Material 8aeb3d9ccb

download Material 8aeb3d9ccb

of 58

  • date post

    25-Jun-2015
  • Category

    Education

  • view

    349
  • download

    0

Embed Size (px)

description

desenv

Transcript of Material 8aeb3d9ccb

  • 1. DESENVOLVIMENTOSUSTENTVEL,AS NOVAS PROFISSESE QUALIFICAES

2. O MUNDO ACABAR AMANH DE MANH 3. O MUNDO ACABAR AMANH DE MANH 4. O MUNDO ACABAR AMANH DE MANH 5. O MUNDO ACABOU 6. EFEITO ESTUFA um fenmeno natural que permite conservar aatmosfera da Terra aquecida, mantendo prxima dabiosfera parte da radiao trmica emitida pelo sol. Determinados gases que compem a atmosfera doplaneta retm parte do calor emitido pelos raios solaresVapor dguaDixido de carbono (co)Metano (ch4)xido nitroso (no)Oznio (o) 7. CENRIOS - EFEITOS MUNDIAISAQUECIMENTO GLOBAL a elevao sistemtica da temperaturamdia anual do planeta.MUDANAS CLIMTICASSo variaes significativas do climaplanetrio ocorridos em curtos intervalos detempo e que podem ser verificados atravs da variabilidade de indicadores fsicos, biolgicos e geolgicos. 8. CENRIOS - EFEITOS MUNDIAIS MUDANAS CLIMTICAS No ltimo sculo foram observados mudanas climticassistemticas que vm sendo atribudas ao humana sobre o ambiente, cujas conseqncias se expressam naintensificao de fenmenos comoDiminuio da camada de oznioDerretimento das geleirasExtino de espcies nativas da fauna e flora brasileiraFuraces, vendavais e tsunamesSecas e desertificaoGrandes volumes de chuvasAumento do nvel dos mares 9. CENRIOS - CAUSAS MUNDIAIS A ao dos seres humanos potencializa estes fenmenos, uma vez que os poluentes lanados diariamente naatmosfera, provenientes da queima de combustveis fsseis(diesel e gazolina), e de florestas, pelo desmatamento, entre outros, se acumulam e aumentam ainda mais a temperaturana atmosfera do planeta. Exemplo:O desaparecimento das abelhas atacadas por fungos e bactrias devido ao aquecimento global. 10. EMISSES MUNDIAIS DE GS CARBNICO24% - Produo de energia cerca de 2/3 abastecem as indstrias e os servios que consumimos23% - Indstria quase 100% de toda a produo para o nosso consumo17% - Agricultura - cultivo de alimentos para o nosso consumo14% - Transporte metade dos translados de cargas para comprarmos e consumirmos.14% - Desmatamento para abertura de reas para plantar e produzir alimentos para nosso consumo e exportao23% - Indstria quase 100% de toda a produo para o nossoconsumoNossas compras domsticas so responsveis por 77% das emisses de gs carbnico do mundo 11. Revoluo IndustrialMUDANAS sculos XVIII e XIX, diviso de classes sociais,capital x trabalho, burguesia e trabalhador,acmulo de riquezas, descoberto o consumismo,explorao dos recursos naturais desordenadamente, desrespeito ao meio ambiente, incio dapoluio do planeta e da excluso social. 12. MARCOS REFERENCIAIS DODESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL CONFERNCIAS Conferncia das Naes Unidas (Estocolmo, 1972)Conferncia das Naes Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio de Janeiro, 1992)Conferncia das Naes Unidas para o Desenvolvimento Sustentvel(Johannesburg, 2002). 13. MARCOS REFERENCIAIS DODESENVOLVIMENTO SUSTENTVELDOCUMENTOSRelatrio do Clube de Roma:Limites do Crescimento (1968)Declarao de Estocolmo (1972)Relatrio Bruntland: Nosso Futuro Comum (Noruega, 1986) Declarao do Rio (1992)Agenda 21 (1992). 14. MUDANASRio 92 A maior Conferncia Mundial dasNaes Unidas para o Meio Ambiente, realizadana cidade do Rio de Janeiro em 1992.Com a participao de delegaes nacionais ede mais de 170 paises. Foi a primeira reunio internacional demagnitude a se realizar aps o fim da GuerraFria. 15. Rio 92 Conferncia Mundial das Naes Unidaspara o Meio AmbienteCARTA DA TERRA a declarao de valores e princpios fundamentaispara a construo de uma Sociedade Global no sculo XXI, mais justa, solidria, sustentvel epacfica. 16. Princpios para o Desenvolvimento Sustentvel1 Respeitar a Terra e a vida em toda a sua diversidade2 - Cuidar da comunidade da vida com compreenso, compaixo e AMOR.3 Construir sociedade democrticas, justas, participativas, sustentveis e pacficas.(redes)4 Garantir a generosidade e a beleza da Terra para as atuais e futuras geraes.5 Proteger e restaurar a integridade dos sistemas ecolgicos da Terra.6 Prevenir o dano ao ambiente como melhor mtodo de proteo ambiental equando o conhecimento for limitado, tomar o caminho da prudncia7 Adotar padres de produo, consumo e reproduo que protejam ascapacidades regenerativas da Terra, os direitos humanos e o bem-estar comunitrio.8 Avanar o estudo da Sustentabilidade ecolgica e promover a troca aberta euma ampla aplicao do conhecimento adquirido. 17. Princpios para o Desenvolvimento Sustentvel9 Erradicar a pobreza como imperativo tico, social, econmico e ambiental10 Garantir que as atividades econmicas e instituies em todos os nveispromovam o desenvolvimento humano de forma eqitativa e sustentvel.11 Afirmar a igualdade e a equidade de gnero como pr-requisitos para odesenvolvimento sustentvel e assegurar o acesso universal educao, ao cuidadoda sade e s oportunidades econmicas.12 Defender, sem discriminao, os direitos de todas as pessoas a um ambientenatural e social, capaz de assegurar a dignidade humana, a sade corporal e o bem-estar espiritual, dando especial ateno aos direitos dos povos indgenas e minorias.13 Fortalecer as instituies democrticas em todos os nveis e proporcionar-lhestransparncia e prestao de contas no exerccio do governo, a participao inclusivana tomada de decises e no acesso justia14 Integrar na educao formal e aprendizagem ao longo da vida, osconhecimentos, valores e habilidades necessrias para um modo de vida sustentvel.15 Tratar todos os seres vivos com respeito e considerao. 18. O INSTRUMENTO DEPLANEJAMENTO PARA A AGENDA 21CONSTRUO DE GLOBALSOCIEDADES SUSTENTVEIS EMDIFERENTES BASES GEOGRFICAS,QUE CONCILIA MTODOSDEPROTEO AMBIENTAL, JUSTIA SOCIAL EEFICINCIA ECONMICA. 19. AGENDA 21 GLOBAL Constitui um roteiro-guia para a implementao de um modelo desustentabilidade para o desenvolvimento sustentvel, no que se refereao manejo dos recursos naturais tendo em vista a preservao da sociobiodiversidade.Preconiza o comprometimento participativo e crescente das diferentes comunidades e sociedades em sua definio, implementao e avaliao. A Agenda 21 global prev a planificao de Agendas Nacionais porpaises signatrios, sempre articuladas s Agendas locais, referentes aos diferentes socioambientes que constituem cada pas. 20. AGENDA 21 GLOBAL composta por 40 captulos que abrangem todos os aspectos e so divididos em 4 sees1 DIMENSES SOCIAIS E ECONMICAS (2 a 8)2 CONSERVAO E GESTO DOS RECURSOS PARA O DESENVOLVIMENTO (9 a 22)3 FORTALECIMENTO DO PAPEL DOS GRUPOS PRINCIPAIS (23 a 32)4 MEIOS DE IMPLEMENTAO (33 a 40) 21. Agenda 21 Global Seo I Dimenses Sociais e Econmicas Captulo 4Mudana dos padres de consumo 22. Agenda 21 Global Capitulo 5 Seo I Dimenses Sociais e Econmicas Demografia e sustentabilidade 23. Agenda 21 GlobalCapitulo 5Seo I DimensesSociais e Econmicas Integrao do meio ambiente edesenvolvimento 24. Agenda 21 GlobalCapitulo 31Seo III Fortalecimentodos Grupos Principais Comunidade cientfica e tecnolgica 25. Agenda 21 Global Capitulo 35Seo IV Meios deImplementao Cincia para o Desenvolvimento Sustentvel 26. Agenda 21 Global Capitulo 36Seo IV Meios deImplementaoPromoo de ensino, conscientizao etreinamento 27. 1. Erradicar a pobreza extrema e a fome.2. Atingir o ensino bsico universal.3. Promover a igualdade de gnero e a autonomia feminina.4. Reduzir a mortalidade infantil.5. Melhorar a sade materna.6. Combater o HIV/AIDS, a malria e outras doenas7. Garantir a sustentabilidade ambiental.8. Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento. 28. MUDANAS OBJETIVOS DO MILNIO ODM um conjunto de 8 macros objetivos, subdivididos em 18metas a serem atingidas pelos pases at o ano de 2015, por meio de aes concretas dos governos e da sociedade. Aprovados pelas Naes Unidas em setembro de 2000,quando os pases membros assinaram um compromisso compartilhando com a sustentabilidade do Planeta. a agenda do Planeta, da Humanidade, do Brasil e de cada um de Ns. 29. AGENDA 21BRASILEIRA PLANO DE AO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL, RESULTADO DEAMPLO PROCESSO DE DEBATE REALIZADO PELA SOCIEDADE BRASILEIRA ENTRE 1997 E 2002, QUE DEFINIU COMO LINHAS ESTRATGICAS.FOI INCLUDO NO PLANO PLURI ANUAL DO GOVERNO FEDERAL PPA 2004 / 2007,E AGORA NO 2008 / 2011, CONSTA DA POLITICA DE MEIO AMBIENTE.A ECONOMIA DA POUPANA NA SOCIEDADE DO CONHECIMENTOINCLUSO SOCIAL PARA A SOCIEDADEESTRATGIA PARA A SUSTENTABILIDADE URBANA E RURALRECURSOS NATURAIS ESTRATGICOS; AGUA, BIODIVERSIDADE E FLORESTASGOVERNANA E TICA PARA A PROMOO DA SUSTENTABILIDADE 30. AGENDA 21 LOCALA AGENDA 21 LOCAL O PLANO DE AOQUE REGISTRA O COMPROMISSO DE SO PAULO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL. O INSTRUMENTO DE FORMULAO E IMPLEMENTAO DEPOLITICAS PBLICAS LOCAIS, POR MEIO DE PLANEJAMENTOESTRATGICO PARTICIPATIVO, COM A COOPERAO E A CO-RESPONSABILIDADE, QUE DEFINE E ESTABELECE PRIORIDADES A SEREM EXECUTADAS PELA PARCERIA GOVERNO-SOCIEDADE .DESENVOLVIMENTO URBANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL QUALIDADE AMBIENTALESTRUTURA ECONMICA E ADMINISTRATIVA 31. A IMPORTNCIA DOS 3 SETORES > PODER PBLICO > INICIATIVA PRIVADA> SOCIEDADE CIVILESTE PROCESSO DEVE ACONTECER COM A PARTICIPAO DOS TRS SETORES QUE FORMAM A SOCIEDADE, PODERPBLICO, INICIATIVA PRIVADA E SOCIEDADE CIVIL,DISCUTINDO QUESTES LIGADAS GERAO DE EMPREGO E RENDA, INCLUSO SOCIAL, E MUDANAS NOS PADRES DE PRODUO E CONSUMO PARA A CONSTRUO DECOMUNIDADES SUSTENTVEIS. 32. OBJETIVOS AGENDA 21 SO PAULOOS OBJETIVOS DO PROGRAMA AGENDA 21 DASECRETARIA DO VERDE E DO MEIO AMBIENTE SO:A CONSTRUO DOS PROCESSOS DE AGENDA 21 NOSTERRITRIOS DE ABRANGNCIA DAS SUBPREFEITURAS A ORGANIZAO, A COORDENAO E A CONDUO INSTITUCIONAL PARA QUE SEJA ESTABELECIDA A RELAO DE PARCERIA ENTRE OS TRS SETORES DEFORMA A ARTICULAR E DIFUNDIR UMA CULTURA DE SUSTENTABILIDADE. 33. REDE DAS AGENDAS 21 DA CIDADE DE SO PAULO E GRANDE SO PAULO REGIO MACRO METROPOLITANAREGIO MACRO CENTROREGIO MACRO NORTEREGIO MACRO SUL REGIO MACRO LESTE REGIO MACRO OESTE 34. O PROTOCOLO DE QUIOTO REDUO EM 5,2% DA EMISSO DE