(Medidor de Potncia “ptico) (Power Meter “ptico) Badi Maani Shaikhzadeh

download (Medidor de Potncia “ptico) (Power Meter “ptico) Badi Maani Shaikhzadeh

of 25

  • date post

    18-Apr-2015
  • Category

    Documents

  • view

    131
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of (Medidor de Potncia “ptico) (Power Meter “ptico) Badi Maani Shaikhzadeh

  • Slide 1
  • (Medidor de Potncia ptico) (Power Meter ptico) Badi Maani Shaikhzadeh
  • Slide 2
  • Introduo Este trabalho, estar explorando sobre o medidor de potncia ptica (Power Meter ptico), um instrumento padro e imprescindvel nas atividades de manuteno, instalao e reparos de fibra ptica. Devido a sua importncia, ele se constitui como uma ferramenta quase obrigatria para os tcnicos de campo.
  • Slide 3
  • Fibras pticas Uma fibra ptica constituda de hastes muito finas de vidro. A luz injetada dentro do ncleo de uma fibra de vidro segue o caminho fsico da fibra, devido s reflexes totais da luz que se propaga entre o ncleo e a casca. A luz injetada dentro do ncleo de uma fibra de vidro segue o caminho fsico da fibra, devido s reflexes totais da luz que se propaga entre o ncleo e a casca. Uma malha de plstico em torno da fibra assegura uma boa proteo mecnica. Uma malha de plstico em torno da fibra assegura uma boa proteo mecnica.
  • Slide 4
  • Atenuao Absoro da luz - converso da luz em calor Espalhamento - disperso da energia da luz em todas as direes Perdas por curvaturas - escapamento de luz do ncleo devido a imperfeies da fronteira entre o ncleo e a casca Disperso - reduz a largura de faixa efetiva disponvel para transmisso
  • Slide 5
  • Atenuao A atenuao para um dado comprimento de onda definida como a razo entre a potncia de entrada e a potncia de sada da fibra que est sendo medida. A atenuao para um dado comprimento de onda definida como a razo entre a potncia de entrada e a potncia de sada da fibra que est sendo medida.
  • Slide 6
  • Tipos de Fibras Monomodo: possui um nico modo de propagao, ou seja, os raios de luz percorrem o interior da fibra ptica por um s caminho, aumentando a distncia das transmisses sem o uso de repetidores. So utilizadas para transmisses a longas distncias. Multimodo: possui vrios modos de propagao, ou seja, os raios de luz percorrem o interior da fibra por diversos caminhos. Classificam-se em ndice degrau ou ndice gradual. Devido a disperso modal, a largura de faixa muito pequena.
  • Slide 7
  • Medidor de potncia ptico utilizado para certificao do link ptico. Modelos diferentes, escolhidos pelo tipo de fibra (multimodo/monomodo), tipo de aplicao (850/1300/1550) Seu funcionamento consiste basicamente na medio da diferena da potncia emitida pela recebida. Os medidores de potncia tm a funo primordial de medir o valor da potncia incidente em seu fotodiodo
  • Slide 8
  • Caractersticas: Caractersticas: - estabilizao de temperatura - possibilidade de calibrao em diferentes comprimentos de onda - exibio da diferena de potncia em relao a uma referncia de entrada A diferena entre a potncia mxima de entrada e a sensibilidade mnima do medidor chamada de gama dinmica Medidor de potncia ptico
  • Slide 9
  • Fontes de Luz Dispositivo utilizado como fonte contnua e estvel para medies de atenuao Dispositivo utilizado como fonte contnua e estvel para medies de atenuao Inclui uma fonte ptica que pode ser um LED ou um laser O conjunto medidor de potncia / fonte de luz usado para medir a continuidade e a atenuao do cabo.
  • Slide 10
  • Testes pticos O procedimento deve ser executado como parte de um teste de aceitao final ou sempre que uma medida da perda ptica do enlace requerida. Devido atenuao da fibra ptica variar com comprimento de onda da luz, o teste deve ser conduzido usando o mesmo comprimento de onda do equipamento ptico de comunicao.
  • Slide 11
  • Conjunto de equipamentos para teste de perda ptica Medidor de potncia ptico Fonte de luz ptica Cordes pticos para testes Solues para limpeza do conector Jogo de ferramentas para desencapamento de fibra ptica Adaptador para fibra descoberta
  • Slide 12
  • Exemplo de medio de perda Perda ptica total da ligao = 3,4 dB + 0,8 dB + 0,8 dB = 5,0 dB L(dB) = Pfonte(dBm) - Precebida(dBm) Precebida(dBm) = Pfonte(dBm) - L(dB) Precebida(dBm) = -10 dBm 5dB Precebida(dBm) = - 15dBm Qual a potncia recebida no extremo oposto?
  • Slide 13
  • Medio de uma estrutura de fibra ptica Uma medio da perda ptica de potncia deve ser executada em todas as ligaes da fibra ptica a fim de determinar a perda total do enlace. Duas configuraes podem ser usadas para este teste: o loop back e o end-to- end.A configurao end-to-end.
  • Slide 14
  • Configuraes de teste
  • Slide 15
  • Exemplo end-to-end Uma estrutura de fibra ptica est sendo avaliada para verificao da perda total do enlace. O cordo ptico A foi avaliado antes do teste e determinou-se uma perda de 0,5 dB. Na configurao end-to-end, a leitura de perda do medidor de potncia 8,1 dB. Qual a perda da fibra? Lestrutura(dB) = LMedEnd(dB) LCordoA(dB) Lestrutura(dB) = 8,1 dB 0,5 dB Lestrutura(dB) = 7,6 dB
  • Slide 16
  • Usando o cordo ptico para testes, o valor de -15 dBm foi gravado como referncia do medidor de potncia. Nos cordes pticos A e B determinou-se uma perda de 0,5 dB para cada. A leitura do medidor de potncia -31,2 dBm. Qual a perda da fibra? = 7,6 dB Exemplo loop back
  • Slide 17
  • Diagrama A entrada de luz no sensor ptico de potncia (1) convertida foto-eltricamente para corrente por um fotodiodo, a seguir convertida para tenso por um conversor corrente- para-tenso (2) que consiste em um amplificador operacional.
  • Slide 18
  • Diagrama Em seguida, o sinal de tenso passa atravs de um amplificador de ganho varivel (3), de um filtro passa baixa varivel (6), de um amplificador (7), e de um conversor A/D (8), e ento inserido numa CPU (10) como um sinal digital. Aps processamento pela CPU, o resultado processado indicado no display.
  • Slide 19
  • Diagrama Para a entrada de luz modulada, o sinal passa atravs de um amplificador de ganho varivel (3) e de um filtro de banda passante (4), ento detectado por um detector (5) e inserido no filtro passa baixa varivel (6).
  • Slide 20
  • Teste de flexo alternada Especificao: O cabo deve suportar a aplicao de 50 ciclos contnuos de flexo alternada em mandril universal de 560 mm sem que ocorra a variao ou incremento nos valores de potncia superior a 0,10 dB ou danos permanentes ao revestimento externo. Resultado No ocorreram mudanas significativas Cabo Aprovado
  • Slide 21
  • Teste de dobramento Especificao: O cabo deve suportar a aplicao de 25 ciclos completos de dobramento em mandril com dimetro igual a 06 vezes o raio do dimetro externo do cabo sem que ocorra a variao ou incremento nos valores de potncia superior a 0,10 dB ou danos permanentes ao revestimento externo. Resultados: 1- 25 ciclos contnuos de dobramento em mandril de 200 mm Aprovado 2- 25 ciclos contnuos de dobramento em mandril de 230 mm -- Aprovado
  • Slide 22
  • Teste de Impacto Especificao: O cabo deve suportar a aplicao de 25 ciclos contnuos de impacto em queda livre a uma altura igual a 150 mm com massa de impacto igual a 10 kgf sem que ocorra a ruptura de nenhuma fibra. Resultados: 1- 25 ciclos de impacto com massa igual a 10 kgf Aprovado 2- 25 ciclos de impacto com massa igual a 12 kgf Aprovado 3- 25 ciclos de impacto com massa igual a 14 kgf Reprovado (Ruptura de fibra)
  • Slide 23
  • Teste de Compresso Especificao: O cabo deve suportar a aplicao de uma vez sua massa por km em carga de compresso tendo como carga mnima 1000 N sem que ocorra a variao ou incremento nos valores de potncia superior a 0,10 dB ou danos permanente ao revestimento externo. Resultado Incio de variao acentuada com 315 kgf de compresso Aprovado
  • Slide 24
  • Norma ABNT 13520 Esta Norma prescreve o mtodo para determinao da variao da atenuao ptica em fibras pticas, utilizando os mtodos por medida direta, medida de referncia e por retroespalhamento. Determinao da variao da atenuao ptica Mtodo por medida direta
  • Slide 25
  • Procedimento do mtodo por medida direta Retirar o revestimento e clivar as extremidades da fibra ptica, garantindo que elas estejam limpas, planas e perpendiculares ao seu eixo. Posicionar devidamente a fibra ptica nos sistemas de lanamento e deteco do sinal. Garantir que todas as conexes no interfiram no ensaio, fixando devidamente terminaes da fibra ptica de ensaio. Medir e registrar o nvel de potncia inicial (S1), em decibel-metro ou miliwatts Submeter a fibra ao ensaio desejado Medir e registrar o nvel de potncia (S2), em decibel-metro ou miliwatts