Letras musicas coral

download Letras musicas coral

of 65

  • date post

    20-May-2015
  • Category

    Documents

  • view

    6.106
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Letras musicas coral

  • 1. Letras das msicas que fazem parte do repertrioAQUARELANuma folha qualquer eu desenho um sol amarelo E com cinco ou seis retas fcil fazer um castelo Corro o lpis em torno da mo e me dou uma luva E se fao chover, com dois riscos tenho um guarda-chuva Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel Num instante imagino uma linda gaivota a voar no cuVai voando, contornandoA imensa curva Norte Sul Vou com ela, viajando Hava, Pequim, ou Istambul Pinto um barco a vela Branco, navegando tanto cu e mar numBeijo azulEntre as nuvens vem surgindo Um lindo avio rosa e gren Tudo em volta colorindo Com suas luzes a piscarBasta imaginarE ele est partindoSereno e lindoE se a gente quiser Ele vai pousarNuma folha qualquer eu desenho um navio de partida Com alguns bons amigos bebendo de bem com a vida De uma Amrica a outra consigo passar num segundo Giro um simples compasso e num crculo eu fao o mundo

2. Um menino caminha e caminhando chega no muro E ali logo em frente, a esperar pela gente, o futuro estE o futuro uma astronave Que tentamos pilotar No tem tempo nem piedadeNem tem hora de chegarSem pedir licena muda nossa vidaE depois convida a rir ou chorarNessa estrada no nos cabeConhecer ou ver o que virO fim dela ningum sabe Bem ao certo onde vai darVamos todos numa linda passarela De uma aquarela que Um dia, enfim Descolorir Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo Que descolorir E com cinco ou seis retas fcil fazer um castelo Que descolorirGiro um simples compasso e num crculo eu fao o mundo Que descolorir 3. ASA BRANCALuiz Gonzaga /H. Teixeira Quando olhei a terra ardendo, qual fogueira de So Joo, Eu perguntei a Deus do cu, ai, Porque tamanha judiao? (bis)Que braseiro, que fornalha! Nem um p de plantao...Por falta dgua perdi meu gado, morreu de sede meu alazo... At mesmo a Asa Branca bateu asas do serto...ento eu disse: "Adeus, Rosinha, guarda contigo meu corao!"Hoje, longe muitas lguas, numa triste solido,espero a chuva cair de novo pra eu voltar por meu serto...Quando o verde dos teus olhos se espalhar na plantao,eu te asseguro, no chores no, viu, que eu voltarei, viu pro meu serto! 4. BATE O SINO BATE O SINO PEQUENINO, SINO DE BELM!J NASCEU DEUS-MENINO PARA O NOSSO BEM!PAZ NA TERRA PEDE O SINO, ALEGRE A CANTAR!ABENE DEUS-MENINO, ESTE NOSSO LAR!Hoje a noite bela, vamos Capela, Sob a luz da vela, felizes a rezar!Ao soar o sino, sino pequenino, Vai o Deus-Menino nos abenoar!Vamos minha gente, vamos a Belm! Vamos ver Maria e Jesus tambm.J deu meia-noite, j chegou o Natal, J tocou o sino, l na Catedral! 5. BENKEMilton nascimento e Mrcio BorgesArranjo: S. Kerr um curumin BENKE BENKE um curumin BENKE um curumin BENKE um curumin Beija-flor me chamou: olha Lua branca chegou na hora O Beija-mar me deu prova: Uma estrela bem nova Na luminria da mataFora que vem e renova Beija-flor de amor me levaComo o vento levou a folhaMinha me soberanaMinha floresta de jiaTu que ds brilho na sombra Brilhas tambm l na praiaBeija-flor me mandou emboraTrabalhar e abrir os olhosEstrela dgua me molha Tudo que ama e chora Some na curva do rioTudo dentro e fora Minha floresta de jia Tem a guatem a gua tem aquela imensidotem sombra da floresta tem a luz do corao 6. CAADOR DE MIMMilton Nascimento Por tanto amor, por tanta emoo, a vida me fez assim:doce ou atroz, manso ou feroz...Eu: Caador de Mim!Preso canes, entregue paixes / que nunca tiveram fim...Vou me encontrar longe do meu lugar,Eu: Caador de Mim! Nada a temer seno o correr da luta,Nada a fazer seno esquecer o medo! Abrir o peito a fora numa procura,Fugir s armadilhas da mata escura... Longe se vai, sonhando demais, Mas onde se chega assim?Vou descobrir o que me faz sentir,Eu: Caador de Mim! 7. CANA FITA Eu plantei a cana / na rstia do solPra nascer melhor... / Nasceu a Cana Fita.A Usina apita, cana nas esteiras,Acar de primeira, tem a cor bonita! 8. CANO DA PARTIDA L l l ll l l Uh! Uh! Uh!Uh! L l l l l l lUh!... Uh!.... .... .... Uh! Uh!Uh!Uh! Uh!Uh!Uh! Uh!Vozes FemininasVai pro mar, trabalhar bem querer Voltar do mar um peixe bom trazer.Voltar e a Deus agradecer!Vozes Masculinhas Minha jangada vai sair pro mar vou trabalhar meu bem querer.Se Deus quiser quando eu voltar do mar um peixe bom eu vou trazer!Meus companheiros tambm vo voltare a Deus do cu vamos agradecer! 9. CANES E MOMENTOSMilton Nascimento H canes e h momentos que eu no sei como explicarEm que a voz um instrumento que eu no posso controlarEla vai ao infinitoEla amarra todos nsE um s sentimento na platia e na voz.H canes e h momentos em que a voz vem da raizEu no sei se quando triste ou se quando sou felizEu s sei que h momentos que se casam com canoDe fazer tal casamento vive a minha profisso. L l l... 10. CANTEN SEORES CANTORESFolclore da ArgentinaDum durum dum durum dum dum dum dumCanten seores cantores lo que venian cantandoCanten seores cantores lo que venian cantandoDom dom dom dom dom dom dom dom dom dom Y como recin llegado alza mi voz com receloDom dom dom dom dom dom dom dom dom dom Oh! Oh! Naranjales duraznales que bonitos carnavalesDom dom dom dom dom dom dom dom dom dom 11. CLAREANA Joice /Arranjo: Devanil Leandro Um corao de mel, de melo de sim e de no feito um bichinho no sol da manhnovelo de l, no ventre da me bate o corao de Refro Clara, Ana e quem mais chegar...gua, Terra, fogo e ar...(Repete toda a letra 1x) 12. CRAVO E CANELAMilton Nascimento / Ronaldo BastosEh! Morena, quem temperou? Cigana, quem temperou / o cheiro do cravo? Eh! Cigana, quem temperou? Morena, quem temperou / a cor de canela?A lua morena, a dana do vento, o ventre da noite, o sol da manh...A chuva cigana, a dana dos rios, o mel do cacau, o sol da manh...Eh! L, l, l... 13. CERTAS CANESMilton Nascimento Certas canes que ouo Cabem to dentro de mim Que perguntar carece Como no fui eu que fiz. Certa emoo me alcana Corta-me a alma sem dorCertas canes me chegamComo se fosse o Amor. 14. CIRANDA DA ROSA VERMELHAAlceu ValenaVoz feminina Teu beijo doce tem sabor do mel da cana Sou tua ama tua escrava teu amor Sou tua cama, teu engenho, teu moinho.Tu s feito o passarinho que se chama beija flor Quando tu voas pra beijar as outras floresEu sinto dores, um cime, um calor.Que toma o peito o meu corpo invade a alma s meu beija flor acalma tua escrava, meu Senhor Sou rosa vermelha ai meu bem quererBeija flor sou tua rosa hei de amar-te at morrer Sou rosa vermelha ai meu bem quererBeija flor sou tua rosa hei de amar-te at morrer Voz masculinaTem sabor mel da canaSou teu amor Cama teu moinho s Passarinho beija flor Pra beijar outras floresUm calor O meu corpo invade a Alma meu SenhorPARARARA RSou bem querer 15. Hei de amar-te at morrer 16. COMO UMA ONDA Nada do que foi ser de novo do jeito que j foi um dia.Tudo passa, tudo sempre passar...A vida vem em ondas como um mar, num indo e vindo infinito.Tudo que se v no igual ao que a gente viu a um segundo. Tudo muda o tempo todo no mun...do.No adianta fugir nem mentir pra si mesmo, agorah tanta vida l fora, aqui den...tro, semprecomo uma onda no mar. 17. CORAO CIVILQuero a utopia, quero tudo e maisQuero a felicidade nos olhos de um pai Quero a alegria muita gente felizQuero que a justia reine em meu Pas! Quero a liberdade, quero o vinho e o poQuero ser amizade, quero amor, prazerQuero nossa cidade sempre ensolarada Os meninos e o povo no poder, eu quero ver!So Jos da Costa Rica, corao civil, Me inspire no meu sonho de amor BrazilSe o poeta o que sonha o que vai ser realBom sonhar coisas boas que o homem faz E esperar pelos frutos no quintal. 18. CHORINHO Maria MeronEste chorinho, chorinho to miudinho, fica muito engraadinho se a gente solfejar: Do re re si si do do mi mi fa fa re re miChorinho quente no compasso to ardente, chorinho pra toda gente faz a gente se alegrar. Este chorinho no tem flauta ou cavaquinho tem um toque de carinho para a gente solfejar! Do re re si si do do mi mi fa fa re re mi Se voc gosta vou cantar mais uma vez, canto quatro cincoseis canto at o sol raiar! 19. CHORINHO NATALINO Neste Natal vamos louvar ao Criador de forma bem original, bem diferenteA Boa-Nova anunciando com amor Com este chorinho a cantar alegremente. O Deus-Menino em seu prespio deitadinhoH de aprovar com seu sorriso complacenteVendo que a gentefaz com carinho esta homenagem musica...al muito respeitosamente. Comemorando maneira brasileira com muito canto, muita dana, muita festa, uma emoo sincera e verdadeirade louvao a Deus em noite como esta.E escolhendo este chorinho saltitanteigual a muitos de um passado j distante, Quisemos reunirtodas as geraescantando... louvando... o Deus-Menino! Deus! 20. COTIDIANO (2)Hay dias que no se lo que me passa,Eu abro meu Neruda e apago o sol...Misturo poesia com cachaaE acabo discutindo futebol...MAS NO TEM NADA NO,TENHO MEU VIOLO! (Bis)Acordo de manh: po com manteiga E muito, muito sangue no jornal.A a crianada toda chegaE eu chego a achar Herodes natural... Depois fao a loteca com a patroaQuem sabe o nosso dia vai chegar...E rio, porque rico ri toa, Tambm no custa nada imaginar!s vezes quero crer mas no consigo, tudo uma total insensatez... A pergunto a Deus: "Escute, amigo,Se foi pra desfazer porque que fez?" 21. CURUZ VERRubem F. de OliveiraVoz FemininaCuruz ver de mi fervor expression de Amorsinti ho hay luz, pues tienes fulgores divinos que orientanseguros destinos curuz ver de migran passion Tienes la humildad de una oracin eres caridad, eres perdn. Y dejas en el peregrino A fanes de andar el camino Sinti no hay Amor. Curuz verVoz Masculina Vida sin destino, tiene el peregrinoSin un gran Amor.Vida desolada sin unalborada llena de dolorPero t le diste al que estu vo triste curuz verEsa luz radiosa siempre venturosa de la caridad. 22. DUAS CIRANDAS Folclore do RecifeVoz Masc.: Mandei fazer uma casa de farinha, bem maneirinha, que o vento possa levar Oi, passa sol, oi passa chuva, oi passa o vento, s no passa o movimento do cirandeiro a rodar.Voz Fem.: Achei bom,