MATERIAIS DE CONSTRU‡ƒO II - .materiais de constru§£o...

download MATERIAIS DE CONSTRU‡ƒO II - .materiais de constru§£o “Nacondi§£o de material de constru§£o,

of 32

  • date post

    08-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    213
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of MATERIAIS DE CONSTRU‡ƒO II - .materiais de constru§£o...

  • MATERIAIS DE CONSTRUO II

    Prof. Maycon Del Pieromaycon@delpiero.com.br

  • MADEIRA COMO MATERIAL DE CONSTRUO

    (CAPTULO 17)p. 437 a 525

  • 17.1 INTRODUOCaractersticas das

    madeiras como materiais de construo

  • Na condio de material deconstruo, as madeirasincorporam todo um conjuntode caractersticas tcnicas,econmicas e estticas quedificilmente se encontram emoutro material existente.

  • Resistncia mecnica; Resistncia a choques e esforos

    dinmicos (tenacidade); Isolamento trmico e absoro

    acstica; Fcil trabalhabilidade; Custo de produo reduzido; Variedade de padro esttico e

    decorativos.

  • Em estado natural, apresenta caractersticas negativas anuladas recentemente:

    A degradao de suas propriedades e osurgimento de tenses internas, decorrentes dealteraes em sua umidade, anulados pelosprocessos de secagem artificial controlada;

    A deteriorao, quando em ambientes quefavorea, o desenvolvimento de seus principaispredadores, contornada com os tratamentos depreservao;

    A marcante heterogeneidade prpria de suaconstituio fibrosa orientada, assim como alimitao de suas dimenses, resolvidas pelosprocessos de transformao nos laminados,contraplacados e aglomerados de madeira

  • USO DA MADEIRA (dados de 1970)

    Combustvel: 53% Construo: 37% Outros: 10%

  • 17.2 ORIGEM E PRODUO DAS

    MADEIRAS

  • 17.2.1 Classificao das rvores

    Classificam-se conforme sua germinao e crescimento em:Endgenas - Crescimento de dentro pra fora, aparte externa mais antiga: palmeiras e bambus.

    Exgenas - Crescimento de fora pra dentro, denovas camadas: anis anuais de crescimento.Aqui esto o grande grupo de rvoresaproveitveis para a construo.

    Diferenciando em: Ginospermas e Angiospermas

  • Ginospermas (do grego Gymnos: 'nu'; e sperma: 'semente') Conferas ou resinosas; No produzem frutos; Sementes (pinhas) descobertas; Folhas em forma de agulhas; Geralmente com lenho de madeira branda (fraca); Correspondem ao grupo das softwood (madeiras macias) na

    classificao norte americana; 35% das espcies conhecidas

    Angiospermas (do grego: angeos () - "bolsa" e sperma() - "semente") Frondosas; Folhosas; hardwood (madeira dura); No Brasil denominada "Madeira de Lei; 65% das espcies conhecidas.

  • 17.2.2 Fisiologia e crescimento das rvores

    Raiz Caule Copa

  • Casca - proteger o lenho, em poucos casos possvel ser utilizado com material de isolamento;

    Cmbio - entre a casca e o lenho; Lenho - ncleo de sustentao, quase todas as

    espcies contrastam entre: alburno e cerne;

    Alburno - parte externa, cor mais clara que o cerne, formado por clulas vivas e atuantes. Condutor de seiva bruta, da raiz copa. As clulas internas vo morrendo e dando espao para o cerne. Corresponda entre 25% e 50% de lenho.

    Cerne - colorao mais escura que o alburno, formado por clulas mortas. Mais resistente;

    Medula - Miolo, tecido frouxo, mole e esponjoso, muitas vezes j apodrecido. Sem resistncia mecnica nem durabilidade;

    Vasos - Transporte e armazenamento de nutrientes.

  • 17.2.6 Produo das Madeiras

    Corte | Toragem | Falquejamento | Desdobro | Aparelhamento

    Corte - ou derrubada das rvores, realizada em pocas apropriadas, geralmente no inverno. A poca do corte no influencia na resistncia da madeira, mas sim na durabilidade, devido secarem lentamente sem rachar, sendo menos atrativas a fungos e insetos.

    Toragem - desgalhada e traada em toras de 5 a 6 metros pra facilitar transporte.

    Falquejamento - retirado 4 costaneiras, ficando retangular e facilitando o transporte.

    Desdobro - corte de pranches com espessura maior que 7 cm e largura maior que 20 cm.

    Aparelhamento - obteno peas nas bitolas comerciais por serragem e resserragem.

    *As peas de madeira serrada podem ainda, para empregos que o exijam, ser aplainadas em duas ou quatro faces.

  • 17.3 PROPRIEDADES

    FSICAS DAS MADEIRAS

  • 17.3.1 Fatores de Alterao das Propriedades Fsicas e Mecnicas.Atravs de ensaios de qualificaoPodem varias por fatores: naturais e tecnolgicos.

    Fatores naturais de variao: a espcie botnica da madeira a massa especfica do material a localizao da pea no lenho a presena de defeitos a umidade

    Fatores tecnolgicos de variao so aqueles quedecorrem do procedimento desenvolvido na execuodos ensaios

  • 17.3.2 Ensaios Normalizados

    NBR 6230:1940 (MB 26/40) -CANCELADA

    NBR 7190:1997 - Projeto de estruturas de madeira

  • 17.3.3 Caractersticas Fsicas das Madeiras

    Nas madeiras, sob o ttulo de caractersticas fsicas, so normalmente examinadas: a umidade, a retratibilidade, a densidade, a condutibilidade eltrica, trmica e fnica e a resistncia ao fogo.

  • 17.3.3.1 Umidade presena de gua

    gua de constituio - no eliminada na secagem, pois faz parte da sua constituio

    gua de impregnao - madeira mida. Causando inchamento nas paredes das clulas

    gua livre - aps a gua de impregnao, quando a gua comea a encher os vazios capilares.

    Expresses referentes a umidade das madeiras:

    madeira verde - com teor de umidade acima do ponto de saturao ao ar, normalmente acima de 30%;

    madeira semi-seca - inferior ao ponto de saturao, acima de 23%;

    madeira comercialmente seca - entre 18 e 23%; madeira seca ao ar - entre 13 e 18%; madeira dessecada - entre 0 e 13%; madeira completamente seca - com 0%.

  • expresso percentualmente em relao ao peso seco:

    = seco

    = mido

  • 17.3.3.2 Retratilidade

    Tambm denominado:

    Contrao

    Inchamento

    Trabalho

    Consequncia da absoro de gua

  • 17.3.3.3 Densidade

    Normalmente considerada a massaespecfica aparente (considera-se osporos);

    Utiliza-se umidade normal de 15%;

  • 17.3.3.4 Condutibilidade EltricaSeca isolante;

    mida condutora;

  • 17.3.3.5 Condutibilidade TrmicaMau condutor;

    MaterialCondutividad

    e trmica

    Cobre 300

    Ao 50

    Pedras 2 a 3

    Paredes de tijolos

    0,5 a 1,0

    Madeiras 0,1

    Isolamentos 0,04

  • 17.3.3.5 Condutibilidade TrmicaLembrar:

    Conduo molcula para molcula;

    Conveco - movimento de massas;

    Irradiao ondas eletromagnticas.

  • 17.3.3.6 Condutibilidade Sonora Isolamento acstico - Enfraquecimento do

    nvel sonoro Importa aqui o Isolamento acstico

  • 17.3.3.6 Condutibilidade Sonora Condicionamento acstico (tratamento) Importa aqui o coeficiente de absoro

  • 17.3.3.7 Resistncia ao Fogo

    Incndio: nasce, propaga-se e extingue-se;

    Centro de um incndio: 850C (propagar);

    Mais fcil impedir o nascer ao propagar;

    Madeira no tratada prende fogo: 275C

  • 17.4 PROPRIEDADES

    MECNICAS DAS MADEIRAS

    (...)