Manual Linguagem Jur dico-Judici ria - final

Click here to load reader

  • date post

    08-Dec-2016
  • Category

    Documents

  • view

    217
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Manual Linguagem Jur dico-Judici ria - final

  • TRIBUNAL DE JUSTIAESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

    Porto Alegre Abril de 2005

  • R585m Rio Grande do Sul. Tribunal de Justia. Departa-mento de Taquigrafia e Estenotipia.Manual de Linguagem Jurdico-Judiciria / De-

    partamento de Taquigrafia e Estenotipia. 5 ed.rev. ampl. e com nova formatao Porto Alegre :Departamento de Artes Grficas, 2005.

    1. Linguagem jurdica Abreviaturas 2. Lingua-gem jurdica Estrangeirismos 3. Linguagem jurdi-ca Expresses Padronizao 4. Linguagem jur-dica Termos tcnicos Padronizao 5. Lingua-gem jurdica Siglas I. Ttulo.

    CDU 340.113(035)

    Catalogao na fonte elaborada pela Biblioteca do TJRS

  • Superviso Administrativa: Desembargador Jaime Piterman, 2 Vice-Presidente do Tribunal de Justia do Estado.

    Superviso Tcnica: Prof. Adalberto J. Kaspary

    Colaborao:Anelise Klein Departamento de Taquigrafia e EstenotipiaEster Motta Vivian Departamento de Taquigrafia e EstenotipiaJos ngelo Marchiori Assessoria de GabineteLiane de V. Daubermann Departamento de Taquigrafia e EstenotipiaLcia Aiquel Departamento de BibliotecaMarco Antnio Maciel da Silva Departamento de Artes GrficasMaria Ins Ely Silveira Departamento de Taquigrafia e EstenotipiaMary Biancamano Memorial do JudicirioRenato Kerbes Departamento de Taquigrafia e EstenotipiaRosane Kern Secretaria de CmaraSaleti B. Medeiros Departamento de Taquigrafia e Estenotipia

    Projeto Grfico e Editorao:Luiz Fernando Franken Sardo Departamento de Artes Grficas

    Capa: Afresco A Criao do Homem, de Michelangelo.

    Capela Sistina, Vaticano, 1510.

    Arte da Capa: Paulo Guilherme de Vargas Marques Departamento de Artes Grficas

    Impresso:Departamento de Artes Grficas

    Este Manual pode ser encontrado em http://www.tjrs.gov.br/docs/manuais/manuais.htmlou http://www.tjrs.gov.br/setores/taquigrafia/index.html

    Envie suas sugestes e/ou dvidas para [email protected]

  • SUMRIO

    Apresentao ................................................................................... 7

    Padronizaes .................................................................................. 13

    Estrangeirismos ................................................................................ 91

    Abreviaturas, Siglas e Smbolos ....................................................... 141

    Abreviaturas e Siglas na Nomenclatura dos Feitos ........................... 179

    Obras Consultadas ........................................................................... 183

  • APRESENTAO

    Poucas so as reas do conhecimento que prescindem de uma boaformao cultural e lingstica. No caso do intrprete e aplicador do Direito, oemprego correto das palavras e das expresses representa um caminho se-guro para as solues exigidas pelo sistema.

    O presente MANUAL DE LINGUAGEM JURDICO-JUDICIRIA bus-ca enriquecer a cultura do operador do Direito com a exposio de conceitose com o esclarecimento da terminologia legal e convencional que se cristali-zou na evoluo da histria.

    Considerando que numerosas discusses surgem de mal-entendidossobre o sentido dos vocbulos, no ser uma das misses do jurista unificar oseu emprego?

    Se verdade que a linguagem um instrumento capital para o pen-samento, resulta dessa evidncia a necessidade de fixar os termos com exa-tido a fim de evitar desacordos e conflitos.

    Nesse diapaso, compreende-se a afirmao de HENRI CAPITANTno seu VOCABULRIO JURDICO: O homem vive em uma atmosfera jurdi-ca; a trama da vida social est feita com relaes de direito. indispensvel,pois, conhecer o sentido das palavras que constituem a sua linguagem.

    Por outro lado, a utilizao da linguagem como instrumento ou ele-mento de classificao no afasta as suas possibilidades de uso como cin-cia e interpretao.

    O idioma jurdico vem-se renovando com as influncias interculturaisque provocam mudanas nos mtodos, nas tradies e nos estilos de pensa-mento.

    Da por que louvvel a atitude dos que se voltam pesquisa e aco-lhem os neologismos como representativos de novas formas de expresso esmbolos e conquistas conceituais mais amplas e profundas.

    Desembargador Jaime Piterman

  • ABREVIATURAS USADASNESTE MANUAL

    adj. adjetivo

    adv. advrbio

    al. alemo

    arc. arcaico

    esp. espanhol

    estrang. estrangeirismo

    ex. exemplo(s)

    fig. figurado

    fr. francs

    ingl. ingls

    ital. italiano

    lat. latim

    lit. literatura

    loc. locuo

    loc. conj. locuo conjuntiva

    obs. observao

    o. d. objeto direto

    o. i. objeto indireto

    p. ex. por exemplo

    p. ext. por extenso

    pl. plural

    port. portugus

    sing. singular

    subst. substantivo

    subst. fem. substantivo feminino

    subst. masc. substantivo masculino

    var. variao

    v. verbo

    v. def. verbo defectivo

    v. t. d. verbo transitivo direto

    v. t. i. verbo transitivo indireto

  • 10 Manual de Linguagem Jurdico-Judiciria

  • Manual de Linguagem Jurdico-Judiciria 11

    ba ila

    b a c h a r e l

    c a ix a -

    d g u

    a

    d a p o r q u e

    face a

    , e mfa c

    e de

    hbeas-crpusilid ir

    janeiro

    la c e r o c o n t u s o

    na medida em que

    PADRONIZAES

  • Manual de Linguagem Jurdico-Judiciria 13

    baila, balha acerto

    A baila, balha nas expresses vir baila (vir a propsito, fazer-se lem-brado oportunamente); estar ou andar na baila (ser chamado ou citado fre-qentemente); chamar baila (fazer que se manifeste, provocar)

    abaixo-assinado = o documento

    abaixo assinado = a pessoa

    -b-c abecedrio

    abril (abr.) (USAR inicial minscula)

    ab-rogar = revogar totalmente

    Ao Direta de Inconstitucionalidade ADIn; partes: proponente /requerido(a) reqdo.(a.)

    ao monitria ao para, de forma sumria, sem oposio de embar-gos, obter mandado para pagamento de soma em dinheiro, entrega de coisafungvel, etc.

    ao rescisria partes: autor(a) A. / ru R. / interessado(a)

    a cerca de distncia aproximada, tempo aproximado (faltando mais oumenos...) (ver h cerca de)

    acerca de sobre, a respeito de (ver h cerca de)

    acerto = ato de acertar (ver asserto)

  • 14 Manual de Linguagem Jurdico-Judiciria

    acidentes geogrficos Com inicial minscula, mesmo que seguidos dorespectivo nome prprio, exceto quando a designao do acidente fizer partede substantivo prprio. (ex.: rio Guaba, lagoa Mirim, ilha de Fernando deNoronha; mas Ilhas Cayman)

    acrdo deciso colegiada

    acostar algo a = juntar, anexar algo a

    custa de

    adequar o verbo adequar segue a conjugao de averiguar (adeqe, ade-qemos, adequa, adequo, adeqem, etc.)

    a destempo fora de prazo (NUNCA usar desatempadamente); (veratempar)

    Administrao Direta e Indireta quando se refere s instituies

    administrao direta e indireta quando forem formas de administrao

    admonitria audincia de advertncia ao ru das condies do sursis

    a domiclio com verbo com idia de movimento (ex.: levar a domiclio, ira domiclio); (ver em domiclio)

    adredemente (NUNCA usar)

    ad-rogar adotar ou tomar por adoo (pessoa de maior idade)

    advocacia-geral

    advogado-geral

    evidncia (ver a toda a evidncia)

    a expensas de

    aficionado (NO existe aficcionado)

    afim parente por afinidade, parecido, semelhante

    a fim de = para

    afinal = por fim, finalmente, em resumo, em concluso

    acidentes geogrficos afinal

  • Manual de Linguagem Jurdico-Judiciria 15

    a final = no trmino, no final, ao termo

    afrontar (v. t. d.)

    agosto (ago.) (USAR inicial minscula)

    agravo partes: agravante agte./ agravado(a) agdo.(a.) / agravante--agravado(a) / co-ru / co-r / interessado(a) / vtima

    agravo de instrumento

    agravo do agravo

    agravo em execuo

    agravo regimental

    agravo retido

    Agravos so interpostos.

    guisa de maneira de, ao modo de

    a instncias de por insistncia de

    al abreviao de aliud (outra coisa, coisa diversa); (ex.: Se por al no esti-ver preso...)

    lbum Imobilirio livro de registro imobilirio

    alm-fronteiras

    alm-mar

    aluguel, aluguer ambas as formas esto corretas (pl.: alugueres, alu-guis)

    a lume (subst. masc.) nas expresses trazer a lume (tornar patente;mostrar); vir a lume (ser publicado); dar a lume (publicar)

    luz (subst. fem.)

    mo armada

    ambos os, ambas as seguidos de substantivo, sempre acompanhadosde artigo

    a final ambos os, ambas as

  • 16 Manual de Linguagem Jurdico-Judiciria

    medida que = conforme, enquanto, ao passo que (ver na medida emque)

    merc de = ao sabor de, sob a dependncia de (ver merc de)

    amor-prprio

    anatocismo juros sobre juros

    a nvel de (NO existe em portugus; ver em nvel de)

    ano-base pl.: anos-base(s)

    ano-novo

    ano 2000 (sem ponto no milhar); (ver 00)

    ante o exposto e no ante ao exposto

    antiguidade forma atual, sem trema

    antiMaluf, antimalufista

    ao encontro de = a favor de, em benefcio de, para junto de (ver de encontro a)

    ao invs de = idia de oposio, contrariedade (ver em vez de)

    aonde ex.: Aonde vais? (ver onde; donde)

    ao revs = ao invs

    ao par = referente a taxas de cmbio e mercado de aes

    a par = ciente, informado

    apart-hotel; apart-hotis

    a partir de deve ser empregado preferencialmente no sentido temporal

    apelao partes: apelante apte. / apelado(a) apdo.(a.) /interessado(a) / apelante-ape