LIPPING - Microsoft · > Onde: Estrada Particular da Pedreira, 250. Estacionamento incluso >...

of 149/149
1 Grupo de Comunicação CLIPPING 23 de setembro de 2019 INÍCIO DA PRIMAVERA
  • date post

    15-Aug-2020
  • Category

    Documents

  • view

    0
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of LIPPING - Microsoft · > Onde: Estrada Particular da Pedreira, 250. Estacionamento incluso >...

  • 1

    Grupo de Comunicação

    CLIPPING 23 de setembro de 2019

    INÍCIO DA PRIMAVERA

  • 2

    Grupo de Comunicação

    SUMÁRIO

    ENTREVISTAS ............................................................................................................................... 5

    Onde São Paulo é mais verde.......................................................................................................... 5

    Condemat assina em Salesópolis autorização para estudo de compensação financeira aos municípios afetados pela Lei Estadual de Proteção aos Mananciais ....................................................................... 9

    Discurso - Presidente da Sabesp Benedito Braga - Ampliação da coleta de esgoto em São Bernardo do Campo ....................................................................................................................................... 11

    SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA E ............................................................................................. 12

    Estudo definirá compensação ambiental para municípios do Alto Tietê ............................................... 12

    Um rio Tietê limpo e navegável ..................................................................................................... 14

    Paulistanos navegam no Rio Pinheiros e promovem conscientização .................................................. 15

    Frente fria chega ao sudeste, mas temperatura deve continuar alta na região de Ribeirão Preto ............ 17

    Semasa participa do Dia Mundial da Limpeza com ação no lago do Pedroso ........................................ 18

    Rio Preto mais verde .................................................................................................................... 19

    Sistema Cantareira opera com 48,2% da capacidade neste domingo ................................................. 21

    Sistema Alto Tietê opera com 88,4% da capacidade ........................................................................ 22

    Tietê: lembranças de uma época em que o rio não era poluído ......................................................... 23

    Projeto Tietê inclui mais 10 milhões de pessoas nos serviços de saneamento ...................................... 26

    Governo inicia no ABC obra que levará tratamento de esgoto a 382 mil pessoas ................................. 27

    Cetesb renova por mais cinco anos a licença de operação do Aterro Sanitário São Vicente .................... 28

    Dia do Tietê: SP tem desafio para despoluir 15% dos 1.100 km do rio ............................................... 29

    Esgoto a céu aberto é tormento para mais da metade dos brasileiros ................................................. 33

    Rateio da conta de água deve ser discutido em assembleia ............................................................... 38

    Governador de São Paulo autoriza formalização da Sabesp com a Prefeitura de Guarulhos ................... 40

    Sabesp assume tratamento de esgoto em Guarulhos ....................................................................... 40

    Prefeitura de Guarulhos assina contrato para tratamento de esgoto ................................................... 41

    Sabesp inicia obra que ampliará abastecimento ............................................................................... 42

    De volta à cadeira, Atila intensifica ações políticas para tentar resgatar apoio ..................................... 43

    Preservação do Rio Tietê .............................................................................................................. 44

    Cantareira já perdeu 3,2% da água armazenada em três semanas .................................................... 45

    Dia da árvore - pouco a comemorar e muito a cobrar ...................................................................... 46

    Novas obras reforçam abastecimento de água ................................................................................ 50

    Barracos em área de preservação são demolidos ............................................................................. 51

    Contrato entre prefeitura e Sabesp para tratamento de esgotos será assinado na 2ª ........................... 52

    Moradores jogam cocô no asfalto .................................................................................................. 53

    Royalties da água ........................................................................................................................ 54

    Prefeito contesta críticas do presidente da Sabesp ........................................................................... 55

    SOS Mata Atlântica denuncia: mancha de poluição do Rio Tietê aumenta 41 km em um ano ................. 56

    Obras da Sabesp devem por fim à falta de água em Vicente de Carvalho ........................................... 58

    Âncora chama Sabesp de empresa irresponsável e diz não ter medo da instituição .............................. 59

  • 3

    Grupo de Comunicação

    Trecho de audiência pública em que foi oferecido ao diretor da Sabesp um pouco da água fornecida pela própria instituição ....................................................................................................................... 59

    Trecho de entrevista em que o âncora oferece um pouco da água fornecida pela Sabesp ao diretor da entidade ..................................................................................................................................... 59

    Âncora encaminha reclamações de ouvintes quanto a água da Sabesp à assessora de imprensa do Doria ................................................................................................................................................. 59

    Âncora enviará ao Procon as reclamações de ouvintes quanto à água fornecida pela Sabesp................. 59

    Ouvinte reclama do gosto da água................................................................................................. 59

    Registro da Participação de Ouvintes ............................................................................................. 59

    Ouvintes reclamam da má condição da água fornecida pela Sabesp; Âncora cobra ação do Governo do Estado ....................................................................................................................................... 59

    Âncora diz que fará cobrança ao governador Doria quanto a qualidade da água fornecida pela Sabesp ... 59

    Ouvinte reclama da péssima condição da água fornecida pelo Sabesp ................................................ 60

    Divisão da Sabesp de Lins tem novo gerente .................................................................................. 61

    Prefeitura inicia implantação do projeto floresta urbana ................................................................... 61

    Estado inicia obra que levará tratamento de esgoto a Diadema e São Bernardo .................................. 62

    Litígio entre empreiteiras e Sabesp para obras de captação de água .................................................. 63

    Despoluição do rio em ritmo lento ................................................................................................. 64

    ETE de Suzano recebe parte do esgoto de Mogi ............................................................................... 66

    Prefeitura disponibiliza área para o descarte de entulhos ? Marília Notícia ........................................... 67

    A cidade realizará a 3ª Conferência de Política para Mulheres para debater ‘avanços e desafios’ ............ 69

    Prefeitura disponibiliza área para o descarte de entulhos e firma parceria com Amelca ......................... 70

    Filho de Sagui em extinção nasce no zoo ........................................................................................ 72

    Condição da água do Tietê é cada vez mais preocupante .................................................................. 73

    Família Feliciano, por exemplo, já está na quarta geração de pescadores; poluição faz parte do cenário diariamente ................................................................................................................................ 74

    Prudente receberá SP+Perto no 2º semestre de 2020 ...................................................................... 76

    Dia Mundial Sem Carro: trânsito é o vilão da qualidade do ar ............................................................ 77

    Veículos emitem em média 800 toneladas de CO2 por dia em Sorocaba, diz estudo ............................. 78

    60,5% do território da região fica em área protegida; algumas cidades lutam para viabilizar projetos e outras dizem não ver problemas ................................................................................................... 80

    Índice de rejeitos explode em cooperativa de recicláveis de Santos ................................................... 82

    Acordo com MP garantirá obras de despoluição do rio Tietê .............................................................. 84

    Desmoronamento de ponte em Mirassol gera reclamação entre os moradores..................................... 85

    Prefeitura e CETESB se reúnem para resolver situação do aterro de inertes em Marília ......................... 86

    Qualidade do ar de Ribeirão Preto está péssima .............................................................................. 87

    Avião do Corpo de Bombeiros ajuda a controlar incêndio em mata na região de Magda ........................ 88

    Alunos realizam plantio de mudas na Floresta do Noroeste Paulista ................................................... 89

    Novos empreendimentos imobiliários são proibidos .......................................................................... 90

    Meio Ambiente indica nova área para descarte ................................................................................ 91

    Neste domingo é comemorado o dia do Rio Tietê ............................................................................. 92

    Frases do Dia .............................................................................................................................. 94

    Pq. das Nascentes recebe imagem de Nossa Senhora ...................................................................... 95

    Caminhada terá mutirão de limpeza............................................................................................... 96

  • 4

    Grupo de Comunicação

    DIA DO TIETE: vida na região e morte na maioria de sua extensão ................................................... 97

    Semae atualiza dados para levar à Promotoria e Cetesb ................................................................... 99

    CPIs se arrastam nas Câmaras ..................................................................................................... 100

    Começa obra para tratamento de esgoto a 382 mil pessoas no ABC.................................................. 101

    Poluição no rio avança e ameaça região ........................................................................................ 102

    VEÍCULOS DIVERSOS ................................................................................................................. 104

    Dia Mundial Sem Carro: 64% dos passageiros de plataforma de caronas têm carteira de motorista, mas

    escolhem não dirigir ................................................................................................................... 104

    Cientistas descobrem primeiro inseto sul-americano que emite luz azul ............................................ 106

    64% dos usuários de apps de carona têm carta, mas preferem não dirigir ......................................... 107

    Primavera 2019: O que faz do equinócio que marca o início da estação tão especial ........................... 108

    Não conter desmatamento na Amazônia é "suicídio", alerta especialista brasileiro na ONU .................. 109

    FOLHA DE S. PAULO ................................................................................................................... 111

    Painel: Sob impacto do assassinato de Ághata, deputados agem para derrubar excludente de ilicitude . 111

    ONU pede a países planos e menos discurso .................................................................................. 113

    Agrotóxicos são ameaça a anfíbios no Rio Grande do Sul ................................................................. 115

    Forças Armadas do Brasil tentam evitar intervenção na Venezuela ................................................... 117

    Desinvestimento em combustível fóssil tem impacto zero no clima, diz Bill Gates ............................... 119

    'Imagine Bolsonaro sendo julgado por ecocídio em Haia', sugere NYT ............................................... 121

    Uma resposta para Greta ............................................................................................................ 122

    O recado de Greta ...................................................................................................................... 124

    O QUE A FOLHA PENSA: Sinuca ambiental ..................................................................................... 126

    O QUE A FOLHA PENSA: Concreto sem fim .................................................................................... 127

    Um Prêmio Nobel para o Brasil ..................................................................................................... 128

    ESTADÃO .................................................................................................................................. 129

    Mais parques em São Paulo ......................................................................................................... 129

    Infraestrutura verde ................................................................................................................... 130

    Sinto 'pena' pelo Brasil sob governo Bolsonaro, diz Bachelet a TV ..................................................... 131

    Ricardo Salles: 'Brasil fará discurso de esclarecimento e oportunidades' ............................................ 132

    Maior rede de produtos naturais da Suécia suspende compra de produtos brasileiros .......................... 134

    Empresários lançam em Nova York desafio para desenvolvimento de ‘Amazônia possível’ .................... 136

    Mudanças climáticas aceleram e concentração de CO₂ na atmosfera bate recorde, alerta OMM ............ 139

    Brasil tenta recompor sua imagem depois de queimadas na Amazônia, diz Financial Times .................. 141

    The Economist: A questão climática .............................................................................................. 143

    VALOR ECONÔMICO ................................................................................................................... 145

    Saneamento já tem avanços e aguarda novas regras no país ........................................................... 145

    Investidor vê com ceticismo IPOs de estatais ................................................................................. 147

    Iguá avalia postergar abertura de capital ...................................................................................... 148

  • 5

    Grupo de Comunicação

    ENTREVISTAS Veículo: Veja SP

    Data: 23/09/2019

    Onde São Paulo é mais verde

    Com a chegada da primavera, na segunda

    (23), e a subida da temperatura, a Vejinha

    selecionou oito passeios bacanas para entrar

    em contato com a natureza e à distância de no

    máximo uma hora e meia do centro da cidade.

    São atrações para diversos gostos, que

    reúnem desde bons lugares para fazer

    piquenique até trilhas radicais que levam a

    cachoeiras deslumbrantes.

    CIRCUITO DAS CACHOEIRAS

    Ao lado da Rodovia Fernão Dias, é possível se

    aventurar no Núcleo Engordador do Parque

    Estadual da Cantareira. Na região, onde

    antigamente funcionava uma fazenda para

    engorda de gado, as diversões são variadas.

    Mesas para piquenique concentram famílias

    em meio à natureza, e elas aproveitam para

    conhecer a Casa da Bomba, museu repleto de

    equipamentos do século passado, quando a

    Represa do Engordador, hoje uma das estrelas

    do núcleo, era usada para abastecer a cidade.

    As duas principais atrações consistem nas

    trilhas. Para aquecer, comece na Trilha do

    Macuco, de 746 metros. São quarenta minutos

    tranquilos, com sobe e desce, esquivas de

    troncos de árvores e pequenas pontes sobre

    um cristalino riacho. Mais emocionante, a

    Trilha da Cachoeira tem 3 quilômetros e

    apresenta três quedas-d’água no percurso.

    Sem pressa, o passeio dura uma hora e

    cinquenta minutos e é recomendado a todas

    as idades. A primeira queda, a Cachoeira do

    Tombo, conta com uma lagoa para os

    visitantes se refrescarem. Em seguida, surge a

    Cachoeira do Engordador, onde é possível

    colocar a cabeça no fluxo d’água. A última, a

    Cachoeira do Véu, se mostra a mais tranquila

    para um banho, com poucos malabarismos

    para entrar na água (gelada!). Cautela ao se

    refrescar: sem apoio, é fácil escorregar no

    musgo. Leve comida e bebida, porque não há

    lanchonete no parque e existem poucos

    comércios por perto. Não se esqueça do

    repelente!

    > Quando: Sábado, domingo e feriados, 8h às

    17h

    > Onde: Estrada Particular da Pedreira, 250.

    Estacionamento incluso

    > Quanto: Ingresso por 15 reais — pagamento

    somente em dinheiro; parque estadual que

    ainda desconhece a comodidade das

    maquininhas

    BOTÂNICO PAULISTANO

    Quase tão bonito quanto o do Rio de Janeiro, o

    Jardim Botânico de São Paulo, na Zona Sul, é

    um espetáculo natural. Fundado em 1938, o

    parque tem cerca de 360 000 metros

    quadrados e oferece vastos gramados para

    descanso, prática de ioga e piquenique, em

    um ambiente cercado por uma área

    preservada de Mata Atlântica. Não estranhe a

    quantidade de visitantes fazendo ensaios

    fotográficos por ali. O espaço é repleto de

    trilhas pelas quais se pode passear sem a

    ajuda de um guia. Uma delas vai até a

    nascente do Riacho do Ipiranga, às margens

    do qual dom Pedro I proclamou a

    independência, em 1822. São 720 metros em

    um caminho pavimentado e cercado por

    árvores nativas. Com sorte, é possível avistar

    algumas espécies da mata, como periquitos e

    bugios. As crianças vão à loucura ao deparar

    com as construções antigas por lá, nas quais é

    permitido entrar para explorar.

  • 6

    Grupo de Comunicação

    > Quando: Terça a domingo, 9h às 17h

    > Onde: Entrada pela Avenida Miguel Stéfano,

    3031, Água Funda. Estacionamento por 15

    reais

    > Quanto: Ingresso por 10 reais

    NÃO FALTA SOMBRA

    Dois belos lagos, a residência de verão do

    governador de São Paulo e ar puro. No Parque

    Estadual Alberto Löfgren, ou Horto Florestal,

    são 350 000 metros quadrados para passar

    horas observando esquilos, capivaras, garças

    e tartarugas. Mesmo em dias quentes, a

    temperatura cai em suas dependências, com

    muita sombra das altas copas da vegetação.

    Na ponta norte do endereço, partindo da

    entrada principal, pode-se encontrar uma

    concentração de eucaliptos com mais de 30

    metros de altura, estender uma canga e

    aproveitar a tarde. Piquenique, corridas ao

    redor dos lagos e dança estão entre as

    atividades preferidas dos frequentadores, além

    das quadras esportivas. Aos interessados em

    botânica, na Trilha do Descobrimento, dá para

    conhecer 500 árvores. Todas possuem um QR

    Code, com acesso a um link que registra ano

    de plantio, espécie, crescimento e quanto de

    CO2 foi captado pelas folhas.

    > Quando: Segunda a domingo, 6h às 18h

    > Onde: Rua do Horto, 931, Horto Florestal.

    Estacionamento gratuito

    > Quanto: Entrada gratuita

    FLORESTA SUSPENSA

    Uma trilha erguida a 10 metros de altura

    proporciona uma experiência diferente a quem

    deseja conhecer a Mata Atlântica por outra

    perspectiva: do alto, pela copa das árvores. A

    passarela é a principal atração do Parque

    Ecológico Imigrantes. É um lugar perfeito para

    levar crianças e adolescentes curiosos, por

    oferecer a eles a chance de participar de uma

    verdadeira aula de biologia a céu aberto.

    Ao longo do caminho, dois guias do parque

    apresentam várias espécies nativas da mata,

    sempre convidando os visitantes a interagir.

    Além da passarela, o parque conta com 1,5

    quilômetro de trilha através da floresta. O

    passeio todo dura cerca de duas horas e meia.

    A acessibilidade é um ponto forte. Elevadores,

    rampas e placas em braile permitem que

    pessoas com deficiência aproveitem ao

    máximo um contato mais próximo com a

    natureza. Importante: leve água e não se

    esqueça de passar repelente.

    > Quando: Terça a quinta, 9h às 12h

    > Onde: Acesso pelo posto de gasolina, no

    quilômetro 34 da Rodovia dos Imigrantes

    > Quanto: Entrada gratuita, mediante

    agendamento pelo site

    parqueecologicoimigrantes.org.br

    CAMINHO HISTÓRICO

    Uma atração voltada aos apaixonados por

    história, construída no fim do século XVIII

    com pedras do fundo de rio, a Calçada do

    Lorena, no Parque Estadual Serra do Mar, foi a

    primeira via pavimentada que ligava São Paulo

    ao litoral. A trilha é dividida em quatro

    trechos, dos quais apenas um, de 200 metros

    de extensão, está aberto para visitação (os

    demais passarão por revitalização). A graça do

    passeio está em respirar o ar puro enquanto

    se refaz o caminho feito por dom Pedro I, para

    proclamar a independência do Brasil, em

  • 7

    Grupo de Comunicação

    1822. Outro ponto alto é o visual antes de

    chegar à calçada. O visitante percorre um

    trecho de 4 quilômetros pela estrada velha de

    Santos, passando por monumentos históricos,

    como o Rancho da Maioridade, construído

    entre 1841 e 1846, onde funcionava um ponto

    de reabastecimento para quem viajava para a

    cidade litorânea naquela época. Agendamento

    pelo telefone 2997-5000 (ramal 365).

    > Quando: Terça a domingo, 8h às 17h

    > Onde: Acesso pela Estrada Caminho do Mar

    (SP-148), no quilômetro 42

    > Quanto: 32 reais para adultos; crianças até

    12 anos e idosos não pagam

    ADRENALINA E REFRESCO

    Para quem curte um clima de aventura no

    meio do mato, este passeio no Parque

    Estadual Serra do Mar é um prato cheio. São

    4,5 quilômetros de trilha pesada pelas

    entranhas da Mata Atlântica, em que o

    visitante tem de superar morros escorregadios

    e pontes velhas sobre riachos. Pode parecer

    simples, mas não consiste em uma caminhada

    fácil — com bom preparo físico, é possível

    fazer o percurso em aproximadamente uma

    hora. As belezas naturais ajudam a esquecer

    um pouco as dificuldades do meio do caminho.

    Plantas nativas e animais da floresta, como

    antas e esquilos, costumam dar as caras. Ao

    chegar ao topo da montanha, o preço de cada

    passada vai ter valido a pena. Lá do alto, uma

    queda-d’água de 120 metros, chamada de

    Cachoeira da Torre, estará à espera de um

    visitante cansado, que poderá se refrescar nas

    lagoas que se formam entre as pedras antes

    da grande queda. Aproveite a vista e a água

    gelada para repor as energias para a volta:

    mais 4,5 quilômetros de trilha. Não tente ir

    nem voltar sozinho. É fundamental a presença

    de um guia. Leve água e lanche.

    Agendamento pelo telefone 2997-5000 (ramal

    365).

    > Quando: Terça a domingo, 8h às 17h

    > Onde: Acesso pela Estrada Caminho do Mar

    (SP-148), no quilômetro 42

    > Quanto: 32 reais para adultos; crianças até

    12 anos e idosos não pagam

    ROLÊ EM FAMÍLIA

    Trilhas, espaços para piquenique, academia a

    céu aberto, lanchonetes… Esses são apenas

    alguns dos atrativos do Parque Estoril, em São

    Bernardo do Campo, na região metropolitana,

    ótima opção de passeio para levar a criançada.

    São 154 000 metros quadrados às margens da

    Represa Billings, com muito verde e

    infraestrutura, com praça de alimentação,

    teleférico e diversas áreas de descanso. Nos

    dias quentes, o visitante pode curtir uma parte

    da represa reservada para banho e

    supervisionada por salva-vidas. Há ainda

    opções para andar de caiaque, stand-up

    paddle e pedalinhos (25 reais por meia hora).

    Diversão garantida para os pequenos, o

    zoológico coloca o visitante cara a cara com

    cerca de quarenta espécies nativas da Mata

    Atlântica, como araras, macacos, onças,

    tamanduás e quatis. Aviso: é proibida a

    entrada de pets.

    > Quando: Quarta a domingo, 9h às 17h

    > Onde: Rua Portugal, 1100, São Bernardo do

    Campo. Estacionamento por 15 reais

    > Quanto: Ingresso por 3 reais

    COM TODOS OS SENTIDOS

  • 8

    Grupo de Comunicação

    O Parque Ecológico do Guarapiranga, às

    margens da represa de mesmo nome,

    concentra um oásis na Zona Sul, no bairro

    Riviera Paulista. Os visitantes percorrem

    trechos de Mata Atlântica sobre uma

    plataforma, que conta com bancos em meio ao

    silêncio — ótimo lugar para leituras e

    meditação. Um viveiro mantido pelos

    funcionários faz doação de mudas de árvores

    nativas, como o pau-brasil. Além das quadras

    esportivas e espaços para piquenique com

    vista para as águas, o parque realiza

    atividades educativas. Uma delas é a chamada

    Trilha da Vida, que rola nos fins de semana,

    mediante agendamento pelo telefone 5517-

    6707.

    O visitante, vendado, percorre um trajeto de

    75 metros em meio à vegetação guiado pelas

    mãos por um monitor. Sem sapatos, é

    possível fazer um mergulho na mata com os

    outros sentidos. São trinta minutos de

    reflexão silenciosa, com uma interessante

    experiência sensorial.

    > Quando: Terça a domingo, 8h às 17h

    > Onde: Estrada da Riviera, 3286, Riviera

    Paulista. Estacionamento gratuito

    > Quanto: Entrada franca

    http://www.multclipp.com.br/verNoticia.aspx?

    c=0&n=31424233&e=577

    Voltar ao Sumário

    http://www.multclipp.com.br/verNoticia.aspx?c=0&n=31424233&e=577http://www.multclipp.com.br/verNoticia.aspx?c=0&n=31424233&e=577

  • 9

    Grupo de Comunicação

    Veículo: Diário do Alto Tietê

    Data: 22/09/2019

    Condemat assina em Salesópolis

    autorização para estudo de compensação financeira aos municípios afetados pela Lei Estadual

    de Proteção aos Mananciais

    O Consórcio de Desenvolvimento dos

    Municípios do Alto Tietê (Condemat) assina

    neste domingo (22), Dia do Rio Tietê, a

    autorização para o início dos estudos que irão

    apontar os mecanismos para a compensação

    financeira aos municípios afetados pela Lei

    Estadual de Proteção aos Mananciais - os

    royalties da água.

    De acordo com o Condemat, o evento contará

    com a presença do secretário estadual de

    Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos

    Penido.

    A assinatura será em Salesópolis, cidade onde

    está a nascente do Rio Tietê, que tem 98% do

    seu território com restrições ambientais.

    Os estudos para compensação financeira dos

    municípios, que têm áreas comprometidas por

    reservatórios e possuem restrições do uso e

    ocupação do solo, serão realizados pela

    Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas

    (Fipe).

    O investimento será de R$ 980,1 mil, com

    recursos obtidos pelo CONDEMAT junto ao

    Fundo de Recursos Hídricos do Estado de São

    Paulo (Fehidro).

    O Condemat informou que a FIPE terá o prazo

    de 12 meses para concluir os estudos, os

    quais vão apontar os parâmetros de cálculos

    para estabelecer os valores de compensação,

    assim como as fontes de repasses desses

    recursos.

    “Esse projeto do CONDEMAT beneficiará não

    apenas os municípios que possuem represa,

    mas todas as cidades que estão inseridas em

    área de proteção de mananciais dentro da

    Bacia do Alto Tietê. Estamos falando

    diretamente de 25 municípios, sendo 7 deles

    na nossa região. Além disso, a nossa

    conquista abrirá precedentes também para

    outras bacias hidrográficas do Estado”,

    ressalta o presidente do CONDEMAT, Rodrigo

    Ashiuchi, prefeito de Suzano.

    Os municípios a serem beneficiados na região

    são Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos,

    Guarulhos, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis

    e Suzano.

    Os demais são Caieiras, Cotia, Diadema,

    Embu, Embu-Guaçu, Franco da Rocha,

    Itapecerica da Serra, Juquitiba, Mairiporã,

    Mauá, Nazaré Paulista, Ribeirão Pires, Rio

    Grande da Serra, Santo André, São Bernardo

    do Campo, São Caetano do Sul, São Lourenço

    da Serra e São Paulo.

    Os royalties da água são uma das principais

    bandeiras do Conselho de Prefeitos do

    CONDEMAT, principalmente porque os

    municípios são obrigados a cumprir uma série

    de exigências para a preservação ambiental,

  • 10

    Grupo de Comunicação

    ao mesmo tempo que possuem restrições para

    o desenvolvimento de atividades econômicas.

    Além disso, o Alto Tietê é responsável pela

    produção de 30% da água que abastece a

    Região Metropolitana de São Paulo e não

    recebe qualquer compensação por abrigar

    cinco grandes reservatórios.

    “Não se trata de uma coisa simples e rápida.

    Foram exatos dois anos desde que o projeto

    foi habilitado pelo Fehidro até agora, com a

    contratação da FIPE. Mas esse passo agora é

    fundamental. Com o estudo em mãos,

    faremos a articulação política necessária para

    viabilizar o decreto estadual ou projeto de lei

    instituindo a compensação. Essa nova fonte de

    receitas trará um grande alívio aos

    municípios”, adianta o presidente do

    CONDEMAT.

    O evento é às 9h30, deste domingo na Praça

    Padre João Menendes, em frente à Igreja

    Matriz de Salesópoli

    https://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-

    suzano/noticia/2019/09/21/condemat-assina-

    em-salesopolis-autorizacao-para-estudo-de-

    compensacao-financeira-aos-municipios-

    afetados-pela-lei-estadual-de-protecao-aos-

    mananciais.ghtml

    Voltar ao Sumário

    https://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2019/09/21/condemat-assina-em-salesopolis-autorizacao-para-estudo-de-compensacao-financeira-aos-municipios-afetados-pela-lei-estadual-de-protecao-aos-mananciais.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2019/09/21/condemat-assina-em-salesopolis-autorizacao-para-estudo-de-compensacao-financeira-aos-municipios-afetados-pela-lei-estadual-de-protecao-aos-mananciais.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2019/09/21/condemat-assina-em-salesopolis-autorizacao-para-estudo-de-compensacao-financeira-aos-municipios-afetados-pela-lei-estadual-de-protecao-aos-mananciais.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2019/09/21/condemat-assina-em-salesopolis-autorizacao-para-estudo-de-compensacao-financeira-aos-municipios-afetados-pela-lei-estadual-de-protecao-aos-mananciais.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2019/09/21/condemat-assina-em-salesopolis-autorizacao-para-estudo-de-compensacao-financeira-aos-municipios-afetados-pela-lei-estadual-de-protecao-aos-mananciais.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2019/09/21/condemat-assina-em-salesopolis-autorizacao-para-estudo-de-compensacao-financeira-aos-municipios-afetados-pela-lei-estadual-de-protecao-aos-mananciais.ghtml

  • 11

    Grupo de Comunicação

    Veículo: Áudios SP

    Data: 21/09/2019

    Discurso - Presidente da Sabesp Benedito

    Braga - Ampliação da coleta de esgoto em

    São Bernardo do Campo

    ÁUDIOS - SP | ÁUDIOSData Veiculação:

    21/09/2019 às 11h12

    Duração: 00:02:26

    Transcrição

    ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Bom dia a

    todos. Queria aqui cumprimentar o nosso

    querido governador em exercício, Rodrigo

    Garcia. Cumprimentar o nosso prefeito

    Orlando Morando, deputada Carla Morando,

    líder do Governo na Assembleia Legislativa,

    Sr. Marcelo Lima, vice-prefeito, Márcio

    Gonçalves e Carlos Carrela, superintendes da

    Sabesp, Srs. Vereadores, secretários

    municipais, colaboradores da Sabesp, minhas

    senhoras, meus senhores. Estamos hoje aqui

    lançando uma obra importantíssima para a

    melhoria da qualidade da água dos nossos rios

    na região metropolitana de São Paulo, em

    particular aqui o Ribeirão dos Couros que

    depois se junta ao Tamanduateí que se junta

    ao rio Tietê. Uma obra importantíssima para a

    despoluição dos rios do estado de São Paulo

    que a Sabesp está trabalhando firmemente

    sob a orientação do nosso governador Rodrigo

    Garcia, do nosso governador João Doria para

    que melhoramos a qualidade de vida das

    pessoas no estado de São Paulo. Este coletor

    tronco é uma obra importantíssima, são 41

    quilômetros, Orlando, que vamos aqui investir

    R$ 50 milhões gerando aproximadamente 500

    empregos, é São Paulo andando pra frente,

    criando empregos, limpando os seus rios.

    Também este coletor tronco vai possibilitar a

    coleta dos esgotos que hoje estão sendo

    encaminhados para a represa Billings, é o

    projeto pró-Billings que a Sabesp trabalha

    juntamente com a [ininteligível], agência

    japonesa muito importante, para a

    despoluição também da represa Billings.

    Porque obras muito importantes para o estado

    de São Paulo e a Sabesp aqui cumpre a sua

    tarefa. Agradeço a atenção de todos. Muito

    obrigado.

    http://cloud.boxnet.com.br/y4rj8qxh

    Voltar ao Sumário

    http://cloud.boxnet.com.br/y4rj8qxh

  • 12

    Grupo de Comunicação

    SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA E Veículo: O Diário de Mogi

    Data: 20/09/2019

    Estudo definirá compensação ambiental para municípios do Alto Tietê

    Neste domingo, Dia do Rio Tietê, a direção do

    Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios

    do Alto Tietê (Condemat) assina autorização

    para o início dos estudos que irão apontar os

    mecanismos da compensação financeira aos

    municípios afetados pela Lei Estadual de

    Proteção aos Mananciais – os royalties da

    água. O ato oficial, com a presença do

    secretário de Estado de Infraestrutura e Meio

    Ambiente, Marcos Penido, está marcado para

    9h30, em Salesópolis, cidade onde está a

    nascente do Rio Tietê e que tem 98% do seu

    território com restrições ambientais.

    Os estudos para compensação financeira dos

    municípios, que têm áreas comprometidas por

    reservatórios e possuem restrições do uso e

    ocupação do solo, serão realizados pela

    Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas

    (Fipe). O investimento será de R$ 980,1 mil,

    com recursos obtidos pelo Condemat junto ao

    Fundo de Recursos Hídricos do Estado de São

    Paulo (Fehidro).

    A Fipe terá o prazo de 12 meses para concluir

    os estudos, os quais vão apontar os

    parâmetros de cálculos para estabelecer os

    valores de compensação, assim como as

    fontes de repasses desses recursos.

    “Esse projeto do Condemat beneficiará não

    apenas os municípios que possuem represa,

    mas todas as cidades que estão inseridas em

    área de proteção de mananciais dentro da

    Bacia do Alto Tietê. Estamos falando

    diretamente de 25 municípios, sendo 7 deles

    na nossa região. Além disso, a conquista

    abrirá precedentes também para outras bacias

    hidrográficas do Estado”, ressalta o presidente

    do Condemat, Rodrigo Ashiuchi (PL), prefeito

    de Suzano.

    Os municípios a serem beneficiados na região

    são Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos,

    Guarulhos, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis

    e Suzano. Os demais são Caieiras, Cotia,

    Diadema, Embu, Embu-Guaçu, Franco da

    Rocha, Itapecerica da Serra, Juquitiba,

    Mairiporã, Mauá, Nazaré Paulista, Ribeirão

    Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São

    Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, São

    Lourenço da Serra e São Paulo.

    Os royalties da água são uma das principais

    bandeiras do Conselho de Prefeitos do

    Condemat, principalmente porque os

    municípios são obrigados a cumprir uma série

    de exigências para a preservação ambiental,

    ao mesmo tempo que possuem restrições para

    o desenvolvimento de atividades econômicas.

    Além disso, o Alto Tietê é responsável pela

    produção de 30% da água que abastece a

    Região Metropolitana de São Paulo e não

    recebe qualquer compensação por abrigar

    cinco grandes reservatórios.

    “Não se trata de uma coisa simples e rápida.

    Foram exatos dois anos desde que o projeto

    foi habilitado pelo Fehidro até agora, com a

    contratação da Fipe. Mas esse passo agora é

    fundamental. Com o estudo em mãos,

    faremos a articulação política necessária para

    viabilizar o decreto estadual ou projeto de lei

    instituindo a compensação. Essa nova fonte de

    receitas trará um grande alívio aos

    municípios”, adianta o presidente do

    Condemat.

    O evento neste domingo será na praça Padre

    João Menendes, em frente à Igreja Matriz de

    Salesópolis.

    Projeto Tietê atende a região

    Obras de implantação de interceptores e

    coletores-tronco que atenderão as regiões de

    Itaquaquecetuba, Poá, Suzano, Ferraz de

    Vasconcelos e Arujá fazem parte do Projeto

    Tietê, que desde o início, em 1992, ampliou a

    coleta e tratamento de esgoto a mais 10

    milhões de pessoas da Grande São Paulo.

  • 13

    Grupo de Comunicação

    Programa de saúde pública focado na

    ampliação da coleta e do tratamento de

    esgoto na Grande São Paulo, o Projeto Tietê

    tem investimento total de US$ 3 bilhões. O

    principal objetivo é implantar a infraestrutura

    de coleta e tratamento de esgoto na bacia

    hidrográfica do Alto Tietê, contribuindo para a

    revitalização progressiva do Tietê na região e

    consequentemente nas áreas para onde o rio

    flui.

    Desde o início do projeto foram construídos

    mais de 4,5 mil quilômetros de interceptores,

    coletores-tronco e redes para coletar e

    transportar o esgoto às estações de

    tratamento, elevando a coleta de esgoto na

    Região Metropolitana de São Paulo de 70%

    para 87% de 1992 a 2018. Já o tratamento de

    esgoto na região passou de 24% para 78%,

    ou seja, o índice tratado mais que triplicou,

    mesmo com a população da Grande São Paulo

    tendo crescido em mais de 6 milhões de

    pessoas no período.

    https://www.odiariodemogi.net.br/estudo-

    definira-compensacao-ambiental-para-

    municipios-do-alto-tiete/

    MEIO AMBIENTE

    Voltar ao Sumário

    https://www.odiariodemogi.net.br/estudo-definira-compensacao-ambiental-para-municipios-do-alto-tiete/https://www.odiariodemogi.net.br/estudo-definira-compensacao-ambiental-para-municipios-do-alto-tiete/https://www.odiariodemogi.net.br/estudo-definira-compensacao-ambiental-para-municipios-do-alto-tiete/

  • 14

    Grupo de Comunicação

    Veículo: TV Globo

    Data: 21/09/2019

    Um rio Tietê limpo e navegável

    https://globoplay.globo.com/v/7940847/

    Voltar ao Sumário

    https://globoplay.globo.com/v/7940847/

  • 15

    Grupo de Comunicação

    Veículo1: Gazeta de Pinheiros

    Veículo2:Morumbi News

    Veículo3:Jornal do Butantã

    Veículo4: São Paulo News

    Data: 20/09/2019

    Paulistanos navegam no Rio Pinheiros

    e promovem conscientização

    Na maior cidade do país, mais uma vez o Rio

    Pinheiros recebeu um passeio aberto à

    população, para inspirar não apenas os

    participantes mas toda a população nacional

    sobre a importância da limpeza dos rios. Em

    sua 4ª edição, a ação ‘Por uma Cidade

    Navegável’, tem como objetivo promover a

    conscientização da sociedade e estimulá-la a

    contribuir com a despoluição dos rios,

    evitando jogar lixo no seu leito e nas ruas da

    cidade.

    A intenção é a de aproximar as pessoas dos

    rios urbanos e inspirá-las, mostrando as

    diversas oportunidades e benefícios que a

    sociedade teria se eles fossem limpos, com o

    lazer e o turismo acontecendo, além de

    melhorar o trânsito das metrópoles com mais

    uma via de acesso e um tipo de transporte

    menos poluente, como é o hidroviário.

    “A exemplo das cidades da Europa, São Paulo

    pode ser uma cidade navegável. O Rio Tâmisa

    era tão poluído quanto o nosso Rio Pinheiros e

    hoje recebe circulação de embarcações. Essa é

    a nossa primeira ação de conscientização

    sobre a despoluição do Rio Pinheiros,

    motivados pela promessa do Governador João

    Dória. Por isso, trouxemos a população para

    navegar e mostrar que é possível, seja para

    lazer ou como transporte público. Nós

    montamos duas estações em 48 horas, é

    possível montar 50 estações em um mês, nós

    só precisamos da despoluição. Outro ganho

    será com o crescimento da indústria náutica

    brasileira, com a possibilidade de

    navegabilidade do Rio Pinheiros e Tietê”,

    afirma Ernani Paciornik, publisher da revista

    Naútica e organizador do São Paulo Boat

    Show.

    “A meta da EMAE (Empresa Metropolitana

    de Águas e Energia) em 12 meses é retirar

    500 mil metros cúbicos de lixo. Isto significa

    água mais límpida, mais translúcida e uma

    maior profundidade, que é muito importante.

    Estamos com especialistas da Escola

    Politécnica da USP e da Marinha do Brasil nos

    assessorando sobre qual navegabilidade é

    possível a médio e longo prazo, se é possível

    para lazer ou transporte coletivo”, declarou

    Ronaldo Souza Camargo, Presidente da EMAE.

    Uma iniciativa que tem como objetivo

    conscientizar a população e a opinião pública

    sobre os benefícios de recuperar os rios

    urbanos, esta é a ação ‘Por uma Cidade

    Navegável’. Criada em 2011 pelo São Paulo

    Boat Show, maior salão náutico indoor da

    América Latina, como uma campanha de

    conscientização pela despoluição dos rios da

    cidade, que inspira a sociedade a contribuir

    evitando jogar lixo nas ruas e diretamente nas

    águas. Esta é a 4ª edição da ação. Na 1ª e 2ª,

    em setembro de 2011 e setembro de 2012

    respectivamente, o projeto foi realizado com a

    proposta de uma disputa entre uma lancha

    que navegou pelo Rio Tietê e um carro pela

    Marginal em horário de pico de trânsito na

    cidade. Como era esperado, a lancha não

    completou o percurso devido à quantidade de

    lixo que travou os motores nos primeiros

    minutos. Na 3ª edição, realizada em setembro

    de 2014, o projeto levou ao Rio Tietê um

    ônibus anfíbio com diversos ex-atletas que

    haviam participado de competições de remo e

    natação que ocorriam na década de 40 no Rio

    Tietê, quando a população podia desfrutar do

    mesmo com práticas desportivas. Na 4ª

    edição, que aconteceu no último dia 12, a

    ação convidou a população para uma vivência

    de navegação pelo Rio Pinheiros.

    Novo Pinheiros

    O Governador João Doria e o presidente da

    Sabesp, Benedito Braga, apresentaram um

    pacote de obras de R$ 1,5 bilhão com o

    objetivo de devolver o Rio Pinheiros limpo

    para a população até 2022. O projeto Novo

    Rio Pinheiros, que é uma das prioridades do

    Governo do Estado de São Paulo, prevê

    intervenções nas áreas de todas as sub-bacias

    dos grandes afluentes do Pinheiros, onde

    vivem cerca de 3,3 milhões de pessoas,

  • 16

    Grupo de Comunicação

    incluindo ainda ações socioambientais para

    engajar a população na recuperação dos

    cursos d’água da região.

    “Essa é uma quantia bastante expressiva para

    a contratação de obras para a despoluição do

    Pinheiros. Nosso compromisso é entregar o rio

    limpo até 2022, em condições adequadas, de

    acordo com os padrões internacionais, com

    ações que serão feitas também nas sub

    bacias. Não tenho medo de colocar esse prazo,

    tenho convicção de que vamos chegar a esse

    resultado”, comentou Doria.

    As ações serão contratadas com base em

    performance, uma forma inovadora de

    contratação de serviços. A Sabesp define

    indicadores e metas a serem atingidas pelas

    empresas, com a remuneração variando de

    acordo com o cumprimento destes objetivos

    propostos. Ou seja, não haverá remuneração

    apenas pelas obras físicas, mas também uma

    variável pelo resultado final obtido. Para

    avaliar a performance, serão consideradas

    metas como o total de novos imóveis

    conectados à rede e a qualidade da água do

    córrego.

    Para isso foi feito um completo mapeamento

    de toda a área com a localização das ligações

    de esgoto que precisam ser feitas. O

    mapeamento identificou cerca de 500 mil

    imóveis que deverão ter seu esgoto

    encaminhado à estação de tratamento, sendo

    que 73 mil destes precisam ser conectados às

    redes de coleta. Foram lançados 14 editais nas

    últimas semanas para a contratação das

    empresas interessadas na realização dessas

    obras.

    “O empreendedor terá que colocar todas essas

    casas ligadas ao sistema e vamos monitorar

    esses trabalhos. Ele precisa atingir a meta, por

    resultado. Ou seja, o próprio empreiteiro vai

    estar interessado em realizar as obras com

    agilidade”, explicou Braga.

    Limpeza e desassoreamento

    O Novo Rio Pinheiros é uma ação realizada

    pela Sabesp e outros órgãos estaduais

    coordenados pela Secretaria de

    Infraestrutura e Meio Ambiente.

    Paralelamente às ações de saneamento, a

    EMAE (Empresa Metropolitana de Águas e

    Energia S.A.) vem executando o

    desassoreamento e desaterro do rio. Os

    trabalhos iniciaram em junho e visam retirar

    1,2 milhão de m³ de resíduos. Apenas no

    primeiro semestre foram retiradas 2,3 mil

    toneladas de lixo do rio. Com os ecobarcos,

    que começaram os testes há dois meses, a

    empresa já recolheu 200 toneladas de lixo

    flutuante.

    A Cetesb (Companhia Ambiental do

    Estado de São Paulo) vai intensificar os

    pontos de monitoramento no rio Pinheiros e

    nos principais afluentes para verificar os

    sedimentos (carbono orgânico total, nitrogênio

    amoniacal e fósforo total) e a qualidade da

    água (oxigênio dissolvido, pH, temperatura,

    condutividade, DBO, fósforo, turbidez, sólidos

    totais e suspensos).

    Ao longo do processo, o Daee

    (Departamento de Águas e Energia

    Elétrica) emitirá outorgas para ampliação de

    sistemas de interceptores e emissários de

    esgotos para estações de tratamento,

    fundamental para a despoluição do rio

    Pinheiros. Caberá ao Departamento emitir

    também as outorgas necessárias para obras e

    serviços que impliquem em interferências no

    curso do rio, como a implantação de pontos de

    atracagem para barcos e implantação de

    novos sistemas de telemetria e vazões

    afluentes.

    https://www.gazetadepinheiros.com.br/2019/

    09/20/paulistanos-navegam-no-rio-pinheiros-

    e-promovem-conscientizacao/

    Voltar ao Sumário

    https://www.gazetadepinheiros.com.br/2019/09/20/paulistanos-navegam-no-rio-pinheiros-e-promovem-conscientizacao/https://www.gazetadepinheiros.com.br/2019/09/20/paulistanos-navegam-no-rio-pinheiros-e-promovem-conscientizacao/https://www.gazetadepinheiros.com.br/2019/09/20/paulistanos-navegam-no-rio-pinheiros-e-promovem-conscientizacao/

  • 17

    Grupo de Comunicação

    Veículo: G1

    Data: 20/09/2019

    Frente fria chega ao sudeste, mas temperatura deve continuar alta na região de Ribeirão Preto

    Somar Meteorologia prevê clima quente e seco

    no sábado (21) e domingo (22). Fumaça de

    queimadas na Amazônia e no cerrado está

    sobre a região, e derruba a umidade relativa

    do ar.

    Apesar da chegada de uma frente fria ao

    sudeste do país, a região de Ribeirão Preto

    (SP) deve continuar registrando temperaturas

    elevadas, sem a possibilidade de chuva, neste

    final de semana, segundo a Defesa Civil de

    São Paulo, com base em dados da Somar

    Meteorologia.

    Neste sábado (21) os termômetros devem

    oscilar entre 22ºC e 37ºC em Ribeirão,

    enquanto em Franca (SP) a temperatura varia

    entre 20ºC e 36ºC. No mesmo dia, ainda

    segundo a Somar, Sertãozinho (SP) deve

    registrar temperatura mínima de 22ºC e

    máxima de 36ºC.

    A previsão é de que a temperatura chegue aos

    36º no domingo (22) em Ribeirão, enquanto

    em Franca e Sertãozinho os termômetros não

    devem passar dos 34ºC e 35ºC,

    respectivamente. Pancadas de chuva isoladas

    são esperadas apenas no decorrer próxima

    semana.

    Fumaça da Amazônia atinge a região de

    Ribeirão Preto, diz Inpe

    Embora o calor permaneça, a umidade relativa

    do ar deve aumentar. Isso porque, a frente

    fria que chega a São Paulo afasta a fumaça

    que encobre todo o estado, vinda de

    queimadas no Cerrado, na Amazônia e em

    países vizinhos, como Bolívia, Peru e Paraguai.

    Coordenador do Programa de Queimadas do

    Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

    (Inpe), Alberto Setzer explica que esse

    fenômeno ocorre sempre nos meses de

    inverno, quando ventos das regiões noroeste e

    norte levam a fumaça em direção ao sul e

    sudeste.

    “Mas, a concentração não é preocupante a

    ponto de interferir ou afetar a saúde humana.

    Isso causa o por do sol mais amarelado que a

    gente observa. Pelas imagens de satélite você

    vê essa nuvem bem tênue cobrindo toda a

    região”, afirma.

    Ainda de acordo com dados do Inpe, a região

    de Ribeirão Preto (SP) registra alto risco de

    queimadas, devido ao clima quente e seco. A

    medição é realizada sete vezes durante o dia.

    Em todo o estado, apenas a região de São

    José dos Campos (SP) não é considerada

    crítica.

    Inpe aponta alto risco de incêndios em

    Ribeirão Preto, Franca e Barretos, SP

    O tempo seco também prejudica a qualidade

    do ar. Nesta sexta-feira (20), o índice é

    considerado “muito ruim” pela Companhia

    Ambiental do Estado de São Paulo

    (Cetesb). A última vez que a cidade registrou

    índice “moderado” foi na madrugada de terça-

    feira (17).

    “Até hoje, só em agosto tivemos uma condição

    ruim, mas não chegou à situação que se

    encontra hoje”, explica o gerente regional da

    Cetesb, Otávio Okano, explicando que Ribeirão

    possui uma estação no Parque Maurílio Biagi

    que avalia a qualidade do ar.

    O equipamento realiza medições de hora em

    hora, captando do ar partículas grosseiras e

    outras “finamente divididas”, monóxido de

    carbono, ozônio e óxido de nitrogênio. Os

    dados são enviados a São Paulo e

    disponibilizados pela internet.

    “Você depende da circulação de veículos, dos

    ventos que ocorrem no local. Um dos fatores

    que mais contribui hoje para a questão da

    poluição do ar são as emissões de veículos

    motores”, conclui.

    https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-

    franca/noticia/2019/09/20/frente-fria-chega-

    ao-sudeste-mas-temperatura-deve-continuar-

    alta-na-regiao-de-ribeirao-preto.ghtml

    Voltar ao Sumário

    https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2019/09/20/frente-fria-chega-ao-sudeste-mas-temperatura-deve-continuar-alta-na-regiao-de-ribeirao-preto.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2019/09/20/frente-fria-chega-ao-sudeste-mas-temperatura-deve-continuar-alta-na-regiao-de-ribeirao-preto.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2019/09/20/frente-fria-chega-ao-sudeste-mas-temperatura-deve-continuar-alta-na-regiao-de-ribeirao-preto.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2019/09/20/frente-fria-chega-ao-sudeste-mas-temperatura-deve-continuar-alta-na-regiao-de-ribeirao-preto.ghtml

  • 18

    Grupo de Comunicação

    Veículo: Diadema Agora

    Data: 20/09/2019

    Semasa participa do Dia Mundial da

    Limpeza com ação no lago do Pedroso

    Uma limpeza simbólica do lago do Parque

    Natural Municipal do Pedroso vai marcar a

    participação do Semasa (Serviço Municipal de

    Saneamento Ambiental de Santo André), no

    próximo sábado (21), no Dia Mundial da

    Limpeza. Com um barco, agentes ambientais

    da autarquia vão recolher resíduos

    descartados no lago da área verde. A

    atividade começa às 9h.

    “Neste dia a gente vai melhorar a relação do

    cidadão com o meio ambiente ao promover

    uma ação que vai repercutir para toda a

    comunidade. A gente quer trazer as pessoas

    para este evento para que elas tenham a

    consciência sobre a questão do lixo na nossa

    cidade e nos nossos parques”, afirma o

    superintendente do Semasa, Almir Cicote,

    destacando que a atividade é mais uma ação

    de Educação Ambiental promovida em Santo

    André pela autarquia.

    Movimento que começou em 2008 na Estônia

    e já está em mais de 150 países, o Dia

    Mundial da Limpeza reúne voluntários que,

    durante 24 horas, se mobilizam

    simultaneamente para limpar cidades, praias,

    represas, praças e parques.

    O objetivo é conscientizar a população sobre

    os problemas que o descarte irregular de

    resíduos causa ao meio ambiente. De acordo

    com os organizadores do evento, a ação deste

    ano já pode ser considerada a maior realizada

    no Brasil, com mais de 700 cidades

    confirmadas.

    Em Santo André, a mobilização para este

    grande mutirão de limpeza está sendo

    realizada pelas organizações Instituto Lixo

    Zero Brasil – Santo André e Reciclando

    Sonhos.

    Além da limpeza do lago, que será realizada

    com o apoio do Semasa, os voluntários

    pretendem recolher os resíduos de toda área

    do Parque do Pedroso. Nacionalmente, os

    organizadores são as entidades LimpaBrasil e

    Teoria Verde.

    Rotina de limpeza – Em Santo André, são

    diversas as ações rotineiras de combate ao

    descarte irregular, incluindo programas como

    o Moeda Verde, que atua em núcleos

    habitacionais trocando recicláveis por

    hortifrútis, e cursos de Educação Ambiental

    voltados para toda a população. Pontos de

    descarte irregular são monitorados pelo

    Semasa, que atua constantemente para

    reduzir o número de locais deste tipo na

    cidade.

    Na região do ABC, Santo André é a única

    cidade que possui um Aterro Sanitário próprio.

    Gerenciado pelo Semasa, ele é um dos mais

    bem avaliados da Grande São Paulo, segundo

    a Cetesb. Além disso, a cidade tem coleta

    seletiva porta a porta desde 2000, e o

    material reciclável é reaproveitado por duas

    cooperativas de reciclagem, que empregam

    cerca de 150 pessoas.

    Serviço

    Dia Mundial da Limpeza

    Data: 21/09/19 (sábado)

    Horário: a partir das 9h

    Local: Parque Natural Municipal do Pedroso

    Endereço: Estrada do Pedroso, 3000 – Parque

    Miami

    http://www.diademajornal.com.br/2019/09/20

    /regional/semasa-participa-do-dia-mundial-

    da-limpeza-com-acao-no-lago-do-pedroso/

    Voltar ao Sumário

    http://www.diademajornal.com.br/2019/09/20/regional/semasa-participa-do-dia-mundial-da-limpeza-com-acao-no-lago-do-pedroso/http://www.diademajornal.com.br/2019/09/20/regional/semasa-participa-do-dia-mundial-da-limpeza-com-acao-no-lago-do-pedroso/http://www.diademajornal.com.br/2019/09/20/regional/semasa-participa-do-dia-mundial-da-limpeza-com-acao-no-lago-do-pedroso/

  • 19

    Grupo de Comunicação

    Veículo: DLNews

    Data: 20/09/2019

    Rio Preto mais verde

    Garota plantando muda de árvore na Floresta

    Estadual Noroeste Paulista na quinta-feira (19)

    Os organizadores do grupo Corredor Ecológico

    vão realizar um evento em comemoração à

    semana da árvore, no domingo (22), das 9h

    às 10h30, para um plantio de 200 mudas de

    arvores, criando assim um corredor de arvores

    na avenida entre os Damhas 1 e 2. A Escola

    Municipal Oscar Pires e o Serviço Municipal

    Autonômo de Água e Esgoto também

    comemoram esse dia plantando mudas de

    árvores.

    O Corredor Ecológico é um projeto da

    sociedade civil organizado em prol da

    natureza.

    Alex Angelino, integrante do grupo, afirmou

    que o intuito do evento é melhorar a

    arborização e consequentemente a qualidade

    de vida da população rio-pretense. "Também

    criar uma área de trânsito de animais, abelhas

    e pólen. As pessoas vão ter uma região fresca

    para caminhar pela sombra', disse.

    Alex conta que o grupo já plantou e cuida de

    mais de 3.000 árvores, espalhadas pelos

    Damhas 1, 2, 3, 4, 5 e 6, Gaivota 1 e 2,

    Figueira 1 e marginal da rodovia Assis

    Chateaubriand, em calçadas e canteiros

    centrais das avenidas. "Pretendemos atuar

    com o corredor ecológico em toda região de

    Rio Preto. Começamos no Damhas, mas

    finalizando lá, vamos pular para outra região',

    explicou.

    O grupo vai realizar um projeto de plantio

    formando o corredor ecológico em

    comemoração à semana da árvore, que será

    dividido em duas etapas. No domingo (22)

    será a primeira etapa, com um plantio de 200

    mudas na avenida entre os Damhas 1 e 2. A

    segunda etapa acontecerá a um mês com

    mais 200 mudas.

    "Geralmente plantamos arvores em época de

    chuva, mas por causa da semana da árvore,

    vamos realizar esse evento. Pedimos aos pais

    para levar as crianças para criar um vínculo

    com a natureza e aprender sobre plantio',

    disse Alex.

    A Prefeitura de Rio Preto vai colaborar com o

    grupo doando as mudas do Viveiro Municipal,

    cedendo um trator para fazer o preparo do

    plantio e um caminhão pipa através do Semae

    (Serviço Municipal Autonômo de Água e

    Esgoto) para auxiliar com o aguamento no pré

    e pós plantio.

    Semae planta 2.000 mudas de árvores na ETE

    O Semae (Serviço Municipal Autonômo de

    Água e Esgoto) junto à Secretaria Municipal de

    Meio Ambiente, comemorou a semana da

    árvore plantando mudas. Nesta sexta-feira

    (20), 2.000 mudas nativas foram plantadas na

    APP (área de Preservação Permanente de Rio

    Preto), localizada na ETE (Estação de

    Tratamento de Esgoto de Rio Preto).

    Com esse plantio, o Semae totaliza 11.000

    árvores plantadas, nos últimos quatro anos,

    nas áreas verdes da ETE, principalmente

    próximas do córrego São Pedro e do Rio Preto.

    O evento contou com a presença de 60

    crianças da rede pública municipal de

    educação, além da presença do prefeito

    Edinho Araújo, o superintendente do Semae,

    Nicanor Batista Jr, a secretária municipal do

    meio ambiente, Kátia Penteado, secretários,

    vereadores, servidores da autarquia e

    lideranças ambientais.

  • 20

    Grupo de Comunicação

    Alunos da Escola Municipal Oscar Pires

    plantaram mudas na Floresta do Noroeste

    Paulista

    Também em comemoração à semana da

    árvore, 300 alunos da Escola Municipal Oscar

    Pires, realizaram na manhã desta quinta-feira

    (19), o plantio de mudas na Floresta do

    Noroeste Paulista, região do antigo IPA.

    O plantio na área é simbólico, já que a região

    representa o que restou da Mata Atlântica

    original que cobria grande parte do território

    do Estado de São Paulo. Desde maio empresa

    contratada pela Prefeitura, a Sartori Comércio

    e Paisagismo Ltda, de Presidente Prudente,

    realiza o plantio, preservação e manutenção

    de 106.408 árvores de diversas espécies no

    local. Até o momento já foram plantadas 65

    mil espécies.

    A área, que possui 63,844 hectares, receberá

    um investimento de R$ 1,8 milhões. Além do

    plantio, a empresa contratada, também realiza

    a manutenção do espaço até final da vigência

    do contrato.

    A ação atende o cumprimento do Termo de

    Compromisso de Recuperação Ambiental -

    TCRA nº 98.515/2016, firmado com a

    CETESB, referente a diversas obras realizadas

    em Rio Preto nas gestões anteriores, dos anos

    de 1998 até 2016.

    A secretaria de Meio-Ambiente, Kátia

    Penteado, destaca a importância do plantio de

    novas árvores, em especial, por parte das

    crianças. "A semana da árvore serve como um

    momento de reflexão. Não poderia de chamar

    de comemoração, mas de persistência, de

    reflexão. Com esse calor, temperaturas altas,

    demonstra o quanto precisamos de árvores'.

    O prefeito Edinho ajudou as crianças a plantar

    algumas mudas e também reforçou a

    importância do verde no ambiente urbano das

    cidades. "Trabalho pedagógico de

    envolvimento da sociedade, de formação de

    nossas crianças para que elas possam ser

    amigas da natureza. Não é um trabalho de um

    poder, de uma autoridade. Esse trabalho de

    plantio conservação é de toda uma cidade',

    disse.

    Compensação ambiental

    Uma grande dúvida da população de Rio Preto

    é sobre o que é feito quando são retiradas

    árvores da cidade para realização de obras

    públicas que foram suprimidas 125 árvores.

    Em compensação foram plantadas quase 13

    mil por toda a cidade, um investimento de R$

    183 mil.

    Somente como compensação ambiental para a

    construção do complexo de viadutos das

    avenidas Mirassolândia e Falavina já foram

    plantadas 2040 mudas no local da obra. Ao

    longo dos 33 quilômetros de corredores de

    ônibus foram plantadas 795 novas árvores,

    média de 24 mudas por quilometro.

    https://riopreto.dlnews.com.br/noticias?id=44

    32/rio-preto-mais-verde

    Voltar ao Sumário

    https://riopreto.dlnews.com.br/noticias?id=4432/rio-preto-mais-verdehttps://riopreto.dlnews.com.br/noticias?id=4432/rio-preto-mais-verde

  • 21

    Grupo de Comunicação

    Veículo: G1 São Paulo

    Data: 22/09/2019

    Sistema Cantareira opera com 48,2% da

    capacidade neste domingo

    Após seis meses operando com volume igual

    ou abaixo de 40%, sistema opera fora do nível

    de alerta desde janeiro.

    Por G1 SP

    Sistema Cantareira — Foto: Reprodução /

    EPTVSistema Cantareira

    O Sistema Cantareira opera com 48,2% de

    sua capacidade neste domingo (22), de acordo

    com a Companhia de Saneamento Básico

    do Estado de São Paulo (Sabesp).

    O reservatório apresentou queda de 0,1% na

    capacidade se comparado com o nível deste

    sábado (21).

    O Cantareira abastece cerca de 7,5 milhões de

    pessoas por dia, 46% da população da Região

    Metropolitana de São Paulo, segundo a

    Agência Nacional de Águas (ANA), órgão que

    regulamenta o setor.

    Após seis meses operando com volume igual

    ou abaixo de 40%, o sistema opera fora do

    nível de alerta desde janeiro.

    Os outros reservatórios também registraram

    queda, com exceção de Guarapiranga e Rio

    Claro, que operam estáveis.

    Confira os índices dos outros reservatórios:

    Alto Tietê - 88%

    Guarapiranga - 82,1%

    Cotia - 92,7%

    Rio Grande - 98,3%

    Rio Claro - 101,9%

    https://g1.globo.com/sp/sao-

    paulo/noticia/2019/09/22/sistema-cantareira-

    opera-com-482percent-da-capacidade-neste-

    domingo.ghtml

    Voltar ao Sumário

    https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2019/09/22/sistema-cantareira-opera-com-482percent-da-capacidade-neste-domingo.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2019/09/22/sistema-cantareira-opera-com-482percent-da-capacidade-neste-domingo.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2019/09/22/sistema-cantareira-opera-com-482percent-da-capacidade-neste-domingo.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2019/09/22/sistema-cantareira-opera-com-482percent-da-capacidade-neste-domingo.ghtml

  • 22

    Grupo de Comunicação

    Veículo: Diário de Suzano

    Data: 22/09/2019

    Sistema Alto Tietê opera com 88,4% da

    capacidade

    Dados são da Companhia de Saneamento

    Basico de São Paulo (Sabesp)

    Todas as cinco represas que compõe o

    Sistema Alto Tietê operam com a capacidade

    normal. Todo o sistema Alto Tietê, que atende

    cerca de 1,6 milhão de pessoas nas dez

    cidades da região, opera no momento com

    88,4% da capacidade. Os dados são da

    Companhia de Saneamento Básico do

    Estado de São Paulo (Sabesp). A represa

    Ponte Nova, situada em Salesópolis, registra a

    maior operação do Sistema, com 97,49%. A

    barragem recebeu 0,60 milímetros de água

    nos últimos dois dias.

    Na segunda posição, o manancial de

    Paraitinga, localizado também em Salesópolis,

    computa 92,57%. A represa registrou 0,80

    milímetros de água nos últimos dois dias.

    Fecha o pódio, na terceira colocação, a

    represa Jundiaí, situada em Mogi das Cruzes.

    O reservatório da cidade mogiana opera com

    81,29% da capacidade total. A barragem

    registrou 4,20 milímetros de água nos últimos

    dois dias. A represa Taiaçupeba, localizada em

    Suzano, está na quarta posição e opera com

    78,28% da capacidade. O manancial

    contabilizou 3,60 milímetros de água no

    período mencionado. Por fim, na quinta

    colocação, a represa Biritiba, situada em

    Biritiba Mirim, registra a menor operação de

    todo o Sistema Alto Tietê, com 36,97%.

    A barragem computou 3,20 milímetros de

    água nos últimos dois dias. Dados do portal

    Climatempo apontam que a região do Alto

    Tietê pode registrar queda de temperatura

    neste final de semana.

    http://cloud.boxnet.com.br/yyxvmhhd

    Voltar ao Sumário

    http://cloud.boxnet.com.br/yyxvmhhd

  • 23

    Grupo de Comunicação

    Veículo1: Agência Brasil

    Veículo2: UOL Notícias

    Veículo3: Isto É online

    Veículo4: Jornal de Piracicaba

    Data: 22/09/2019

    Tietê: lembranças de uma época em que o

    rio não era poluído

    Por Camila Boehm – Repórter da Agência

    Brasil* São Paulo

    Hoje é celebrado o Dia do Rio Tietê, curso

    d’agua que atravessa praticamente todo o

    estado de São Paulo, de leste a oeste. A data,

    no entanto, não é de comemoração em todo o

    curso do rio, uma vez que trechos dele estão

    poluídos, principalmente na região

    metropolitana da capital paulista, onde a

    qualidade da água apresenta-se ruim ou

    péssima.

    Mas esses trechos não foram sempre assim.

    Boas lembranças de uma época em que a

    água era limpa sobrevivem na memória da

    nadadora Idamys Busin Veneziani, de 88 anos.

    Ela conta que começou a nadar no Tietê

    quando criança (tinha oito anos), desde a

    década de 1930. “Coisa deliciosa era nadar no

    rio Tietê. A gente gostava, era uma aventura.

    Até 1955, a gente atravessava o rio nadando”.

    Ela lembra que treinava na piscina do Clube

    Esperia, localizado nas margens do Tietê até

    hoje, e escapava com os colegas para nadar

    no rio.

    Idamys diz ter saudade da época em que o rio

    era vivo na cidade de São Paulo. “Era largo, a

    piscina perto dele parecia uma xícara. Era um

    rio bem largo, muita correnteza, e tinha uma

    planta que chamavam de aguapé e ela vinha

    boiando cheia de flores. Para continuar

    nadando, você tinha que dar uma batidinha

    para ela sair da sua frente”, conta.

    O Tietê era um rio lindo, recorda Idamys.

    “Tinha uma correnteza tão bonita, eu fecho os

    olhos, eu vejo aquela correnteza gostosa.

    Tinha sempre uma flor, alguma coisa

    boiando”, disse. Ele lembra, ainda, episódios

    que deixavam todos apreensivos. “Às vezes

    aparecia um corpo boiando. Eu não sei se a

    pessoa ia se aventurar e morria ou se era

    algum crime. Na realidade, como nós éramos

    crianças, eles não deixavam a gente chegar

    perto”.

    De volta a 2019 e de cara com a crua

    realidade, hoje o Tietê apresenta uma mancha

    de poluição que chega a 163 quilômetros,

    atravessando a capital paulista e a região

    metropolitana de São Paulo, o que torna o rio

    impróprio para uso neste trecho. A qualidade

    da água nessa extensão, que varia de ruim a

    péssima, inviabiliza o uso para abastecimento

    público, irrigação para produção de alimentos,

    pesca, atividades de lazer, turismo, navegação

    e geração de energia. Este é o maior rio

    paulista, cortando o estado por 1.100 km,

    desde sua nascente no município de

    Salesópolis até a foz no rio Paraná, no

    município de Itapura.

    Despoluição

    Apesar dos investimentos na despoluição do

    rio por meio do Projeto Tietê, desde a década

    de 1990, não há expectativa de que o trecho

    que passa pela Grande São Paulo e que sofreu

    um intenso processo de urbanização volte a

    ter vida aquática nem tenha qualidade para

    que as pessoas possam nadar.

    “Não temos no horizonte que alguém venha

    nadar no rio Tietê na região metropolitana de

    São Paulo. Assim como, mesmo em rios que

    têm uma vazão muito maior como é o caso do

    Tâmisa, em Londres, ou do Sena, em Paris,

    também não é permitida a natação”, disse o

    diretor de Tecnologia, Empreendimentos e

    Meio Ambiente da Companhia de Saneamento

    Básico de São Paulo (Sabesp), Edison Airoldi.

    Ele explicou que a baixa vazão do rio na

    região metropolitana junto ao fato de uma

    população muito maior do que nos casos dos

    rios de Londres e Paris dificultam uma

    despoluição ao ponto de retomar vida neste

    trecho do Tietê. “População muito maior

    significa que nós geramos, adicionalmente ao

    esgoto, uma carga difusa que é o seguinte: o

    lixo, as fezes do animal que ficam na rua, a

  • 24

    Grupo de Comunicação

    bituca de cigarros, quando o carro freia fica

    aquele pó no asfalto, o óleo que cai. E quando

    vem a chuva, lava a cidade e leva tudo isso

    para dentro dos córregos e do rio Tietê”,

    disse.

    Acúmulo de lixo no rio Tietê, após chuva durante a manhã. - Rovena Rosa/Agência Brasil

    A especialista em Água da Fundação SOS Mata

    Atlântica Malu Ribeiro disse que, mesmo com

    as ações de despoluição, o trecho do rio que

    vai da barragem da Penha até o Cebolão – no

    encontro com o rio Pinheiros – não terá

    condição adequada para banho nem para

    pesca. “A gente não pode ter essa falsa

    expectativa porque existe toda essa alteração

    de canalização, de retificação do rio, que

    transformou o Tietê, nesse trecho, em um

    canal artificial. Nesses canais artificiais, é

    muito difícil e muito pouco provável que isso

    aconteça”, avaliou.

    No entanto, ela afirmou que há outras

    possibilidades de uso do rio conforme as ações

    de despoluição evoluam. “A gente pode ter

    expectativa de um transporte coletivo, de uma

    paisagem mais harmônica, de um entorno

    recuperado com parques lineares, onde seja

    possível atividades de lazer”, disse.

    Há a possibilidade de vida no rio Tietê,

    segundo Malu, nas áreas onde ele tem o perfil

    natural do rio, ou seja, nos trechos em que ele

    não sofreu com a urbanização, não foi

    canalizado nem retificado. “No trecho em que

    ele tem áreas protegidas, como no Parque

    Ecológico do Tietê em São Paulo, acima da

    barragem da Penha e em todos os municípios

    ribeirinhos por onde ele passa, ele tem

    condições de voltar a ter vida, sim”.

    Ela ressalta que vários outros países

    conseguiram melhorar as condições de rios

    muito poluídos, mas precisaram de políticas

    públicas integradas. “A gente precisa partir de

    um sonho ou uma causa de ambientalistas

    para um compromisso de governo. Precisa ser

    um programa de Estado, não um programa de

    governo, é essa a diferença dos países que

    conseguiram fazer isso, como França,

    Espanha, Portugal, Coreia do Sul, Alemanha.

    Foram pactos associados ao controle rigoroso

    de normas, de legislação para redução de

    poluentes”, disse.

    Segundo ela, muito do que se vê refletido no

    rio hoje em relação à perda de qualidade da

    água tem a ver com o mau uso do solo,

    ocupação irregular, desmatamento, falta de

    coleta seletiva de lixo, além de ausência de

    uma legislação ambiental mais restritiva em

    relação a poluentes. “Só que a gente está

    fazendo o contrário, o Brasil vem liberando

    poluentes, vem diminuindo o controle de

    produtos [agrotóxicos, fertilizantes, óleos e

    graxas à base de combustível fóssil], mesmo

    de produtos de uso cotidiano, como por

    exemplo sacolas plásticas. Então a gente

    precisa olhar para esses resultados agora e

    combater a poluição na origem, como se faz

    isso? Com legislação”, finalizou.

    Projeto Tietê

    Desde o início do Projeto Tietê, em 1992,

    mais 10 milhões de pessoas foram

    beneficiadas pela coleta e tratamento de

    esgoto na região e houve investimentos de

    quase US$ 3 bilhões em obras do projeto.

    Atualmente, a Sabesp opera coleta e

    tratamento de esgoto em 32 municípios da

    Grande SP, de um total de 39, sendo que

    apenas 36 fazem parte da Bacia do Alto Tietê.

    As ações aumentaram a coleta de esgoto na

    região metropolitana de São Paulo de 70%

    para 87%, de 1992 a 2018. Do total coletado,

    o índice de tratamento de esgoto na região

    passou de 24% para 78% no mesmo período.

    A expectativa da Sabesp é chegar em 2025

    com 92% de coleta, considerando os

    municípios atendidos, e 91% de tratamento do

    total de esgoto coletado, de modo a ampliar

    os serviços de tratamento de esgotos para

    mais 7 milhões de pessoas.

    Para o diretor da Sabesp, Edison Airoldi,

    além de chegar na casa dos 90% de coleta e

    tratamento de esgoto, o objetivo do projeto

    inclui uma melhoria estética do rio Tietê e a

    diminuição do mal cheiro. A despoluição do rio

    Pinheiros, localizado na cidade de São Paulo e

  • 25

    Grupo de Comunicação

    que deságua no rio Tietê, é parte importante

    do projeto, segundo Airoldi.

    “O rio Pinheiros vai ser a nossa grande

    experiência e, a partir do conhecimento do

    Pinheiros, vamos procurar projetar também

    para o Tietê no futuro”. O objetivo, para o rio

    Pinheiros, é eliminação do mal cheiro, alcançar

    o nível de oxigênio dissolvido na água de 2

    miligramas por litro e uma melhora estética.

    *Colaborou Eliane Gonçalves, repórter da

    Rádio Nacional

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/

    2019-09/tiete-lembrancas-de-uma-epoca-em-

    que-o-rio-nao-era-poluido

    Voltar ao Sumário

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-09/tiete-lembrancas-de-uma-epoca-em-que-o-rio-nao-era-poluidohttp://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-09/tiete-lembrancas-de-uma-epoca-em-que-o-rio-nao-era-poluidohttp://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-09/tiete-lembrancas-de-uma-epoca-em-que-o-rio-nao-era-poluido

  • 26

    Grupo de Comunicação

    Veículo: Jornal Estação / Free São Paulo

    Data: 23/09/2019

    Projeto Tietê inclui mais 10 milhões de

    pessoas nos serviços de saneamento

    http://cloud.boxnet.com.br/y3ywqm6b

    Voltar ao Sumário

    http://cloud.boxnet.com.br/y3ywqm6b

  • 27

    Grupo de Comunicação

    Veículo: Jornal Estação / Free São Paulo

    Data: 23/09/2019

    Governo inicia no ABC obra que levará

    tratamento de esgoto a 382 mil pessoas

    http://cloud.boxnet.com.br/y6ldbyju

    Voltar ao Sumário

    http://cloud.boxnet.com.br/y6ldbyju

  • 28

    Grupo de Comunicação

    Veículo: Jornal do Porto

    Data: 20/09/2019

    Cetesb renova por mais cinco anos a

    licença de operação do Aterro Sanitário São Vicente

    A Prefeitura de Porto Ferreira obteve na

    segunda-feira (16/09) a renovação da Licença

    de Operação para o Aterro Sanitário São

    Vicente, emitida pela Cetesb (Companhia

    Ambiental do Estado de São Paulo) até

    setembro de 2024.

    A licença refere-se aos locais, equipamentos e

    processos produtivos do aterro sanitário, que

    ocupa uma área total de 121 mil metros

    quadrados.

    Entre as exigências técnicas emitidas na

    licença está a compactação e cobertura com

    camada de terra, diariamente, dos resíduos

    sólidos domiciliares. Também manter a cortina

    vegetal existente com a finalidade de

    favorecer o isolamento visual do local.

    No aterro são vedadas a disposição de poda

    de árvores, entulhos, resíduos de serviço de

    saúde e/ou industriais e ainda a queima de

    resíduos a céu aberto de qualquer natureza.

    Para a emissão da licença foram analisados

    aspectos exclusivamente ambientais

    relacionados às legislações estaduais e

    federais pertinentes.

    Fonte: Prefeitura de Porto Ferreira -

    Assessoria de Comunicação, Cerimonial e

    Eventos

    http://www.jornaldoporto.inf.br/index.php/23-

    menuprincipal/noticias/6036-cetesb-renova-

    por-mais-cinco-anos-a-licenca-de-operacao-

    do-aterro-sanitario-sao-vicente

    Voltar ao Sumário

    http://www.jornaldoporto.inf.br/index.php/23-menuprincipal/noticias/6036-cetesb-renova-por-mais-cinco-anos-a-licenca-de-operacao-do-aterro-sanitario-sao-vicentehttp://www.jornaldoporto.inf.br/index.php/23-menuprincipal/noticias/6036-cetesb-renova-por-mais-cinco-anos-a-licenca-de-operacao-do-aterro-sanitario-sao-vicentehttp://www.jornaldoporto.inf.br/index.php/23-menuprincipal/noticias/6036-cetesb-renova-por-mais-cinco-anos-a-licenca-de-operacao-do-aterro-sanitario-sao-vicentehttp://www.jornaldoporto.inf.br/index.php/23-menuprincipal/noticias/6036-cetesb-renova-por-mais-cinco-anos-a-licenca-de-operacao-do-aterro-sanitario-sao-vicente

  • 29

    Grupo de Comunicação

    Veículo: R7 Notícias

    Data: 22/09/2019

    Dia do Tietê: SP tem desafio para

    despoluir 15% dos 1.100 km do rio

    Aumento da poluição no rio é tema de

    primeira reportagem de série sobre

    saneamento. Conheça também Vital da Costa,

    que por anos remou no Tietê

    SÃO PAULO

    Eugenio Goussinsky, do R7

    Rio Tietê continua sendo depósito de esgoto na

    capital paulista. Edu Garcia/R7

    Um dia, no passado, o Rio Tietê já foi um

    cenário de beleza e lazer na capital paulista.

    Desde sua nascente, em Salesópolis, até onde

    deságua, no rio Itapura, divisa com o Mato

    Grosso do Sul, o rio ainda resiste em seus

    cerca de 1.100 km, apesar de ter 163 km

    (15%) como um dos mais poluídos do mundo.

    Rio já foi cenário de regatas históricas que

    mobilizavam a cidade. Divulgação/Arquivo Histórico

    Clube Esperia

    A história dos rios se misturam com a das

    pessoas. Como elas, há que se fazer

    diferenciação entre um e outro. Há os mais

    resistentes. Há os que necessitam atenção

    especial, por serem diferentes. Únicos,

    correndo em direção a um destino.

    É o caso do Tietê, especial por correr em

    direção ao interior e não ao oceano, como a

    grande maioria. Mas, como um velho senhor,

    desgastado, introspectivo, abatido, só os que

    o conheceram na plenitude o compreendem. O

    dia 22 de setembro é considerado o

    aniversário do rio, quando se comemora o Dia

    do Rio Tietê, sem se referir a uma idade

    específica.

    Vital da Costa (centro) disputava competições no

    rio. Divulgação/Arquivo Histórico Clube

    Esperia/Vital da Costa

    Nadar ou remar em suas águas era uma das

    rotinas mais saudáveis até os anos 50, na

    capital paulista, para o sr. Vital da Costa, de

    81 anos, nascido em Caicó, sertão do Rio

    Grande do Norte.

    Tendo chegado a São Paulo aos 18 anos para

    trabalhar, ele encontrou no esporte uma

    maneira de se relacionar com a cidade. Já

    jogava basquete desde os 12 e se apegou ao

    remo nas águas paulistas.

  • 30

    Grupo de Comunicação

    Poluição do rio registrou um aumento após três

    anos de queda. Willian Moreira/Agência Estado/19-

    09-19

    “Treinávamos de terça a domingo das 5h45 às

    7h20 da manhã, com o barco n’água. Eram

    treinos puxados porque havia muitas

    competições durante o ano. Tudo culminava

    no final de novembro com o Campeonato

    Paulista, que era o grande acontecimento do

    ano. Nossa rotina era essa, convivendo

    diariamente com o nosso Rio Tietê lindo,

    arborizado e limpo. Era muito prazeroso na

    madrugada sentir o cheiro da natureza”,

    lembra.

    Tristeza com o rio

    O sr. Vital se enraizou em São Paulo.

    Conseguiu abrir a própria empresa de cartões

    para embalagem e papéis, que tem até hoje,

    no Bom Retiro, após trabalhar por 10 anos na

    Heidelberg, com máquinas gráficas.

    Conheceu sua esposa no clube Esperia, às

    margens do rio. Casou-se há 55 anos, teve

    três filhas e dois netos. Mas, até hoje, com

    todas as conquistas, sente falta daquele rio

    que na verdade foi quem melhor ouviu seus

    anseios diante da então desconhecida cidade

    grande. Agora, Vital se lamenta pelo fato de

    ser um dos poucos que ouvem os apelos do rio

    doente, sem poder fazer muita coisa além de

    torcer pela recuperação do amigo "das

    antigas".

    “Eu sinto muita tristeza pelo pouco caso

    desses governos anteriores, que contribuíram

    para deixar este rio maravilhoso nessas

    condições, é muito triste.”

    Trecho de 163 km do rio está poluído, mantendo

    oxigenação em praticamente 0%. Willian

    Moreira/Agência Estado/19-09-19

    A urbanização e a industrialização ocorreram

    de modo caótico, provocando, a partir dos

    anos 40, uma degradação que foi afastando

    turistas e frequentadores do local. O lixo foi se

    acumulando ao longo da margem e as águas

    passaram a ser depósito de resíduos e esgoto.

    Os mais jovens, hoje, associam o rio à sujeira.

    Desde os anos 80, o processo de despoluição

    do rio passou a ser um desafio para os

    governos. Mas que ainda não foi superado. Em

    1993, por exemplo, foi lançado o Projeto

    Tietê, financiado pelo BID (Banco

    Interamericano de Desenvolvimento) e pelo

    BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento

    Econômico e Social), com a promessa de que

    o Tietê estaria limpo em 2005.

    Em quase 30 anos, foram gastos US$ 2,8

    bilhões para ampliação e melhorias do sistema

    de esgotamento sanitário de São Paulo, no

    projeto de despoluição do rio. Mas ainda