Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

450
PROJETO DE RECONHECIMENTO DO CURSO DE LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURAS - LICENCIATURA BARREIRAS – BA 2011 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS COLEGIADO DO CURSO DE LETRAS CAMPUS IX - BARREIRAS

Transcript of Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

Page 1: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

PROJETO DE RECONHECIMENTO DO CURSO DE LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA E

LITERATURAS - LICENCIATURA

BARREIRAS – BA 2011

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS COLEGIADO DO CURSO DE LETRAS CAMPUS IX - BARREIRAS

Page 2: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA

JAQUES WAGNER Governador

OSVALDO BARRETO FILHO

Secretário de Educação

UNEB – UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

LOURISVALDO VALENTIM DA SILVA Reitor

JOSÉ BITES DE CARVALHO Pró-Reitor de Ensino e Graduação

MARIA APARECIDA PORTO SILVA Assessora da PROGRAD

MARIA JALVA XAVIER DA SILVA SOUZA Assessora da ASTEP

CAROLINE SANTOS CALDAS Subgerente da ASTEP

ODETE DA SILVA DAMASCENO Secretária da ASTEP

MARCOS LOPES CONCEIÇÃO Apoio Técnico

Page 3: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS – CAMPUS IX

JOAQUIM PEDRO SOARES NETO

Diretor do Departamento

MARILDE QUEIROZ GUEDES

Coordenadora do Colegiado

BENEVENUTA FÁTIMA DE LIMA MARIA APARECIDA DE SOUZA GUIMARÃES

MARILDE QUEIROZ GUEDES MARTA MARIA SILVA DE FARIA WANDERLEY

Comissão de Construção de Projeto de Reconhecimento

ANA PAULA SOUZA DO PRADO ANJOS Secretária do Colegiado

Page 4: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

APRESENTAÇÃO

O Projeto do Curso de Letras aqui apresentado é resultante de um trabalho coletivo

que vem sendo desenvolvido no Departamento de Ciências Humanas do Campus IX

em Barreiras, como forma de responder a uma demanda específica de formação de

profissionais da educação, especificamente da área de Língua Portuguesa.

Com este trabalho, o Curso busca elevar o nível de desenvolvimento educacional e

social do território de identidade onde se insere o Departamento, considerando que

acolhe estudantes de várias localidades e desenvolve ações de pesquisa e extensão

que repercutem em municípios do entorno de Barreiras.

Ao submetê-lo à apreciação do Conselho Estadual de Educação – CEE, o

Departamento tem a pretensão, não só de estar prestando contas à sociedade do trabalho que

vem sendo desenvolvido, mas também, de assegurar a continuidade da formação de

profissionais capacitados a produzir, discutir e transmitir conhecimentos que contribuam para

a formação do cidadão, interessado e comprometido com as questões de interesse comum e

relevância para a sociedade.

Page 5: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

SUMÁRIO

1 DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6

1.1 CARACTERIZAÇÃO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7

1.2 DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15v

1.3 DEMONSTRAÇÃO DA VIABILIDADE DE MANUTENÇÃO DOS CURSOS QUE OFERECE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16

1.4 REGULARIDADE FISCAL E PARAFISCAL. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17v

1.5 LEGISLAÇÃO QUE CREDENCIA A UNEB. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18

1.6 RECURSOS DIDÁTICOS E TECNOLÓGICOS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20

1.6.1. Biblioteca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20

1.6.2. Laboratórios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22

1.7 CREDIBILIDADE INSTITUCIONAL. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25v

1.8 REGIMENTO DA INSTITUIÇÃO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29

2 DO DEPARTAMENTO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66

2.1 IDENTIFICAÇÃO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67

2.2 INSTALAÇÕES FÍSICAS E PLANTAS BAIXAS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 70v

2.3 RECURSOS DIDÁTICOS E TECNOLÓGICOS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 78

2.3.1 Biblioteca Setorial. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 80

2.4 CORPO DOCENTE. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85

2.5 AVALIAÇÃO INTERNA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94v

3 DO CURSO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 96

3.1. RELEVÂNCIA SOCIAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 97

3.2. ATO DE AUTORIZAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99v

3.3. BASE LEGAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 102v

3.4. ESTRUTURA CURRICULAR. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 107

3.4.1 Concepção e Finalidade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 107

3.4.2 Perfil do Egresso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 108

3.4.3 Habilidades e Competências. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 108

3.4.4 Justificativa Curricular. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 108v

3.4.5. Currículo do Curso de Letras com habilitação em Língua Portuguesa e Literaturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 110v

Page 6: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

3.4.6 Estágio Curricular Supervisionado. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 203

3.4.7. Trabalho de Conclusão de Curso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 209v

3.4.8. Atividades Acadêmicas Cientifico-Culturais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 214v

3.5 ACERVO BIBLIOGRÁFICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 217v

3.6 REGIME ESCOLAR ADOTADO, Nº DE VAGAS E TURNO DE FUNCIONAMENTO. 248

3.7 QUALIDADE ACADÊMICA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 251v

3.8 PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 253v

3.9 DOCENTES DO CURSO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 264

3.9.1 Qualificação docente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 264v

3.9.2 Regime de trabalho e plano de carreira. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 269v

3.9.3 Remuneração docente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 269v

4. CURRÍCULO DO COORDENADOR ACADÊMICO DO CURSO. . . . . . . . . . . . . 271

ANEXO A – ACERVO BIBLIOGRÁFICO DO CURSO 277

3.4.5.1. Currículo Redimensionado de Implantação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 114

3.4.5.1.1 Fluxograma . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 114

3.4.5.1.2 Currículo Pleno Redimensionado de Implantação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 114v

3.4.5.1.3 Ementário Redimensionado de Implantação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 116v

3.4.5.2. Currículo Redimensionado com Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 169v

3.4.5.2.1 Fluxograma Redimensionado com Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 169v

3.4.5.2.2 Currículo Pleno Redimensionado com Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 170

3.4.5.2.3 Ementário Redimensionado com Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172

Page 7: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

1. DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO

1.1 CARACTERIZAÇÃO

A Universidade do Estado da Bahia – UNEB, com sede na cidade de Salvador, foi

criada no ano de 1983, vinculada à Secretaria de Educação e Cultura do Estado da

Bahia.

Caracterizada por adotar um sistema multicampi, a sua criação se deu a partir da

integração de 7 faculdades já existentes e em pleno funcionamento tanto na capital

quanto no interior do Estado da Bahia, a saber: Faculdade de Agronomia do Médio

São Francisco, Faculdade de Formação de Professores de Alagoinhas, Faculdade

de Filosofia, Ciências e Letras de Juazeiro, Faculdade de Formação de Professores

de Jacobina, Faculdade de Formação de Professores de Santo Antônio de Jesus,

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caetité, Centro de Ensino Técnico da

Bahia e a Faculdade de Educação. Esta última, autorizada a funcionar pelo mesmo

dispositivo legal de criação da UNEB, que determinava ainda que, outras unidades

de educação superior já existentes ou a serem constituídas pudessem se integrar à

UNEB.

Assim, novas faculdades foram criadas por todo interior do Estado e incorporadas à

estrutura multicampi da UNEB. A saber: Faculdade de Educação de Senhor do

Bonfim – Campus VII, em 1986, Centro de Ensino Superior de Paulo Afonso –

Campus VIII, Centro de Ensino Superior de Barreiras - Campus IX, e a Faculdade de

Educação de Teixeira de Freitas – Campus X, em 1987, Faculdade de Educação de

Serrinha – Campus XI, em 1988; Faculdade de Educação de Guanambi – Campus

XII e Centro de Ensino Superior de Itaberaba – Campus XIII, em 1991, Centro de

Ensino Superior de Conceição do Coité – Campus XIV, em 1992 e o Centro de

Ensino Superior de Valença – Campus XV, em 1997.

Com a reorganização das Universidades Estaduais Baianas decorrente da Lei 7.176

de 10 de setembro de 1997, a UNEB passou a adotar a estrutura orgânica de

Page 8: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

departamentos, estabelecidos em ato regulamentar, a fim de identificar as suas

unidades universitárias.

Até o ano de 2000, a UNEB contava com 15 campi e 20 Departamentos, sendo que

os campi I, II e III - Salvador, Alagoinhas e Juazeiro respectivamente, eram

constituídos por mais de um Departamento, e ainda com quatro Núcleos de Ensino

Superior vinculados a um Departamento com estrutura para tal. O NESIR, localizado

em Irecê e vinculado ao Departamento de Educação do Campus VIII em Paulo

Afonso, o NESLA, localizado em Bom Jesus da Lapa e vinculado ao Departamento

de Ciências Humanas do Campus IX em Barreiras, o NESC, localizado em

Camaçari e vinculado ao Departamento de Ciências Humanas do Campus I em

Salvador e o NESE, localizado em Eunápolis e vinculado ao Departamento de

Educação do Campus X em Teixeira de Freitas. Em agosto de 2000, estes Núcleos

passaram a funcionar em regime Departamental, constituindo-se em Campus XVI,

XVII, XVIII e XIX respectivamente.

Em 2001, foram criados os Campi XX, em Brumado e XXI em Ipiaú. Dentro do seu

propósito de interiorização da educação superior, a UNEB criou no ano de 2002 os

Campi XXII em Euclides da Cunha, XXIII em SEABRA e XXIV em Xique-Xique.

Totalizando 24 campi e 29 Departamentos, a UNEB hoje está presente em grande

parte do território baiano, em áreas geoeconômicas de influência, de modo a

beneficiar um universo maior da população baiana, seja através dos seus cursos

regulares de graduação, programas especiais e/ou projetos de pesquisa e extensão.

Ao longo dos seus vinte e sete anos de existência, a UNEB tem desenvolvido suas

atividades acadêmico-administrativas respaldada nos seguintes documentos legais:

Lei Delegada nº 66 de 01 de junho de 1983 - ato de criação

Decreto Presidencial no 92.937 de 17 de julho de 1986 – ato de autorização de

funcionamento

Page 9: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

Portaria do Ministério de Educação e do Desporto no 909 de 31 de julho de

1995 – ato de credenciamento

Lei Estadual no 7.176 de 10 de setembro de 1997 – ato de reorganização das

Universidades Estaduais da Bahia

Decreto do Governo do Estado da Bahia no 9.751 de 03 de janeiro de 2006 –

ato de recredenciamento.

A estrutura multicampi adotada pela UNEB possibilita a implantação de novos cursos

e campi universitários em regiões com baixos indicadores sociais que demandam

ações de caráter educativo, fortalecendo a sua política de interiorização da

educação superior.

Embora tenha uma administração central localizada em Salvador, a UNEB concede

autonomia aos seus Departamentos para desenvolver suas atividades acadêmicas,

por entender que eles possuem características culturais, próprias da regionalidade,

que não poderão ser desconsideradas no processo de formação profissional por ela

pretendida.

A sua abrangência geo-econômica atinge uma área caracterizada por diversificada

paisagem econômica e cultural, atendendo a uma grande parte da população do

Estado.

O organograma, mapa e quadro 1 apresentados a seguir, possibilitam a visualização

da atual estrutura , distribuição e área de ocupação da UNEB.

Page 10: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

REITORIA

CHEFIA DE GABINETE CHEGAB

VICE-REITORIA

PROCURADORIA, JURÍDICA PROJUR

UNIDADE DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL - UDO

ASSESSORIA TÉCNICA - ASTEC

Dep

tº C

iênc

ias

Hu

man

as -

C

amp

us

I

D. C

. Exa

tas

e d

a T

erra

- C

ampu

s

Dep

tº C

iênc

ias

da

Vid

a -

Cam

pu

s I D

eptº

Edu

caçã

o -

Cam

pus

I

D. C

. Exa

tas

e d

a T

erra

- C

ampu

s II

Dep

tº d

e Ed

ucaç

ão –

Cam

pus

II

D. T

ecn

ol.

e C

. So

ciai

s -

Cam

pu

s II

I Dep

tº C

iên.

Hu

man

as -

Cam

pus

III

Dep

tº C

iên.

Hu

man

as -

Cam

pus

IV

Dep

tº C

iên.

Hum

anas

- C

ampu

s V

Dep

tº d

e E

duc

ação

- C

amp

us

V

II

Dep

tº d

e E

duc

ação

- C

amp

us

VII

I

Dep

tº C

iên.

Hum

anas

- C

ampu

s V

I D

eptº

Ciê

n. H

uman

as -

Cam

pus

IX

Dep

tº d

e E

duc

ação

- C

amp

us

X

Dep

tº d

e E

duc

ação

- C

amp

us

XI

Dep

tº d

e E

duc

ação

- C

amp

us

XII

De

ptº

de

Ed

ucaç

ão -

Cam

pu

s X

III

De

ptº

de

Ed

ucaç

ão -

Cam

pu

s X

IV

De

ptº

de

Ed

ucaç

ão -

Cam

pu

s X

V

D.

C. H

um

. e

Tec

. - C

amp

us X

VI

D.

C. H

um

. e

Tec

- C

amp

us

XV

II

D.

C. H

um

. e

Tec

- C

amp

us

XV

III

D.

C. H

um

. e

Tec

- C

amp

us

XIX

D.

C. H

um

. e T

ec -

Cam

pus

XX

D.

C. H

um

. e T

ec -

Cam

pus

XX

I

D. C

. Hu

m. e

Tec

- C

amp

us X

XII

D. C

. Hu

m. e

Tec

- C

amp

us X

XIV

D. C

. Hu

m. e

Tec

- C

amp

us

XX

III

ORGANOGRAMA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB CONSELHO

UNIVERSITÁRIO CONSELHO DE

ADMINISTRAÇÃO

CONSELHO DE ENSINO,

PESQUISA E EXTENSÃO - CONSEPE

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROGRAD

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO

PPG

PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO - PROAD

PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO PROEX

BIBLIOTECA CENTRAL

CENTRO DE ESTUDOS DE DIREITO EDUCACIONAL CESDE

CENTRO DE ESTUDOS EUCLYDES DA CUNHA

CEEC

PREFEITURA

DOS CAMPI

MUSEU DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA - MCT

NÚCLEO C. DE ÉTICA E CIDADANIA NUEC

SERVIÇO MÉDICO ODONTOLÓGICO E SOCIAL -

SMOS

NÚCLEO DE ESTUDOS FLAMENGOS - NEF

CLEO DE ESTUDOS

CLEO DE ESTUDOS

Page 11: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

MAPA DE LOCALIZAÇÃO DOS CAMPI UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB

Page 12: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Quadro 1 - Estrutura departamental da UNEB por área de conhecimento e localização

CAMPUS LOCALIZAÇÃO DEPARTAMENTO ÁREA DE CONHECIMENTO

I SALV ADOR

CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CIÊNCIAS DA VIDA CIÊNCIAS DA VIDA

CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIAS HUMANAS E CIÊNCIAS SOCIAIS

EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO

II ALAGOINHAS EDUCAÇÃO CIÊNCIAS DA VIDA, LETRAS E

EDUCAÇÃO CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA

III JUAZEIRO TECNOLOGIA E CIÊNCIAS

SOCIAIS CIÊNCIAS AMBIENTAIS E SOCIAIS

CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIAS HUMANAS E EDUCAÇÃO

IV JACOBINA CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES

V STO. ANTÔNIO DE JESUS CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E

ARTES

VI CAETITÉ CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES

VII SENHOR DO BONFIM EDUCAÇÃO CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA,

CIÊNCIAS DA VIDA E EDUCAÇÃO

VIII PAULO AFONSO EDUCAÇÃO CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA, CIÊNCIAS DA VIDA E EDUCAÇÃO

IX BARREIRAS CIÊNCIAS HUMANAS CIÊNCIAS HUMANAS, EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS SOCIAIS

X TEIXEIRA DE FREITAS EDUCAÇÃO LETRAS, ARTES E EDUCAÇÃO

XI SERRINHA EDUCAÇÃO LETRAS, ARTES E EDUCAÇÃO

XII GUANAMBI EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO

XIII ITABERABA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO

XIV CONCEIÇÃO DO COITÉ EDUCAÇÃO LETRAS, ARTES E EDUCAÇÃO

XV VALENÇA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO

XVI IRECÊ CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS

CIÊNCIAS HUMANAS, EXATAS E AMBIENTAIS

XVII BOM JESUS DA LAPA

CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS

CIÊNCIAS HUMANAS, EXATAS E AMBIENTAIS

XVIII EUNÁPOLIS CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS

C. HUMANAS, EXATAS, LETRAS E AMBIENTAIS

XIX CAMAÇARI CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS CIÊNCIAS HUMANAS E EXATAS

XX BRUMADO CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS

C. HUMANAS, EXATAS, LETRAS E ARTES

XXI IPIAÚ CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS

CIÊNCIAS HUMANAS, EXATAS, LETRAS E ARTES

XXII EUCLIDES DA CUNHA

CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS

C. HUMANAS, EXATAS, LETRAS E ARTES

XXIII SEABRA CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS

C. HUMANAS, EXATAS, LETRAS E ARTES

Page 13: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

XXIV XIQUE-XIQUE CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS

C. HUMANAS, EXATAS, LETRAS E ARTES

Fonte: PROGRAD / UNEB

Page 14: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

MISSÃO DA UNIVERSIDADE

A Universidade do Estado da Bahia tem como missão a produção, socialização e

aplicação do conhecimento nas mais diversas áreas do saber, em dimensões

estratégicas, com vistas à formação do cidadão e ao desenvolvimento das

potencialidades políticas, econômicas e sociais da comunidade baiana, sob a

égide dos princípios da ética, da democracia, da justiça social e da pluralidade

etnocultural.

Por meio do ensino, da pesquisa e da extensão, articuladas de modo a garantir a

produção do conhecimento, a UNEB contribui para o desenvolvimento do Estado

da Bahia, do Nordeste e do País, ao promover a formação de profissionais

qualificados, a produção e disseminação do saber, em busca de uma sociedade

fundamentada na equidade social.

Assim, a oferta de Cursos de graduação, pós-graduação e atividades de pesquisa

e extensão, materializam esta missão, tornando-a uma Universidade

contextualizada e socialmente comprometida com a comunidade onde se insere.

As atividades inerentes à área de graduação são desenvolvidas, coordenadas,

acompanhadas e avaliadas pela Pró-Reitoria de Ensino de Graduação -

PROGRAD.

Os cursos de graduação oferecidos abrangem as modalidades de formação de

professores - licenciatura, e de bacharelado e pertencem às diferentes áreas do

conhecimento, como: Ciências Exatas e da Terra, Ciências Biológicas,

Engenharias, Ciências da Saúde, Ciências Agrárias, Ciências Humanas,

Lingüística, Letras e Artes e Ciências Sociais Aplicadas, e estão distribuídos nos

diversos campi e Departamentos. Os de formação de professores preparam

profissionais para o exercício da docência e/ou pesquisa, enquanto que os de

bacharelado conferem aos concluintes o direito de exercerem atividades técnicas

profissionais ou desenvolverem pesquisas.

Page 15: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

A estruturação dos seus currículos contempla componentes curriculares que

envolvem a universalidade do conhecimento, tendo a integralização assegurada

através do regime semestral de matrícula, nos diversos turnos, de modo a atender

as peculiaridades de cada região.

A oferta desses cursos é assegurada pela UNEB, com uma flexibilidade que

possibilita que o mesmo seja descontínuo ou extinto, quando superada a sua

função social.

Para ingressar em um desses Cursos, os interessados são submetidos ao

processo seletivo – vestibular, que acontece anualmente. A Tabela 1 apresenta o

número de vagas oferecidas e o de inscritos no processo seletivo da Instituição,

relativo ao período 2001 a 2011:

Tabela 1 - Evolução do processo seletivo/vestibular no período 2001 a 2011

ANO Nº VAGAS

Nº INSCRIÇÕES

TOTAL DE INSCRITOS OPTANTE NÃO OPTANTE NEGROS INDÍGENAS

2001 2.854 - - 57.168 57.168

2002 2.979 - - 48.845 48.845

2003 3.829 21.493 - 41.598 63.091

2004 4.780 21.604 - 36.301 57.905

2005 5.550 29.070 - 38.626 67.696

2006 5.570 22.666 - 28.336 51.002

2007 5.410 25.723 - 26.818 52.541

2008 4.920 16.810 832 31.564 53.110

2009 5.030 12.956 631 23.438 37.025

2010 5.245 13.817 479 24.892 39.188

2011 4.301 24.167 474 22.904 47.545

Fonte: GESEDI / UNEB - 2011

Considerando, isolada e comparativamente, os dados apresentados, observa-se

que em alguns períodos houve acréscimo no número de vagas oferecidas e

Page 16: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

decréscimo no número de inscritos. Entretanto, estes índices percentuais não

podem ser considerados como média da oferta e procura no período referenciado,

pois em alguns deles o número de inscritos foi significativamente superior ao ano

de 2001.

Vale salientar que a UNEB foi a primeira instituição de ensino no Norte-Nordeste -

e a segunda no país, após a UERJ, a implantar o sistema de cotas para

estudantes afro-descendentes que tenham cursado o ensino médio na escola

pública. Este sistema foi adotado em 2003 e, desde então, 40% das vagas

oferecidas no processo seletivo/vestibular são ocupadas por esses estudantes.

Em 2008, este sistema foi também adotado para as populações indígenas, tendo

sido destinados a elas, 5% das vagas da UNEB, devidamente regulamentado pelo

Conselho Universitário.

Quanto ao número de discentes matriculados, no primeiro semestre de 2011

foram efetivadas 19.759 matrículas nos cursos de graduação de oferta continua,

nos diversos Campi e Departamentos da UNEB.

Além dos cursos de oferta contínua, a UNEB, desenvolve também desde 1999

Programas Especiais de oferta de Cursos de Graduação. O mais conhecido

deles, o

REDE UNEB 2000, oferece desde este período o Curso de Pedagogia em

parceria com as prefeituras municipais conveniadas para professores da Rede

Pública em exercício nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Nesta mesma

condição, ofereceu, os Cursos de Matemática, Letras, Letras com Inglês,

Geografia, História e Biologia, através do Programa de Formação de Professores

em Exercício de 5ª a 8ª Séries da Rede Pública (PROLIN).

Com estes Programas, a UNEB cumpre as exigências legais propostas pela Lei

de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB, n.º 9.394, de 20 de dezembro

Page 17: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

de 1996 que prevê a graduação superior para todos os profissionais atuantes na

educação e reforça a consecução de uma dos seus maiores objetivos: a

interiorização do ensino superior.

Os cursos destes programas são presenciais, intensivos, atualmente com duração

de três anos e apresentam carga horária e estrutura curricular semelhantes aos

dos cursos regulares. A diferença fundamental consiste em sua proposta

pedagógica que estabelece a obrigatoriedade do componente Estágio Curricular

Supervisionado no decorrer de todo o curso. Em ambos os casos, é necessário

aprovação em Processo Seletivo realizado pela UNEB.

No primeiro semestre de 2011, 910 alunos efetivaram matrícula no Programa da

REDE UNEB 2000 e 412 no PROLIN, conforme descrição das tabelas 2 e 3 a

seguir apresentadas.

Tabela 2 – Número de matrículas efetivadas no Programa Intensivo de Graduação –

Rede UNEB 2000 em 2011.1

Curso: Pedagogia

CAMPUS LOCALIDADE DEPARTAMENTO MUNICÍPIO Nº MATRÍCULA

I Salvador Educação Madre de Deus 67

II Alagoinhas Educação Inhambupe 84

Pedrão 92

III Juazeiro Ciências Humanas Santo Sé 71

IV Jacobina Ciências Humanas Capim Grosso 52 Baixa Grande 75

VII Senhor do Bonfim Educação

Itiúba 94

Senhor do Bonfim 38

Campo Formoso 37

IX Barreiras Educação Educação

Cotegipe 44 Formosa do Rio Preto 66

Luis Eduardo Magalhães 67 Riachão das Neves 47

X Teixeira de Freitas Educação Alcobaça 76

TOTAL 910

Page 18: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Fonte: SGC/UNEB

Page 19: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Tabela 3 - Número de matrículas efetivadas no PROLIN – 2011.1 Cursos: Matemática, Letras, Letras com Inglês, Geografia e História

CAMPUS MUNICÍPIO DEPARTAMENTO LOCALIDADE CURSO Nº MATRÍCULA

II Alagoinhas

Ciências Exatas e da Terra Pojuca Matemática 26

Educação Pojuca Letras com Inglês 36

Geografia 39

VI Caetité Ciências Humanas

Macaúbas Matemática 48

Letras 49

Carinhanha

Geografia 46

História 49

Matemática 43

Ituaçu Geografia 41

Letras com Inglês 35

TOTAL 412

Fonte: Secretaria Geral de Cursos / UNEB

Além destes Programas, a UNEB oferece também o Programa de Formação para

Professores do Estado (PROESP), na modalidade presencial, em parceria com a

Secretaria de Educação do Estado da Bahia, através do Instituto Anísio Teixeira –

IAT. Seu objetivo é graduar os professores que atuam na Rede Estadual do

Ensino Fundamental - 5ª a 8ª séries - e no Ensino Médio. Para tanto, oferece

cursos de Licenciatura em Letras com Inglês, Geografia, História, Educação

Física, Química, Física, Matemática, Biologia e Artes em oito

Pólos/Departamentos da UNEB, sendo matriculados em 2011, 508 alunos,

conforme pode ser verificado na tabela 4.

Page 20: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Tabela 4 - Número de matrículas efetivadas PROESP – 2011

CAMPUS LOCALIDADE DEPARTAMENTO CURSO Nº MATRÍCULA

III Juazeiro Ciências Humanas Letras 41

IV Jacobina Ciências Humanas Educação Física 44

V Santo Antônio de Jesus Ciências Humanas

História 31

Geografia 24

VI Caetité Ciências Humanas Biologia 31

VII Senhor do Bonfim Educação

Química 37

Física 36

Matemática 42

Biologia 49

Artes 50

X Teixeira de Freitas Educação Geografia 38

XII Guanambi Educação Geografia 23

Matemática 17

XVI Irecê Ciências Humanas e Tecnologias Geografia 45

TOTAL 508

Os cursos de todos estes Programas entrarão num processo gradativo de

extinção considerando que toda a demanda de formação de professores

apresentada pelas comunidades onde a UNEB se insere, será absorvida pelo

Programa de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR), também

conhecido como Plataforma Freire, numa parceria da UNEB com o MEC, a partir

de 2010.

Através do PARFOR, a UNEB vem oferecendo Cursos de Licenciatura nas áreas

de: Ciências Biológicas, Educação Física, Geografia, História, Letras, Matemática,

Pedagogia, Computação, Sociologia, Química, Física e Artes Visuais. Em 2011.1

foram matriculados 9.374 alunos no referido Programa.

Considerando a sua história e consciente da sua responsabilidade com a ciência

e a comunidade da qual faz parte, a UNEB, em parceria com o Ministério do

Page 21: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Desenvolvimento Agrário - MDA, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma

Agrária - INCRA, o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária -

PRONERA e os Movimentos Sociais e Sindicais que atuam no Campo, implantou

os cursos de Licenciatura em Pedagogia, Letras e Engenharia Agronômica -

Áreas de Assentamento, envolvendo sujeitos integrados em movimentos

populares, onde o Curso de Pedagogia formou sua 1ª turma no primeiro semestre

de 2009. Esses cursos partem dos problemas e desafios da realidade vivida pelos

próprios educandos, preparando-os para atuar como agentes multiplicadores.

Preocupam-se com a educação popular, visando elevar o seu nível cultural e de

conhecimentos, considerando que o sistema educacional brasileiro, pensado

pelas elites dominantes, não permite que o povo de baixo poder aquisitivo tenha

acesso ao conhecimento acadêmico. No primeiro semestre de 2011, o

Departamento de Educação de Teixeira de Freitas - Campus X e o Departamento

de Educação de Conceição de Coité - Campus XIV, efetuaram 42 e 39 matrículas,

respectivamente, para o Curso de Letras. O Departamento de Ciências Humanas

de Barreiras – Campus IX, realizou 83 matriculas no Curso de Engenharia

Agronômica/PRONERA.

A UNEB passou também a acompanhar os avanços advindos do surgimento de

tecnologias interativas. A Educação à Distância - um exemplo dessa nova

modalidade de ensino, vem sofrendo um rápido crescimento, sendo utilizada

como um meio para democratizar o acesso ao conhecimento e expandir

oportunidades de aprendizagem. No primeiro semestre de 2011, ela efetivou a

matrícula de 443 discentes no curso de Administração, na modalidade à distância,

através do Departamento de Ciências Humanas do campus V - Santo Antônio de

Jesus e 2.936 para os cursos de História, Matemática, Química, Administração

Pública, Ciências Biológicas, Ciências da Computação, Educação Física,

Geografia, Letras e Pedagogia, em vários outros Departamentos da UNEB. A

metodologia utilizada no desenvolvimento deste Curso é diversificada e envolve o

intercâmbio entre professores e alunos, entre alunos e o ambiente de

aprendizagem e entre os estudantes.

Page 22: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

A UNEB vem se caracterizando como uma instituição desenvolve práticas

acadêmicas e comunitárias que lhe possibilitam intervir na sociedade na busca de

uma maior justiça, promoção e desenvolvimento social, histórico, cultural, político

e econômico, criando possibilidades para atender às peculiaridades dos diversos

grupos sócio-culturais. Assim, é que em 2009, em parceria com o MEC através do

Programa de Diversidade na Universidade, apoiado pela UNESCO, a UNEB

implanta o curso de Graduação em Licenciatura Intercultural em Educação

Escolar Indígena (LICEEI) para professores indígenas que atuam em escolas

indígenas do Estado da Bahia. No primeiro semestre de 2011 foram matriculados

no referido curso 108 alunos, igualmente distribuídos nos Departamentos de

Educação de Paulo Afonso e Teixeira de Freitas.

Com esta realidade, no primeiro semestre de 2011, a UNEB dispunha de um total

de 34.614 alunos matriculados nos diversos Cursos que oferece. Para atender a

toda esta demanda, ela conta com um corpo docente formado por 1.922

professores efetivos, distribuído nos diversos campi onde atua. A distribuição

deste contingente, por classe e titulação, encontra-se discriminada na tabela 5 e

no gráfico a seguir apresentados.

Tabela 5 - Corpo docente da UNEB

CLASSE Nº PROFESSORES

AUXILIAR 775

ASSISTENTE 487

ADJUNTO 260

TITULAR 116

PLENO 21

SUBSTITUTO 203

VISITANTE 60

TOTAL 1.922 Fonte: Sistema Integrado de Gestão de Pessoas (SIGP) / 25.05.2011

Page 23: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULAÇÃO DOCENTE UNEB 2009

Mestre; 46%

Especialista; 34%

Doutor; 20%

Especialista Mestre Doutor

Fonte: GARH / Gerência de Administração de Recursos Humanos /2009.

Quanto ao quadro técnico-administrativo, é formado por servidores que atuam nos

diversos setores da Universidade, desenvolvendo as ações necessárias ao

funcionamento da Instituição.

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação - PPG desenvolve uma

política apoiada nas necessidades e vocações regionais, expressas através das

iniciativas dos Departamentos, gerenciando programas de apoio à capacitação

dos seus recursos humanos - docentes e técnicos de nível superior e de

sustentabilidade dos seus programas de pós-graduação. Os Departamentos da

UNEB oferecem diversos Cursos de pós-graduação lato sensu, vinculados às

suas áreas de conhecimentos. Além do aperfeiçoamento profissional, eles

objetivam a formação e consolidação de grupos de pesquisa, os quais podem se

transformar em linhas institucionais de pesquisa ou se constituírem na base para

cursos de mestrado ou doutorado. O quadro a seguir possibilita a visualização

dos cursos desta natureza recentemente oferecidos pela UNEB.

Page 24: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Tabela 6 - Cursos de especialização lato sensu oferecidos pela UNEB

Nº DE ORDEM CURSO DEPARTAMENTO

/CAMPUS Nº DE

VAGAS ALUNOS

MATRICULADOS

01 Educação, Cultura e Contextualidade

DCH/Campus III - Juazeiro DCH/Campus IV – Jacobina DEDC/Campus VII- Sr do Bonfim

45 45

02 Literatura Brasileira: formação do cânone e contrapontos críticos

DCHT/Campus XX - Brumado 30 26

03 Política e Estratégia DCH/Campus XIX – Camaçari 72 50

04 Metodologia do Ensino da Matemática

DEDC/Campus VII – Senhor do Bonfim 50 14

05 Residência Multiprofissional em Saúde DCV/Campus I - Salvador 38 38

06 Estudos Lingüísticos e Literários

DCHT/Campus – XXIV – Xique Xique 45 45

07 Estudos Literários e Lingüística Aplicada ao Ensino

DCHT/Campus XXII – Euclides da Cunha 40 24

08 Gestão Estratégica em Segurança Pública

DCHT/Campus XIX - Camaçari 35 34

09 Gestão de Organizações Educacionais DCHT/Campus XVI - Irecê 55 26

TOTAL 410 302 Fonte: PPG/UNEB

Page 25: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Dentro desta política, a UNEB oferece também cursos stricto sensu nas

modalidades acadêmica e profissional, conforme demonstrados no quadro a

seguir.

Quadro 2 – Programas STRICTO SENSU UNEB / 2011

DEPARTAMENTO / CAMPUS PROGRAMA

Educação – I Mestrado em Educação e Contemporaneidade Doutorado em Educação e Contemporaneidade

Ciências Exatas e da Terra - I Mestrado em Química Aplicada

Ciências Humanas - I Mestrado em Estudos de Linguagens Mestrado em Políticas Públicas, Gestão de Informação e Desenvolvimento Regional

Educação - II Mestrado em Crítica Cultural – Pós Crítica Tecnologia e Ciências Sociais - III Mestrado em Horticultura Irrigada

Ciências Humanas - V Mestrado em História Regional e Local Mestrado em Cultura, Memória e Desenvolvimento Regional

Educação - VIII Ecologia Humana e Gestão Socioambiental Biodiversidade Vegetal

Ciências Exatas e da Terra – II, Educação – VII e VIII Mestrado em Biodiversidade Vegetal com Ênfase na Flora da Bahia

Para atingir seus objetivos a UNEB, conta com recursos próprios e o apoio

institucional e/ou financeiro de outras instituições universitárias federais e

estaduais, de órgãos federais como o Conselho Nacional de Pesquisa – CNPq, a

CAPES, e ainda, de órgãos internacionais, a exemplo do convênio

UNEB/Universidade do Quebec/Canadá.

Em paralelo ao trabalho de capacitação, a UNEB passa a ser cada vez mais

convocada, também no meio da comunidade, a apresentar soluções inovadoras

que possibilitem transformar uma realidade adversa vivenciada por amplos

estratos da população. Através da Pró-Reitoria de Extensão - PROEX, vem

incentivando o intercâmbio entre a Universidade e a sociedade, com o

oferecimento de cursos e o desenvolvimento de programas e projetos envolvendo

docentes, discentes e técnicos da instituição. Não é um trabalho fácil, pois exige

empenho, dedicação e a disposição para lidar com as vicissitudes do mundo

contemporâneo. É destinar um novo olhar sobre as práticas e políticas

Page 26: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

educacionais fora das salas de aula, problematizando as questões implicadas nos

processos.

Este vínculo com a sociedade tem, ano a ano, crescido de forma expressiva. O

eixo temático dos trabalhos desenvolvidos abrangeu áreas de necessidades

diversificadas, com destaque para as ações no campo da educação, cultura e

tecnologia, cidadania, meio ambiente, saúde e qualidade de vida e

desenvolvimento rural.

Tais atividades extensionistas fomentam discussões e reflexões que

complementam a formação profissional e fortalecem a participação da

comunidade acadêmica, buscando atender as necessidades e expectativas da

sociedade em que está inserida.

Page 27: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

1.2. DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS

O Conselho de Administração da Universidade – CONSAD, através da Resolução

no 001, de 27 de fevereiro de 2008, apresentada a seguir, aprovou a prestação de

contas referente ao exercício de 2007.

Page 28: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

1.3. DEMONSTRAÇÃO DA VIABILIDADE DE MANUTENÇÃO DOS CURSOS QUE OFERECE

A Instituição disponibilizou, para o ano 2010, os recursos do governo estadual,

sua maior fonte de renda, federal e própria, conforme especificação apresentada

na tabela 7, a seguir.

Tabela 7 - Orçamento fiscal da UNEB para o ano 2010

ESPECIFICAÇÃO (PROJETO/ATIVIDADE) FONTE VALOR (R$)

Encargos com Benefícios Especiais Próprias do Tesouro 10.000 Assistência Médica aos Servidores Públicos e Seus Dependentes - PLANSERV Próprias do Tesouro 6.798.000

Manutenção dos Serviços Técnicos e Administrativos Próprias do Tesouro Recursos de Outras Fontes

24.121.000

Administração de Pessoal e Encargos Próprias do Tesouro 36.664.000 Administração de Pessoal Sob Regime Especial de Contratação Próprias do Tesouro 3.842.000

Encargos com Concessionárias de Serviços Públicos Próprias do Tesouro 5.000.000 Manutenção dos Serviços de Informática Próprias do Tesouro 1.838.000 Publicidade de Utilidade Pública – Vestibular da UNEB Próprias do Tesouro 50.000

Comunicação Legal Próprias do Tesouro 100.000 Auxílios Transporte e Alimentação aos Servidores e Empregados Públicos Próprias do Tesouro 8.000.000

Qualificação e Capacitação Continuada de Profissionais da Educação Superior - UNEB Próprias do Tesouro 150.000

Realização de Cursos de Educação à Distância: Inclusão Social - UNEB

Recursos de Outras Fontes Próprias do Tesouro 1.056.000

Implementação do Projeto de Inclusão Social com Ações Afirmativas - UNEB Próprias do Tesouro 200.000

Estruturação e Ampliação de Programas Especiais de Graduação Voltados para a Inclusão Social - UNEB Próprias do Tesouro 130.000

Apoio ao Projeto Universidade para Todos - UNEB Recursos de Outras Fontes

Próprias do Tesouro 4.020.000

Avaliação Institucional - UNEB Próprias do Tesouro 200.000 Implantação de Canais e Veículos de Articulação entre Universidade e Sociedade - UNEB Próprias do Tesouro 100.000

Implementação de Modelo de Gestão Descentralizada - UNEB Próprias do Tesouro 1.179.000

Gestão das Atividades do Ensino de Graduação a Cargo dos Departamentos - UNEB

Recursos de Outras Fontes Próprias do Tesouro

10.900.000

Gestão das Atividades do Ensino de Pós-Graduação a Cargo dos Departamentos

Recursos de Outras Fontes Próprias do Tesouro 440.000

Gestão das Atividades de Pesquisa a Cargo dos Departamentos - UNEB Recursos de Outras Fontes 680.000

Page 29: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Próprias do Tesouro Gestão de Atividades e Ações de Extensão a Cargo dos Departamentos - UNEB

Recursos de Outras Fontes Próprias do Tesouro

780.000

Page 30: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ESPECIFICAÇÃO (PROJETO/ATIVIDADE) FONTE VALOR (R$)

Gestão de Programas, Projetos e Ações de Extensão Universitária - UNEB

Recursos de Outras Fontes Próprias do Tesouro 3.200.000

Processo Seletivo de Segmentos Universitários - UNEB

Recursos de Outras Fontes Próprias do Tesouro 2.600.000

Gestão do Programa de Integração da UNEB com a Educação Básica Próprias do Tesouro 60.000

Processo Seletivo de Candidatos através do Vestibular - UNEB

Recursos de Outras Fontes Próprias do Tesouro

11.100.000

Gestão de Programas, Projetos e Ações Acadêmico-Administrativas do Ensino de Graduação - UNEB

Recursos de Outras Fontes Próprias do Tesouro

1.850.000

Assistência ao Estudante Universitário - UNEB Próprias do Tesouro 1.530.000 Administração de Pessoal e Encargos do Magistério Superior - UNEB Próprias do Tesouro 118.210.000

Administração de Pessoal do Magistério Superior sob o Regime Especial de Contratação - UNEB Próprias do Tesouro 20.698.000

Gestão do Acervo Bibliográfico da UNEB Próprias do Tesouro 1.400.000 Administração de Programas da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas - PGDP Próprias do Tesouro 120.000

Gestão de Programas, Projetos e Ações de Planejamento - PROPLAN Próprias do Tesouro 200.000

Ampliação de Unidades Universitárias – UNEB Próprias do Tesouro 500.000 Construção de Unidades Universitárias – UNEB Próprias do Tesouro 1.500.000 Recuperação de Unidades Universitárias - UNEB Próprias do Tesouro 2.600.000 Reparação das Instalações Físicas - UNEB Próprias do Tesouro 2.000.000 Equipamento e Reequipamento de Unidades Universitárias - UNEB Próprias do Tesouro 700.000

Publicidade Institucional – Ações da UNEB Próprias do Tesouro 200.000 Difusão Tecnológica a Cargo do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento - UNEB Próprias do Tesouro 40.000

Gestão e Gerenciamento da Pesquisa e da Pós-Graduação da UNEB

Próprias do Tesouro Recursos de Outras Fontes 2.259.000

Gestão dos Projetos e Ações do Centro de Estudos das Populações Afro-Indígenas Americanas – CEPAIA - UNEB

Próprias do Tesouro 100.000

Apoio a Formação de Alfabetizadores de Jovens e Adultos – UNEB

Próprias do Tesouro Recursos de Outras Fontes

230.000

Apoio ao Desenvolvimento da Educação de Jovens e Adultos - UNEB

Próprias do Tesouro Recursos de Outras Fontes 10.964.000

Preservação do Complexo Histórico e Arqueológico de Canudos – UNEB Próprias do Tesouro 100.000

Implantação e Funcionamento do Centro de Estudos Estratégicos do Semi-Árido - UNEB Próprias do Tesouro 100.000

Desenvolvimento e Fortalecimento da Base Científica e Tecnológica da UNEB

Próprias do Tesouro Recursos de Outras Fontes 2.800.000

Desenvolvimento de Pesquisas e Tecnologias no Setor de Energias Renováveis - UNEB

Próprias do Tesouro Recursos de Outras Fontes

100.000

Criação e Implementação de Redes de Pesquisa da UNEB Próprias do Tesouro 200.000

Criação e Implementação de Redes de Conhecimento da UNEB Próprias do Tesouro 150.000

Page 31: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ESPECIFICAÇÃO (PROJETO/ATIVIDADE) FONTE VALOR (R$)

Fomento à Pesquisa para o Desenvolvimento Econômico e Social – UNEB Próprias do Tesouro 150.000

Melhoria da Infra-Estrutura Científica e Tecnológica da UNEB Próprias do Tesouro 200.000

Desenvolvimento de Estudos, Projetos e Pesquisa em Ciência e Tecnologia - UNEB

Próprias do Tesouro Recursos de Outras Fontes

1.250.000

Gestão de Projetos e Ações da Editora da UNEB Próprias do Tesouro Recursos de Outras Fontes 1.000.000

Apoio ao Projeto de Incubadora de Empresas a Cargo do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento - UNEB Próprias do Tesouro 40.000

Apoio Analítico e Tecnológico ao Setor Produtivo a Cargo do Centro de Pesquisa Tecnológica - UNEB Próprias do Tesouro 220.000

Expansão da Pós-Graduação da UNEB Próprias do Tesouro 800.000 Gestão do Museu de Ciências e Tecnologia – MCT/UNEB Próprias do Tesouro 200.000

Garantia de Qualidade e Normatização a Cargo do Centro de Pesquisa Tecnológica - UNEB Próprias do Tesouro 50.000

Operação Especial – Cumprimento de Sentença Judiciária Próprias do Tesouro 140.000

Operação Especial – Encargos com Obrigações Tributárias e Contributivas Recursos de Outras Fontes 429.000

Total 296.248.000 Fonte: PROPLAN/UNEB

Através do exame dos dados, pode ser verificado que existe uma previsão de

recursos orçamentários, tanto para a manutenção da vida vegetativa da

Universidade, quanto para o desenvolvimento das atividades de ensino, pesquisa

e extensão, e que o governo do Estado da Bahia vem realizando, efetivamente, o

que está planejado, ou seja, repassando regularmente os recursos previstos no

orçamento.

O orçamento para o ano de 2010 foi elaborado com base na Lei Estadual nº

11.630 de 30 de dezembro de 2009.

Page 32: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

1.4. REGULARIDADE FISCAL E PARAFISCAL

A situação fiscal e parafiscal da UNEB é regular e pode ser comprovada na

Administração Central da Universidade, através dos seguintes documentos

relacionados no quadro3.

Quadro 3 - Documentos utilizados para comprovar a situação fiscal e para fiscal da

instituição

DOCUMENTO NÚMERO

Cartão de inscrição no CNPJ 14.485.841/0001-40

Certidão negativa de débitos tributários 2011101640

Certidão conjunta positiva com efeitos de negativa de débitos relativos aos tributos federais e à dívida ativa da união 6368.8C42.F542.0F73

Certidão positiva com efeitos de negativa de débitos relativos às contribuições previdenciárias e às de terceiros 815222010-04001011

Certificado de regularidade do FGTS - CRF 2011021203361268038167

Page 33: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

1.5. LEGISLAÇÃO QUE CREDENCIA A UNEB

A UNEB tem sua condição jurídica pautada em Leis, Portarias e Resoluções que a credenciam como instituição de ensino superior. São elas:

- Portaria do Ministério da Educação e do Desporto no 909, de 31 de julho de

1995.

- Decreto Governamental no 9.751, de 3 de janeiro de 2006.

- Lei no 7.176 de 10 de setembro de 1997.

- Decreto Estadual no 10.181, de 14 de dezembro de 2006

Excetuando a Lei no 7.176/1997, os demais documentos aqui referenciados

encontram-se apresentados a seguir:

Page 34: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 35: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 36: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 37: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 38: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

1.6. RECURSOS DIDÁTICOS E TECNOLÓGICOS

1.6.1. Biblioteca

Para o fortalecimento das ações de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas

em seus Departamentos, a UNEB dispõe de um sistema de bibliotecas, formado

por uma central e vinte e três setoriais, localizadas nos diversos campi, vinculadas

tecnicamente à primeira e, administrativamente, à direção dos Departamentos.

A Biblioteca Central está localizada no Campus I. Possui uma área total de 1.040

m², sendo 167 m² destinados ao acervo e 188 m² ao salão de leitura. Funciona de

segunda à sexta no horário de 7h30min às 21h30min e, aos sábados, das 8h às

12:00 h. É formada por uma equipe técnico-administrativa composta de 14

bibliotecários, 03 cargos comissionados, 06 técnicos universitários, 02 analistas

universitários, 07 técnicos de nível médio contratados pelo Regime Especial de

Direito Administrativo – REDA, 02 estagiários e 04 prestadores de serviços,

totalizando 38 colaboradores.

É de sua competência:

- Coordenar tecnicamente as atividades das bibliotecas do sistema, promovendo

a integração das mesmas;

- Promover a ampliação, atualização e conservação do acervo bibliotecário;

- Realizar o processamento técnico do acervo;

- Normatizar a bibliografia da produção acadêmica da UNEB;

- Disponibilizar o acervo aos usuários para consulta e empréstimos, de acordo

com o regulamento do sistema;

- Orientar alunos, professores e técnicos quanto à normatização de trabalhos

acadêmicos;

Page 39: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

- Capacitar o usuário na busca da informação, presencial e virtual, através de

treinamentos, cursos e visitas programadas;

- Efetuar empréstimo interbibliotecário, através do e-mail [email protected];

- Intermediar a busca da informação em outros espaços físicos, através do

COMUT e BIREME;

- Promover a capacitação do pessoal da área; e

- Proceder reservas e renovações, via web.

O acervo é adquirido através da compra e/ou doação, e a aquisição é realizada

através da indicação dos Departamentos, pesquisa em catálogos de editoras,

além de outras fontes. É constituído de publicações diversificadas. Embora

abrangendo todas as áreas do conhecimento, o acervo prioriza os cursos

oferecidos pela Instituição. A sua atualização e expansão permitem que a

Biblioteca Central e as Setoriais atendam as demandas da comunidade

acadêmica. O acesso se dá através da base de dados bibliográficos, utilizando-se

do software ORTODOCS. A descrição bibliográfica obedece ao padrão MARC de

catalogação. São oferecidos os serviços de acesso ao Portal da CAPES, que

permite ao usuário consultar e baixar resumos e textos completos de mais de

11.419 títulos de periódicos mais renomados - nacionais e estrangeiros, e ao

Banco de Teses e Dissertação do IBICT.

O empréstimo informatizado está disponível na BC e em mais 18 (dezoito)

Setoriais. As demais serão contempladas com este serviço após a aquisição e

instalação de equipamentos necessários para a implantação do sistema. A

pesquisa ao acervo e à internet é de livre acesso pelo usuário, sendo

disponibilizados doze computadores para consulta à base de dados.

Em 2006, foi adquirido o software Pergamum, desenvolvido pela PUC/PR, o qual

possibilita ao usuário acessar, via internet, o catálogo do acervo, proceder

renovações e reservas de livros, consultar e acompanhar o histórico de

empréstimo e devolução, usufruir da agilidade do empréstimo informatizado,

receber via e-mail comprovantes de renovações e reservas, e alertas sobre o

Page 40: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

vencimento dos prazos de empréstimos ou a chegada de novas aquisições,

conforme a área de interesse. O endereço para acessar o catálogo on-line é

www.biblioteca. uneb.br.

A BC abriga o Núcleo de Educação Especial (Braille) - projeto que visa

disponibilizar o acesso de informações aos deficientes visuais que fazem parte da

comunidade acadêmica. Neste setor, encontram-se disponibilizados dois

programas específicos: o DOS VOX e o JAWS - que permitem aos deficientes

visuais o acesso à e-mails e textos diversos, local ou virtual. São mais de 3.000

títulos traduzidos em viva voz. Conta, também, com os ledores (pessoas

voluntárias que se disponibilizam a ler livros do acervo da biblioteca para os

deficientes visuais).

Dentre os projetos em desenvolvimento pela BC, o da Biblioteca Comunitária

merece destaque. Trata-se de um projeto que pretende instalar uma Unidade que

atenda a demanda de pesquisa escolar e acesso à leitura das comunidades

circunvizinhas da UNEB/Campus I, reconhecidamente carentes deste tipo de

equipamento cultural.

Dispõe de um acervo diversificado em áreas do conhecimento, totalizando, com

as demais setoriais, 126.569 títulos e 339.882 exemplares. A atualização e

expansão do acervo dotam as bibliotecas de novos títulos e edições, aumentando

o número de exemplares e de títulos da coleção lastro, para atender a demanda.

É dada prioridade a aquisição para os cursos recém implantados e em processo

de reconhecimento.

A tabela 8 a seguir apresentada, possibilita a visualização da distribuição deste

acervo entre a BC e as demais setoriais da UNEB.

Page 41: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Tabela 8 – Quantitativo do acervo bibliográfico das bibliotecas da UNEB

CAMPUS LOCALIDADE DEPARTAMENTO TÍTULOS EXEMPLARES

I Salvador

Ciências Humanas Ciências da Vida

Educação Ciências Exatas

e da Terra

26.140 70.411

II Alagoinhas Educação

Ciências Exatas e da Terra 9.837 24.966

III Juazeiro Ciências Humanas/

Tecnologias e Ciências Sociais

9.486 23.519

IV Jacobina Ciências Humanas 7.151 18.110

V Santo Antônio de Jesus Ciências Humanas 9.552 24.080

VI Caetité Ciências Humanas 6.543 17.555 VII Senhor do Bonfim Educação 6.251 18.659 VIII Paulo Afonso Educação 4.296 12.721 IX Barreiras Ciências Humanas 4.569 13.180 X Teixeira de Freitas Educação 8.424 21.111 XI Serrinha Educação 4.748 14.825 XII Guanambi Educação 4.807 12.820 XIII Itaberaba Educação 3.665 11.669 XIV Conceição do Coité Educação 1.912 5.788 XV Valença Educação 2.296 5.233

XVI Irecê Ciências Humanas e Tecnologias 2.813 6.978

XVII Bom Jesus da Lapa Ciências Humanas e Tecnologias 1.912 5.788

XVIII Eunápolis Ciências Humanas e Tecnologias 368 1.279

XIX Camaçari Ciências Humanas e Tecnologias 3.027 8.346

XX Brumado Ciências Humanas e Tecnologias 3.216 5.838

XXI Ipiau Ciências Humanas e Tecnologia 1.610 4.492

XXII Euclides da Cunha Ciências Humanas e Tecnologias 1.005 3.738

XXIII Seabra Ciências Humanas e Tecnologias 1.358 4.798

XXIV Xique-Xique Ciências Humanas e Tecnologia 1.583 3.978

TOTAL 126.569 339.882 Fonte: SISB/UNEB/PERGAMUM – 19.05.2010

Page 42: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

De acordo com o Sistema Pergamum utilizado nas Bibliotecas da UNEB,

encontram-se inscritos na BC no Campus I, 4.217 discentes dos cursos de

graduação, 568 discentes dos cursos de pós-graduação, 188 docentes, 20

docentes visitantes, 435 funcionários, 50 prestadores de serviços, e 85

estagiários, totalizando 5.563 usuários.

Não existe o serviço de reprografia dentro da biblioteca e sim, no Campus,

embora os usuários possam retirar o material bibliográfico para reproduzi-lo.

1.6.2. Laboratórios

Para auxiliar nas atividades de graduação, pós-graduação e pesquisa, a UNEB

mantém nos seus diversos Departamentos, laboratórios equipados,

permanentemente, com materiais didáticos, disponibilizados para a realização de

aulas práticas e outros estudos. Estes laboratórios estão distribuídos, conforme

especificação no quadro 4.

Page 43: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Quadro 4 - Laboratórios da UNEB

CAMPUS LOCALIDADE DEPARTAMENTO LABORATÓRIO

I SALVADOR

CIÊNCIAS HUMANAS

INFORMÁTICA I INFORMÁTICA II

CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADA

CIÊNCIAS DA VIDA

BIOLOGIA BROMOTALOGIA MICROBIOLOGIA PARASITOLOGIA

NURIÇÃO I NUTRIÇÃO II

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (implantação) FARMACOBOTÂNICA

FARMACOLOGIA BIOFÍSICA

ANÁLISE SENSORIAL FISIOLOGIA

ANATOMIA HUMANA ENFERMAGEM

EDUCAÇÃO INFORMÁTICA MATEMÁTICA

NÚCLEO DE ESTUDOS INTELIGENTES (NEI)

CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA

ANALÍTICO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS ARTES

AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL (EM IMPLANTAÇÃO) FÍSICA

FOTOGRAFIA IMAGEM

MÊCANICA DOS SOLOS PREPARO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS

QUADRINHOS (EM IMPLANTAÇÃO) SERIGRAFIA URBANISMO

MICROINFORMÁTICA - LAMI I MICROINFORMÁTICA – LAMI II MICROINFORMÁTICA – LAMI III LABORATÓRIO DE QUÍMICA I LABORATÓRIO DE QUÍMICA II LABORATÓRIO DE QUÍMICA III LABORATÓRIO DE QUÍMICA IV LABORATÓRIO DE QUÍMICA V

LABORATÓRIO DE QUÍMICA VI (EM IMPLANTAÇÃO) LABORATÓRIO DE QUÍMICA VII (EM IMPLANTAÇÃO) LABORATÓRIO DE QUÍMICA VIII (EM IMPLANTAÇÃO)

Page 44: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

CAMPUS LOCALIDADE DEPARTAMENTO LABORATÓRIO

II ALAGOINHAS

EDUCAÇÃO

INFORMÁTICA LETRAS (em implantação)

HISTÓRIA (em implantação) EDUCAÇÃO FÍSICA (em implantação)

CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA I LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA II LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA III

LABORATÓRIO MULTIDISCIPLINAR DE APOIO À PESQUISA – LABMAP

LABORATÓRIO DE MATEMÁTICA LABORATÓRIO DE BIOLOGIA I LABORATÓRIO DE BIOLOGIA II LABORATÓRIO DE BIOLOGIA III LABORATÓRIO DE BIOLOGIA IV

LABORATÓRIO DE FÍSICA LABORATÓRIO DE ANATOMIA

LABORATÓRIO DE SOLOS LABORATÓRIO DE GERMINAÇÃO

LABORATÓRIO DE QUÍMICA LABORATÓRIO DE GENÉTICA

LABORATÓRIO DE RECURSOS DO MAR MUSEU DE ZOOLOGIA

HERBÁRIO

III JUAZEIRO

TECNOLOGIAS E

CIÊNCIAS SOCIAIS

SOLOS BIOTECNOLOGIA

BIOLOGIA HIDRÁULICA SEMENTES

FITOPATOLOGIA

TECNOLOGIAS E

CIÊNCIAS SOCIAIS

ENTOMOLOGIA OLERICULTURA

BOTÂNICA (HERBARIUM) INFORMÁTICA

ESTUDOS JURÍDICOS GEOLOGIA MECÂNICA

PRODUÇÃO ANIMAL MEIO AMBIENTE (implantação)

CIÊNCIAS HUMANAS

LABORATÓRIO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

LABORATÓRIO DE ÁUDIO E VÍDEO LABORATÓRIO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

LABORATÓRIO DE RADIOJORNALISMO LABORATÓRIO DE REDAÇÃO JORNALÍSTICA

LABORATÓRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA

Page 45: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

EM MULTIMEIOS

Page 46: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

CAMPUS LOCALIDADE DEPARTAMENTO LABORATÓRIO

IV JACOBINA CIÊNCIAS HUMANAS

AVALIAÇÃO FÍSICA PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA (em implantação)

NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO (em implantação)

GEOCIÊNCIAS AMBIENTE DE LÍNGUAS

INFORMÁTICA GEOPROCESSAMENTO E CARTOGRAFIA

AVALIAÇÃO FÍSICA ER PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA

NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

V SANTO

ANTÔNIO DE JESUS

CIÊNCIAS HUMANAS

GEOPROCESSAMENTO GEOCIÊNCIAS

LÍNGUAS CIÊNCIAS HUMANAS (implantação)

HISTÓRIA

VI CAETITÉ CIÊNCIAS HUMANAS

ENSINO DE CIÊNCIAS (em implantação) INFORMÁTICA

CARTOGRAFIA E FOTOGRAMETRIA BIOLOGIA IDIOMAS

GEOPROCESSAMENTO MATEMÁTICA

ENSINO DE CIÊNCIAS BOTÂNICA

VII SENHOR DO BONFIM EDUCAÇÃO

FÍSICA GEOCIÊNCIAS

ENSINO I ENSINO II ENSINO III

LABORATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS I

LABORATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS II

ZOOLOGIA

MICROBIOLOGIA INDUSTRIAL BOTÂNICA ECOLOGIA

PARASITOLOGIA BIOLOGIA MOLECULAR E CELULAR

DESENHO GEOMÉTRICO INFOLAB I INFOLAB II

PALEONTOLOGIA PALINOLOGIA ESTATÍSTICA

GENÉTICA

Page 47: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

LABORATÓRIOS DE ENFERMAGEM (EM IMPLANTAÇÃO)

CAMPUS LOCALIDADE DEPARTAMENTO LABORATÓRIO

VIII PAULO AFONSO EDUCAÇÃO

BIOLOGIA E ENGENHARIA DE PESCA MATEMÁTICA INFORMÁTICA

EDUCAÇÃO/ECOLOGIA/ANTROPOLOGIA (implantação)

IX BARREIRAS CIÊNCIAS HUMANAS

ENSINO DE MATEMÁTICA (em implantação) BIOLOGIA (em implantação)

MÁQUINAS E MECANIZAÇÃO ÁGUA E SOLOS

QUÍMICA MATEMÁTICA

BIOLOGIA - LABGENE PRODUÇÃO ANIMAL

ÁGUA E SOLOS QUÍMICA

TOPOGRAFIA MICROBIOLOGIA

ENTOMOLOGIA - FITOPATOLOGIA - BIOLOGIA INFORMÁTICA MICROSCOPIA

PRODUÇÃO ANIMAL MÁQUINAS E MECANIZAÇÃO

AGROMETEREOLOGIA

IX BARREIRAS CIÊNCIAS HUMANAS

VIVEIRO HERBÁRIO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL (implantação) CONTABILIDADE

GRUPO DE PESQUISA EM CULTURA, RESISTÊNCIA, ETNIA E LINGUAGEM (CREU).

LABORATÓRIO DE ESTUDO DA DIVERSIDADE LINGÜÍSTICA E SÓCIO-CULTURAL SUZANA CARDOSO (LEDLINSC) (EM IMPLANTAÇÃO)

NÚCLEO DE LEITURA NA ESCRITA DE SI (EM IMPLANTAÇÃO)

X TEIXEIRA DE FREITAS EDUCAÇÃO

INFORMÁTICA BIOLOGIA QUÍMICA

ZOOLOGIA E BOTÂNICA

XI SERRINHA EDUCAÇÃO

CARTOGRAFIA (LACARD) GEOGRAFIA (LIEGEO)

INFORMÁTICA INFORMÁTICA (CPCT – CENTRO DE PESQUISA EM

Page 48: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

CULTURAS E TECNOLOGIAS)

XII GUANAMBI EDUCAÇÃO

BIOFÍSICA BIOQUÍMICA

ANATOMIA E FISIOLOGIA MICROSCOPIA ENFERMAGEM

Page 49: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

CAMPUS LOCALIDADE DEPARTAMENTO LABORATÓRIO

XII GUANAMBI EDUCAÇÃO

LABORATÓRIO DE ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE: AVALIAÇÃO E MUSCULAÇÃO

LABORATÓRIO DE BIOLOGIA: GAMA (GRUPO DE APOIO AO MEIO AMBIENTE: PESQUISA EM ÁREAS DE BACIAS HIDROGRÁFICAS DO SEMI-ÁRIDO DO

ESTADO DA BAHIA) XIII ITABERABA EDUCAÇÃO INFORMÁTICA

XIV CONCEIÇÃO DO COITÉ EDUCAÇÃO

ANÁLISE DOCUMENTAL (em implantação) TV WEB DA UNEB (em implantação)

INFORMÁTICA ANÁLISE DOCUMENTAL

TV WEB DA UNEB

XV VALENÇA EDUCAÇÃO INFORMÁTICA

ARTE EM CENA

XVI IRECÊ CIÊNCIAS

HUMANAS E TECNOLOGIAS

INFORMÁTICA

XVII BOM JESUS DA LAPA

CIÊNCIAS HUMANAS E

TECNOLOGIAS INFORMÁTICA

XVIII EUNÁPOLIS CIÊNCIAS

HUMANAS E TECNOLOGIAS

HOSPITALIDADE (em implantação) ENSINO DE HISTÓRIA (em implantação) ALIMENTOS E BEBIDAS (implantação)

XIX CAMAÇARI CIÊNCIAS

HUMANAS E TECNOLOGIAS

INFORMÁTICA NUPE (em implantação)

LABORATÓRIO DE PRÁTICA JURÍDICA (em implantação)

LABORATÓRIO DE PRÁTICA CONTÁBIL (implantação)

XX BRUMADO CIÊNCIAS

HUMANAS E TECNOLOGIAS

INFORMÁTICA

XXI IPIAÚ CIÊNCIAS

HUMANAS E TECNOLOGIAS

INFORMÁTICA

XXII EUCLIDES DA CUNHA

CIÊNCIAS HUMANAS E

TECNOLOGIAS

INFORMÁTICA

LÍNGUAS

XXIII SEABRA CIÊNCIAS

HUMANAS E TECNOLOGIAS

LABORATÓRIO DE ENSINO DE LÍNGUA INGLESA (LABIN)

INFORMÁTICA LABORATÓRIO DE PESQUISA EM LITERATURA,

LINGÜÍSTICA, BAIANIDADES E CULTURA DA CHAPADA (LLBCC)

XXIV XIQUE-XIQUE CIÊNCIAS

HUMANAS E TECNOLOGIAS

INFORMÁTICA

Fonte: Departamentos dos Campi/UNEB E UDO/UNEB

Page 50: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

1.7. CREDIBILIDADE INSTITUCIONAL

A UNEB tem atuado, buscando comprometer-se cada vez mais com a sua missão

de produzir conhecimento, divulgá-lo, disponibilizá-lo e torná-lo acessível a um

universo populacional cada vez maior. Isto requer práticas cotidianas de

avaliação da sua ação e dos impactos causados no contexto onde está inserida.

Assim, ela tem se incluído nos processos sociais e acadêmicos, onde, além das

questões relacionadas ao ensino, ela constantemente desenvolve programas e

ações, bem como atividades de pesquisa e extensão para a excelência dos seus

cursos de graduação e pós-graduação.

Neste sentido, a educação superior significa muito mais para um país do que a

formação de bons profissionais. Um sistema de educação, solidamente enraizado

nos problemas que desafiam o desenvolvimento social, produz conhecimento e

gera inovações tecnológicas a partir dos seus projetos de cursos.

Os projetos pedagógicos dos cursos de graduação existentes na UNEB têm

se ocupado da organização didático-pedagógica, possibilitando contemplar as

especificidades dos Territórios de Identidade de abrangência de cada Departamento

em que são atendidos pelos cursos e, ao mesmo tempo, garantir uma base de temas

comuns a serem trabalhados por professores e estudantes, articulando as atividades

de ensino às de pesquisa e extensão. A implantação desses cursos obedece às

necessidades da demanda por formação pessoal e profissional do cidadão e,

consequentemente, com o desenvolvimento do contexto onde ele se insere.

A integralização dos currículos é acompanhada e subsidiada por avaliações

contínuas e processuais dos próprios sujeitos da ação, visando à qualidade do

trabalho docente, a aprendizagem dos alunos, o desenvolvimento da pesquisa e a

relação entre diferentes atividades acadêmicas.

Page 51: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Nas práticas acadêmicas desenvolvidas pela UNEB, se incluem também as

oriundas do avanço da tecnologia. As discussões em ambientes virtuais de

aprendizagem, docência online e aprendizagem à distância já fazem parte dos

documentos norteadores das políticas públicas de educação em nosso país, bem

como são objeto de investigação do mundo acadêmico. A UNEB já tem uma

cultura incorporada de utilização das Tecnologias da Informação e da

Comunicação (TIC’s) em suas atividades acadêmicas, com grupo de pesquisa

consolidado no Programa de Pós-Graduação em Educação e

Contemporaneidade, vasta produção publicada e utilização da plataforma moodle

nos cursos presenciais.

A UNEB possui também uma produção acadêmica consolidada, que remonta ao

ano de 1998, onde a educação a distância iniciada com o curso piloto de

Administração no ano 2007, foi ampliada com o Programa Universidade Aberta

do Brasil. Embora atualmente toda a oferta de EaD pela UNEB seja originária de

convênios com outras instituições, especialmente com a adesão aos Programas

Universidade Aberta do Brasil - UAB, PARFOR e Programa Nacional de

Administração Pública – PNAP, a intenção da Universidade é incorporar esta

modalidade de ensino como oferta contínua, através da implantação de

infraestrutura e da constituição de uma cultura específica, ampliando assim a sua

possibilidade de oferta e a abrangência regional, além de fortalecer seu

papel/missão de ampliar e democratizar o acesso à educação superior no estado.

Nesta perspectiva, a extensão em suas diretrizes, caminha não apenas para

superação das vulnerabilidades e riscos sociais desta população excluída, mas

também para a expressão de suas potencialidades e desejos, reconhecendo sua

identidade social, promovendo ações de integração e de qualificação sócio-

profissional, criando espaços e reconhecimento para o exercício da cidadania.

Fundamentando-se no seguinte conceito: É um processo educativo, cultural e científico que articula ensino e pesquisa, de forma indissociável e viabiliza a relação transformadora entre Universidade e sociedade. É

Page 52: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

uma via de mão dupla, com trânsito assegurado à comunidade acadêmica, que encontrará na sociedade, a oportunidade de elaboração da práxis de um conhecimento científico. (Plano Nacional de Extensão Universitária, 2001, p. 29)

A pesquisa vitaliza as ações da Universidade e concorre na aspiração de

institucionalizar o conhecimento através da consolidação de uma cultura científica

no universo acadêmico, desenvolvendo estudos e acompanhando programas de

pesquisa de acordo com as diretrizes e políticas de educação superior do Estado

e do País, bem como facilitando e fortalecendo relações intradepartamentais e

interinstitucionais, levando, através da articulação com a extensão, o

conhecimento produzido na Universidade aos demais segmentos sociais, tanto

nas áreas da educação e cultura, como da ciência e da tecnologia.

Além desta, a UNEB tem respondido de forma satisfatória aos procedimentos de

avaliação adotados pelo MEC e pelo Conselho Estadual de Educação – CEE. A

avaliação institucional sistematizada por estes organismos investiga além da

formação acadêmica, a atuação de professores e as condições institucionais de

infra-estrutura que as instituições de ensino superior oferecem. Com essa prática,

cria-se um dispositivo regulador para conceder o reconhecimento ou a renovação

dos cursos de graduação e até o recredenciamento das Universidades.

Assim, a UNEB vem participando regularmente das avaliações, seja através do

reconhecimento dos seus cursos, seja através dos mecanismos específicos

adotados pelo MEC. De 1998 até 2003, ela participou do Exame Nacional de

Cursos - ENC, quando este foi substituído pelo Exame Nacional do Desempenho

dos Estudantes (ENADE).

Em 2004, com a implantação do ENADE pelo SINAES, novas dimensões

passaram a ser investigadas também para a Instituição e para o Curso onde ele

está sendo realizado. O ENADE é aplicado periodicamente e para tanto, o MEC

define as áreas e cursos que serão examinados a cada ano.

Page 53: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Desde a sua implantação, a UNEB vem participando regularmente deste Exame,

onde inúmeros cursos já foram avaliados, obtendo conceitos que variaram entre 3

e 5. São atribuídos conceitos a cada uma e ao conjunto das dimensões avaliadas,

numa escala de cinco níveis, sendo os níveis 4 e 5 indicativos de pontos fortes, os

níveis 1 e 2 indicativos de pontos fracos e o nível 3 indicativo do mínimo aceitável

para os processos de autorização, reconhecimento e renovação de

reconhecimento de cursos e de credenciamento e recredenciamento de

Instituições.

Os conceitos obtidos pela UNEB no ENADE realizado em 2006, 2007, 2008 e

2009 podem ser verificados nas tabelas 9, 10, 11 e 12 apresentadas a seguir,

informando que dos ursos avaliados, alguns não tiveram a participação do grupo

de concluintes, por se tratar de cursos novos que não apresentavam, ainda,

alunos em fase de conclusão.

Tabela 9 - Resultado da avaliação do ENADE/2006

CAMPUS/ MUNICÍPIO CURSO

MÉDIA DA FORMAÇÃO

GERAL

MÉDIA DO COMPONENTE ESPECÍFICO

MÉDIA GERAL ENADE

CONCEITO IDD

CONCEITO ING. CONC. ING. CONC. ING. CONC.

I Salvador

Turismo e Hotelaria 61,6 23,0 58,8 56,5 29,0 52,7 4 1

Ciências Contábeis 52,7 26,0 29,2 32,4 27,0 49,9 4 3

Desenho Industrial 53,1 24,0 54,7 62,9 22,0 57,6 5 3

Comunicação Social

46,2 11,0 35,8 58,9 30,0 62,5 5 5

III Juazeiro

Comunicação Social

44,0 00 33,0 00 33,0 00 SC SC

IV Jacobina Direito 54,1 00 46,2 00 25,0 00 SC SC

V Santo

Antônio de Jesus

Administração 51,5 42,0 43,2 53,6 31,0 54,4 5 4

VII Senhor do

Bonfim

Ciências Contábeis 54,9 00 28,5 00 31,0 00 SC SC

Page 54: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

IX Barreiras

Ciências Contábeis 54,1 47,0 23,5 31,8 50,0 54,6 4 3

XI Serrinha

Administração 57,9 00 44,9 00 32,0 00 SC SC

XII Guanambi

Administração 49,6 00 39,7 00 31,0 00 SC SC

XVII Bom Jesus

da Lapa

Administração 56,1 00 46,2 00 28,0 00 SC SC

XIX Camaçari Ciências Contábeis 50,4 27,0 26,9 34,4 65,0 55,1 4 4

Fonte: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP.

Page 55: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Tabela 10 - Resultado da avaliação do ENADE/2007

CAMPUS/ MUNICÍPIO CURSO

MÉDIA DA FORMAÇÃO

GERAL

MÉDIA DO COMPONENTE ESPECÍFICO

MÉDIA GERAL ENADE

CONCEITO IDD

CONCEITO ING. CONC. ING. CONC. ING. CONC.

I Salvador

Enfermagem 13,0 58,3 9,0 41,7 10,0 45,9 2 3 Farmácia 67,1 - 46,3 - 51,5 - SC SC

Fisioterapia 33,4 - 20,8 - 24,0 - SC SC Fonoaudiolog

ia 18,4 12,5 19,6 22,9 19,3 20,3 1 SC

II Alagoinhas

Educação Física 51,8 - 55,3 - 54,4 - SC SC

III Juazeiro Agronomia 55,6 60,8 40,6 55,5 44,3 56,8 4 3

IV Jacobina

Educação Física - 53,9 - 57,5 - 56,6 SC SC

IX Barreiras

Engenharia Agronômica 67,7 66,2 48,0 57,1 52,9 59,4 4 3

XII Guanambi

Educação Física 11,1 51,1 11,6 48,7 11,4 49,3 2 SC

Enfermagem 60,4 - 29,6 - 37,3 - SC SC Fonte: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP.

Tabela 11 - Resultado da avaliação do ENADE/2008

CAMPUS/ MUNICÍPIO CURSO

MÉDIA DA FORMAÇÃO

GERAL

MÉDIA DO COMPONENTE ESPECÍFICO

MÉDIA GERAL ENADE

CONCEITO IDD

CONCEITO ING. CONC. ING. CONC. ING. CONC.

I Salvador

Letras - 50,0 - 49,5 - 49,6 SC SC Química 50,8 56,9 24,4 44,3 31,0 47,5 5 5

Pedagogia 53,8 53,6 52,1 60,7 52,5 58,9 4 3 Sistemas de Informação 59,0 52,8 33,7 43,8 40,0 46,0 5 3

II Alagoinhas

Matemática 43,1 49,8 30,5 36,5 33,6 39,8 3 3 Letras 51,2 54,9 45,1 51,9 46,6 52,7 4 4

Ciências Biológicas 45,9 43,5 31,2 28,2 34,9 32,0 2 2

II Alagoinhas

História 53,1 49,6 43,1 35,1 45,6 38,7 3 2 Análises de Sistemas 51,9 46,0 26,8 31,0 33,1 34,7 3 2

III Juazeiro Pedagogia 48,4 52,0 47,6 51,6 47,8 51,7 3 3

IV Jacobina

Letras 54,5 54,3 48,4 48,4 49,9 49,9 3 3 História 54,3 48,8 41,0 39,1 44,3 41,5 3 2

Geografia 54,5 50,5 38,3 37,9 42,3 41,0 3 2 V

Santo Letras 41,3 59,3 55,5 61,5 51,9 61,0 5 SC

História 58,0 - 58,2 - 58,1 - SC SC

Page 56: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Antônio de Jesus Geografia - 56,7 - 39,7 - 44,0 SC SC

Page 57: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

CAMPUS/ MUNICÍPIO CURSO

MÉDIA DA FORMAÇÃO

GERAL

MÉDIA DO COMPONENTE ESPECÍFICO

MÉDIA GERAL ENADE

CONCEITO IDD

CONCEITO ING. CONC. ING. CONC. ING. CONC.

VI Caetité

Matemática 56,3 54,1 30,0 31,4 36,6 37,0 3 2 Letras 57,6 57,0 49,5 52,1 51,5 53,3 4 4

História 53,9 60,3 40,4 48,1 43,8 51,2 4 4 VII

Senhor do Bonfim

Matemática 47,2 49,3 26,4 35,1 31,6 38,6 3 SC Ciências

Biológicas - 57,3 - 38,9 - 43,5 SC SC

VIII Paulo Afonso

Matemática 50,4 49,8 26,8 31,2 32,7 35,9 3 2 Ciências

Biológicas 58,2 58,6 33,2 36,2 39,4 41,8 3 3

Pedagogia 48,1 55,7 46,6 58,3 47,0 57,6 4 4 Engenharia da Pesca 48,0 51,3 35,9 38,9 38,9 42,0 2 3

IX Barreiras

Matemática 50,8 - 20,4 - 28,0 - SC SC Letras 53,6 54,6 37,6 48,8 41,6 50,2 3 4

Ciências Biológicas 54,6 45,5 32,5 27,4 38,0 31,9 2 1

Pedagogia 47,2 46,6 44,5 53,0 45,2 51,4 3 3

X Teixeira de

Freitas

Matemática 47,8 52,6 26,4 32,9 31,8 37,9 3 SC Letras 57,8 61,7 45,4 52,6 48,5 54,9 4 SC

Ciências Biológicas 52,0 56,0 29,1 34,8 34,8 40,1 3 SC

Pedagogia 53,5 52,5 46,8 52,9 48,5 52,8 3 3 História 56,3 - 39,6 - 43,8 - SC SC

XI Serrinha

Pedagogia 58,4 51,0 51,6 58,3 53,3 56,5 4 3 Geografia 46,9 - 32,2 - 35,9 - SC SC

XII Guanambi Pedagogia 52,0 53,4 50,4 55,6 50,8 55,1 4 3

XIII Itaberaba

Letras 50,9 53,7 43,0 52,7 45,0 52,8 4 4 Pedagogia 47,2 45,3 43,1 48,1 44,1 47,4 3 2

História 51,0 - 37,4 - 40,8 - SC SC XIV

Conceição do Coité

Letras - 52,2 - 44,8 - 46,6 SC SC

História 51,7 - 38,2 - 41,6 - SC SC

XVI Irecê

Letras 53,3 48,9 44,2 39,5 46,5 41,8 2 2 Pedagogia 50,3 53,0 48,2 57,9 48,7 56,6 4 4

XVII Bom Jesus

da Lapa Pedagogia 44,4 50,1 42,0 53,9 42,6 52,9 3 4

XX Brumado Letras 53,7 56,1 43,4 47,7 45,9 49,8 3 3

XXI Ipiaú Letras - 55,1 - 48,7 - 50,3 SC SC

XXII Euclides da

Cunha Letras 54,9 56,5 45,7 52,1 48,0 53,2 4 4

XXIII Seabra

Letras 54,5 59,6 41,4 53,9 44,7 55,3 4 5

Page 58: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

XXIV Xique-Xique

Letras 49,0 53,0 40,2 45,7 42,4 47,5 3 3

Fonte: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP.

Tabela 12- Resultado da avaliação Do ENADE/2009

CAMPUS/ MUNICÍPIO CURSO

MÉDIA DA FORMAÇÃO

GERAL

MÉDIA DO COMPONENTE

ESPECÍFICO

MÉDIA GERAL ENADE

CONCEITO IDD

CONCEITO ING. CONC. ING. CONC. ING. CONC.

I Salvador

Administração - 66,80 - 47,50 - - 4 - Direito 74,77 - 68,46 - - - SC -

Comunicação Social/Relações

Públicas 70,50 40,99 56,55 44,65 - - 3 -

Design 57,68 70,91 47,70 63,40 - - 5 4,4 Turismo 51,47 53,41 63,65 64,01 - - 4 2,1

III Juazeiro

Comunicação Social/

Jornalismo 35,30 6,32 30,77 6,45 - - 1 -

Direito 38,41 61,03 35,97 61,10 - - 4 5 IV

Jacobina Direito - 55,93 - 55,91 - - 3 -

V Santo

Antônio de Jesus

Administração 51,59 53,75 34,39 44,40 - - 4 2,9

VII Senhor do

Bonfim

Ciências Contábeis 43,25 25,65 31,57 23,35 - - 2 -

VIII Paulo Afonso Direito 45,94 42,81 57,98 71,47 - - 5 3,1

IX Barreiras

Ciências Contábeis 48,89 49,43 20,83 30,14 - - 3 2,5

XI Serrinha Administração 52,11 64,04 34,75 45,86 - - 4 3,6

XII Guanambi Pedagogia 44,14 50,83 40,14 45,37 - - 4 2,5

XIV Conceição do

Coité

Comunicação Social/

Radialismo 51,20 47,26 33,10 48,16 - - 3 -

XVII Bom Jesus

da Lapa Administração 50,78 - 29,68 - - - 2,7 -

XV Valença Direito 56,97 - 55,97 - - - SC -

XVIII Eunápolis

Turismo 57,86 45,48 62,03 67,81 - - 4 2,2

Page 59: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Quanto à avaliação dos Cursos procedida pelo Conselho Estadual de Educação,

a UNEB também tem obtido êxito, uma vez que todos os cursos que são

submetidos à apreciação do referido Conselho, têm tido parecer favorável ao seu

reconhecimento, confirmado por Decreto Governamental publicado em Diário

Oficial.

O resultado das avaliações dos Cursos aqui apresentado não deve ser entendido

como um juízo definitivo do trabalho desenvolvido, mas como resultado de um

empenho cotidiano, onde a UNEB como Instituição Pública, presente em diversas

regiões do Estado, prima pela qualidade dos Cursos que oferece, reestruturando-

os, ampliando e suspendendo a sua oferta de acordo com os indicadores sociais

do seu contexto, e, sobretudo, buscando responder às demandas de formação

profissional do mundo contemporâneo.

Os processos de credenciamento e recredenciamento vivenciados pela

universidade nos últimos anos, representam um marco de grande conquista para

Universidade do Estado da Bahia, demonstrando suas potencialidades e

capacidade para responder às demandas sociais por educação superior,

demonstrando a sua credibilidade institucional, a sua renovação e o seu

desenvolvimento dentro do meio acadêmico e da comunidade, na medida que

promove uma educação superior de qualidade socialmente referenciada.

1.8. REGIMENTO DA INSTITUIÇÃO

O Regimento da Instituição encontra-se apresentado a seguir.

Page 60: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

2. DO DEPARTAMENTO

2.1. IDENTIFICAÇÃO

O Departamento de Ciências Humanas do Campus IX localiza-se no município de

Barreiras, situado no Extremo Oeste do Estado da Bahia, à margem do Rio

Grande, a 350 km de confluência com o Rio São Francisco. É sede da 25ª Região

Administrativa da microrregião homogênea nº 131 - Planalto Ocidental do Médio

São Francisco.

Esse município faz divisa com o Estado do Tocantins e se constitui em importante

entroncamento rodoviário entre o Norte, Nordeste e o Centro Oeste do País. Rico

em belezas naturais é contornado por serras e conta com grandes recursos

hídricos. Atualmente é o maior produtor de grãos do Nordeste, além de possuir

mais de um milhão de cabeças de gado. Possui um enorme potencial para

desenvolver o ecoturismo.

A existência desses aspectos contribuiu para Barreiras se transformar num pólo de

desenvolvimento econômico que aglutina pessoas e mobiliza diversos setores produtivos

de bens e serviços dos municípios que integram o Território da Bacia do Rio Grande e

cidades adjacentes. Esta realidade acaba por demandar profissionais qualificados para

suprir as necessidades deste processo produtivo.

Assim, o Departamento de Ciências Humanas do Campus IX foi criado

inicialmente com a denominação de Núcleo de Ensino Superior de Barreiras, pela

Lei Estadual nº 85.718/81 e integrado ao Centro de Educação Técnica da Bahia -

CETEBA, situado em Salvador, através do Parecer do CEE nº 1.260/80,

oferecendo os cursos de Licenciatura Curta com Habilitação em Técnicas

Agrícolas e Artes Industriais.

A implantação desse núcleo na cidade de Barreiras representou um marco na

história do município, vindo acompanhar o grande ciclo de desenvolvimento

iniciado na década de 70 com os primeiros projetos de agricultura irrigada,

Page 61: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

acelerado na década de 80. Fatores como o baixo preço de terra, incentivo e

financiamentos públicos, aliados às características favoráveis de solo, clima e

potencial hídrico, transformou Barreiras em um dos grandes celeiros do agro

negócio nacional, bem como aumentou a demanda no setor educacional.

No ano de 1993, com a criação da Universidade do Estado da Bahia - UNEB, o

Núcleo de Ensino Superior de Barreiras foi integrado a Faculdade de Formação

de Alagoinhas, época em que foram oferecidos os cursos de Licenciatura Curta

em Letras e Estudos Sociais, objetivando qualificar professores apenas para

atendimento de ensino de 1º grau. Dois anos depois (1995), esse núcleo

desvincula-se da Faculdade de Formação de Alagoinhas, ganha mais autonomia,

transformando-se no Centro de Ensino Superior de Barreiras - CESB, através do

Decreto Governamental nº 31.830/85, publicado no Diário Oficial de 26.06.85, nos

termos do Parágrafo Único do Art. 3º da Lei Delegada nº 66 de 01.06.83; tendo

como objetivo atuar no setor de educação voltado para o ensino de 1º e 2º graus,

para tanto, amplia sua estrutura administrativa e atende não apenas a realidade

da microrregião, mas também, a um anseio da comunidade local, expresso

através de pesquisa realizada, nesse sentido, foi autorizado o funcionamento do

curso de Licenciatura Plena em Pedagogia com Habilitação em Magistério das

Matérias Pedagógicas do 2º Grau, Parecer do CEE nº 066/87, Processo nº 26.385

de 09.02.87 ratificado pelo Decreto Presidencial nº 94.322 de 12.05.87.

Quando da reestruturação das universidades estaduais da Bahia, Lei nº 7.176 de

10 de setembro de 1997 e em consonância com o Decreto nº 7.223 de

20/01/1998, CONSAD, o Centro de Educação Superior de Barreiras - CESB

recebeu a denominação de Departamento de Ciências Humanas – Campus IX -

Barreiras.

Hoje, o Departamento de Ciências Humanas coloca à disposição do Oeste Baiano, seis cursos de oferta contínua, apresentados no quadro 16, com um total de 1.435 alunos matriculados.

Page 62: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADRO 16 - CURSOS DE GRADUAÇÃO OFERECIDOS PELO DCH – CAMPUS IX

CURSO DE GRADUAÇÃO PERÍODO DA OFERTA SITUAÇÃO LEGAL

Pedagogia - Licenciatura A partir de 2004.1

Autorizado - Resoluções N.º do CONSEPE 864/07 e 1069/09

Letras - Licenciatura A partir de 2004.1

Autorizado – Resolução Nº do CONSU 271/2004

Ciências Biológicas - Licenciatura A partir de 2005.2

Autorizado - Resolução do CONSU N° 288/2004

Matemática - Licenciatura A partir de 2005.2

Autorizado - Resolução do CONSU N° 288/2004

Ciências Contábeis - Bacharelado A partir de 1992.1

Reconhecido – Decreto Estadual Nº 8.164/2002

Engenharia Agronômica -Bacharelado A partir de 1999.1

Reconhecido – Decreto Estadual Nº 10.202/2006

Além desses cursos, o Departamento atento as necessidades desse território tem

buscado integrar-se nos diversos contextos regionais desenvolvendo cursos de

graduação para a formação de professores em exercício denominados Programas

Especiais com um total de 1.037 alunos matriculados.

No ano de 2010, o DCH do Campus IX assume mais um desafio, participar da

política nacional para formação de professores da educação básica, implanta dez

cursos de licenciatura através da Plataforma Freire – PARFOR, atendendo a

região do Oeste Baiano. Destaca-se também o curso de Engenharia Agronômica

oferecido aos moradores das áreas de reforma agrária por intermédio do

Programa Nacional de Educação em Área de Reforma Agrária – PRONERA

oferecido aos moradores das áreas de reforma agrária.

No quadro 17, encontram-se especificados, os programas bem como os

municípios atendidos e o número de pessoas e ou professores que estão se

qualificando através desses programas.

Page 63: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADRO 17 - CURSOS DE GRADUAÇÃO DE OFERTA ESPECIAL DO DCH – CAMPUS IX

REDE UNEB

Departamento Campus Local Cod. Matriculados

Ciências Humanas Barreiras

IX

Angical 883 85

Cotegipe 884 44

Formosa do Rio Preto 885 66

Luis Eduardo Magalhães 886 67

Riachão das Neves 897 47

Sub-total 309

PRONERA

Departamento Campus Curso/Habilitação Cod. Alunos Matriculados

Ciências Humanas Barreiras

IX Engenharia Agronômica 320 83

Total do PRONERA 83

PLATAFORMA FREIRE

Departamento Campus Local Curso/Habilitação Cod. Matriculados

Ciências Humanas IX

Barreiras

Artes Visuais (Anual) 900 48

Ciências Biológicas (Anual) 901 55

Educação Física (Anual) 902 31

História (Anual) 903 39

Letras- Língua Portuguesa (Anual) 904 90

Matemática (Anual) 905 39

Pedagogia (Anual) 906 98

Sociologia (Anual) 907 34

Geografia (Anual) 941 24

Computação (Anual) 942 18

Sub-total 476

Cristópolis

História 908 28

Letras- Língua Portuguesa 909 24

Matemática 910 27

Pedagogia 911 59

Sub-total 138

Page 64: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

PLATAFORMA FREIRE

Departamento Campus Local Curso/Habilitação Cod. Matriculados

Ciências Humanas IX

Cotegipe Letras (Anual) 912 31

Sub-total 31

Total Ciências Humanas 645

Portanto, o Campus IX tem se constituído numa alternativa para o enfrentamento

dos desafios da formação docente, além de representar uma oportunidade de

democratização do ensino e melhoria da qualidade da Educação Básica na Bahia.

Também se apresenta como oportunidade de preparar os professores para o

enfrentamento das mudanças operadas na sociedade tecnológica e configura-se

passo importante para o desenvolvimento do Território da Bacia do Rio Grande

tão carente de profissionais na área de formação docente.

O Departamento de Ciências Humanas da Universidade do Estado da Bahia se

faz presente em todo o Território da Bacia do Rio Grande que possui uma área

total: 75.388 km², com uma população de 336.292 habitantes, sendo a urbana:

45,18%, e a rural: 54,82 %, com uma divisão política em 14 municípios, abaixo

apresentada:

QUADRO 18 – MUNICIPIOS DO TERRITÓRIO DA BACIA DO RIO GRANDE

Município Ano de

Emancipação Política

Área (km²) População População

Urbana (%) População Rural (%)

Angical 1890 1.638,70 14.701 41,05 58,95

Baianópolis 1962 3.360,10 12.179 22,39 77,61

Barreiras 1891 7.895,20 131.849 87,82 12,18

Buritirama 1986 3.797,90 17.797 33,29 66,71

Catolandia 1962 659,70 3.092 27,43 72,57

Cotegipe 1820 4.018,60 13.374 48,95 51,05

Page 65: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Município Ano de

Emancipação Política

Área (km²) População População

Urbana (%) População Rural (%)

Cristópolis 1962 896,50 12.662 21,13 78,87

Formosa 1961 16.185,20 18.288 51,3 48,7

Luis Eduardo Magalhães 2001 4.018,80 22.706

Mansidão 1986 3.142,80 11.046 78,87 21,13

Riachão das Neves 1962 5.840,20 21.917 46,8 53,2

São Desidério 1962 14.819,60 19.006 37,51 62,49

Santa Rita de Cássia 1840 6.071,10 24.026 50,72 49,28

Wanderley 1986 3.043,40 13.649 40,13 59,87

Fonte IBGE

O Território, além da agricultura em grande escala, da cadeia do agro negócio,

possui um grande número de agricultores familiares, e em contradição ao

desenvolvimento do agro negócio tem uma forte demanda de reforma agrária, e

um baixo índice de Desenvolvimento Humano, conforme demonstrativo abaixo:

QUADRO 19 - ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO – IDH

BRASIL 0,79

BAHIA 0,69

TERRITÓRIO RIO GRANDE 0,62

O IDH do Território da Bacia do Rio Grande reforça a responsabilidade social,

política e científica educacional da Universidade de contribuir para a

transformação dessa realidade.

Page 66: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Nesse sentido, a UNEB - Campus IX tem se revelado um importante locus de

intercâmbio de conhecimento e culturas diversificadas, pois, nesses trinta anos de

sua existência, foi praticamente a única universidade pública da região, cenário

modificado com a implantação de um Núcleo Avançado da UFBA em 2006 em

Barreiras.

Assim, a Universidade do Estado da Bahia, através do seu Campus IX, participa

diretamente da formação do cidadão do Território da Bacia do Rio Grande,

facilitando sua inserção na sociedade, permitindo a troca de informações, a

produção do conhecimento e uma re-significação da educação com padrões de

qualidade de ensino.

Page 67: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

2.2. INSTALAÇÕES FÍSICAS E PLANTA BAIXA O Departamento de Ciências Humanas – Campus IX, está localizado no

município de Barreiras – Oeste da Bahia, na BR-242, Km. 04 - Loteamento

Flamengo, CEP 47.802-470.

Os espaços físicos atuais atendem as demandas das diversas atividades do

Campus IX, porém, a comunidade acadêmica cresceu muito nos últimos anos. Há

seis salas de aula equipadas com recursos audiovisuais, dois laboratórios: o

Laboratório de Estudos e Pesquisa em Alfabetização, Leitura e Literatura

(LEPAL), o Laboratório de Estudo da Diversidade Linguística e Sócio-Cultural

(LEDLINSC) e o Grupo de Pesquisa em Cultura, Resistência, Etnia e Linguagem

(CREU), uma sala ampla de vídeo e dois laboratórios de informática,

Page 68: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

2.3. RECURSOS DIDÁTICOS E TECNOLÓGICOS

O Departamento deste Campus tem se empenhado no sentido de garantir o

desenvolvimento das suas atividades administrativas e acadêmicas, empregando

todos os recursos didáticos e tecnológicos para atender de forma eficaz às

necessidades dos professores, alunos e técnico-administrativos.

O curso de Letras utiliza salas de aula equipadas com recursos audiovisuais,

como projetores multimídias, uma sala ampla de vídeo e dois laboratórios de

informática, um deles com 30 computadores, com acesso a internet, para atender

as aulas de Informática e outro com 16 computadores com acesso a internet para

uso da comunidade acadêmica do Campus IX. Os microcomputadores são

equipados com processadores de textos, planilhas de cálculos, navegadores para

internet e softwares específicos da área.

A forma de acesso a internet é feita por meio de um link de 4 MB. O acesso é de

banda larga de forma a suprir a demanda acadêmica. Em média, o Laboratório de

Informática II (Consultas) recebe cerca de 300 alunos por dia para digitar

trabalhos, fazer pesquisas e acessar a internet. É disponibilizado também o

acesso a internet pelo modo Wirelles para toda a comunidade acadêmica, com

isso os docentes ministram suas aulas com maior interatividade. No Laboratório

de Informática I são realizadas as aulas práticas utilizando 57

microcomputadores.

A UNEB através da Portaria Nº. 0621/06 regulamentou o uso da rede corporativa

do Sistema de Informática, estabelecendo os serviços restritos para as

necessidades do ensino, pesquisa, extensão e administração universitária. A

regulamentação teve como objetivo aperfeiçoar e melhorar o acesso ao sistema

visando a diminuição do tempo de resposta e redução com custo operacional.

Page 69: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

O quadro 20 apresenta a alocação, especificação e quantitativo destes recursos.

QUADRO 20 - RECURSOS DE INFORMÁTICA E AUDIO-VISUAL

DEPENDÊNCIA QUANTIDADE ESPECIFICAÇÃO

Coordenação de Informática

20 projetor multimídia

08 aparelho de DVD player

14 retro-projetor

04 TV de 29”

02 TV de 32” LCD

01 TV de 42” LCD

05 rack com switch, roteador e conversor de fibra

01 Impressora Jato Tinta HP J3680

01 Impressora Laser HP 1005

Laboratório de Informática I 30 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

Laboratório de Informática II 16 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

Laboratório de Contabilidade 15 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

Laboratório de Matemática

01 Impressora Laser

12 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

Laboratório de Estudos e Pesquisas em Alfabetização, Leitura e Literatura

15 Microfone com Fio

01 Impressora Samsung ML 2010

01 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

01 TV 29” Philips

01 Micro System Gradiente

Laboratório de Metodologia e Práticas Pedagógicas

01 Impressora Copiadora Samsung SCX4521F

01 Impressora Laser Lexmark E320

01 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

Laboratório Multidisciplinar de Educação Ambiental

01 Impressora Jato de Tinta Lexmark E2680

01 micro-computador celeron, Monitor 15” LCD

Page 70: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DEPENDÊNCIA QUANTIDADE ESPECIFICAÇÃO

Sala dos Professores 01 Impressora Laser Xerox

11 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

Biblioteca

01 Impressora Jato de Tinta HP C4280

01 Impressora Matricial Zebra TLP 2844

01 Impressora Térmica Bematech

03 micro-computador entium dual core, Monitor 17” LCD

01 servidor ent processador xeon

Colegiado de Ciências Biológicas

01 Impressora Laser Lexmark E120

01 Impressora Jato de Tinta HP C4280

01 Impressora Jato de Tinta HP 3820

01 Máquina Fotográfica Samsung

02 micro-computador entium dual core, Monitor 17” LCD

Colegiado de Ciências Contábeis 01 Impressora Jato de Tinta HP

02 micro-computador entium dual core, Monitor 17” LCD

Colegiado de Engenharia Agronômica

01 Impressora Laser Samsung ML 2010

02 micro-computador celeron, Monitor 15” CRT

02 micro-computador Pentium dual core, Monitor 17” LCD

Colegiado de Letras

01 Impressora Jato De Tinta HP en 1510

02 Mini System Mcs 25 CCE

10 Micro Casset Record – Gravador Aiwa

01 Aparelho De Dvd

01 Câmera Fotográfica Digital Panasonic

01 Câmera Fotográfica Digital Samsung

01 Impressora Jato de Tinta HP 840c

02 micro-computador entium dual core, Monitor 17” LCD

Colegiado de Matemática

01 Impressora Jato de Tinta HP F300

01 Impressora Laser Laxmark E120

01 micro-computador entium dual core, Monitor 17” LCD

01 micro-computador celeron, Monitor 15” CRT

Page 71: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DEPENDÊNCIA QUANTIDADE ESPECIFICAÇÃO

Colegiado de Pedagogia

03 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

01 Impressora Jato de Tinta HP F4280

01 Impressora Laser HP 1018

Secretaria Acadêmica

03 micro-computador celeron, Monitor 17” LCD

02 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

02 Impressora Laser Xerox 3125

01 Impressora Laser HP 1200

01 Impressora Jato de Tinta HP F380

Protocolo

01 Impressora Laser Xerox 3125

01 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

Administrativo Financeiro

01 Impressora Laser HP 1022

01 Impressora Jato de Tinta HP J3680

01 Impressora Jato de Tinta HP C4480

03 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

Direção

02 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

01 Impressora Jato de Tinta HP F380

01 Impressora Jato de Tinta HP F4280

NUPE

02 micro-computador celeron, Monitor 17” LCD

01 Impressora Jato de Tinta HP

01 Impressora Jato de Tinta Lexmark E2680

Almoxarifado

01 Impressora Jato de Tinta HP 840

01 micro-computador pentium dual core, Monitor 17” LCD

Fonte: DCH do Campus IX - Barreiras/BA

Page 72: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

2.3.1. Biblioteca Setorial

A Biblioteca do Campus IX é uma setorial vinculada tecnicamente ao Sistema de

Bibliotecas da UNEB - SISB e administrativamente à Direção do Departamento.

Ocupa um espaço físico, distribuído em sala de leitura e pesquisa, gabinete de

coordenação, sala de recepção e três banheiros.

A Biblioteca tem como função organizar e disseminar a informação, apoiada em

novas tecnologias de acesso para subsidiar o ensino, pesquisa e extensão no

âmbito do Campus IX, visando contribuir para o desenvolvimento educacional e

cultural.

A estrutura administrativa da Biblioteca é definida no Regimento Geral com um

cargo de Coordenação da Biblioteca, ocupado por um profissional Bibliotecário.

Esta coordenação é responsável pelo pleno funcionamento de todos os setores

da Biblioteca Setorial, com o auxílio de três servidores técnico-administrativos.

A Biblioteca atende a alunos, professores e funcionários técnico-administrativos

do Campus IX, devidamente cadastrados no Sistema Pergamum de Biblioteca

(Quadro 21). O sistema emite um cartão magnético de identificação permitindo ao

usuário os serviços de empréstimo domiciliar, renovação, devolução, consulta a

base bibliográfica e normatização de trabalhos científicos.

O acervo bibliográfico é adquirido através de compra efetuada pela Biblioteca

Setorial e doação de terceiros. A seleção é feita na unidade, através de

indicações do Departamento, Colegiados dos Cursos, professores e Bibliotecária.

A comunidade acadêmica e local também participa ativamente na formação do

acervo, doando obras significantes.

Page 73: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

O processamento técnico (registro, classificação, catalogação e referência

bibliográfica) é da competência do Técnico em Biblioteconomia, com apoio dos

demais funcionários.

É liberado o empréstimo domiciliar para o usuário devidamente cadastrado, por

um prazo de oito dias corridos. Podem ter acesso ao material bibliográfico da

Biblioteca Central e das outras setoriais, pelo sistema de empréstimo

interbibliotecário e, também, adquirir cópias de artigos disponíveis em outras

bibliotecas universitárias, através do sistema COMUT, bastando encaminhar um

formulário com as especificações da pesquisa à Biblioteca Central, para as

devidas providências.

O sistema de empréstimo interbibliotecário foi criado em 1990 e legalizado

através da Portaria Nº. 1310/90 da Reitoria da UNEB. Com o sistema

informatizado, este serviço é prestado com mais rapidez pela facilidade de

localização do acervo em outras bibliotecas.

Os quadros 21 e 22 discriminam o número de usuários cadastrados e a

frequência, respectivamente:

QUADRO 21 - DEMONSTRATIVO DE USUÁRIOS CADASTRADOS NA BIBLIOTECA

QUADRO CURSO QUANTIDADE

Alunos Graduação

Pedagogia 301

Engenharia Agronômica 199

Ciências Contábeis 301

Ciências Biológicas 148

Matemática 87

Letras 195

Programas Rede UNEB/PROESP/PARFOR 63

Professores 132

Funcionários 29

TOTAL 1.455

Fonte: DCH do Campus IX - Barreiras/BA

Page 74: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADRO 22 - DEMONSTRATIVO DE FREQUÊNCIA NA BIBLIOTECA DO DCH - CAMPUS IX

ANO ALUNO PROFESSOR FUNCIONÁRIO OUTROS TOTAL

2004 2.909 30 10 233 3.182

2005 3.406 39 10 324 3.779

2006 3.794 43 13 179 4.029

2007 3.134 58 10 344 3.546

2008 3.754 63 15 282 4.114

2009 2.750 812 203 161 3.926

2010 5.375 105 30 65 5.575

TOTAL 25.122 1.150 291 1.588 28.151

Fonte: DCH do Campus IX - Barreiras/BA

A evolução do acervo bibliográfico por área de conhecimento, a relação de

periódicos e assinaturas correntes e outras fontes de consulta encontram-se

discriminados nos quadros 23, 24 e 25, apresentados respectivamente a seguir

QUADRO 23 – ACERVO BIBLIOGRÁFICO POR ÁREA DE CONHECIMENTO

ÁREA DE CONHECIMENTO QUANTIDADE

TÍTULOS EXEMPLARES

Ciências Exatas e da Terra 272 933

Ciências Biológicas 177 665

Engenharias 36 114

Ciências da Saúde 69 183

Ciências Agrárias 335 796

Ciências Sociais Aplicadas 1.161 3.380

Ciências Humanas 1.384 3.933

Lingüística, Letras e Artes 684 1.964

TOTAL 4.118 11.968

Page 75: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADRO 24 - DEMONSTRATIVO DE PERIÓDICOS E ASSINATURAS CORRENTES

TITULOS EXEMPLAR

D.O. LEITURA. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 1982. Mensal 02

ESTUDOS LINGUISTICOS E LITERARIOS. Salvador: UFBA, Instituto de Letras, 1984. anual 06

NOVA ESCOLA: a revista do ensino de primeiro grau. São Paulo: Abril Cultural, 1998. 13

REVISTA DA FAEEBA. Salvador: UNEB, 1992. Semestral 48

SPEAK UP. São Paulo: Camelot, 1987. Mensal 08

TOTAL 77

Fonte: Biblioteca do DCH - Campus IX

QUADRO 25 - OUTRAS FONTES DE CONSULTA

CD´S

TÍTULOS QTD

1º CENSO cultural da Bahia.Produção do Fundo de cultura da Bahia.Salvador:Funcultura,[200-?]. 03

A ARTE de não interpretar como poesia corpórea do ator.Produção de renato Ferracini.São Paulo:UNICAMP, 6 ed.,[200-?]. 02

A HORA e a vez da família em uma sociedade inclusiva.Produção de Ana Rita Paula.Brasilia: Minist. da Educação, [200-?]. 06

ACOMPANHAMENTO do estudante para princípios de anatomia e fisiologia.Produção de Tortora.Rio de janeiro: Guanabara Koogan, 2000. 01

ANÁLISE de investimentos.Produção de Motta e Colôba.São Paulo: Atlas, 2 ed., [200-?]. 02

ANÁLISE financeira de balanços. Produção de Matarazzo.São Paulo:Atlas, 6ª ed., [200-?]. 02

ANATOMIA vegetal.Produção de Beatriz Appezzato-da-Glória.Viçosa:UFV,2 ed., [2000]. 04

ÁREAS prioritárias para a conservação, uso sustentável e repartição da biodiversidade. Produção do Ministerio do Meio ambiente.Brasilia: MMA,2 ed., 2007. 01

ATENDIMENTO educacional especializado.Produção de Elizabet D. Sá.Brasilia: Ministerio da Educação, [2000?]. 06

AVALIAÇÃO do estado do conhecimento da biodiversidade brasileira.Produção de Thomas Lewinsohn.Brasilia:MMA, [200-?]. 01

AVALIAÇÃO nossa de cada dia: guia pratico de avaliação. Produção de Tânia Queiroz.[s.l]:RIDEEL,[200-?]. 05

BAHIA em números. Produção da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais.Salvador:SEI,v.3,2001. 01

BAHIA em números. Produção da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais.Salvador:SEI,v.4,2002. 02

Page 76: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TÍTULOS QTD

BARSA: Pesquisas especiais.Produção de Barsa Society.São Paulo:Barsa, 1999. 01

BIBLIOGRAFIA Brasileira de polinização e polinizadores.Produção do Ministério do Meio Ambiente.Brasilia:Ministerio do Meio Ambiente,[199-?] 01

BIBLIOTECA jurídica de regularização fundiária sustentável. Produção do Ministério da Justiça.Brasilia:liança cidades, [2000] 01

BIODIVERSIDADE e mudanças climáticas. Produção do Ministério do Meio ambiente.Brasilia: MMA,2007. 01

BIOQUÍMICA básica.Produção de Anita Marzzoco e Bayardo B. Torres.Rio de Janeiro:Guanabara Koogan,3 ed.,2007. 03

CAMINHOS para a inclusão: um guia para o aprimoramento da equipe escolar.produção de Jose Pacheco.São Paulo: Artmed,[200-?]. 01

CINEMANDO com a literatura.Salvador:UNEB,2008. 1 CD rom 01

CORPO humano: fundamentos de anatomia e fisiologia.Produção de Gerard J. Tortora.São Paulo:Jonh Willey e Sons, 6 ed.,2004.1 08

DOIS ou mais corpos no mesmo espaço.Produção de Arnaldo Antunes.São Paulo:Perspectiva,3, 2005. 01

EDUCAÇÃO de surdos.Produção do Instituto naiconal de Educação de Surdos.Brasilia: INES,Vol.5, 7, 9 e 10,2005 01

EDUCAÇÃO profissional:referencias curriculares nacionais da educação profissional de nivel tecnico.Produção do Minis. da Educação.Brasilia:Minis. da Educação, [2000]. 01

ENCONTRO de educação, marxismo e emancipação humana território de Irecê,2,[2000?],Salvador.Anais...Salvador:UNEB,[200-?]. 01

ENCONTRO de Zoologia do Nordeste, 15, 2005, Salvador.Anais...Salvador: UNEB,2005. 02

ESSENTIAL cell biology: interactive.Produção de Michael Morales.[s.l]:Garland Science, 2004. 01

ESTATÍSTICAS dos municípios bahianos. Produção da Superintendência de Estudos Economicos e Sociais.Salvador:SEI,v.2,2002. 01

FALE sem medo: não a violência doméstica.Produção do Instituto Avon.[s.l],[200-?]. 01

FONÉTICA e fonologia do português.produção de Thais Cristofaro Silva.São Paulo:Contexto,[200-?]. 06

FORMAÇÃO empreendedora na educação de jovens e adultos.Produção do Sebrae.[S.l]:Sebrae,[200-?]. 01

HISTOLOGIA BÁSICA Produção de Luiz C. Junqueira.Rio de janeiro: Guanabara Koogan,11 ed., 2008. 02

HISTOLOGIA básica. Produção de Luiz C. Junqueira.Rio de janeiro: Guanabara Koogan,10 ed., 2004. 03

ILHAS oceânicas brasileiras: da pesquisa ao manejo. Produção do Ministério do Meio ambiente.Brasília: MMA, [2000]. 01

IMPOSTO sobre a propriedade territorial rural: programas para preenchimento e transmissão da declaração.Brasília:Receita Federal, 2005 01

INCLUSÃO: revista da educação especial. Produção da Sec. de Educação Especial/MEC.Brasília:MEC,v.1, n.1, out 2005. 01

INCLUSÃO: revista da educação especial. Produção da Sec. de Educação Especial/MEC.Brasília:MEC,v.2, n.2, ago 2003. 01

INCLUSÃO: revista da educação especial. Produção da Sec. de Educação Especial/MEC.Brasília:MEC,v.4, n.2, jul/out 2008. 06

Page 77: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TÍTULOS QTD

INCLUSÃO: revista da educação especial. Produção da Sec. de Educação Especial/MEC.Brasília:MEC,v.4, n.9, dez 2006. 1 CD rom 01

LEGISLAÇÃO da profissão contábil.Produção de Carlos Fortes; Maíce N. Fortes. [S.l]:Fortes informática, [200-?]. 02

LINGUAGEM falada culta na cidade de porto alegre:elocuções formais.Produção de Jose Gaston Hilgert.Porto Alegre:UFRGS,[200-?]. 01

LUIZ eduardo magalhães: a capital do agronegócio.Produção da caram de Vereadores de Luiz Eduardo Magalhães.[200-?] 05

MANUAL prático de constituição de empresas. Produção de russo e oliveira. São Paulo: Atlas, 8 ed.,[200-?]. 01

MAPA gemológico do estado da Bahia.produção do Ministério de Minas e energia. Salvador:CPRM, 2000. 01

MONITORAMENTO dos recifes de coral do Brasil:situação atual e perspectivas. Produção de Beatrice Padovani Ferreira.Brasilia: Ministerio do Meio ambiente, [200-?]. 01

NOVO ciclo da cana-de-açúcar: estudos sobre a compatibilidade do sistema agroindustrial da cana-de-açucar.São Paulo:SEBRAE, [199-?] 01

O SOM e o sentido: Produção de Helio Ziskind.São Paulo: companhia das Letras, [200-?]. 02

ORIENTAÇÕES curriculares para o ensino médio. Brasília :Ministério da Educação,v.1,2,3,2008. 03

PANORAMA das contas públicas da Bahia :1994/2004..Produção da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais.Salvador:SEI,v.1,2006. 01

PARASITOLOGIA e micologia humana.Produção de Ruy Gomes de Moraes.Rio de janeiro: Guanabara Koogan,5 ed.,[2000]. 02

PARASITOLOGIA médica.Produção de Luis Rey. Rio de janeiro: Guanabara Koogan,2008. 01

PERFIL financeiro dos municípios baianos:2001/2004.Produção da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais.Salvador:SEI,v.5,2008 01

PESQUISA agropecuária tropical.Produção da Universidade Federal de Goiás.Goiás:UFG, 1971. 04

PLANEJAMENTO na Bahia.Produção da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais.Salvador:SEI,2001. 01

PLENÁRIA nacional de entidades de bases.Produção da UFRA.Pará:UFRA,2008. 01

PRINCÍPIOS que regulamentam a atividade rural e a contabilidade como mediadora dessa relação.Produção de Claudinei Vieira et al. Barreiras: UNEB, [200-?]. 01

PROGRAMA genes: aplicativo computacional em genética e estatística.Produção de Cosme Damião Cruz.Viçosa:UFV, 2001. 02

RELATÓRIO de atividades. Produção da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais.Salvador:SEI,2005. 01

REUNIÃO nordestina de botânica:uso sustentável da flora e inclusão social,30,2007,Crato.Anais...Crato:Universidade Regional do Cariri-Urca,2007. 01

REVOLUÇÃO silenciosa do turismo na economia brasileira.[s.l]:Argumento, 1995/2002. 01

SELF- Study audio: level 1A, 1B,2A, 2B. Produção de Cambridge University Press.[s.l]:Cambridge University Press,3.ed., 2005. 01

SISTEMÁTICA vegetal: um enfoque filogenético.Produção de Judd.São Paulo: Artmed,3 ed.,2009. 02

SOLOS do Brasil.produção de Hélio do Prado.[s.l]:[s.n],[200-?]. 03

TELECONGRESSO internacional de educação de jovens e adultos,3,2003,[s.l].Anais...[s.l]:SEI,2003. 01

Page 78: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TÍTULOS QTD

TRÁFICO de escravos no Brasil.Produção Fundação Biblioteca Nacional.Brasilia:Fundação Biblioteca Nacional,2004. 01

UMA BREVE história da terra.Produção de Nahor N. Souza Jr. Brasília:Sociedade Criacionista Brasiliera,2.ed.,2004. 02

WEB contabil.São Paulo:web contabil, [200-?]. 02

ZONEAMENTO pedoclimático do cajueiro no estado da Bahia. Brasília: EMBRAPA, 2003. 01

TOTAL 132

DVD´S QTD

ATENDIMENTO educacional especializado.Produção de Elizabet D. Sá.Brasilia: Ministério da Educação,2 ed., [200-?]. 06

BARSA PLANETA INTERNACIONAL. Ciência & tecnologia : presente e futuro, 1 : fundamentos da Biologia. [São Paulo ]: Barsa Planeta Internacional, 1995. 01

BARSA PLANETA INTERNACIONAL. Ciência & tecnologia : presente e futuro, 2: Medicina e Sáude. [São Paulo ]: Barsa Planeta Internacional, 1995. 01

BARSA PLANETA INTERNACIONAL. Ciência & tecnologia : presente e futuro, 3 :A arte e o cosmos. [São Paulo ]: Barsa Planeta Internacional, 1995. 01

BARSA PLANETA INTERNACIONAL. Ciência & tecnologia : presente e futuro, 4 : O clima e o meio ambiente. [São Paulo ]: Barsa Planeta Internacional, 1995. 01

BARSA PLANETA INTERNACIONAL. Ciência & tecnologia : presente e futuro, 5 : Eletrônica e informatica. [São Paulo ]: Barsa Planeta Internacional, 1995. 01

BARSA PLANETA INTERNACIONAL. Ciência & tecnologia : presente e futuro, 6 : A ciência no seculo XXI. [São Paulo ]: Barsa Planeta Internacional, 1995. 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Arte: aurora luminosa. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. (85min.) 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Ciências: mundo da ciência. Brasilia (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 3 DVD (600min.) 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Educação especial: deficiência mental e deficiência física. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2006]. (89min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Educação física: esporte na escola e visões do esporte. Brasilia (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Ensino médio sala do professor: caos, tempo e infinito e macrofotografia. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. (180min)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Escola/Educação: assembléias escolares: nota 10, a cor da cultura. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. (183min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Escola/Educação: escola em discussão; conversa de um educador; Jean Piaget, da Série Crônicas da Terra; o saber e o sabor. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. (147min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Ética: violência, comunidade e escola. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. (30min.) 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : história: Rondon e os índios brasileiros: heróis de todo mundo, a cor da cultura. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. (75min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Língua portuguesa: além mar. Brasilia (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, (2007]. 2 DVD (dvd 1 - 150min.; 01

Page 79: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TÍTULOS QTD

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Língua portuguesa: nossa língua portuguesa. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 4 DVD (884min.) 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Língua portuguesa: sua língua e livros etc.. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. (175min.) 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Língua portuguesa: viagens de leitura. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. (171min.) 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Literatura: livros animados, a cor da cultura. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 2 DVD (355min.) 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Matemática: conversa de professor. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. (126min.) 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Meio ambiente: janela natural. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 3 DVD (700min.) 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Pluralidade cultural. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2006]. (48min.) 01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Salto para o futuro: a narrativa na literatura para crianças e jovens. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 2 DVD (300min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Salto para o futuro: conto e reconto, literatura e (re)criação. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 2 DVD (300min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Salto para o futuro: da terra ao espaço, tecnologia e meio ambiente na sala de aula. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 2 DVD (300min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Salto para o futuro: educação e o mundo do trabalho. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 2 DVD (300min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Salto para o futuro: ensino médio: entre jovens e estudantes. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2006]. 2 DVD (240min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Salto para o futuro: espaços educativos e ensino de história. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 2 DVD (300min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Salto para o futuro: formação continua de professores. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 2 DVD (300min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Salto para o futuro: iniciação cientifica:um salto para a ciência. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 2 DVD (300min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Salto para o futuro: linguagens artisticas da cultura popular. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2007]. 2 DVD (300min.)

01

BRASIL. Secretaria de Educação a Distância . DVD Escola : Salto para o futuro:Saúde. Brasília (DF): MEC, Secretaria de Educação a Distancia, [2006]. 2 DVD (240min.) 01

E-STORIAS:DVD multimídia sobre narrativas digitais.Produção de Julia Stateri.São Paulo : Navegar,[200-?]. 01

O DESAFIO do lixo : Dinamarca, Holanda, Suécia, Noruega, Itália e França.São Paulo: Cultura Marcas, [200-?]. 01

O DESAFIO do lixo: Brasil. São Paulo: Cultura Marcas, [200-?]. 01

O DESAFIO do lixo:Canadá. São Paulo: Cultura Marcas, [200-?]. 01

Vidas secas.Direção e roteiro de Nelson Pereira dos Santos.[s.l.] : Motion Picture Export Association of America, 1963. 01

TOTAL 44

Page 80: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DISQUETES QTD

ANÁLISE financeira de balanços. Produção de Matarazzo.São Paulo:Atlas, 5ª ed.,[200-?]. 11

GESTÃO de custos.Produção de Rodney Wernke. São Paulo:Atlas, [200-?]. 02

INFORMATICA na empresa.Aldemar de Araujo S antos.São Paulo: Atlas, 1998. 03 INSTITUTO CENTRO DE CAPACITAÇÃO E APOIO AO EMPREENDEDOR. Modelos e formulários. Salvador: Centro CAPE, [s.d.]. (Educar para vencer ) 02 Manual de impostos e contribuições: para microempresas(ME) e empresa de pequeno porte(EPP). Produção de Edson Oliveira.São Paulo: Atlas, 3 ed. [199?]. 01 MANUAL de modelos de cartas comerciais.Produção de Rodriguez, Manuela M.São Paulo: Atlas, [200?]. 01 MANUAL de planejamento estratégico.Produção de Martinho I.R. Almeida. São Paulo:Atlas, 2ª ed., [200-?]. 02

ORÇAMENTO empresarial.José Carlos Moreira. São Paulo: Atlas,5. ed. 2002. 01

TOTAL 24

K-7 QTD

SPEAK UP. São Paulo: Camelot, [1987-.] 07

TOTAL 07

VHS QTD ALIMENTAÇÃO : confinamento de gado de corte. Curitiba: Agrodata Vídeo, [19--?]. 1 fita de vídeo (45 min): VHS/NTSC 01

BARSA CONSULTORIA EDITORIAL MOSBY GREAT PERFORMANCE. Temas essenciais para a vida. [São Paulo]: Barsa Consultoria, c1999. 2 fitas de vídeo (100min): VHS/NTSC 01

BIOTECNOLOGIA : esse admirável mundo novo : plantas transgênicas. Brasília: EMBRAPA, [199-?]. 1 fita de Video: NTSC/VHS 02

EMBRAPA. Os Benefícios da biotecnologia na agricultura : plantas geneticamente modificadas . [S.l.]: KL3, [199-]. 1 vídeo-cassete 01

EMBRAPA. Transgênicos: pesquisa e desenvolvimento na Embrapa. [s.l.]: Embrapa Informação Tecnológica, 2000.1 fita de vídeo (45 min): VHS/NTSC (Dia de Campo na TV.Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia)

02

ENTENDENDO a evolução da agricultura e o uso dos herbicidas : aspectos relacionados ao uso seguro de produtos 2,4-D. BASF, [19--]. 1 fita de vídeo (ca. 30min): VHS : son., Color. 01

FAZENDO a coisa certa: a aplicação correta e segura de defensivos agrícolas. São Paulo, SP: Monsanto, 2001. 1 vídeo-cassete (120min): VHS : son., color. 01

FORMAÇÃO empreendedora na educação profissional: projeto integrado de formação empreendedora na educação profissional de nível técnico. Florianópolis, SC: LED, 2000. 1 fita de vídeo (35min) : VHS/NTSC

02

INSTITUTO CENTRO DE CAPACITAÇÃO E APOIO AO EMPREENDEDOR. Gestão escolar 1. Salvador: Centro CAPE, [s.d.]. 1 fita de video (39min.01s): VHS : son.; color. (Educar para vencer )

02

INSTITUTO CENTRO DE CAPACITAÇÃO E APOIO AO EMPREENDEDOR. Gestão escolar 2. Salvador: Centro CAPE, [s.d.]. 1 fita de video (44min.08s): VHS : son.; color. (Educar para vencer )

02

REVOLUÇÃO silenciosa do turismo na economia brasileira : 1995-2002. Brasília, DF: EMBRATUR, 2002. 1 videocassete (ca. 150 min): VHS : son., color. 01

Page 81: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TOTAL 44

ROMERO. Sentimento brasílico: César Romero . Salvador, BA: Secretaria da Cultura e Turismo, 200-. 1 videocassete 01

SEMENTES da inovação: transgênicos. [S.l.]: Monsanto, 2001. 1 fita de vídeo (15min)VHS/PAL-M 01

TOTAL 18

Page 82: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

2.4. CORPO DOCENTE

QUADRO 26 - DOCENTES DO DEPARTAMENTO

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Adelson Ferreira da Silva - Pesquisa e Estágio em Espaços Não Formais

Pedagogia/UNEB/2003 Filosofia/UESC/2009

Especialização em Epistemologia e Fenomenologia/UESC/2009 X - - X -

Adriana dos Santos Marmori

- Educação e Tecnologia da Informação e Comunicação - Pesquisa e Prática Pedagógica I - Pedagogia e Educação

Pedagogia/UNEB/1992

Doutoranda em Ciências da Educação Universidade Udemar/2010 Mestrado em Educação e

Contemporaneidade/UNEB/2009 Especialização em Alfabetização

FAEBA-IAT/1994 Especialização em Informática Educativa

/ UEFS/1997

- X - X -

Airton Pereira Pinto - Instituição Direito Público e Privado - Legislação Social e Direito do Trabalho - Direito Administrativo

Direito/UCSal/1992

Doutorado em Direito/ PUC-SP/2003 Mestrado em Direito PUC-SP/1998 Especialização em Metodologia do

Ensino /FEBA/1993

- X - - -

Alessandra da Silva Reis Costa Liberada para Mestrado Pedagogia/UNEB/1992 Especialização em Psicopedagogia FIP/2003 - X - X -

Alessandra Gonçalves Leite Saraiva - Psicologia e Educação

Licenciatura em Psicologia UNESP-SP/1996

Mestranda em Ciências da Educação, UNEB/IUNI, 2004 Especialização em

Psicopedagogia/Olímpio Augusto do Amaral/1999

- X - X -

Page 83: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Alexandre Boleira Lopo - Lógica - Geometria Analítica - Estática I e Matemática II e III

Ciências - Matemática/UEPE/ 1994

Doutorando em Ciências Climáticas/UFRN / 2010

Mestrado em Ciências da Educação Universidade Internacional de Lisboa

Portugal /2005 Especialização em Planejamento e

Gestão Escolar /UNEB/2006 Especialização em Metodologia e Instrumentação CEFET-MG/1998

- X - ? ?

Aline Teixeira de Matos

- Psicologia da Educação -Aspectos Sócio–Psicológicos da Educação Especial - Psicologia e Educação I - Psicologia e Educação II

Psicologia/UNIUBE/1990

Mestrado em Ciências da Educação, Universidade Internacional de Lisboa

Portugal/2005 Especialização em Psicopedagogia,

Faculdade de Ciências e Letras Plínio Augusto do Amaral/2000

Especialização em Saúde Pública, Universidade Estadual de Feira de

Santana/2004

- X - X -

Américo Júnior Nunes da Silva

- Trabalho de Conclusão de Curso - Estágio Curricular Supervisionado

Matemática/Centro de Ensino Superior do Vale de São

Francisco/2008

Especialização em Educação Matemática/Centro de Ensino Superior

do Vale do São Francisco/2009 Especialização em Psicopedagogia

Institucional e Clínica/FBB/2010

- X - X -

Ana Jovina Oliveira Vieira de Carvalho

- Pesquisa e Estágio em Espaço Não Formais - Pesquisa e Estágio em Espaços Formais - Tópicos Especiais de Educação na Contemporaneidade I - Pesquisa e Estágio - Educação de Jovens e Adultos - Pesquisa e Estágio em Gestão Educacional - Pesquisa e Prática Pedagógica IV

Pedagogia/UNEB/ 1993

Mestrado em Educação e Contemporaneidade/UNEB/2008

Especialização em Psicopedagogia FCLPAA/1998

Especialização em Ciência da Educação/IUNI/2003

- X - X -

Page 84: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Ana Paula de Oliveira Moraes Soto

- Pesquisa e Estágio em Espaços Não-Escolares Pedagogia/UEFS/1995

Mestrando em Educação/USP-SP 2009 Especialização em Supervisão

Escolar/Universidade Salgado de Oliveira/1997

Especialização em Educação Especial/FACINTER/2002

X - - X -

Ana Stela Couto Lemos

- Pesquisa e Estágio em Espaços Formais - Pesquisa e Estágio em Gestão Educacional - Pesquisa e Estágio II - Educação Infantil - Educação de Adultos - Infância e Educação Infantil

Licenciatura em Pedagogia /UEFS 1996

Especialização em Alfabetização/UEFS/1998 - X - X -

Antônio Pádua Souza Silva

- Estudo da Produção Literária no Brasil - Estudo da Ficção Brasileira Contemporânea - Estudos Teóricos do Texto Literário - Estudo da Produção Literária Baiana - Literatura e Cultura Afro-Brasileira - Tradição e Ruptura em Literaturas de Língua Portuguesa - Cânones e Contextos da Literatura Brasileira - Aspectos da Literatura Portuguesa

Letras Vernáculas/UCSal/1984

Mestrado em Literatura e Crítica Literária PUC-SP/2008

Especialização em Literatura Brasileira/PUC-MG/1997

X - - X -

Anelise Toni Blos

Literatura: Crítica, História, Cultura e Sociedade Cânones e Contexto na Literatura Brasileira

Licenciatura em Letras/UNIJUI-RS 1991

Mestrado em Letras/Universidade de Passo Fundo-RS/2007

Especialização em Língua Portuguesa Faculdade de Educação de Joinvile

2001

X - - - X

Page 85: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Benevenuta Fátima de Lima

- Estágio Curricular Supervisionado II, III e IV - Prática Pedagógica I e II - Trabalho de Conclusão de Curso

Pedagogia/UFG/1981

Mestrado em Ciências da Educação Universidade Internacional de Lisboa

2005 Especialização em Política, Gestão e

Produção Cultural/UFBA/1986 Especialização em Metodologia do

Ensino Superior/PUC-MG/1995

- - X X -

Bruno Coelho de Barros - Silvicultura - Morfologia Vegetal - Botânica Agrícola

Engenharia Florestal/UFRPE/2006 Mestrado em Ciências Florestais/UFRPE 2009 - - - - -

Carla Cassiana Lima A.Lima

- Educação Inclusiva - Educação Especial - Didática - Currículo - Avaliação Institucional

Pedagogia/UNEB/1998 Especialização em Avaliação da Aprendizagem/UNEB/2002 X - - X -

Carlyson Batista Nascimento

- Direito Comercial - Instituição do Direito Público e Privado - Direito Administrativo

Ciências Contábeis/FASB/2003 Direito/FASB/2009

Especializando em Direito/FASB/2009 Especialização em Ciências Contábeis

FASB/2005 - X - - X

Carlos Alberto Leitão Ferraz

- Economia I - Economia II - Instituição Financeira - Economia, Trabalho e Educação

Economia/UFPE/1985

Mestrado em Economia/UNB/2008 Especialização em Administração

Financeira e Controladoria/UNEB/2000 Especialização em Controladoria/PUC-

MG/1996

- X - X -

Celso Almeida de Lacerda

- Contabilidade I - Contabilidade II - Teoria da Contabilidade

Ciências Contábeis/UCSAL/ 1983

Mestrado em Ciências da Educação/UTI/2009

Especialização em Gestão Publica Municipal/UNEB/2002

Especialização em Administração de Recursos Humanos/FIES/1987

- X - X -

Page 86: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Cristiane Andrade Regis Tavares

- Trabalho de Conclusão de Curso - História da Educação Brasileira - História da Educação - Pedagogia e Educação - Pesquisa e Prática Pedagógica I - Pesquisa e Prática Pedagógica II - Pesquisa e Prática Pedagógica III - Pesquisa e Prática Pedagógica IV

Pedagogia/UNEB/1998 Filosofia/FJC/2009

Mestranda em Políticas Sociais e Cidadania/UCSAL/2010

Especialização em Orientação Educacional /UNIVERSO/2000

Especialização em História Social FJC/2007

- - X X -

Cosme Wilson Ferreira de Carvalho

- Didática - Gestão de Processos Educativos - Gestão Educacional - Avaliação Institucional - Processos Educativos e Ações Coletivas - Educação e os Movimentos Sociais - Tópicos Especiais de Educação na Contemporaneidade I

Pedagogia/UNEB/ 1995 Especialização em Administração e Supervisão Escolar/ FPA Amaral-SP

1999 - - X X -

Danilo Gusmão de Quadros

- Zootecnia - Avicultura - Suinocultura

Bacharelado em Engenharia Agronômica/UESB/1998

Doutorado em Zootecnia/UNESP/2004 Mestrado em Zootecnia/ UNESP/2001 - - X X -

Débora Anunciação da Silva Bastos Cunha

- Prática Pedagógica II e III - Processo de Alfabetização - Metodologia do Ensino da Língua Portuguesa - Fundamentos da Educação Infantil

Pedagogia/UFBA/1990 Mestrado em Educação/UFBA/2000

Especialização em Alfabetização/PUC-MG

- - X X -

Edson Carvalho de Souza Santana

- Pesquisa e Estágio em Espaços Formais - Pesquisa e Estágio em Espaços Não Formais - Pesquisa e Estágio em Gestão Educacional -Educação de Adultos - Pesquisa e Estágio III – Estágio nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental

Pedagogia/UNEB/ 1996

Mestrando em Educação e Contemporaneidade/UNEB/2009 Especialização em Administração

Educacional/UNIVERSO/2000

- - X X -

Page 87: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Elena Maria Brentano

- Metodologia do Ensino da Matemática - Didática da Matemática - Prática Pedagógica II e III - Seminário Interdisciplinar de Pesquisa I, II, III, IV e V - Fundamentos Teóricos do Ensino da Matemática

Pedagogia/UNEB2000

Graduando em Licenciatura da Matemática / UNIFACS/ 2006

Especialização em Educação Matemática/PUC-MG/2002 - X - - X

Elton Pereira da Silva - Estudos Filosóficos Filosofia/UCSAL/1996

Especialização em Metodologia do Ensino Superior/Universidade de

Ciências e Letras Plínio Augusto do Amaral/1999

- X - - X

Emilia Karla de Araújo Amaral Pignata

- Prática Pedagógica I - Seminário Interdisciplinar de Pesquisa I

Pedagogia/UNEB/1997 Especialização em Psicopedagogia - Orientação Educacional/Faculdades

Integradas do Amparo-SP/1999 - X - - X

Erica Neitzke da Cruz

- Laboratórios de Leitura e Produção de Texto - Língua Estrangeira Instrumental I e II - Processo de Leitura (CA) - Leitura e Produção de Texto - Linguagens e Educação

Letras/UNIOESTE/1989

Especialização em Administração Geral, Global e Marketing e RH Instituto Brasileiro de Pós-Graduação e

Educação Continuada - INBRAPE 2002 Especialização em Língua Inglesa

PUC/Minas Gerais/2005 Extensão Universitária em Metodologia

do Ensino/CEFET/1999

- X - X -

Fábio Del Monte Cocozza

- Tecnologia de Produtos de Origem Animal - Tecnologia de Produtos de Origem Vegetal - Secagem de Grãos - Prática Pedagógica e Estágio Supervisionado

Agronomia/UFLA/2004

Doutorado em Engenharia Agrícola UNICAMP/2003

Mestrado em Ciências dos Alimentos UFLA/1997

- - X X -

Page 88: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Fábio Eduardo Callegari

- Educação e Tecnologia da Informação e Comunicação -Tecnologia da Informação e Comunicação

Ciências da Computação UNIFENAS /1997

Especialização em Administração Global, RH e Marketing/ INBRAPE 2002

Especialização em Metodologia do Ensino

Univ. Integrada de Amparo-SP/1999

X - - - X

Fabio de Oliveira Prática e Pesquisa Pedagogia e Estágio Supervisionado I Biologia/PUC-GO/2002

Especialização em Educação PUC-GO/2004

Especializando em Biotecnologia: Fundamentos Técnicos e Aplicações/UFLA/2007

Especialização em Botânica/UFLA/2008

- X - X -

Fátima Leonor Sopran

Leitura e Produção de Texto O Estético e o Lúdico na Literatura Infanto-Juvenil Estudos Teóricos do Texto Literário Construção do Sentido no Texto Literário Literatura: Crítica, História, Cultura e Sociedade

Letras/UNIJUI/1993 Pedagogia/UNEB/1997

Medicina Veterinária/UFPEL/1986

Especialização em Língua Portuguesa Universidade Integrada de Amparo

SP/1999 - X - X -

Fernanda Seuly Souza da Paz

Fisiologia Humana Estágio Supervisionado

Ciências Biológicas FFPP/1989

Especialização em Programação de Ensino em Biologia/ FFPP/1999 - X - X -

Fernando das Dores Esquivel Filho

Administração de Recursos Financeiros em Educação Economia, Trabalho e Educação Orçamento Público Contabilidade Pública

Ciências Contábeis/FVC/ 1994 Especialização em Metodologia do

Ensino/Faculdade de Amparo SP/1999

- X - X -

Page 89: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Gabriela Sousa Rego Pimentel

- Seminário Interdisciplinar de Pesquisa I, II, III, IV e V - Gestão de Processos Educativos - Gestão Educacional - Políticas Públicas e Educação - Trabalho e Educação

Pedagogia/ UNEB/1992

Doutoranda em Educação, Universidade Católica de Brasília, UCB/DF

Mestrado em Educação, Universidade Católica de Brasília/UCB-DF/2008

Especialização em Administração de Marketing e Recursos Humanos,

Unyahna/2002 Especialização em Gestão de Sistemas

Educacionais/PUC-MG/1997

- X - X -

Genildo Ribeiro Santos - Química Geral - Química Analítica - Estágio Supervisionado

Engenharia Agronômica/ UFBA/1995 Mestrado em Fitopatologia/UnB/2004

Especialização em Proteção de Plantas/UFV-MG/ 1999

X - - - X

George Nathan Souza Brito - Estágio Supervisionado Engenharia Agronômica/UFBA/1992 Mestrado em Engenharia

Agrícola/UFC/1997 - - X X -

Gerson do Carmo Argolo

- Antropologia - Estudos Antropológicos - Estudos Sócio-Antropológicos - História da Educação - História da Educação Brasileira - Antropologia e Educação - Metodologia do Ensino da História -Fundamentos Teóricos Metodológicos do Ensino da História

História/PUC-CAMP/1989

Mestrado em Educação e Contemporaneidade/UNEB/2008

Especialização em Teoria do Ensino Técnico/CEFET-MG/1998

- X - X -

Gianete Dutra Meira - Psicologia Psicologia/PUC-RS/1976

Licenciatura em Psicologia/UFBA 1985

Mestrado em Máster En Educación Especial/ISPJEV2002

Especialização em Psicologia da Educação/PUC-MG /1993 Especialização em Saúde

Pública/UEFS/1996 Especialização em Avaliação

Institucional/UnB/1998

- - X X -

Page 90: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Girlene Tereza de Sá O. Sales

- Artes e Educação -Educação Ludicidade e Corporeidade - Educação Física I e II

Educação Física/UCSAL/1977 Especialização em Conteúdos e Métodos de Ensino/UFPB/1987 - - X X -

Greice Ayra Franco Assis

- Biologia dos Invertebrados I - Sistemática Filogenética - Seminário Temático

Licenciatura Plena em Ciências Biológicas/ UFU/2002 Mestrado em Agronomia /UFU/2005 X - - - X

Itaraju Queiroz Santos

- Avaliação em Educação Currículo - Instituição do Direito público e Privado - Gestão de Processos Educativos - Pesquisa e Estágio em Gestão Educacional - Trabalho de Conclusão de Curso - Pesquisa e Estágio em Espaço Não Formais - Pesquisa e Estágio em Espaços Formais

Pedagogia/UNEB/1999 Direito/FASB/2006

Mestrado em Ciências da Educação/IUNI/2001

Especialização em Informática em Educação/UFLA/2007

Especialização em Planejamento e Gestão Escolar/UNEB/2007

Especialização em Direito Civil e Processual Civil/FASB/2006

- X - X -

Ivone Cristina Barros Pedroza

- Metodologia do Ensino da Matemática - Cálculo - Estruturas Algébricas

Matemática/UEPB/2002 Mestrado em Meteorologia/UFCG/2009

Especialização em Ensino de Matemática Básica/UEPB/2004

- X - X -

Page 91: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Jânia Costa Cardoso

- Fundamentos Teóricos e Metodologia do Ensino da Língua Portuguesa - Educação de Jovens e Adultos - Pesquisa e Prática Pedagógica III - Pesquisa e Prática Pedagógica IV - Metodologia do Ensino da Língua Portuguesa - Educação de Adultos - Pesquisa e Estágio em Gestão Educacional - Pesquisa e Estágio em Espaços Formais -Fundamentos Teóricos e Metodológicos do Ensino da Língua Portuguesa

Pedagogia/UNEB/1992 Especialização em Metodologia de Ensino/CEFET/1999 - X - X -

Jarbas Oliveira da Cunha

- Contabilidade Rural - Contabilidade Gerencial - Ética Geral e Empresarial

Ciências Contábeis/UNEB/2001 Especialização em Administração

Financeira e Controladoria UNEB/2003

X - - - X

Jerônimo Mascarenhas Lima

- Auditoria Privada - Perícia Contábil - Pratica I e II

Ciências Contábeis/UEFS/1998

Especialização em Perícia Contábil/FCCJ/2000

Especialização em Metodologia do Ensino Superior/UNYAHNA/2007

- X - X -

João Bosco Pavão

- Diversidade Linguística - Estudos Sócio-Antropológicos - Estudos Filosóficos - Seminário Interdisciplinar de Pesquisa V - Língua, Cultura e Sociedade (CA) - Filosofia e Educação - Projetos Educacionais - Antropologia e Educação

Filosofia/PUC- Campinas/ 1973

Doutorado em Lingüística/Universitè Rénè Descartes/1981

Mestrado em Lingüística Aplicada Universitè Rénè Descartes/1978

- X - X -

Joaquim Pedro Soares Neto - Estatística Básica Engenharia Agrícola/ UFPB/1983

Doutorado em Geotecnia/2005/UnB Mestrado em Ciências Agrárias/1999

UFBA Especialização em Matemática

Superior/PUC-MG

- - X X -

Page 92: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Josânia Silva Santos

- Tradição e Ruptura em Literaturas de Língua Portuguesa - Aspectos da Literatura Portuguesa - Construção do Sentido no Texto Literário - Cânones e Contexto na Literatura Portuguesa - Literatura e Gênero (CA)

Letras/UNIT/1996

Mestrado em Literatura e Crítica Literária/PUC-SP/2008

Especialização em Didática do Ensino Superior/PIODECIMO/1999

- - X X -

Jorge da Silva Junior - Desenho Técnico - Entomologia Agrícola - Biocontrole

Agronomia/UFLA/2004 Mestrado em Agronomia /UFLA/2006 Especialização em MIP e Receituário

Agronômico/UFLA/2007 X - - - X

José Carlos de Carvalho - Agricultura I - Agricultura II - Melhoramentos Vegetal

Engenharia Agronômica/UFV/ 1995 Mestrado em Fitotecnia/UFV /1997 - X - X -

José Cirqueira Martins Junior

- Seminário Temático - Geometria Plena - Software Matemático - Bioestatística

Biologia/UESPI/ 2000 Matemática/UESPI/

2002

Especialização em Matemática e Estatística/UFLA/2005 - X - X -

João Oldan de Alencar Júnior

- Ética Profissional -Mecanização - Técnica Agrotóxica

Engenharia Agronômica/ UFPI/1998 Especialização em Máquinas Agrícolas/UFLA/2000 X - - X -

João Luiz Coimbra - Genética Agrícola - Fitopatologia Agrícola

Agronomia/UFLA/ 1994

Doutorado em Agronomia (Fitopatologia) UFLA/2003 Mestrado em Agronomia

(Fitopatologia) UFLA/1998 Aperfeiçoamento em Nematologia

Agrícola/UFLA/1996

- - X X -

Juscilândia Oliveira Alves Campos

- Literatura: Crítica, História, Cultura e Sociedade - Estudo da Produção Literária no Brasil - Construção do Sentindo no Texto Literário - Cânones e Contexto na Literatura Brasileira

Licenciatura Plena em Letras, Habilitação em Português e

Literaturas de Língua Portuguesa, UNEB/1998

Mestrado em Literatura e Diversidade Cultural/UEFS/2005

Especialização em Estudos Literários UEFS/2000

- X - X -

Page 93: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Kamila Santos Barros - Projeto de Pesquisa Ciências Biológicas/UESC/2005 Mestrado em Zoologia/UESC/2009 X - - - X

Karolina Vyvyan Lopes da Silva

- Seminário Interdisciplinar de Pesquisa I e II Pedagogia/UNEB/1999

Especialização em Filosofia, Estudos Culturais e Pesquisa em Educação

UNEB/2002 Especialização em Avaliação/UNEB 2002

- X - - X

Maria Almeida de Oliveira

- Pesquisa e Estágio em Espaços Formais - Pesquisa e Estágio em Gestão Educacional - Metodologia do Ensino das Ciências - Pesquisa e Estágio em Espaços não Formais - Pesquisa e Prática Pedagógica I

Pedagogia/UNEB/2000 Especialização em Língua

Portuguesa/Faculdade Plínio Augusto do Amaral – SP/1999

- X - X -

Maria Anália Macedo de Miranda

- Projeto de Pesquisa I - Projeto de Pesquisa II Geografia/UFG/1997

Mestrado em Educação/PUC-GO 2007 Especialização em Metodologia do

Ensino Superior/UFG/1999 - X - X -

Maria Aparecida de Souza Guimarães

- Texto e Discurso - Morfologia e a Construção do Significado - Significação e Contexto - O Estético e o Lúdico na Literatura Infanto-Juvenil - Leitura e Produção de Texto - Estabelecimentos dos Estudos Linguísticos

Letras/UESB/1993 Especialização em Alfabetização UFPB/1995 - X - X -

Page 94: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Maria Felícia Romeiro Mota Silva

- Prática Pedagógica I, III e IV - Seminário Interdisciplinar de Pesquisa I, III e IV - Estabelecimento dos Estudos Linguísticos

Letras / UNEB / 2002 Especialização em Estudos Linguísticos: Leitura e Produção de Textos/UNEB/ 2005 - X - - -

Márcia Maria Saievicz

- Artes e Educação - Antropologia - Filosofia - Filosofia e Educação - Antropologia e Educação - Epistemologia da Educação

Bacharelado e Licenciatura em Filosofia/UNIOESTE/1998

Graduanda em Artes Plásticas/UFBA/2010

Especialização em Educação Estética, Semiótica e Cultural/UFBA/2001 - X - X -

Márcia Rasia Figueiredo

- Gestão Educacional - Avaliação em Educação - Avaliação Institucional - Políticas Educacionais - Gestão de Processos Educativos - Pesquisa e Prática Pedagógica I e IV - Coordenação Pedagógica

Pedagogia / UNEB 1998

Mestrando em Ciências da Educação Faculdade João Calvino/2008

Especialização em Planejamento e Gestão UNEB/2003

Especialização em Assessoramento Psicopedagógico na Educação/UNYANA

2008

X - - - X

Márcia Virgínia Piunto Bomfim

- Metodologia do Ensino da Geografia - Fundamentos Teóricos - Educação Ambiental - Educação e Gestão Sócio-Ambiental

Geografia/UFBA/1988 Mestrado em Geografia/UFBA/2006

Especialização em Ensino de Geociências/UEFS/1998

- - X X -

Marcos Antônio Vanderlei Silva

- Extensão Rural - Estatística Básica - Agrometeorologia

Engenharia Agronômica /UFPB 1990

Doutorado em Meteorologia Agrícola UFV/2009

Mestrado em Meteorologia Agrícola UFV 1995

Especialização em Educação para Sociedades Sustentáveis/UESB/2001

- X - X -

Marilde Queiroz Guedes

- Trabalho de Conclusão de Curso - Leitura e Produção de Texto - Significação e Contexto - Currículo - Avaliação Institucional - Avaliação em Educação

Letras/FFPA/1982 Pedagogia/FAFICA-PE/1985

Doutorado em Educação/PUC-SP/ 2010 Mestrado em Educação, UFG, 2001

Especialização em Metodologia do Ensino Superior/PUC-MG/1993

- X - X -

Page 95: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Marta Maria Silva Faria Wanderley

- Estágio Curricular Supervisionado I, II, III e IV

Letras/UNEB/2003 Pedagogia/UNEB/1995

Doutorado em Educação/UDM/2009 Mestrado em Educação/UFPI/2006 Especialização em Telemática na

Educação/UFRPE/2003 Especialização em Língua Portuguesa/UPAM/1997

Especialização em Supervisão Educacional/UNIVERSO/1995

- X - - X

Nelma Aronia Santos

- Estudo da Ficção Brasileira Contemporânea - Estabelecimentos dos Estudos Linguísticos - Estudos Fonéticos e Fonológicos

Letras/PUC-SP/ 1991

Doutoranda em Comunicação e Semiótica/PUC-SP/2009

Mestrado em Literatura e Crítica Literária PUC-SP/2005

Especialização em Língua Portuguesa PUC-MG /1997

- X X -

Nilvo Luis Cassol

- Antropologia - Filosofia - Filosofia e Educação - Epistemologia da Educação

Filosofia/FEB/1990

Mestrado em Ciências da Educação/ Universidade Internacional - UNI/2005

Especialização em Metodologia do Ensino Superior/Faculdade Plínio Augusto Amaral-

SP/1999

- X - X -

Nilza da Silva Martins de Lima

- Educação e Movimentos Sociais - Educação do Campo - Ética - História da Educação Brasileira - Políticas Públicas da Educação

Pedagogia/UNEB/1992

Mestranda Educação e Contemporaneidade/ UNEB/2009

Especialização em Supervisão Educacional/PUC-MG/1996

- X - X -

Patrícia Garcia Rosa Vitorino

- Relações Sintáticas na Língua - Seminário Interdisciplinar de Pesquisa IV

Letras/UNEB/2002 Especialização em Estudos Linguísticos e Literários/UFBA/2005 - X - - X

Paulo Francisco Oliveira Reis

- Topografia - Álgebra Linear - Fotogrametria

Engenheiro Civil/UFBA/1992

Especialização em Matemática e Estatística/UFLA/2004

Especialização em Sistemas Pressurizados de Irrigação/UFLA/2000

- X - X -

Paulo Moisés Batista Santos

- Consultoria Fiscal - Consultoria de Custos - Contabilidade Tributária

Ciências Contábeis UNEB/2004

Especialização em Administração Financeira e Controladoria

UNEB/2004 X - - - X

Page 96: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Pedro Augusto B. Cerqueira - Introdução a Informática Processo de

Dados/UNIFACS/1985

Mestrado em Administração Estratégica/UNIFACS/2003

Especialização em Administração Hospitalar/Centro Universitário São

Camilo/2001 Especialização em Metodologia e Didática

do Ensino Superior/UCSAL/2004

- X X -

Ramão Jorge Dornelles - Economia I - Economia II - Teoria da Economia

Ciências Econômicas URCAMP/1992

Mestrado em Administração/UFRGS/2001 Especialização em Ciências da

Computação/PUC-RS/2004 Especialização em Gestão Acadêmica

UFBA/2006

- X X -

Reginaldo Conceição Cerqueira

- Fruticultura - Olliricultura - Manejo Póscollheita

Engenharia Agronômica/UFBA/1997

Doutorando em Horticultura UNESP/2007 Mestrado em Ciências Agrárias

UFBA/2000 - X X -

Renato Ribeiro Daltro

- Sociologia e Educação I - Sociologia e Educação II - Sociologia e Educação - Sociologia da Educação

Sociologia/UFBA 1986 Doutorado em Educação/UFSCAR/2009

Mestrado em Ciências Sociais/PUC-SP/2002

- X X -

Ricardo Tupiniquim Ramos

-Critica Textual: Edições e Estudos - Língua e Cultura Latinas - Constituição das Línguas Românicas - Formação Histórica das Línguas Românicas - Constituição Histórica do Português Brasileiro - Literatura e Cultura Afro-Brasileira - Estudos Fonéticos e Fonológicos - Língua e Literaturas Latinas - Estudo da Literatura Africana (CA) - Seminário Interdisciplinar de Pesquisa IV, V, VI e VII - Relações Sintáticas da Língua

Letras Vernáculas com Inglês/UCSAL/1996

Doutorado em Letras e Lingüística UFBA/2008

Mestrado em Letras e Linguistica/UFBA/1999

- X X - -

Page 97: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Rita Lobo Freitas - Lógica - Estágio - Seminário Temático

Matemática/UEFS/ 1998

Especialização em Educação Matemática interrompida/UEFS/1999 Especialização em Ciências Naturais,

Matemática e suas Tecnologias/UNB/2007

- X X - -

Rosa Maria Silva Furtado

- Pesquisa e Estágio em Espaços não Formais - Políticas Públicas da Educação Pesquisa e Estágio - Trabalho de Conclusão de Curso - TCC - Pesquisa e Estágio em Gestão Educacional

Pedagogia/ UNEB/ 1998

Mestrado em Educação e Contemporaneidade/UNEB/2010

Especialização em Orientação Educacional / UNIVERSO / 2000

- X X - -

Samuel Souza Meira - Matemática II - Cálculo I II e III

Matemática/PUC-MG/1977 Engenharia Civil/UEFS/1980

Mestrado em Ciências da Educação IUNI/2005

Especialização em Matemática Superior PUC-MG/1993

Especialização em Gestão e Inovações Tecnológicas na Construção/UFLA/2007

- X - X -

Sandra Eliza Guimarães

- Metodologia do Ensino das Ciências - Educação e Gestão Sócio–Ambiental - Biologia do Desenvolvimento - Seminário Temático III - Biotecnologia - Biologia dos Fungos - Metodologia do Ensino das Ciências da Natureza - Fundamentos Teóricos do Ensino da das Ciências

Ciências Biológicas UNILAVRAS/2003

Mestrado em Microbiologia Agrícola EFLA/2006

Especialização em Manejo de Doenças de Plantas/UFLA/2009

X - - - X

Page 98: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Sergivaldo Bispo de Azevedo

- Orçamentos e Ánálises de Custos -Contabilidade das Instituições Financeiras - Contabilidade Comercial

Ciências Contábeis/FVC 1993 Especialista em Auditoria/FVC - X - X -

Sergio Batista Assis Viana

- Hidráulica Agrícola - Irrigação - Drenagem

Bacharelado/UESB/1997

Doutorado em Recursos Naturais UFCG/2005

Mestrado em Engenharia Agrícola UFPB/2000

- - X X -

Solange Alves Perdigão Pamplona

- Psicologia Organizacional - Psicologia Geral - Psicologia e Educação -Estudos Epistemológicos da Aprendizagem - Psicologia e Educação I - Psicologia e Educação II

Psicologia/UFRJ/1989

Mestrado em Master of Science em Ciências da Educação/Universidade

Internacional de Lisboa/2005, validação Universidade Federal do Piauí/2009

Especialização em Psicologia Educacional/Pontifícia Universidade

Católica-MG/1996

X - - X -

Solange Salete Tacolini Zorzo

- Literatura e Outras Artes - Seminário Interdisciplinar de Pesquisa II e III - Estágio Curricular Supervisionado I - Prática Pedagógica III

Letras/UNEB/2007

Especialização em Literaturas de Expressão em Línguas Portuguesas/FJC/2009

Especialização em Psicopedagogia/FASB/2007

- X - - X

Soraia Oliveira da Cunha Silva

- Didática - Avaliação da Aprendizagem Pedagogia/UNEB/1999

Mestrado em Educação/UFPI/2007 Mestrado em Master of

Science/UIL/2005 Especialização em Metodologia de

Ensino/FIA/ 2002

- - X X -

Walquíria Therezinha Amorim

- Estágio IIII - Estágio IV Letras Vernáculas/UFBA/1979

Mestrado em Ciências da Educação IUNI/2005

Especialização em Língua e Literatura Portuguesa/UFPB/1991

Especialização em Literatura Infantil e Juvenil/PUC-MG/1992

Especialização em Administração Global, Marketing e Recursos

Humanos/UNYAHNA/2002

- - X X -

Page 99: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Tadeu Cavalcante Reis - Fisiologia Vegetal - Fertilidade - Manejo com solo

Engenharia Agronômica/UFBA/1996

Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas/USP/2002

Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas-USP/1999

- X - X -

Tânia Maria Boschi - Física I, II e III - Física Geral - Biofísica

Física / UFSCAR/1995 Doutorado em Física/UFSCAR/2004 Mestrado em Física/UFSCAR/1998 - X - - X

Ubiracy Pereira Lima

- Educação Afro-Brasileira e Indígena - História da Educação Brasileira - Educação Especial - Literatura e Identidade Cultural - Educação Especial - Políticas Públicas e Educação - Educação e Cultura Afro-Brasileira - História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena

História/UNEB/1998 Direito/UESB/2004

Mestrado em Direito Internacional/American World

University/2005 Especialização em Teoria e Metodologia

da História/UEFS/2001 Especialização em Educação Especial/UNICASTELO/2006

X - - - X

Valmir Dâmaso de Almeida

- Ecologia Geral - Anatomia dos Vertebrados Ciências Biológicas/UESC/2001

Aperfeiçoamento em Gestão e Manejo Ambiental em Sistemas Agrícolas

UFLA/2008 Especialização Avaliação de Fauna e

Flora em Estudos Ambientais UFLA/2009

Especializando em Gestão Ambiental em Recursos Naturais do Cerrado

UNYANA/2010

X - - - X

Vera Regiane Brescovici Nunes

- Literatura Infanto-Juvenil - Infância e Educação Infantil - Prática Pedagógica I - Seminário Interdisciplinar de Pesquisa I - O Estético e o Lúdico na Literatura Infanto-Juvenil

Pedagogia/UNEB/ 1999

Mestranda em Educação, Universidade Evangélica Del Paraguay

Especialização em Arte e Educação PUC-MG/2002

X - - - X

Page 100: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR QUE LECIONA

QUALIFICAÇÃO REGIME DE TRABALHO

FORMA DE INGRESSO

GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO 20 h 40 h D.E. C S

Volni Antunes da Silva - Estatística - Geometria Analítica Engenharia Química/UFRS/1975

Mestrado em Ecologia/UFRS/2001 Especialização em Engenharia de

Processamento Petroquímico/UFRJ/1977

X - - - X

Zoraide Magalhães Felício

- Relações Sintáticas da Língua - Prática Pedagógica IV - Leitura e Produção de Texto

Letras/UFV/1994

Mestranda em Estudo das Linguagens UNEB

Especialização em Linguística e Língua Portuguesa/UNIMONTES/1997

- X - X -

Walquíria Terezinha dos Santos Amorim

- Estágio Curricular Supervisionado III e IV Letras Vernáculas/UFBA/1978

Mestrado em Ciências da Educação Universidade Internacional/2005

Especialização em Administração Global, Marketing e Recursos

Humanos/UNYAHNA/2002 Especialização em Literatura Infantil

PUC-MG/1992 Especialização em Literatura de Língua

Portuguesa/UFPB/1991

- - X X -

Fonte: Departamento de Ciências Humanas – Campus IX

Page 101: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

2.5 AVALIAÇÃO INTERNA

O processo de avaliação interna da UNEB tem sido desenvolvido em consonância

com as dimensões do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior

(SINAES) e as especificidades de cada um dos 29 Departamentos que integram a

sua estrutura.

Através da sua Comissão Própria de Avaliação - CPA, a UNEB vem promovendo

palestras, reuniões e discussões no âmbito dos seus Departamentos com a

participação dos três segmentos que compõem a universidade: alunos,

professores e funcionários, na perspectiva de subsidiá-los no processo de auto-

avaliação e de investigar as dez dimensões propostas pelo SINAES:

Missão e plano de desenvolvimento institucional

Responsabilidade social da instituição

Políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação e a extensão

Comunicação com a sociedade

Políticas de pessoal, carreiras do corpo docente e do corpo técnico

administrativo

Organização e gestão da Instituição

Infra-estrutura física

Planejamento e avaliação

Políticas de atendimento aos estudantes

Sustentabilidade financeira.

Assim, esses Departamentos vêm sendo estimulados e orientados a

desenvolverem um processo de avaliação que possibilite a reflexão sobre as suas

práticas cotidianas que envolvem atividades de ensino, pesquisa e extensão.

No Departamento de Ciências Humanas esta avaliação vem sendo desenvolvida

na perspectiva da avaliação interna estimulada pela Administração Central da

Page 102: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

UNEB, mas também e principalmente, na perspectiva de que, só através da

avaliação é que é possível planejar e re-planejar as ações relacionadas à prática

docente, à pesquisa, à extensão e ainda às atividades administrativas. A partir

dos resultados evidenciados neste processo, é que o Departamento,

efetivamente, tem condições de construir as suas políticas de atuação,

embasadas nas respostas e demandas das comunidades acadêmica e externa

sugerindo e implementando medidas que repercutam positivamente nas

atividades desenvolvidas.

A avaliação interna é, portanto, uma prática constante do Departamento, que se

utiliza das reuniões plenárias desenvolvidas, das reuniões de Colegiado e das

Assembléias, para discutir os seus problemas e encaminhar as soluções.

Além disso, os momentos de avaliação tornam-se especialmente importantes,

como oportunidades de discutir a dinâmica de trabalho desenvolvida, de observar

os resultados na formação acadêmica e como esta formação tem se refletido no

perfil do profissional que está sendo oferecido ao mercado de trabalho, o tipo de

cidadão que está sendo formado, e à colaboração efetiva que a UNEB tem dado à

sociedade. Estes resultados têm sido evidenciados, sobretudo, através do

acompanhamento discente em suas práticas pedagógicas, como seminários

interdisciplinares e outros eventos temáticos realizados. No curso de Letras,

especificamente, a apresentação dos Seminários Interdisciplinares de Pesquisa,

discutem temas afins da leitura e produção de texto, literatura e cultura afro-

brasileira, literatura infanto-juvenil etc. Desta forma, discute-se com periodicidade,

questões ligadas ao cotidiano da comunidade acadêmica e externa, solicitações

discentes e sugestões além de propostas que resultam em uma avaliação

processual e contínua, indicadora do encaminhamento das soluções necessárias.

O Departamento de Ciências Humanas tem respondido de forma satisfatória

também aos procedimentos de avaliação adotados pelo MEC. No ano de 2005, o

Curso de Letras participou da avaliação realizada pelo INEP através do Exame

Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE), onde obteve como conceito

Page 103: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

a nota 4, numa escala de 1 a 5. Em 2008, o curso participa novamente do

ENADE, obtendo conceito 3.

Os resultados obtidos nos processos de avaliação acerca dos cursos do

Departamento de Ciências Humanas sejam eles internos, sejam os do processo

de reconhecimento de curso ou dos processos avaliativos do MEC, têm suscitado

reflexão cotidiana das suas ações no campo do ensino, da pesquisa e da

extensão, tendo como foco a qualidade do trabalho desenvolvido e o atendimento

às demandas da comunidade que lhe dá sustentação.

Page 104: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3. DO CURSO

3.1. RELEVÂNCIA SOCIAL

O Curso de Letras desenvolvido no Departamento de Ciências Humanas do

Campus IX foi implantado como uma resposta da Universidade do Estado Bahia -

UNEB às demandas de formação profissional oriundas das comunidades

integrantes do Território de Identidade da Bacia do Rio Grande. A UNEB não

poderia deixar de assumir mais este desafio, implantar o Curso de Licenciatura

em Letras em Barreiras, como forma de amenizar os baixos indicadores

relacionados às questões educacionais deste Território.

O curso de Letras quando da sua criação (1997), dispunha de um número

bastante reduzido de professores licenciados em Letras na região de Barreiras. A

atuação dos professores na educação básica pertencentes à área de Letras, era

em sua maioria de docentes que trabalhavam com a área de línguas por se

identificarem ou por ter afinidade com essa área de conhecimento. Essa realidade

mudou, atualmente, os professores que atuam da 5ª a 8ª séries do Ensino

Fundamental e no Ensino Médio, com a Língua Portuguesa, são graduados ou

estão cursando a graduação em Letras.

Portanto, o curso de Letras do Campus IX de Barreiras tem atendido a carência

de profissionais na área de formação docente para os diversos níveis da

Educação Básica contribuindo para as mudanças educacionais do Território do

Oeste Baiano.

Território esse, distante das grandes metrópoles, mas que convive com os

avanços das novas tecnologias de informação e comunicação, cada vez mais

sofisticadas num processo, às vezes, massificador e reprodutor de ideologias.

É nesse contexto que se insere o curso de Letras promovido por este

Departamento. Um curso voltado para a compreensão de um fazer social que se

reflete no uso linguístico. Um curso que possibilita habilitar profissionais para a

Page 105: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

percepção das relações linguísticas como reflexão das relações sociais,

históricas, políticas e culturais, entendendo-as não como um elemento isolado,

mas como parte de um todo que constitui o universo globalizado, cujas

modificações atingem qualquer lugar, qualquer pessoa nele inserido. O Oeste

Baiano tem vivido intensamente um processo de globalização de culturas com a

chegada de pessoas de diferentes regiões do país e, até, de outras nações.

O que acaba por transformar a realidade local, consequentemente, Barreiras

tornou-se o principal município dessa região, tanto pelo seu desenvolvimento

econômico, quanto pelo seu potencial cultural, político, educacional.

No campo da educação, esse município possui um número expressivo de escolas

públicas e particulares. Na esfera do ensino superior, dispõe de seis instituições:

Universidade Federal da Bahia - UFBA, Universidade Estadual da Bahia - UNEB,

Instituto Federal da Bahia - IFBA, Faculdade São Francisco de Barreiras - FASB,

Faculdade João Calvino, Instituto de Educação UNYANHA e Faculdade de

Tecnologia e Ciências – FTC com ensino à distância. Dentre essas, apenas a

UNEB como universidade pública oferece o curso de Letras e a FTC na

modalidade à distância.

Por ser o único curso de graduação presencial na área de Letras em Barreiras, o

curso de Letras do DCH do Campus IX tem se tornado referência também, como

significativo espaço de promoção de atividades de pesquisa e extensão,

proporcionando às comunidades, cursos, palestras e eventos culturais,

integrando-as nos processos de discussão, conscientização e busca de soluções

para questões de ordem local e regional.

Numa visão futurista, a perspectiva na área educacional é que Barreiras ascenda

ao “status” de Cidade Universitária, com a expansão do ensino superior nas três

instituições públicas e nas privadas que se proliferam com muita rapidez.

Page 106: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Quanto à educação básica, de acordo dados do IBGE 2009 apresentados no

quadro abaixo, o município de Barreiras possuía 32.390 alunos matriculados,

sendo 3.479 na Educação Pré-Escolar, 21.261 no Ensino Fundamental e 7.650 no

Ensino Médio.

QUADRO 27 - DEMONSTRATIVO DA SITUAÇÃO EDUCACIONAL POR NÍVEL DE ENSINO E DEPENDÊNCIA ADMINISTRATIVA DE BARREIRAS, BA ANO DE 2009.

REDE

Nº de alunos Nº de Docentes Nº de Escolas Educ. Pré-

Escolar

Ens. Funda mental

Ens. Médio

Educ. Pré-

Escolar

Ens. Funda mental

Ens. Médio

Educ. Pré-

Escolar

Ens. Funda mental

Ens. Médio

Municipal 2.632 15.960 07 117 702 03 59 75 01

Estadual - 2.676 6.691 - 135 267 - 10 13

Federal - - 556 - - 35 - - 01

Privada 847 2.625 396 48 162 44 13 14 03

Total 3.479 21.261 7.650 165 999 349 72 99 18

Analisando os números observa-se que a rede pública é responsável por 88,06%

das matrículas, desse índice a Rede Municipal de Ensino de Barreiras apresenta

um percentual de 57,42%, a Rede Estadual 28,92% (as duas representam

86,34% das matrículas), na esfera federal esse índice é de apenas 1,72% que

corresponde ao ensino médio e o privado com 11,94% nos três níveis.

Esses dados corroboram a necessidade de professor com formação superior para

atender a demanda do município que apresenta carência de profissional com

qualificação na área. Além do setor educacional o egresso do Curso de Letras do

Campus IX da UNEB vem ampliando seu campo de trabalho com sua inserção no

setor industrial, comercial, cooperativas, imprensa falada e escrita, escolas

particulares, etc.

Embora Barreiras apresente um Índice de Desenvolvimento Humano de 0,723

(BA: 11º) PNUD/2000, um PIB de R$ 1 597 109,845 mil e PIB per capita R$ 11

773,75 IBGE/2008, o que o coloca numa posição de destaque em relação a outros

Page 107: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

municípios do oeste baiano, possui características semelhantes a de tantos outros

municípios pobres do estado principalmente na área da educação.

Dados do IBGE 2010 apontam que a taxa de analfabetismo na Bahia é quase o

dobro da média nacional. Mais de 12% do total de analfabetos do Brasil (14,1

milhões) está na Bahia, 1,8 milhão de baianos com 15 anos ou mais não sabem

ler e escrever, o que corresponde a 16,7% da população do Estado nesta faixa

etária.

No quadro abaixo, observa-se que as taxas de analfabetismo dos municípios que

compõem o território do oeste baiano, são bastante elevadas. Em cidades como

Baianópolis e Cristópolis o percentual ultrapassa a 40% de analfabetos com 15

anos ou mais de idade. Diante deste contexto, é fundamental investimentos em

educação nos seus diferentes níveis, perpassando também pelo processo de

formação do profissional de nível superior que irá atuar no ensino dessa região. QUADRO 28 - POPULAÇÃO MUNICIPAL DE PESSOAS NÃO ALFABETIZADA COM 15 ANOS

OU MAIS DE IDADE E TAXA MUNICIPAL DE ANALFABETOS COM 15 ANOS OU MAIS DE IDADE

Código IBGE UF Município População

analfabeta com 15 anos ou mais de

idade

Porcentagem de analfabetos com 15

anos ou mais de idade

2901403 Bahia Angical 3.072 31,9

2902500 Bahia Baianópolis 3.257 40,5

2903201 Bahia Barreiras 11.015 14,7

2904753 Bahia Buritirama 3.269 31,6

2907400 Bahia Catolândia 685 32,9

2909406 Bahia Cotegipe 2.973 35,9

2909604 Bahia Cristópolis 5.137 41,9

2911105 Bahia Formosa do Rio Preto 3.366 30,2

2909553 Bahia Luís Eduardo Magalhães 1.889 16,3

2920452 Bahia Mansidão 1.303 19,5

2926202 Bahia Riachão das Neves 5.040 36,6

Page 108: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Código IBGE UF Município População

analfabeta com 15 anos ou mais de

idade

Porcentagem de analfabetos com 15

anos ou mais de idade

2928406 Bahia Santa Rita de Cássia 3.822 25,2

2928901 Bahia São Desidério 4.365 36,9

2933455 Bahia Wanderley 3.367 38,1

Há que se registrar, também, que o Curso de Letras vem formando profissionais

que retornam ao Departamento como integrantes do seu corpo docente,

colaborando com a formação de novos profissionais e, de certa forma,

minimizando a rotatividade de professor no quadro docente, uma vez que os

egressos residem, na sua maioria, na cidade de Barreiras.

Assim, através do Curso de Letras do Campus IX, a UNEB busca fortalecer os

esforços de melhoria do ensino da rede pública nos níveis fundamental e Médio,

bem como ampliar as oportunidades profissionais e culturais da região.

Page 109: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.2. ATO DE AUTORIZAÇÃO

O curso de Licenciatura em Letras com habilitação em Português e Literatura de

Língua Portuguesa do Departamento de Ciências Humanas de Barreiras foi criado

em 1997, através da Resolução 170/97 do CONSEPE, em atendimento à

demanda da época.

No ano de 2006, após ser submetido à avaliação do Conselho Estadual de

Educação, este curso obteve o reconhecimento, através do Decreto Estadual

nº 10.079/2006 publicado no Diário Oficial do Estado de 29 de agosto de 2006.

Entretanto, em função das diretrizes curriculares derivadas do Conselho Nacional

de Educação, sobretudo as referentes aos cursos de formação de professores, a

UNEB, no ano de 2003, deu início a um processo de redimensionamento

curricular, onde todos os cursos de licenciatura por ela oferecidos foram

reformulados, originando novas matrizes curriculares e em alguns casos, novos

cursos/habilitações. Nesse contexto, o Departamento de Ciências Humanas de

Barreiras, através da Resolução nº 271/2004 do CONSU, publicado em Diário

Oficial de 04/06/2004, obteve autorização para implantar um novo currículo para o

Curso de Letras com habilitação em Língua Portuguesa e Literaturas -

Licenciatura. Este currículo está aqui sendo denominado de Currículo Redimensionado de Implantação. Com uma carga horária total de 3.280 horas

a serem desenvolvidas em um tempo mínimo de 08 semestres letivos, ele passou

a ser oferecido em substituição ao currículo anteriormente oferecido e já

devidamente reconhecido. Este novo currículo foi elaborado na perspectiva de

fortalecer a construção articulada de conhecimentos, respeitando as

especificidades de cada área, e ao mesmo tempo articulando-as. Assim, os

alunos que ingressaram nos anos de 2004, 2005 e 2006 foram automaticamente

inseridos neste currículo.

Como em todo processo de mudança, a operacionalização do novo currículo,

suscitou, de imediato, a necessidade de avaliação e ao mesmo tempo alteração,

Page 110: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ante os entraves ou dificuldades evidenciados. Assim, em decorrências dessas

dificuldades, o CONSEPE através da Resolução nº 928/2008, aprovou a proposta

de alteração para este curso, que foi implantada no ano de 2007, cujo currículo

está aqui sendo denominado de Currículo Redimensionado com Ajustes. Com

estas alterações, a carga horária anterior de 3.280 horas passou a 3.320 horas,

contemplando os discentes que ingressaram a partir do ano de 2007.

A seguir, encontram-se apresentadas as Resoluções do CONSU e CONSEPE

aqui referenciadas.

Page 111: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 112: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 113: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 114: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 115: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.3. BASE LEGAL

O currículo do curso de Letras aqui apresentado foi elaborado de acordo com a

legislação abaixo especificada:

• Parecer CNE/CES no 492/2001;

• Parecer CNE/CES no 1.363/2001;

• Parecer CNE/CP nº 009/2001;

• Parecer CNE/CP 28/2001;

• Resolução CNE/CP no 01 de 18.02.2002 que institui as Diretrizes Curriculares

Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível

superior, cursos de licenciatura de graduação plena;

• Resolução CNE/CP no 02 de 19.02.2002 que institui a duração e a carga horária

dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de Professores da

Educação Básica em nível superior;

• Resolução CNE/CP no 18 de 13.03.2002 que estabelece as Diretrizes

Curriculares para os cursos de Letras;

A seguir encontram-se apresentados os Pareceres do CNE/CES nos 492/2001 e

1.363/2001, e as Resoluções do CNE/CP nos 02/2002 e 18/2002, os quais

constituem as fontes referenciadoras para o currículo redimensionado

(implantação) e redimensionado com ajustes.

Page 116: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

PARECER CNE/CES 492/2001 - HOMOLOGADO

Despacho do Ministro em 4/7/2001, publicado no Diário Oficial da União de 9/7/2001, Seção 1e, p. 50.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2/2001 – HOMOLOGADO

INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara Superior de Educação UF: DF ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais, Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia RELATOR (A): Eunice Ribeiro Durham, Silke Weber e Vilma de Mendonça Figueiredo PROCESSO(S) N.º(S): 23001.000126/2001-69

PARECER N.º: CNE/CES 492/2001

COLEGIADO: CES

APROVADO EM: 03/04/2001

I – RELATÓRIO

Trata o presente de diversos processos acerca das Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais, Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia remetidas pela SESu/MEC para apreciação da CES/CNE. A Comissão constituída pelas Conselheiras Eunice Ribeiro Durham, Vilma de Mendonça Figueiredo e Silke Weber analisou as propostas provindas da SESu referentes aos cursos mencionados e procedeu a algumas alterações com o objetivo de adequá - las ao Parecer 776/97 da Câmara de Educação Superior, respeitando, no entanto, o formato adotado pelas respectivas Comissões de Especialistas que as elaboraram. A Comissão retirou, apenas de cada uma das propostas, o item relativo à duração do curso, considerando o entendimento de que o mesmo não constitui propriamente uma diretriz e será objeto de uma Resolução específica da Câmara de Educação Superior, o que foi objeto do Parecer CNE/CES 583/2001.

II – VOTO DO (A) RELATOR (A) A Comissão recomenda a aprovação das propostas de diretrizes dos cursos mencionados na forma ora apresentada.

Brasília (DF), 03 de abril de 2001. Conselheiro (a) Silke Weber – Relator (a) Conselheiro (a) Eunice Ribeiro Durham

Conselheiro (a) Vilma de Mendonça Figueiredo III – DECISÃO DA CÂMARA A Câmara de Educação Superior aprova por unanimidade o voto do (a) Relator (a).

Sala das Sessões, em 03 de abril de 2001. Conselheiro Arthur Roquete de Macedo - Presidente

Conselheiro Jose Carlos Almeida da Silva - Vice-Presidente

Page 117: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

PARECER CNE/CES 492/2001 - HOMOLOGADO

Despacho do Ministro em 4/7/2001, publicado no Diário Oficial da União de 9/7/2001, Seção 1e, p. 50.

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE LETRAS

Introdução Esta proposta de Diretrizes Curriculares leva em consideração os desafios da educação superior diante das intensas transformações que têm ocorrido na sociedade contemporânea, no mercado de trabalho e nas condições de exercício profissional. Concebe-se a Universidade não apenas como produtora e detentora do conhecimento e do saber, mas, também, como instância voltada para atender às necessidades educativas e tecnológicas da sociedade. Ressalta-se, no entanto, que a Universidade não pode ser vista apenas como instância reflexa da sociedade e do mundo do trabalho. Ela deve ser um espaço de cultura e de imaginação criativa, capaz de intervir na sociedade, transformando-a em termos éticos. A área de Letras, abrigada nas ciências humanas, põe em relevo a relação dialética entre o pragmatismo da sociedade moderna e o cultivo dos valores humanistas. Decorre daí que os cursos de graduação em Letras deverão ter estruturas flexíveis que: • facultem ao profissional a ser formado opções de conhecimento e de atuação no mercado de trabalho; • criem oportunidade para o desenvolvimento de habilidades necessárias para se atingir a competência desejada no desempenho profissional; • dêem prioridade à abordagem pedagógica centrada no desenvolvimento da autonomia do aluno; • promovam articulação constante entre ensino, pesquisa e extensão, além de articulação direta com a pós-graduação; • propiciem o exercício da autonomia universitária, ficando a cargo da Instituição de Ensino Superior definições como perfil profissional, carga horária, atividades curriculares básicas, complementares e de estágio. Portanto, é necessário que se amplie o conceito de currículo, que deve ser concebido como construção cultural que propicie a aquisição do saber de forma articulada. Por sua natureza teórico-prática, essencialmente orgânica, o currículo deve ser constituído tanto pelo conjunto de conhecimentos, competências e habilidades, como pelos objetivos que busca alcançar. Assim, define-se currículo como todo e qualquer conjunto de atividades acadêmicas que integralizam um curso. Essa definição introduz o conceito de atividade acadêmica curricular – aquela considerada relevante para que o estudante adquira competências e habilidades necessárias a sua formação e que possa ser avaliada interna e externamente como processo contínuo e transformador, conceito que não exclui as disciplinas convencionais. Os princípios que norteiam esta proposta de Diretrizes Curriculares são a flexibilidade na organização do curso de Letras e a consciência da diversidade / heterogeneidade do

Page 118: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

conhecimento do aluno, tanto no que se refere à sua formação anterior, quanto aos interesses e expectativas em relação ao curso e ao futuro exercício da profissão. A flexibilização curricular, para responder às novas demandas sociais e aos princípios expostos, é entendida como a possibilidade de: • eliminar a rigidez estrutural do curso; • imprimir ritmo e duração ao curso, nos limites adiante estabelecidos; • utilizar, de modo mais eficiente, os recursos de formação já existentes nas instituições de ensino superior. A flexibilização do currículo, na qual se prevê nova validação de atividades acadêmicas, requer o desdobramento do papel de professor na figura de orientador, que deverá responder não só pelo ensino de conteúdos programáticos, mas também pela qualidade da formação do aluno. Da mesma forma, o colegiado de graduação do curso de Letras é a instância competente para a concepção e o acompanhamento da diversidade curricular que a IES implantará. Diretrizes Curriculares 1. Perfil dos formandos O objetivo do Curso de Letras é formar profissionais interculturalmente competentes, capazes de lidar, de forma crítica, com as linguagens, especialmente a verbal, nos contextos oral e escrito, e conscientes de sua inserção na sociedade e das relações com o outro. Independentemente da modalidade escolhida, o profissional em Letras deve ter domínio do uso da língua ou das línguas que sejam objeto de seus estudos, em termos de sua estrutura, funcionamento e manifestações culturais, além de ter consciência das variedades lingüísticas e culturais. Deve ser capaz de refletir teoricamente sobre a linguagem, de fazer uso de novas tecnologias e de compreender sua formação profissional como processo contínuo, autônomo e permanente. A pesquisa e a extensão, além do ensino, devem articular-se neste processo. O profissional deve, ainda, ter capacidade de reflexão crítica sobre temas e questões relativas aos conhecimentos lingüísticos e literários. 2. Competências e habilidades O graduado em Letras, tanto em língua materna quanto em língua estrangeira clássica ou moderna, nas modalidades de bacharelado e de licenciatura, deverá ser identificado por múltiplas competências e habilidades adquiridas durante sua formação acadêmica convencional, teórica e prática, ou fora dela. Nesse sentido, visando à formação de profissionais que demandem o domínio da língua estudada e suas culturas para atuar como professores, pesquisadores, críticos literários, tradutores, intérpretes, revisores de textos, roteiristas, secretários, assessores culturais, entre outras atividades, o curso de Letras deve contribuir para o desenvolvimento das seguintes competências e habilidades:

Page 119: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

• domínio do uso da língua portuguesa ou de uma língua estrangeira, nas suas manifestações oral e escrita, em termos de recepção e produção de textos;

• reflexão analítica e crítica sobre a linguagem como fenômeno psicológico, educacional, social, histórico, cultural, político e ideológico;

• visão crítica das perspectivas teóricas adotadas nas investigações lingüísticas e

literárias, que fundamentam sua formação profissional; • preparação profissional atualizada, de acordo com a dinâmica do mercado de

trabalho; • percepção de diferentes contextos interculturais; • utilização dos recursos da informática; • domínio dos conteúdos básicos que são objeto dos processos de ensino e

aprendizagem no ensino fundamental e médio; • domínio dos métodos e técnicas pedagógicas que permitam a transposição dos

conhecimentos para os diferentes níveis de ensino. O resultado do processo de aprendizagem deverá ser a formação de profissional que, além da base específica consolidada, esteja apto a atuar, interdisciplinarmente, em áreas afins. Deverá ter, também, a capacidade de resolver problemas, tomar decisões, trabalhar em equipe e comunicar-se dentro da multidisciplinaridade dos diversos saberes que compõem a formação universitária em Letras. O profissional de Letras deverá, ainda, estar compromissado com a ética, com a responsabilidade social e educacional, e com as conseqüências de sua atuação no mundo do trabalho. Finalmente, deverá ampliar o senso crítico necessário para compreender a importância da busca permanente da educação continuada e do desenvolvimento profissional. 3. Conteúdos curriculares Considerando os diversos profissionais que o curso de Letras pode formar, os conteúdos caracterizadores básicos devem estar ligados à área dos Estudos Lingüísticos e Literários, contemplando o desenvolvimento de competências e habilidades específicas. Os estudos lingüísticos e literários devem fundar-se na percepção da língua e da literatura como prática social e como forma mais elaborada das manifestações culturais. Devem articular a reflexão teórica-crítica com os domínios da prática - essenciais aos profissionais de Letras, de modo a dar prioridade à abordagem intercultural, que concebe a diferença como valor antropológico e como forma de desenvolver o espírito crítico frente à realidade. De forma integrada aos conteúdos caracterizadores básicos do curso de Letras, devem estar os conteúdos caracterizadores de formação profissional em Letras. Estes devem ser entendidos como toda e qualquer atividade acadêmica que constitua o processo de aquisição de competências e habilidades necessárias ao exercício da profissão, e incluem os estudos lingüísticos e literários, práticas profissionalizantes, estudos complementares, estágios, seminários, congressos, projetos de pesquisa, de extensão e de docência, cursos seqüenciais, de acordo com as diferentes propostas dos colegiados das IES e cursadas pelos estudantes.

Page 120: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

No caso das licenciaturas deverão ser incluídos os conteúdos definidos para a educação básica, as didáticas próprias de cada conteúdo e as pesquisas que as embasam. O processo articulatório entre habilidades e competências no curso de Letras pressupõe o desenvolvimento de atividades de caráter prático durante o período de integralização do curso. 4. Estruturação do curso Os cursos devem incluir no seu projeto pedagógico os critérios para o estabelecimento das disciplinas obrigatórias e optativas das atividades acadêmicas do bacharelado e da licenciatura, e a sua forma de organização: modular, por crédito ou seriado. Os cursos de licenciatura deverão ser orientados também pelas Diretrizes para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica em cursos de nível superior. 5. Avaliação A avaliação a ser implementada pelo colegiado do curso de Letras deve constituir processo de aperfeiçoamento contínuo e de crescimento qualitativo, devendo pautar-se: • pela coerência das atividades quanto à concepção e aos objetivos do projeto pedagógico e quanto ao perfil do profissional formado pelo curso de Letras; • pela validação das atividades acadêmicas por colegiados competentes; • pela orientação acadêmica individualizada; • pela adoção de instrumentos variados de avaliação interna; • pela disposição permanente de participar de avaliação externa.

Page 121: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

I – RELATÓRIO E VOTO DO (A) RELATOR (A) Com objetivo de cumprir o disposto no Inciso III do Art. 18 do Regimento Interno do Conselho Nacional de Educação, que estabelece ser a Resolução ato decorrente de Parecer, destinado a estabelecer normas a serem observadas pelos sistemas de ensino, a Câmara de Educação Superior formulou projeto de Resolução específico para as Diretrizes Curriculares de cada um dos cursos de graduação a serem por elas regidas.

Brasília (DF), 12 de dezembro de 2001.

Conselheiro (a) Silke Weber – Relator (a) III – DECISÃO DA CÂMARA

A Câmara de Educação Superior aprova por unanimidade o voto do (a) Relator (a).

Sala das Sessões, em 12 de dezembro de 2001.

Conselheiro Arthur Roquete de Macedo – Presidente

PARECER CNE/CES 1.363/2001 - HOMOLOGADO

Despacho do Ministro em 25/1/2002, publicado no Diário Oficial da União de 29/1/2002, Seção 1, p. 60.

INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara Superior de Educação

UF: DF

ASSUNTO: Retificação do Parecer CNE/CES 492/2001, que trata da aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais, Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia. RELATOR (A): Silke Weber PROCESSO(S) N.º(S): 23001.000126/2001-69 PARECER N.º: CNE/CES 1363/2001

COLEGIADO: CES

APROVADO EM: 12/12/2001

Page 122: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO

RESOLUÇÃO CNE/CP 2, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002.(*)

Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior.

O Presidente do Conselho Nacional de Educação, de conformidade com o disposto no Art. 7º §

1o, alínea “f”, da Lei 9.131, de 25 de novembro de 1995, com fundamento no Art. 12 da Resolução CNE/CP 1/2002, e no Parecer CNE/CP 28/2001, homologado pelo Senhor Ministro de Estado da Educação em 17 de janeiro de 2002, resolve:

Art. 1º A carga horária dos cursos de Formação de Professores da Educação Básica, em nível

superior, em curso de licenciatura, de graduação plena, será efetivada mediante a integralização de, no mínimo, 2800 (duas mil e oitocentas) horas, nas quais a articulação teoria-prática garanta, nos termos dos seus projetos pedagógicos, as seguintes dimensões dos componentes comuns:

I - 400 (quatrocentas) horas de prática como componente curricular, vivenciadas ao longo do

curso;

II - 400 (quatrocentas) horas de estágio curricular supervisionado a partir do início da segunda

metade do curso;

III - 1800 (mil e oitocentas) horas de aulas para os conteúdos curriculares de natureza

científico-cultural;

IV - 200 (duzentas) horas para outras formas de atividades acadêmico-científico-culturais.

Parágrafo único. Os alunos que exerçam atividade docente regular na educação básica

poderão ter redução da carga horária do estágio curricular supervisionado até o máximo de 200

(duzentas) horas.

Art. 2° A duração da carga horária prevista no Art. 1º desta Resolução, obedecidos os 200

(duzentos) dias letivos/ano dispostos na LDB, será integralizada em, no mínimo, 3 (três) anos letivos.

Art. 3° Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 4° Revogam-se o § 2º e o § 5º do Art. 6º, o § 2° do Art. 7° e o §2º do Art. 9º da Resolução

CNE/CP 1/99.

ULYSSES DE OLIVEIRA PANISSET

Presidente do Conselho Nacional de Educação

(*) CNE. Resolução CNE/CP 2/2002. Diário Oficial da União, Brasília, 4 de março de 2002. Seção 1, p. 9.

Page 123: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

RESOLUÇÃO CNE/CES 18, DE 13 DE MARÇO DE 2002.(*)

Estabelece as Diretrizes Curriculares para os

cursos de Letras.

O Presidente Câmara de Educação Superior, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o disposto na Lei 9.131, de 25 de novembro de 1995, e ainda o Parecer CNE/CES 492/2001, homologado pelo Senhor Ministro de Estado da Educação em 9 de julho de 2001, e o Parecer CNE/CES 1.363/2001, homologado em 25 de janeiro de 2002, resolve:

Art. 1º As Diretrizes Curriculares para os cursos de Letras, integrantes dos Pareceres CNE/CES 492/2001 e 1.363/2001, deverão orientar a formulação do projeto pedagógico do referido curso.

Art. 2° O projeto pedagógico de formação acadêmica e profissional a ser oferecida pelo curso de

Letras deverá explicitar:

a) o perfil dos formandos nas modalidades bacharelado e licenciatura; b) as competências gerais e habilidades específicas a serem desenvolvidas durante o

período de formação; c) os conteúdos caracterizadores básicos e os conteúdos caracterizadores de formação

profissional, inclusive os conteúdos definidos para a educação básica, no caso das licenciaturas;

d) a estruturação do curso; e) as formas de avaliação

Art. 3º A carga horária do curso de Letras, bacharelado, deverá obedecer ao disposto em Resolução própria que normatiza a oferta de cursos de bacharelado e a carga horária da licenciatura deverá cumprir o determinado pela Resolução CNE/CP 2/2002, integrante do Parecer CNE/CP 028/2001. Art. 4º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

ARTHUR ROQUETE DE MACEDO

Presidente da Câmara de Educação Superior

(*) CNE. Resolução CNE/CES 18/2002. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de abril de 2002. Seção 1, p. 34.

Page 124: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.4. ESTRUTURA CURRICULAR

3.4.1. Concepção e finalidade

Toda e qualquer forma de sociedade que exista no mundo se organiza e se

interrelaciona através da língua, visto ser esta um elemento fundamental para a

veiculação da cultura, formação de instituições, elo entre gerações, manutenção

e/ou mudança dos papéis sociais. As diferentes formas de cultura ou de arte e as

mudanças históricas, políticas e sociais que existiram e têm existido só se tornaram

de conhecimento comum por causa da função da língua, num processo contínuo e

simultâneo de disseminar e preservar as informações e, paradoxalmente, também

modificá-las.

Não fosse esse papel fundamental da língua, os costumes de determinadas

sociedades não se manteriam até os dias atuais, as sociedades não teriam evoluído

e não se saberia o que se passa de um lugar para outro. Essa função da língua, no

mundo moderno, tem se ampliado ainda mais devido às inovações tecnológicas que

provocaram mudanças nas relações sociais e, conseqüentemente, lingüísticas,

passando estas a serem mais rápidas, por causa do acesso imediato das

informações, que ocorre “on line”.

Nessa perspectiva, de percepção da função da língua dentro de uma sociedade,

insere-se outra: a da centralização do indivíduo nesse processo de uso linguístico,

de inserção de suas marcas individuais e ao mesmo tempo sociais, de agente no

“fazer” linguístico e social, uma vez que, obviamente, é o indivíduo o responsável

pela propagação linguística e pelas mudanças sociais, políticas, históricas, culturais,

literárias e artísticas. A sua forma de usar a língua reflete as suas concepções

ideológicas, padrão social, nível cultural e forma de ver o mundo. Desse modo,

pode-se afirmar que os indivíduos vêem e compreendem o mundo a partir da

perspectiva linguística.

Page 125: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Seguindo essa linha de raciocínio, o estudo da língua não se restringe apenas ao

seu conhecimento formal, de regras gramaticais, mas envolve primeiramente o

conhecimento das relações sociais e políticas em torno dessa língua, o seu potencial

culturalmente produtivo, as marcas históricas construídas pelos indivíduos e a sua

percepção ideológica da sociedade.

É dentro desse contexto que se insere o Curso de Letras com habilitação em Língua

Portuguesa e Literaturas - Licenciatura promovido pela UNEB um curso voltado para

a compreensão de um fazer social que se reflete no uso lingüístico. Um curso que

possa habilitar profissionais para a percepção das relações linguísticas como reflexo

das relações sociais, históricas, políticas e culturais, entendendo-as não como um

elemento isolado, mas como parte de um todo que constitui o universo globalizado,

cujas modificações atingem qualquer lugar, qualquer pessoa nele inserido.

Para essa percepção, é necessário que esse profissional esteja habilitado para

analisar os elementos linguísticos, reconhecendo os seus usos variados e as

diferenciações na superestrutura do texto, nas manifestações culturais e literárias a

partir deles. Além disso, é preciso que esse profissional também se reconheça como

um indivíduo que faz parte desse “fazer” social, agente no processo de busca

constante do seu aprimoramento profissional, através de pesquisas e participação

em projetos que tenham alcance social e comunitário.

Para a formação desse profissional, requer-se, então, desenvolvimento de suas

competências não só linguísticas e literárias, mas também didático-pedagógicas,

para que ele possa realizar as suas funções não como mero transmissor de

conteúdos, mas como potencial incentivador de busca de soluções possíveis para

problemas existentes, investigador das ocorrências linguísticas e suas prováveis

causas, pesquisador dos processos históricos e sua interferência na construção dos

textos literários, e promotor de relações mais humanas.

A partir dessa concepção, o curso tem por finalidade formar professores de Língua

Portuguesa e Literaturas para atuar na Educação Básica (Ensino Fundamental - de

5ª à 8ª série - e Ensino Médio).

Page 126: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Além do ensino, esses profissionais podem atuar em trabalhos de redação em

jornais, revistas, em setores de redação, em grupos de gestão pública e privada; em

trabalhos de revisão de textos para periódicos, revistas, editoras e congêneres; na

consultoria e na coordenação de grupo de criação, implementação e

desenvolvimento de políticas educacionais, concernentes, especificamente, ao

ensino de língua materna e literatura, nos níveis de ensino para os quais é

habilitado; podem atuar também em ocupações que demandem a capacidade de

lidar com a linguagem, especificamente com as línguas naturais e suas

especificidades, quer as considerem apenas enquanto meio de comunicação, quer

as entendam como constitutivas da subjetividade.

3.4.2. Perfil do egresso

O profissional formado por este curso deve ser capaz de estabelecer as relações

entre linguagem, cultura e sociedade, bem como de associar as mudanças e as

diversidades linguísticas com as transformações sócio-históricas, políticas e culturais

e respectivas produções literárias daí provenientes, estabelecendo o vínculo

contínuo entre a pesquisa e a formação do conhecimento, entendendo-o como um

processo autônomo e dinâmico. Além disso, esses profissionais devem ser críticos,

com competência para refletir sobre os conhecimentos que estão sendo adquiridos e

para analisar as teorias linguísticas e literárias a que estão sendo expostos,

correlacionando-as à sua realidade sócio-histórica e cultural, de modo a estabelecer

a necessária intersecção entre a teoria, a pesquisa e a prática pedagógica.

3.4.3. Habilidades e Competências

O objetivo precípuo deste curso é formar profissionais competentes para o ensino de

língua portuguesa e literaturas, bem como possibilitar a inserção desses

profissionais em outras áreas correlatas, como revisão de texto e crítica literária.

Para tanto, é necessário o desenvolvimento das seguintes competências e

habilidades:

Page 127: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

- domínio das estruturas linguísticas e seus usos em contextos variados, com

competência para a produção e compreensão de textos orais e escritos na língua

em estudo;

- correlação entre as transformações sócio-históricas e as mudanças linguísticas e

estabelecimento da relação entre a língua, cultura e sociedade;

- análise crítica das teorias linguísticas e literárias;

- reflexão acerca dos diversos gêneros textuais e literários com indicação das

características estruturais que os definem e os distinguem;

- análise do texto literário, estabelecendo a conexão entre a literatura e os

acontecimentos étnico-raciais, sociais, históricos, políticos e culturais;

- competência para o exercício do magistério, com capacidade de intervenção

metodológica no processo de ensino-aprendizagem, na resolução de problemas,

promoção de alternativas educacionais em seu meio profissional e avaliação

permanente do processo e produto dos alunos, da instituição e do seu próprio

trabalho;

- utilização dos saberes e dos recursos produzidos nas áreas tecnológicas,

disponíveis para aplicação na prática docente;

- elaboração de projetos e desenvolvimento de pesquisas, estabelecendo a conexão

interdisciplinar e/ou transdisciplinar dos eixos temáticos que constituem o curso de

Letras, respeitadas as suas especificidades, e articulando os resultados das

investigações com a prática, visando ressignificá-la;

- compreensão dos processos de desenvolvimento humano e da construção das

relações sociais e interpessoais com ênfase no estudo das estruturas psicológicas

envolvidas na constituição de um homem crítico, humano, autônomo e solidário,

contextualizando-o política, social e afetivamente.

3.4.4. Justificativa Curricular

Atendendo ao que é proposto no Parecer CNE/CP 009/2001, quando dispõe que

nos cursos de formação de professores, os conteúdos disciplinares específicos da área são eixos articuladores do currículo, que devem articular grande parte do saber pedagógico necessário ao exercício profissional e estarem constantemente referidos ao ensino da

Page 128: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

disciplina para as faixas etárias e as etapas correspondentes da educação básica.

O currículo do curso de Letras do DCH – Campus IX foi organizado através de eixos

temáticos, na perspectiva de possibilitar uma construção articulada do

conhecimento, respeitando as especificidades de cada área, mas, ao mesmo tempo,

articulando os conteúdos necessários entre eles mesmos e entre a realidade interna

e externa da instituição de ensino. Esses conteúdos não podem ser considerados

como instâncias fixas, estanques e isoladas de conhecimento, sem relação com

outros, uma vez que todo processo de construção de conhecimento envolve

interrelação de áreas, interação de indivíduos, associação com os fatos sociais,

culturais, políticos e linguísticos.

Assim, essa organização em eixos reflete essa interrelação, em que, ao mesmo

tempo em que se tem intersecção de áreas, aparentemente, distantes, tem-se

também o trabalho específico em cada uma delas.

Os eixos para o curso de Letras, dentro da perspectiva acima abordada, são os

seguintes:

- Eixo do Conhecimento de Natureza Científico-Cultural (CNCC) - Este eixo é

assim definido por conter os conteúdos caracterizadores básicos do curso,

responsáveis pela formação teórica do profissional. Ele se subdivide em Lingüística

e Literatura, devido à especificidade de cada uma, embora os seus conteúdos

devam estar inter-relacionados, pois para haver a produção literária é necessária,

primeiro, a produção lingüística. Os conteúdos desenvolvidos nesses sub-eixos,

além de refletirem a evolução teórica e científica nas áreas de língua e literatura,

estão voltados para os conteúdos trabalhados nas aulas de Língua Portuguesa da

Educação Básica e, como concepção de texto, tipos de texto, processos de leitura, a

construção do significado e a percepção da ideologia, análise lingüística (incluindo-

se aqui as classes e relações gramaticais), características lingüístico-literárias

presentes nos textos, entre outros.

Integram este eixo, os Componentes Adicionais cuja oferta é opcional para o

Page 129: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Departamento, mas com integralização obrigatória para os alunos. Neles, são

desenvolvidos temas relacionados aos projetos que são desenvolvidos pelos alunos.

- Eixo da Formação Docente (FD) - Constituído pelos componentes de Prática

Pedagógica e Estágio Curricular Supervisionado. A Prática Pedagógica permeia

toda a primeira metade do Curso, e o Estágio Curricular Supervisionado a segunda

metade, dando prosseguimento à Prática e integrando os conteúdos da Educação

Básica.

- Eixo interdisciplinar (EI) - é formado por componentes da área de Letras, Leitura

e Produção de Texto, que dá apoio tanto para Linguística como para Literatura, e

por componentes de outras áreas, como Estudos Filosóficos, Estudos Sócio-

Antropológicos, Currículo e Sociedade e Estudos Epistemológicos da Aprendizagem,

suportes para o diálogo entre a língua, a literatura e a prática pedagógica. Além

disso, fazem parte desse eixo os Seminários Interdisciplinares de Pesquisa, que

proporcionam o encontro e a discussão dos saberes da linguística, da literatura e da

prática pedagógica, através do desenvolvimento de projetos de pesquisa e trabalhos

acadêmicos nessas áreas.

- Eixo das Atividades Acadêmico Científico-Culturais (AACC) - Compõe-se das

atividades extracurriculares das quais os alunos participam, tais como cursos de

extensão, exercícios de monitoria, participações em congressos, fóruns, seminários

etc, regulamentadas pela Universidade. Outras informações sobre este eixo serão

dadas no item 3.4.8.

Os Eixos da Formação Docente, Interdisciplinar e das Atividades Complementares

estão compostos por conteúdos caracterizadores de formação profissional. Neles

ocorre a relação entre os dois sub-eixos lingüística e literatura, por abrigarem as

práticas pedagógicas, o estágio, os conteúdos interdisciplinares (inclusive de outras

áreas), o desenvolvimento de trabalhos de pesquisa e extensão e também as

atividades extraclasses das quais os alunos participarão e que serão consideradas

como carga horária do currículo, como congressos, seminários, encontros,

simpósios, entre outras atividades.

Page 130: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

A partir dos eixos acima, evidencia-se que o Curso de Letras aqui apresentado

busca priorizar a prática pedagógica desde o seu inicio, incentivando a participação

discente em atividades de pesquisa e extensão, promover a integração entre essas

duas atividades e a de ensino. Desta forma, ele amplia as oportunidades e

possibilidades para o desenvolvimento das habilidades necessárias à competência

no desempenho profissional, com a abordagem pedagógica centrada no

desenvolvimento da autonomia do aluno.

Nessa perspectiva, essa proposta curricular consegue dar conta do tripé que

caracteriza uma universidade: ensino, extensão e pesquisa evidenciando, portanto,

a articulação teórico-prática entre as áreas, a flexibilização curricular e a

preocupação com a diversidade/heterogeneidade do conhecimento, tanto no que se

refere à formação anterior do aluno, quanto aos seus interesses e expectativas em

relação ao Curso e ao futuro exercício da profissão.

Page 131: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.4.5. Currículo do Curso de Letras com habilitação em Língua Portuguesa e Literaturas - Licenciatura

O currículo do Curso de Letras com Habilitação em Língua Portuguesa e Literaturas

- Licenciatura, implantado em 2004.1 foi, como já informado anteriormente, resultado

do processo de redimensionamento curricular procedido pela Universidade em todos

os Cursos de formação de professores por ela oferecidos. Por esta razão, é que este

currículo é aqui denominado de Currículo Redimensionado (Implantação).

Com uma configuração diferente do Curso de Letras que o Departamento vinha

anteriormente oferecendo (já devidamente reconhecido), o currículo redimensionado

foi elaborado na perspectiva de fortalecer a construção articulada de conhecimentos,

respeitando as especificidades de cada área, e ao mesmo tempo articulando-as.

Com uma carga horária de 3.280 horas distribuídas em oito semestres letivos, este

currículo foi oferecido regularmente às turmas ingressantes nos anos de 2004, 2005

e 2006.

Entretanto, após um processo de avaliação do currículo redimensionado dos Cursos

de formação de professores coordenados pela Pró-Reitoria de Ensino de Graduação

(PROGRAD), este currículo passou por ajustes, onde teve a sua carga horária

alterada, passando de 3.280 horas para 3.320 horas, e está aqui sendo denominado

de Currículo Redimensionado com Ajuste. Com estes ajustes, foram feitas

alterações no sentido de melhor adequá-lo ao contexto e ao mesmo tempo,

fortalecer a articulação entre os diversos componentes curriculares sem alterar a sua

configuração inicial.

Este Currículo Redimensionado com Ajuste passou a ser oferecido regularmente às

turmas com ano de ingresso a partir de 2007.

Para a operacionalização desse currículo, optou-se por uma metodologia que

favorecesse a interação entre todos os eixos por ele constituído, possibilitando o

desenvolvimento da interdisciplinaridade, através de temas norteadores previamente

Page 132: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

definidos. Estes temas, desenvolvidos do 1º ao 8º semestre possibilitam a existência

de um fio condutor no direcionamento dos trabalhos, fazendo-os parte de um todo

interdisciplinar. Isso não significa que cada componente curricular, isoladamente,

desenvolva o tema norteador, mas, ao contrário, a partir deste tema estabeleça a

relação com outros componentes também trabalhados no semestre.

Os temas norteadores definidos são:

• Linguagem e Significação: desenvolvido no 1º semestre, este tema propõe uma

reflexão sobre a linguagem e os meios linguísticos e literários para construção do

significado nos diferentes tipos de textos.

• Linguagem e Ideologia: este tema propõe, no 2º semestre, a articulação entre os

componentes curriculares de literatura e de língua, examinando as relações entre

signo e ideologia e as manifestações linguísticas que revelam a ideologia dos

autores veiculada pelos textos. Além disso, analisa os textos literários, destacando

nos discursos o embate de vozes autônomas ou dependentes da visão de mundo

do autor, considerando para tanto a critica estético-sociológica.

• Múltiplas Linguagens: no 3º semestre, este tema propõe ampliar o conhecimento

critico em relação às diversas produções culturais e artísticas, permitindo a

distinção do seu uso poético e a articulação desse uso aos mais diversos âmbitos

da criação artístico cultural.

• Linguagem e Sociedade: desenvolvido no 4º semestre, este tema contempla as

interações entre sujeito, sociedade, poder, valores sócio-econômicos, culturais,

estético, éticos e políticos, compreendendo a língua e a literatura como práticas

sócio-discursivas enquanto agentes de reflexão e transformação de imposições

estabelecidas pelas instâncias dos sistemas de dominação.

• Linguagem e História: este tema procura detectar, no 5º semestre, a formação

histórica do português brasileiro e das línguas românicas, discutindo as relações

sociais, políticas e históricas que promoveram a diversificação lingüística.

Page 133: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

• Linguagem e Cultura: apresentado no 6º semestre, este tema é desenvolvido

num processo de simbiose, onde linguagem e cultura, aparentemente distintas,

pressupõem uma à outra. Numa suposta continuação do tema do semestre

anterior, são estudados, de modo critico, os diferentes movimentos culturais

literários e a sua identidade com as mudanças históricas. Em relação à língua, são

estudados os aspectos linguísticos que promovem as diferenças culturais, bem

como a formação cultural do nosso povo.

• Linguagem e Ciência: no 7º semestre, este tema procura discutir o conceito de

ciência nos estudos linguísticos e literários, e como essas áreas de estudo se

constituem como ciência. São discutidos procedimentos de investigação cientifica

nessas áreas, sua evolução e influência no ensino da língua portuguesa.

• Linguagem e Ensino: desenvolvido no 8º semestre, este tema busca retomar os

temas trabalhados no desenvolvimento do curso para elaboração do TCC, o qual

deve conter reflexões sobre os conteúdos linguísticos e literários e a sua relação

com o ensino da língua portuguesa. Explica-se, desse modo, por que linguagem e

ensino, amplamente discutido em todo o curso, é o tema norteador do último

semestre.

Estes temas refletem a preponderância da linguagem, evidenciando a sua relação

com o desenvolvimento social, histórico, cultural e científico da sociedade e o estudo

imprescindível das áreas de conhecimento para formação do profissional de letras:

língua, literatura e a prática pedagógica.

Os componentes curriculares propostos para o curso apresentam uma flexibilidade

que permite a sua execução na forma de disciplinas, seminários, oficinas, grupos de

estudos, laboratórios e outras metodologias diversificadas. Neste último caso, não

se define a forma de execução porque esta pode variar, a depender do que é

idealizado pelo Colegiado a cada semestre. Tal flexibilização, também é observada

na eliminação de pré-requisitos, o que implica a não consideração de um conteúdo

superior ao outro, ou ainda a possibilidade de mudar de um semestre para o outro a

oferta de determinado componente curricular.

Page 134: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Na sua distribuição ao longo dos oito semestres, alguns desses componentes são

fixos e outros adicionais. Os fixos são assim considerados por não sofrerem

mudanças de oferecimento no decorrer do curso, podendo o Colegiado decidir, por

exemplo, pela troca de um desses componentes de semestre, mas não podendo

deixar de oferecê-los. Quanto aos componentes adicionais, são necessários para

que o aluno tenha mais opções de aprofundamento na área de seu interesse.

Assim, o oferecimento desses componentes imprime movimento ao curso,

possibilitando ao aluno, o direito de escolher a área em que deseja completar a

carga horária destinada à sua formação acadêmica: em língua, literatura ou em

ambas. O mais importante é que oferece ao aluno o poder de escolher/selecionar os

estudos que possam acrescentar mais informações à área pela qual se interessa.

Embora o Colegiado possa decidir pela oferta desses componentes adicionais, é

importante que para atender à Lei 10.639/04 de 10.01.2003 e a Resolução CNE/CP

01/04, parte da carga horária destinada a eles, seja utilizada em pelo menos 90

horas, em temáticas referentes às relações étnico-raciais e às histórias e culturas

africanas e indígenas, e à Lei 11.645/08 sobre a Língua Brasileira de Sinais –

Libras.

Os Seminários Interdisciplinares de Pesquisa (SIP), integrantes do Eixo

Interdisciplinar, ocorrem no final de cada semestre letivo, onde são apresentados

trabalhos acadêmicos e/ou projetos de pesquisas, envolvendo os conteúdos

estudados e analisados, bem como a relação necessária entre eles.

Para uma melhor compreensão desse currículo, apresenta-se a seguir, através dos

quadros 29, 30 e 31, dados demonstrativos da oferta e resumo da carga horária do:

• Currículo inicial redimensionado, oferecido às turmas com ano de ingresso em

2004, 2005 e 2006, com a carga horária de 3.280 horas;

• Currículo redimensionado com ajuste, oferecido aos alunos ingressantes a partir do

ano de 2007, com carga horária de 3.320 horas.

Page 135: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADRO 29 - DEMONSTRATIVO DOS CURRÍCULOS DO CURSO DE LETRAS A PARTIR DO

REDIMENSIONAMENTO DE 2004

CURSOCURRÍCULO ANO DE IMPLANTAÇÃO

DOCUMENTO DE

AUTORIZAÇÃO

CARGA HORÁRIA

TOTAL

ALUNOS INGRESSANTES QUE DELE

FAZEM PARTE

OBSERVAÇÃO

Letras com habilitação em Língua Portuguesa

e Literaturas - Licenciatura (Currículo

Redimensionado)

2004.1 Resolução nº

271/04 CONSU 3.280 horas

2004, 2005 e 2006

Curso resultante do redimensionamento

curricular desenvolvido pela UNEB. Necessita

de reconhecimento pois tem como

egressos os alunos de 2004, 2005 e 2006.

Letras com habilitação em Língua Portuguesa

e Literaturas - Licenciatura (Currículo Redimensionado com

Ajustes)

2007 Resolução 928/2008

CONSEPE

3.320 horas

turmas com ano de

ingresso a partir de 2007

Necessita de reconhecimento, pois

tem como egressos os alunos com ingresso a

partir de 2007.

Fonte: Departamento de Ciências Humanas - Campus IX

Page 136: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADR 30 - RESUMO DA CARGA HORÁRIA DO CURSO DE LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURAS - LICENCIATURA

CURRÍCULO REDIMENSIONADO/IMPLANTAÇÃO

EIXO

SEMESTRE TOTAL

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º

CH CH CH CH CH CH CH CH CH

EIX

O D

E C

ON

TEÚ

DO

S C

UR

RIC

ULA

RES

DE

N

ATU

RE

ZA C

IEN

TÍFI

CO

- C

ULT

UR

AL

NATUREZA CIENTIFICO-CULTURAL

(CNCC)

255 165 225 240 255 255 180 45

1.800

COMPONENTE ADICIONAL - 45 - - 30 30 - 75

EIX

O D

E F

OR

MA

ÇÃO

D

OC

EN

TE

PRÁTICA PEDAGÓGICA

(PP) 90 105 105 105 - - - - 405

ESTÁGIO CURRICULAR

SUPERVISIONADO (ES)

- - - - 100 100 100 100 400

EIX

O

INTE

RD

ISC

IPLI

NA

R

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA (EI)

75 105 105 75 45 45 25 - 475

ATIVIDADES ACADÊMICO - CIENTÍFICO - CULTURAIS (AACC) 200 200

TOTAL GERAL 420 420 435 420 430 430 305 220 3.280

Fonte: Departamento de Ciências Humanas - Campus IX

Page 137: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADRO 31 - RESUMO DA CARGA HORÁRIA DO CURSO DE LETRAS COM LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURAS - LICENCIATURA

CURRÍCULO REDIMENSIONADO COM AJUSTE

EIXO SEMESTRE

TOTAL 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º CH CH CH CH CH CH CH CH CH

EIX

O D

E C

ON

TEÚ

DO

S C

UR

RIC

ULA

RE

S D

E

NA

TUR

EZA

CIE

NTÍ

FIC

O-

CU

LTU

RA

L

NATUREZA CIENTIFICO-CULTURAL

(CNCC)

225 180 225 225 285 255 210 45

1.800

COMPONENTE ADICIONAL - 45 - - - 30 - 75

EIX

O D

E F

OR

MA

ÇÃO

D

OC

ENTE

PRÁTICA PEDAGÓGICA

(PP) 90 105 105 135 - - - - 435

ESTÁGIO CURRICULAR

SUPERVISIONADO (ES)

- - - - 105 105 105 105 420

EIX

O

INTE

RD

ISC

IPLI

NAR

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR

DE PESQUISA (EI)

105 90 105 45 45 45 30 - 465

ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-

CULTURAIS (AACC) 200 200

TOTAL GERAL 420 420 435 405 435 435 345 225 3.320

Fonte: Departamento de Ciências Humanas - Campus IX

A seguir, serão apresentados, separadamente, os fluxogramas, currículo pleno e

ementários do currículo, sendo que no ementário do Currículo Redimensionado com

Ajuste, serão apresentadas somente as ementas que sofreram alteração.

Page 138: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 139: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.4.5.1.2. Currículo Pleno Redimensionado de Implantação

TEMPO MÍNIMO: 08 semestres TEMPO MÁXIMO: 14 semestres

CARGA HORÁRIA: 3.280 h

COMPONENTE CURRICULAR SEM. EIXO CARGA HORÁRIA

1º SEMESTRE -TEMA: LINGUAGEM E SIGNIFICAÇÃO

Significação e Contexto 1o CNCC 60

Morfologia e a Construção do Significado 1o CNCC 60

Construção do Sentido no Texto Literário 1o CNCC 60

Leitura e Produção de Texto I 1o EI 30

Estudos Filosóficos 1o EI 30

Texto Literário e a Formação do Leitor 1o CNCC 45

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa I 1o EI 45

Prática Pedagógica I 1o FD 90

Carga horária total do semestre 420

2º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E IDEOLOGIA

Texto e Discurso 2o CNCC 60

Estudos Sócio-Antropológicos 2o EI 30

Tradição e Ruptura em Literaturas de Língua Portuguesa 2o CNCC 60

Estudo da Produção Literária no Brasil 2o CNCC 45

Componente Adicional 2o CCO 45

Leitura e Produção de Texto II 2o EI 30

Page 140: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR SEM. EIXO CARGA HORÁRIA

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa II 2o EI 45

Prática Pedagógica II 2o FD 105

Carga horária total do semestre 420

3º SEMESTRE - TEMA: MÚLTIPLAS LINGUAGENS

Relações Sintáticas na Língua 3o CNCC 60

Estudos Teóricos do Texto Literário 3o CNCC 60

O Estético e o Lúdico na Literatura Infanto-Juvenil 3o CNCC 60

Literatura e Outras Artes 3o CNCC 45

Estudos Epistemológicos da Aprendizagem 3o EI 60

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa III 3o EI 45

Prática Pedagógica III 3o FD 105

Carga horária total do semestre 435

4º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E SOCIEDADE

Estudos Fonéticos e Fonológicos 4o CNCC 60

Diversidade Linguística 4o CNCC 45

A Função Social da Leitura e da Produção Textual 4o CNCC 30

Cânones e Contextos na Literatura Brasileira 4o CNCC 45

Estudos da Produção Literária Baiana 4o CNCC 60

Currículo e Sociedade 4o EI 30

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa IV 4o EI 45

Prática Pedagógica IV 4o FD 105

Carga horária total do semestre 420

Page 141: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR SEM. EIXO CARGA HORÁRIA

5º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E HISTÓRIA

Constituição Histórica do Português Brasileiro 5o CNCC 60

Formação Histórica das Línguas Românicas 5o CNCC 45

Língua e Cultura Latinas 5o CNCC 45

Estudo da Ficção Brasileira Contemporânea 5o CNCC 45

Cânones e Contextos na Literatura Portuguesa 5o CNCC 60

Componente Adicinal 5o CCO 30

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa V 5o EI 45

Estágio Curricular Supervisionado I 5o FD 100

Carga horária total do semestre 430

6º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E CULTURA

Constituição das Línguas Românicas 6o CNCC 45

Língua, Literatura e Cultura Latinas 6o CNCC 45

Literatura: Crítica, História, Cultura e Sociedade 6o CNCC 60

Literatura e Cultura Afro-Brasileira 6o CNCC 60

Língua Estrangeira Instrumental I 6o CNCC 45

Componente Adicional 6o CCO 30

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa VI 6o EI 45

Estágio Curricular Supervisionado II 6o FD 100

Carga horária total do semestre 430

Page 142: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR SEM. EIXO CARGA HORÁRIA

7º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E CIÊNCIA

Estabelecimento dos Estudos Lingüísticos 7o CNCC 45

Crítica Textual: Edições e Estudos 7o CNCC 45

Aspectos da Literatura Portuguesa 7º CNCC 45

Língua Estrangeira Instrumental II 7o CNCC 45

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa VII 7o EI 25

Estágio Curricular Supervisionado III 7o FD 100

Carga horária total do semestre 305

8º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E ENSINO

Componente Adicional 8o CCO 30

Componente Adicional 8o CCO 45

Estágio Curricular Supervisionado IV 8o FD 100

TCC - Trabalho de Conclusão de Curso 8o CNCC 45

Carga horária total do semestre 220

Para a integralização do curso, o discente, além da carga horária dos componentes

curriculares acima elencados, deve cumprir, no mínimo, 200 horas de Atividades

Acadêmico Científico-Culturais (AACC).

Page 143: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.4.5.1.3. Ementário Redimensionado de Implantação

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SIGNIFICAÇÃO E CONTEXTO CNCC 60

EMENTA

Estuda os processos semânticos e analisa a relação do significado com o contexto,

considerando as abordagens da semântica, da pragmática e da lexicologia.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Semântica, semiologia, linguística: conceito, distinção, relações. Pragmática. Teoria

semântica e seu objetivo: o estudo do significado e das relações de significado. O

signo: conceito, significado e significante, visão bipartida e tripartida, funcionamento

do signo, noção de valor, dimensão semântica e pragmática. O significado das línguas

naturais: conceito, proposição adequadas às línguas naturais, significação, referência.

Denotação e conotação: conceitos e linguagem figurada. Significado das palavras e

sentenças: significado e dicionário, análise sêmica. Relações de sentido: homonímia,

polissemia, ambiguidade, sinonímia, hiperonímia, antonímia, hiponímia, e

acarretamento, paráfrase, pressuposição, dêixis. Abordagem semântica de fatos

como: sujeito, predicado, negação e advérbio. O significado e o sentido do texto: a

questão enunciativa do contexto e da pragmática, atos de fala, implicaturas e

operadores argumentativos.

Page 144: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BARBOSA, M. Aparecida. Lexicologia: aspectos estruturais e semânticos sintáticos.

In: JAKOBSON, Roman. Linguística e comunicação. 10. ed. São Paulo: Cultrix,

1998.

KEMPSON, Ruth M. Teoria semântica. Trad. Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar,

1980.

LANGACKER, Ronald W. A linguagem e sua estrutura: alguns conceitos

fundamentais. Trad. Gilda M. C. de Azevedo. Petrópolis: Vozes, 1990.

LYONS, John. Lingua(gem) e linguística: uma introdução. Trad. Marilda W.

Averbug e Clarisse S. de Souza. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

MARQUES, Maria Helena Duarte. Iniciação à semântica. 5ª ed. São Paulo: JORGE

Zahar Editor. 2001.

_______. Estudos semânticos. Rio de Janeiro: Grifo, 1976.

PAIS, C. Teodoro et al. Manual de linguística. São Paulo: Global, 1986.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad.

de Eni P. Orlandi et al. 2. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BORBA, Francisco da Silva. Introdução aos estudos linguísticos. Campinas:

Pontes, 2003.

CARDOSO, Suzana Alice. Diversidade linguística. Salvador: Ed. UFBA, 1996.

DUBOIS, Jean et at. Dicionário de linguística. 14. ed. São Paulo: Cultrix, 2004.

LOPES, Edwald. Fundamentos da linguística contemporânea. 18. ed. São Paulo:

Cultrix, 2003.

PERINI, Mário A. Gramática descritiva do português. 3. ed. São Paulo: Ática, 1998.

Page 145: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

MORFOLOGIA E A CONSTRUÇÃO DO SIGNIFICADO CNCC 60

EMENTA

Estuda a constituição mórfica da língua portuguesa, comparando abordagens diversas

sobre os processos de flexão e de formação de palavras e sobre os critérios que

definem e distinguem as categorias gramaticais, visando a sua aplicabilidade tanto na

pesquisa quanto no ensino da língua.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

A língua como objeto da linguística. A morfologia: histórico e conceito. Elementos

constitutivos da análise mórfica: vocábulo mórfico, o morfema, raízes e radical, afixos,

vogal temática alomorfia. A estrutura nominal: o nome, constituição mórfica do nome,

formação de palavras, derivação, flexão e grau, gênero, número. Estrutura verbal:

verbos regulares irregulares - as três conjunções e análise dos elementos estruturais.

A morfologia lexical: o processo de derivação, regras de formação de palavras. A

criação de palavras por composição, o neologismo e a criatividade lexical.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASÍLIO, Margarida. Teoria lexical. São Paulo: Ática, 1987.

CÂMARA JÚNIOR. Estrutura da língua portuguesa. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1982.

_______. Princípios de linguística geral. 4. ed. Rio de Janeiro: Padrão, 1989.

_______. Dicionário de linguística e gramática. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 1977.

CARONE, Flávia de Barros. Morfossintaxe. São Paulo: Contexto, 1990.

COSTA, S. B. B. O aspecto do português. São Paulo: Contexto, 1990.

Page 146: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CUNHA, Celso. Nova gramática do português contemporâneo. Belo Horizonte:

Bernardo Álvares, 1976.

KEHDI, Valter. Morfemas do português. São Paulo: Ática, 1998.

PERINI, Mário. Sofrendo a gramática. São Paulo: Ática, 1999.

_______. Para uma nova gramática do português. São Paulo: Ática, 1989.

SANDMANN, Antônio José. Competência lexical: produtividade, restrições e

bloqueio. Curitiba: UFPR, 1991.

_______. Morfologia geral. São Paulo: Contexto, [s.d.].

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FREITAS, Horácio. Morfologia: visão sincrônica da derivação em português. Rio de

Janeiro: Presença, 1979.

MACAMBIRA, J. Rebouças. A estrutura morfo-sintática do português. 2. ed. São

Paulo: Pioneira, 1974.

ROCHA, Luiz Carlos de Assis. Estruturas morfológicas do português. Belo

Horizonte: Editora da UFMG, 1999.

ZANOTO, Normélio. Estrutura mórfica da língua portuguesa. 4. ed. rev. Caxias do

Sul: EDUCS, 2001.

Page 147: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

CONSTRUÇÃO DO SENTIDO NO TEXTO LITERÁRIO

CNCC 60

EMENTA

Proporciona ao aluno o contato e a vivência direta com o texto literário, fazendo-o

perceber, a partir da sua sensibilidade e das experiências pessoais, o efeito de furição

estética que somente tal linguagem simbólica é capaz de produzir no sujeito.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Conceito de literatura e teoria literária: literatura e ideologia. Objetos da literatura:

especificidade do literário, leitura como ficção. Gêneros literários: lírico, épico e

dramático. O romance e o conto. A crítica: determinista, impressionista, formalista e a

nova crítica.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BERISTÁIN, H. Dicionário de retórica y poética. México: Porrúa, 1997.

CÂNDIDO, Antonio. A educaçaõ pela noite. São Paulo: Ática, 1987.

COSTA, Lima L. Teoria da literatura: uma introdução. São Paulo: Marins Fontes, 1983.

EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes,

[s.d.]

FIREDRICH, H. Estrutura lírica moderna. São Paulo: Duas Cidades, 1991.

JAKOBSON, R. Linguística e comunicação. São Paulo: Cultrix, 1978.

MAGALDI, S. Iniciação ao teatro. São Paulo: Ática, 1991.

TODOROV, T. Os gêneros do discurso. São Paulo: Martins Fontes, 1980.

VARGA Kibédi, A. Teoria da literatura. Lisboa: Presença, [s.d.].

Page 148: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

EAGLETON, Terry. A função da crítica. São Paulo: Cultrix, 1991.

MOISÉS, Massaud. A criação literária: poesia. 15. ed. São Paulo: Cultrix, 2001.

ROBERT, Fernand. A literatura Grega. 1. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1987. ROGER, Samuel. Manual de teoria literária. Rio de Janeiro: Vozes, 1986.

SILVA, Vitor Manuel de Aguiar. Teoria da literatura. Coimbra: Livraria Almeidina,

1983.

SOUZA, Roberto Acízelo. Teoria da literatura. São Paulo: Ática, 1986.

Page 149: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO I EI 30

EMENTA

Estuda as estratégias de leitura e produção de textos orais e escritos, considerando o

aspecto formal e estilístico e sua relação contextual e situacional.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Conceito de texto. Características da linguagem verbal e não-verbal. Funções da

linguagem. Tipos e gêneros textuais. Os gêneros do cotidiano: postal, cartas, cartaz,

fábula, depoimento, peça teatral, poema, relatório, editorial, crônica, conto, manifesto

e abaixo-assinado. Interpretação e produção de textos orais e escritos.

Intertextualidade. O texto narrativo: o enredo, o tempo, o espaço, o narrador. Técnicas

de descrições. O texto teatral. Texto poético e suas características: denotação e

conotação. Figuras de linguagem. Textos publicitários. Textos jornalísticos. O texto

dissertativo: o parágrafo dissertativo, argumentação e persuasão. O texto científico.

Coesão, coerência textual e contexto discursivo.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FARACO, Carlos Alberto; TEZZA, Cristóvão. Prática de texto: língua portuguesa

para nossos estudantes. Petrópolis: Vozes, 1992.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. 3. ed. São Paulo: Ática, 1997.

KATO, M. O aprendizado de leitura. São Paulo: Martins Fontes, 1985.

KLEIMAN, Ângela. Texto e leitor: Aspectos cognitivos da leitura. 8. ed. Campinas,

São Paulo: Pontes, 1995.

_______. Oficina de leitura: teoria e prática. 6. ed. Campinas: Pontes, 1993.

Page 150: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

SAVIOLI, Francisco P.; Fiorin, Luiz A. Para entender o texto: leitura e redação. São

Paulo: Ática, 2001.

VANOYE, Francis. O uso da linguagem: problemas e técnicas da produção oral e

escrita. 8. ed. Tradução e adaptação de Clarisse Madureira Sabóia. São Paulo:

Martins Fontes, 1991.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ABREU, A. S. Curso de redação. São Paulo: Ática, 1996.

COSTA VAL, Maria da Graça. Redação e textualidade. São Paulo: Martins Fontes,

1994.

FIORIN, José Luiz; SAVIOLI, F. Platão. Lições de texto, leitura e redação. São Paulo:

Ática, 1996.

GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna. 6. ed. Rio de Janeiro:

Fundação Getúlio Vargas, 1995.

KOCH, Ingedore G. V. A coesão textual. São Paulo: Contexto, 2002.

PENNAC, Daniel. Como um romance. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.

Page 151: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDOS FILOSÓFICOS CNCC 30

EMENTA

Reflete sobre o desenvolvimento das correntes filosóficas no Ocidente, enfatizando a

influência da Filosofia clássica na constituição do pensamento contemporâneo e sua

importância para a compreensão da natureza e da sociedade humana, bem como

para o desenvolvimento de princípios libertários e éticos na prática pedagógica e no

cotidiano.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Histórico e desenvolvimento da filosofia, reportando a sua gênesis: da mitologia Grega

à concepção filosófica. As primeiras escolas filosóficas. Os filósofos da natureza:

Sócrates e os valores do homem, Platão e o mundo das ideias. A ética numa visão

platônica. Aristóteles e a origem dos princípios científicos. A lógica Aristotélica. A busca

dos valores científicos e filosóficos. Período helenístico. Período medieval.

Renascimento. Racionalismo. Empirismo. Ilumismo.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena. Filosofando: uma

introdução à Filosofia. São Paulo: Moderna, 1996.

BERMAN, Marsaall. Tudo que é sólido se desmancha no ar. São Paulo: Cia. das

Letras, 1986.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 1995.

DELLUSE, Gilles. Nietzsche e a filosofia. Rio de Janeiro: [s.n.], 1996.

Page 152: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

HABERMAS, Jurgen. O discurso filosófico da modernidade. Lisboa: D. Quixote, 1990.

MOUTINHO, Luiz. Sartre: existencialismo e liberdade. São Paulo: Moderna, 1995.

NIETZSCHE, Friederic. Para a genealogia da moral. São Paulo: Abril, 1983.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

GAARDER, Jostein. O mundo de Sofia. São Paulo: Ed. Companhia das Letras, 1996.

GALEFFI, Dante Augusto. O ser-sendo da Filosofia. Salvador: Editora da UFBA,

2001.

_______. Filosofar & educar. Salvador: Quarteto Editora, 2003.

JAENER, Werner. Paidéia: a formação do homem grego. 4. ed. São Paulo: Martins

Fontes, 2001.

PEGORATO, Olinto A. Ética e justiça. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1997. REALE, Giovanni; ANTISERI, Dário. História da filosofia. Vol I. São Paulo: Ed.

Paulinas, 1991.

Page 153: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

TEXTO LITERÁRIO E A FORMAÇÃO DO LEITOR

CNCC 45

EMENTA

Estuda as várias possibilidades de leitura que o texto literário oferece, considerando a

sua contribuição como um instrumento valioso para a formação do leitor competente,

a fim de despertar o interesse sobre a leitura.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Natureza do fenômeno literário: conceito de literatura e especificidade do fazer

literário. Linguagem literária, metáfora e metonímia. Gêneros literários e

posicionamentos. Construção do leitor competente: conceito de leitura, objetivos,

expectativa de leitura e interação na leitura de textos. Análise de textos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ABREU, M. (Org.). Leituras no Brasil: antologia comemorativa pelo 10º COLE.

Campinas: Mercado das Letras, 1995.

ECO, U.; BONZI, M. (Org.). Mentiras que parecem verdades. São Paulo: Summus,

1980.

FOCAMBERT, J. A leitura em questão. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

GERALDI, J. W. Linguagem e ensino: exercícios de militância e divulgação.

Campinas: Mercado das Letras, 1996.

KATO, M. O aprendizado de leitura. São Paulo: Martins Fontes, 1985.

Page 154: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

KLEIMAN, Ângela. Oficina de leitura. Campinas, São Paulo: Pontes/ UNICAMP, 1993.

LAJOLO, M. O que é literatura. São Paulo: Brasiliense, [s.d.]

LEITE, L. C. M. Invasão da catedral: literatura e ensino em debate. Porto Alegre:

Mercado Aberto, 1983.

MARTINS, Maria Helena. O que é leitura. 19. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

ORLANDI, E. Discurso e leitura. São Paulo: Cortez, 1988.

PAULINO, G.; WALTY, I. (Org.). Teoria da literatura na escola: atualização para

professores de I e II graus. Belo Horizonte: UFMG, 1992.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler em três artigos que se completam. 45.

ed. São Paulo: Cortez, 2003.

KLEIMAN, Ângela. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 8. ed. Campinas:

Pontes, 2002.

LERNER, Delia. Ler e escrever na escola: o real, o possível e o necessário. Trad.

Ernani Rosa. Porto Alegre: Artmed, 2002.

MESERANI, Samir. O intertexto escolar: sobre leitura, aula e redação. 4. ed. São

Paulo: Cortez, 2002.

MOISÉS, Massaud. A criação literária. Prosa I. São Paulo: Cultrix, 2003.

YUNES, Eliana (Org.). Caderno de leitura. Rio de Janeiro: Proler, 1994. V. 1.

Page 155: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA I EI 45

EMENTA

Orienta de forma continuada a construção de trabalhos técnicos e científicos,

observando os procedimentos na composição desses trabalhos. Além disso, os

seminários têm como objetivo promover a socialização dos trabalhos realizados

durante o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Coleta de dados quantitativos: observação direta, questionário, entrevista dirigida,

estratégias de experimentação. Projeto de pesquisa. Pesquisa - ação. Estratégias de

conhecimento. Concepção e organização da pesquisa. Áreas de aplicação.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: LTC - Livros

Técnicos e Científicos, 1996. 96p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São

Paulo: Olho D’agua, 1995. 127p.

LAKATOS, Eva Maria e Marina de Andrade Marconi. Metodologia científica. São

Paulo. Ed. Atlas. 1994.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121p.

Page 156: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

RUIZ, João Álvaro. Metodologia cientifica: guia para eficiência nos estudos. São

Paulo: Atlas, 1982. 170p.

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina. 254 p.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia de trabalho científico. S. Paulo: Cortez e

Moraes, 1975.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida. Introdução à metodologia do trabalho científico. São

Paulo: Ed. Atlas, 1997.

CASTRO, Cláudia de Moura. A prática da pesquisa. São Paulo: Ed. Mc Graw-Hill do

Brasil, 1991.

FAZENDA, Ivani. (Org.). Metodologia da pesquisa educacional. 4. ed. São Paulo:

Ed. Cortez, 1997.

FERNANDES, José. Técnicas de estudo e pesquisa. Goiânia: Ed. Keslps, 1999.

GILL, Antonio Carlos. Como elaborar projeto de pesquisa. São Paulo: Ed. Atlas,

1996.

PERES, José Augusto de Souza. A elaboração do projeto de pesquisa. Paraíba: Ed.

Universitária da UFPB, 1998.

Page 157: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

PRÁTICA PEDAGÓGICA I FD 90

EMENTA

Discute e analisa o conceito de educação, as políticas públicas em Educação e a

influência das diversas tendências pedagógicas brasileiras nas práticas metodológicas

do ensino de língua portuguesa e de literatura, com o objetivo de estabelecer a efetiva

relação entre a teoria, a prática e a pesquisa, confrontando os diversos períodos e as

mudanças que tenham se efetivado nas escolas, principalmente no que se refere à

administração dos conteúdos de língua e literatura.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O que é educação: Educação Formal e Educação não Formal. Políticas públicas em

Educação. Globalização, Neoliberalismo e Educação (conceitos e aspectos atuais).

Aspectos históricos da política educacional brasileira (Constituições e LDB de 1996).

Políticas educacionais atuais. Tendências pedagógicas e o ensino de Língua

Portuguesa: papel da escola e papel do aluno: Tradicional, Tecnicista, Escola Nova,

Libertadora, Libertária e Crítico-social dos conteúdos. A pesquisa como agente de

mudanças na área da Língua Portuguesa e da Literatura. Pesquisa Social; Pesquisa em

Educação. Aspectos metodológicos do Ensino de Língua Portuguesa e de Literatura. História

do ensino da Língua Portuguesa no Brasil; Teoria sociointeracionista de aprendizagem;

Professor mediador e planejamento didático-pedagógico interdisciplinar.

Page 158: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura (MEC). Parâmetros curriculares nacionais. Currículo de códigos e linguagens. Ensino Fundamental. Brasília: 1999.

BRAGA, Regina Maria. Construindo o leitor competente. São Paulo: Editora

Fundação Peirópolis, 2002

BIANCHETTI, Roberto G. Modelo neoliberal e políticas educacionais. São Paulo:

Cortez, 2001.

BRZEZINSKI, Iria (Org.). LDB interpretada: diversos olhares se entrecruzam. São

Paulo: Cortez, 2003.

CASTRO, Cláudia de Moura. A prática da pesquisa. São Paulo: Ed. Mc Graw-Hill do

Brasil, 2002.

FAZENDA, Ivani (Org.). Metodologia da pesquisa educacional. 4. ed. São Paulo.

Ed.Cortez, 1997.

GOHN, M. G. Educação não-formal e cultura política. São Paulo: Cortez, 1999.

LEMOS, Maria Tereza Guimarães de. A língua que me falta: uma análise dos estudos

em aquisição da linguagem. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2002.

LUFT, Celso Pedro. Língua e liberdade. São Paulo: Ática, 1994.

MINAYO, Mª C. S. (org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 7. ed.

Petrópolis: Vozes, 1994.

OLIVEIRA, Zilma de M. R. de (Org.). A criança e seu desenvolvimento: perspectivas

para se discutir a educação infantil. São Paulo: Cortez, 1995.

PIMENTA, Selma Garrido. Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo:

Cortez, 2000.

SAVIANI, Demerval. A nova lei de educação: trajetória, limites e perspectivas. 5. ed.

Campinas, SP. Autores Associados, 1999.

SILVA, Rosa Virgínia Matos. Contradições no ensino de português. São Paulo:

Contexto: 1996.

ZILBERMAN, Regina & SILVA, Ezequiel T. da. (Org.) Leitura: perspectivas

interdisciplinares. São Paulo: Ática, 1991.

Page 159: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

SAVIANI, Demerval. Escola e democracia. 36. ed. Campinas, SP: Autores

Associados, 2003.

_______. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 8. ed. Campinas, SP:

Autores Associados, 2003.

SILVA, Ezequiel Theodoro da. A produção da leitura na escola: pesquisas x

propostas. São Paulo: Ática, 2000.

ZABALA, Antoni. A prática educativa, como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida. Introdução à metodologia do trabalho científico. São

Paulo: Ed. Atlas, 1997.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais. Currículo de códigos e linguagens.

Ensino fundamental. Brasília: MEC, 1999.

BRAGA, Regina Maria. Construindo o leitor competente. São Paulo: Editora

Fundação Peirórolis, 2002.

FERNANDES, José. Técnicas de estudo de pesquisa. Goiânia: Ed. Kelps, 1999.

FERRARI, Afonso Trujillo. Metodologia da ciência. Rio de Janeiro: Ed. Kennedy,

1974.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez,

1975.

Page 160: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

TEXTO E DISCURSO CNCC 60

EMENTA

Estuda o processo de construção de textos diversos (orais e escritos) numa

perspectiva de articulação entre o componente linguístico, o histórico-social e o

ideológico.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Questões de texto: coesão e coerência, sentido e leitura. Textos falados e escritos.

Texto e discurso. Questões dos gêneros. Interação, interlocução e enunciação.

Língua e ideologia. Língua e discurso. Práticas de leitura e de escrita na escola.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BACCEGA, M. A. Palavra e discurso: história e literatura. São Paulo: Ática, 1995.

CITELLI, Adilson. Linguagem e persuasão. 8. ed. São Paulo: Ática, 1989.

FIORIN, José Luiz. Linguagem e ideologia. 3. ed. São Paulo: Ática, 1991.

_______. Elementos de análise do discurso. 6. ed. São Paulo: Contexto, 1997.

KOCH, Ingedore G. Villaça. A interação pela linguagem. São Paulo: Contexto, 1998.

MAINGUENAU, Dominique. Novas tendências em análise do discurso. Campinas:

Pontes, 1989.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma critica à afirmação do óbvio. Trad.

Eni P. Orlandi et al. 2. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

POSSENTI, Sírio. Discurso, estilo e subjetividade. São Paulo: Martins Fontes,

1993.

Page 161: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BLIKSTEIN, Izidoro. Técnicas de comunicação escrita. São Paulo: Ática, 2000.

BOAVENTURA, Edivaldo M. Como ordenar as ideias. São Paulo: Ática, 1990.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. 3. ed. São Paulo: Ática, 2004.

KOCH, Ingedore. A coesão textual. São Paulo: Contexto, 1998.

ORLANDI, Eni Puccinelli. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso.

4. ed. São Paulo: Pontes, 2003.

SOARES, Magda. Linguagem e escola: uma perspectiva social. São Paulo: Ática,

1986.

Page 162: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDOS SÓCIO-ANTROPOLÓGICOS EI 30

EMENTA

Estuda e analisa a formação de grupos sociais, utilizando a fundamentação da

sociologia e da antropologia para estabelecer a sua influência nas diversas

manifestações da linguagem.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Conceitos básicos da antropologia: etnografia, etnocentrismo, cultura. A teoria

evolucionista e seus principais autores. O neo-evolucionismo. O funcionalismo na

Antropologia e na Sociologia: funções manifestas e latentes. As instituições e o

funcionalismo estruturalista.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

DA MATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do

dilema. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

_______. Relativizando: uma introdução à antropologia social. Petrópolis: Vozes,

1983.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro:

Zahar, 1996.

SEYFERTH, Giralda. A invenção da raça e o poder discricionário dos estereótipos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1995.

Page 163: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AQUINO, Júlio Groppa (Org.). Diferenças e preconceitos na escola: perspectivas

teóricas e práticas. São Paulo: Summus Editorial,1998.

AUZIAS, Jean-Marie. A antropologia contemporânea. São Paulo: Editora Cultrix,

1978.

DAYRELL, Juarez. Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte:

Editora UFMG, 1996.

DUARTE JÚNIOR, João Francisco. O que é realidade. São Paulo: Brasiliense, 1998.

(Coleção Primeiros Passos).

LAPLANTINE, François. Aprender antropologia. São Paulo: Editora Brasiliense,

1988.

MELLO, Luiz Gonzaga. Antropologia cultural: introdução, teoria e temas. Petrópolis:

Editora Vozes, 1982.

OLIVEN, Ruben George. A Antropologia de grupos urbanos. Petrópolis: Vozes,

1996.

OLIVEIRA, Ivone. Preconceito e auto-conceito: identidade e interação na sala de

aula. Campinas: Papirus Editora, 1994.

Page 164: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

TRADIÇÃO E RUPTURA EM LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA CNCC 60

EMENTA

Estuda as formas diferenciadas de tradição formal e/ou civilizatória nas literaturas de

língua portuguesa, bem como as forças históricas, sociais e estéticas que motivaram

suas rupturas, sejam elas internas e/ou externas ao sistema literário.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Características de todas as escolas literárias desde o Classicismo no Brasil em Portugal.

Principais autores das escolas literárias no Brasil e em Portugal. Principais elementos

que constituem o Classicismo e o Neoclássico. Características clássicas e românticas.

Realismo. Naturalismo. Primeira geração Modernista (manifestos Portugueses e

brasileiros). Características do índio apresentada por Azevedo e Andrade em

Macunaima.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CASTRO, E. M. M. Dialética das vanguardas. Lisboa: Livros Horizonte, 1976.

_______. Literatura portuguesa de invenção. São Paulo: Difel, 1984.

_______. O próprio poético. São Paulo: Quíron, 1973.

_______. Re-camões. Porto: Limiar, 1980.

GOMES, M. dos P. Outrora agora: relações dialógicas na poesia portuguesa de

invenção. São Paulo: Educ, 1993.

GUIMARÃES, F. Simbolismo, modernismo e vanguardas. Lisboa: Imprensa

Nacional/ Casa da Moeda, 1982.

RODRIGUES, U. T. Tradição e ruptura. Lisboa: Presença, 1994.

Page 165: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Mário Raul Moraes de. Macunaíma: o herói sem nenhum caráter. Belo

Horizonte: Itatiaia, 1986.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. 3. ed. São Paulo: Cultrix, 1983.

MENEZES, Philadelpho. A crise do passado: modernidade, vanguarda,

metamodernidade. São Paulo: Experimento, 1994.

SANTANA, Afonso Romano de. Paródia, paráfrase & Cia. São Paulo: Ática, 1985.

SARAIVA, José; LOPES, Oscar. História da literatura portuguesa. Porto: Porto

Editora, 1995.

TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda europeia e modernismo brasileiro. Petrópolis:

Vozes, 1997.

Page 166: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRUCULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDO DA PRODUÇÃO LITERÁRIA NO BRASIL CNCC 45

EMENTA

Examina a produção literária brasileira, considerando o contexto sociocultural,

histórico e estilístico dos textos selecionados para compreender a questão da

identidade nacional em suas diferentes concepções, bem como a dialética localismo X

universalismo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Literatura informativa. Barroco: conceito, características, movimento histórico.

Arcadismo: conceito, características, movimento histórico. Romantismo e suas fases:

conceito, características, movimento histórico. Realismo/Naturalismo: conceito,

características, movimento histórico. Parnasianismo: conceito, características,

movimento histórico. Simbolismo: conceito, características, movimento histórico.

Modernismo: conceito, características, movimento histórico.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALMEIDA, Guilherme de. Do sentimento nacionalista na poesia brasileira. São

Paulo: Garraux, 1926.

ABREU, Jorge O. de. História da literatura nacional. Rio de Janeiro: Oficina Gráfica

do Mundo Médico, 1930.

ANDRADE, Mário de. O movimento modernista. Rio de Janeiro: Casa do Estudante

do Brasil, 1942.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1978.

Page 167: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CÂNDIDO, Antônio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 9. ed.

Belo horizonte: Itatiaia,2000. 2 v.

COUTINHO, Afrânio (Org.). A literatura no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio:

1986. 4 v.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BERND, Zilá. Literatura e identidade nacional. Porto Alegre: UFRGS,1992.

BROCA, Brito. A vida literária no Brasil, 1900. Rio de Janeiro: Ministério da

Educação, 1956.

MERQUIOR, José Gulherme. De Anchieta a Euclides: breve história da literatura

brasileira. Rio de Janeiro: José Olimpio, 1977.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão. Tensões sociais e criação cultural na

Primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1983.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da literatura brasileira. São Paulo: DIFEL, 1982.

Page 168: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO II EI 30

EMENTA

Estuda as estratégias de leitura e produção de textos orais e escritos, considerando os

aspecto formal e estilístico e sua relação contextual e situacional.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Conceito de texto. Textos orais e textos escritos: diferenças funcionais e formais.

Fatores de textualidade. Fatores pragmáticos. Fatores estruturais. Macroestrutura,

microestrutura e superestrutura. Gêneros textuais acadêmicos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FARACO, Carlos Alberto; TEZZA, Cristóvão. Prática de texto: língua portuguesa

para nossos estudantes. Petrópolis: Vozes, 1992.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. 3. ed. São Paulo: Ática, 1997.

KATO, M. O aprendizado de leitura. São Paulo: Martins Fontes, 1985.

KLEIMAN, Ângela. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 8. ed. Campinas:

Pontes, 1995.

_______. Oficina de leitura: teoria e prática. 6. ed. Campinas: Pontes, 1993.

SAVIOLI, Francisco P.; FIORIN, Luiz A. Para entender o texto: leitura e redação.

São Paulo: Ática, 2001.

VANOYE, Francis. O uso da linguagem: problemas e técnicas da produção oral e

escrita. 8. ed. Tradução e adaptação de Clarisse Madureira Sabóia. São Paulo:

Martins Fontes, 1991.

Page 169: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BENTES, A. C. Linguística textual. In: BENTES, A. C.; MUSSALIN, F. (Org.).

Introdução à linguística: domínios e fronteiras. V. 1. São Paulo: Cortez, 2003.

COSTA VAL, M. das G. Redação e textualidade. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

FÁVERO, L. L.; KOCH, I. Linguística textual: uma introdução. São Paulo: Cortez,

1983.

_______. Coesão e coerência textuais. São Paulo: Ática, 1991.

GARCIA, O. M. Comunicação em prosa moderna. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio

Vargas, 1976.

GUIMARÃES, Elisa. A articulação do texto. São Paulo: Ática, 2000.

KOCH, I. G. V. A coesão textual. São Paulo: Contexto, 1989.

_______; TRAVAGLIA, C. L. Texto e coerência. São Paulo: Cortez, 1990.

Page 170: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA II EI 45

EMENTA

Orienta de forma continuada a construção de trabalhos técnicos e científicos,

observando os procedimentos na produção dos mesmos. Além disso, os seminários

têm como objetivo promover a socialização dos trabalhos realizados durante o

semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Coleta de dados quantitativos: observação direta, questionário, entrevista dirigida,

estratégias de experimentação. Projeto de pesquisa. Pesquisa - ação. Estratégias de

conhecimento. Concepção e organização da pesquisa. Áreas de aplicação.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes e DELUIZ. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: LTC - Livros

Técnicos e Científicos, 1996. 96p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São

Paulo: Olho D’agua, 1995. 127p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodollogia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238p.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121 p.

Page 171: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 254 p.

SEVERINO, Antônio Jaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez: Autores Associados, 1996. 272 p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida. Introdução à metodologia do trabalho científico. São

Paulo: Ed. Atlas, 1997.

CASTRO, Cláudia de Moura. A prática da pesquisa. São Paulo: Ed. Mc Graw-Hill do

Brasil, 1991.

FAZENDA, Ivani (Org.). Metodologia da pesquisa educacional. 4. ed. São Paulo:

Ed. Cortez, 1997.

FERNANDES, José. Técnicas de estudo e pesquisa. Goiânia: Ed. Keslps, 1999.

FERRARI, Afonso Trujillo. Metodologia da ciência. Rio de Janeiro: Ed. Kennedy,

1974.

GILL, Antônio Carlos. Como elaborar projeto de pesquisa. São Saulo: Ed. Atlas,

1996.

PERES, José Augusto de Souza. A elaboração do projeto de pesquisa. João

Pessoa: Ed. Universitária da UFPB, 1998.

Page 172: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

PRÁTICA PEDAGÓGICA II FD 105

EMENTA

Discute o planejamento, a relação professor-aluno e a avaliação, vivenciando

situações de ensino-aprendizagem de temas linguísticos e literários relacionados aos

conteúdos abordados na educação básica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Avaliação e seus contextos: quantitativa e quantitativa. Problematização do ensino da

gramática: procedimentos metodológicos diante das tendências atuais. Gramática e

política. Visão da Linguística sobre a gramática. Aprendizagem significativa: teoria e

prática, mapas conceituais. LDB: ranços e avanços. Projeto político pedagógico. Plano

estadual de ensino.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AZEREDO, J. Carlos de (Org.). Língua portuguesa em debate: conhecimento e

ensino. Petrópolis: Vozes, 2000.

BAGNO, Marcos. Preconceitos linguísticos: o que é, como se faz. São Paulo:

Loyola, 1999.

BRITO, Luiz Percival Leme. A sombra do caos: ensino de língua X tradição

gramatical. Campinas, SP: Mercado das Letras, 1997.

CARRAVETA, Maria Luiza. Métodos e técnicas de ensino do português. Porto

Alegre, RS: Autores Associados, 1995.

DEMO, Pedro. Ranços e avanços (da nova LDB). São Paulo: Papirus, 1997.

_______. Avaliação qualitativa: polêmicas do nosso tempo. São Paulo: Autores

Associados, 1995.

GANDIN, Danilo; GANDIN, Luiz Armado. Temas para um projeto político-pedagógico. Petrópolis: Vozes, 1999.

Page 173: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. 3. ed. São Paulo: Ática, 1997.

_______. Linguagem e ensino: exercícios de militância e divulgação. São Paulo:

Mercado das Letras, 1996.

KLEIMAN, Ângela. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 8. ed. Campinas,

SP: Pontes, 1995.

KOCH, Ingedore G. Villaça. O texto e aconstrução dos sentidos. São Paulo: Editora

Contexto, 1997.

MALEARD, Leticia. Ensino e literatura no 2º grau: problemas e perspectivas. Porto

Alegre: Mercado das Letras, 1985.

OLIVEIRA, et al. Confluências e divergências entre didática e currículo. Campinas, SP: Papirus, 1988.

PIMENTA, S. G.; GONÇALVES, C. I. Revendo o ensino do 2º grau: propondo a

educação de professores. São Paulo: Cortez, 1990.

POSSENTI, Sírio. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas, SP:

Mercado das Letras, 1996.

ROSNG, Tânia, M. K. Ler na escola: para ensinar literatura no 1º, 2º e 3º graus. Porto

Alegre: Mercado das Letras, 1998.

SILVA, Eurides Brito da. A educação básica pós-LDB. São Paulo: Pioneira, 1998.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AFONSO, Almerindo Janela. Avaliação educacional: regulação e emancipação. In:

Sociologia da avaliação: problemas de delimitação de um campo teórico conceptual

e de investigação. São Paulo: Cortez, 2000.

ANDRÉ, Marli Eliza D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas, SP: Papirus,

1995.

CORTELLA, Mário Sérgio. A escola e o conhecimento: fundamento epistemológicos

e políticos. São Paulo: Cortez, 1999.

DEPRESBITERIS, Léa. O desafio da avaliação da aprendizagem: dos fundamentos

a uma proposta inovadora. São Paulo: EPU, 1989.

ESTEBAN, Maria Teresa. Avaliação: uma prática em busca de novos sentidos. Rio

de Janeiro: DP&A, 1999.

Page 174: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

RELAÇÕES SINTÁTICAS NA LÍNGUA CNCC 60

EMENTA

Estuda a organização sintática da língua portuguesa, observando as relações

morfossintáticas entre os elementos da estrutura frasal e as considerações de

gramáticas diversas, correlacionando esses conteúdos aos trabalhados no ensino

básico, bem como levantando temas que possam ser objetos de investigação

cientifica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O papel da sintaxe na língua. Concepção normativa da sintaxe: noções gerais.

Período simples: termos essenciais, integrantes e acessórios. Período composto:

tipos de oração, coordenação e subordinação. Concepção descritiva da sintaxe.

Concordância e regência.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AZEREDO, J. Carlos. Iniciação à sintaxe do português. Rio de Janeiro: Jorge Zahar

Editor, 1990.

CARONE, Flávia de Barros. Morfossintaxe. São Paulo: Ática, 1986.

ILARI, Rodolfo. Perspectiva funcional da frase portuguesa. 2. ed. Campinas, SP:

Editora as UNICAMP, 1992.

LOBATO, M. L. Sintaxe gerativa do português: da teoria padrão à teoria da regência e

ligação. Belo Horizonte: Vigília, 1986.

Page 175: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MIOTO, C. et al. Manual de sintaxe. 2. ed. Florianópolis: Insular, 2000.

PASSOS, C; PASSOS, M. E. Princípios de uma gramática modular. São Paulo:

Contexto, 1990.

PERINI, Mário. Gramática descritiva do português. São Paulo: Ática, 1996.

_______. Sofrendo a gramática. São Paulo: Ática, 1997.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

MATTOS e SILVA, Rosa Virginia. O português são dois. Novas fronteiras, velhos

problemas. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

NEVES, Maria Helena. Que gramática estudar na escola? Norma e uso na língua

portuguesa. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

PERINI, M. A. A língua do Brasil amanhã e outros mistérios. São Paulo: Parábola

Editorial, 2004.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de

gramática no 1º e 2º graus. São Paulo: Cortez, 2000.

Page 176: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDOS TEÓRICOS DO TEXTO LITERÁRIO CNCC 60

EMENTA

Estuda os elementos constitutivos do texto literário, sua linguagem, forma,

classificação, distribuição em gêneros, bem como seu transbordamento e rasuras.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Apresenta o conceito de literatura e seus elementos constitutivos. Classificação dos

gêneros literários. O gênero lírico. Definição de poética, poesia e poema. Metro e

escansão. Som e rima. Classificação das composições em verso. Análise teórica de

categorias constitutivas do texto literário em obras de autores nacionais e

internacionais.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANDRADE, Mário de. Aspectos de literatura brasileira. 5. ed. São Paulo: Martins,

1972.

BARTHES, Roberto Acizelo de Souza. Teoria da literatura. São Paulo: Ática, 2003.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1983.

BRASIL, Francisco de Assis Almeida. Cinema e literatura: choque de linguagens. Rio

de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1967.

CÂNDIDO, Antônio; ROSEFELD, A.; PRADO, D. A.; GOMES, P. E. S. A personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 1995.

CARONE NETO, Modesto. Metáfora e montagem. São Paulo: Editora Perspectiva,

1974.

CHALHUB, Samira. A metalinguagem. São Paulo: Melhoramentos, 1999.

Page 177: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

COUTINHO, Afrânio (Org.). A literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Editorial Sul

Americanas, 1970.

MENEZES, Philadelpho. A crise do passado: modernidade, vanguarda,

metamodernidade. São Paulo: Experimento, 1994.

MOISÉS, Massaud. A criação literária: prosa. São Paulo: Melhoramentos, 1979.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica e filosofia. 2. ed. São Paulo: Cultrix/EDUS,

1975.

SANT’ANNA, Afonso Romano de. Paródia, paráfrase & Cia. São Paulo: Ática, 1985.

SANTAELLA, Lúcia. Culturas das mídias. São Paulo: Razão social, 1992.

SANTERRES-SARKANY, Stephane. Teoria da literatura. Lisboa: Publicações

Europa Americana, 1991.

SILVA, Vitor Manuel de Aguiar. Teoria da Literatura. Coimbra: Livraria Almeidina,

1983.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da literatura brasileira. Rio de Janeiro:

Civilização Brasileira, 1969.

SUSSEKIND, Flora. Cinematógrafo de letras: literatura, técnica e modernização no

Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda europeia e modernismo brasileiro.

Petrópolis: Vozes, 1997.

TODOROV, Tzvetan. As estruturas narrativas. Trad. Leyla Perrone-Moisés. São

Paulo: Editora Perspectiva, 1969.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes,

1991.

PAIXÃO, Fernando. O que é poesia. 6. ed. São Paulo: Brasiliense, 1991.

PESSOA, Fernando. O eu profundo e os outros eus: seleção poética. Rio de

Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

SOARES, Angélica. Gêneros literários. 6. ed. São Paulo: Ática, 2000.

SOUZA, Roberto Acízelo. Teoria da literatura. São Paulo: Àtica, 2000.

Page 178: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

O ESTÉTICO E O LÚDICO NA LITERATURA INFANTO-JUVENIL CNCC 60

EMENTA

Estuda o estético e o lúdico na literatura infanto-juvenil, analisando a relação entre o

imaginário e a realidade. Discute os conceitos, a história e as condições de produção e

recepção do texto, tanto da linguagem oral, quanto da linguagem escrita.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Literatura infanto-juvenil: concepções, origens e história. O estético e o lúdico na

literatura infantil-juvenil. Intertextualidade no texto infantil. Ilustração do texto literário.

Teoria estética da recepção. Tendência contemporânea da literatura infanto-juvenil.

Produção do texto infanto-juvenil.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ABRAMOVICH, Fany. Literatura infantil. Gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione,

1989.

AMARILHA, Marly. Estão mortas as fadas? Petrópolis: Vozes, 1997.

ANDRADE, Inaldete Pinheiro. Racismo e anti-racismo na literatura infanto-juvenil. Recife: Produção Editorial, 2001.

BETTELHEIM, Bruno. A psicanálise dos contos de fadas. 8. ed. Rio de Janeiro:

Paz e Terra, 1980.

CADEMARTORI, Lígia. O que é literatura infantil. São Paulo: Brasiliense, 1986.

CUNHA, Maria Antonieta Antunes. Literatura infantil: teoria e prática. 18. ed. São

Paulo: Ática, 2002.

HELD, Jaqueline. O imaginário no poder. São Paulo: Summus, 1980.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. Literatura infantil no Brasil: história &

história. São Paulo: Ática, 1994.

Page 179: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

LIMA, Heloisa Pires. Personagens negros: um breve perfil na literatura infanto-juvenil.

In. MUNANGA, Kabengule (Org.). Superando o racismo na escola. Brasília, DF:

Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental, 2000.

PERROTI, Edemir. O texto sedutor na literatura infantil. São Paulo: Ícone, 1986.

RIBEIRO, Jonas. Ouvidos dourados: a arte de ouvir histórias (... para depois contá-

las...). São Paulo: Ave Maria, 1999.

ROSEMBERG, Fulvia. Literatura infantil e ideologia. São Paulo: Global, 1985.

ZILBERMAN, Regina; MAGALHÃES, Ligia Cademartori. Literatura infantil: autoritarismo e emancipação. 3. ed. São Paulo: Ática, 1987.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BAKBTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes,

2000.

BORDINI, Maria da Glória. Poesia infantil. São Paulo: Ática, 1986. (Série Princípios).

CARVALHO, Bárbara Vasconcelos de. A literatura infantil: visão histórica e crítica.

4. ed. Global: São Paulo, 1985.

ESTÉS, Clarissa Pinkola. Mulheres que correm com os lobos. Rio de Janeiro:

Rocco, 1994.

LAJOLO, Marisa. Do mundo da literatura para a leitura do mundo. 6. ed. São

Paulo: Ática, 2002.

MACHADO, Ana Maria. Contracorrente: conversas sobre leitura e política. São

Paulo: Ática, 1999.

OLIVEIRA, Ieda de (Org.). O que é qualidade em literatura infantil e juvenil? Com

a palavra, o escritor. São Paulo: DCL, 2005.

VALVERDE, Monclar (Org). As formas do sentido: estudos em estética da

comunicação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

Page 180: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LITERATURA E OUTRAS ARTES CNCC 45

EMENTA

Analisa as relações inter-semióticas dos diferentes textos, verificando o cruzamento

de leituras e concebendo a literatura como texto/signo, entre muitos outros da

expressão artística na comunidade humana.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Conceito de literatura: literatura concebida como texto, noção de texto. Os processos

de apropriação intersígnica realizados pela literatura. Literatura comparada. O estudo

das relações entre literatura e outras artes: cinema, teatro, música, pintura, fotografia,

arquitetura, dança e escultura.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANDRADE, Mário de. Aspectos de literatura brasileira. 5. ed. São Paulo: Editora

Martins, 1971.

_______. Ensaio sobre a música brasileira. São Paulo: Editora Martins, 1972.

ANTELO, Raul (Org.). Identidade e representação. Florianópolis: UFSC, 1994.

CAMPOS, Haroldo de et al. Teoria da poesia concreta. São Paulo: Duas Cidades,

1975.

CHAUÍ, Marilena. Conformismo e resistência: aspectos da cultura popular no Brasil.

São Paulo: Brasiliense, 1986.

LIMA, Edvaldo Pereira. Páginas ampliadas. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

NOVAES, Adauto (Org.). O olhar. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

PRADO, Décio de Almeida. O teatro brasileiro moderno. São Paulo: Perspectiva,

1987.

Page 181: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BARROS, Diana Luz Pessoa. Teoria semiótica do texto. São Paulo: Ática, 2001.

GANCHO, Cândida Vilares. Como analisar narrativas. São Paulo: Ática, 1991.

PALLOTTINI, Renata. Introdução à dramaturgia. São Paulo: Ática, 1988.

ROGEL, Samuel. Manual de teoria literária. Rio de Janeiro: Vozes, 1985.

TRIANGALI, Dante. Escolas literárias. São Paulo: Editora Musa, 1994.

Page 182: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDOS EPISTEMOLÓGICOS DA APRENDIZAGEM EI 60

EMENTA

Estuda as principais teorias da aprendizagem e suas concepções a respeito do

homem e de sua formação como sujeito, analisando os processos envolvidos na

aprendizagem, a fim de viabilizar um trabalho educacional.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

A aprendizagem: uma análise epistemológica dos seus eixos epistemológicos. Os

fatores determinantes do homem: a polêmica hereditariedade X ambiente. A

multideterminação do homem. As principais teorias da aprendizagem e suas

implicações para a prática educativa. A teoria comportamental: Pavlov, Skinner e

Bandura. A teoria da Gestalt. A abordagem Humanista: Rogers. A teoria Psicogenética

de J. Piaget. A teoria Sócio-Histórica de L. S. Vigotsky. As relações entre

desenvolvimento e aprendizagem nas visões de Piaget e Vigotsky.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CAMPOS, Dinah Martins de Souza. Psicologia e desenvolvimento humano.

Petrópolis: Vozes, 1997.

ERIZON, Erik H. Identidade, juventude e crise. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

ESTEVAM, Carlos. Freud: vida e obra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

FLAVELL, John H. A psicologia do desenvolvimento de Jean Piaget. São Paulo:

Pioneira, 1986.

GARCIA - ROSA, Luiz Alfredo. Freud e o inconsciente. Rio de Janeiro: Jorge Zahar

Editor, 1984.

Page 183: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CAMPOS, Dinah Martins de Souza. Psicologia e desenvolvimento humano. Petrópolis: Vozes, 1997.

ERIZON, Erik H. Identidade, juventude e crise. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

ESTEVAM, Carlos. Freud: vida e obra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

FLAVELL, John H. A psicologia do desenvolvimento de Jean Piaget. São Paulo:

Pioneira, 1986.

GARCIA - ROSA, Luiz Alfredo. Freud e o inconsciente. Rio de Janeiro: Jorge Zahar

Editor, 1984.

LA TAILLE, Ives; OLIVEIRA, Marta Kohl de; DANTAS, Heloysa. Piaget, Vigotsky e Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. 6. ed. São Paulo: Summy, 1992.

WADSWORTH, Barry J. Inteligência e afetividade da criança na teoria de Piaget. 5.

ed. São Paulo: Pioneira, 1997.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BRAGHIROLLI, E. M.; PEREIRA, S.; RIZZON, L. A. Temas de psicologia social. Petrópolis: Vozes, 1994.

CARRAHER, Therezinha N. O método clínico: aspectos metodológicos e

implicações pedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.

CARVALHO, V. B. C. L. de. Desenvolvimento humano e psicologia. Belo

Horizonte: UFMG, 1996.

COLL, César. Desenvolvimento psicológico e educação: Psicologia evolutiva.

Porto Alegre: Artes Médicas, 1995. V. 1 e 2.

CÓRIA - SABINI, Maria Aparecida. Psicologia aplicada à educação. São Paulo:

EPU, 1986.

COUTINHO, Maria T. C.; MOREIRA, Mércia. Psicologia da educação. 5. ed. Belo

Horizonte: Ed. Lê, 1997.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. Vigotsky: aprendizado e desenvolvimento. Um processo

sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1991.

VIGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Page 184: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICILAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA III EI 45

EMENTA

Orienta de forma continuada a construção de trabalhos técnicos e científicos,

observando os procedimentos na composição desses trabalhos. Além disso, os

seminários têm como objetivo promover a socialização dos trabalhos apresentados

durante o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Coleta de dados quantitativos: observação direta, questionário, entrevista dirigida,

estratégias de experimentação. Artigo científico. Técnicas de desenvolvimento da

linguagem oral: mesa redonda, palestra, oficina, seminários temáticos. Internet: chat,

blog, criação de páginas na internet.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ, Neise. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro:

LTC - Livros Técnicos e Científicos, 1996. 96 p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São

Paulo: Olho D’agua, 1995. 127 p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodollogia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238 p.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121 p.

Page 185: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficácia nos estudos. São Paulo:

Atlas, 1982, 170 p.

SEVERINO, Antônio Jaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez Autores Associados, 1996. 272 p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

LEMOS, Maria Tereza Guimarães de. A língua que me falta: uma análise dos estudos

em aquisição da linguagem. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2002.

LUFT, Celso Pedro. Língua e liberdade. São Paulo: Ática, 1994.

SILVA, Rosa Virgínia Matos. Contradições no ensino de português. São Paulo:

Contexto: 1996.

SILVA, Ezequiel Theodoro da. A produção da leitura na escola: pesquisas x

propostas. São Paulo: Ática, 2000.

TRAVAGLIA, Luís Carlos. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de

gramática no 1º e 2º graus. São Paulo: Cortez, 2000.

ZILBERMAN, Regina; SILVA, Ezequiel T. da (Org.). Leitura: perspectivas

interdisciplinares. São Paulo: Ática, 1991.

Page 186: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICILAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

PRÁTICA PEDAGÓGICA III FD 105

EMENTA

Analisa e discute a utilização de tecnologias da informação e da comunicação nas

situações de ensino-aprendizagem de temas literários e de língua portuguesa,

relacionados aos conteúdos abordados na educação básica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Comunicação e educação: linguagem em movimento. Sociedade midiatizada.

Aprendizagens midiatizadas. Os espaços/tempos do cotidiano escolar e os usos das

tecnologias. Educomunicação e mídias. Educação na cibercultura: hipertextualidade.

Objetos da informação. Sujeitos da comunicação. Leitura e internet. Pesquisa

quantitativa versus qualitativa, tendências epistemológicas e a pesquisa etnográfica.

Avaliação e seus contextos: quantitativa e qualitativa.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AZEREDO, J. Carlos de (Org.). Língua portuguesa em debate: conhecimento e

ensino. Petrópolis: Vozes, 2000.

BAGNO, Marcos. Preconceitos linguísticos: o que é, como se faz. São Paulo:

Loyola, 1999.

BRITO, Luiz Percival Leme. A sombra do caos: ensino de lingua X tradição

gramatical. Campinas: Mercado das Letras, 1997.

CARRAVETA, Maria Luiza. Métodos e técnicas de ensino do português. Porto

Alegre: Autores Associados, 1995.

DEMO, Pedro. Avaliação qualitativa: polêmicas do nosso tempo. São Paulo: Autores

Associados, 1995.

_______. Ranços e Avanços (da nova LDB). São Paulo: Papirus, 1997.

Page 187: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

GANDIN, Danilo; GANDIN, Luiz Armado. Temas para um projeto político-pedagógico. Petrópolis: Vozes, 1999.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. 3. ed. São Paulo: Ática, 1997.

_______. Linguagem e ensino: exercícios de militância e divulgação. São Paulo:

Mercado das Letras, 1996.

KLEIMAN, Ângela. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 8. ed. Campinas,

SP: Pontes, 1995.

KOCH, Ingedore G. Villaça. O texto e a construção dos sentidos. São Paulo:

Editora Contexto, 1997.

MALEARD, Leticia. Ensino e literatura no 2º grau: problemas e perspectivas. Porto

Alegre: Mercado das Letras, 1985.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BAUDRILLARD, Jean. Televisão/revolução: o caso Romênia. In: PARENTE, A. (Org.).

Imagem máquina: a era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

BELLONI, Maria Luíza. Educação à distância. Campinas, SP: Autores Associados,

2003.

COGO, Maria Denise. Televisão, escola e juventude. Porto Alegre: Mediação, 2001.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.

MARCUSE, Herbert. A sociedade industrial: o homem unidimensional. Rio de

Janeiro: Zahar Editores, 6. ed. 1982.

MARQUES, Mário Osório. A escola no computador: linguagens rearticuladas,

educação outra. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 1999.

NISKIER, Arnaldo. Educação à distância: a tecnologia da esperança. São Paulo:

Edições Loyola, 1999.

Page 188: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDOS FONÉTICOS E FONOLÓGICOS CNCC 60

EMENTA

Estuda a constituição fonético-fonológica da língua portuguesa, considerando as

diferentes realizações fonéticas e destacando a importância da sua compreensão no

processo de aprendizagem da escrita.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Conceito de fonética e fonologia, som e fonema, língua e fala. A constituição do

aparelho fonador. Articulação dos sons vocálicos e consonantais da Língua

Portuguesa. Transcrição e descrição fonética e fonológica. O alfabeto fonético.

Classificação das vogais e consoantes. Encontros vocálicos. As variantes linguísticas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CALLOU, Dinah; LEITE, Yonne. Iniciação à fonética e à fonologia. 9. ed. Rio de

Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

CÂMARA JÚNIOR, Joaquim Mattoso. Princípios de linguística geral: como

introdução aos estudos superiores da língua portuguesa. 6. ed. Rio de Janeiro:

Padrão, 1980.

_______. Estrutura da língua portuguesa. 24. ed. Petrópolis: Vozes, 1993.

MAIA, Eleonora Motta. No reino da fala: a linguagem e seus sons. 3. ed. São

Paulo:Ática, 1991.

Page 189: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AGUILERA, Vanderci de Andrade (Org.). Português no Brasil: estudos fonéticos e

fonológicos. Londrina: EDUEL, 1999.

CÂMARA JÚNIOR, Joaquim Mattoso. Para o estudo da fonêmica portuguesa. 2.

ed. Rio de Janeiro: Padrão, 1977.

_______. História e estrutura da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Padrão,

1979.

FERREIRA NETO, Waldemar. Introdução à fonologia da língua portuguesa. São

Paulo: Hedra, 2001.

FERREIRA, Carlota; CARDOSO, Suzana. A dialectologia no Brasil. São Paulo:

Contexto, 1994.

MACEDO, Walmírio. Elementos para uma estrutura da língua portuguesa. 2ª ed.

Rio de Janeiro: Presença, 1987.

MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia. O português arcaico: fonologia. São Paulo:

Contexto, 1991.

SCHEINOWITZ, Celina. Estudos linguísticos e literários. Salvador: ILUFBA/

PPGLL, 1995.

SILVA, Thais Cristófaro. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e

guia de exercícios. São Paulo: Contexto, 1999.

Page 190: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

DIVERSIDADE LINGUÍSTICA CNCC 45

EMENTA

Estuda a diversidade da língua portuguesa, enfocando as abordagens da

Sociolinguística e da Dialetologia, com ênfase na diferenciação dialetal do português

brasileiro.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Os paradigmas ocidentais: teocêntrico (mitológico, metafísico), antropocêntrico,

moderno. A história de colonização lingüístico-cultural do Português no Brasil. A

“Língua Geral” ou tupi-guarani. A implantação de uma língua única, baseada numa

razão única. A diversidade lingüística no Brasil. Leis que combateram a diversidade

linguística no Brasil colonial. O Racionalismo e suas influências nos dias atuais. O

processo de globalização e a implantação de uma razão unidimensional. Os meios de

comunicação contra a diversidade cultural.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BAGNO, Marcos. Português ou brasileiro? Um convite à pesquisa. São Paulo:

Parábola, 2001

_______. Preconceito linguístico: o que é, como se faz. São Paulo: Edições Loyola,

1999.

CARDOSO, Suzana Alice Macelino (Org.). Diversidade linguística e ensino.

Salvador: EDUFBA, 1996.

FERREIRA, Carlota et al. Diversidade do português do Brasil. 2. ed. Salvador:

CED/UFBA, 1994.

LOBO, Tânia; LUCCHESI, Dante; MOTA, Jacyra. A norma culta brasileira e as prescrições gramaticais. Salvador: UFBA, 1991. p. 147-158. (Estudos nº 11).

Page 191: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Luiza. Introdução à sociolinguística varacionista. Rio de Janeiro: UFRJ, 1983. (Cadernos Didaticos, nº 4).

SCHERRE, Marta Maria Pereira. Re-análise da concordância nominal em português. Tese de doutorado. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de

Janeiro, 1991.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BAGNO, Marcos. A língua de Eulália: novela sociolinguística. 2. ed. São Paulo:

Contexto, 1998.

_______. Português brasileiro: um convite a pesquisa. 4. ed. São Paulo: Parábola,

2004.

BORTONI-RICARDO, Stela Maris. Educando em língua materna: a sociolinguística

na sala de aula. 2. ed. São Paulo: Parábola, 2004.

CALVET, Louis-Jean. Sociolinguística: uma introdução crítica. 2. ed. São Paulo:

Parábola, 2004.

MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Lyiza. Introdução à sociolinguística: o

tratamento da variação. São Paulo: Contexto, 2003.

Page 192: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

A FUNÇÃO SOCIAL DA LEITURA E DA PRODUÇÃO TEXTUAL

CNCC 30

EMENTA

Discute sobre as funções sociais que a leitura e a produção textual desempenham na

sociedade, avaliando a necessidade de se reconhecer os processos cognitivos

envolvidos nas atividades e sua relação com o ensino de língua portuguesa.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

A polissemia da noção de leitura. Leitura: questão linguística, pedagógica ou social?

Identidade e identificação. Papel social da leitura e responsabilidade. A produção

textual e a retórica clássica. Verdade e verossimilhança. O vazio da retórica. A

retórica moderna. Sociedade e ideologia. Texto e discurso. O que é leitura? Os

processos neurofisiológico, cognitivo, simbólico, argumentativo e afetivo do ato de ler.

Uma comunicação diferida. As condições da atividade leitora. O estatuto do texto lido.

Leitura inocente e leitura crítica. A leitura linear. A releitura. A interação texto leitor. A

insuficiência textual. A recepção como remate. O texto como programação. Os pontos

de ancoragem e os de indeterminação. A isotopia. O papel do leitor. A resistência do

leitor. O leitor implícito.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FOCAMBERT, J. A leitura em questão. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

KATO, M. A. O aprendizado de leitura. São Paulo: Martins Fontes, 1985.

_______ (Org.). A concepção da escrita pela criança. 2. ed. Campinas: Pontes, 1992.

Page 193: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

KATO, M. A. No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística. São Paulo:

Ática, 1987.

KLEIMAN, Ângela. Texto & Leitor. Aspectos cognitivos da leitura. Campinas:

Pontes/UNICAMP, 1997.

ORLANDI, E. Discurso e leitura. São Paulo: Cortez, 1988.

SMITH, Frank. Compreendendo a leitura: uma análise psicolinguistica da leitura e

do parender a ler. Porto Alegre: Artes Medicaas, 1991.

ZILBERMAN, R. (Org.). Leitura em crise na escola: as alternativas do professor.

Porto Alegre: Mercado Aberto, 1982.

_______; SILVA, E. T. Leitura: perspectiva interdisciplinares. São Paulo: Àtica, 1988.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 2002.

CITELLI, Adilson. Linguagem e persuasão. São Paulo: Ática, 2000.

JOUVE, Vicent. A leitura. São Paulo: UNESP Editora, 2002.

KLEIMAN, Ângela. Texto & leitor: aspectos cognitivos da leitura. Campinas: Pontes

UNICAMP, 1997.

Page 194: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

CÃNONES E CONTEXTOS NA LITERATURA BRASILEIRA CNCC 45

EMENTA

Estuda as obras de autores cuja permanência se sustenta na reiteração de leituras e

revisões críticas ao longo do tempo, tendo em vista o conteúdo sócio-cultural.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Conceito de literatura. Reflexão sobre os procedimentos artístico-formais e fatores

sócio-culturais que constituem o cânone da literatura à luz do pensamento de Ítalo

Calvino, Ezra Pound e Terry Eagleton. Estudo crítico de obras e autores canônicos da

literatura brasileira e seus respectivos contextos sócio-culturais.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FORSTER, E. M. Aspectos do romance. Porto Alegre: Globo, 1974.

GENETE, Gerard. Discurso da narrativa. Tradução Fernando Cabral Martins.

Lisboa: Vega, [s.d.].

JAMESON, Fredric. O inconsciente político. A narrativa como ato socialmente

simbólico. Tradução Valter Lellis Siqueira. São Paulo: Ática, 1992.

MENDILOW, A. A. O tempo e o romance. Porto Alegre: Globo, 1972.

NUNES, Benedito. O tempo na narrativa. São Paulo: Ática, 1988.

PIGLIA, Ricardo. O laboratório do escritor. Tradução Josely Vianna Batista. São

Paulo: Iluminuras, 1994.

REIS, Carlos; LOPES, Ana Cristina M. Dicionário de narratologia. 2. ed. Coimbra:

Almedina, 1990.

Page 195: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ALENCAR, José M. Iracema. São Paulo: Ática, 1991.

ASSIS, Machado. Contos. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1997.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1994.

CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem e outras metas. São Paulo: Ed. Perspectiva,

1992.

TELLES, Gilberto Mendonça. A escrituração da escrita. Rio de Janeiro: Vozes,

1996.

Page 196: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICILAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDOS DA PRODUÇÃO LITERÁRIA BAIANA CNCC 60

EMENTA

Estuda obras de autores baianos, discutindo aspectos fundamentais para a

compreensão do quaro da literatura produzida na Bahia.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Estudar a poesia baiana do século XX, da poesia baiana de Pedro Kilkerry ao

movimento Poetas da Praça. O poeta de Passe, um poeta simbolista, Aleilton Fonseca

e o MPP a poesia marginal na Bahia; Carlos Anísio Melhor o poeta do conto agônico;

Antonio Brasileiro e os três movimentos da sonata; José carlos Capinan e o nova

poesia cabralino;Afonso Manta o poeta místico; Fred Souza Castro e a poesia do

recôncavo baiano; Miryan Fraga apoesia feminina da Bahia; Ruy Espinheiro Filho e a

poética da memória; Elieser César e Sarigenes Costa o poeta grego da Bahia;

Carvalho Filho; o lirismo como expressão da poesia de Ruy Espinheira.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CALMON, Pedro. História da literatura baiana. Salvador: José Olympio, 1949.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cutrix, 1983.

CAMPEDELLI, Samira Yousself. Poesia marginal dos anos 70. São Paulo: Scipione,

1995.

ESPINHEIRA FILHO, Rui. O fantasma da delegacia. São Paulo: Contexto, 1998.

VEIGA, Cláudio. Castro Alves. Guia da Catedral. São Paulo: GRD, 2006.

_______. Prosadores e poetas na bahia. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1976.

Page 197: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ALVES, Marieta. Intelectuais e escritores baianos. Breves biografias. Salvador: PMS,

1977.

BARROS, José Carlos (Org.). Bahia: poetas e poemas contemporâneos. Salvador:

[s.n.], 2003.

MAIA, Geraldo et al. Os quatro poemas de que falei. Salvador: EPQ, 2004.

MATTOSO, Glauco. O que é poesia marginal? São Paulo: Brasiliense, 1981.

MELO, José Inácio de (Org.). Concerto lírico a quinze vozes: uma coletânea de

novos poetas da Bahia. Salvador: Apoio Livre, 2004.

Page 198: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

CURRÍCULO E SOCIEDADE EI 30

EMENTA

Estuda as teorias do currículo, numa perspectiva social e histórica, com ênfase nas

discussões curriculares contemporâneas e identifica o perfil do profissional do egresso

do curso de Letras.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Teorias do currículo. O currículo tradicional: críticas e pós-críticas. Currículo, cultura,

ideologia, poder e construção de identidades. Currículo, globalização,

multiculturalismo. Currículo e formação de professor.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

OLIVEIRA, Maria Rita N.S et al. Confluências entre didática e currículo. Campinas:

Papirus, 1988.

PIMENTA, S. G.; GONÇALVES, C. I. Revendo o ensino do 2º grau: propondo a

educação de professores. São Paulo: Cortez, 1990.

SAVIANI, Dermeval. A nova lei da educação: trajetória, limites e perspectivas.

Campinas: Autores Associados, 1999.

SILVA, Eurides Brito da. A educação básica pós - LDB. São Paulo: Pioneira, 1998.

Page 199: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ALVES, Nilda (Org.). Criar currículo no cotidiano. São Paulo: Cortez, 2002.

APPLE, M. W. Política cultural e educação. São Paulo: Cortez, 2000.

COSTA, M. Vorraber (Org.). O currículo nos limitares do contemporâneo. Rio de

Janeiro: DP&A, 1998.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, UNESCO,

2000.

DOLL JÚNIOR, William E. Currículo: uma perspectiva pós-moderna. Porto Alegre:

Artmed, 1997.

MCLAREN, Peter. Multiculturalismo revolucionário: pedagogia do dissenso para o

novo milênio. Porto Alegre: Artmed, 2000.

MOREIRA, Antônio Flávio; SILVA, T. Tadeu da (Org.). Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 1994.

SANTOMÉ, J. Torres. Globalização e interdisciplinariedade: o currículo integrado.

Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

Page 200: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA IV EI 45

EMENTA

Orienta de forma continuada a construção de trabalhos técnicos e científicos,

observando os procedimentos na composição desses trabalhos. Além disso, os

seminários têm como objetivo promover a socialização dos trabalhos realizados

durante o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

As relações homem-mundo e a produção de conhecimento: a busca do

conhecimento, as formas de expressão do conhecer, a natureza das ciências.

Ciências: perspectivas e exigências. O método científico. Os avanços tecnológicos e a

responsabilidade social do pesquisador. Normas técnicas para elaboração de

trabalhos acadêmicos. Publicações científicas: Artigo de revisão e relatório. Redação

científica. Leitura e a recepção da informação. A dissertação científica - produção

textual. Formas de citação. Revisão textual. Apresentação oral de trabalhos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lília da Rocha; PAIXÃO, Lyra; FERNANDES, Lúcia Monteiro; DELUIZ,

Neise. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e

ampl. Rio de Janeiro: LTC - Livros Técnicos e Científicos, 1996. 96 p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São

Paulo: Olho D’agua, 1995. 127 p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238 p.

Page 201: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121 p.

RUIZ, João álvaro. Metodologia cientifica: guia para eficiência nos estudos. São

Paulo: Atlas, 1982. 170 p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

BARROS, Aidil Jesus da Silveira. Fundamentos de metodologia científica: guia

para iniciação científica. 2. ed. São Paulo: Makron Books, 2000.

BOAVENTURA, Edivaldo. Como ordenar as ideias. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

CERVO, Amado Luiz. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Person Prentice Hall,

2002.

GARCEZ, Lucília H. do Carmo. Técnica de redação. São Paulo: Martins Fontes,

2001.

GUIMARÃES, Elisa. A articulação do texto. 6. ed. São Paulo: Ática, 1999. (Série

Princípios).

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e

iniciação à pesquisa. 20. ed. atual. Petrópolis: Vozes, 2002.

Page 202: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICILAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

PRÁTICA PEDAGÓGICA IV FD 105

EMENTA

Discute o lúdico como processo de mediação da aprendizagem de Língua e de

Literatura e realiza atividades referentes a diversas linguagens artísticas.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Desafios à prática docente reflexiva. O elemento lúdico da cultura contemporânea.

Tipos de textos, modos de leitura. Construindo o leitor competente. Oficina de leitura:

teoria e prática. Como usar a literatura infanto-juvenil na sala de aula. O lúdico na

literatura: o caso da poesia. Os quadrinhos em aulas de língua portuguesa. Outras

linguagens.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANDRADE, Eugênia Thereza de. Corpo e fantasia no processo do conhecimento. São Paulo: FDE, 1992. p. 110-121. (Série Ideias nº 10).

ARNHEIM, Rudolf. Arte e percepção visual. São Paulo: Pioneira, 1994.

BECKER, Fernando. O que é construtivismo? São Paulo: FDE, 1994. p. 87-93. (Série

e Idéias nº 20).

BENJAMIN, Walter. Reflexões: a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo:

Summus, 1984.

FREIRE, Madalena. A paixão de conhecer o mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra,

1983.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo:

Perspectiva, 1990.

Page 203: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

KISHIMOTO, T. O jogo e a educação infantil. São Paulo: Pioneira, 1994.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1994.

WAISKOP, Gisela. O papel do jogo na educação das crianças. São Paulo: FDE,

1995. p. 46-53. (Série idéias nº 7).

WINNICOT, D. W. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AMARILHA, Marly. Estão mortas as fadas? Literatura infantil e prática pedagógica. Petrópolis: Vozes, 1997.

CHION, Michael. O roteiro de cinema. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

FARIA, Maria Alice. Como usar a literatura infantil na sala de aula. São Paulo:

Contexto, 2004.

KLEIMAN, Ângela. Oficina de leitura: teoria e prática. 6. ed. Campinas: Pontes,

1998.

MACEDO, Lino de. Ensaios pedagógicos: como construir uma escola para todos?

São Paulo: Artmed, 2005.

RAMA, Ângela. Como usar as estórias em quadrinhos em sala de aula. São

Paulo: Contexto, 2004.

RIBEIRO, João Ubaldo. Livro de histórias. São Paulo: Círculo do Livro, 1989.

Page 204: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

CONSTITUIÇÃO HISTÓRICA DO PORTUGUÊS BRASILEIRO CNCC 60 h

EMENTA

Reflete sobre o processo de constituição do português do Brasil, observando a

contribuição das línguas indígenas e africanas e dos elementos históricos e culturais

que o diferenciam do português europeu.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Constituição histórica do português brasileiro. O português lusitano do início do século

XVI. O multilinguismo generalizado do período colonial brasileiro e a gradual

ascensão da língua portuguesa à condição de língua majoritária. A herança indígena

ao português brasileiro. A herança africana ao português brasileiro. Situação

linguística do Brasil após o século XIX. A herança das línguas da chamada “imigração

recente” ao português brasileiro. Hipóteses explicativas da formação do português

brasileiro. A hipótese da crioulização prévia e sua contestação parcial. A hipótese da

formação do português geral brasileiro. A natureza da língua falada no Brasil.

Caracterização do português brasileiro em face ao lusitano. Análise da querela em

torno da nomenclatura da língua falada no Brasil.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática latina. São Paulo: Saraiva, 1987.

CÂMARA JÚNIOR, Joaquim Mattoso. História e estrutura da língua portuguesa.

Rio de Janeiro: Padrão, 1976.

________. Dicionário de linguística e gramática. 16. ed. Petropolis: Vozes, 1992.

COUTINHO, Ismael de Lima. Pontos de gramática histórica. 7. ed. Rio de Janeiro:

Ao Livro Técnico, 1982.

Page 205: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FARACO, Carlos Alberto. Linguística histórica: uma introdução ao estudo da história

das línguas. São Paulo: Ática, 1991.

MACHADO, J. P. Dicionário etmológico da língua portuguesa. Lisboa: Confluência,

1965.

NASCENTES, Antenor. Dicionário etmológico da língua portuguesa. Rio de

Janeiro: Acadêmica, 1955.

SILVA, Rosa Virginia Mattos e. O português arcaico: morfologia e sintaxe. São

Paulo: Contexto, 1993.

TARALLO, Fernando. Tempos linguísticos: itinerário histórico da língua portuguesa.

São Paulo: Ática, 1990.

TEYSSIER, Paul. História da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Martins Fontes,

1997.

WILLIAMS, Edwin. Do latim ao português. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1991.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ARAÚJO, Ruy Magalhães de. As reformas pombalinas e seus efeitos no bilinguismo. Rio de Janeiro: CIFEFiL/EDUERJ, 2001. (Cadernos do CNLF, 5 e 6).

CASTRO, Yeda Pessoa de. Falares africanos na Bahia: um vocabulário afro-

brasileiro. Rio de Janeiro: Topbooks/Academia Brasileira de Letras, 2002.

KATO, Mary. Português brasileiro: uma viagem diacrônica. São Paulo: Martins

Fontes, 1997.

MATTOS SILVA, Rosa Virgínia. Ensaios para uma sócio-história do português brasileiro. São Paulo: Parábola, 2004.

RODRIGUES, Aryon Dall’Igna. Línguas brasileiras: para o conhecimento das línguas

indígenas. São Paulo: Loyola, 1986.

SILVA NETO, Serafim da. História da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Livros de

Portugal, 1957.

TEYSSIER, Paul. História da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Martins Fontes,

1997.

Page 206: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICILAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

FORMAÇÃO HISTÓRICA DAS LÍNGUAS ROMÂNICAS

CNCC 45

EMENTA

Estuda a origem, a contribuição e expansão das línguas românicas, com ênfase na

língua portuguesa, determinando os fatores sócio-históricos e linguísticos que

contribuíram para esse processo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Unidade propedêutica. Filologia: conceito, objeto, ramos, histórico, atividades. O

método histórico-comparativo. Filologia Românica: conceito, objeto, ramos, histórico.

As línguas românicas. Geografia das línguas românicas. Principais propostas de

classificação das línguas românicas. Formação das línguas românicas. Modalidades

do latim: clássico, vulgar, cristão. Os conceitos de romance e proto-romance. A

romanização. A dissolução da unidade linguística do Império Romano. Mudanças

linguísticas na România. Vocalismo e consonantismo românicos. Formação dos

artigos românicos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BALDINGER, Kurt. Lá formación de los domínios lingüísticos em la Península Ibérica. 2. ed. Correg. y muy aum. Madrid: Gredos, 1972.

BOURGIEZ, Édouard. Élements de linguistique romane. 4. ed. Paris: C.

Klinchsieck, 1956.

CAMPROUX, Charles. Las lenguas românicas. Trad. de Damiá de Bas. Barcelona:

Oikos-tau, 1980.

CATALÁN, Diego. Las línguas circunvencinas del castellano: questiones de

dialectologia hispano-românica. Madrid: Paranifo, 1989.

Page 207: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

COLÓN, German. El espanhol e el catalán, juntos y em contraste. Barcelona: Ariel,

1989.

FARACO, Carlos Alberto. Linguística histórica: uma introdução ao estudo das

línguas. São Paulo: Ática, 1991.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BASSETTO, Bruno Fregni. Manual de filologia românica. São Paulo: EDUSP, 2001.

ELIA, Sílvio. Preparação à linguística românica. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico,

1979.

FARACO, Carlos Alberto. Linguística histórica: uma introdução ao estudo da história

das línguas. São Paulo: Ática, 1999.

ILARI, Rodolfo. Linguística românica. São Paulo: Ática, 1992.

SILVA, José Pereira da. A filologia no Brasil: antologia dos textos teóricos mais

frequentes na biblioteca do filólogo brasileiro. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2001.

VIDOS, Benedek Elemér. Manual de linguística românica. Rio de Janeiro:

EDUERJ, 1998.

WALTER, Henriette. A aventura das línguas no ocidente: a sua origem, a sua

historia, a sua geografia. São Paulo: Mandarim, 1999.

Page 208: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LÍNGUA E CULTURA LATINAS CNCC 45

EMENTA

Estuda a sócio-história e a expansão da Língua Latina, focalizando o latim literário e

sua variação oral (latim vulgar) e seus reflexos na língua portuguesa, com ênfase na

morfossintaxe nominal.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Aspectos da história externa da língua latina e da cultura romana. Língua latina.

Fonologia latina. Morfossintaxe nominal latina: o sistema de casos e declinações, o

adjetivo. Introdução à morfossintaxe verbal latina: Sun, eo, fero e seus compostos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALMEIDA, Napoleão Mendes de (1981). Gramática latina: curso único e completo.

17. ed. São Paulo: Saraiva, 1985.

BERGE, Damião; CASTRO, Ludovico M. G.; MÜLLER, Reinaldo. Ars latina. Petrópolis: Vozes, 1985. v. 4. CARDOSO, Zélia de Almeida. Iniciação ao latim. São Paulo: Ática, 1988.

COMPA, Júlio. Programa de latim: introdução à língua latina. V. 1. 18. ed. rev.e

atual. São Paulo: Salesiana, 2002. FIGUEIREDO, José Nunes de; ALMEIDA, Maria Ana. Compêndio de gramática latina. Porto: Porto Editora, 1989.

GARCIA, Janete Melasso. Língua latina: a teoria sintática na prática dos textos.

Brasilia: Editora Universidade de Brasilia, 1997.

PALMER, L. R. Introdución al latín. 2. ed. Barcelona: Ariel, 1.

FIGUEIREDO, José Nunes de; ALMEIDA, Maria Ana. Compêndio de gramática latina. Porto: Porto Editora, 1989.

Page 209: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

GARCIA, Janete Melasso. Língua latina: a teoria sintática na prática dos textos.

Brasilia: Editora Universidade de Brasilia, 1997.

PALMER, L. R. Introdución al latín. 2. ed. Barcelona: Ariel, 1988.

RAVIZZA, P. João. Gramática latina. Niterói: Escola Industrial Don Bosco, 1958.

REZENDE, Antônio Martinez. Latina essentia. Preparação ao latim. Belo Horizonte:

Editora UFMG, 1996.

RÓNAI, Paulo. Gradus secundus. São Paulo: Cultrix, 1986.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BUSSARELLO, Raulino. Dicionário básico latino-português. Florianópolis: EDUFSC,

2002.

COMBA, Júlio. Programa de latim: introdução à língua latina. V. 2. 18. ed. rev. e atual.

São Paulo: Salesiana, 2002.

CORNELL, Tom; MATTHEWS, John. Roma: legado de uma civilização. V 1 e 2. Rio de

Janeiro: Del Prado, 1996.

FARIA, Ernesto. Dicionário escolar latino-português. Rio de Janeiro: FAE, 1991.

_______. Gramática da língua latina. Brasília: FAE, 1995.

GARCIA, Janete Melasso. Introdução à teoria e prática do latim. Brasília, DF:

EDUNB,1995.

MACHADO, Luiz. Uma nova visão do latim. São Paulo: Ática, 1997.

PARKER, Geoffrey. Atlas da história do mundo. 4. ed. São Paulo: Folha da Manhã,

1995.

Page 210: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDO DA FICÇÃO BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA CNCC 45

EMENTA

Estud a seleção de autores, obras e questões relevantes para a compreensão da

ficção contemporânea brasileira.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Estudo do gênero literário nos textos contemporâneos: hibridismo e dissolução de

fronteiras. Literariedade e estranhamento no conto contemporâneo. O caráter virtual

das narrativas contemporâneas. Fragmentação de identidades no conto

contemporâneo. A voz do Cyborgue-narrador no conto “O gravador”, de Rubem

Fonseca. A estética do descontínuo e do fragmentário no conto contemporâneo.

Leitura e análise de contos contemporâneos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BLOCH, Arnaldo. Talk show. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

DICK, Philip K. Do androids dream of electric sheep? New York: Ballantine Books,

1968.

FIGUEIREDO, Rubens. As palavras secretas. São Paulo: Companhia das Letras,

1999.

LEÃO, Lúcia Ensaios a dois. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2002.

LISBOA, Adriana. Sinfonia em branco. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

MALLMANN, Max. Síndrome de Quimera Série e Idéias nº 20. Rio de Janeiro:

Rocco, 2000.

MOUTINHO, Marcelo. Memória dos barcos. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

Page 211: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MORICONI, Ítalo. A provocação pós-moderna-razão histórica e política da teoria hoje. Rio de Janeiro: Diadorim, 1994.

_______ (Org.). Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio de Janeiro:

Obejtiva, 2000.

OLIVEIRA, Nelson de (Org.). Geração 90: manuscristos de computador. São Paulo:

Boitempo, 2001.

SANTIAGO, Silviano. Em liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

_______. Nas malhas de letra. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução feita a partir do francês por

Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BOSI, Alfredo (Org.). O conto contemporâneo brasileiro. São Paulo: Cultrix, 1989.

COHEN, Renato. Performance como linguagem: criação de um tempo-espaço de

experimentação. São Paulo: Perspectiva / EDUSP, 1989.

DELEUZE, Gilles. Bergsonismo. Trad. Luiz B. L. Orlandi. São Paulo: Editora 34,

2004.

FONSECA, Rubem. Contos reunidos. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

Mariconi, Ítalo (Org.). Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio de

Janeiro: Objetiva, 2001.

OSEKI-DÉPRÉ, Inês. A propósito da literariedade. São Paulo: Ed. Perspectiva,

1990. (Coleção Elos).

SCHOPENHAUER, Arthur. O mundo como vontade e representação. Trad. M. F.

Sá Correia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2001.

THOMPSON, John B. A. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Trad.

Wagner de Oliveira Brandão. Petrópolis: Vozes, 1998.

Page 212: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRIUILAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

CÃNONES E CONTEXTOS NA LITERATURA PORTUGUESA CNCC 60

EMENTA

Estuda as obras e autores portugueses cuja permanência se sustenta na reiteração de

leituras e revisões críticas ao longo do tempo, tendo em vista o contexto sócio-cultural.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Escritores prosadores e poetas, com suas respectivas obras canônicas que melhor

representam o estilo literário no qual está situado. O classicismo português, a origem da

escola romântica no continente europeu, as três fases da escola romântica portuguesa,

prosa realista, modernismo e tendências contemporâneas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANTÔNIO, Sérgio. Breve interpretação da história de Portugal. 8. ed. Lisboa: Sá da

Costa, 1978.

CASTRO, Eugênio de. Sonetos escolhidos. Lisboa: Clássica, 1966.

LUCAS, Fábio. Fontes literárias portuguesas. Campinas, SP: Pontes/Secretária de

Estado da Cultura, 1991.

MASSUD, Moíses. A criação literária: prosa. São Paulo: Melhoramentos, 1979.

MENDONÇA, Fernando. A literatura portuguesa no século XX. São Paulo: HUCITEC;

Assis, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras, 1973.

MOISÉS, Massaud. A literatura portuguesa. São Paulo: Cultrix, 1990.

PASSOS, Antônio Augusto Soares de. Poesias. Porto: Chardron, 1925.

PESSOA, Fernando. Ficções do interlúdio. 5. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

v. 1 a 4.

Page 213: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

QUENTAL, Antero Tarquínio de. Sonetos. Lisboa: Couto Martins, 1943.

SARAIVA, Antônio José. História da literatura portuguesa. 11. ed. Povoas de Varzim:

Europa-América, 1972.

VERDE, José Joaquim Cesário. Obras completas. Lisboa: Portugália, 1964.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FRANCASTEL, Pierre. O impressionismo. Trad. Maria do Sameiro Mendonça e Rosa

Carreira. São Paulo: Martins Fontes, 1974.

GARRET, Almeida. Viagens na minha terra. Lisboa: Portugália, 1963.

MOISES, Massaud. A literatura portuguesa através de textos. São Paulo: Cultrix,

1968.

NOBRE, Antônio. Só. Porto: T. Martins, 1955.

Page 214: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA V EI 45

EMENTA

Orienta de forma continuada a construção de trabalhos técnicos e científicos,

observando os procedimentos na composição desses trabalhos. Além disso, os

seminários têm como objetivo promover a socialização dos trabalhos realizados durante

o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Normas da ABNT relativas a citações diretas e indiretas, bibliografia. A metodologia da

pesquisa: conceito, ciclo, teoria. A construção do projeto de pesquisa. O trabalho de

campo: descoberta e criação.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lília da Rocha; PAIXÃO, Lyra; FERNANDES, Lúcia Monteiro; DELUIZ, Neise.

Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4ª ed. rev. e amp. Rio

de Janeiro: LTC - Livros Técnicos e Científicos, 1996. 96p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São Paulo:

Olho D’agua, 1995. 127 p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodologia

científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238 p.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121p.

RUIZ, João álvaro. Metodologia cientifica: guia para eficiência nos estudos. São

Paulo: Atlas, 1982. 170 p.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez, 1996. 272 p.

Page 215: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CARNEIRO, Agostinho Dias. Redação e construção: a escritura do texto. 2. ed. São

Paulo: Moderna, 2001.

FARACO, Carlos Alberto; TEZZA, Cristovão. Prática de textos para estudantes universitários. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MACHADO, Anna Rachel. Resumo. 5. ed. São Paulo: Parábola, 2004.

PRESTES, Maria Luci de Mesquita. A pesquisa e a construção do conhecimento científico: do planejamento aos textos, da escola à academia. 2. ed. Catanduva:

Rêspel, 2003.

Page 216: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I FD 100

EMENTA

Discute os objetivos e metodologias do ensino de língua portuguesa e literatura no

ensino fundamental , de 5ª à 8ª séries e ensino médio. Além disso, desenvolve

observações e análises das práticas pedagógicas escolares e de outros aspectos

educativos, visando à elaboração de projetos de ensino e extensão.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Fundamentos da Educação. Concepção de educação. A educação no Brasil -

tendências pedagógicas. O discente de Letras e a prática pedagógica. Estágio - a hora

da prática. Competências e habilidades do professor. Linguagem e ensino da língua. As

habilidades para o ensino da língua. Planejamento e seus componentes. Projeto

pedagógico. Parte prática: observação direcionada a programas de ensino de espaços

educativos variados (instituições ou projetos comunitários). Orientação: escolha das

temáticas, bem como acompanhamento da produção dos projetos. Seminário para

exposição/apreciação dos projetos pelo grupo. Execução dos projetos nos espaços

educativos. Seminário para apresentação dos resultados do trabalho (relato de

experiências).

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes et al. A prática de ensino e o estágio supervisionado. Campinas: Papirus, 1991.

GANDIN, João Wanderley. O texto na sala de aula: leitura e produção. 2ª ed.

Cascavel: Assoeste, 1984.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação mediadora: uma prática em construção pré-escola à

universidade. Porto Alegre: Educação e Realidade, 1993.

Page 217: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação de aprendizagem escolar. 2. ed. São Paulo:

Cortez, 1995.

MALARD, Letícia. Ensino e literatura no 2ª grau: problemas perspectivas. Porto

Alegre: Mercado Aberto, 1985.

MENEGOLLA, Maximiliano. Por que planejar? Currículo área - aula. 4. ed. Petrópolis:

Vozes, 1996.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

GERALDI, João Wanderley (Org.). O texto na sala de aula: leitura e produção. 3. ed.

São Paulo: Editora Ática, 2001.

DELORS, Jaccques. Educação: um tesouro a descobrir. 4. ed. São Paulo: Cortez,

2000.

ILARI, Rodolfo. A linguística e o ensino da língua portuguesa. 4. ed. Editora Martins

Fontes, 1997.

LIMA, Maria Socorro Lucena. A hora da prática: reflexões sobre o estágio

supervisionado e a ação docente. 4. ed. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2004.

PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro. et al. Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Page 218: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

CONSTITUIÇÃO DAS LÍNGUAS ROMÂNICAS CNCC 45

EMENTA

Estuda as transformações que o latim sofreu em sua evolução para as línguas

românicas, considerando os aspectos fonético-fonológicos, morfossintáticos e lexicais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

A formação de espaços românicos na Península Ibérica. A Ibéria pré-romana. A

Romantização da Península Ibérica e os traços do latim vulgar ibérico. O domínio

germânico na Península Ibérica e sua herança para as línguas hispânicas. O domínio

árabe na Península Ibérica, a reconquista cristã e sua herança para as línguas

hispânicas. Da diferenciação da unidade galego-portuguesa às mudanças do português

arcaico. O galego-português, sua diferenciação e a posterior história do galego.

Principais propostas de periodização histórica da língua portuguesa. O português

arcaico: fontes, estrutura e mudanças em direção ao português moderno. Formação do

espanhol e do catalão. Formação do espanhol e sua expansão para fora da Europa.

Formação do catalão. Formação de espaços de lusofonia fora da Europa. Mudanças

lingüísticas do português lusitano posteriores à segunda metade do século XVI.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BALDINGER, Kurt. La formación de los domínios linguísticos en la Península Ibérica. 2. ed. correg. y muy aum. Madrid: Gredos, 1972.

BOURCIEZ, Edouard. Eléments de linguistique romane. 4. ed. Paris: C. Klinckieck,

1956.

CAMPROUX, Charles. Las lenguas románicas. Barcelona: Oikos-Tau, 1980.

CATALÁN, Diego. Las lenguas circunvecinas del castellano? Cuestiones de

dialectologia hispano-romanica. Madrid: Paraninfo, 1989.

Page 219: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

COLON, German. El español e el cautelan, juntos y en contraste. Barcelona: Ariel,

1989.

FARACO, Carlos Alberto. Linguística histórica: uma introdução ao estudo da história

das línguas. São Paulo: Ática, 1991.

FERNANDEZ REI, Francisco. Posición do galego entre as línguas románicas. Verba: Santiago de Compostela, 1988. p. 79-107.

LAUSBERG, Heinrich. Linguística românica. Trad. de Marion Ehrhardt e Maria Luisa

Schemman. 2. ed. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1981.

LÜDTKE, Helmut. História del léxico románico. Madrid: Gredos, 1974.

VIDOS, B. E. Manual de linguística românica. Trad. Francisco de B. Moll. Madrid:

Aguilar, 1967.

WARTBURG, Walter von. La fragmentacion linguística de la romania. 2. ed. aum.

Madrid: Gredos, 1991.

WILLIAMS, Edwin B. Do latim ao português, fonologia e morfologia histórica da língua portuguesa. Rio de Janeiro: MEC/INL, 1961.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BASSETO, Bruno Fregni. Manual de filologia românica. São Paulo: EDUSP, 2001.

ELIA, Sílvio. Preparação à linguística românica. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico,

1979.

ILARI, Rodolfo. Linguística românica. São Paulo: Ática, 1992.

EYSSIER, Paul. História da língua portuguesa. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

VASCO DA GAMA, Nilton. A formação da língua espanhola: uma visão

sociolinguística. Salvador: UFBA, 1979.

WALTER, Henriette. A aventura das línguas no ocidente: a sua origem, a sua

história, a sua geografia. São Paulo: Mandarim, 1999.

Page 220: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LÍNGUA, LITERATURA E CULTURA LATINAS CNCC 45

EMENTA

Estuda a língua e literatura latina, focalizando o latim literário e sua variação oral (latim

vulgar) e seus reflexos na língua portuguesa, com ênfase na morfossintaxe verbal.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Panorama da literatura latina antiga: gêneros, autores, obras, legado.

Morfossintaxe verbal latina.

Padrão regular: sistemas do infectum, perfectum e supino, conjugações ativa e passiva,

impessoalidade verbal e (semi) depoentividade.

Padrão irregular: radicais supletivos, abundância, defectividade.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALMEIDA, Napoleão Mendes de (1981). Gramática latina: curso único e completo. 17.

ed. São Paulo: Saraiva, 1985.

BERGE, Damião.et al. Ars latina. Petrópolis: Vozes, 1988.

CARDOSO, Zélia de Almeida. Iniciação ao latim. São Paulo: Ática, 1988.

COMPA, Júlio. Gramática latina. São Paulo: Salesiana D. Bosco, 1981.

FIGUEIREDO, José Nunes de; ALMENDRA, Maria Ana. Compêndio de gramática latina. Porto: Porto Editora, 1989.

GARCIA, Janete Melasso. Língua latina. A teoria sintática na prática dos textos.

Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1997.

_______. Introdução à teoria e prática do latim. Brasília: Editora UnB, 1995.

PALMER, L. R. Introducción al latín. 2. ed. Barcelona: Ariel, 1988.

RAVIZZA, P. João. Gramática latina. Niterói: Escola Industrial Don Bosco, 1958.

Page 221: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BUSSARELLO, Raulino. Dicionário básico latino-português. Florianópolis: EDUFSC,

2002.

COMBA, Júlio. Programa de latim: introdução à língua latina. 18. ed. ver. e atual. São

Paulo: Salesiano, 2002.

GARCIA, Janete Melasso. Introdução à teoria e prática do latim. Brasília: EDUNB,

1993.

MACHADO, Luiz. Uma nova visão do latim. São Paulo: Ática, 1997.

SILVA, José Pereira; SILVA, Amós Coelho da (Org.). Introdução à literatura latina: história da literatura latina. Rio de Janeiro: Botelho, 2006.

Page 222: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LITERATURA: CRÍTICA, HISTÓRIA, CULTURA E SOCIEDADE CNCC 60

EMENTA

Estuda os conceitos de crítica e história relacionados ao conhecimento da teoria, tendo

em vista também a história dos fatos e valores sócio-econômicos, políticos e culturais

numa perspectiva contemporânea que compreenda a literatura como fenômeno de

cultura e como prática social, relacionada aos diversos campos do saber e da arte,

numa abordagem intertextual e interdisciplinar.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Conceito de crítica. Histórico da crítica literária. Problemas internos da crítica literária.

Críticos literários: Antônio Cândido e Afrânio Coutinho. Posicionamentos dos críticos.

Críticos contemporâneos: Wilson Martins, Alcides Maya. Literatura e vida social.

Literatura e cultura.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANDRADE, Mário de. Aspectos de literatura brasileira. 5. ed. São Paulo: Martins,

1971.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1970.

CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1985.

CÂNDIDO, Antônio. Formação da literatura brasileira. São Paulo: Nacional, 1959.

CAVALCANTI, Lauro (Org). Modernistas na repartição. Rio de Janeiro: Tempo

Brasileiro/UFRJ, 1993.

COUTINHO, Afrânio. Caminhos do pensamento crítico. Rio de Janeiro: Pallas/INL,

1980.

Page 223: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FRANCO, Afonso Arinos de Mello. Conceito de civilização brasileira. São Paulo:

Nacional, 1936.

MERQUIOR, José Guilherme. De Anchieta à Euclides. Rio de Janeiro: José Olympio,

1974.

MOTA, Carlos Guilherme. Ideologia de cultura brasileira. São Paulo: Ática, 1980.

MICELI, Sérgio. Intelectuais e classe dirigente no Brasil. São Paulo: Difel, 1979.

PIZARRO, Ana. Palavra, literatura, cultura. Campinas: UNICAMP, 1994. 3. v.

RODRIGUES, José Honório. Teoria da história do Brasil. São Paulo: Nacional, 1949.

ROMERO, Sílvio. História de literatura brasileira. 6. ed. Rio de Janeiro: José Olympio,

1960.

SUSSEKIND, Flora. O Brasil não é longe daqui. São Paulo: Cia das Letras, 1990.

SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos. São Paulo: Perspectiva, 1978.

VENTURA, Roberto. Estilo tropical. São Paulo: Cia das Letras, 1992.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CÂNDIDO, Antônio. Literatura e sociedade. Rio de Janeiro: Editora Ouro Sobre Azul,

2006.

BARBOSA, João Alexandre. Alguma crítica. São Paulo: Editora Ateliê, 2002.

MOISÉS, Massaud. A criação literária: prosa. São Paulo: Editora. Cultrix, 2001.

SALVATORE, D’Onofrio. Teoria do texto. São Paulo: Editora Ática, 2004.

SUSSEKJND, Flora. Rodapés tratados e ensaios. A formação crítica brasileira moderna.

Rio de Janeiro: Editora UFRG, 1995.

Page 224: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LITERATURA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA CNCC 60

EMENTA

Estuda textos de literatura de língua portuguesa que abordam a questão étnico racial,

visando o resgate e a valorização do povo negro, assim como sua contribuição para a

formação da cultura brasileira.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Introdução ao estudo da cultura e da literatura afro-brasileira. África: aspectos

geográficos e históricos gerais. Os estereótipos sobre o continente negro. O negro na

sociedade pós-escravocrata brasileira: das revoltas ao movimento negro

contemporâneo. Racismo, discriminação racial e ações afirmativas no Brasil

contemporâneo. A herança cultural negra no Brasil. Os cultos afro-brasileiros e suas

representações literárias. Dança, luta e resistência: a capoeira e suas representações

literárias. O samba, seus diversos gêneros e suas representações literárias. O rap, o

funk, o hip hop e o kuduro como estilos musicais da juventude negra. A herança

africana para as artes plásticas no Brasil. A herança africana na moda e no estilo. A

herança africana na culinária e suas representações literárias. A herança africana para

o português brasileiro: da formação e difusão da língua à toponímia. Literatura,

negritude e afro-descendência: trajetória do negro na literatura brasileira, do

heterodiscurso tradicional ao auto-discurso contemporâneo.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas híbridas: estratégias para entrar y salir de la

modernidad. México: Grilalbo, 1989.

ECO, Umberto. Apocalípticos e integrados. Trad. Pérola de Carvalho. São Paulo:

Perspectiva, 1976.

Page 225: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FOCAULT, Michel. O que é um autor. Trad. Antônio F. Cascais e Edmundo Cordeiro.

Lisboa: Passagens, 1992.

JAMERSON, Fredric. As marcas do visível. Trad. Ana Lúcia Almeida Gazolla et al.

Rio de Janeiro: Graal, 1995.

LAFETÁ, João Luis et al. O nacional e o popular na cultura brasileira. São Paulo:

Brasiliense, 1983.

ROUANET, Sérgio Paulo. As razões do iluminismo. São Paulo: Companhia das

Letras, 1987.

THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos

meios de comunicação de massa. Trad. Carmen Grisci et al. Petrópolis: Vozes, 1995.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AMADO, Paloma Jorge. A comida baiana de Jorge Amado ou o livro de cozinha de Pedro Archanjo com as merendas de Dona Flor. 4. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro:

Record, 2006.

COSTA E SILVA, Alberto da. A manilha e o libambo: a África e a escravidão, de 1500

à 1700. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002.

D’ADESKY, Jacques. Pluralismo étnico e multiculturalismo: racismos e anti-

racismos no Brasil. Rio de Janeiro: Pallas, 2005.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte:

EDUFMG, 2003.

LEMOS, Maria Teresa Brittes; MORAES, Nilson Alves de. Memória e construções de identidade. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2000

LOPES, Nei. O racismo explicado aos meus filhos. Rio de Janeiro: Agir, 2007.

_______. Dicionário literário afro-brasileiro. Rio de Janeiro: Pallas, 2007.

SANTILLI, Maria Aparecida. Africanidade. São Paulo: Ática, 1985.

Page 226: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LÍNGUA ESTRANGEIRA INSTRUMENTAL I CNCC 45

EMENTA

Estuda as relações gramaticais que se estabelecem na língua estrangeira em estudo,

compreendendo a sua função na organização dos textos.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Uso do simple present tense nas formas afirmativa, interrogativa e negativa. Uso do

simple past tense nas formas afirmativa, interrogativa e negativa. Uso do present

contínuos tense nas formas afirmativa, interrogativa e negativa. Uso dos tempos

compostos com seus respectivos auxiliares. Pronomes retos, oblíquos, possessivos,

adjetivos possessivos e reflexivos. Adjetivos (comparativos e superlativos). Textos onde

constem os tempos verbais e vocabulários estudados.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CLOSE, R. A. Reference grammar of contempory english. Essex: Longman, 1972.

MURPHY, Ray Mond. Grammar In Use. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

OBISHAKIN, C.B. English for all. Artgraf: Brasília, 1994.

QUIRK, Randolph; GREENBAUM, Sidney. A university grammar of english: Essex:

Longman, 1973.

VINEY, Peter; VINEY, Karen. Grapefine. Oxford: Oxford University Press, 1990.

Page 227: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FREEMAN L. Diane; MURCIA, Marianne.The grammar book. ans ESL/EFL Teacher´s

Course. [S.l.]: Editora Heinle & Heinle, 1997.

HOLLAENDER, Arnon; SANDERS, Sidney. Key word. [S.l.]: Editora Moderna, 1996.

MUNHOZ, Rosângela. Inglês instrumental. São Paulo: Editora Texto Novo, 1996.

TORRES, Nelson. Gramática prática da língua inglesa. São Paulo: Saraiva, 1996.

Page 228: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRIUILAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESUISA VI EI 45

EMENTA

Orienta de forma continuada a construção de trabalhos técnicos e científicos,

observando os procedimentos na composição desses trabalhos. Além disso, os

seminários têm como objetivo promover a socialização dos trabalhos realizados durante

o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

A metodologia e a Universidade. A relação entre o professor e a pesquisa. A construção

da pesquisa. Construção do projeto de pesquisa. Normas da ABNT. A realização da

pesquisa. A comunicação científica. Normas da ABNT.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: LTC - Livros

Técnicos e Científicos, 1996. 96 p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São Paulo:

Olho D’agua, 1995. 127p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodologia

Científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238 p.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121 p.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. São

Paulo: Atlas, 1982. 170 p.

Page 229: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 1986 254 p.

SEVERINO, Antônio Jaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez: Autores Associados, 1996. 272 p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FACINA, Adriana. Literatura e sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

FIORIN, José Luís (Org.). Introdução à linguística: princípios de análise. São Paulo:

Contexto, 2003.

MACHADO, Anna Rachel (Coord.). Planejar textos acadêmicos. 2. ed. São Paulo:

Parábola, 2005.

PRESTES, Maria Luci de Mesquita. A pesquisa e a construção do conhecimento científico: do planejamento aos textos, da escola à academia. 2. ed. Catanduva:

Rêspel, 2003.

Page 230: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO II FD 100

EMENTA

Desenvolve estudos de casos e estudos diagnósticos com vistas à elaboração de

projetos diversos para serem aplicados em espaços educativos variados, bem como

minicursos e oficinas pedagógicas direcionados a programas de ensino, tanto para

instituições como para projetos cominitários.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Orientações pedagógicas: Planejamento de atividades, projetos pedagógicos e planos

de aula. Atividades de extensão universitária: mini-cursos e oficinas pedagógicas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes et al. A prática de ensino e o estágio supervisionado. Campinas: Papirus, 1991.

GANDIN, João Wanderley. O texto na sala de aula: leitura e produção. 2. ed.

Cascavel, PR: Assoeste, 1984.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação mediadora: uma prática em construção pré-escola à

Universidade. Porto Alegre: Educação e Realidade, 1993.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação de aprendizagem escolar. 2. ed. São Paulo: Ed.

Cortez, 1995.

MALARD, Letícia. Ensino e literatura no 2ª grau: problemas e perspectivas. Porto

Alegre: Mercado Aberto, 1985.

MENEGOLLA, Maximiliano. Por que planejar? Currículo área - aula. 4. ed. Petrópolis:

Vozes, 1996.

Page 231: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRÉ, Marli Eliza D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.

FAZENDA, Ivani Catarina. A prática de ensino e o estágio supervisionado. São

Paulo: Papirus, 1991.

GAMBOA, Silvio Sanchez (Org.); SANTOS FILHO, José Camilo dos. Pesquisa Educacional: quantidade e qualidade. São Paulo: Cortez, 1997.

Page 232: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTABELECIMENTO DOS ESTUDOS LINGUÍSTICOS CNCC 45

EMENTA

Aborda a origem dos estudos linguísticos, a sua constituição como ciência e a formação

das correntes teóricas dos gregos às correntes atuais, além de avaliar suas

contribuições para o ensino da língua e para o desenvolvimento da prática da

investigação científica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

A contribuição dos gregos para o estudo da língua. O método de estudo do

comparativismo. Críticas ao método comparativista. A teoria saussuriana. O gerativismo

ou inatismo. Críticas ao pensamento inatista. O funcionalismo.Críticas ao funcionalismo.

Os desdobramentos dos estudos linguísticos no século XX: a linguística pragmática,

análise do discurso, análise da conversação e linguística textual.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BENVENISTE, Emile. Problemas de linguística geral. São Paulo: Nacional, 1976.

CÂMARA JÚNIOR, Joaquim Mattoso. Princípios de linguística geral: como uma

introdução aos estudos superiores da língua portuguesa. 7. ed. Rio de Janeiro: Padrão,

1989.

CARVALHO, Castelar de. Para compreender Saussure: fundamentos e visão crítica.

2. ed. Rio de Janeiro: Rio, 1980.

ILARI, Rodolfo. A linguística e o ensino da língua portuguesa. São Paulo: Martins

Fontes, 1985.

LANGACKER, Ronald W. A linguagem e sua estrutura: alguns conceitos linguísticos

fundamentais. 4. ed. Trad. Gilda Maria Corrêa de Azevedo. Petrópolis: Vozes, 1980

Page 233: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

LEROY, Maurice. As grandes correntes da linguística moderna. Trad. Izidoro

Blikstein et al. São Paulo: Cultrix, 1977.

LYONS, John. As ideias de Chomsky. 14. ed. Trad. Octanny Silveira da Mota e

Leonildas Hegenberg. São Paulo: Cultrix, 1995.

_______. Língua(gem) e linguística: uma introdução. Trad. Marilda Winkler Averbug e

Clarisse Sieckenius de Souza. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística geral. 20. ed. Trad. Antônio Chelini et

al. São Paulo: Cultrix, 1995.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BORBA, Francisco da Silva. Introdução aos estudos linguísticos. 14. ed. Campinas:

Pontes, 2005.

CÂMARA JÚNIOR, Matoso. Dicionário de linguística e gramática. 18. ed. Petrópolis:

Ed. Vozes, 1997.

FONTAINE, Jacqueline. O círculo linguístico de Praga. 4. ed. São Paulo: Cultrix,

1978.

GERALDI, João Wanderley. Portos de passagem. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

KÖPKE, Carlos Burlamäqui. Ensaios de linguística geral. São Paulo: Quiron, 1975.

MARTINET, André. Elementos de linguística geral. 8. ed. Trad. Jorge Morais

Barbosa. São Paulo: Martins Fontes, 1978.

WEDWOOD, Bárbara. História concisa da linguística. Trad. Marcos Bagno. São

Paulo: Parábola Editorial, 2002.

Page 234: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

CRÍTICA TEXTUAL: EDIÇÕES E ESTUDOS CNCC 45

EMENTA

Estuda os textos numa abordagem filológica, com ênfase para as teorias e modelos de

edição pertinentes às diversas situações textuais, considerando-os como instrumentos

de analise linguística e literária.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Crítica textual: conceito, histórico, relações interdisciplinares. A crítica textual e a

preservação do patrimônio cultural. Crítica textual X crítica genética. Tipologia das

edições. A edição crítica de texto: etapas, aplicação.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ACIOLI, Vera Lúcia Costa. A escrita no Brasil colônia: um guia para leitura de

documentos manuscritos. Recife: EDUFPE/FJN/ Massangana, 1994.

AUERBACH, Erich. Introdução aos estudos literários. Trad. de José Paulo Paes. São

Paulo: Cultrix, 1972.

AZEVEDO FILHO, Leodegário A. Iniciação a crítica textual. Rio de Janeiro: Presença,

1987.

_______. Ensaios de linguística, filologia e ecdótica. Rio de Janeiro: Sociedade

Brasileira de Língua e Literatura / UERJ, 1998. 308p.

BERWANGER, Ana Regina; LEAL, João Eurípedes Franklin. Noções de Paleografia e diplomática. 2. ed. Santa Maria: UFSM, 1995. (Série Livros Didáticos).

CASTILHO, Ataliba T. de. (Org.). Para a história do português brasileiro. São Paulo:

Humanitas / FFLCH/USP, 1998. v. 1.

Page 235: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

LAUFER, Roger. Introdução à textologia: verificação, estabelecimento, edição de

textos. Trad. de Leda Tenório da Mata. São Paulo: Perspectiva, 1982. 142p.

SPINA, Segismundo. Introdução à edótica: crítica textual. 2. ed. rev e atual. São

Paulo: Arts Poética /EDUSP, 1994.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BERGEZ, Daniel. Métodos críticos para a análise literária. Trad. Olinda Maria

Rodrigues. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

CAMBRAIA, César Nardilli. Introdução à crítica textual. São Paulo: Martins Fontes,

2005.

HIGOUNET, Charles. História concisa da escrita. Trad. Marcos Marcionílio. São

Paulo: Parábola, 2003.

HOUAISS, Antônio. Elementos de bibliologia: reimpressão fac-similar. São Paulo:

HUCITEC/INL, 1983.

SILVA, José Pereira. Crítica textual. Rio de Janeiro: CIFEFIL, 2005.

Page 236: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ASPECTOS DA LITERATURA PORTUGUESA CNCC 45

EMENTA

Reflete sobre aspectos que norteiam o universo literário português, tanto em relação às

formas narrativas quanto às formas poéticas. Enfoque de questões como o

agenciamento mútuo entre o passado e presente, o tratamento crítico de arquétipos e

mitos, a busca de identidade cultural, a singularização da linguagem enquanto

produtividade dinâmica de sentidos, entre outras.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Historiografia e épica: a inserção da história na ficção: Eurico, o Presbítero de

Alexandre Herculano. A estética do amor e da morte em formas narrativas e poéticas.

Representações de Eros e Tânatos na literatura portuguesa. Ufanismo português:

vendo a paisagem pelo olhar literário. Mitos portugueses: D. Sebastião e Inês de

Castro.

ANTÔNIO, Sérgio. Breve interpretação da história de Portugal. 8. ed. Lisboa: Sá da

Costa, 1978.

CASTRO, Eugênio de. Sonetos escolhidos. Lisboa: Clássica, 1966.

FRANCASTEL, Pierre. O impressionismo. Trad. Maria do Sameiro Mendonça e Rosa

Carreira. São Paulo: Martins Fontes, 1974.

GARRET, Almeida. Viagens na minha terra. Lisboa: Portugália, 1963.

LUCAS, Fábio. Fontes literárias portuguesas. Campinas, SP: Pontes/Secretaria de

Estado da Cultura, 1991.

Page 237: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MASSAUD, Moisés. A criação literária: prosa. São Paulo: Melhoramentos, 1979.

_______. A literatura portuguesa. São Paulo: Cultrix, 1990.

_______. A literatura portuguesa através dos textos. São Paulo: Cultrix, 1968.

MENDONÇA, Fernando. A literatura portuguesa no século XX. São Paulo: HUCITEC,

Assis, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras, 1973.

QUENTAL, Antero Tarquínio de. Sonetos. Lisboa: Couto Martins, 1943.

SARAIVA, Antônio José. História da literatura portuguesa. 11. ed. Povoas de Varzim,

Europa-América, 1972.

_______, José; LOPES, Oscar. História da literatura portuguesa. Porto: Porto Editora,

1995.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BESSA-LUÍS, Agustina. A vida e a obra de Florbela Espanca. 2. ed. Lisboa: Arcádia,

1979.

BRUNEL, Pierre. Dicionário de mitos literários. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio,

1998.

CAMÕES, Luís V. de. Sonetos. São Paulo: Martin Claret, 2001.

HAUSER, Arnold. História social da arte e da literatura. São Paulo: Martins Fontes,

2000.

LAMAS, Estela P. Ribeiro. Poesia tradicional portuguesa: trovadoresca, palaciana e

camoniana. Lisboa: Instituto Piaget, 2004.

MARINHO, Maria de Fátima. O romance histórico em Portugal. Porto: Campo das

Letras, 1999.

MONGELLI, Lênia Márcia. A literatura doutrinária na Corte de Avis. São Paulo:

Martins Fontes, 2001.

NOBRE, Antônio. Só. Porto: T. Martins, 1955.

PASSOS, Antônio Augusto Soares de. Poesias. Porto: Chaardron, 1925.

PESSANHA, Camilo. Clepsydra. Campinas: UNICAMP, 1994.

PESSOA, Fernando. Ficções do interlúdio. 5. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira,

1980. v. 1 a 4.

VERDE, José Joaquim Cesário. Obras completas. Lisboa: Portugália, 1964

Page 238: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LÍNGUA ESTRANGEIRA INSTRUMENTAL II

CNCC 45

EMENTA

Estuda as estratégias de compreensão, interpretação e produção de textos, incluindo

procedimentos e estratégias de tradução.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Revisão dos tempos simples e compostos anteriormente estudados. Estudo do perfect

tense. Revisão dos regular e irregular verbs. Uso do genitive case. Estudo dos modal

verbs. Estudo das if clauses. Estudos dos pronomes relativos, bem como das relative

clauses. Textos variados com o vocabulário estudado.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CLOSE, R. A. Reference grammar of contempory english. Essex: Longman, 1972.

MURPHY, Ray Mond. Grammar in use. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

VINEY, Peter; VINEY, Karen. Grapefine. Oxford: Oxford University Press, 1990.

QUIRK, Randolph; GREENBAUM, Sidney. A university grammar of English. Londres:

Longman, 1973.

OBISHAKIN, C.B. English for all. Brasília: Artgraf, 1994.

Page 239: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FREEMAN L. Diane; MURCIA, Marianne. The grammar book. ESL/EFL Teacher´s

Course. Boston: Editora Heinle & Heinle, 1997.

HOLLAENDER, Arnon; SANDERS, Sidney. Key word. São Paulo: Editora Moderna,

1996.

MUNHOZ, Rosângela. Inglês Instrumental. São Paulo: Editora Texto Novo, 1996. v. 1,

2 e 3.

TORRES, Nelson. Gramática prática da língua inglesa. São Paulo: Editora Saraiva,

1996.

Page 240: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA VII EI 25

EMENTA

Orienta de forma continuada a construção de trabalhos técnicos e científicos,

observando os procedimentos na composição desses trabalhos. Além disso, os

seminários têm como objetivo promover a socialização dos trabalhos realizados durante

o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Diário de leitura: O diário de leitura e sua relação com outros gêneros textuais

acadêmicos. O diário de leitura como estratégia de construção da revisão de literatura

de um projeto de pesquisa e/ou monografia científica. A construção de um diário de

leitura: reações do leitor aos diversos aspectos do texto. Os diferentes registros de um

diário de leitura. Do diário de leitura à revisão de literatura. Re-leitura, revisão e

avaliação da revisão de literatura de um projeto de pesquisa e/ou monografia cientifica

pelo próprio autor.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: LTC - Livros

Técnicos e Científicos, 1996. 96p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São Paulo:

Olho D’agua, 1995. 127p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238 p.

Page 241: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121p.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficácia nos estudos. São Paulo:

Atlas, 1982. 170p.

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 1986. 254 p.

SEVERINO, Antônio Jaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez Autores Associados, 1996. 272p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

MACHADO, Anna Rachel (Coord.). Trabalhos de pesquisa: diários de leitura para a

revisão bibliográfica. São Paulo: Parábola, 2007.

PRESTES, Maria Luci de Mesquita. A pesquisa e a construção do conhecimento científico: do planejamento aos textos, da escola à academia. 2. ed. Catanduva:

Rêspel, 2003.

Page 242: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO III FD 100

EMENTA

Elabora e desenvolve projetos de docência em classe de ensino fundamental, de 5ª à 8ª

série, na área de língua portuguesa e literatura, discutindo procedimentos didáticos e

metodológicos para optimização do ensino de língua materna.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Parâmetros Curriculares Nacionais. Regimento do Estágio Supervisionado. A dimensão

ética da aula ou o que fazemos com ela. Projeto de estágio - orientação e

acompanhamento: dados de identificação; justificativa; revisão bibliográfica; objetivo geral

e específico; problema; conteúdo; procedimentos (observação: população e regência:

instrumentos); cronograma: datas, atividades e conteúdos; referências. Produção

artística literária (dramatizações, recital etc). Relatório.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANDRÉ, Marli Eliza D. A. Etnografia da prática sscolar. Campinas: Papirus, 1995

BAKHTIN, M. (Voloshinov, V.N.-1929). Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo:

Hucitec, 1992ª.

_______. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992b.

BAUDRILLARD, Jean. Televisão/revolução: o caso Romênia. In: PARENTE, A (org.).

Imagem máquina: A era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

_______. Tela total: mito-ironias da era do virtual e da imagem. Porto Alegre: Sulina,

1999

Page 243: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BELLONI, Maria Luíza. Educação a Distância. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

_______. O que é midia-educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2001.

COGO, Maria Denise. Televisão, escola e juventude. Porto Alegre: Mediação, 2001.

GAMBOA, Silvio Sanchez (Org.) FILHO JOSÉ, Camilo dos Santos. Pesquisa Educacional: quantidade – qualidade. São Paulo: Cortez, 1997

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.

LEITE, Mirian Moreira & BIANCO, Bela-Feldman. Desafios da imagem: fotografia,

iconografia e vídeo nas ciências sociais. Campinas, São Paulo: Papirus, 1997.

MARCUSE, Herbert. A sociedade industrial: o homem unidimensional. Rio de Janeiro:

Zahar Editores, 6. ed. 1982.

MARQUES, Mário Osório. A escola no computador: linguagens rearticuladas,

educação outra. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 1999.

NISKIER, Arnaldo. Educação à distância: a tecnologia da esperança. São Paulo:

Edições Loyola, 1999.

RAMAL, Andréa Cecìlia. Educação na cibercultura: hipertextualidade, leitura, escrita e

aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2002.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

NISKIER, Arnaldo. Educação à distância: a tecnologia da esperança. São Paulo:

Edições Loyola, 1999.

RAMAL, Andréa Cecìlia. Educação na cibercultura: hipertextualidade, leitura, escrita e

aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SILVA, Ezequiel Theodor da (Coord.). A leitura nos oceanos da Internet. São Paulo:

Cortez, 2003.

SAMAIN, Etiene. Questões heurísticas em torno do uso das imagens nas ciências

sociais. In: BIANCO, Bela-Feldman & LEITE, Mirian Moreira. Desafios da imagem: fotografia, iconografia e vídeo nas ciências sociais. Campinas, São Paulo: Papirus, 1997.

Page 244: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTÁGIO CURRICULAR SPERVISIONADO IV FD 100

EMENTA

Elabora e desenvolve projetos de docência em classes de ensino médio na área de

Língua Portuguesa e Literaturas, discutindo procedimentos didáticos e metodológicos

para otimização do ensino da língua materna.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Necessidade de desaprendizagem do professor. Planejamento de ensino. Parâmetros

Curriculares Nacionais. Regimento do Estágio Supervisionado. Projeto de Estágio -

orientação e acompanhamento: dados de identificação; justificativa; revisão bibliográfica;

objetivo geral e específico; problema; conteúdo; procedimentos (observação: população e

regência: instrumentos); cronograma: datas, atividades e conteúdos; referências. Plano

de aula. Produção artística literária (dramatizações, recital etc). Relatório.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes et al. A prática de ensino e o estágio supervisionado. Campinas: Papirus, 1991.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula: leitura e produção. 2. ed.

Cascavel, PR: Assoeste, 1984.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação mediadora: uma prática em construção pré-escola à

Universidade. Porto Alegre: Educação e Realidade, 1993.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação de aprendizagem escolar. 2. ed. São Paulo: Ed.

Cortez, 1995.

Page 245: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MALARD, Letícia. Ensino e literatura no 2ª grau: problemas e perspectivas. Porto

Alegre: Mercado Aberto, 1985.

MENEGOLLA, Maximiliano. Por que planejar? Currículo área - áula. 4. ed. Petrópolis:

Vozes, 1996.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRÉ, Marli Eliza D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.

GAMBOA, Silvio Sanchez (Org.); SANTOS FILHO, José Camilo dos. Pesquisa educacional: quantidade - qualidade. São Paulo: Cortez, 1997.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula: leitura e produção. 2. ed.

Cascavel: Assoeste, 1984.

HERNANDEZ, F. Como aprendem os docentes? Kikiriki. Cooperación Educativa, nº

42-46, p. 120-127, 1997.

Page 246: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

TCC - TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CNCC 45

EMENTA

Desenvolve estudos e temas discutidos e trabalhados ao longo do curso, vinculado à

formação acadêmica e culminando na elaboração e apresentação de uma monografia.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Organização estrutural do TCC do curso de Letras. Revisão das normas de formatação

dos trabalhos científicos. O processo de orientação de cada monografia.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha, PAIXAO, Fernandes e Deluiz. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: LTC - Livros

Técnicos e Científicos, 1996. 96p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São Paulo:

Olho D`água, 1995.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238p.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121p.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. São

Paulo: Atlas, 1982. 170 p.

Page 247: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÀSICA

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 1986. 254p.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez Autores Associados, 1996. 272p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ABDALA JÚNIOR, Bejamin. Introdução à análise narrativa. São Paulo: Scipione,

2005.

FIORIN, José Luis. Introdução a linguística: princípios de análise. São Paulo:

Contexto, 2003.

MACHADO, Anna Rachel (Coord.). Planejar textos acadêmicos. 2. ed. São Paulo:

Parábola, 2005.

MOISÉS, Massaud. Análise da narrativa. São Paulo: Cultrix, 1991.

PRESTES, Maria Luci de Mesquita. A pesquisa e a construção do conhecimento científico: do planejamento aos textos, da escola à academia. 2. ed. Catanduva:

Rêspel, 2003.

Page 248: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

O currículo redimensionado implantado em 2004 foi submetido a um processo de

avaliação coordenado pela Pró-Reitoria de Ensino e Graduação - PROGRAD, que

ante as dificuldades evidenciadas na sua operacionalização, achou pertinente

proceder alterações/ajustes com a finalidade de sanar essas dificuldades.

Assim, serão apresentados a seguir o fluxograma e o currículo pleno destacando os

ajustes procedidos e logo após, o ementário somente dos componentes ajustados.

Este processo elevou a carga horária total do curso para 3.320 horas, com a

aprovação do CONSEPE através da Resolução n° 928/2008, anteriormente

apresentada (item 3.2).

Page 249: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 250: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.4.5.2.2. Currículo Pleno Redimensionado com Ajustes

TEMPO MÍNIMO: 08 semestres TEMPO MÁXIMO: 14 semestres

CARGA HORÁRIA: 3.320h

COMPONENTE CURRICULAR SEM. EIXO CARGA HORÁRIA

1º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E SIGNIFICAÇÃO

Estudos Filosóficos 1° CNCC 45

Significação e Contexto 1° CNCC 60

Prática Pedagógica I 1° FD 90

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa I 1° EI 45

Estudos Teóricos do Texto Literário 1° CNCC 60

Leitura e Produção de Texto 1° EI 60

Estabelecimentos dos Estudos Linguísticos 1° CNCC 60

Carga horária total do semestre 420

2º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E IDEOLOGIA

Prática Pedagógica II 2° FD 105

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa II 2° EI 45

Morfologia e a Construção do Significado 2° CNCC 60

Tradição e Ruptura em Literaturas de Língua Portuguesa 2° CNCC 60

Page 251: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR SEM. EIXO CARGA HORÁRIA

Estudos Sócio-Antropológicos 2° EI 45

Estudo da Produção Literária no Brasil 2° CNCC 60

Componente Adicional 2° CNCC 45

Carga horária total do semestre 420

3º SEMESTRE - TEMA: MÚLTIPLAS LINGUAGENS

Estudos Epistemológicos da Aprendizagem 3° EI 60

Prática Pedagógica lII 3° FD 105

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa III 3° EI 45

Construção do Sentido no Texto Literário 3° CNCC 60

Relações Sintáticas na Língua 3° CNCC 60

O Estético e o Lúdico na Literatura Infanto-Juvenil 3° CNCC 60

Literatura e Outras Artes 3° CNCC 45

Carga horária total do semestre 435

4º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E SOCIEDADE

Prática Pedagógica IV 4° FD 105

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa IV 4° EI 45

Psicologia e Educação 4° FD 30

Texto e Discurso 4° CNCC 60

Cânones e Contextos na Literatura Brasileira 4° CNCC 60

Estudos Fonéticos e Fonológicos 4° CNCC 60

Page 252: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR SEM. EIXO CARGA HORÁRIA

Diversidade Linguística 4° CNCC 45

Carga horária total do semestre 405

5º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E HISTÓRIA

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa V 5° EI 45

Estágio Curricular Supervisionado I 5° FD 105

Cânones e Contexto na Literatura Portuguesa 5° CNCC 60

Constituição das Línguas Românicas 5° CNCC 45

Literatura e Cultura-Afro-Brasileira 5° CNCC 60

Língua e Cultura Latinas 5° CNCC 60

Estudo da Ficção Brasileira Contemporânea 5° CNCC 60

Carga horária total do semestre 435

6º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E CULTURA

Formação Histórica das Línguas Românicas 6° CNCC 45

Estágio Curricular Supervisionado II 6° FD 105

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa VI 6° EI 45

Literatura: Crítica, História, Cultura e Sociedade 6° CNCC 60

Língua Estrangeira Instrumental I 6° CNCC 45

Aspectos da Literatura Portuguesa 6° CNCC 45

Page 253: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR SEM. EIXO CARGA HORÁRIA

6º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E CULTURA

Língua e Literatura Latinas 6° CNCC 60

Componente Adicional 6° CNCC 30

Carga horária total do semestre 435

7º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E CIÊNCIA

Estágio Curricular Supervisionado III 7° FD 105

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa VII 7° EI 30

Crítica Textual: Edições e Estudos 7° CNCC 45

Língua Estrangeira Instrumental II 7° CNCC 45

Constituição Histórica do Português Brasileiro 7° CNCC 60

Estudo da Produção Literária Baiana 7° CNCC 60

Carga horária total do semestre 345

8º SEMESTRE - TEMA: LINGUAGEM E ENSINO

Componente Adicional 8° CNCC 30

Componente Adicional 8° CNCC 45

Estagio Curricular Supervisionado IV 8° FD 105

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC 8° CNCC 45

Carga horária total do semestre 225

Além dos conteúdos propostos para os componentes acima apresentados, foram acrescidas 200 horas de Atividades Acadêmico Científico Culturais - AACC, a serem realizadas livremente pelos alunos, de acordo com os procedimentos reguladores da UNEB.

Page 254: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.4.5.2.3. Ementário do Currículo Redimensionado com Ajustes

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDOS FILOSÓFICOS CNCC 45

EMENTA

Reflete sobre o desenvolvimento das correntes filosóficas no ocidente, enfatizando a

influência da filosofia clássica na constituição do pensamento contemporâneo e sua

importância para a compreensão da natureza e da sociedade humana, bem como para

o desenvolvimento de princípios libertários e éticos na prática pedagógica e no

cotidiano.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O saber comum e o saber filosófico (polimatia e epistéme). O pensamento dos

clássicos: Aristóteles, Platão e Sócrates. As ciências da educação e a Idade Média.

Francis Bacon e a ciência experimental. Copérnico e a teoria heliocêntrica. O

pensamento de Descartes e a divisão do todo em partes. Os empiristas ingleses. O

Iluminismo e a Educação como ciência.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena. Filosofando: uma

introdução à Filosofia. São Paulo: Moderna, 1996.

BERMAN, Marsaall. Tudo que é sólido se desmancha no ar. São Paulo: Cia. das

Letras, 1986.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 1995.

DELLUSE, Gilles. Nietzsche e a filosofia. Rio de Janeiro: [s.n.], 1996.

Page 255: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

HABERMAS, Jurgen. O discurso filosófico da modernidade. Lisboa: D. Quixote,

1990.

MOUTINHO, Luiz. Sartre: existencialismo e liberdade. São Paulo: Moderna, 1995.

NIETZSCHE, Friederic. Para a genealogia da moral. São Paulo: Abril, 1983.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

GUIDENS, Antony. As consequências da modernidade. São Paulo: UESP, 1991.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

SANTOS, Boaventura de Souza. Um discurso sobre as ciências. Porto:

Afrontamentos, 2002.

Page 256: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA I EI 45

EMENTA

Introduz à Metodologia da Pesquisa. Leitura e análise crítica de textos científicos.

Estrutura e apresentação de trabalhos científicos e acadêmicos (esquema, fichamento,

resumo etc.). Normas para elaboração de trabalhos científicos e acadêmicos. ABNT.

Elaboração de roteiros para apresentação de seminário. Estudo interdisciplinar do tema

norteador. Linguagem e significação. Orientação, articulação e socialização dos

trabalhos realizados dutante o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Panorama da pesquisa. Metodologia da pesquisa: conceito, ciclo, teoria. Projeto de

pesquisa, memorial educativo e seminário. O trabalho de campo: descoberta e criação.

Memória educativa. Memória educativa: narrativas de formação - recortes de um eu em

crescimento e partilha.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ, Neise. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro:

LTC - Livros Técnicos e Científicos, 1996. 96 p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São

Paulo: Olho D’agua, 1995. 127 p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia científica. São

Paulo: Ed. Atlas, 1994.

Page 257: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121 p.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia cientifica: guia para eficiência nos estudos. São

Paulo: Atlas, 1982. 170 p.

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 1982. 254 p.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia de trabalho científico. São Paulo: Cortez

e Moraes, 1975.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida. Introdução à metodologia do trabalho científico. São

Paulo: Ed. Atlas, 1997.

CASTRO, Cláudia de Moura. A prática da pesquisa. São Paulo: Ed. Mc Graw-Hill do

Brasil, 1991.

FAZENDA, Ivani (Org.). Metodologia da pesquisa educacional. 4. ed. São Paulo:

Ed. Cortez, 1997.

FERNANDES, José. Técnicas de estudo e pesquisa. Goiânia: Ed. Keslps, 1999.

GILL, Antônio Carlos. Como elaborar projeto de pesquisa. São Paulo: Ed. Atlas,

1996.

PERES, José Augusto de Souza. A elaboração do projeto de pesquisa. Paraíba:

Ed. Universitária da UFPB, 1998.

Page 258: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO EI 60

EMENTA

Estuda as estratégias de leitura e produção de textos orais e escritos, considerando os

aspectos formais e estilísticos e sua relação contextual e situacional.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Conhecimento prévio da leitura. Estratégias de leitura. Qualidades do texto: correção,

clareza, coesão, coerência, expressividade, concisão, elegância. Elementos e

características da comunicação oral. Condições físicas e psicológicas da comunicação

oral. A polissemia da noção de leitura. Texto e contexto. O contexto e suas variadas

concepções. O oral e o escrito: a dupla face interação verbal. Produção de texto

descritivo, narrativo, dissertativo. Resenha. Resumo. Fichamento.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FARACO, Carlos A; TEZZA, Cristovão. Prática de texto: língua portuguesa para

nossos estudantes. Petrópolis: Vozes, 1992.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. São Paulo: Ática, 1997.

KATO, M. O aprendizado de leitura. São Paulo: Martins Fontes, 1985.

KLEIMAN, Ângela. A oficina de leitura: teoria e prática. Campinas: Pontes/UNICAMP,

1993.

________. Texto e leitor: aspectos cognitivos de leitura. São Paulo: Pontes, 1995.

SAVIOLI, Francisco P.; FIORIN, Luiz A. Pra entender o texto: leitura e redação. São

Paulo: Ática, 2001.

Page 259: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BENTES, A.C. Linguística textual. In: BENTES, A. C.; MUSSALIN. F. (Org.).

Introdução à linguística: domínios e fronteiras. V. 1. São Paulo: Cortez, 2003.

FÁVERO, L. L.; KOCH, I. Linguística textual: uma introdução. São Paulo: Cortez,

1983.

GARCIA, O. M. Comunicação em prosa moderna. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio

Vargas, 1976.

GUIMARÃES, Elisa. A articulação do texto. São Paulo: Ática, 2000.

KOCH, I. G. V. A coesão textual. São Paulo: Contexto, 1989.

PLATÃO, S.; FIORIN, J. L. Para entender o texto: leitura e redação. São Paulo:

Ática, 1990.

SILVA, M. C. F. Questões de linguagem: gramática, texto e discurso. Vitória da

Conquista: UESB, 2001.

Page 260: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTABELECIMENTO DOS ESTUDOS LINGUÍSTICOS CNCC 60

EMENTA

Estuda a linguística no seu percurso histórico - dos gregos à contemporaneidade.

Analisa as contribuições das diversas teorias linguísticas para a investigação dos usos

da língua.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

A contribuição dos gregos para o estudo da língua. O método de estudo do

comparativismo. Críticas ao método comparativista. A teoria saussuriana. Críticas à

teoria saussuriana. O gerativismo ou inatismo. Críticas ao pensamento inatista. O

funcionalismo. Críticas ao funcionalismo. Os desdobramentos dos estudos linguísticos

no século XX: a linguística pragmática. Análise do discurso, análise da conversação e

linguística textual.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BENVENISTE, Emile. Problemas de linguística geral. São Paulo: Nacional, 1976.

CÂMARA JÚNIOR., Joaquim Mattoso. Princípios de linguística geral: como uma

introdução aos estudos superiores da língua portuguesa. 7. ed. Rio de Janeiro:

Padrão, 1989.

CARVALHO, Castelar de. Para compreender Saussure: fundamentos e visão crítica.

2. ed. Rio de Janeiro: [s.n.], 1980.

ILARI, Rodolfo. A linguística e o ensino da língua portuguesa. São Paulo: Martins

Fontes, 1985.

LANGACKER, Ronald W. A linguagem e sua estrutura: alguns conceitos linguísticos

fundamentais. 4. ed. Trad. Gilda Maria Corrêa de Azevedo. Petrópolis: Vozes, 1980.

Page 261: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

LEROY, Maurice. As grandes correntes da linguística moderna. Trad. Izidoro

Blikstein et al. São Paulo: Cultrix, 1977.

LYONS, John. As ideias de Chomsky. 14. ed. Trad. Octanny Silveira da Mota e

Leonildas Hegenberg. São Paulo: Cultrix, 1995.

_______. Língua(gem) e linguística: uma introdução. Trad. Marilda Winkler Averbug e

Clarisse Sieckenius de Souza. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística geral. 20. ed. Trad. Antônio Chelini et

al. São Paulo: Cultrix, 1995.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BORBA, Francisco da Silva. Introdução aos estudos linguísticos. 14. ed. Campinas:

Pontes, 2005.

CÂMARA JÚNIOR, Joaquim Matoso. Dicionário de linguística e gramática. 18. ed.

Petrópolis: Ed. Vozes, 1997.

FONTAINE, Jacqueline. O círculo linguístico de Praga. 4. ed. São Paulo: Cultrix,

1978.

KÖPKE, Carlos Burlamäqui. Ensaios de linguística geral. São Paulo: Quiron, 1975.

LYONS, John. Língua(gem) e linguística: uma introdução. Trad. Marilda Winkler

Averbug e Clarisse Sieckenius de Souza. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

MARTINET, André. Elementos de linguística geral. 8. ed. Trad. Jorge Morais

Barbosa. São Paulo: Martins Fontes, 1978.

WEDWOOD, Bárbara. História concisa da linguística. Trad. Marcos Bagno. São

Paulo: Parábola Editorial, 2002.

Page 262: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA II EI 45

EMENTA

Fundamentos da metodologia científica. Técnicas para elaboração e trabalhos

científicos e acadêmicos. Normas para elaboração de trabalhos científicos. ABNT.

Resenha. Elaboração e apresentação de seminários (teoria e prática). Estudo

interdisciplinar do tema norteador: linguagem e ideologia. Socialização dos trabalhos

realizados durante o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Metodologia cientifica: conceito, objetivos e importância. Universidade: suas funções e a

metodologia científica. Formas de conhecimento: senso comum e o cientifico. O método

científico e suas aplicações. Leitura de textos científicos: análise textual, temática,

interpretação. Esquema-resumo. Orientação para elaboração de trabalhos acadêmicos.

Tipos de pesquisa. Trabalho científico: etapas básicas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ, Neise. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro:

LTC - Livros Técnicos e Científicos, 1996. 96p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238p.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121p.

Page 263: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 1986. 254 p.

SEVERINO, Antônio Jaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez Autores Associados, 1996. 272 p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BAUER, Martin. Pesquisa qualitativa com texto e imagem. 3. ed. Petrópolis: Vozes,

2004.

FEITOSA, V. C. Redação de textos científicos. 9. ed. Campinas: Papirus, 2003.

KIDDER, Iouse H (Org.). Métodos de pesquisa nas relações sociais. 2. ed. São

Paulo: EPU, 2004.

MACHADO, Anna Rachel; LOUSADA, Eliane Gouvêa; ABREU-TARDELLI, Lília

Santos. Resumo. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

MAGALHÃES, Gildo. Introdução à metodologia científica: caminhos da ciência e

tecnologia. São Paulo: Ática, 2005.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório,

publicações e trabalhos científicos. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MEDEIROS, João Bosco. Redação científica: a prática de fichamentos, resumos,

resenhas. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MINAYO, Maria Cecília (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 23. ed.

Petrópolis: Vozes, 2003.

Page 264: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDOS SÓCIO-ANTROPOLÓGICOS EI 45

EMENTA

Estuda e analisa a formação de grupos sociais, utilizando a fundamentação da

Sociologia e da Antropologia para estabelecer a sua influência nas diversas

manifestações da linguagem.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

As ciências humanas e as ciências naturais. O modelo das ciências naturais aplicados

às ciências humanas. Conceitos básicos de Sociologia. O Positivismo de Comte. A

análise de Durkheim. O Evolucionismo e sua aplicação na Antropologia. O

Funcionalismo. O Estruturalismo. A Fenomenologia. Max Weber e a Sociologia

compreensiva. Karl Marx, conceitos básicos. Sociologia e Antropologia da pós-

modernidade.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

DA MATTA, Roberto. Relativizando: uma introdução à antropologia social. Petrópolis:

Vozes, 1983.

_______. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema. Rio de

Janeiro: Zahar, 1979.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Zahar,

1996.

SEYFERTH, Giralda. A invenção da raça e o poder discricionário dos estereótipos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1995. (Anuário Antropológico/93).

Page 265: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BERGER, Peter et al. A construção social da realidade. Rio de Janeiro: Vozes, 1973.

BOURDIEU, Pierre. Condição de classe. In: A economia das trocas simbólicas. São

Paulo: Perspectiva, 2007.

DURKHEIM, Émile. As formas elementares da vida religiosa. São Paulo: Paulinas,

1989.

FERREIRA, Delson. Manual de Sociologia: dos clássicos à sociedade da informação.

2. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

WEBWER, Max. Ciência política: duas vocações. São Paulo: Martin Claret, 2003.

Page 266: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDO DA PRODUÇÃO LITERÁRIA NO BRASIL CNCC 60

EMENTA

Estuda a produção literária brasileira, considerando o contexto sociocultural, histórico e

estilístico dos textos selecionados para compreender a questão da identidade nacional

em suas diferentes concepções, bem como a dialética localismo X universalismo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Literatura e identidade nacional. A questão do índio. A questão regional. A carta de

Pero de Vaz. O Realismo/Naturalismo. Os pré-modernistas. A Semana de Arte

Moderna e suas manifestações. A geração de 1930.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALMEIDA, Guilherme de. Do sentimento nacionalista na poesia brasileira. São

Paulo: Garraux, 1926.

ABREU, Jorge O. de. História da literatura nacional. Rio de Janeiro: Oficina Gráfica

do Mundo Médico, 1930.

ANDRADE, Mário de. O movimento modernista. Rio de Janeiro: Casa do Estudante

do Brasil, 1942.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1978.

BROCA, Brito. A vida literária no Brasil, 1900. Rio de Janeiro: Ministério da

Educação, 1956.

CÂNDIDO, Antônio. Formação da literatura brasileira. Momentos decisivos. São

Paulo: Martins, 1959. v. 2.

COUTINHO, Afrânio (Org.). A literatura no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio,

1986. 4v

Page 267: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MERQUIOR, José Guilherme. De Anchieta à Euclides: breve história da literatura

brasileira. Rio de Janeiro: José Olimpio, 1977.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão. Tensões sociais e criação cultural na

Primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1983.

SODRÉ. Nelson Werneck. História da literatura brasileira. São Paulo: DIFEL, 1982.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ALMEIDA, José M. Gomes de. A tradição regionalista no romance brasileiro. Rio de

Janeiro: Topbookks, 1999.

CAMPEDELLI, Samira Youssef. Clássicos do romance brasileiro. São Paulo:

Scipione, 1995.

CHIAPPINI, Lígia; BRESCIANI, Maria Stella. Identidades e fronteiras. São Paulo:

Cortez, 2002.

CAVALCANTE FILHO, Domingos. O livro do seminário. São Paulo: LR Editores,

1982.

GALVÃO, Walnice Nogueira. Mitologia Rosiana. São Paulo: Ática, 1978.

HELENA, Lucia. Modernismo brasileiro e vanguarda. São Paulo: Ática, 1989.

LUCAS, Fábio. Do Barroco ao Moderno. São Paulo: Ática, 1989.

MARTINEZ, Paulo. Os nacionalismos. São Paulo: Ática, 1996.

MENDES, Lauro Belchior; OLIVEIRA, Luiz C. Vieira. A astúcia das palavras. Belo

Horizonte: UFMG, 1998.

MOISÉS, Massaud. História da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 2001. v. 3.

OLIVEIRA, Vera Lúcia. Modernismo: cosmopolitismo e nacionalismo. In: Poesia, mito e história no Modernismo brasileiro. São Paulo: UNESP/EDIFURB, 2002.

Page 268: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

PRÁTICA PEDAGÓGICA III FD 105

EMENTA

Estuda as diferentes formas de planejamento educacional, Pedagogia de projetos,

projetos pedagógicos. Discute as diferentes teorias de currículo numa perspectiva

histórica e suas interferências no ensino de Língua Portuguesa e Literatura de Língua

Portuguesa.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Organização escolar e o trabalho pedagógico. Projetos pedagógicos. Proposta

pedagógica e metodologias de ensino. Atividades, conteúdos e currículos. Seleção de

material didático e o uso da tecnologia na sala de aula. O ensino de língua portuguesa

em espaço formal. PCN de língua portuguesa. Gramática e texto. Procedimentos

metodológicos. Seleção de material didático e o uso de tecnologias em sala de aula.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AZEREDO, J. Carlos de (Org.). Lingua portuguesa em debate: conhecimento e

ensino. Petrópolis: Vozes, 2000.

BAGNO, Marcos. Preconceitos linguísticos: o que é, como se faz. São Paulo:

Loyola, 1999.

BRITO, Luiz Percival Leme. A sombra do caos: ensino de língua X tradição

gramatical. Campinas: Mercado das Letras, 1997.

CARRAVETA, Maria Luiza. Métodos e técnicas de ensino do português. Porto

Alegre: Autores Associados, 1995.

Page 269: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

DEMO, Pedro. Avaliação qualitativa: polêmicas do nosso tempo. São Paulo: Autores

Associados, 1995.

_______. Ranços e Avanços da nova LDB. São Paulo: Papirus, 1997.

GANDIN, Danilo; GANDIN, Luiz Armado. Temas para um projeto político-pedagógico. Petrópolis: Vozes, 1999.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. 3. ed. São Paulo: Ática, 1997.

_______. Linguagem e ensino: exercícios de militância e divulgação. São Paulo:

Mercado das Letras, 1996.

KLEIMAN, Ângela. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 8. ed. Campinas, SP:

Pontes, 1995.

KOCH, Ingedore G. Villaça. O texto e a construção dos sentidos. São Paulo: Editora

Contexto, 1997.

MALEARD, Leticia. Ensino e literatura no 2º grau: problemas e perspectivas. Porto

Alegre: Mercado das Letras, 1985.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa. Brasília: Ministério

de Educação e Cultura, 1997.

GERALDI, J. W. (Org.). O texto na sala de aula: leitura e produção. Cascavel:

Assoeste, 1984.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2008.

Page 270: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDICIPLINAR DE PESQUISA III EI 45

EMENTA

Discute as inter-relações entre os tipos de conhecimentos e de pesquisa científica na

estruturação da ciência. Normas NBR/ABNT. Orienta a construção de trabalhos

científicos e acadêmicos e introdução a elaboração de artigos científicos. Estudo

inderdisciplinar do tema norteador: Múltiplas linguagens. Orienta e articula a

socialização dos trabalhos realizados durante o semstre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Panorama da pesquisa: reflexão sobre a ciência. Pesquisa científica: como encaminhar

uma pesquisa? Como classificar as pesquisas? Como evitar o plágio na pesquisa;

forma básica de apresentação de textos originários de pesquisa cientifica. Artigo

científico: elaboração de um artigo científico; normas de escrita e publicação.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ, Neise. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro:

LTC - Livros Técnicos e Científicos, 1996. 96 p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São

Paulo: Olho D’agua, 1995. 127 p.

Page 271: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodollogia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238 p.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121 p.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficácia nos estudos. São

Paulo: Atlas, 1982. 170 p.

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina. 254 p.

SEVERINO, Antônio Jaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez: Autores Associados, 1996. 272 p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida. Introdução à metodologia do trabalho científico. São

Paulo: Ed. Atlas: 1997

CASTRO, Cláudia de Moura. A prática da pesquisa. São Paulo: Ed. Mc Graw-Hill do

Brasil, 1991.

FAZENDA, Ivani (Org.). Metodologia da pesquisa educacional. 4. ed. São Paulo:

Ed.Cortez, 1997

FERNANDES, José. Técnicas de estudo e pesquisa. Goiânia: Ed. Keslps, 1999.

FERRARI, Afonso Trujillo. Metodologia da ciência. Rio de Janeiro: Ed. Kennedy,

1974.

GILL, Antônio Carlos. Como elaborar projeto de pesquisa. São Paulo: Ed. Atlas,

1996.

PERES, José Augusto de Souza. A elaboração do projeto de pesquisa. João

Pessoa: Ed. Universitária - UFPB, 1998.

Page 272: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

CONSTRUÇÃO DO SENTIDO NO TEXTO LITERÁRIO CNCC 60

EMENTA

Estuda as várias possibilidades de leitura que o texto literário, oferecendo e

oportunizando ao aluno, a partir da sua sensibilidade e das suas experiências pessoais,

o efeito de fluição estética que as diversas linguagens são capazes de produzir.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O mito e suas relações literárias. Literatura: aspectos e conceitos. Distinção entre o

texto literário e o texto não-literário. Natureza e função da literatura. A literatura

comparada. A poética clássica de Aristóteles: mimese e verossimilhança. Gêneros

textuais: teoria do conto e do romance. Dialogismo bakhtiniano e construção de sentido

no romance “Vidas Secas” de Graciliano Ramos. Linguagem e poesia no romance

“Vidas Secas”. A poesia. Concepções: poesia, poético, poema, prosa poética. Análise

de obras literárias: conto, romance e poemas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BERISTÁIN, H. Dicionário de retórica y poética. México: Porrúa, 1997.

CÂNDIDO, Antônio. A educação pela noite. São Paulo: Ática, 1987.

COSTA, Lima L. Teoria da literatura: uma introdução. São Paulo: Marins Fontes, 1983.

EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes,

[s.d.].

FIREDRICH, H. Estrutura lírica moderna. São Paulo: Duas Cidades, 1991.

JAKOBSON, R. Linguística e comunicação. São Paulo: Cultrix, 1978.

KIBÉDI VARGA, A. Teoria da literatura. Lisboa: Presença, [s.d.].

MAGALDI, S. Iniciação ao teatro. São Paulo: Ática, 1991.

TODOROV, T. Os gêneros do discurso. São Paulo: Martins Fontes, 1980.

Page 273: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ARISTÓTELES. A poética clássica. 12. ed. São Paulo: Cultrix, 2005.

AUERBACH, Erich. Mimesis: a representação da realidade na literatura ocidental. São

Paulo: Perspectiva, 1971.

BACCEGA, Maria Aparecida. Palavra e discurso. São Paulo: Ática, 1995.

CAMPBELL, Joseph. O herói de mil faces. 15. ed. São Paulo: Cultrix/Pensamento,

2000.

CÂNDIDO, Antônio et al. A personagem de ficção. 10. ed. São Paulo: Perspectiva,

2002.

MOISÉS, Massaud. A criação literária: poesia. 15. ed. São Paulo: Cultrix, 2001.

PROENÇA FILHO, Domício. A linguagem literária. 7. ed. São Paulo: Ática, 2000.

PIGLIA, Ricardo. O laboratório do escritor. Trad. Josely Vianna Batista. São Paulo:

Iluminuras, 1994.

Page 274: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR FD CARGA HORÁRIA

PRÁTICA PEDAGÓGICA IV MEDTODOLOGIA DIVERSIFICADA 105

EMENTA

Discute as tecnologias da comunicação e informação com ênfase em Educação à

Distância no ensino de língua portuguesa e literaturas. Estuda a ludicidade no processo

de mediação da aprendizagem, bem como as metodologias no ensino de língua

portuguesa e literaturas.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O espaço escolar: organização escolar e o trabalho pedagógico, proposta pedagógica e

metodologias de ensino, prática docente e responsabilidade social do educador,

atividades e conteúdos - práticas significativas e contextualizadas, seleção de material

didático e o uso da tecnologia na sala de aula. O ensino da língua portuguesa em

espaço formal: pressupostos teóricos e metodológicos. Atividades lúdicas e o ensino de

língua portuguesa e literaturas: jogos e brincadeiras e suas implicações no ensino

aprendizagens, os contadores de história, dinâmicas teatrais para o ensino de língua

portuguesa.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANDRADE, Eugênia Thereza de. Corpo e fantasia no processo do conhecimento.

São Paulo: FDE, 1992. p. 110-121. (Série Ideias nº 10).

ARNHEIM, Rudolf. Arte e percepção visual. São Paulo: Pioneira, 1994.

BECKER, Fernando. O que é construtivismo? São Paulo: FDE, 1994. p. 87-93.

(Série Ideias nº 20).

BENJAMIN, Walter. Reflexões: a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo:

Summus, 1984.

FREIRE, Madalena. A paixão de conhecer o mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra,

1983.

Page 275: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

WAISKOP, Gisela. O papel do jogo na educação das crianças. França. São Paulo:

FDE, 1995. p. 46-53. (Série idéias nº 7).

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1994.

WINNICOT, D. W. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

Page 276: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA IV EI 45

EMENTA

Estuda o método científico na educação. Orienta para construção de trabalhos

científicos e acadêmicos. Estrutura de relatórios (diversos tipos). Normas para

elaboração de trabalhos científicos (ABNT). Estudo Interdisciplinar do tema norteador:

Linguagem e Sociedade. Orienta e articula a socialização de trabalhos desenvolvidos

durante o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Ciências - perspectivas e exigências: a pesquisa em Letras; o método científico na

educação; normas técnicas para elaboração de trabalhos acadêmicos; projetos de

intervenção; relatórios; pôster. Redação científica: leitura e a recepção da informação.

A dissertação científica - produção textual. Formas de citação; revisão textual.

Apresentação oral de trabalhos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ, Neise. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro:

LTC - Livros Técnicos e Científicos, 1996. 96p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

FREIRE, Paulo. Professor sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. 6. ed. São

Paulo: Olho D’agua, 1995. 127 p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238p.

Page 277: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121 p.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. São

Paulo: Atlas, 1982. 170 p.

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 1986. 254 p.

SEVERINO, Antônio Jaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez: Autores Associados, 1996. 272 p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. 4.

ed. São Paulo: Atlas, 2000.

BARROS, Aidil Jesus da Silveira. Fundamentos de metodologia científica: guia para

iniciação científica. 2. ed. São Paulo: Makron Books, 2000.

BOAVENTURA, Edivaldo. Como ordenar as ideias. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

CERVO, Amado Luiz. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Person Prentice Hall,

2002.

GARCEZ, Lucília H. do Carmo. Técnica de redação. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

GUIMARAES, Elisa. A articulação do texto. 6. ed. São Paulo: Ática, 1999. (Série

Princípios).

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e

iniciação à pesquisa. 20. ed. atual. Petrópolis: Vozes, 2002.

MARCONI, Marina de Andrade et al. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed.

São Paulo: Atlas, 2003.

Page 278: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO FD 30

EMENTA

Aborda as contribuições das relações entre psicologia e educação para uma

fundamentação científica do estudo dos fenômenos educativos escolares: a sua

compreensão e explicação, o planejamento e a execução de ações educativas mais

enriquecedoras e eficazes e os esforços para resolver dificuldades que surgem de

mudanças intrapessoais e dos conhecimentos relativos aos processos de comunicação

interpessoal, mediante os quais se exercita, em parte, a práxis pedagógica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Comprometimento dos estudantes com estudos - motivação. O feedback nas relações

interpessoais em sala de aula. Bullying. Indisciplina. Relação família e escola.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AQUINO, Júlio Groppa. Erro e fracasso na escola: alternativa teórica prática. Rio de

Janeiro: Summus Editorial, 2000.

AQUINO, Júlio Groppa. Confrontos na sala de aula. Rio de Janeiro: Summus

Editorial, 2000.

COLL, César (Org.). Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia da

educação escolar. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. 3 v.

DAVIDOFF, L. L. Introdução à psicologia. São Paulo: McGraw - Hiil, 1980.

DAVIS, C.; OLIVEIRA, Z. Psicologia na educação. São Paulo: Cortez, 1990.

GUOLART, I. B. Psicologia da educação. Petrópolis: Vozes, 1987.

HENNEMAN, R. H. O que é psicologia. 5. ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olimpio

Editora, 1975.

Page 279: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MILHOLLAN, F.; FORRISHA, B. E. Skinner e Rogers: maneiras contrastantes de

encarar a educação. 3. ed. São Paulo: Summus, 1978.

LA TALLE, Y. et al. Piaget, Vygostsky, Walon: teorias psicogenéticas em discussão.

São Paulo: Summus, 1978.

PENTEADO, W. M. A. (Org.). Psicologia e ensino. São Paulo: Papelivros, 1985.

OLIVEIRA, Marta Kohl et al. Piaget, Vygostsky, Walon: teorias psicológicas em

discussão. 13. ed. São Paulo: Summus, 1992.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMETAR

ARIÈS, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara

Koogan, 1978.

BAREMBLIT, G. Sociedade e instituições. In: Compêndio de análise institucional e outras correntes: teoria e prática. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1994.

LA ROSA, J. Psicologia e educação: o significado do aprender. Porto Alegre:

EDIPUCRS, 2002.

SALVADOR, C. C. et al. Psicologia do ensino. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

VINHA, T. P. O educador e a moralidade infantil: uma visão construtiva. São Paulo:

Mercado das Letras, 2000.

Page 280: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

CÂNONES E CONTEXTOS NA LITERATURA BRASILEIRA CNCC 60

EMENTA

Estuda as obras e autores cuja permanência se sustenta na reiteração de leituras e

revisões críticas ao longo do tempo, tendo em vista o contexto sócio-cultural.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O cânone ocidental: critérios, juízo de valor. A defesa de um cânone em meio à

diversidade de propostas culturais. A formação do cânone e a construção de uma

literatura brasileira: uma questão de identidade. Gregório de Matos e o Barroco. O

Arcadismo: literatura e ilustração. A fenomenologia do intimismo nos romances

citadinos de José de Alencar (Lucíola). Castro Alves: o triunfo de Eros. O itinerário da

dúvida nos contos machadianos. A estética naturalista de Aluísio Azevedo e Júlio

Ribeiro. A angústia sexual na poética de Cruz e Sousa. A dimensão cósmica e a

angústia moral na poesia de Augusto dos Anjos. Os fundamentos sociais nos contos

de Lima Barreto. A poesia modernista: Carlos Drummond de Andrade, Manuel

Bandeira, Vinícius de Moraes e João Cabral de Melo Neto. O romance do Nordeste:

José Lins do Rego. A exploração da linguagem e a busca de novos níveis de realidade:

a ficção de Guimarães Rosa. Tessituras da linguagem: Clarice Lispector.

Page 281: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBILIOGRAFIA BÁSICA

FORSTER, E. M. Aspectos do romance. Porto Alegre: Globo, 1974.

GENETE, Gerard. Discurso da narrativa. Trad. Fernando Cabral Martins. Lisboa:

Vega, [s.d.].

JAMESON, Fredric. O inconsciente político. A narrativa como ato socialmente

simbólico. Trad. Valter Lellis Siqueira. São Paulo: Ática, 1992.

MENDILOW, A. A. O tempo e o romance. Porto Alegre: Globo, 1972.

NUNES, Benedito. O tempo na narrativa. São Paulo: Ática, 1988.

REIS, Carlos; LOPES, Ana Cristina M. Dicionário de narratologia. 2. ed. Coimbra:

Almedina, 1990.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMETAR

ASSIS, Machado de. Contos. São Paulo: Ática, 1997.

AZEVEDO, Aluísio. O homem. São Paulo: Martin Claret, 2003.

BARRETO, Lima. Os melhores contos. São Paulo: Martin Claret, 2002.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Maria Ermantina Galvão. São

Paulo: Martins Fontes, 2000.

BLOOM, Harold. O cânone ocidental. Rio de Janeiro: Objetiva, 1995.

COHEN, Renato. Performance como linguagem: criação de um tempo-espaço de

experimentação. São Paulo: Perspectiva/EDUSP, 1989.

COUTINHO, Afrânio; COUTINHO, Eduardo de Farias (Org.). A literatura no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1986.

OSEKI-DEPRÉ, Inês. A propósito da literariedade. São Paulo: Perspectiva, 1990.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Altas literaturas: escolha e valor na obra crítica de

escritores modernos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

PIGLIA, Ricardo. O laboratório do escritor. Trad. Josely Vianna Batista. São Paulo:

Iluminuras, 1994.

Page 282: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA V EI 45

EMENTA

Estuda as tendências contemporâneas na pesquisa. Orienta a construção de projetos

de pesquisa. Normas para elaboração de trabalhos científicos (ABNT). Estudo

interdisciplinar do tema norteador: Linguagem e História. Orienta e articula a

socialização dos trabalhos desenvolvidos durante o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Panorama da pesquisa: reflexão sobre ciência e pesquisa científica. Normas para

elaboração de trabalhos científicos. Elaboração de projeto de pesquisa e suas etapas.

Plágio. Apresentação de resultado de pesquisas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ, Neise. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro:

LTC - Livros Técnicos e Científicos, 1996. 96p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238 p.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis:

Vozes, 1978. 121 p.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia cientifica: guia para eficiência nos estudos. São

Paulo: Atlas, 1982. 170 p.

Page 283: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 1986. 254 p.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez: Autores Associados, 1996. 272 p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. 4.

ed. São Paulo: Atlas, 2000.

BARROS, Aidil Jesus da Silveira. Fundamentos de metodologia científica: guia para

iniciação científica. 2 ed. São Paulo: Makron Books, 2000.

BOAVENTURA, Edivaldo. Como ordenar as ideias. 8 ed. São Paulo: Atlas, 2001.

CERVO, Amado Luiz. Metodologia científica. 5 ed. São Paulo: Person Prentice Hall,

2002

GARCEZ, Lucília H. do Carmo. Técnica de redação. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

GUIMARÃES, Elisa. A articulação do texto. 6. ed. São Paulo: Ática, 1999. (Série

Princípios).

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e

iniciação à pesquisa. 20. ed. atual. Petrópolis: Vozes, 2002.

MARCONI, Marina de Andrade et al. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed.

São Paulo: Atlas, 2003.

Page 284: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I FD 105

EMENTA

Discute os objetivos e metodologias do ensino da língua portuguesa e literatura no

ensino fundamental de 5ª à 8ª séries e ensino médio. Além disso, desenvolve

observações e análise das práticas pedagógicas escolares e de outros aspectos

educativos, visando à elaboração de projetos de ensino e extensão.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Língua portuguesa: texto: centro do processo ensino-aprendizagem da língua materna.

Leitura, produção de texto e análise linguística com ênfase nos aspectos pragmáticos,

discursivos, gramaticais, intersemióticos e intertextuais. Gramática: instrumento utilizado

para o desenvolvimento de atividades de uso da linguagem e de desenvolvimento de

operações e reflexões, baseadas no texto/contexto. Gêneros textuais. Leitura e

produção de textos: abordagem contextualizada e voltada às reais necessidades de uso

da língua em situações diversas da vida.

Literatura: o conceito de literatura. Aspectos constitutivos do fenômeno literário. A

relação linguagem/cultura/sociedade. Os gêneros literários. A relação inter-semiótica

estabelecida pelo texto literário (palavra/imagem).

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FALCETTA, Antônio Paim et al. Cem aulas sem tédio: sugestões práticas, dinâmicas e

divertidas para o professor. Santa Cruz: Editora IPR, 2008.

FAZENDA, Ivani (org.) A prática de ensino e o estágio supervisionado. São Paulo:

Papirus, 1991.

Page 285: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

GERALDI, João Wanderley (Org.). O texto na sala de aula: leitura e produção. São

Paulo: Ática, 2001.

GUEDES. Paulo Coimbra. A formação do professor de português: que língua vamos

ensinar? São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

KLEIMAN, Ângela. Oficina de leitura e produção textual: teoria e prática. 10. ed.

Campinas, São Paulo: Pontes, 2004.

_______. Texto e leitor: aspectos cognitivos da Leitura. 9. ed. Campinas, São Paulo:

Pontes, 2004.

MORETTO, Vasco. Prova: um momento privilegiado de estudos, não um acerto de

contas. 6. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. Discurso e leitura. São Paulo: Cortez, 1996.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. São

Paulo: Cortez, 2004.

RIOLFI, Cláudia et al. Ensino da língua portuguesa. São Paulo: Thomson Learning,

2008.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

COSSON, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2006.

SANTOS, Leonor Werneck dos (UFRJ). O ensino de língua portuguesa e os PCN’s. Disponível em: http://www.filologia.org.br. Acesso em 16/09/2010.

VIEIRA, Débora. O que é ensinar língua portuguesa? Disponível em:

http://www.portugues. com.br/art7.htm. Acesso: 16/09/2010.

Page 286: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LÍNGUA E CULTURA LATINAS CNCC 60

EMENTA

Estuda a sócio-história e a expansão da língua latina, analisando sua estrutura interna e

direcionando-a para a compreensão do português, assim como a contribuição dos

romanos nos aspectos linguísticos e culturais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Aspectos da história externa da língua latina e da cultura romana. Fonologia latina e

sua representação ortográfica. Morfossintaxe nominal latina. O sistema de casos e

declinações. O adjetivo: classes; a expressão do grau. Introdução à morfossintaxe

verbal latina: sum, eo , fero e seus compostos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática latina: curso único e completo. 17. ed.

São Paulo: Saraiva, 1985.

BERGE, Damião; CASTRO, Ludovico M. G.; MÜLLER, Reinaldo. Ars latina.

Petrópolis: Vozes, 1998. 4 v.

CARDOSO, Zélia de Almeida. Iniciação ao latim. São Paulo: Ática, 1988.

COMPA, Júlio (2002). Programa de latim: introdução à língua latina. 18. ed. rev. e

atual. São Paulo: Salesiana, 2000. v. 1.

FIGUEIREDO, José Nunes de; ALMEIDA, Maria Ana. Compêndio de gramática

latina. Porto: Porto Editora, 1989.

_______. Língua latina: a teoria sintática na prática dos textos. Brasilia, DF: Editora

Universidade de Brasilia, 1997.

PALMER, L. R. Introdución al latín. 2. ed. Barcelona: Ariel, 1988.

Page 287: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

RAVIZZA, P. João. Gramática latina. Niterói: Escola Industrial Don Bosco, 1948.

REZENDE, Antônio Martinez. Latina essentia. Preparação ao latim. Belo Horizonte:

Editora UFMG, 1996.

RÓNAI, Paulo. Gradus secundus. São Paulo: Cultrix, 1986.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BUSSARELLO, Raulino. Dicionário básico latino-português. Florianópolis:

EDUFSC, 2002.

COMBA, Júlio. Programa de latim: introdução à língua latina. 18. ed. rev. e atual.

São Paulo: Salesiana, 2002. v. 2.

FARIA, Ernesto. Gramática da língua latina. Brasília, DF: FAE, 1995.

MACHADO, Luiz. Uma nova visão do latim. São Paulo: Ática, 1997.

SPALDING, Tassilo Orpheu. Pequeno dicionário de literatura latina: biográfico,

crítico e bibliográfico. Das origens ao século VIII a.C. São Paulo: Cultrix, 1968.

Page 288: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDO DA FICÇÃO BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA CNCC 60

EMENTA

Estuda a seletição de autores, obras e questões relevantes para a compreensão da

ficção contemporânea brasileira.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Os contos de Machado de Assis. Os contos de Lima Barreto. Os contos de Álvares de

Azevedo. Os contos de Rubem Fonseca. Os contos de Clarice Lispector. Os contos de

André Santana. Os contos de Sérgio Santana. Outros ficcionistas contemporâneos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANDRADE, Oswald. Manifesto antropófago. Revista do livro: número 16, 1959.

BLOCH, Arnaldo. Talk Show. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

DICK, Philip K. Do androids dream of electric sheep? New York: Ballantine Books,

1968.

FIGUEIREDO, Rubens. São Paulo: As palavras secretas. São Paulo: Companhia das

Letras, 1999.

LEÃO, Lúcia Ensaios a dois. Rio de Janeiro: 7Letras, 2002.

LISBOA, Adriana. Sinfonia em branco. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

MALLMANN, Max. Síndrome de Quimera. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

MOUTINHO, Marcelo. Memória dos barcos. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

Page 289: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MORICONI, Ítalo. A provocação pós-moderna-razão histórica e política da teoria hoje. Rio de Janeiro: Diadorim, 1994.

_______ (Org.). Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio de Janeiro:

Obejtiva, 2000.

OLIVEIRA, Nelson de (Org.). Geração 90: manuscristos de computador. São Paulo:

Boitempo, 2001.

SANTIAGO, Silviano. Em Liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

______. Nas malhas de letra. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BENJAMIN JÚNIOR, Abdala. O romance social brasileiro. São Paulo: Scipione,

1993.

CAMPEDELLI, Samira Youssef. Clássicos do romance brasileiro. São Paulo:

Scipione, 1995.

CANDIDO, Antonio. Presença da literatura brasileira. São Paulo: Difel, [s.d.].

CAVALCANTE FILHO, Domingos. O livro do seminário. São Paulo: LR Editores,

1982.

HELENA, Lucia. Modernismo brasileiro e vanguarda. São Paulo: Ática, 1989.

LUCAS, Fábio. Do Barroco ao moderno. São Paulo: Ática, 1989.

MOISÉS, Massaud. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix,

2001.

______. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 2004.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da literatura brasileira. Rio de Janeiro: Civilização,

1976.

Page 290: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO II FD 105

EMENTA

Desenvolve estudos de casos e estudos diagnósticos com vistas à elaboração de

projetos diversos para serem aplicados em espaços educativos variados, bem como

minicursos e oficinas pedagógicas direcionados a programas de ensino, tanto para

instituições como projetos comunitários.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

A importância da utilização do texto. Transpondo saberes no ensino de Língua

portuguesa: saberes didático-pedagógicos e concepções de linguagem. Parâmetros

Curriculares Nacionais. Regimento do Estágio Supervisionado. Papel da universidade

no contexto social. Planejamento em educação: revisando conceitos. Formação

docente: o desfio da qualificação cotidiana. As desaprendizagens do professor. Projeto

de Extensão: dados de identificação; justificativa; revisão bibliográfica; objetivo geral e

específico; problema; conteúdo; procedimentos (observação, população e aplicação de

oficinas e mini cursos, instrumentos de avaliação); cronograma: datas, atividades e

conteúdos; referências. Produção artística literária (dramatizações, recital etc). Relatório

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANDRÉ, Marli Eliza D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.

FAZENDA, Ivani Catarina. A prática de ensino e o estágio supervisionado. São

Paulo: Papirus, 1991.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula: leitura e produção. 2. ed. São

Paulo: Ática, 2001.

HOFFMAN, Jussara. Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré-escola

à universidade. Porto Alegre: Educação e Realidade, 1993.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. 2. Ed. São Paulo:

Cortez, 1995

Page 291: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

GAMBOA, Sílvio Sanchez; SANTOS FILHO, José Camilo dos. Pesquisa educacional: quantidade e qualidade. Cortez, 1997, São Paulo.

MENEGOLLA, Maximiliano. Por que planejar? Currículo. Petrópolis: Vozes, 1996.

Page 292: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA VI EI 45

EMENTA

Estuda as noções gerais sobre a dinâmica da pesquisa com ênfase em métodos e

técnicas nas ciências sociais. Revisão e levantamento bibliográfico da temática com

objeto de pesquisa, com vistas ao T.C.C. Normas para elaboração de trabalhos

científicos (ABNT). Estudo interdisciplinar do tema norteador: Linguagem e Cultura.

Projeto de pesquisa aplicado a língua e literaturas e/ou ao ensino de língua e literatura.

Orienta, articula e socializa os trabalhos realizados durante o semestre.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O projeto de pesquisa: conceito, elementos, estrutura. A pesquisa na área de Letras:

lingüística, literatura, língua e cultura. O tema: sua delimitação e justificativa. Os

objetivos de uma pesquisa científica e sua formulação. Aspectos metodológicos:

universo da pesquisa, coleta de dados, procedimentos de análises, cronograma de

atividades. Referencial teórico e a revisão de literatura. A elaboração de citação e

referências. Releitura e revisão.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ, Neise. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. (rev. e amp.) Rio de Janeiro:

LTC - Livros Técnicos e Científicos, 1996. 96 p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238 p.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis: Vozes,

1978. 121 p.

Page 293: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

RUIZ, João álvaro. Metodologia cientifica: guia para eficiência nos estudos. São Paulo:

Atlas, 1982. 170p.

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 1986. 254 p.

SEVERINO, Antônio Jaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez: Autores Associados, 1996. 272p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. 4

ed. São Paulo: Atlas, 2000.

BARROS, Aidil Jesus da Silveira. Fundamentos de metodologia científica: guia para

iniciação científica. 2. ed. São Paulo: Makron Books, 2000.

BOAVENTURA, Edivaldo. Como ordenar as ideias. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

CERVO, Amado Luiz. Metodologia científica. 5 ed. São Paulo: Person Prentice Hall,

2002.

GARCEZ, Lucília H. do Carmo. Técnica de redação. São Paulo: Martins Fontes,

2001.

GUIMARÃES, Elisa. A articulação do texto. 6. ed. São Paulo: Ática, 1999. (Série

Princípios).

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e

iniciação à pesquisa. 20. ed. atual. Petrópolis: Vozes, 2002.

MARCONI, Marina de Andrade et al. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed.

São Paulo: Atlas, 2003.

Page 294: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LÍNGUA E LITERATURA LATINAS CNCC 60

EMENTA

Estuda a língua e as fontes literárias do latim, focalizando a sua influência no panorama

literário português.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Introdução ao estudo da Literatura Latina. A teoria clássica dos gêneros. Periodização

da Literatura Latina. Poesia latina: principais gêneros e autores. Aspectos da herança

da poesia latina para a poesia ocidental posterior. Língua Latina. Revisão da

morfossintaxe nominal latina. Morfossintaxe verbal latina: padrão regular e padrão

irregular, impessoalidade, defectividade, (semi)depoência, abundância e anomalia

verbais, a construção passiva. Sistema de pronomes: subsistemas pessoal,

demonstrativo e relativo.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática latina: curso único e completo. 17. ed.

São Paulo: Saraiva. 1985.

BERGE, Damião; CASTRO, Ludovico M. G.; MÜLLER, Reinaldo. Ars latina. Petrópolis: Vozes, 1998.

CARDOSO, Zélia de Almeida. Iniciação ao latim. São Paulo: Ática, 1988.

COMPA, Júlio (2002). Programa de latim: Introdução à língua latina. 18. ed.

Rev./atualiz. V. 1. São Paulo: Salesiana, 2000.

Page 295: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FIGUEIREDO, José Nunes de; Almeida, Maria Ana. Compêndio de gramática latina. Porto: Porto Editora, 1989.

GARCIA, Janete Melasso. Introdução à teoria e prática do latim. Brasília:

EDUNB,1995.

_______. Língua latina: a teoria sintática na prática dos textos. Brasilia: Editora

Universidade de Brasilia, 1997.

PALMER, L.R. Introdución al latín. 2. ed. Barcelona: Ariel, 1988.

RAVIZZA, P. João. Gramática latina. Niterói: Escola Industrial Don Bosco, 1948.

REZENDE, Antônio Martinez. Latina essentia. Preparação ao latim. Belo Horizonte:

Editora UFMG, 1996.

RÓNAI, Paulo. Gradus secundus. São Paulo: Cultrix, 1986.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BUSSARELLO, Raulino. Dicionário básico latino-português. Florianópolis: EDUFSC,

2002.

COMBA, Júlio. Programa de latim: introdução à língua latina. 18. ed. ver. e atual. São

Paulo: Salesiana, 2002.

FARIA, Ernesto. Dicionário escolar latino-português. Rio de Janeiro: FAE, 1991.

_______. Gramática da língua latina. Brasília: FAE, 1995.

MACHADO, Luiz. Uma nova visão do latim. São Paulo: Ática, 1997.

SPALDING, Tassilo Orpheu. Pequeno dicionário de literatura latina: biográfico,

crítico e bibliográfico; das origens ao século VIII a.C. São Paulo: Cultrix, 1968.

SILVA, José Pereira; SILVA, Amós Coelho da (Org.). Introdução à literatura latina: história da literatura latina. Rio de Janeiro: Botelho, 2006.

Page 296: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO III FD 105

EMENTA

Elabora e desenvolve projetos de docência em classes de ensino fundamental de 5ª à

8ª na área de língua portuguesa e literaturas, discutindo procedimentos didáticos e

metodológicos para optimização do ensino de língua materna..

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O ensino de língua portuguesa na escola. O trabalho com gêneros textuais. Gramática e

literatura. Ensino de gramática e o de literatura. Concepções de linguagem e ensino de

português. Unidades básicas do ensino de português. A prática de leitura de textos; A

prática de produção de textos; A prática de análise linguística; Planejamento; Projeto.

BIBLIOGRAFICA BÁSICA

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. São Paulo: Ática, 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa.

São Paulo Paz e Terra, 2007.

ILARI, Rodolfo. A linguística e o ensino de língua portuguesa. 4. ed. Editora Martins

Fontes, 1997.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. 2. ed. São Paulo:

Mercado Aberto, 1995.

VASCONCELOS, Celso dos S. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e

projeto político pedagógico. 5. ed. São Paulo: Libertad, 1999.

Page 297: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFICA COMPLEMENTAR

ANDRÉ, Marli Eliza D. A etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.

BAKHTIN, M. Marxismo. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec,

1992.

BAKHTIN, M. Marxismo. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes,

1992.

BRASIL/MEC/SEF. Parâmetros curriculares nacionais: 5ª à 8ª séries. Língua

Portuguesa. Brasília: Ministério da Educação e Cultura - MEC, 1999.

LEAHY-DIOS, Cyana (org.). Docência da língua portuguesa: experiências

contemporâneas (ensaios sobre o ensino de língua portuguesa). Niterói: CL Edições,

2009.

FAZENDA, Ivani Catarina et al. A prática de ensino e o estágio supervisionado.

Campinas, São Paulo: Papirus, 1991.

HOFFMAN, Jussara. Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré escola

à universidade. Porto Alegre: Educação e Realidade, 1993.

MALARD, Letícia. Ensino e literarura no 2º grau: problemas e perspectivas. Porto

Alegre: Mercado Aberto, 1985.

VEIGA, Ilma P. A. (Org.). Aula: gênese, dimensões, princípios e práticas. Campinas:

Papirus, 2008,

Page 298: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA VII EI 30

EMENTA

Orienta a construção de aporte teórico que fundamenta o trabalho científico nas

diversas modalidades com vistas à elaboração do T.C.C. Orienta e articula a

socialização dos trabalhos realizados durante o semestre. Estudo interdisciplinar do

tema norteador: Linguagem e Ciência.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

A construção do diário de leitura e sua relação com outros gêneros acadêmicos. Do

diário de leitura à revisão de elementos do projeto de pesquisa. A monografia e seus

elementos constitutivos. Apresentação de resultado da pesquisa científica em forma de

monografia e seminário.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASTOS, Lilia da Rocha; PAIXÃO, Fernandes; DELUIZ. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa. 4. ed. rev. e amp. Rio de Janeiro: LTC - Livros

Técnicos e Científicos, 1996. 96p.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1983.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238p.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis: Vozes,

1978. 121p.

Page 299: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficácia nos estudos. São

Paulo: Atlas, 1982, 170p.

SALVADOR, Ângelo Domingues. Método e técnicas de pesquisa bibliográfica. 10.

ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 254 p.

SEVERINO, Antônio Jaquim. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo:

Cortez: Autores Associados, 1996. 272 p.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. 4.

ed. São Paulo: Atlas, 2000.

BARROS, Aidil Jesus da Silveira. Fundamentos de metodologia científica: guia para

iniciação científica. 2 ed. São Paulo: Makron Books, 2000.

BOAVENTURA, Edivaldo. Como ordenar as ideias. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

CERVO, Amado Luiz. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Person Prentice Hall,

2002.

GARCEZ, Lucília H. do Carmo. Técnica de redação. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

GUIMARÃES, Elisa. A articulação do texto. 6. ed. São Paulo: Ática, 1999. (Série

Princípios).

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e

iniciação à pesquisa. 20. ed. atual. Petrópolis: Vozes, 2002.

MARCONI, Marina de Andrade et al. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed.

São Paulo: Atlas, 2003.

Page 300: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO IV FD 105

EMENTA

Elabora e desenvolve projetos de docência, em classes de ensino médio na área de

Língua Portuguesa e Literaturas, discutindo procedimentos didáticos e metodológicos

para otimização do ensino da lingua materna.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Leitura e prática social no desenvolvimento de competências no ensino médio. A leitura

no ensino médio: o que dizem os documentos oficiais e o que se faz? A literatura no

ensino médio: quais os desafios do professor? Da era da composição à era dos

gêneros: o ensino de produção de texto no ensino médio. Oralidade no ensino médio:

em busca de uma prática. Análise lingüística no ensino médio: um novo olhar, um outro

objeto. Projeto. Planejamento.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes et al. A prática de ensino e o estágio supervisionado. Campinas, São Paulo: Papirus, 1991.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa.

São Paulo: Paz e Terra, 2007.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula: leitura e produção. 2. ed.

Cascavel, PR: Assoeste, 1984.

Page 301: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

HOFFMAN, Jussara. Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré-escola

à universidade. Porto Alegre: Educação e Realidade, 1993.

ILARI, Rodolfo. A linguística e o ensino da língua portuguesa. 4ª ed. [s.l.]: Editora

Martins Fontes, 1997.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRÉ, Marli Eliza D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.

BAKHTIN, M. Voloshinov. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec,

1992

_______. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Língua Portuguesa.

Brasília: Ministério da Educação e Cultura - MEC, 1999.

LEAHY-DIOS, Cyana (Org.). Docência da língua portuguesa: experiências

contemporâneas (ensaios sobre o ensino da língua portuguesa). Niterói: CL Edições,

2009. 285 p.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. 2. ed. São Paulo:

Mercado Aberto, 1995.

MALARD, Letícia. Ensino e literatura no 2º Grau: problemas e perspectivas. Porto

Alegre: Mercado Aberto, 1985.

MENEGOLLA, Maximiliano. Por que planejar? Currículo área - áula. 4. ed. Petrópolis:

Vozes, 1996.

VASCONCELOS, Celso dos S. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e

projeto político-pedagógico. 5. ed. São Paulo: Libertad, 1999.

RIOS, Terezinha Azerêdo. A dimensão ética da aula ou o que nós fazemos com eles. In

VEIGA, Ilma P. A. (Org.) Aula: gênese, dimensões, princípios e práticas. Campinas:

Papirus, 2008. p. 73-79.

Page 302: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTES ADICIONAIS OFERECIDOS NO CURSO

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ASPECTOS SÓCIO-PSICOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL (Componente Adicional)

CNCC 30

EMENTA

Discute a educação especial, nos seus aspectos sócio-psicológicos, orientando o

profissional de Letras para trabalhar com a integração e a inclusão do indivíduo que

apresenta necessidades especiais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Conhecimento da etiologia das deficiências, especificidade, necessidade e

potencialidade das pessoas portadoras de deficiências, de condutas típicas

(problemas de conduta) e altas habilidades (superdotadas), tendo em vista a ação

educacional. A educação inclusiva e a reflexão crítica de questões ético-político-

educacionais. Noção do educador e de outros agentes sociais no processo de

educação e integração desses indivíduos.

Antecedentes históricos e perspectivas atuais em educação especial. A teoria sócio-

cultural de Vygotsky. Conceitos e princípios que fundamentam a educação especial.

Taxionomia das necessidades educativas especiais. Avaliação psicopedagógica em

educação. A família do aluno com NEE e o processo educacional. Sistema

educacional e integralização escolar. Adaptação curricular. Formação do professor e

educação especial. Questões éticas, políticas e educacionais (para) e a escola

inclusiva.

Page 303: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASSEDS, Eulália. Intervenção educativa e diagnósatico psicopedagógico. Porto

Alegre: Artes Médicas, 1996.

CARVALHO, R. Edler. A nova LDB e a educação especial. Rio de Janeiro: WVA,

1998.

COLL, C. PALACIOS, J.; MARCHESI, A. Desenvolvimento e psicologia da educação: necessidades educativas especiais e aprendizagem escolar. Porto Alegre:

Artes Médicas, 1995.

MANTOAN, M. T. Egler. A integração de pessoas com deficiência. São Paulo:

Mennon, 1997.

_______. Ser ou estar, eis a questão. Explicando o déficit intelectual. Rio de Janeiro:

WVA, [s.d.].

_______. Trabalho docente e formação de professores de educação especial. São Paulo: EPU, 1993.

_______. O portador de deficiência e o direito à educação. São Paulo: Insight

Psicoterapia, 1994.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FONSECA, Vitor. Educação especial. Programa de estimulação precoce. Porto

Alegre: Artes Médicas, 1995.

MAZZOTTA, M. J. S. Educação especial no Brasil. História e políticas públicas. São

Paulo: Cortez, 1996.

WERNEWCK, C. Ninguém vai ser bonzinho na sociedade inclusiva. Rio de

Janeiro: WVA, 1977.

Page 304: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

EMENTA

COMPONENTE CURRICILAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDO DA LITERATURA AFRICANA (Componente Adicional) CNCC 30

EMENTA

Estuda o projeto estético e ideológico das literaturas africanas, enfatizando a questão da

busca da identidade e a tensão entre literatura e história.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Panorama histórico de Angola e Moçambique. A literatura em Angola e Moçambique: da

superação do colonialismo à emergência de uma literatura nacional - movimentos,

autores e obras. Literatura, história e identidade. Relação entre literatura oral e literatura

escrita na África de língua oficial portuguesa. Os valores civilizatórios das sociedades

africanas e sua expressão na literatura africana de língua portuguesa. A formação de um

cânone literário mínimo para a literatura africana de expressão em língua portuguesa.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AGOSTINHO NETO, Antônio. Náusea. Lisboa: 70, 1980.

_______. Sagrada esperança. São Paulo: Ática, 1985.

ANDRADE, M. A. Antologia temática de poesia africana. Lisboa: Sá da Costa, 1979.

ERVEDOSA, Carlos. Roteiro da literatura Angolana. Lisboa: 70, 1979.

FERREIRA, Manuel. Literaturas africanas de expressão portuguesa. Lisboa: Instituto

de Cultura Portuguesa, 1977.

HAMILTON, Russell. Literatura africana, literatura necessária. Lisboa: 70, 1981.

Page 305: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

SANTILLI, Maria Aparecida. Africanidade. São Paulo: Ática, 1985.

_______. Estórias africanas. São Paulo: Ática, 1978.

SANTOS, Arnaldo. Kinaxixe e outras prosas. São Paulo: Ática, 1981.

SECCO, Carmen Lúcia Tindó. A magia das letras africanas: ensaios escolhidos sobre

as literaturas de Angola, Moçambique e alguns outros diálogos. Rio de Janeiro: ABE/

Barroso Produções, 2003.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

COUTO, Mia. Estórias abensonhadas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996.

CRAVEIRINHA, José João. Obra completa. Maputo: Imprensa Universitária, 2000.

CRUZ, Viriato. Poemas. Luanda: Maianga, 2004.

LUANDINO VIEIRA, José. Luanda. São Paulo: Ática, 1982.

JACINTO, Antônio. Vovó Bartolomeu. Lisboa: 70, 1979.

Page 306: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICILAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LÍNGUA E CULTURA INDIGENAS (Componente Adicional) CNCC 45

EMENTA

Estuda as manifestações culturais de povos indigenas do Brasil e , ao mesmo tempo,

aspectos gramaticais e semânticos de uma de suas línguas, refletindo sobre a

importãncia de se preservarem suas línguas e culturas como forma de promover o

respeito e a consideração a esses povos.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Língua Tupi: conceito, periodização histórica, história externa. Legado da língua e da

cultura Tupi para a cultura e para o português brasileiro. Toponímia baiana de origem

Tupi. Antroponímia brasileira de origem Tupi. O Tupi na literatura brasileira. Aspectos

estruturais do Tupi-antigo. Fonologia do Tupi-antigo e sua representação gráfica.

Morfologia nominal: classes de nomes, relação genitiva, composição de palavras, classes

de adjetivos. Morfologia verbal: verbos de 1ª conjugação. Sistema de pronomes:

subsistema pessoal e demonstrativo. Sintaxe: ordenação sintagmática, a interrogação, a

expressão de existência, a coordenação de idéias.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANCHIETA, José de (SCJ). Lírica tupi. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

_______. Drama tupi. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

BRASIL. MEC. Índios no Brasil. Brasília: MEC/SEAD. Cadernos da TV Escola, 2, 1999.

BUENO, Francisco da Silveira. Vocabulário Tupi-guarani - português. 6. ed. rev. e

aum. São Paulo: Éfeta, 1998.

CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário histórico das palavras de origem Tupi. 2. ed.

São Paulo: Melhoramentos, 1998.

Page 307: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

EDELWEISS, Frederico Grampchant. Estudos tupis e tupi-guaranis. Rio de Janeiro:

Livraria Brasiliana, 1969.

FAUSTO, Carlos. Os índios antes do Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

HOUAISS, Antônio. O português do Brasil. Rio de Janeiro: Unibrade, 1985.

NAVARRO, Eduardo de Almeida. Método moderno de tupi antigo. Petrópolis: Vozes,

1998.

PEREIRA, Moacyr Soares. Índios tupi-guarani na pré-história: suas invasões do Brasil

e do Paraguai, seu destino após o descobrimento. Maceió: EDUFAL, 2001.

PORTELA, Fernando; MINDLIN, Betty. A questão do índio. São Paulo: Ática, 2004.

RAMOS, Ricardo Tupiniquim. Nomes próprios de origem tupi no Brasil do século XIX. Salvador: UFBA, 1999. Dissertação de Mestrado. Orientador: Suzana Alice

Marcelino Cardoso.

_______. Toponímia dos municípios baianos: descrição, história, mudanças. Tese de

Doutorado. 3 vol. Salvador: ILUFBA, 2008. Orientador: Suzana Alice Marcelino Cardoso.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. 2. ed. São Paulo:

Companhia das Letras, 1995.

RODRIGUES, Aryon Dall’Igna. Línguas brasileiras: para o conhecimento das línguas

indígenas. São Paulo: Loyola, 1986.

SAMPAIO, Theodoro. O Tupi na geografia nacional. 5. ed. Salvador: Secretaria de

Educação e Saúde, 1957. Edição revista por Frederico Edelweiss.

SILVA, Aracy Lopes da; FERREIRA, Mariana Kawall Leal (Org.). Antropologia, história e educação: a questão indígena na escola. 2. ed. São Paulo: Global, 2001.

Page 308: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BRASIL. Índios no Brasil. Brasília: MEC/SEAD, 1999. (Cadernos da TV Escola, 2)

BUENO, Francisco da Silveira. Vocabulário tupi-guarani - português. 6. ed. rev. e

aum. São Paulo: Éfeta, 1998

CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário histórico das palavras de origem tupi. 2. ed.

São Paulo: Melhoramentos, 1998.

EDELWEISS, Frederico Grampchant. Estudos tupis e tupi-guaranis. Rio de Janeiro:

Livraria Brasiliana, 1969.

PEREIRA, Moacyr Soares. Índios tupi-guarani na pré-história: suas invasões do Brasil

e do Paraguai, seu destino após o descobrimento. Maceió: EDUFAL, 2001.

PORTELA, Fernando; MINDLIN, Betty. A questão do índio. São Paulo: Ática, 2004.

SILVA, Aracy Lopes da; FERREIRA, Mariana Kawall Leal (Org.). Antropologia, história e educação: a questão indígena na escola. 2. ed. São Paulo: Global, 2001.

Page 309: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LITERATURA PORTUGUESA: POESIA (Componente Adicional) CNCC 45

EMENTA

Estuda a produção literária, considerando o contexto sociocultural, histórico e estilístico

dos textos selecionados, para compreender a questão da identidade nacional em suas

diferentes concepções, bem como a dialética cosmopolitismo X localismo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O regionalismo romântico. A Carta de Pero Vaz de Caminha. A poesia brasileira de

Gregório a João Cabra. Os manifestos modernistas. O romance de trinta.João

Guimarães Rosa e o novo regionalismo.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALMEIDA, José M. Gomes de. A tradição regionalista no romance brasileiro. Rio de

Janeiro: Topbookks, 1999.

CAMPEDELLI, Samira Youssef. Clássicos do romance brasileiro. São Paulo: Scipione,

1995.

CHIAPPINI, Lígia & BRESCIANI, Maria Stella. Identidas e fronteiras. São Paulo: Cortez,

2002.

GULLAR, Ferreira. Indagações de hoje. Rio de Janeiro: JO, 1989.

JUNIOR, Benjamin Abdala. O romance social brasileiro. São Paulo: Scipione, 1993.

LUCAS, Fábio. Do Barroco ao moderno. São Paulo: Ática, 1989.

______. Expressões da identidade brasileira. São Paulo: Educ, 2002.

MARTINEZ, Paulo. Os nacionalismos. São Paulo: Ática, 1996.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da literatura brasileira. Rio de Janeiro: Civilização,

1976.

Page 310: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CAVALCANTE FILHO, Domingos. O livro do seminário. São Paulo: LR Editores, 1982.

GALVÃO, Walnice Nogueira. Mitologia Rosiana. São Paulo: Ática, 1978.

HELENA, Lúcia. Modernismo brasileiro e vanguarda. São Paulo: Ática, 1989.

LUCAS, Fábio. O caráter social da ficção do Brasil. São Paulo: Ática, 1987.

MOISÉS, Massaud. História da literatura brasileira. Vol. III. São Paulo: Cultrix, 2001.

Page 311: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

LITERATURA E GÊNERO (Componente Adicional) CNCC 30

EMENTA

Estuda as representações de gênero na literatura, discutindo as questões de alteridade.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

As origens da sociedade patriarcal brasileira; a criação do espaço do feminino na

literatura; a despossessão como alteridade do corpo; Estudo do conto: “I love my

husband” de Nélida Pinon; estudos de contos (de diversos autores) enfatizando

as questões de alteridade; a personnagem de ficção; a construção da

personagem feninina; análise da personagem feminina na obra “Madame Bovary”

do escritor francês Gustave Flaubert; Estudo das obras: Iracema, Diva, Senhora,

Lucíola (de José de Alencar) Helena e Iaiá Garcia (de Machado de Assis),

Inocência (de Visconde de Taunay), A Moreninha (de Joaquim Manuel de

Macedo).

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALENCAR, José de. Iracema. 6 ed. São Paulo: Martin Claret, 2009.

_______. Senhora. 2 ed. São Paulo: Martin Claret, 2001.

_______. Luciola. São Paulo: Martin Claret, 2008.

ASSIS, Machado. Dom Casmuro. São Paulo: Ática, 1983.

_______. Memória póstuma de Brás Cubas. São Paulo: O globo, 1997.

_______. Cinquenta contos. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

Page 312: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BRANDÃO, Ruth Silviano. Mulher ao pé da letra: a personagem feminina na literatura. 2

ed. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

BRAIT, Beth. A personagem. 5 ed. São Paulo: Ática, 1993

CÂNDIDO, Antônio. Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos. 6 ed. Belo

Horizonte: Itatiaia, 2000.

CHEVALIER, Jean et. Al. Dicionário de símbolos. 18 ed. Rio de Janeiro: José Olympio,

1991.

FLAUBERT, Gustave. Madame Bovary. São Paulo: L & PM Pocket, 2003.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ALENCAR, José de. Diva. São Paulo: Martin Claret, 2007.

ASSIS, Machado de. Iaiá Garcia. São Paulo: Martin claret, 2007.

_____. Helena. 2 ed. São Paulo: Martin Claret, 2002

_____. Contos escolhidos. 4. ed. São Paulo: Martin Claret, 2008..

JEANINE, Cecil. ZINANI, Albert. Literatura e Gênero: a construção da identidade

feminina. Caxias do Sul: EDUCS, 2006.

LEAL, José Carlos. A maldição da mulher: de Eva aos dias de hoje. São Paulo: DPL,

2004.

LYRA, Bernadette; GARCIA, Wilton (Org.). Corpo & imagem. São Paulo: Arte & Ciência,

2002.

Page 313: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

PROCESSO DE LEITURA (componente adicional) CNCC 30

EMENTA

Discute o processamento cognitivo empregado na compreensão de um texto,

envolvendo o papel da memória, do conhecmento, da situação e das estratégias

utilizadas para a leitura.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Diferença entre gênero e tipo textual. Estrutura do parágrafo. Estrutura do texto.

Denotação e conotação. Técnicas espefíficas para conseguir ênfase, clareza e

coerência na compreensão textual. Campo léxico e campo semântico.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BOAVENTURA, Edivaldo. Como ordenar as ideias. São Paulo: Ática, 2000.

GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna. Rio de Janeiro: Fundação

Getúlio Vargas, 2003.

KLEIMAN Ângela. Oficina de Leitura. São Paulo-Campinas: Pontes, 2004.

KOCH, G. V. Ingedore. Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez, 2006.

LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Atlas, 2007.

ORLAANDI, Eni P. Discurso e Leitura. São Paulo: Cortez, 2000.

SAVIOLI, Francisco Platão; FIORIN, José Luiz. Para entender o texto. São Paulo: Ática,

1992.

SMITH, Frank. Compreendendo a leitura: uma análise psicolinguística da leitura e do

aprender a ler. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.

Page 314: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FOUCAMBERT, J. A leitura em questão. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

SEQUEIRA, M. de Fátima. Os modelos de atenção e memória no proceso de construção da leitura. Revista portuguesa de Educação. Vol. 1, nº 2 CEEDC,

Universidade do Minho. 1988.

SILVA, Ezequiel. Leitura e realidade brasileira. 2. ed. Porto Alegre: Mercado Aberto,

1985.

Page 315: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

COMPONENTE CURRICULAR EIXO DE FORMAÇÃO CARGA HORÁRIA

ESTUDO DA LITERATURA AFRICANA (componente adicional) CNCC 30

EMENTA

Estuda o projeto estético e ideológico das literaturas africanas, enfatizando a questão

da bisca de identidade e a tensão entre literatura e história.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

A cultura e a literatura africanas. A estrutura social africana. A prosa africana de língua

portuguesa. A poesia africana de língua portuguesa.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BERND, Zilá. O que é negritude. São Paulo: Brasiliense, 1988.

MUNANGA, Kabengele. Negritude: usos e sentidos. São Paulo: Brasiliense, 1988.

SODRÉ, Muniz. Claros e escuros: identidade, povo e média no Brasil. Petrópolis, Rio

de Janeiro: Vozes, 1999.

STUAR, Hall. Da Diáspora: identidade e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora

UFMG, 2009.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AGUALUSA, José Eduardo. Nação crioula. Rio de Janeiro: Griphus, 1998.

COUTO, Mia. Doenças de Deus, remédio do diabo. São Paulo: Companhia das

Letras, 2008.

DASKALOS, M. Alexandre; APA, Lívia; BARBEITOS, Arlindo. Poesia africana de língua portuguesa. Rio de Janeiro: Lacerda, 2004.

OJO-ADE, Femi. Negro: raça e cultura. Salvador: EDUFBA, 2006.

VIEIRA, José Luandino. Luanda. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

Page 316: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.4.6. Estágio Curricular Supervisionado

O Estágio Curricular Supervisionado é uma das etapas mais importantes de um

curso de graduação. Nele é possível experienciar uma série de situações e

atividades que são próprias da área profissional em que o graduado irá atuar,

possibilitando que este tenha um contato real, direto e imediato com as demandas,

problemáticas e alternativas presentes no mundo do trabalho.

O Estágio aqui referido está regulamentado pela Resolução nº 795/2007 -

CONSEPE que trata de forma mais específica dos procedimentos referentes às

atividades inerentes.

No caso do curso de Letras com habilitação em Língua Portuguesa e Literaturas -

Licenciatura, o estágio é desenvolvido a partir do quinto semestre com as seguintes

propostas de atividades:

- No 5º e 6º semestres podem ser desenvolvidas atividades que envolvam: Estudos

Diagnósticos, Estudos de Casos, Mini-cursos, Oficinas, Projetos de Ações

Pedagógicas (ações sociais e comunitárias, com aplicação em comunidades

carentes e cursos de extensão);

- No 7º e 8º semestres os alunos desenvolvem atividades de regência de classe,

respectivamente nas salas de aulas de 5ª à 8ª série do Ensino Fundamental e do

Ensino Médio, com acompanhamento tanto do professor orientador quanto do

regente da turma.

De acordo com as Diretrizes do MEC (Res. CNE/CP no 02/2002), no que se refere

aos Cursos de Formação de Professores, os alunos que já tenham experiência

docente poderão ter direito à dispensa de parte da carga horária do estágio como

forma de aproveitamento e valorização das atividades desenvolvidas por eles fora do

âmbito acadêmico. Para ter direito a esta dispensa, os alunos deverão atender aos

seguintes critérios:

Page 317: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

- Estar em exercício ou ter exercício comprovado de no mínimo um ano em regência

de classe em Língua Portuguesa ou área correlata, o que lhe garante dispensa de

200 horas de carga horária, respectiva aos 5º e 6º semestres;

- Estar em exercício ou ter exercício comprovado de no mínimo dois anos em

regência de classe em outras áreas, o que lhe dá direito à dispensa de 100 horas da

carga horária do estágio, relacionada ao 5º semestre;

- Apresentar comprovação da regência emitida por instituição privada autorizada

pela Secretaria da Educação ou por instituições públicas, podendo, no caso desta

ultima, ser o contracheque, uma forma de comprovação.

O Colegiado de Curso, juntamente com a Comissão de Estágio, são responsáveis

pela análise e posterior deferimento das solicitações de redução da carga horária de

Estágio Supervisionado.

A regulamentação do Estágio se dá com base nas orientações do Regulamento

Geral de Estágio da Universidade, Resolução no 795/2007 - CONSEPE, a seguir

apresentada.

Page 318: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 319: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROGRAD

ESTÁGIO CURRICULAR REGULAMENTO GERAL

RESOLUÇÃO N° 795/2007 - CONSEPE

2007

Page 320: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

REITOR Prof. Lourisvaldo Valentim da Silva VICE-REITORA Profa Amélia Tereza Santa Rosa Maraux PRÓ-REITORA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO Profa Mônica Moreira de Oliveira Torres GERENTE DE DESENVOLVIMENTO DE ENSINO Profa Kathia Marise Borges Sales Aquino SUB-GERENTE DE APOIO PEDAGÓGICO Profa Marilda Marques Senna Dourado Gomes

Page 321: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

REGULAMENTO DO ESTÁGIO

CAPÍTULO I - DO ESTÁGIO CURRICULAR E SEUS OBJETIVOS

Art. 1º - Considera-se estágio curricular as atividades de aprendizagem social, profissional e

cultural, proporcionadas ao educando pela vivência em situações reais de vida e trabalho,

no ensino, na pesquisa e na extensão, na modalidade regular e Projetos Especiais

perpassando todas as etapas do processo formativo e realizadas na comunidade em geral,

ou junto a pessoas jurídicas de direito público ou privado, ONGs, Movimentos Sociais e

outras formas de Organizações, sob a responsabilidade da Coordenação Central e Setorial.

Parágrafo único - Compreende-se por Projetos Especiais os cursos de graduação criados

pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB, com a finalidade de atender as demandas

sociais específicas de formação profissional.

Art. 2º - O estágio curricular visa a oferecer ao estudante a oportunidade de:

I - Vivenciar situações reais de seu campo de trabalho, de modo a ampliar o

conhecimento e a formação teórico-prática construídos durante o curso;

II - Analisar criticamente as condições observadas nos espaços profissionais com

base nos conhecimentos adquiridos e propor soluções para os problemas levantados, por

meio de projetos de intervenção social;

III - Desenvolver a capacidade de elaborar, executar e avaliar projetos na área

específica de seu estágio.

Art. 3º - A articulação da teoria/prática ocorrerá ao longo da formação dos cursos de

graduação, condicionada à articulação dos componentes curriculares, de forma a subsidiar a

vivência e consolidação das competências exigidas para o exercício acadêmico-profissional.

Art. 4º - Os cursos desenvolverão programas que possibilitem a inserção dos discentes de

estágio curricular, promovendo a interação entre: ensino, pesquisa e extensão.

Art. 5º - Os estágios obedecerão aos regulamentos próprios, elaborados pelas

coordenações setoriais, em conjunto com o colegiado de cada curso e aprovados pelo

Conselho de Departamento, observado o que dispõe a legislação pertinente.

Page 322: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Parágrafo único - Quanto os Projetos Especiais os regulamentos próprios serão elaborados

pela coordenação geral de cada curso.

Art. 6º - A carga horária mínima dos estágios curriculares dos cursos atenderá à legislação

nacional vigente, especifica para cada curso e ao projeto pedagógico dos mesmos.

CAPÍTULO II - DA COORDENAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR

Art. 7º - A Coordenação Central de Estágios da UNEB está vinculada à Pró-Reitoria de

Ensino de Graduação - PROGRAD e tem as seguintes atribuições:

I - assessorar os coordenadores de estágio dos Departamentos;

II - acompanhar e avaliar as atividades desenvolvidas pelos coordenadores;

III - promover reuniões para análise e discussão de temas relacionados a estágios;

IV - reunir informações relativas a estágio e divulgá-las entre os campi;

V - promover o Encontro Anual de Estágio Supervisionado.

Art. 8º - A Coordenação Central de Estágio será composta por:

a) Gerente de Desenvolvimento de Ensino;

b) Subgerente de Apoio Pedagógico;

c) 01 (um) docente representante das Licenciaturas;

d) 01 (um) docente representante dos Bacharelados;

e) 01 (um) discente de Curso de Licenciatura;

f) 01 (um) discente de Curso de Bacharelado;

g) 01 (um) representante das Comissões Setoriais;

h) 01 (um) docente representante dos cursos seqüenciais;

i) 01 (um) discente representante dos cursos seqüenciais.

Parágrafo Único - Os representantes constantes nas alíneas “c”, “d”, “e”, “f” e “g” serão

escolhidos no Encontro Anual de Estágio.

Art. 9º - As coordenações setoriais de estágios da UNEB, serão organizadas, por curso,

tendo as seguintes atribuições:

I - elaborar anualmente o plano de atividades da coordenação de estágios;

II - elaborar o projeto e o regulamento de estágio do curso;

III - planejar, acompanhar e avaliar o processo dos estágios;

Page 323: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

IV - cadastrar as instituições locais, regionais e estaduais que possam oferecer

estágio;

V - propor convênios de estágio;

VI - encaminhar os estagiários aos locais de estágio.

Art. 10 - As coordenações setoriais de estágio terão a seguinte composição:

I - os professores de estágio supervisionado, sendo um deles, eleito por seus pares,

o coordenador Setorial de Estágio;

II - um (01) representante do corpo discente por curso, indicado pelo diretório

acadêmico, dentre aqueles regularmente matriculados na disciplina ou componente

curricular.

§ 1º - A Coordenação de Estágio dos Projetos Especiais terá a seguinte composição:

a) Coordenação Geral de Cursos;

b) Coordenação Local;

c) 01 Representante de cada Movimento Social (quando houver);

d) 01 Representante de cada Movimento Sindical (quando houver);

e) Professor(es) de Estágio;

f) 01 Representante discente.

§ 2º - O mandato do coordenador setorial será de 02 (dois) anos, podendo ser reconduzido

por igual período.

Art. 11 - As coordenações setoriais de estágio devem articular-se com o Departamento,

tendo em vista fortalecer as ações que lhes competem.

CAPÍTULO III - DAS PESSOAS ENVOLVIDAS NO ESTÁGIO CURRICULAR

Art. 12 - Os profissionais envolvidos com o processo do estágio curricular terão as seguintes

denominações e competências, a saber:

I - Coordenador de estágio e/ou professor de estágio será(ao) docente(s) da UNEB e

lhe(s) competem:

a) o planejar semestralmente as atividades, devidamente aprovados pelo

colegiado do curso;

b) acompanhar o desenvolvimento do estágio;

Page 324: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

c) realizar reuniões com demais docentes da disciplina/componente curricular de

estágio;

d) responsabilizar-se pela articulação dos docentes e pelo processo de

fechamento da disciplina/componente curricular;

e) exercer atividades de coordenação, acompanhamento e avaliação do aluno

nos diversos campos do estágio.

II - Professor orientador e/ou supervisor de estágio será(ao) docente(s) da UNEB e

lhe (s) competem:

a) orientar os alunos durante o estágio, nos aspectos específicos de sua área de

atuação;

b) realizar supervisão com visitas in loco;

c) promover articulação entre a UNEB e a instituição ou empresa concedente do

estágio;

d) exercer atividades de acompanhamento e avaliação do aluno, nos diversos

campos do estágio;

e) fornecer dados à coordenação setorial, para tomada de decisão relacionada

com o estágio.

III - Orientador de Estágio/supervisor de campo/regente de classe/preceptor do

estágio, profissional da instituição cedente de estágio que orienta o aluno na sua área de

atuação.

§ 1º - No que diz respeito às licenciaturas, o professor-orientador e/ou supervisor de estágio

poderá(ão) acumular as competências listadas nos incisos I e II.

§ 2º - Quando se tratar de projetos especiais, as atribuições e competências deverão

atender as especificidades de cada curso conforme seus projetos.

Art. 13 - Os profissionais envolvidos com o processo do estágio curricular - coordenador,

professor, orientador, supervisor/regente/preceptor-, terão formação acadêmico-profissional

na área de conhecimento do curso, salvo em situações especificas de cada área, a serem

discutidas e aprovadas em Colegiado.

Page 325: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

§ 1º - Nos cursos de licenciatura, o professor supervisor será licenciado na área. Quando

não houver disponibilidade de professor com essa formação, ficarão responsáveis

conjuntamente pelos estágios os professores da área específica e professores graduados

em Pedagogia, com experiência em ensino superior.

§ 2º - Na inexistência de professor com a formação exigida no caput desse artigo, caberá ao

Conselho de Departamento, ouvida a comissão setorial, indicar o profissional, levando-se

em conta:

a) A formação acadêmica;

b) A experiência profissional;

c) A legislação em vigor.

Art. 14 - Ao aluno da UNEB, regularmente matriculado em disciplina/componente curricular

de estágio compete:

I - cumprir a carga horária de estágio e as atividades de avaliação previstas no

projeto pedagógico de cada curso;

II - comparecer aos locais de estágio, munido da documentação exigida;

III - respeitar as normas regimentais e disciplinares do estabelecimento onde se

realiza o estágio;

IV - Submeter o planejamento elaborado ao orientador de estágio ou à coordenação

de área da escola ou empresa antes da execução do estágio;

V - apresentar a documentação exigida pela universidade, quanto ao estágio

curricular;

VI - participar de todos os processos de estágio, segundo o plano aprovado pela

coordenação setorial.

CAPÍTULO IV - DOS CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE

ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO

Art. 15 - Para o estágio curricular serão considerados os critérios de acompanhamento e de

avaliação do processo de ensino-aprendizagem, a saber:

I - Articulação entre teoria e prática, nas produções e vivências do aluno, durante o

estágio;

II - Freqüência integral na realização da atividade-campo do estágio;

Page 326: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

III - Trabalhos realizados durante o período de estágio e socialização dos mesmos,

de acordo com o projeto pedagógico e normatização do estágio de cada curso;

IV - Participação do aluno nos encontros de orientação de estágio, atendendo ao

critério mínimo de assiduidade na disciplina/componente curricular, conforme legislação

vigente;

V - Auto-avaliação do aluno;

VI - Outros critérios definidos pela coordenação setorial ou coordenação geral dos

projetos especiais.

§ 1º - Cabe à coordenação setorial de cada curso e as coordenações gerais dos projetos

especiais, elaborar instrumentos de acompanhamento e avaliação do aluno, conforme

especificidades dos projetos pedagógicos e regulamento de estágio de cada curso.

§ 2º - O estágio será avaliado sistematicamente pela coordenação setorial e pelas

coordenações gerais dos projetos especiais, conforme o projeto pedagógico e regulamento

de estágio de cada curso.

Art. 16 - Caberá à UNEB disponibilizar os recursos necessários aos Departamentos, para

garantirem a realização do estágio curricular dos cursos regulares.

§ 1º - A UNEB se responsabilizará pela efetivação anual do seguro de vida para os docentes

de estágios dos cursos regulares cujo campo de trabalho implique em situação de risco.

§ 2º - Quando o estágio ocorrer fora da unidade sede, além dos recursos previstos no caput

deste artigo, a UNEB se responsabilizará pelo seguro de vida, despesas de deslocamento e

hospedagem para os docentes (quando necessário).

CAPÍTULO V - DO APROVEITAMENTO DA PRÁTICA DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL

PARA CARGA HORÁRIA DE ESTÁGIO

Art. 17 - Nos cursos de licenciatura será permitida a redução de até 200 (duzentas) horas

dos componentes curriculares de estágio supervisionado; obedecendo, no máximo, à

redução de 50% da carga horária, em cada componente.

I - A redução de carga horária para o componente estágio supervisionado I será

permitida, para o discente que comprovar a docência, em qualquer área de conhecimento,

nos últimos 03 (três) anos;

Page 327: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

II - A redução de carga horária para os demais componentes de estágio

supervisionado será permitida para o discente que comprovar efetivo exercício da docência,

na área específica do respectivo estágio, a partir dos últimos 03 anos, antes de seu ingresso

na Universidade.

§ 1º - No ato da solicitação para a redução de carga horária, de até 200 horas, dos

componentes curriculares de estágio supervisionado, o discente apresentará ao Colegiado

do Curso a documentação comprobatória que será encaminhada à Coordenação Setorial de

Estágio do Curso, para análise e parecer.

§ 2º - Aprovado o parecer pela Coordenação Setorial do Estágio, o Colegiado de Curso

encaminhará o processo à direção do Departamento para a homologação e

encaminhamento à Coordenação Acadêmica, para registro no prontuário do discente.

Art. 18 - Nos cursos de bacharelado, a prática do exercício profissional será aproveitada

para carga horária de estágio, nas seguintes situações:

I - quando o discente exercer atividade de trabalho correlata com a área de sua

formação, o projeto de estágio será direcionado às suas atividades profissionais;

II - quando o discente exercer atividade de trabalho não-correlata com a área de sua

formação, o projeto de estágio se fundamentará na área de sua formação, aplicada a sua

área de trabalho.

Parágrafo único - Na área de saúde, não será permitido o aproveitamento de exercício

profissional, para a carga horária de estágio.

CAPÍTULO VI - DAS ESPECIFICIDADES DAS MODALIDADES DE CURSOS

Art. 19 - Nas licenciaturas, quando as modalidades de estágio supervisionado contemplarem

a regência do discente, o professor sob regime de 40 horas, acompanhará uma turma com

até 20 discentes, registrando, pelo menos, as seguintes atividades em seu Plano Individual

de Trabalho - PIT:

a) Reunião com toda a turma (2h);

b) Orientações individuais (1hora por aluno);

c) Observação de estágio em campo (12h);

d) Trabalhos acadêmicos e complementares à docência (6h);

Page 328: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

e) Comissão de avaliação de aproveitamento de estágio (1h).

§ 1º - Para turmas inferiores a 08 (oito) discentes, o docente complementará sua carga

horária assumindo, pelo menos, um componente curricular de até 60 horas, ou desenvolverá

atividades de pesquisa, ou extensão, aprovadas pelo Departamento.

§ 2º - Quando o Estágio Supervisionado, organizar-se sob a forma de: observação, co-

participação, o professor sob regime de 40 (quarenta) horas acompanhará até duas turmas;

com, no máximo, 20 discentes; (ou) uma turma de estágio e um outro componente

curricular de até 60 (sessenta) horas, registrando-se a carga horária

das alíneas de “a” a “e” do artigo 19 que serão adaptados de acordo com as turmas

assumidas pelo docente.

Art. 20 - Nos bacharelados o professor, sob regime de 40 (quarenta) horas, acompanhará

uma turma, com até 20 (vinte) discentes, registrando, pelo menos, as seguintes atividades

em seu PIT:

a) Reunião com toda a turma (2h);

b) Orientações individuais (1hora por aluno);

c) Observação de estágio em campo (12h);

d) Trabalhos acadêmicos e complementares à docência (6h);

e) Comissão de avaliação de aproveitamento de estágio (1h).

I - Para o professor co-orientador de estágio, será computada a carga horária de

orientação do estagiário, observando o limite máximo de 06 (seis) discentes por professor,

com 02 (duas) horas semanais de orientação por aluno;

II - não será permitido o aproveitamento da carga horária de estágio extracurricular,

para o estágio curricular.

§ 1º - Nos cursos da área de saúde, a relação docente/discente no estágio será de acordo

com a especificidade de cada curso, não excedendo o quantitativo de seis discentes, por

docente/campo.

§ 2º - Para os projetos especiais a relação docente/discente no estágio será definida nos

projetos de cada curso.

Page 329: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

CAPÍTULO VII - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 21 - Este Regimento Geral de Estágio fundamenta-se na legislação a saber: Lei de

Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB 9394/96, Lei nº. 6.494/77 (alterada pela Lei

8.859/94 e MP nº. 1726/98), Resolução CNE/CP 01 e 02/2002 e Decreto nº. 10.181 de

14/12/2006 - Regimento Geral da Universidade do Estado da Bahia.

Art. 22 - Os casos omissos serão resolvidos em primeira instância pela Coordenação

Setorial de Estágio ou Coordenação Gera l dos Projetos Especiais, e

referendados pelo Conselho de Departamento, de acordo com a legislação pertinente.

Art. 23 - Este Regulamento tem sua vigência prevista em caráter transitório, por um ano a

contar da data de publicação do mesmo, quando deverá ser reavaliado por este Conselho.

Art. 24 - O presente Regulamento de Estágio Supervisionado entra em vigor na data da sua

publicação, revogada a Resolução nº. 088 de 05/08/93 e demais disposições em contrário.

3.4.7. Trabalho de Conclusão de Curso

O Trabalho de Conclusão de Curso é regulamentado pela Resolução no 622/2004 -

CONSEPE. Entretanto, em função da necessidade de modificações, uma nova

proposta está em discussão na Pró-Reitoria de Ensino de Graduação e nos

Departamentos, para posterior aprovação do CONSEPE.

A seguir, a cópia da Resolução no 622/2004 e o Regulamento que ampara o TCC.

Page 330: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 331: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 332: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 333: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 334: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 335: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 336: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 337: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 338: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 339: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.4.8. Atividades Acadêmico-Científico-Culturais

Formar profissionais para exercer a docência requer uma visão múltipla do processo

que envolve a graduação, isso amplia a perspectiva de formação não limitando a um

espaço determinado com conteúdos linearmente definidos. Por isso, é necessário

que ao longo do curso o aluno tenha um leque de opções que contribua com a sua

formação profissional.

Nesse sentido, é fundamental propor atividades para que os alunos desenvolvam

competências profissional e intelectual e o seu senso de responsabilidade. Assim, as

Atividades Acadêmico-Científico-Culturais (AACCs), surgem como um eixo onde

estas necessidades serão contempladas, em tempos e espaços curriculares que

favoreçam o interesse e a iniciativa do aluno em participar de eventos diversificados,

tais como: desenvolver trabalhos comunitários, promover atuações diferenciadas em

recursos de aprendizagem variados, estudos independentes sobre temas de

aprofundamento educacionais, valorização das experiências individuais. Serão

desenvolvidas ao longo do Curso no âmbito acadêmico ou fora dele.

Para estas atividades, o Departamento, através do Colegiado de Letras, poderá

propor e organizar seminários temáticos, jornada de iniciação científica, semana de

Letras, palestras, oficinas, mini-cursos contemplando assuntos de interesse dos

graduandos.

As AACCs foram regulamentadas na UNEB, através da Resolução do CONSEPE nº

1.150/2010, que revogou a de nº 792/2007, com uma carga horária de 200 horas. A

referida resolução encontra-se apresentada, a seguir.

Page 340: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 341: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 342: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 343: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 344: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 345: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.5. ACERVO BIBLIOGRÁFICO

O acervo bibliográfico do curso conta com 892 títulos e 3.589 exemplares,

especificados no quadro 32, a seguir:

QUADRO 32 - ACERVO BIBLIOGRÁFICO DO CURSO

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

001 ABELAR, Taisha. A travessia das feiticeiras. Rio de Janeiro: Record, 1995. 01

002 ABRAMOVICH, Fanny. Literatura infantil: gostosuras e bobices. 5. ed. São Paulo: Scipione, 2005. 05

003 ABRAMOWICZ, Anete. Educação infantil creches. 2. ed. São Paulo: Moderna, 1999. 02

004 ______. Educação: pesquisas e práticas. Campinas: Papirus, 2000. 02

005 ABREU, Márcia. Leituras no Brasil: antologia comemorativa pelo 10º COLE. Campinas: Mercado de Letras, 1995. 05

006 AEBLI, Hans. Didática psicológica. 2. ed. São Paulo: Nacional, 1973. 01

007 AGUIAR, Flávio. O olhar. São Paulo: Companhia das Letras, 1988. 02

008 ALBANO, Eleonora Cavalcante. Da fala à linguagem: tocando de ouvido. São Paulo: Martins Fontes, 1990. 03

009 ALCKMIN, Tânia Maria. Para a história do português brasileiro. São Paulo: Humanistas, 2002. v. III. 03

010 ALENCAR, José. Iracema. 36. ed. Rio de Janeiro: Ática, 2005. 05

011 ______. Lucíola. São Paulo: Ática, 2005. 03

012 ______. O Guarani. 25. ed. São Paulo: Ática, 2004. 06

Page 346: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

013 ______. O tronco do ipê. 16. ed. São Paulo: Ática, 2005. 05

014 ______. Senhora. 34. ed. São Paulo: Ática, 2004. 03

015 ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes de. Dimensões comunicativas no ensino de línguas. 4. ed. Campinas: Papirus, 2007.

03

016 ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática Latina. 29ª ed. São Paulo: Saraiva, 2000. 02

017 ______. Gramática metódica da língua portuguesa. 45. ed. ver.. São Paulo: Saraiva, 2005. 03

018 ALMIR, Miguel. Amo, logo existo. Salvador: UNEB, 2003. 05

019 ALTHUSSER, Louis. Sobre a reprodução. Petrópolis: Vozes, 1999. 10

020 ALVES, Fábio. Traduzir com autonomia: estratégias para o tradutor em formação. São Paulo: Contexto, 2000. 03

021 ALVES, Ieda Maria. Neologismo: criação lexical. 2. ed. São Paulo: Ática, 2004. 03

022 ALVES, Lynn Rosalina Gama. Educação e tecnologia: trilhando caminhos. Salvador: UNEB, 2003. 07

023 ______; SILVA, Jamile Borges da. (Org.). Educação e cibercultura. Salvador: UFBA, 2001. 02

024 ALVES, Rubem. A escola com que sempre sonhei: sem imaginar que pudesse existir. 7. ed. Campinas: Papirus, 2004. 05

025 ______. Conversas com quem gosta de ensinar. 7. ed. Campinas: Papirus, 2003. 05

026 ______. E aí? Cartas aos adolescentes e a seus pais. 9. ed. Campinas: Papirus, 2003. 03

027 ______. Entre a ciência e a sapiência: os dilemas da educação. 14. ed. São Paulo: Loyola, 2005. 02

028 ______. Estórias de quem gosta de ensinar. 8. ed. São Paulo: Arts Poética, 2003. 04

Page 347: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

029 AMADO, Jorge. A morte de Quincas Berro D’água. 91. ed. Rio de Janeiro:Record, 2004. 04

030 ______. Dona flor e seus dois maridos. 56. ed. Rio de Janeiro: Record, 2005. 03

031 ______. Gabriela cravo e canela: crônica de uma cidade do interior. 91. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004. 03

032 ______. O sumiço da santa: uma história de feitiçaria. 3ª ed. Rio de Janeiro: Record, 1999. 02

033 ______. Seara Vermelha. 51. ed. Rio de Janeiro: Record, 2006. 03

034 ______. Tenda dos milagres. 45. ed. Rio de Janeiro: Record, 2006. 03

035 ______. Tieta do agreste. 28. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004. 03

036 AMARAL, Braz do. Ação da ahia na obra da independência nacional. Salvador: UNEB, 2005. 01

037 AMARILHA, Marly. Estão mortas as fadas? Literatura infantil e prática pedagógica. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 1997. 09

038 AMÉLIA, Miriam. Vide versos. Rio de Janeiro: Record, 2002. 01

039 AMORA, Antônio Soares. Presença da literatura portuguesa: simbolismo. 6. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001. v. IV. 03

040 AMORIM, Elia Simeia M. dos S. Por uma geografia cidadã. Salvador: EDUNEB, 2004. 10

041 ANADON, Marta; Paulo B. Machado. Reflexões teórico-metodológicas sobre as representações sociais. Salvador: UNEB, 2003.

09

042 ANDRADE, Maria Margarida de; HENRIQUES, Antônio. Língua portuguesa: noções básicas para cursos superiores. 7ª ed. São Paulo: Atlas, 2004.

05

043 ANDRADE, Mário de. Contos novos. Belo Horizonte: Itatiaia, 1999. 05

Page 348: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

044 ANDRADE, Raimundo Roberto S. de. Poemetos e cronicontos: alinhavamento da imaginação. Salvador: UNEB, 2005. 05

045 ANDRADE, Tadeu Luciano Siqueira. Sintaxe do português: da norma para o uso. Salvador: UNEB, 2005. 05

046 ANDRÉ, Maria Eliza D. A. de. Alternativas no ensino de didática. 6.. ed. Campinas: Papirus, 2004. 02

047 ______. Etnografia da prática escolar. 11. ed. São Paulo: Papirus, 2004. 03

048 ANDRÉ, Marli. Pedagogia das diferenças na sala de aula. 5. ed. Campinas: Papirus, 2004. 02

049 ANTUNES, Antônio Lobo. O esplendor de Portugal. Rio de Janeiro: Rocco, 1999. 04

050 ______. Os cus de Judas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007. 03

051 ANTUNES, Celso. As inteligências múltiplas e seus estímulos. 11. ed. Campinas: Papirus, 2003. 06

052 ______. Jogos para a estimulação das múltiplas inteligências. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

053 ANTUNES, Irandé. Aula de português: encontro e interação. São Paulo: Parábola, 2003. 05

054 ______. Lutar com as palavras: coesão & coerência. São Paulo: Parábola, 2007. 03

055 ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Temas de filosofia. 2. ed. São Paulo: Moderna, 1998. 03

056 ARANTES, Antônio Augusto. O que é cultura popular. São Paulo: Brasiliense, 2007. 03

057 ARAÚJO, Gabriel Antunes de. O acento em português: abordagens fonológicas. São Paulo: Parábola, 2007. 04

058 ARAÚJO, Jairton Fraga. A cultura da pinha. Salvador: EGBA, 2003. 05

Page 349: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

059 ARAÚJO, Miguel. Andançarilho. Salvador: UNEB, 1997. 01

060 ARAÚJO FILHO, Walter Duarte de. Fundamentos de eletromagnetismo para engenheiros. Salvador: UNEB, 2005. 03

061 ÁRIES, Philippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1978. 07

062 ARISTÓTELES. A poética clássica. 12. ed. São Paulo: Cultrix, 2005. 05

063 ARNHEIM, Rudolf. Arte e percepção visual: uma psicologia da visão criadora. 11. ed. São Paulo: Pioneira, 1997. 06

064 ARON, Raymond. As etapas do pensamento sociológico. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003. 01

065 ARROJO, Rosemary. Oficina de tradução: a teoria na prática. 4. ed. São Paulo: Ática, 2003. 03

066 ASSIS, Machado. Dom Casmurro. São Paulo: Ática, 2005. 05

067 ______. Helena. São Paulo: Martin Claret, 2004. 03

068 ______. Memórias póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Martin Claret, 2006. 03

069 ASSMANN, Hugo. Redes digitais e a metamorfose do aprender na sociedade da informação. Petrópolis: Vozes, 2005. 03

070 ______. Reecantar a educação: rumo à sociedade aprendente. 6. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2002. 10

071 ATAÍDE, Yara Dulce Bandeira de. Professores e alunos construindo uma cultura da paz. Salvador: UNEB, 2004. 05

072 AUGUSTO, Áureo. Iridologia e florais de Bach. São Paulo: Ground, 1994. 01

073 AUMONT, Jacques e outros. A estética do filme. 3. ed. Campinas: Papirus, 2005. 02

Page 350: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

074 AZEREDO, José Carlos de. Iniciação à sintaxe do português. 8ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000. 03

075 ______. Língua portuguesa em debate: conhecimento e ensino. 3. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2002. 12

076 BACCEGA, Maria Aparecida. Palavras e discursos: história e literatura. São Paulo: Ática, 2003. 02

077 BACELAR, Jeferson; CAROSO, Carlos. Brasil: um país de negros? 2. ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2007. 03

078 ______. A hierarquia das raças: negros e brancos em Salvador. Rio de Janeiro: Pallas, 2001. 02

079 BACHELARD, Gastón. A formação do espírito cientifico. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996. 02

080 BAGDEVE, Kátia. Encantamento. Salvador: Editoração Encantamento, 1998. 01

081 BAGNO, Marcos. A língua de Eulália: novela sociolingüística. 14. ed. São Paulo: Contexto, 2005. 05

082 ______. Linguística da norma. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2004. 05

083 ______. Norma linguística. São Paulo: Loyola, 2001. 03

084 ______. Pesquisa na escola: o que é, como se faz. 20. ed. São Paulo: Loyola, 2006. 04

085 ______. Português ou brasileiro? Um convite à pesquisa. 5. ed. São Paulo: Parábola, 2005. 05

086 ______. Preconceito ingüístico: o que é, com se faz. 38. ed. São Paulo: Loyola, 2005. 09

087 ______. Nada na língua é por acaso. São Paulo: Parábola, 2007. 02

088 ______; STUBBS, Michael; GAGNÉ, Gilles. Língua materna: letramento, variação e ensino. São Paulo: Parábola, 2005. 04

089 BARASCH, Marc. O caminho da cura: uma visão espiritual das doenças. Rio de Janeiro: Nova Era, 1997. 01

Page 351: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

090 BARBOSA, Inês Barbosa. Currículos praticados: entre a regulação e a emancipação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. 04

091 BARBOSA, Lívia. Sociedade de consumo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004. 02

092 BARBOSA, Maria de Lurdes Matos Dantas. Poemas para cidadania. Salvador: EGBA, 2003. 10

093 BARBOSA, Severino Antônio M. Redação: escrever e desvendar o mundo. 17. ed. Campinas: Papirus, 2004. 02

094 BARHES, Roland. Aula. 10. ed. São Paulo: Cultrix, 1978. 02

095 BARRETO JÚNIOR, Jurandi Antônio Sá. Entre o ser e o dever ser. Salvador: UNEB, 2003. 10

096 BARRETO, Lima. Clara dos Anjos. 13. ed. São Paulo: Ática, 2002. 03

097 ______. Triste fim de Policarpo Quaresma. 23. ed. São Paulo: Ática, 2006. 03

098 BARROS, Célia Silva Guimarães. Psicologia e construtivismo. São Paulo: Ática, 1996. 03

099 BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria semiótica do texto. 4. ed. São Paulo: Ática, 2003. 03

100 BARTHES, Roland. Crítica e verdade. São Paulo: Perspectiva, 1970. 04

101 ______. Elementos de semiologia. 16. ed. São Paulo: Cultrix, 2006. 03

102 ______. Formação e classes de palavras no português do Brasil. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2006. 03

103 ______. Mitologias. 2. ed. Rio de Janeiro: Difel, 2006. 03

104 BASÍLIO, Margarida. Teoria lexical. 7. ed. São Paulo: Ática, 2004. 04

105 BASTOS, Aurélio Wander. Coletânea da legislação educacional brasileira. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2000. 03

Page 352: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

106 BASTOS, Cleverson Leite. Aprendendo a aprender: introdução á metodologia científica. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2005. 12

107 BASTOS, Lilia da Rocha. Manual para elaboração de projetos e relatório de pesquisa, teses, dissertações e monografias. 6. ed. São Paulo: LTC, 2004.

05

108 BASTOS, Lúcia Kopschitz. Coesão e coerência em narrativas escolares. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 04

109 BATLLORI, Jorge. Jogos para treinar o cérebro: desenvolvimento de habilidades cognitivas e sociais. São Paulo: Madras, 2006.

03

110 BECHARA, Evanildo. Ensino da gramática. Opressão? Liberdade? 11. ed. São Paulo: Ática, 2003. 06

111 ______. Moderna gramática portuguesa. São Paulo: Lucerna, 2004. 04

112 BELLO, Ruy de Ayres. Administração escolar. São Paulo: Do Brasil, 1969. 01

113 BELTRANI, Arnaldo. Pense com sua cabeça! São Paulo: Paulinas, 1980. 01

114 BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: obras escolhidas. São Paulo: Brasiliense, 1985. v. I. 03

115 ______. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: 34, 2002. 08

116 BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral I. 4. ed. Campinas: Pontes, 1995. 03

117 BERGER, Peter L. Perspectivas sociológicas: uma visão humanística. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

118 BERGEZ, Daniel; BARBÉRIS, Pierre. Métodos críticos para a análise literária. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006. 03

119 BERLITZ, Charles. As línguas do mundo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988. 02

Page 353: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

120 BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

02

121 BERNADO, Gustavo. Redação inquieta. 5. ed. Belo Horizonte: Formato, 2000. 02

122 BERNARDET, Jean-Claude. O que é cinema. São Paulo: Brasiliense, 2006. 02

123 BERNARDIN, Jacques. As crianças e a cultura escrita. Porto Alegre: Artmed, 2003. 02

124 BETTELHEIM, Bruno. A psicanálise dos contos de fadas. São Paulo: Paz e Terra, 1980. 07

125 BIAGGIO, Ângela M. Brasil. Psicologia do desenvolvimento. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 09

126 BIDERMAN, Maria Teresa. Teoria linguística. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 03

127 BLIKSTEIN, Izidoro. Técnicas de comunicação escrita. São Paulo: Ática, 2004. 03

128 BLOCH, Arnaldo. Talk show. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. 04

129 BLOOM, Harold. O cânone ocidental: os livros e a escola do tempo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. 04

130 BOAVENTURA, Edivaldo M. Como ordenar as idéias. 8. ed. São Paulo: Ática, 2006. 05

131 ______. O solar Góes Calmon. Salvador: Academia de Letras da Bahia, 2004. 02

132 ______; SILVA, Ana Célia da. O terreiro, a quadra, e a roda: formas alternativas de educação da criança negra em Salvador. Salvador: UNEB, [s.d].

05

133 BOBBIO, Noberto. Igualdade e liberdade. 5. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002. 02

Page 354: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

134 ______. Os intelectuais e o poder. São Paulo: UNESP, 1997. 03

135 BOCAGE, Manuel Maria Barbosa. O delírio amoroso & outros poemas. Porto Alegre: L&PM, 2004. 01

136 BOCHNUAK, Regina. Questionar o conhecimento: interdisciplinaridade na escola. São Paulo: Loyola, 1992. 02

137 BOCK, Ana Mercês Bahia; Furtado, Odair; TEIXEIRA, Maria de Lourdes. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. 13. ed. São Paulo: Saraiva, 1999.

02

138 BOFF, Leonardo. A águia e a galinha: uma metáfora da condição humana. 40. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 20

139 ______. O despertar da águia: o diabólico e o simbólico na construção da realidade. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 1998. 10

140 ______. Saber cuidar: ética do humano, compaixão pela terra. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

141 BOLOGNINI, Carmen Zink. História da literatura: o discurso fundador. Campinas: Mercado de Letras, 2003. 05

142 BORBA, Francisco da Silva. Introdução aos estudos linguísticos. 13. ed. Campinas: Pontes, 2003. 04

143 BORDENAVE, Juan Díaz. Estratégias de ensino-aprendizagem. 24. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 02

144 ______. O que é comunicação. São Paulo: Brasiliense, 2007. 03

145 BORGES NETO, José. Ensaios de filosofia da linguística. São Paulo: Parábola, 2007. 02

146 BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Nós cheguemu na escola, e agora? São Paulo: Parábola, 2005. 04

147 ______. Educação em língua materna. São Paulo: Parábola, 2004.

05

148 BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. 43. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

04

Page 355: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

149 ______. O ser e o tempo da poesia. 7. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. 04

150 BOUDON, Raymond; BOURRICAUD, François. Dicionário crítico de sociologia. São Paulo: Ática, 2002. 01

151 BOUQUET, Simon. Introdução à leitura de Saussure. São Paulo: Cultrix, 1997. 07

152 BOURDIEU, Pierre. A miséria do mundo. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 02

153 ______. Escritos de educação. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2005. 05

154 ______. O campo econômico: a dimensão simbólica da dominação. Campinas: Papirus, 2000. 02

155 ______. Ofício de sociólogo. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2004. 10

156 BRAGHERDLI, Elaine Maria. Psicologia geral. 23ª ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

157 BRAIT, Berth. A personagem. São Paulo: Ática, 2004. 02

158 BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 2006. 03

159 BRASIL, Ministério da Educação. Reflexões sobre a educação no próximo milênio. Brasília: Ministério da Educação e Cultura, 1998.

01

160 ______. Salto para o futuro: educação de jovens e adultos. Brasília: Ministério da Educação e Cultura, 1999. 01

161 BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Ensino de língua portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica. Brasília: MEC/SEESP, 2004. v. I.

01

162 ______. Ensino de língua portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica. Vol. II. Brasília: MEC/SEESP, 2004. 01

163 BRASILEIRO, Antônio. Poemas reunidos. Salvador: Companhia de Letras da Bahia, [sd]. 01

Page 356: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

164 BRITES DE VILA, Gladys. Brincadeiras e atividades recreativas para crianças de 6 meses à 6 anos. 10. ed. São Paulo: Paulinas, 2006.

03

165 BRITO, Darcy. Rainha sem faixa. 2. ed. Salvador: Santa Bárbara, 2005.

01

166 BRITO, Luiz Percival Leme. A sombra do caos: ensino de língua X tradição gramatical. Campinas: Mercado de Letras, 1997.

02

167 BROCA, Brito. Naturalistas parnasianos e decadistas. Campinas: UNICAMP, 1991.

02

168 ______. A vida literária no Brasil: 1900. 5. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005.

03

169 BRUNEL, Luis. Meu último suspiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

01

170 BRUNER, Jerome S. Uma nova teoria de aprendizagem. Rio de Janeiro: Bloch, 1969.

01

171 BUENO, Maria Sylvia Simões. Políticas atuais para o ensino médio. Campinas: Papirus, 2000.

02

172 BURDEN, Virginia. O processo da intuição. 9. ed. São Paulo: Pensamento,1993.

01

173 BURKHEIM, Emille. As regras do método sociológico. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

01

174 BUZZI, Arcângelo R. Filosofia para principiantes. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

10

175 CADEMARTORI, Lígia. Períodos literários. 9. ed. São Paulo: Ática, 2004.

04

176 CAILLÉ, Alain. Antropologia do dom: o 3º paradigma. Petrópolis: Vozes, 2002.

10

177 CALKINS, Lucy Mc Cormick. A arte de ensinar a escrever. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2002.

03

Page 357: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

178 CALLOU, Dinah. Iniciação a fonética e fonologia. 10ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

05

179 CALVET, Louis-Jean. As políticas lingüísticas: na ponta da língua 17. São Paulo: Parábola, 2007.

04

180 CALVINO, Ítalo. Por que ler os clássicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

05

181 CÂMARA JÚNIOR, Joaquim Matoso. Dicionário de linguística e gramática referente à língua portuguesa. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

05

182 ______. Estrutura da língua portuguesa: morfossintática do português. 36. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

22

183 ______. Manual de expressão oral e escrita. Petrópolis: Vozes, 1986.

03

184 ______. Problemas de linguística descritiva. 19. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

03

185 CAMPOS, Arnaldo. Breve história do livro. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1994.

02

186 CAMPOS, Dinah Martins de Souza. Psicologia da aprendizagem. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

02

187 ______. Psicologia e desenvolvimento humano. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

10

188 CANDAU, Vera Maria. Rumo a uma nova didática. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1990.

01

189 CÂNDIDO, Antônio. A personagem de ficção. 10. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

02

190 ______. Na sala de aula: caderno de análise literária. São Paulo: Ática, 2005.

03

191 ______. Vários escritos. 4. ed. São Paulo: Duas Cidades, 2004. 03

Page 358: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

192 CAPRA, Fritjof. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 1996. 03

193 CARDOSO, Fernando Henrique. Direitos humanos no cotidiano. 2. ed. São Paulo: UNESCO, 2001. 11

194 CARDOSO, Sérgio. Os sentidos da paixão. São Paulo: Companhia das Letras, 1987. 03

195 CARDOSO, Sílvia Helena Barbi. Discurso e ensino. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. 03

196 CARDOSO, Zélia de Almeida. Iniciação ao latim. 5. ed. São Paulo: Ática, 2004. 04

197 CARONE, Flávia de Barros. Morfossintaxe. São Paulo: Ática, 2004. 07

198 CARVALHAL, Tânia Franco. Literatura comparada. 4. ed. rev. São Paulo: Ática, 2006 03

199 CARVALHO, Castelar de. Para compreender Saussure: fundamentos e visão crítica. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2004. 09

200 CARVALHO, Maria Cecília Maringoni de. Construindo o saber: metodologia científica, fundamentos e técnicas. 16. ed. Campinas: Papirus, 2005.

02

201 CARVALHO, Marlene. Guia prático do alfabetizador. 5. ed. São Paulo: Ática, 2005. 01

202 CASCUDO, Luis da Câmara. Literatura oral no Brasil. 2. ed. São Paulo: Global, 2006. 03

203 CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

204 CASTILHO, Ataliba Teixeira de. A língua falada no ensino de português. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2003. 06

205 CASTRO, Celso Antônio Pinheiro de. Sociologia geral. São Paulo: Atlas, 2000. 02

206 CAVALIERE, Ricardo. Pontos essenciais em fonética e fonologia. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. 05

Page 359: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

207 CEGALA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa. 46. ed. São Paulo: Nacional, 2005.

01

208 CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano 1: artes de fazer. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

10

209 ______. A invenção do cotidiano 2: morar, cozinhar. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

10

210 CERVONI, Jean. A astúcia da enunciação. 2. ed. Rio de Janeiro: Top Books, 1997.

03

211 CHAGAS, José. Antologia poética. Rio de Janeiro: Top Books, 1998.

01

212 CHALHUB, Samira. Funções de linguagem. 12. ed. São Paulo: Ática, 2006.

03

213 CHALITA, Gabriel. Pedagogia do amor: a contribuição das histórias universais para a formação de valores das novas gerações. São Paulo: Gente, 2004.

03

214 CHAMPAGNE, Patrick. Iniciação á prática sociológica. Petrópolis: Vozes, 1996.

12

215 CHARBONNIER, Georges. Arte, linguagem, etnologia: entrevistas com Claude Levi-Strauss. Rio de Janeiro: Papirus, 1989.

01

216 CHARLES, Carol. M. Piaget ao alcance dos professores. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1975.

01

217 CHARLOT, Bernard. Relação com o saber, formação dos professores e globalização: questões para a educação hoje. Porto Alegre: Artmed, 2005.

02

218 CHARTIER, Anne-Marie. Ler e escrever: entretanto no mundo da escrita. Porto Alegre: Artmed, 1996.

01

219 CHARTIER, Roger. Cultura, escrita, literatura e história. Porto Alegre: Artmed, 2001.

02

220 ______. Práticas da leitura. 2. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2001.

05

Page 360: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

221 CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 2006. 03

222 ______. Convite à filosofia. 13. ed. São Paulo: Ática, 2003. 01

223 CHEVALIER, Jean, GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. 19. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005.

05

224 CHIAPPINE, Lígia. Aprender e ensinar com textos de alunos. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2004. v. i. 02

225 ______. Aprender e ensinar com textos didáticos e paradidáticos. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2002. v. II. 02

226 ______. Aprender e ensinar com textos não escolares. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2002. v. III. 02

227 CHOMSKY, Noam. Linguagem e mente: pensamentos atuais sobre antigos problemas. Brasília: Universidade de Brasília, 1998. 06

228 CITELLI, Adilson. Linguagem e persuasão. 16. ed. São Paulo: Ática, 2005. 07

229 CLARIODGE, Gordon. Origens da enfermidade mental. São Paulo: Summus, 1988. 01

230 COELHO, Teixeira. Os histéricos: uma novela. São Paulo: Companhia das Letras, 1993. 01

231 COHEN, Ernesto. Avaliação de projetos sociais. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

232 COLL, César. Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia da educação escolar. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. v. III.

02

233 ______. Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia evolutiva. Vol. I. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. 02

234 ______. Desenvolvimento psicológico e educação: transtornos de desenvolvimento e necessidades educativas especiais. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. v.II.

02

Page 361: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

235 COLL, César. Psicologia e currículo. São Paulo: Ática, 2003. 02

236 COLOMER, Teresa. A formação do leitor literário: narrativa infantil e juvenil atual. São Paulo: Global, 2003.

05

237 COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

02

238 CORDIÉ, Anny. Os atrasados não existem: psicanálise de crianças com fracasso escolar. Porto Alegre: Artmed, 1996.

02

239 CORIA-SABINI, Maria Aparecida. Jogos e brincadeiras na educação infantil. 2. ed. Campinas: Papirus, 2005.

05

240 CÓRIA-SABINI, Maria Aparecida. Psicologia aplicada à educação. São Paulo: E.P.U, 1986.

02

241 COSSON, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2006.

05

242 COSTA VAL, Maria da Graça. Redação e textualidade. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

02

243 COSTA, Maria Cristina Castilho. Sociologia: introdução à ciência da sociedade. 3. ed. São Paulo: Moderna, 2005.

02

244 COSTA, Sônia Bastos Borba. O aspecto em português. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2002.

02

245 COUTINHO, Afrânio. Introdução à literatura no Brasil. 19. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

05

246 COUTINHO, Ismael de Lima. Gramática histórica. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 2005.

03

247 CRUZ E SOUZA, João da. Broqueis: faróis. São Paulo: Martin Claret, 2002.

03

248 CRUZ, Carla; RIBEIRO, Uirá. Metodologia científica: teoria e prática. Rio de Janeiro: Axel Books, 2004.

02

249 CRUZ, Décio Torres. O pop: literatura, mídia e outras artes. Salvador: Quarteto, 2003.

03

Page 362: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

250 CRYSTAL, David. Dicionário de linguística e fonética. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

05

251 CULLER, Jonathan. Teoria literária: uma introdução. São Paulo: Beca Produções Culturais Ltda, 1999.

08

252 CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário etimológico da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

02

253 CUNHA, Celso. Nova gramática do português contemporâneo. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

03

254 CUNHA, Denise. Retratos do Brasil: depoimentos. São Paulo: Política, 1984. v. IV.

01

255 CUNHA, Euclides da. Os sertões. São Paulo: Martin Claret, 2006. 03

256 CUNHA, Maria Antonieta Antunes. Literatura infantil: teoria e prática. 18. ed. São Paulo: Ática, 2004.

08

257 CUNHA, Maria Isabel. O bom professor e sua prática. Campinas: Papirus, 1989.

01

258 CURY, Carlos Rob. Educação e contradição. São Paulo: Cortez, 1986.

01

259 DA MATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema. 6. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

05

260 DAGHLIAN, Carlos. Poesia e música. São Paulo: Perspectiva, 1985.

05

261 DANTAS, Manoel Neto Roberto. Os intelectuais e canudos: o discurso contemporâneo. Salvador: UNEB, 2003.

01

262 DARTIGUES, André. O que é fenomenologia. 9ª ed. São Paulo: Centauro, 2005.

02

263 DAVIDOFF, Linda L. Introdução à psicologia. São Paulo: Makron Books, 2004.

11

264 DAVIS, Cláudia. Psicologia na educação. São Paulo: Cortez, 1994.

02

Page 363: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

265 DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: 34, 1995. v. I. 02

266 ______. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: 34, 1996. v. II.. 02

267 ______. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: 34, 1996. v. III 02

268 DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, 2006. 02

269 DEMO, Pedro. A nova LDB: ranços e avanços. 17. ed. São Paulo: Papirus, 2004. 04

270 ______. Avaliação qualitativa: polêmicas do nosso tempo. 7. ed. revista. São Paulo: Mediação, 2002. 04

271 ______. Desafios modernos da educação. 12. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

272 ______. Educar pela pesquisa. 7. ed. Campinas: Autores Associados, 2005. 03

273 ______. Metodologia cientifica em ciências sociais. 3. ed. revista. São Paulo: Atlas,2007. 04

274 ______. Pesquisa e construção de conhecimento. 6. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2004. 04

275 ______. Política social, educação e cidadania. 7. ed. Campinas: Papirus, 1994. 02

276 DESLANDES, Sueli Ferreira. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 22. ed. Petrópolis: Vozes, 1994. 10

277 DI ENGORIO, Maria de Fátima de. Memória coletiva: estratégias de preservação da identidade cultural dos imigrantes. Salvador: EDUNEB, 2003.

07

278 DIAS, Gonçalves. Poesia lírica e indianista. São Paulo: Ática, 2006. 05

279 DIMENSTEIN, Gilberto; ALVES, Rubem. Fomos maus alunos. 8. ed. Campinas: Papirus, 2007. 04

Page 364: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

280 DIONÍSIO, Ângela Paiva. Gêneros textuais & ensino. 2ª ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2003. 12

281 _______. O livro didático de português: múltiplos olhares. 3ª ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. 13

282 DIONÍSIO, Ângela Paiva. Tecendo textos, construindo experiências. Rio de Janeiro: Lucerna, 2003. 03

283 DOBOIS, Jean. Dicionário de linguística. São Paulo: Cultrix, 1973. 02

284 DOWBOR, Ladislau. Desafios da globalização. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

285 DURÃO, Santa Rita. Caramuru: poema épico do descobrimento da Bahia. São Paulo: Martin Claret, 2006. 03

286 DUTRA, Rosália. O falante gramático: introdução à prática de estudo e ensino do português. Campinas: Mercado de Letras, 2003.

07

287 EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma introdução. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003. 02

288 ECO, Humberto. Como se faz uma tese. 19. ed. São Paulo: Perspectiva. 2004. 02

289 ______. Interpretação e superinterpretação. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005. 03

290 ______. Seis passeios pelos bosques da ficção. São Paulo: Companhia das Letras, 1994. 05

291 ______; BONZZI, M. Mentiras que parecem verdades. São Paulo: Summus, 1980. 07

292 EISENSTEIN, Sergei. A forma de filme. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002. 02

293 ______. O sentido do filme. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002. 02

294 ELIADE, Mircea. Mito e realidade. São Paulo: Perspectiva, 2006. 05

Page 365: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

295 ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. São Paulo: Martins Fontes, 1992. 02

296 ELIAS, Jasón. Na casa da lua. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998. 01

297 ELIAS, Marisa Del Cioppo. Pedagogia Freinet: teoria e prática. 3ª ed. Campinas: Papirus, 2002. 02

298 EPSTEIN, Isaac. O signo. 7ª ed. São Paulo: Ática, 2004. 05

299 ESPANCA, Florbela; DAL FARRA, Maria Lucia. Poemas de Florbela espanca. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 04

300 ESPINHEIRA FILHO, Ruy. Antologia poética. Salvador: Copene, 1996. 01

301 ESPÍRITO SANTO, Ruy Cezar do. Pedagogia da transgressão. 6. ed. Campinas: Papirus, 2003. 04

302 ESTAVAM, Carlos. Freud, vida e obra. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995. 02

303 ESTEBAN, Maria Teresa; ZACCUR, Edwiges. Professora pesquisadora: uma práxis em construção. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

01

304 FADIMAN, Anne. Ex-líbris: confissões de uma leitora comum. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002. 05

305 FARACO, Carlos Alberto & MOURA. Gramática. 19. ed. São Paulo: Ática, 2004. 01

306 ______. Linguística histórica: uma introdução ao estudo da história das línguas. São Paulo: Parábola, 2007. 01

307 ______. Prática de texto: língua portuguesa para nossos estudantes. 16. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 03

308 FARIA, Ana Lucia G. de. Ideologia no livro didático. 15. ed. São Paulo: Cortez, 2005. 03

309 FARIA, Maria Alice. Como usar o jornal na sala de aula. 8. ed. São Paulo: Contexto, 2003. 05

Page 366: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

310 FARIAS, Gênesis Naum de. A alma das ruas. Juazeiro: UNEB, 2004. 05

311 FARRA, Maria Lúcia Dal. Afinado desconcerto: contos, cartas, diários. São Paulo: Iluminuras, 2002. 02

312 FAUSTO, Boris. História concisa do Brasil. 2. ed. São Paulo: EDUSP, Editora da Universidade de São Paulo. 2006. 05

313 FÁVERO, Leonor Lopes. Coesão e coerência textuais. 9. ed. São Paulo: Ática, 2004. 05

314 ______. Linguística textual: uma introdução. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2002. 07

315 FÁVERO, Leonor Lopes. Oralidade e escrita: perspectiva do ensino da linguagem. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2007. 06

316 FAZENDA, Ivani. A pesquisa em educação e as transformações do conhecimento. 6. ed. Campinas: Papirus, 2004.

02

317 ______. A virtude da força nas práticas interdisciplinares. Campinas: Papirus, 1999. 02

318 ______. Didática e interdisciplinaridade. 12. ed. Campinas: Papirus, 2007. 04

319 FEATHERSTONE, Mike. Cultura global: nacionalismo globalização e modernidade. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1999. 10

320 FEITOSA, Vera Cristina. Redação de textos científicos. 11. ed. Campinas: Papirus, 2007. 04

321 FERNANDES, Bernado Mançano. A formação do MST no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2000. 10

322 FERNANDES, Luís. URSS: ascensão e queda. 2. ed. São Paulo: Anita Garibalde, 1992. 01

323 FERRAREZI JÚNIOR, Celso. Ensinar o brasileiro: respostas a 50 perguntas de professores de língua materna. São Paulo: Parábola, 2007.

04

Page 367: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

324 FERRAZ, Maria Heloísa Corrêa de Toledo. Metodologia do ensino de arte. São Paulo: Cortez, 1993. 01

325 FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Mini Aurélio: dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Positivo, 2004. 02

326 ______. Novo dicionário Aurélio da língua portuguesa. 3. ed. Curitiba: Positivo, 2004. 02

327 FERREIRA, Martins. Como usar a música na sala de aula. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2006. 03

328 FERREIRA, Naura S.C. Gestão democrática da educação: atuais tendências, novos desafios. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2006. 05

329 FERREIRO, Emília. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artmed, 1985. 01

330 FERRÉS, Joan. Televisão subliminar. Porto Alegre: Artmed, 1998. 02

331 FERREYRA, Erasmo Noberto. A linguagem oral na educação de adultos. Porto Alegre: Artmed, 1998. 04

332 FINK, Dr. David Harold. Domine seu sistema nervoso. Rio de Janeiro: Científica, [s.d.]. 01

333 FIORIN, José Luiz. Elementos de análise do discurso. 13. ed. São Paulo: Contexto, 2005. 05

334 ______. Linguagem e ideologia. São Paulo: Ática, 2003. 05

335 ______; Platão. Para entender o texto: leitura e redação. São Paulo: Ática, 2003. 04

336 FISCHER, Ernest. A necessidade da arte. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002. 02

337 FONSECA, Vitor. Introdução às dificuldades de aprendizagem. 2. ed. ver. Porto Alegre: Artmed, 1995. 02

338 FORACCHI, Marialice Mencarini. Sociologia e sociedade: leituras de introdução à sociologia. Rio de Janeiro: LTC, 1977. 10

Page 368: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

339 FOUCAMBERT, Jean. A criança, o professor e a leitura. Porto Alegre: Artmed, 1997. 01

340 ______. A leitura em questão. Porto Alegre: Artmed, 1994. 03

341 FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005. 03

342 ______. A ordem do discurso. 11. ed. São Paulo: Loyola: 2004. 05

343 ______. As palavras e as coisas. 8. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999. 04

344 ______. Vigiar e punir: história da violência nas prisões. 15. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 20

345 _______. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979. 04

346 FRAGA, Myrian. Femina. São Paulo: Copene, 1996. 03

347 FRANCHI, Carlos. Mas o que é mesmo gramática? São Paulo: Parábola, 2007. 04

348 FRANCO, Creso. Avaliação, ciclos e promoção na educação. Porto Alegre: Artmed, 2001. 02

349 FREINET, Élise. O itinerário de Célestin Freinet. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979. 01

350 FREIRE, Ana Maria A. Analfabetismo no Brasil. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001. 03

351 FREIRE, Isabel Ribeiro. Raízes da psicologia. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

352 FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 46. ed. São Paulo: Cortez, 2005. 03

353 ______. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003. 04

354 ______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002. 02

Page 369: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

355 FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. 09

356 _______. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. 04

367 ______. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho D’Água, 1993. 02

358 FREITAG, Bárbara. Escola, estado e sociedade. 4. ed. rev. São Paulo: Moraes, 1980. 03

359 FREITAS, Jolivaldo. A lâmina no coração. Salvador: Savana, 1981. 05

360 FREITAS, Luís Carlos de. Crítica da organização do trabalho pedagógico e da didática. 6. ed. Campinas: Papirus, 2003. 02

361 FREITAS, Maria Teresa de Assunção. Vygotsky e Bakhtin. Psicologia e educação: um intertexto. São Paulo: Ática, 2002. 03

362 FREUND, Julien. Sociologia de Max Weber. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. 02

363 FREYRE, Gilberto. Casa grande & senzala. São Paulo: Global, 2006. 03

364 FULGÊNCIO, Lúcia. Como facilitar a leitura. 8. ed. São Paulo: Contexto, 2004. 03

365 FULLAN, Michael; HARGREAVE, Andy. A escola como organização aprendente: buscando uma educação de qualidade. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

02

366 GADOTTI, Moacir. Concepção dialética da educação: um estudo introdutório. 12. ed. rev. São Paulo: Cortez, 2001. 02

367 ______. Educação e poder: introdução á pedagogia do conflito. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2005. 04

368 GAGLIARI, Luiz Carlos. Análise fonológica: introdução à teoria e à prática, com especial destaque para o modelo fonêmico. Campinas: Mercado de Letras, 2002.

05

Page 370: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

369 GAGNÉ, Robert M. Como se realiza a aprendizagem. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1971. 01

370 GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2005. 05

371 GALVÂO, Walnice Nogueira. Guimarães Rosa. São Paulo: Publifolha, 2000. 05

372 GANCHO, Cândida Vilares. Como analisar narrativas. 9. ed. São Paulo: Ática, 2006. 03

373 GANDIM, Danilo. Escola e a transformação social. Petrópolis: Vozes, 2001. 03

374 ______. Temas para um projeto político-pedagógico. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 02

375 ______. Planejamento como prática educativa. São Paulo: Loyola, 2007. 06

376 GARCIA, Antônio. Estudos de filosofia medieval. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. 10

377 GARCIA, Othon Moacyr. Comunicação em prosa moderna: aprenda a escrever, aprendendo a pensar. 23. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

02

378 GARCIA, Regina L. Alfabetização dos alunos das classes populares. São Paulo: Cortez, 1992. 01

379 GARRET, Almeida. Frei Luís de Sousa. São Paulo: Martin Claret, 2005. 04

380 ______. Viagens na minha terra. São Paulo: Martin Claret, 1963. 05

381 GEERTZ, Clifford. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 11

382 ______. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989. 02

Page 371: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

383 GENTILI, Pablo A. A.; SILVA, Tomáz Tadeu da. Neoliberalismo, qualidade total da educação. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

384 ______. Globalização excludente: desigualdade, exclusão e democracia na nova ordem mundial. Petrópolis: Vozes, 2000. 10

385 GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula: leitura e produção. São Paulo: Ática, 2003. 04

386 ______. Linguagem e ensino: exercícios de militância e divulgação. São Paulo: Mercado de Letras, 1996. 05

387 GERGES, Samir N. Y. Ruído: fundamentos e controle. Florianópolis: S. N. Y, 1992. 01

388 GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002. 04

389 ______. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999. 02

390 GIORDANI, Mário Curtis. História da Grécia: antiguidade clássica I. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2001. 10

391 ______. História de Roma: antiguidade clássica II. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

392 GNERRE, Mauricio. Linguagem, escrita e poder. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 07

393 GONÇALVES, Carlos Luiz; PIMENTA, Selma Garrido. Revendo ensino do 2º grau: propondo a educação de professores. São Paulo: Cortez, 2001.

03

394 GONÇALVES, Sebastião Carlos Leite; HERNANDES, Maria Célia Lima. Introdução à gramaticalização: princípios teóricos & aplicação. São Paulo: Parábola, 2007.

04

395 GONZAGA, Antonio Tomáz. Marília de Dirceu. Porto Alegre: L&PM, 1998. 04

396 GOODMAN, Ken. Introdução à linguagem integral. Porto Alegre: Artmed, 1997. 01

Page 372: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

397 GOULART, Íris Barbosa. A educação na perspectiva construtivista. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2001. 10

398 ______. Piaget: experiências básicas para utilização pelo professor. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 09

399 GOULART, Íris Barbosa. Psicologia da educação: fundamentos teóricos à prática pedagógica. Petrópolis: Vozes, 2004. 02

400 GRISCOM, Chris. Êxtase: chave da dimensão espiritual. São Paulo: Siciliano, 1989. 01

401 GRISCOM, Chris. O tempo e uma ilusão. São Paulo: Siciliano, 1989. 01

402 GROSSMANN, Judith. Vária navegação: mostra de poesia. Salvador: Copene, 1996. 03

403 GUATTARI, Felix. Revolução molecular. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1985. 01

404 GUIMARÃES, Elisa. A articulação do texto. São Paulo: Ática, 2004. 03

405 GUIMARÃES, Lages. Introdução à ciência da computação. São Paulo: Livros Técnicos e Científicos, 1996. 01

406 GUINSBURG, J. O Romantismo. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005. 04

407 GUSMÃO, Paulo Dourado de. Teorias sociológicas. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1972. 02

408 HABERMAS, Jungen. O discurso filosófico da modernidade. São Paulo: Martins Fontes, 2000. 02

409 HAGUETTE, Tereza Maria Frota. Metodologias qualitativas na sociologia. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

410 HAMMERLY, Marcelo A. Técnica moderna de primeiros socorros. Recife: Casa Publicadora Brasileira, 1976. 01

411 HARVEY, Paul. Dicionário Oxford de literatura clássica grega e latina. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998. 05

Page 373: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

412 HEGEL, Georg W. Friedrich. Fenomenologia do espírito. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

413 HEGEL, Georg W. Friedrich. Fenomenologia do espírito. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2001. v. I. 10

414 HEGEL, Georg W. Friedrich. Fenomenologia do espírito. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2001. v. II. 10

415 HEIDEGGER, Martins. Ser e tempo. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2004. v.II. 10

416 ______. Ser e tempo. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2004. v. I. 30

417 HELD, Jacqueline. O imaginário no poder: as crianças e a literatura fantástica. São Paulo: Summus, 1980. 07

418 HERMANN, Jacqueline. No reino do desejado. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 03

419 HERMET, Guy. Cultura e desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

420 HOCHBERG, Julian. Percepção. Rio Janeiro. Jorge Zahar, 1966. 01

421 HOFFMANN, Jussara. Avaliar para promover: as setas do caminho. 6. ed. Porto Alegre: Mediação, 2004. 05

422 _______. Avaliação mediadora: uma prática e construção pré-escola à universidade. 20. ed. Porto Alegre: Educação e Realidade, 2003.

04

423 HOMEN, Hugo. Histórias de juízo incerto. Salvador: FUNCEB, 2005. 01

424 HORTON, Myles; FREIRE, Paulo. O caminho se faz caminhando: conversas sobre educação e mudança social. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

05

425 IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Atlas geográfico escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2002. 01

426 ILARI, Rodolfo. A linguística e o ensino da língua portuguesa. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997. 06

Page 374: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

427 ILARI, Rodolfo. Introdução à semântica. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2004. 03

428 ______. Introdução ao estudo do léxico. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2006. 06

429 ILARI, Rodolfo; GERALDI, João Wanderly. Semântica. 11. ed. São Paulo: Ática, 2006.

04

430 INÁCIO FILHO, Geraldo. A monografia na universidade. 8. ed. Campinas: Papirus, 2005.

03

431 JAIME, Jorge. Historia da filosofia no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2001. v.I.

10

432 ______. Historia da filosofia no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1997. v. II.

10

433 ______. História da filosofia no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2000. v. III.

10

434 ______. História da filosofia no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

435 JAKOBSON, Roman. Linguística e comunicação. São Paulo: Cultrix, [s.d.].

04

436 JAMERSON, Fredric. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 2002.

01

437 JAMES, Henry. A arte do romance. São Paulo: Globo, 2003. 02

438 JANTSCH, Ari Paulo; BIANCHETTI, Lucídio. Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

10

439 JEANMAIRE, Federico. O engenhoso fidalgo Dom Quixote de La Mancha. São Paulo: Martins, 2005.

03

440 JOBIM E SOUZA, Solange. Infância e linguagem: Bakhtin, Vygotsky e Benjamin. 7. ed. Campinas: Papirus, 2003.

02

441 JOBIM, José Luís. Introdução ao romantismo. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1999.

05

Page 375: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

442 JOBIM, José Luís. Introdução aos termos literários. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1999. 02

443 JOLIBERT, Josete. Formando crianças leitoras. Porto Alegre: Artmed, 1994. v. I. 03

444 JOLIBERT, Josete. Formando crianças produtoras de textos. Porto Alegre: Artmed, 1994. v. II. 03

445 JOSÉ GIMENO, Sacritán. O aluno como invenção. Porto Alegre: Artmed, 2005. 02

446 JOSÉ, Elizabete da Assunção; COELHO, Maria Teresa. Problemas de aprendizagem. 12. ed. São Paulo: Ática, 2004. 02

447 JOUVE, Vincent. A leitura. São Paulo: UNESP, 2002. 05

448 KANDINSKY, W. Do espiritual na arte. São Paulo: Martins Fontes, 2000. 04

449 KATO, Mary Aizawa A. No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística. São Paulo: Ática, 2002. 03

450 ______. O aprendizado da leitura. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999. 07

451 KAUFMAN, Ana Maria. Escola, leitura e produção de textos. Porto Alegre: Artmed, 1995. 02

452 KEHDI, Valter. Morfemas do português. São Paulo: Ática, 2004. 03

453 ______. Formação de palavras em português. São Paulo: Ática, 2003. 02

454 KERBRAT-ORECCHIONI, Catherini. Análise da conversação. São Paulo: Parábola, 2006. 04

455 KLEIMAN, Ângela. Leitura: ensino e pesquisa. 2. ed. São Paulo: Pontes, 2004. 04

456 ______. Oficina de leitura: teoria e prática. 10. ed. Campinas: Pontes, 2004. 05

457 ______. Texto e leitor. 9. ed. Campinas: Pontes, 2004. 05

Page 376: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

458 KLOTSCHE, Charles. A medicina da cor. 9. ed. São Paulo: Pensamento, 2000. 01

459 KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. A coerência textual. 16. ed. São Paulo: Contexto, 2004. 08

460 ______. A coesão textual. 18. ed. São Paulo: Contexto, 2003. 05

461 ______. A inter-ação pela linguagem. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2004. 02

462 ______. Desvendando os segredos do texto. 4ª ed. São Paulo: Cortez, 2005. 02

463 KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Introdução à lingüística textual. São Paulo: Martins Fontes, 2004. 03

464 ______. O texto e a construção dos sentidos. 7. ed. São Paulo: Contexto, 2003. 02

465 ______. Referenciação e discurso. São Paulo: Contexto, 2005. 02

466 KOCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação a pesquisa. 22. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

05

467 KOHAN, Walter Omar; Ana Miriam Wuensch. Filosofia para crianças. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. v. I. 10

468 ______; LEAL, Bernardina. Filosofia para crianças. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. v. IV. 10

469 KRAMER, Sônia. Didática da linguagem: ensinar a ensinar ou ler e escrever? Campinas: Papirus, 2001. 06

470 KRISTEVE, Júlia. Introdução a semi-análise. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005. 04

471 KUNH, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas. 9. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005. 02

472 LABAKI, Anir. Folha conta 100 anos de cinema. Rio de Janeiro: Imago, 1995. 01

Page 377: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

473 LAGO, Benjamim Marcos. Curso de sociologia e política. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

474 LAJOLO, Marisa. Do mundo da leitura para a leitura do mundo. São Paulo: Ática, 2004. 03

475 ______. Literatura infantil brasileira. São Paulo: Ática, 2004. 03

476 LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia cientifica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2005. 02

477 ______. Metodologia do trabalho cientifico. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2001. 04

478 LAPA, Manuel Rodrigues. Estilística da língua portuguesa. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 03

479 LARA, Tiago Adão. A filosofia nas suas origens gregas. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2001. 10

480 LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996. 09

481 LAROCA, Maria Nazaré Carvalho de. Manual de morfologia do português. 3. ed. ver. São Paulo: Pontes, 2003. 03

482 LAUFER, Roger. Introdução à textologia. São Paulo: Perspectiva, 1980. 02

483 LAUSBERG, Heirich. Linguística românica. 2. ed. rev. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1963. 02

484 LAVILLE, Cristian. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed / UFMG, 1999.

03

485 LEAHY-DIOS, Cyana. Língua e literatura: uma questão de educação? Campinas: Papirus, 2001.

02

486 LEITE, Ligia Chiappini Moraes. O foco narrativo. 10. ed. São Paulo: Ática, 2005.

05

Page 378: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

487 LEITE, Yonne & Callou, Dinah. Como falam os brasileiros. 2. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

06

488 LEMKOW, Anna F. O princípio da totalidade. São Paulo: Aquariana, 1992.

01

489 LERNER, Délia. Ler e escrever na escola: o real, o possível e o necessário. Porto Alegre: Artmed, 2002.

04

490 LEVINE, Peter A. O despertar do tigre: curando o trauma. São Paulo: Summus, 1999.

01

491 LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva. 4. ed. São Paulo: Loyola, 2003.

02

492 ______. A máquina universo: criação, cognição. Porto Alegre: Artmed, 1998.

02

493 ______. Cibercultura. São Paulo: 34, 1999. 02

494 ______. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: 34, 1993.

04

495 LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 21. ed. São Paulo: Loyola, 2006.

02

496 ______. Didática. São Paulo: Cortez, 1994. 02

497 LIMA, Fábio Batista. Os candomblés da Bahia: tradições e novas tradições. Salvador: UNEB, 2005.

05

498 LIMA, Haroldo. Em defesa do monopólio estatal do petróleo e do sistema Petrobrás. Brasília: Câmera dos Deputados, 1994.

02

499 LIMA, Luciano Rodrigues. O sujeito estético. Salvador: UNEB, 2003.

03

500 LIMA, Luiz Costa. A literatura e o leitor: textos de estética da recepção. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

03

Page 379: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

501 LIMA, Luiz Costa. Teoria da literatura em suas fontes. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. v. I

03

502 ______. Teoria da literatura em suas fontes. 3. ed. São Paulo: Civilização Brasileira, 2002. v. II

03

503 LOPES, Carlos Alberto Gonçalves. Lições de morfologia da língua portuguesa. São Paulo: Ática, 1985.

01

504 LOPES, Edward. Discurso, texto e significação: uma teoria do interpretante. São Paulo: Cultrix, 1978.

05

505 LOPES, Edward. Fundamentos de linguística contemporânea. 23. ed. São Paulo: Cultrix, 2007.

03

506 LOPES, Eliane Marta Teixeira. Perspectivas históricas da educação. São Paulo: Ática, 2002.

03

507 LOURENÇO, Eduardo. A nau de Ícaro: imagem e miragem da lusofonia. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

03

508 ______. Mitologia da saudade. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

03

509 LOVISOLO, Hugo R. Chaves para ler Anísio Teixeira. Salvador: EGBA, 1990.

01

510 LUCCHESI, Dante. Sistema, mudança e linguagem: um percurso na história da lingüística moderna. São Paulo: Parábola, 2004.

03

511 ______. Avaliação da aprendizagem escolar. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

08

512 ______. Fazer universidade: uma proposta metodológica. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

02

513 LUCKMANN, Thomas Peter L. Berger. A construção social da realidade. 23. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

10

514 LUDKE, Menga. O professor e a pesquisa. 3. ed. Campinas: Papirus, 2004.

02

Page 380: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

515 LUFT, Celso Pedro. Língua e liberdade. São Paulo: Ática, 2002. 03

516 ______. Moderna gramática brasileira. 2. ed. ver. São Paulo: Globo, 2002.

03

517 LUNA, Sérgio Vasconcelos de. Planejamento de pesquisa: uma introdução. Elementos para uma análise metodológica. São Paulo: PUC/EDUC, 1996.

04

518 LYONS, John. Linguagem e linguística: uma introdução. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1987.

05

519 LYOTARD, Jean François. Heidegger e os judeus. Petrópolis: Vozes, 1994.

10

520 MACAMBIRA, José Rebouças. A estrutura morfo-sintática do português: aplicação do estruturalismo linguístico. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001.

03

521 MACAMBIRA, José Rebouças. Português estrutural. 4. ed. São Paulo: Pioneira, 1998.

01

522 MACEDO, Helder. Partes de África. Rio de Janeiro: Record, 1999.

02

523 ______. Pedro e Paula. Rio de Janeiro: Record, 1999. 02

524 MACEDO, Roberto Sidnei. Currículo e docência: tensões contemporâneas e interfaces pós-formais. Salvador: UNEB, 2003.

05

525 MACEDO-ECKEL, Ercília. Quarta dimensão: o tempo da palavra e outros tempos. Goiânia: Kelps, 2005.

01

526 MACHADO, Ana Maria. Como e por que ler os clássicos universais desde cedo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002. 05

527 MACHADO, Aníbal. O melhor do conto brasileiro. 13. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2003. 07

528 MACHADO, Anna Rachel. Resenha. São Paulo: Parábola, 2004. 02

Page 381: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

529 MACHADO, Anna Rachel. Trabalhos de pesquisa: diários de leitura para a revisão bibliográfica. São Paulo: Parábola, 2007. 04

530 MACHADO, Maria Lúcia A. Pré-escola é não é escola: a busca de um caminho. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991. 01

531 MACHADO, Roberto. Foucault: a filosofia e a literatura. 2. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001. 02

532 MAGALDI, Sábato. Iniciação ao teatro. São Paulo: Ática, 2002. 02

533 MAGNANI, Maria do Rosário Mortatti. Leitura, literatura e escola: sobre a formação do gosto. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

03

534 MAINGUENAU, Dominique. Análise de textos de comunicação. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2005. 03

535 ______. Novas tendências em análise do discurso. 3. ed. Campinas: Pontes, 1997. 07

536 MALLMANN, Max. Síndrome de quimera. Rio de Janeiro: Rocco, 2000. 06

537 MALMERG, Bertil. A fonética: no mundo dos sons da linguagem. Lisboa: Livros do Brasil, 1998. 03

538 MALUF, Ângela Cristina Munhoz. Brincar: prazer e aprendizado. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2005. 03

539 MANCE, Euclides André. A revolução das redes: colaboração solidária como uma alternativa pós-capitalista à globalização atual. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

10

540 ______. Redes de colaboração solidária: aspectos econômico-filosóficos: complexidade e libertação. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

541 MANGUEL, Alberto. Uma história da leitura. São Paulo: Com. de Letras, 1997. 05

542 ______. No bosque do espelho: ensaio sobre as palavras e o mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. 05

543 MANZANO, André Luiz. Estudo dirigido de Excel XP. São Paulo: Érica, 1999. 02

Page 382: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

544 MANZANO, José Augusto Navarro Garcia. Estudo dirigido Excel 2000. 10. ed. São Paulo: Érica, 2004. 02

545 MARCINIAK, Barba. Mensageiros do amanhecer. São Paulo: Ground, 1996. 01

546 ______. Terra: chaves pleiadianas para a biblioteca viva. São Paulo: Ground, 1997. 01

547

MARCONI, Marina de Andrade. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2006.

05

548 MARCUSCHI, Luiz Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 2005. 07

549 MARGATO, Isabel; GOMES, Renato Cordeiro. Literatura, política, cultura (1994-2004). Belo Horizonte: UFMG, 2005. 02

550 MARICONE, Ítalo. Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. 03

551 MARINS, Juvêncio. O dia do palíndromo. Salvador: Kephera. 2004. 01

552 MARQUES, Maria Helena Duarte. Iniciação à semântica. 6ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003. 05

553 MARQUES, Mario Osório. A escola no computador: linguagens rearticuladas, educação outra. Ijuí, Rio de Janeiro: UNIJUÍ, 2003. 02

554 MARTIN, Robert. Para entender a lingüística: epistemologia elementar de uma disciplina. São Paulo: Parábola, 2003. 03

555 MARTINS, Gilberto de Andrade. Manual para elaboração de monografias e dissertações. 3ª ed. São Paulo: Atlas, 2002. 03

556 MARTINS, Jorge Santos. O trabalho com projetos de pesquisa: do ensino fundamental ao ensino médio. 3ª ed. Campinas: Papirus, 2003.

02

557 MARTINS, Maria Helena. O que é leitura. São Paulo: Brasiliense, 2004. 05

558 MARUNY CURTO, L. Luis. Escrever e ler: materiais e recursos para a sala de aula, vol. II. Porto Alegre: Artmed, 2000. 01

Page 383: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

559 MARUNY CURTO, L. Luis. Escrever e ler: como nossas crianças aprendem e como o professor pode ensiná-los a escrever e a ler. Vol. I. Porto Alegre: Artmed, 2000.

01

560 MARX, Karl. A ideologia alemã: Karl Marx e Friedrich Engels. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007. 01

561 ______. A ideologia alemã: teses sobre Feuerbach. São Paulo: Centauro, 2005. 01

562 ______. A ideologia alemã: Feuerbach e a contraposição entre as cosmovisões materialista e idealista. São Paulo: Martin Claret, 2005.

05

563 ______. O dezoito brumário e cartas à Kugelmann. São Paulo: Paz e Terra, 2002. 02

564

MASSAUD, Moisés. A criação literária, poesia. Conceito de literatura, gêneros literários, poesia e prosa, teoria da poesia, espécies poéticas: o lírico e o épico e formas poéticas. 16. ed. São Paulo: Cultrix, 2003.

03

565 ______. Fernando Pessoa: o espelho e a esfinge. São Paulo: Cultrix, 1998. 03

566 ______. História da literatura brasileira: das origens ao romantismo. 6. ed. São Paulo: Cultrix, 2001. v. I. 08

567 ______. História da literatura brasileira: modernismo. 6. ed. São Paulo: Cultrix, 2001. v. VIII. 05

568 MASSAUD, Moisés. História da literatura brasileira: realismo e simbolismo. 5. ed. São Paulo: Cultrix, 2001. v. II 05

569 ______. O conto português. São Paulo: Cultrix, 1975. 03

570 ______. A criação literária, prosa I: formas em prosa, conto, novela e romance. 20. ed. São Paulo: Cultrix, 2006. 03

571 ______. A literatura portuguesa. São Paulo: Cultrix, 1960. 03

572 ______. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 2004. 06

573 MATA, Francisco Salvador. Como prevenir as dificuldades na expressão escrita. Porto Alegre: Artmed, 2003. 02

Page 384: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

574 MATTA, Alfredo Eurico Rodrigues. Educação, cultura e direito: coletânea em homenagem à Edvaldo M. Boaventura. Salvador: EDUFBA, 2005.

01

575 MATTOS, Florisvaldo. A caligrafia de soluço e poesia anterior. Salvador: Copene, 1996. 02

576 MATTOSO, Kátia de Queirós. Ser escravo no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2003. 01

577 MEDEIROS, João Bosco. Correspondência: técnica de comunicação criativa. 17. ed. São Paulo: Atlas, 2004. 02

578 MEDEIROS, João Bosco. Português instrumental. São Paulo: Atlas, 2005. 03

579 MELLO, Guiomar Namo de. Educação escolar. São Paulo: Cortez, 1987. 01

580 MELLO, Luiz Gonzaga de. Antropologia cultural: iniciação, teoria e tema. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

581 MELO, Gladstone Chaves de. Iniciação à filologia e lingüística portuguesa. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1981. 05

582 MELUCCI, Alberto. A invenção do presente: movimentos sociais nas sociedades complexas. Petrópolis: Vozes, 2001. 10

583 MENDEZ, Juan; ALVAREZ, MANUEL. Avaliar para conhecer: examinar para excluir. Porto Alegre: Artmed, 2002. 04

584 MENEGOLLA, Maximiliano; SANT’ANNA, Ilza Martins. Por que planejar? Como planejar? Currículo área aula escola em debate. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

10

585 MENEZES, Gilda de Oliveira. Como usar outras linguagens na sala de aula. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2006. 05

586 MENEZES, Jaci Maria Ferraz de. Relações no atlântico sul: história e contemporaneidade. Salvador: UNEB, 2003. 02

587 MEREDIEU, Florence. O desenho infantil. São Paulo: Cultrix, 1974. 01

588 MERQUIOR, José Guilherme. A astúcia da mimese. 2. ed. Rio de Janeiro: Top Books, 1997. 03

589 MEURER, J. L.; BONINI, Adair; MOTTA-ROTH, Désirée. Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola, 2007. 04

Page 385: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

590 MIGUEL, Emilio Sánchez. Compreensão e redação de textos: dificuldades e ajudas. Porto Alegre: Artmed, 2002. 02

591 MIOTO, Carlos. Novo manual de sintaxe. 2. ed. Florianópolis: Insular, 2005. 03

592 MIRANDA, Simão de. Novas dinâmicas para grupos: a aprendência do conviver. 2. ed. Campinas: Papirus, 2003. 02

593 MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: E. P. U, 1986. 02

594 MOISÉS, Carlos Felipe. O desconcerto do mundo. São Paulo: Transversais, 2001. 02

595 MOISÉS, Massaud. A literatura portuguesa através dos textos. 30. ed. São Paulo: Cultrix, 2006. 06

596 MOLLICA, Maria Cecília; Braga, Maria Luiza. Introdução à sociolinguística: o tratamento da variação. São Paulo: Contexto, 2003.

05

597 MONTEIRO, José Lemos. A estilística: manual de análise e criação do estilo literário. Petrópolis: Vozes, 2005. 01

598 MONTEIRO, José Lemos. Morfologia portuguesa. 4. ed. ver.. Campinas: Pontes, 2002. 01

599 ______. Para compreender Labov. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 05

600 MORAES, Maria Cândida. O paradigma educacional emergente. 10. ed. São Paulo: Papirus, 2004. 03

601 MORAIS, Antônio Manuel Pamplona. A relação entre a consciência fonológica e as dificuldades de leitura. São Paulo: Vetor, 1997.

03

602 MORAIS, Artur Gomes de. Ortografia: ensinar e aprender. São Paulo: Ática, 2003. 03

603 MORAIS, Efraim. Novo código civil: exposição de motivos e texto sancionado. Brasília: Senado Federal, 2003. 01

604 MORAIS, Vinícius. Livro de sonetos. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 02

605 MORAN, José Manuel. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 8. ed. Campinas: Papirus, 2004. 05

Page 386: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

606 MOREIRA, Alberto da Silva. Sociedade global: cultura e religião. 2. ed. São Paulo: Vozes, 1999. 02

607 MOREIRA, Antônio Flávio. Currículo, cultura e sociedade. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2005. 03

608 MOREIRA, Marcos A. Aprendizagem significativa. São Paulo: Moraes, 1982. 01

609 MORICONI, Ítalo. Como e por que ler a poesia brasileira do século XX. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002. 03

610 MORIN, Edgar. Educar na era planetária. São Paulo: UNESCO, 2003. 02

611 ______. Ciência com consciência. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. 02

612 _______. Os sete saberes necessários a educação do futuro. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2005. 02

613 MORRIS, Charles G. Introdução à psicologia. São Paulo: Pearson. 2004. 04

614 MOYSÉS, Lúcia. A auto-estima se constrói passo a passo. 4. ed. Campinas: Papirus, 2004. 02

615 MULLER, Kurt. Psicologia aplicada á educação. São Paulo: E.P.U, 1977. 01

616 MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina. Introdução à linguística. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2005. v. I. 06

617 ______. Introdução à linguística: domínios e fronteiras. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2004. v. II. 06

618 ______. Introdução à linguística: fundamentos epistemológicos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005. v. III. 06

619 NAPOLITANO, Marcos. Como usar o cinema na sala de aula. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2005. 02

620 NETTO, Modesto Carone. Metáfora e montagem. São Paulo: Perspectiva, 1974. 10

621 NEVES, Maria Helena de Moura. A gramática funcional. São Paulo: Martins Fontes, 1997. 03

Page 387: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

622 NEVES, Maria Helena de Moura. A gramática: história, teoria, análise e ensino. São Paulo: UNESP, 2002. 03

623 ______. Que gramática estudar na escola? 2. ed. São Paulo: Contexto, 2004. 04

624 NIELSEN, Jakob. Projetando wabsites. 34. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000. 01

625 NIETZSCHE, Frederic. Para a genealogia da moral. São Paulo: Scipione, 2002. 03

626 ______. Assim falou Zaratustra. São Paulo: Martin Claret, 2004. 02

627 NORTON, Peter. Introdução à informática. São Paulo: Makron Books, 1996. 01

628 NUNES, Terezinha, BUARQUE, Lair, BRYANT, Peter. Dificuldades na aprendizagem da leitura: teoria e prática. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

03

629 OLIVEIRA, Ramon de. Informática educativa: dos planos e discursos à sala de aula. 9. ed. Campinas: Papirus, 2005. 03

630 OLIVEIRA, Ana Maria Carvalho dos Santos. Recôncavo sul: terra, homens, economia e poder no século XIX. Salvador: UNEB, 2002.

05

631 OLIVEIRA, Ieda. O que é qualidade em literatura infantil e juvenil? Com a palavra o escritor. São Paulo: DCL, 2005. 02

632 OLIVEIRA, Ivone Martins de. Preconceito e autoconceito: identidade e interação na sala de aula. 3. ed. Campinas: Papirus, 2004.

02

633 OLIVEIRA, Jorge Leite de. Texto acadêmico: técnicas de redação e de pesquisa científica. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2005. 03

634 OLIVEIRA, José Paulo Moreira de. Como escrever textos técnicos. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005. 03

635 ONG, Walter J. Oralidade e cultura escrita. Campinas: Papirus, 1998. 02

636 ORLANDI, Eni Puccinelli. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. 4. ed. Campinas: Pontes, 2003. 07

637 ______. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 2005. 04

Page 388: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

638 ORLANDI, Eni Puccinelli; ZILBERMAN, Regina; SILVA, Ezequiel Theodoro da. Leitura: perspectivas interdisciplinares. São Paulo: Ática, 2002.

03

639 ORO, Ari Pedro; STEIL, Carlos Alberto. Globalização e religião. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1999. 10

640 ORTIZ, Renato. Cultura brasileira, identidade nacional. São Paulo: Brasiliense, 2003. 03

641 PÁDUA, Elizabete Matallo Marchesini de. Metodologia de pesquisa: abordagem teórico-prática. 10. ed. ver.. Campinas: Papirus, 2004.

02

642 PAES, José Paulo. Os perigos da poesia e outros ensaios. Rio de Janeiro: Top Books, 1997. 04

643 PALMA, Maria Glória. Literatura e cinema: a demanda do santo graal & matrix; Eurico, o presbítero & a máscara do Zorro. São Paulo: EDUSC, 2004.

03

644 PARANHOS, Maria da Conceição. As esporas do tempo. Salvador: Copene, 1996. 03

645 PARES, Fernando da R. Mr. Lexo-Ton e outros poemas. Salvador: Copene, 1996. 02

646 PASCAL, Georges. O pensamento de Kant. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

647 PATERNOSTRO, Sil. Na terra de Deus e do homem. Rio de Janeiro: Objetiva, 1999. 01

648 PATTO, Maria Helena Souza. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1999.

02

649 PAULIUKONIS, Maria Aparecida Lino; GAVAZI, Sigrid. Da língua ao discurso: reflexões para o ensino. 2. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007.

09

650 PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica: debates. São Paulo: Perspectiva, 2005. 03

651 PENA, Martins. Os dous ou o inglês maquinista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000. 03

652 PENIN, Sônia T. de Souza. A aula: espaço de conhecimento, lugar de cultura. 5. ed. Campinas: Papirus, 2003. 02

Page 389: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

653 PEPETELA. A gloriosa família: o tempo dos flamengos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999. 03

654 PEREZ, Francisco Carvajal. Ensinar ou aprender a ler e a escrever? Porto Alegre: Artmed, 2001. 04

655 PERINI, Mário A. A língua do Brasil amanhã e outros mistérios. São Paulo: Parábola, 2004. 08

656 ______. Gramática descritiva do português. 4. ed. São Paulo: Ática, 2004. 03

657 ______. Para uma nova gramática do português. 10. ed. São Paulo: Ática, 2004. 02

658 ______. Sofrendo a gramática: ensaios sobre a linguagem. São Paulo: Ática, 2003. 04

659 PERRENOUD, Philippe. Ensinar: agir na urgência, decidir na incerteza: saberes e competências em uma profissão complexa. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2001.

02

660 ______. Formando professores profissionais: quais estratégias? Quais competências? 2. ed. São Paulo. Artmed, 2001.

04

661 ______. A prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2002.

02

662 PERRENOUD, Philippe. Os ciclos de aprendizagem: um caminha para combater o fracasso escolar. Porto Alegre: Artmed, 2004.

02

663 PERRONE-MOISÉS, Leila. Inútil poesia e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. 02

664 ______. Flores da escrivaninha. São Paulo: Companhia das Letras, 1990. 03

665 ______. Fernando Pessoa: aquém do eu, além do outro. 3. ed. rev. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 04

666 PERUZO, Cicília Maria Krohling. Comunicação para a cidadania. Salvador: UNEB, 2003. 09

667 PESSOA, Fernando. Mensagem. São Paulo: Hedra, 2007. 02

Page 390: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

668 PESSOA, Fernando. Poesia completa de Alberto Caeiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. 04

669 ______. O eu profundo e os outros eus. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006. 02

670 PETRAGLIA, Isabel Cristina. Edgar Morin: a educação e a complexidade do ser e do saber. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

671 PETRY, Rose Mary. Educação física e alfabetização. 2. ed. Porto Alegre: Kuarup, 1987. 01

672 PHILLIPS, Adam. O flerte. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 01

673 ______. Epistemologia genética. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002. 02

674 PIAGET, Jean. O nascimento da inteligência da criança. Rio de Janeiro: LTC, 1996. 02

675 PIAGET, Jean. Psicologia e pedagogia. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. 02

676 PICHIO, Luciana Stegagno. História da literatura brasileira. 2. ed. ver. Rio de Janeiro: Lacerda, 2004. 03

677 PICONEZ, Stela C. Bertholo. A prática de ensino e o estágio supervisionado. 10. ed. Campinas: Papirus, 2004. 02

678 _______. Educação escolar de jovens e adultos. Campinas: Papirus, 2006. 04

679 PIGNATARI, Décio. Informação, linguagem, comunicação. 2ª ed. Cotia, SP: Ateliê, 2003. 03

680 _______. Semiótica e literatura. 6ª ed. Cotia, SP: Ateliê, 2004. 01

681 PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN Evandro. Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2002.

02

682 _______. Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2002. 03

683 PINKER, Steven. O instinto da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2002. 03

Page 391: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

684 PINTO, Edith Pimentel. O português popular escrito. São Paulo: Contexto, 1996. 05

685 PINTO, Manuel da Costa. Literatura brasileira hoje. São Paulo: Publifolha, 2004. 03

686 PIZANI, Alicia Palácios de. Compreensão da leitura e expressão escrita. 7ª ed. Porto Alegre: Artmed, 1998. 02

687 PLATÃO & Fiorin. Lições de texto: leitura e redação. São Paulo: Ática, 2003. 03

688 ______. Fedro. São Paulo: Martins Fontes, 2005. 05

689 PONTUAL, Joana Cavalcanti. O jornal como proposta pedagógica. São Paulo: Paulus,1999. 03

690 PORCHER, Louis. Educação artística: luxo ou necessidade? São Paulo: Summus, 1992. 05

691 PORTUGAL, ociol Magalhães. Últimas palavras de um momento que vai. Salvador: UNEB, 2003. 08

692 POSSENTI, Sírio. Discurso, estilo e subjetividade. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 05

693 ______. Por que (não) ensinar gramática na escola. São Paulo: Mercado de Letras, 1996. 02

694 PRADO JÚNIOR, Caio. O mundo do socialismo. São Paulo: Brasiliense, 1967. 01

695 PRADO, Décio de Almeida. O teatro brasileiro moderno. São Paulo: Perspectiva, 2003. 02

696 ______. Teatro de Anchieta à Alencar. São Paulo: Perspectiva, 1993. 03

697 PRETTI, Dino. ociolingüística: os níveis da fala. 9. ed. São Paulo: EDUSP, 2003. 05

698 PROPP, Vladimir. As raízes históricas do conto maravilhoso. 2. ed. São Paulo:Martins Fontes, 2002. 05

Page 392: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

699 PROPP, Vladimir. Morfologia do conto maravilhoso. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. 03

700 PUCCI, Bruno. Teoria crítica e educação: a questão da formação cultural na escola de Frankfurt. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 02

701 QUADROS, Ronice Muller de. O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa. Brasília: MEC/SEESP, 2004.

01

702 QUEIRÓS, José Maria Eça de. O crime do padre Amaro. São Paulo: Martin Claret, 2003. 03

703 ______. O mandarim. São Paulo: Martin Claret, 2003. 03

704 ______ O primo Basílio. São Paulo: Martin Claret, 2003. 07

705 QUEIROZ, Robério Franklin de. Meu, mundo de sonhos e ilusões. Brasília: 2004. 05

706 QUENTAL, Antero de. Melhores poemas de Antero de Quental. São Paulo: Global, 2004. 03

707 RAMOS, Graciliano. Vidas secas: roteiro de leitura. 98. ed. Rio de Janeiro: Record, 2005. 04

708 RAMOS, Maria Luiza. Interfaces: literatura, mito, inconsciente, cognição. Belo Horizonte: UFMG, 2000. 03

709 RAPPAPORT, Clara Regina. Psicologia do desenvolvimento: a idade escolar e a adolescência. São Paulo: E.P.U, 1982. v. IV. 02

710 ______. Psicologia do desenvolvimento: a idade pré-escolar. São Paulo: E.P.U, 1981. v. VIII. 02

711 ______. Psicologia do desenvolvimento: a infância Inicial, o bebê e sua mãe. São Paulo: E.P.U, 1981. v. II. 02

712 ______. Psicologia do desenvolvimento: teorias do desenvolvimento conceitos fundamentais. São Paulo: E.P.U, 1981. v. I.

02

Page 393: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

713 RATEY, John J. Síndromes silenciosas. Rio de Janeiro: Objetiva, 1997. 01

714 RAY, Harris Carlos. Faça seu próprio jornal. Campinas: Papirus, 1993. 02

715 REGO, José Lins do. Menino de engenho. Rio de Janeiro: José Olympio, 2006. 04

716 REGO, Teresa Cristina. Vygotsky: uma perspectiva histórico cultural da educação. 15. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

22

717 REIS, Minervina Joseli Espíndola. O olhar do professor-aluno na sua formação acadêmica. Salvador: UNEB, 2003.

09

718 REUTER, Yves. Introdução à análise do romance. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

03

719 ROBERTSON, Roland. Globalização: teoria social e cultura global. Petrópolis: Vozes, 1999. 10

720 ROBINS, R. H. Pequena historia da linguística. Rio de Janeiro: LTC, 2004. 03

721 ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa. 43. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2003. 02

722 ROCHA, Luiz Carlos de Assis. Estruturas morfológicas do português. Belo Horizonte: UFMG, 1998. 03

723 RODRIGUES, Iram Jácome. O novo sindicalismo. Rio de Janeiro: Vozes, 1999. 10

724 RODRIGUES, José Albertino. Durkheim: sociologia. São Paulo: Ática, 2004. 01

725 ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil: 1930-19730. 28. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

726 ROSA, João Guimarães. Grande sertão veredas. 19. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001. 03

727 ______. Tutaméia: terceiras estórias. 8. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001. 04

Page 394: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

728 ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001. 04

729 ROSA, Maria Carlota. Introdução à morfologia. São Paulo: Contexto, 2003. 03

730 ROSEMBERG, Fúlvi. Literatura infantil e ideologia. São Paulo: Global, 1984. 01

731 ROSENFELD, Anatol. O teatro épico. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2006. 05

732 ______. Texto & Contexto II. São Paulo: Perspectiva, 2000. 01

733 ROSSINI, Maria Augusta Sanches. Aprender tem que ser gostoso. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2004. 02

734 RUBEM, Alves. Filosofia da ciência: introdução ao jogo e as suas regras. 6. ed. São Paulo: Loyola, 2003.

02

735 RUDIO, Tranz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 32. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

02

736 RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

04

737 SÁ, Celso Pereira de. Núcleo central das representações sociais. 2ª ed. revista. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

738 SADER, Emir. Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o estado democrático. 5ª ed. Rio de Janeiro e São Paulo: Paz e Terra, 2000.

02

739 SAGAN, Françoise. Sarah Bernhardt. Rio de Janeiro: Globo, 1988. 01

740 SAID, Edward W. Reflexões sobre o exílio e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2003. 03

741 SALIBA, Elias Thomé. As utopias românticas. 2. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2003. 03

742 SALOMON, Delcio Vieira. Como fazer uma monografia. 11. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004. 05

Page 395: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

743 SANDERS, IM. O amor é a melhor estratégia: uma nova visão do sucesso e da realização profissional. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

02

744 SANDHOLTZ, Judith Haymore. Ensinando com tecnologia: criando salas de aula centradas nos alunos. Porto Alegre: Artmed, 1997.

02

745 SANT’ANNA, Affonso Romano de. Paródia, paráfrase & Cia. 7. ed. São Paulo: Ática, 2004. 05

746 SANTAELLA, Lúcia. O que é semiótica. São Paulo: Brasiliense, 2007. 05

747 SANTIAGO, Silviano. Nas malhas da letra: ensaios. Rio de Janeiro: Rocco, 2002. 03

748 SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice. São Paulo: Cortez, 2003. 02

749 ______. Introdução a uma ciência pós-moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1989. 02

750 SANTOS, Clóvis Roberto dos. Ética, moral e competência dos profissionais da educação. São Paulo: Avercamp, 2004. 04

751 SANTOS, Daniel Francisco dos. Experiências de migração de trabalhadores nordestinos: Rondônia 1970 – 1995. Salvador: EGBA, 2003.

05

752 SANTOS, José Nunes dos. Voz d’alma profundezas do ser. Salvador: UNEB, 2003. 09

753 SANTOS, Juana Elbein dos. Os nagôs e a morte. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

754 SANTOS, Juracy Marques dos. Contribuições da psicanálise e psicologia da arte para o campo educacional. Salvador: UNEB, 2003.

10

755 SANTOS, Luiz Carlos dos. Artigos técnicos científicos e textos de opinião. Salvador: UNEB, 2004. 01

Page 396: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

756 SARAIVA, Antônio José. O discurso engenhoso: estudos sobre Vieira e outros autores barrocos. São Paulo: Perspectiva, 1980. 04

757 SARAIVA, Antônio José. Historia da literatura portuguesa. Portugal: Porto Editora, 2005. 03

758 SARAIVA, Arnaldo. Modernismo brasileiro e modernismo português. Campinas: UNICAMP, 2004. 02

759 SARAIVA, José Hermano. História concisa de Portugal. 23. ed. Lisboa, Portugal: Publicações Europa-América, 2005. 02

760 SARAMAGO, José. História do cerco de Lisboa. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. 03

761 ______. A jangada de pedra. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 03

762 ______. Memorial do convento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001. 04

763 SARNAMENTO, Walney Moraes. Títulos de créditos. Salvador: UNEB, 2003. 05

764 SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada: ensaio de ontologia fenomenológica. 12. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

765 SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, [s.d.]. 06

766 SAVATER, Fernando. A infância recuperada. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 05

767 SAVIANI, Dermeval. A nova lei da educação LDB: trajetória limites e perspectivas. 9. ed. Campinas: Autores Associados, 2004.

06

768 ______. Educação: do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Cortez, 1980. 01

769 ______. Escola e democracia: polêmica do nosso tempo. 36. ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2003. 02

Page 397: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

770 SCHÖN, Donald A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

02

771 SCHRAML, Walter J. Introdução à moderna psicologia do desenvolvimento para educadores. São Paulo: E.P.U, 1997. 01

772 SCHUTZ, Will. Profunda simplicidade. São Paulo: Àgora, 1989. 01

773 SCHWARCZ, Liliam Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e a questão racial no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

04

774 SECUNDA, Victori. As mulheres e seus pais. Rio de Janeiro: Agir, 2005. 01

775 SERAFINI, Maria Teresa. Como escrever textos. 12. ed. São Paulo: Globo, 2004. 02

776 SERBINO, Raquel Volpato. Formação de professores. São Paulo: UNESP, 1998. 02

777 SERRA, Ordep. Águas do rei. Petrópolis: Vozes, 1995. 11

778 SEVERINO, Antônio Joaquim. Conhecimento, pesquisa e educação. Campinas: Papirus, 2001. 02

779 SILVA, Ezequiel Theodoro da. A produção da leitura na escola. São Paulo: Ática, 2002. 03

780 _______. Leitura na escola e na biblioteca. 2. ed. Campinas: Papirus, 1986. 02

781 SILVA, arí Militão da. Os educadores e o cotidiano escolar. Campinas: Papirus, 2000. 02

782 SILVA, Luiz Heron da. Século XXI: Qual conhecimento? Qual currículo? 29. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. 08

783 SILVA, Maria Cecília P. de Souza. Linguística aplicada ao português: morfologia.15. ed. São Paulo: Cortez, 2005. 05

Page 398: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

784 SILVA, Maria Cecília P. de Souza. Linguística aplicada ao português: sintaxe. São Paulo: Cortez, 2005. 04

785 SILVA, Rosa Virginia Mattos e. Contradições no ensino de português brasileiro: a língua que se fala X a língua que se ensina. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2003.

05

786 ______. Ensaios para uma sócio-história do português. São Paulo: Parábola, 2004. 04

787 ______. O português são dois. 2. ed. São Paulo: Parábola, 2006. 04

788 ______. O português arcaico: fonologia, morfologia e sintaxe. São Paulo: Contexto, 2006. 05

789 ______. Tradição gramatical e gramática tradicional. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2002. 05

790 SILVA, Thaís Cristófaro. Exercícios de fonética e fonologia. São Paulo: Contexto, 2003. 06

791 ______. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 8. ed. São Paulo: Contexto, 2005. 06

792 SILVA, Vagner Gonçalves da. Orixás da metrópole. Petrópolis: Vozes, 1995. 10

793 SILVEIRA, Victor Pablo da. Padecimentos completos. Salvador: Casas das Palavras, 2005. 02

794 SMITH, Frank. Leitura significativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 1999. 02

795 SMITH, Frank. Compreendendo a leitura: uma análise psicolinguística da leitura e do aprender a ler. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2003.

02

796 SMOLKA, Ana Luiza Bustamante. A criança na fase inicial da escrita: a alfabetização como processo discursivo. Campinas: Cortez, 1998.

02

797 ______. A linguagem e o outro no espaço escolar. 9. ed. Campinas: Papirus, 2003. 02

Page 399: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

798 SOARES, Angélica. Gêneros literários. São Paulo: Ática, 2006. 05

799 SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. 02

800 _______. Linguagem e escola: uma perspectiva social. São Paulo: Ática, 2002. 05

801 SODRÉ, Liana Gonçalves Ponde. A escrita manuscrita cursiva. Salvador: EGBA, 2005. 05

802 SODRÉ, Muniz. Antropológica do espelho: uma teoria da comunicação linear em rede. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

803 ______. Claros e escuros: identidade, povo e mídia no Brasil. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2005. 10

804 SOLE, Isabel. Estratégias de leitura. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998. 01

805 SOPRAN, Fátima Leonor. Descobrindo nossas raízes. Salvador: UNEB, 2004. 05

806 SOUSA, Vilson Caetano de. Orixás, santos e festas. Salvador: UNEB, 2003. 07

807 SOUZA, Luiz Marques de. Compreensão e produção de textos. Petrópolis: Vozes, 1995. 02

808 SOUZA, Roberto Acíselo Quella de. Teoria da literatura. São Paulo: Ática, 2004. 03

809 SPOSATI, ldaíza de Oliveira. Assistência na trajetória das políticas sociais Brasil. São Paulo: Cortez, 1987. 01

810 STAATS, Arthur W. Comportamento humano complexo. São Paulo: E.P.U., 1973. 01

811 STALLONI, Yves. Os gêneros literários: a comédia, o drama, a tragédia, o romance, a novela, os contos. E a poesia. 2. ed. Rio de Janeiro: Difel, 2003.

03

Page 400: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

812 STAM, Robert. O espetáculo interrompido: literatura e cinema de desmistificação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981. 02

813 STÖRIG, Hans Joachim. A aventura das línguas: uma história dos idiomas do mundo. 3. ed. São Paulo: Melhamento, 2005. 03

814 STRADUSS, Claude Lévi. As estruturas elementares do parentesco. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

815 SUÁREZ, Adolfo Semo. Dicas pra “esquentar” as suas aulas: jogos reflexões e história. São Paulo: Paradigma, 2004. 03

816 SUÁREZ, Adolfo Semo. Professor nota 10. São Paulo: Paradigma, 2004. 03

817 SUÁREZ, Adolfo Semo. Sou professor e agora? Sugestões práticas para a prática de um magistério cristão eficaz. São Paulo: Paradigma, 2004.

03

818 SUNG, Jung Mo. Conversando sobre ética e sociedade. 12ª ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

819 SUPLICY, Marta. Conversando sobre sexo. 21. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. 10

820 SUSSEKIND, Flora. Cinematógrafo de letras: literatura, técnica e modernização no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 03

821 TAILLE, Yves de La. Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus, 1992. 05

822 TAJRA, Sanmya Feitosa. Informática na educação: novas ferramentas pedagógicas para o professor da atualidade. 3. ed. rev. São Paulo: Érica, 2001.

02

823 TARALLO, Fernando Luiz. A pesquisa ociolingüística. 7. ed. São Paulo: Ática, 2005. 02

824 TARDIF, Maurice. Saberes docentes & formação profissional: o saber dos professores em seu trabalho. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2006.

04

Page 401: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

825 TAURAINE, Alain. Critica da modernidade. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 20

826 ______. Poderemos viver juntos? Iguais e diferentes. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

827 TAVARES, Ildásio. IX sonetos da inconfidência. São Paulo: Giordano, 1999. 07

828 ______. Lídia de. Oxum, homem e mulher; mulher de roxo; caramuru; o vendedor de jóias. Salvador: SCT, 2004. 06

829 ______. Poetas da Bahia: século XVII ao século XX. Rio de Janeiro: Imago, 2001. 03

830 ______. Odes brasileiras. Rio de Janeiro: Imago, 1998. 02

831 TAVARES, Miguel Sousa. Equador. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004. 04

832 TEIXEIRA, Anísio Spinola. Pequena introdução à filosofia da educação. 5. ed. São Paulo: Nacional, 1967. 01

833 TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda européia e modernismo brasileiro. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 01

834 TELES, Maria Luiza Silveira. Sociologia para jovens: iniciação à sociologia. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2004. 10

835 TERRA, Ernani. Linguagem, língua e fala. São Paulo: Scipione, 1997. 02

836 TEYSSIER, Paul. História da língua portuguesa. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 03

837 THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2005. 04

838 THOMPSON, John B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

839 THURLER, Mônica Gather. Inovar no interior da escola. Porto Alegre: Artmed, 2001. 02

Page 402: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

840 TIBA, Içami. Disciplina limite na medida certa. São Paulo: Gente, 1996. 02

841 TODOROV, Tzvedan. Introdução à literatura fantástica. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004. 05

842 ______. As estruturas narrativas. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1970. 10

843 TOERA, Phippe Laburth. Etnologia antropológica. Petrópolis: Vozes, 2003. 10

844 TORGA, Miguel. Novos contos da montanha. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996. 04

845 TORRES, Carlos Alberto. Democracia, educação e multicuralismo. Petrópolis: Vozes, 2001. 10

846 TOSCANO, Moema. Introdução à sociologia educacional. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 21

847 TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1º e 2º graus. 9. ed. rev. São Paulo: Cortez, 2003.

07

848 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA. Ações normativas. Salvador: EDUNEB, 2008. 05

849 ______. Estatuto do regimento geral. Salvador: EDUNEB, 2008. 06

850 UPKIDE, J. Coelho corre. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. 01

851 URBANO, Hudinilson. Dino Preti e seus temas: oralidade, literatura, mídia e ensino. São Paulo: Cortez, 2001. 03

852 VALENSI, Lucette. Fábulas da memória: a batalha de Alcácer Quibir e o mito do sebastianismo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.

03

853 VALENTE, André. Aulas de português: perspectivas inovadoras. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 22

854 VALÉRIO, Milfa Araújo Sebadelle. Palavras do silêncio. Salvador: UNEB, 2004. 05

Page 403: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

855 VALLE, Edênio. A cultura do povo. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1984. 01

856 VANOYE, Francis. Usos da linguagem: problemas e técnicas na produção oral e escrita. 12. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003. 03

857 ______. Ensaio sobre análise fílmica. 3. ed. Campinas: Papirus, 2005. 02

858 VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Para onde vai professor? Resgate do professor com sujeito de transformação. 10. ed. São Paulo: Libertad, 2003.

02

859 ______. Construção do conhecimento em sala de aula. 15. ed. São Paulo: Libertad, 2004. 02

860 VASCONCELLOS, Maria José Esteves da. Pensamento sistêmico: o novo paradigma da ciência. 3. ed. Campinas: Papirus, 2003.

02

861 VAUGHAN, SUSAN C. A cura pela fala: a ciência por trás da psicoterapia. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998. 01

862 VECHI, Carlos Alberto. Roteiro de leitura: amor de perdição, de Camilo Castelo Branco. São Paulo: Ática, 1998. 03

863 VEIGA, Benedito. Memória da vida literária baiana: década de 60. Salvador: UNEB, 2003. 03

864 VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Repensando a didática. 4. ed. Campinas: Papirus, 1990. 01

865 ______. A prática pedagógica do professor de didática. 8. ed. Campinas: Papirus, 2004. 02

866 ______. As dimensões do projeto político-pedagógico. 3. ed. Campinas: Papirus, 2004. 03

867 VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Escola: espaço do projeto político pedagógico. 7. ed. Campinas: Papirus, 2003. 04

868 _______. Técnicas de ensino: por que não? 17. ed. São Paulo: Papirus, 2006. 05

Page 404: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

869 VELLOSO, Fernando de Castro. Informática: conceitos básicos + de 200 exercícios. 7. ed. rev. Rio de Janeiro: Campus, 2004. 01

870 VERGER, Pierre. Fluxo e refluxo. 4. ed. ver. Salvador: Corrupio, 2002. 02

871 VIANNA, Oliveira. Ensaios inéditos. São Paulo: UNICAMP, 1991. 02

872 VICENTE, Gil. Auto da índia, auto da barca do inferno, farsa de Inês Pereira. 2. ed. São Paulo: Senac, 2003. 03

873 VIDAL, Ariovaldo José. Roteiro para um narrador: uma leitura dos contos de Rubem Fonseca. São Paulo: Ateliê Editorial, 2000. 03

874 VIDOS, Benedek Elemér. Manual de linguística românica. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1996. 02

875 VILARINO, Carlos. As sete faces de Severina Caolha. Salvador: FUNCEB, 2005. 01

876 VILLASANTE, Tomás R. Redes e alternativas. Petrópolis: Vozes, 2002. 10

877 VIRGOLIM, Ângela Magda R. Toc, toc... plim, plim. Lidando com emoções. 6. ed. Campinas: Papirus, 2004. 01

878 VYGOTSKY, Levi Semero Vitch. A formação social da mente. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 03

879 ______. Pensamento e linguagem. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005. 05

880 WEEDWOOD, Bárbara. História concisa da linguística. São Paulo: Parábola, 2002. 05

881 WEIL, Pierre. O corpo fala: a linguagem silenciosa da comunicação não-verbal. 61. ed. Petrópolis: Vozes, 2007. 03

882 WEISZ, Telma. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. 2. ed. São Paulo: Ática, 2004. 03

883 WEREBE, Maria José Garcia. Grandezas e misérias do ensino no Brasil. São Paulo: Ática, 1997. 01

Page 405: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

ORD. AUTOR/TÍTULO Nº EX.

884 WILLIAMS, Edwin B. Do latim ao português: fonologia e morfologia históricas da língua portuguesa. 7. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2001.

05

885 WILLIAMS, Phillip; VARMA, Ved P. Piaget, psicologia e educação: escritos em homenagem a Jean Piaget. 9. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

01

886 XAVIER, Antônio Carlos; CORTEZ, Suzana. Conversas com linguistas: virtudes e controvérsias da linguística. São Paulo: Parábola, 2003.

03

887 ZABALA, Antoni. Como trabalhar os conteúdos procedimentais em aula. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 1999. 02

888 ZANOTTO, Normélio. Estrutura mórfica da língua portuguesa. 4. ed. rev. Caxias do Sul: EDUCS, 2001. 03

889 ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. 11. ed. São Paulo: Global, 2003. 05

890 ______. Como e por que ler a literatura infantil brasileira. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005. 05

891 ZORZI, Jaime Luiz. Aprender e escrever: a apropriação do sistema ortográfico. Porto Alegre: Artmed, 1998. 02

892 ______. Aprendizagem e distúrbios da linguagem escrita. Porto Alegre: Artmed, 2003. 02

TOTAL 3.589 Fonte: Biblioteca do Campus IX - Barreiras/BA

Page 406: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.6. REGIME ESCOLAR ADOTADO, NÚMERO DE VAGAS E TURNO DE FUNCIONAMENTO

O curso de Letras com habilitação em Língua Portuguesa e Literaturas -

Licenciatura, é oferecido anualmente em Processo Seletivo/Vestibular e adota o

regime escolar de matrícula semestral por componente curricular, com aulas

presenciais seguindo o calendário acadêmico determinado pela Universidade do

Estado da Bahia.

O número de vagas oferecidas no Curso foi alterado em alguns períodos.

Inicialmente foram oferecidas 50 vagas no turno matutino e 50 vagas no turno

vespertino (Res. nº 249/2003-CONSU). A partir do redimensionamento curricular

(Res. nº 271/2004-CONSU) este número foi reduzido para 30 vagas no turno

matutino e 30 vagas no vespertino. A partir de 2008, foi suspensa uma turma com 30

vagas do turno matutino, e ampliada para 40 vagas no turno vespertino, de acordo

com a Resolução do CONSU nº 461/2007.

Embora os Projetos de Redimensionamento/Implantação do Curso tenha sido implementado a partir de 2004, neste ano o número de vagas oferecido foi diferente do que ele estabelecia em seu Projeto, em função de que o Edital do Vestibular de 2004 foi publicado ainda em 2003 e tal Projeto só foi aprovado em meados de 2004.

Page 407: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 408: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 409: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 410: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 411: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 412: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

Page 413: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.7. QUALIDADE ACADÊMICA

A qualidade acadêmica do curso encontra-se apresentada através dos seguintes

quadros:

- Quadro - Evolução da matrícula do vestibular (relação candidato/vaga).

- Quadro - Demonstrativo da situação do alunado (formas de ingresso/formas de

saída).

- Quadro - Demonstrativo do índice de freqüência e aprovação discente.

- Quadro - Demonstrativo dos concluintes e previsão de conclusão.

QUADRO 33 - EVOLUÇÃO DO VESTIBULAR - RELAÇÃO CANDIDATO/VAGA

LETRAS - PERÍODO DE 2004 A 2010 TURNO MATUTINO - CAMPUS IX - BARREIRAS/BA

ANO

INSCRITOS NO CURSO VAGAS CONCORRÊNCIA

OPTANTE

NÃO

OP

TAN

TE

OPTANTE

NÃO

OP

TAN

TE

OPTANTE

NÃO

OP

TAN

TE

NEGRO

INDÍGENA

NEGRO INDÍGENA NEGRO INDÍGENA

2004 62 - 129 20 - 30 3/1 - 4/1

2005 69 - 81 12 - 18 6/1 - 4/1

2006 40 - 47 12 - 18 3/1 - 3/1

2007 31 - 56 12 - 18 3/1 - 3/1

Fonte: PROGRAD/GESEDI

Page 414: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADRO 34 - EVOLUÇÃO DO VESTIBULAR - RELAÇÃO CANDIDATO/VAGA LETRAS - PERÍODO DE 2004 A 2010

TURNO VESPERTINO - CAMPUS IX - BARREIRAS/BA

ANO

INSCRITOS NO CURSO VAGAS CONCORRÊNCIA

OPTANTE

O O

PTA

NTE

OPTANTE

O O

PTA

NTE

OPTANTE

O O

PTA

NTE

NEGRO

INDÍGENA

NEGRO INDÍGENA NEGRO INDÍGENA

2004 98 - 153 20 - 30 5/1 - 5/1

2005 62 - 68 12 - 18 5/1 - 4/1

2006 62 - 54 12 - 18 5/1 - 3/1

2007 38 - 37 12 - 18 3/1 - 2/1

2008 26 02 73 16 02 22 2/1 1/1 3/1

2009 37 01 55 16 02 22 2/1 0,5/1 2/1

2010 28 03 41 16 02 22 2/1 1/1 2/1

Fonte: PROGRAD/ GESEDI Os candidatos inscritos na condição de optantes pleiteiam o ingresso na UNEB

através do sistema de cotas para Afrodescendentes, instituídas pela Resolução no

196/02 do CONSU, implantadas em 2003, com um percentual de 40% das vagas

totais, ou para Indígenas, instituídas pela Resolução no 468/07 do CONSU

implantadas em 2008, com um percentual de 5% das vagas totais.

Page 415: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADRO 35 - DEMONSTRATIVO DA SITUAÇÃO DO ALUNADO PERÍODO: 2004 a 2011

FORMAS DE INGRESSO

Ano Vestibular Portador

de Diploma

Transferência Externa

Transferência

Interna

Transferência

Ex-Ofício Total

2004 100 04 - - - 104

2005 60 - - - - 60

2006 58 - 01 02 - 61

2007 45 01 - - - 46

2008 32 01 - - - 33

2009 34 - 01 01 - 36

2010 22 03 - - - 25

2011 38 - - 01 - 39

TOTAL 404

FORMAS DE SAÍDA

Ano /

Semestre Concluintes Abandonos Transferências Desistências

formalizadas Cancelamentos Total

2004.2 - 03 - - - 03 2005.1 - 08 - - - 09 2005.2 - 06 - - - 06 2006.1 - 13 - - - 13 2006.2 - 06 - - - 06 2007.1 - 15 - 03 - 18 2007.2 - 03 - - - 03 2008.1 - 12 - 02 - 14 2008.2 26 06 - - - 32 2009.1 19 02 - 01 - 22 2009.2 10 15 - 01 02 28 2010.1 14 06 - 01 - 21 2010.2 15 05 - 01 01 22

TOTAL 197

Total de alunos matriculados no semestre de 2010.2 em curso: 207

Page 416: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADRO 36- DEMONSTRATIVO DO INDICE DE FREQUENCIA E APROVAÇAO DISCENTE PERIODO DE 2004 A 2010

ANO INDICE DE APROVAÇÃO

INDICE DE REPROVAÇÃO

INDICE DE FREQUENCIA

2004.1. 80% 20% 75%

2004.2 88% 12% 85%

2005.1 75% 25% 75%

2005.2. 85% 15% 85%

2006.1 70% 30% 75%

2006.2 85% 15% 85%

2007.1 85% 15% 75%

2007.2 90% 10% 90%

2008.1 75% 25% 75%

2008.2 80% 20% 80%

2009.1 80% 20% 80%

2009.2 75% 25% 75%

2010.1 85% 15% 80%

2010.2 80% 20% 75%

QUADRO 37 - DEMONSTRATIVO DOS CONCLUINTES E PREVISÃO DE CONCLUSÃO

ANO CONCLUINTES PREVISÃO

1º SEMESTRE

2º SEMESTRE TOTAL 1º

SEMESTRE 2º

SEMESTRE TOTAL

2008 - 26 26 - - -

2009 19 10 29 - - -

2010 14 15 29 - - -

2011 - - - 17 20 37

2012 - - - 15 18 33

2013 - - - 19 22 41

Page 417: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

3.8 PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO

Fazem parte da formação acadêmica tanto o ensino quanto a pesquisa e a

extensão. O ensino não sobrevive sem a necessária ligação com as outras duas

atividades.

A pesquisa investiga, reflete e debate sobre diversos assuntos correspondentes à

área de formação, permitindo um processo de reconstrução contínuo. Mas o

conhecimento elaborado na Universidade não é o único. Existem outras formas de

construir conhecimento, a partir de um contato direto com a realidade e o contato

com diferentes segmentos sociais. Dessa maneira as atividades de Extensão são

articuladoras da Pesquisa e do Ensino e possibilitam a convivência com grupos

alijados de participação real nos processos sociais.

Os resultados das pesquisas são divulgados em congressos e eventos acadêmicos

e embasam o trabalho cotidiano de ensino, nas abordagens em sala de aula, nas

orientações para as pesquisas que culminam nos seminários interdisciplinares

semestrais, apresentados pelos discentes como requisitos para a conclusão dos

seus respectivos semestres, bem como nos Trabalhos de Conclusão de Curso.

A realização das atividades de extensão é uma interlocução entre profissionais,

alunos e parceiros externos à Universidade, em busca de uma ação cidadã para

superar as situações de desigualdade e de exclusão vivenciadas nas realidades

regionais e locais brasileira. Nesse sentido, estão voltadas para o desenvolvimento,

para a melhoria da qualidade de vida da população e a busca da cidadania

consciente. Outro alcance dos movimentos extensionistas é a oportunidade que a

Universidade cria para que se possa sempre repensar os cursos de graduação e

promover a melhoria contínua dos seus projetos político-pedagógicos.

Nos quadros 38 e 39 encontram-se elencados os trabalhos desta natureza

desenvolvidos pelos discentes do Campus IX a partir de 2004.

Page 418: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

QUADRO 38 - PROJETOS DE PESQUISA DESENVOLVIDOS NO PERÍODO DE 2004 A 2010

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

Avaliação de propagação de espécies nativas do bioma cerrado.

Determinar diferentes métodos de propagação de plantas nativas do bioma cerrado.

Reginaldo Conceição Cerqueira Comunidade em geral 2004 - - X

Produção de ovinos da raça Santa Inês em pastagens de capins

Tanzânia e Tifton-85.

Avaliar a produção de massa seca (MS) a qualidade da forragem e as características de carcaças de ovinos Santa Inês, mantidos pastagens dos capins Tifton-85 e Tanzânia.

Danilo Gusmão de Quadros

Comunidade Nordestina 2004 - - X

Relações econômicas e sociais no projeto de irrigação Barreiras Norte -: levantamento do potencial e estudo

de perspectivas.

Diagnosticar uma série de situações jurídicas especificas que o universo normativo prevê e orienta no sentido da

proteção do trabalhador que vive em regime de subordinação.

Airton Pereira Pinto Comunidade Barreiras Norte 2005 - - X

Avaliação ambiental dos solos utilizados com agricultura familiar de

afrodecendentes, no município de Barrreiras/BA.

Soluções para possíveis impactos ambientais causados pela exploração agropecuária que interferem diretamente ou indiretamente na produtividade da agricultura familiar do

município de Barreiras/BA.

Joaquim Pedro Soares neto

População Afrodescendentes 2005 - - X

Oferta de vagas e qualidade da educação infantil no oeste da Bahia.

Discutir as políticas públicas da educação infantil na região oeste da Bahia em relação à oferta de vagas e aos

indicadores de qualidade.

Débora Anunciação Cunha

Estudantes, profissionais da

educação infantil, secretarias de

educação

2005 - - X

Oficinas de Ciências.

Proporcinar aos porfessores das séries iniciais da disciplina de Ciências Naturais e acadêmicos do curso de Pedagogia, subsídios teóricos-metodologicos para a projeção de ações

docentes com postura ativa para um saber-fazer na disciplina de Ciências Naturais com o tema sistema

digestivo.

Emerson Monteiro Professores da

disciplina de Ciências Naturais

2006 - - X

Levantamento de doenças em fruteiras tropicais na região do Oeste

baiano.

Estudar a ocorrência de doenças em fruteiras tropicais nos municípios produtores do oeste baiano, visando a definição

de medidas preventivas e de manejo. João Luiz Coimbra

Municípios produtores de fruteiras do Oeste

baiano 2006 - - X

Page 419: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

Controle dos Nematóides de galhas com extrato vegetais obtidos de

plantas do cerrado baiano.

Avaliar o efeito de extratos vegetais obtidos de plantas do cerrado baiano sobre a biologia e patogenicidade dos

nematóides M.javanica e M.incognita no tomateiro. João Luiz Coimbra Cerrado Oeste

Baiano 2006 - - X

Levantamento populacional e controle do fitonematoide

meloidogyne mayaguensis em regiões produtoras de goiaba no

oeste baiano

Levantamento populacional do fitonematóide Meloidoyne mayaguensis na cultura da goiaba no oeste baiano e estudar a melhor estratégia de controle para a redução populacional

dos nematóides no campo..

João Luiz Coimbra Regiões produtoras de goiaba do Oeste

Baiano 2006 - - X

Pesquisa e produção de plantas nativas do bioma cerrado na Bahia

Promover o conhecimento sobre a produção de mudas nativas do bioma cerrado,levando-se em consideração a

identificação de matrizes obtenção das sementes,métodos de superação de dormência crescimento e aumento na

oferta de mudas para fins de reflorestamento.

Reginaldo Conceição Cerqueira

Produtores de plantas nativas baiano 2006 - - X

Soja-suave uma nova opção de consumo para a população do

município de Barreiras,Ba

Proporcionar uma nova opção de plantio de soja de forma a fortalecer o desenvolvimento sustentável da agricultura

familiar na região difundindo tecnologias de processamento para agregação de valor ao produto com vistas ao consumo

no município de Barreiras,região Oeste da Bahia.

Fabio Del Monte Cocozza

Produção agropecuária do

Oeste Baiano 2006 - - X

Analise de sempenho da irrigação por microaspersão pra ticada na cultura da banana do perímetro

irrigado barreiras norte

Analisar e aplicar a irrigação por microaspersão na cultura da banana.

Sérgio Batista Assis Viana

Produção de fruteiras de bananas no Oeste

da Bahia 2006 - - X

Avaliação dos atributos físicos e carbono orgânico do solo ao longo do tempo no plantio direto no município de Luis Eduardo Magalhães, Oeste

da Bahia

Analisar os atributos físicos e carbono orgânico do solo no sistema de plantio direto com diferentes tempos de cultivo

comparando com o cerrado nativo.

Joaquim Pedro Soares Neto

Produção agrícola do Oeste Baiano 2006 - - X

Page 420: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

O texto e a consciência fonológica no processo de aquisição do sistema de escrita alfabético pela criança: uma intervenção pedagógica sistemática para a superação do analfabetismo escolar nos anos iniciais do ensino

fundamental.

Desenvolver uma proposta experimental de alfabetização em classes piloto de primeiro e segundo ano do ensino fundamental do município de Barreiras/BA, com vistas a

produção de material de referência teórica e metodológica para os professores alfabetizadores.

Débora Anunciação Cunha

Alunos do primeiro e segundo ano do

ensino fundamental e professores

alfabetizadores

2006 - 2008 - - x

Estudo epidemiológico e de manejo de doenças em mamona no Oeste da

Bahia.

Estudar as principais doenças da cultura da mamona em áreas de cultivo do Oeste da Bahia, com ênfase ao mofo

cinzento

Florisvalda da Silva Santos

Agricultor familiar da região do Oeste

Baiano 2007 - - X

Patogenicidade do nematóide de galhas a variedades de mamona e

levantamento das principais espécies de fitonematóides associados à

cultura na região de Barreiras e São Desidério no Oeste Baiano.

Levantamento das principais espécies de nematóides fitoparasitos associados com a cultura da mamona, bem

como estudar os prejuízos causados pelos nematóides de galhas a mamoneiras

João Luiz Coimbra Cultivadores de

mamona da região do Oeste Baiano

2007 - - X

Ecologia da polinização e Biologia reprodutiva das espécies nativas de Malpighiaceae na Serra do Mimo,

Barreias/BA.

Conhecer o sistema de reprodução da espécie Byrsonima crassifólia e Heteeeropterys sp. Ocorrentes na Serra do Mimo, verificando a interação com os polinizadores, as

estratégias de floração e frutificação e o sistema de compatibilidade destas espécies através de observações

diretas e experimentos de polinizações manuais e germinação de sementes, determinando a relação existente entre Malpighiaceae e seus visitantes florais em ambiente de

Cerrado no Oeste da Bahia

Cristiana Barros Nascimento Costa Comunidade em geral 2007 - - X

Etnoconhecimento dos pescadores artesanais de São José do Rio

Grande, Riachão das Neves, Bahia.

Descrever os conhecimentos etnoecológicos desenvolvidos pelos pescadores artesanais da comunidade de São José do

Rio Grande, município de Riaçhão das Neves, bem como identificar as técnicas de conservação das áreas pescadas.

Renata Cristina da Silva Costa Dâmaso Comunidade em geral 2007 - - X

Page 421: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

Produção de mudas de espécies nativas do cerrado baiano.

Promover o conhecimento sobre a população de mudas de plantas nativas do Bioma Cerrado, levando-se em

consideração a identificação de matrizes, obtenção de sementes, métodos de superação de dormência,

crescimento e aumento na oferta de mudas para fins de reflorestamento.

Fabio Del Monte Cocozza

Comunidade que vive no bioma Cerrado na

Bahia e população em geral

2007 - - X

Avaliação da eficiência dos fungos Trichoderma viride e Paecilomyces lilacinus no controle do parasitismo

do nematóide das agalhas Meloidogyne incógnita em

algodoeiro.

Avaliar em casa de vegetação e in vitro o controle de M. incógnita através do uso dos fungos Trichoderma viride e

Paecilomyces lilacinus. João Luiz Coimbra

Produtores de algodão, em especial, os do Oeste da Bahia

2007 - - X

Avaliação qualitativa da aprendizagem na educação infantil.

Capacitar coordenadores da Educação Infantil de Barreiras/BA em relação à implantação do processo de

avaliação qualitativa da aprendizagem.

Soraia Oliveira da Cunha Silva

Profissionais da Educação Infantil da

rede pública de ensino de Barreiras

2007 - - X

Qualidade física de um latossolo com plantio direto no Oeste da Bahia.

Avaliar a qualidade física de solo do cerrado do Oeste da Bahia, submetido ao plantio direto.

Joaquim Pedro Soares Neto

Agricultores do Oeste da Bahia 2007 - - X

A formação em Pedagogia para a docência na educação infantil de

qualidade.

Analisar a importância da formação em Pedagogia para a docência na educação infantil.

Anatália Dejane de Oliveira

Professores da rede municipal 2007 - - X

Potencial corretivo e fertilizante do pó-de-rocha proveniente de Ipirá/BA.

Avaliar o potencial de um pó-de-rocha proveniente de Ipirá/BA, como corretivo de acidez do solo e como fonte de

nutrientes para plantas.

Tadeu Cavalcante Reis

Comunidade científica 2008 - - X

Efeito de fitotoxidade pela aplicação de duas formulações do dessecante

na variedade de soja M-SOY 8787RR

Identificar fatores que podem causar fitotoxidade à soja RR em decorrência da aplicação de herbicida à base de

glifosato.

Tadeu Cavalcante Reis

Produtores de soja do Oeste Baiano 2008 - - X

Page 422: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

Estudo da suscetibilidade de diferentes genótipos de girassol à mancha de Alternaria (Alternaria

helianthi), ao mofo braço (Sclerotinis sclerotiorum) e ao oídio (Erysiphe

cichoracearum) no Oeste da Bahia.

Estudar o progresso da macha de Alternaria, mofo branco e oídeo em condições ambientais do Oeste Baiano.

Florisvalda da Silva Santos

Agricultores envolvidos na cadeia produtiva do girassol

2008 - - X

O papel do estágio para a formação do Pedagogo.

Compreender por meio da abordagem experiencial - pesquisa (auto)biografica, qual o papel do estágio para a formação do Pedagogo e que conceito é construído ao

longo do curso.

Ana Jovina Oliveira Vieira de Carvalho

Graduandos do curso de Pedagogia 2008 - - X

Estudo epidemiológico do mofo cinzento e da mancha de Alternaria

em mamona do Oeste da Bahia.

Estudar as principais doenças da cultura da mamona em áreas de cultivo do Oeste da Bahia.

Florisvalda da Silva Santos

Produtores de mamona do Oeste

Baiano 2008 - - X

Agentes químicos no controle da ferrugem, cercosporiose e mancha de Phoma do cafeeiro no Oeste da

Bahia.

Avaliar a incidência a severidade da ferrugem, da cercosporiose e da mancha de Phoma em função de diferentes programas de pulverizações no cafeeiro.

Florisvalda da Silva Santos

Produtores de café do Oeste baiano (no bioma cerrado)

2008 - - X

Biodiversidade de fungos predadores de nematóides em solos do cerrado

baiano.

Avaliar as espécies de fungos predadores em solo de cerrado e em áreas recentemente desmatadas para o

plantio da cultura do algodão no Oeste da Bahia.

Florisvalda da silva Santos

Comunidade científica 2008 - - X

Desenvolvimento vegetativo e ocorrência de doenças fúngicas no

cultivo de Pinhão manso no Oeste da Bahia.

Estudar aspectos agronômicos do pinhão manso com ênfase para o seu desenvolvimento inicial e a ocorrência de doenças e pragas no primeiro e segundo ano de cultivo nas

condições climáticas do Oeste da Bahia.

Florisvalda da Silva Santos

Comunidade técnico-científica 2008 - - X

Page 423: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

Comportamento mecânico de um latossolo vermelho-amarelo e suas relações com resíduos vegetais em

sua superfície.

Avaliar a capacidade de diferentes níveis de palhada no solo em dissipar a energia compactante, resultante do tráfego de

máquinas nas operações agrícolas.

Joaquim Pedro Soares Neto

Comunidade científica 2008 - - X

Composição, caracterização florística e flora apícola da Serra do Mimo,

Barreiras/BA.

Caracterizar a vegetação da Serra do Mimo, através do levantamento florístico e diagnostic da flora com potencial

agrícola.

Cristiana Barros Nascimento Costa

Comunidade em geral 2008 - - X

Caracterização citogenética de Bowdchia virgilioides (sucupira-preta)

e Pterodon emarginatus (sucupira-branca) do cerrado baiano.

Implantação da metodologia de caracterização citogenética de espécies vegetais no cerrado baiano, visando à descrição

cariotípica promovendo entendimento da estrutura, organização e função dos cromossomos, assim fornecendo

informações essenciais à elaboração de programas de melhoramento envolvendo a transferência e incorporação de

características de interesse.

Rita de Cássia Vital Santos Sanchês

Comunidade científica 2008 - - X

Polímeros naturais e sintéticos no armazenamento de frutos do cerrado

in natura e minimamente processados.

Avaliar as características físico-quimícas de frutos nativos do cerrado, in natura e pré-processados sob diferentes

temperaturas e armazenamento, como forma de melhorar o manejo pós-colheita e obter subsídios para o

aproveitamento industrial destes frutos.

Charles Leonel Galvão Sanches

Produtores e consumidores de

frutos do cerrado e comunidade em geral

2008 - - X

Eu avalio, tu avalias, nós nos auto-avaliamos? A experiência da Unidade

Universitária de Ciências Sócio-Econômicas e Humanas -

UnUCSEH/UEG com a auto-avaliação proposta pelo SINAES.

Analisar o processo de avaliação da Unidade Universitária de Ciências Sócio-Econômicas e Humanas -

UnUCSEH/UEG com a auto-avaliação proposta pelo SINAES.

Kelli Consuelo Almeida de Lima

Queiroz

Professores e estudantes da

Unidade Universitária de Ciências Sócio-

Econômicas e Humanas -

UnUCSEH/UEG

2008 - - X

Page 424: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

Efeito de épocas de platio da variedade”Mirante 10” no progresso do mofo cinzento da mamoneira do

município de Barreiras/BA.

Avaliar o efeito de diferentes épocas de plantio da mamoneira da variedade “Mirante 10” no progresso do mofo cinzento e na produtividade no município de Barreiras/BA.

Florisvalda da Silva Santos

Produtores de mamoneira de Barreiras/BA

2009 - - X

Ocorrência e identificação de abelhas indígenas como indicadoras na

biodiversidade na região Oeste da Bahia.

Identificar a ocorrência a campo das principais espécies de abelhas nativas para conhecimento de sua ocorrência e

principais hábitos de nidificação e polinização.

Tadeu Reis Cavalcante Produtores agrícolas 2009 - X -

Ocorrência e identificação de abelhas indígenasna região Oeste da Bahia.

Identificar a ocorrência a campo das principais espécies de abelhas nativas para conhecimento de sua ocorrência e

principais hábitos.

Tadeu Reis Cavalcante Produtores agrícolas 2009 - - X

Potencial dos extratos vegetais obtidos de plantas do cerrado baiano em controlar o nematóide de galhas.

Avaliar o controle do nematóide de galhas M. incógnita, através do uso de extratos vegetais obtidos de plantas do

cerrado baiano. João Luiz Coimbra Produtores agrícolas 2009 - - X

Diversidade de formicida e em ambientes agrários e naturais da

região Oeste da Bahia.

Efetuar o levantamento da diversidade de formicidas, estudando a diversidade citogenética e o potencial de

utilização das formigas como bioindicadores do grau de conservação de ambientes agrários e naturais na região

Oeste da Bahia.

Charles Leonel Galvão Sanches Produtores agrícolas 2009 - - X

Estudo do efeito da temperatura do crescimento micelial, capacidade de esporulação e germinação conidial

de isolados de Amphobotrys ricini em mamona no Oeste da Bahia.

Determinar o comportamento in vitro de Amphobotrys ricini quanto ao crescimento micelial, a produção de esporos e

germinação em diferentes temperaturas.

Florisvalda da Silva Santos

Produtores de mamoneira de Barreiras/BA

2009 - - X

Page 425: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

Características e atuação da gestão escolar: perfil do gestor.

Caracterizar o perfil da equipe de gestão de escolas públicas e estaduais do ensino médio do município de Barreiras/BA,

comprometido com os aspectos operacionais, administrativos e pedagógicos, de forma a garantir a

consecução dos fins últimos da educação.

Gabriela Souza Rego Pimentel

Equipe de gestão das escolas públicas

estaduais do ensino médio do município

de Barreiras/BA

2009 - - X

O perfil profissiográfico dos Pedagogos e suas contribuições

educacionais na cidade de Barreiras/BA.

Analisar o perfil profissiográfico e o processo de desvirtualização profissional.

Itaraju Queiroz Santos

Professores e Pedagogos do município de Barreiras/BA

2009 - - X

Potencial alelopatico de espécies arbóreas nativas do bioma cerrado

baiano

Realizar testes de potencial alelopático de árvores nativas escolhidas com base num levantamento fitossociológico em

área do cerrado através de bioensaios de germinação.

Fábio del Monte Cocozza

Produtores de vegetal no cerrado baiano 2009 - - X

Estudo da língua falada no Oeste da Bahia

Analisar a diversidade da língua portuguesa falada no Oeste da Bahia, a partir de dados coletados na cidade de Barreiras/BA e no assentamento de reforma agrária

localizado no município Angical/BA.

Ricardo Tupiniquim Ramos

Comunidade de Angical e Barreiras, municípios da Bahia

2009 - - X

Efeito residual da aplicação de diferentes doses de esterco bovino

na cultura do milho

Avaliar o efeito residual do esterco bovino, em diferentes, dosagens no solo, após o cultivo do milho, bem como o

acúmulo de matéria seca na parte aérea da planta.

José Carlos de Carvalho

Produtores de milho e agricultores 2009 - - X

Caracterização cormossomica de espécies vegetais de importância

econômica da região Oeste da Bahia

Implantar de metodologia de caracterização citogenética de espécies vegetais no cerrado baiano para determinar a possível ocorrência de diferenciação longitudinal nos

cromossomos da espécie, visando a descrição cariotípica que é um passo de extrema necessidade, promovendo

então o atendimento da estrutura organização e função dos cromossomos.

Rita de Cássia Vital Sanches

Agricultores da região Oeste da Bahia 2009 - - X

Page 426: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

Empresa Júnior de Engenharia Agronômica da Universidade do

Estado da Bahia.

Promover o desenvolvimento técnico e acadêmico e pessoal e profissional de seus associados;

Promover o desenvolvimento econômico e social da comunidade;

Fomentar o espírito empreendedor de seus associados.

Charles Leonel Galião Sanches

Acadêmicos de agronomia 2009 - - X

Levantamento e identificação de espécies nativas do cerrado com

potencial forrageiro.

Na etapa um será realizado um levantamento de espécies nativas do cerrado que tenham potencial forrageiro no intuito

de manejo sustentável e política conservacionista. Numa segunda etapa serão realizados analises químicas e

biológicas a nutrição animal.

Danilo Gusmão de Quadros

Produtores forrageiros 2009 - - X

Composição, caracterização floristica e interações ecológicas da serra do

Mimo, Barreiras/BA..

Caracterizar a vegetação da serra do Mimo através do levantamento florístico e conhecer as interações ecológicas

entre planta polinizador destacando as espécies com potencial apícola e desenvolvendo estudo do sistema reprodutivo da espécie frutífera Mouriri pusa Gardner.

Cristina Barros Nascimento Costa

Cidade de Barreiras/BA e

comunidade em geral 2009 - - X

Avaliação de vermicomposto na produção de mudas nativas do cerrado para reflorestamento.

Avaliar a produção de mudas nativas do cerrado com uso de vermicompostagem, tendo em vista a crescente

necessidade de preservação e recuperação de áreas degradadas, uma vez que no presente u oeste baiano é

considerado uma nova fronteira agrícola.

Greice Ayra Franco-Assis

Produtores orgânicos 2009 - - X

CIPAM- Centro Interdisciplinar de Pesquisas Agro Ambientais.

Desenvolver pesquisa de forma sistemática e permanente da área agro ambiental nas microrregiões onde se estende a

influência da UNEB, promovendo atividades de pesquisa, ensino e extensão, planejadas em esforço conjugado entre

as diversas áreas do conhecimento, considerando as necessidades locais e respeitando os padrões culturais..

George Nathan Souza Brito

Comunidade, em geral, da Bahia 2009 - - X

Page 427: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

Trajetória escolar dos alunos quilombolas do curso de Agronomia

do movimento CETA, Bahia.

Conhecer as trajetórias escolares dos alunos remanescentes de quilombos do movimento CETA no curso de Agronomia do PRONERA no Departamento de Educação

e Ciências Humanas da UNEB, Campus IX, Barreiras/BA.

Renato Ribeiro Daltro

Alunos quilombolas do movimento CETA

do curso de Agronomia do

PRONERA na UNEB de Barreiras/BA

2010 - X -

Preservação e recuperação do riacho Lagamar (de água e de vida).

Recuperar a Mata Ciliar, além de preservar a conservação das nascentes e veredas localizadas nas comunidades da

Furquilha e Sítio Novo (São Desidério-BA).

Joaquim Pedro Soares Neto e

Jackeline Miclos Cortes

Comunidade em geral 2010 - X -

Potencial dos fungos associados a fêmeas de Melodogyne spp. em

reduzir o parasitismo de Meloidogyne mayaguensis.

Avaliar a eficiência de fungos isolados de fêmeas de Meloidogyne como agente de controle biológico do

nematóide M. mayaguensis. João Luiz Coimbra

Produtores de goiaba e tomate do Oeste

Baiano 2010 - X -

Potencial dos fungos associados a fêmeas de Meloidogyne spp. e micorrizas isoladas do solo do

cerrado em reduzir o parasitismo de Meloidogyne mayaguensis na

goiabeira.

Avaliar a eficiência de fungos isolados de fêmeas de Meloidogyne e fungos micorrízicos arbusculares em

controlar o nematóide M. myaguensis. João Luiz Coimbra

Produtores de goiaba na região do Oeste

Baiano 2010 - X -

Estudos em geografia: ensino e meio ambiente.

Discutir as várias possibilidades teórico-metodológicas para o ensino de geografia, objetivando a construção de material

de apoio do professor, enfocando principalmente o município no qual está inserido.

Márcia Virgínia Pinto Bomfim

Comunidade acadêmica 2010 - X -

Educação matemática.. Promover estudos e pesquisas voltados para a produção de

material na área de matemática, jogos e resolução de situações problemas.

Ivone Cristina Barros

Professores do ensino fundamental,

do ensino médio, pesquisadores e

estudiosos da área

2010 - - X

Page 428: Letras – Língua Portuguesa e Literaturas – Barreiras (Campus IX)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB Departamento de Ciências Humanas – DCH Colegiado do Curso de Letras Campus IX – Barreiras

TITULO DO PROJETO OBJETIVO RESPONSÁVEL PÚBLICO BENEFICIADO PERÍODO

FASE

P E C

Estimativa da evapotranspiração e produção de biomassa da cultura do milho por meio de imagens orbitais..

Estimar os componentes do balanço de energia, determinando a evapotranspiração diária, com utilização de

imagens dos satélites.

Marcos Antonio Vanderlei Silva

Comunidade científica 2010 - X -

Fitotoxidade do herbicida 2,4-D no milho em aplicações pré e pós-

emergência..

Avaliar se a cultura do milho apresenta diferença no desenvolvimento vegetativo e fitotoxidade sob efeito de diferentes concentrações de 2,4-D em aplicações pré-

emergência e pós-emergência.

Tadeu Cavalcante Reis

Produtores rurais e consumidores de

milho 2010 - - X

Aplicação de hidro-resfriamento e revestimentos biodegradáveis na

pós-colheita de frutos e hortaliças no Oeste da Bahia.

Investigar técnicas de pequenos produtores que reduzem suas perdas pós-colheita de frutos e hortaliças no Oeste da

Bahia, através de hidro-resfriamento e aplicação de revestimentos biodegradáveis.

Fabio Del Monte Cocozza

Pequenos produtores de frutos e hortaliças 2010 - X -

A descentralização das ações de controle da hanseníase na cidade de

Barreiras/BA.

Verificar as mudanças ocorridas com a descentralização de controle do Programa de Atendimento ao Hansênico no

município de Barreiras durante o período de 2005 a 2010.

Fernanda Suely Souza Paz

Portadores de hanseníase e

comunidade em geral 2010 - - X

Aplicabilidade dos métodos de produção de rainhas do gênero Apis.

Avaliar aplicabilidade dos métodos de produção de abelhas rainhas do Gênero Apis.

Tadeu Cavalcante Reis Pequenos apicultores 2010 - - X

Levantamento de fungos decompositores presentes na Serra

do Mimo, Barreiras/BA.

Coletar a maior diversidade possível de fungos, identificando as espécies ocorrentes na região e sua importância

ecológica para a Serra do Mimo