essencialmente terrestres. Embora alguns fungos sejam

    unicelulares (leveduras), a maioria filamentosa. Os filamentos dos fungos so

    conhecidos como hifas, e ao conjunto de hifas que forma o organismo

    denomina-se miclio.

    As hifas da maioria das espcies so divididas por paredes transversais

    chamadas septos (hifas septadas) e outras no possuem septos (hifas

    asseptadas ou cenocticas).

    Na maioria dos fungos, os septos so perfurados por um poro central e os

    protoplastos das clulas adjacentes esto em continuidade entre clulas

    vizinhas.

    Todos os fungos tm parede celular e est formada de quitina que

    mais resistente degradao microbiana do que a celulose. Importante, j que

    vivem em contato direto com o ambiente.

    Todos os fungos so hetertrofos, para obteno de alimento eles agem

    como saprbios (vivendo sobre a matria orgnica provenientes de indivduos

    mortos), como parasitas ou como simbiontes mutualistas. Por causa da parede

    celular rgida, no so capazes de engolir microorganismos ou outras

    partculas. Comumente, o fungo secreta enzimas (chamadas exoenzimas)

    sobre a fonte de alimento e absorve as pequenas molculas que so liberadas.

  • Os fungos absorvem o alimento principalmente pelo pice da hifa e/ou

    nas proximidades dessa regio. Hifas especializadas, conhecidas como

    rizides, fixam alguns fungos ao substrato e fungos parasitas tm hifas

    especializadas similares, chamadas haustrios, os quais absorvem o alimento

    diretamente das clulas de outros organismos.

    Nos fungos a mitose e a meiose so diferentes. Na maioria dos fungos a

    carioteca no se desintegra e se refaz, mas faz uma constrio prxima ao

    ponto mdio entre os dois ncleos filhos. Com exceo das quitrdias todos os

    outros fungos no tm centrolo, formando estruturas tpicas chamadas corpos

    centriolares, funcionando tambm como centros organizadores de

    microtbulos. O fuso se forma no ncleo, exceto em alguns Basidiomycota.

    Os fungos reproduzem-se por meio da formao de esporos sexuados e

    assexuados. Exceto nas quitrdias, esporos imveis so caractersticos nos

    fungos. Os esporos normalmente so secos, mas podem apresentar

    mucilagem que se adere a insetos e assim so dispersos, os esporos tambm

    so levados pelo vento ou balisticamente exposto ao ambiente. As cores vivas

    em fungos e texturas pulverulentas so devidas aos esporos, contido, certos

    fungos nunca produzem esporos.

    A reproduo assexuada mais comum por meio de esporos, que so

    produzidos em esporngios ou clulas condiognicas. Esporos produzidos

    nesta ltima recebem o nome de condios. Todos os fungos reproduzem-se

    assexuadamente por fragmentao das hifas.

    A reproduo sexuada nos fungos compreende trs fases distintas:

    plasmogamia, cariogamia e meiose. As duas primeiras fases fazem parte da

    singamia ou fecundao. A plasmogamia a fuso de ncleos. Os ncleos

    fundidos passam por meiose resultando em esporos especializados, tais como

    zigsporos, ascsporos e basidisporos. A meiose nos fungos zigtica.

    A estrurura que produz gametas chamada gametngio e estes formam

    clulas sexuadas chamadas gametas.

  • Provavelmente os fungos, assim como os outros animais divergiram de

    um ancestral comum flagelado (Coanoflagelado), o que pode explicar os

    zosporos com flagelos das quitrdias.

    Quitrdias: Filo Chytridiomycota

    predominantemente aqutica, parede celular de quitina e armazenam

    glicognio.

    Quase todas as quitrdias so cenocticas e algumas so unicelulares

    simples, no desenvolvendo miclio. Algumas so parasitas de algas,

    protozorios, gros de plen, oomicetos aquticos e outras plantas. Outras so

    saprfitas em substratos com insetos mortos. Muitas espcies so patgenas

    de plantas.

  • Zigomicetes: Filo Zygomycota

    A maioria vive no solo, sobre restos animais e vegetais, enquanto

    algumas so parasitas de plantas, insetos ou pequenos animais terrestres.

    Outras formam associaes simbiticas com plantas e poucas causam

    infeces graves no homem e em animais domsticos. A maioria delas tem

    hifas cenocticas, dentro das quais o citoplasma flui rapidamente.

    A reproduo assexuada ocorre por meio de esporos haplides.

    Em Rhizopus stolonifer, das hifas cenocticas so formadas hifas

    arqueadas denominadas estoles. Nos pontos em que os estoles tocam o

    substrato h a formao de rizides. A partir de cada um desses pontos, nasce

    uma ramificao ereta e vigorosa (esporangiforo) que produz um esporngio

    em seu pice. Os esporos so liberados com a ruptura da parede do

    esporngio.

    O filo Zygomycota assim denominado em funo de sua principal

    caracterstica a formao de esporos de resistncia sexualmente produzidos,

    chamados zigsporos, os quais se desenvolvem dentro de estruturas de

  • paredes espessadas denominadas zigosporngios, em espcies que se

    reproduzem sexuadamente.

    Espcies que requerem linhagens + e para reproduo sexuada so

    chamadas de heterotlicas enquanto as autofrteis so homotlicas.

    Quando dois indivduos compatveis prximos, so produzidos

    hormnios que estimulam o intrumecimento dos pices hiflicos, que se atraem

    e se tocam, desenvolvendo-se em gametngios.

    Tem Zygomycota que se associa a razes de plantas, formando as

    endomicorrizas.

    Ascomicetos: Filo Ascomycota

    A maioria dos bolores verde-azulados, vermelhos e escuros que

    estragam os alimentos so ascomicetos. Muitas leveduras so tambm

    ascomicetos, como o so as morchelas e as trufas comestveis.

    Tm formas unicelulares ou filamentosas, em geral com hifas septadas

    perfuradas. Podem ser homotlicos ou heterotlicos.

    A produo de esporos em ascomicetos diferem da dos zigomicetos

    porque no ocorre dentro de um esporngio, mas externamente como condios.

  • A reproduo sexuada nos ascomicetos sempre envolve a formao de

    um asco, estrutura em forma de saco dentro da qual ascsporos haplides so

    formados aps a meiose. Ascos e ascsporos so estruturas exclusivas que

    ditinguem os ascomicetos de todos os outros fungos. A formao dos ascos

    usualmente ocorre dentro de uma estrutura complexa composta de hifas

    entrelaadas e firmemente compactadas o ascoma. O ascoma

    completamente fechado chamado cleistotcio e com uma pequena abertura

    peritcio.

    Os ascos normalmente se desenvolvem na superfcie interior do

    ascoma, o himnio ou camada himenial.

    Basidiomicetos, Teliomicetos e Ustomicetos: Filo Basidiomycota

    Entre as espcies desse filo esto os cogumelos comestveis e os venenosos, os gasteromicetos, as orelhas-de-pau, bem como dois grupos

    importantes, as ferrugens e os carves.

    Papel preponderante na decomposio de substratos vegetais.

    Os Basidiomycota distinguem-se dos demais grupos pela produo de

    basidisporos que nascem forma de uma estrutura produtora de esporos

    chamada basdio. Na natureza, a maioria dos Basidiomycota reproduzem-se

    principalmente por meio da formao de basidisporos.

  • O miclio de Basidiomycota sempre septado e os septos so

    perfurados. Em muitas espcies, o poro do septo tem uma margem inflada ou

    em forma de barril chamada doliporo. Qualquer fungo com septo doliprico

    pertence aos Basidiomycota. De ambos os lados do poro h capas

    membranosas chamadas parentossomos. Outros Basidiomycota, incluindo as

    ferrugens e os carves, tm septos que lembram os dos ascomicetos.

    Os miclios em Ba