Leia atentamente agora a SEGUNDA CARTA DE PAULO AOS CORNTIOS, CORNTIOS, Cap­tulo 1 B­blia...

download Leia atentamente agora a SEGUNDA CARTA DE PAULO AOS CORNTIOS, CORNTIOS, Cap­tulo 1 B­blia Viva da Editora Mundo Crist£o

of 11

  • date post

    18-Apr-2015
  • Category

    Documents

  • view

    112
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Leia atentamente agora a SEGUNDA CARTA DE PAULO AOS CORNTIOS, CORNTIOS, Cap­tulo 1 B­blia...

  • Slide 1
  • Slide 2
  • Leia atentamente agora a SEGUNDA CARTA DE PAULO AOS CORNTIOS, CORNTIOS, Captulo 1 Bblia Viva da Editora Mundo Cristo
  • Slide 3
  • Segunda Carta de Paulo aos Corntios, captulo 1 1 Queridos amigos, esta carta enviada por mim, Paulo, nomeado por Deus para ser mensageiro de Jesus Cristo; e pelo querido irmo Timteo. Estamos escrevendo a todos vocs, os cristos a de Corinto e de toda a Grcia. 2 Que Deus, nosso Pai, e o Senhor Jesus Cristo abenoem poderosamente a cada um de vocs, e lhes concedam paz. 3e4 Que Deus maravilhoso ns temos - Ele o Pai do nosso Senhor Jesus Cristo, a fonte de toda a misericrdia, e aquele que to maravilhosamente nos conforta e fortalece nas dificuldades e provaes! E por que Ele faz isso? Para que, quando os outros estiverem aflitos, necessitados da nossa compaixo e do nosso estimulo, possamos transmitir-lhes essa mesma ajuda e esse mesmo consolo que Deus nos deu. 5 Podem estar seguros de que, quanto mais suportarmos sofrimento por causa de Cristo, mais Ele derramar sobre ns o seu consolo e o seu incentivo. 6e7 Ns estamos em srios apertos por levar-lhes o consolo e a salvao de Deus. Mas em nossa dificuldade Deus nos tem confortado - e isto, tambm, para ajudar vocs; para mostrar-lhes com a nossa experincia pessoal como Deus nos confortar ternamente quando vocs suportarem estes mesmos sofrimentos. Ele lhes dar a fora para agentar. 8 Eu acho que vocs devem saber, amados irmos, que tempos difceis ns atravessamos na sia. Fomos realmente esmagados e oprimidos, e tivemos medo de no conseguir sobreviver. 9 Sentimos que estvamos condenados morte e percebemos como ramos fracos demais para socorrer-nos a ns mesmos; isso, porm, foi bom, porque assim ns colocamos tudo nas mos de Deus, o nico que poderia salvar-nos, pois capaz at de levantar os mortos. 10e11 E Ele nos ajudou mesmo, e nos salvou de uma morte terrvel; sim, e esperamos que Ele faa assim sempre. Mas vocs, tambm precisam ajudar-nos, orando por ns. Muita gratido e louvor sero oferecidos a Deus por vocs, que vem suas portentosas respostas s oraes feitas a favor da nossa segurana! 12 Estamos to satisfeitos que podemos dizer, com toda a franqueza, que em toda a nossa conduta temos sido puros e sinceros confiando calmamente na ajuda do Senhor, e no na nossa prpria capacidade. E isso mais verdadeiro ainda, se possvel, quanto ao modo pelo qual temos agido em relao a vocs. 13e14 Minhas cartas tm sido francas e sinceras; e no tm nada nas entrelinhas! E j que, mesmo assim, vocs ainda no me conhecem bem (espero que um dia vocs conhecero) eu quero que procurem aceitar-me e orgulhar-se de mim, como at certo ponto j o tm feito; tal como eu me orgulharei de vocs naquele dia quando nosso Senhor Jesus voltar.
  • Slide 4
  • Segunda Carta de Paulo aos Corntios, captulo 1 15e16 Em vista de estar to certo da compreenso e da confiana de vocs foi que planejei deter-me e v-los em minha viagem para a Macednia, assim como depois quando voltei, afim de que eu pudesse ser uma dupla bno para vocs, de modo que pudessem encaminhar-me na minha jornada para a Judia. 17 Ento, podero estar indagando vocs, por que mudei de plano? Ser que eu realmente ainda no me decidira? Ou serei eu como um homem do mundo, que diz "sim", quando na realidade quer dizer "no"? 18 "Nunca! To certo como Deus verdadeiro, eu no sou desse tipo de pessoa, Meu "sim" quer dizer "sim". 19 Eu, Timteo e Silvano temos falado a vocs a respeito de Jesus Cristo, o Filho de Deus. Ele no algum que diga "sim" quando quer dizer "no". Ele sempre faz exatamente como diz. 20 Ele realiza e cumpre todas as promessas divinas, no importam quantas delas existam; e ns temos mostrado a todos como Ele fiel, e com isto damos glria ao seu nome. 21 Foi este Deus quem nos transformou, a mim e a vocs, em fiis cristos, e nos nomeou apstolos para pregar a Boa Nova. 22 Ele gravou em ns a sua marca - seu sinal de propriedade - e nos deu seu Esprito Santo em nosso corao como garantia de que ns Lhe pertencemos, e como a primeira parcela de tudo quanto Ele vai nos dar. 23 Invoco este Deus como testemunha contra mim se eu no estiver dizendo a pura verdade: a razo pela qual no fui visit-los ainda que no quero entristec-los com uma severa repreenso. 24 Quando eu for, embora no possa fazer muito para ajudar-lhes na f, pois ela j est forte, desejo poder fazer algo para alegria de vocs: quero deix-los felizes, e no tristes.
  • Slide 5
  • SEGUNDA CARTA DE PAULO AOS CORNTIOS, CORNTIOS, Captulo 2
  • Slide 6
  • Segunda Carta de Paulo aos Corntios, captulo 2 1 "NO", disse eu para mim mesmo, no o farei. No os deixarei pesarosos com outra visita dolorosa". 2 Porque se eu os entristecer, quem que me vai alegrar? S vocs podem faz-lo, e como o podero, se eu lhes causar dor? 3 Foi por isso que eu lhes escrevi daquela maneira em minha ltima carta, a fim de que vocs endireitassem as coisas antes que eu fosse. Ento, quando eu for, no irei entristecido justamente por aqueles que devem dar-me a maior alegria. Eu tinha certeza de que a felicidade de vocs estava to ligada minha que vocs, no se sentiriam felizes, a no ser que eu fosse com alegria. 4 Como detestei escrever aquela carta! Ela quase despedaou meu corao, e digo-lhes francamente que chorei por causa dela. Eu no queria feri-los, mas tinha que mostrar-lhes quo profundamente os amava e me preocupava com o que estava acontecendo a vocs. 5e6 Lembrem-se de que o homem acerca do qual escrevi, aquele que causou todo aquele transtorno, no me deu tanta tristeza quanto a todos vocs - embora sem dvida eu tenha minha parte nisso tambm. No quero ser mais enrgico com ele do que devo. Ele j foi suficientemente castigado com a reprovao unnime de todos vocs. 7 Agora o momento de perdo-lo e confort-lo. Do contrrio, ele poder ficar to amargurado e to desanimado que no ser capaz de reabilitar-se. 8 Assim, eu lhes peo que mostrem a ele agora que vocs verdadeiramente ainda o estimam muito. 9 Eu lhes escrevi daquele modo para poder verificar at que ponto vocs iriam em obedincia a mim. 10 Quando vocs perdoam algum, eu tambm o fao. E tudo quanto eu perdoei (at onde aquilo me atingiu tambm), perdoei-o pela autoridade de Cristo, e para o bem de vocs. 11 Uma outra razo para perdoar no deixarmos Satans, com a sua astcia, obter vantagem sobre ns; pois bem sabemos o que ele est procurando fazer. 12 Ora, quando cheguei cidade de Trade, o Senhor me deu oportunidades enormes de pregar o Evangelho.
  • Slide 7
  • Segunda Carta de Paulo aos Corntios, captulo 2 13 Contudo, Tito, meu querido irmo, no estava l para me encontrar e eu no pude descansar, procurando saber onde ele estaria e o que lhe teria acontecido. Assim, despedi-me e fui direto para a Macednia, numa tentativa de encontr-lo. 14 Mas, demos graas a Deus! Porque Cristo, por meio daquilo que fez, triunfou sobre ns, de modo que agora, aonde quer que vamos, Ele nos utiliza para falarmos aos outros a respeito do Senhor, e para espalharmos o Evangelho como um perfume suave. 15 Para com Deus, h um cheiro refrescante e saudvel em nossas vidas. o perfume de Cristo dentro de ns, um aroma tanto para os salvos como para os no salvos ao nosso redor. 16 Para aqueles que no esto se salvando, parecemos ter um odor temvel de morte e condenao, enquanto para aqueles que conhecem a Cristo somos um perfume vivificante. Mas quem competente para uma tarefa dessas? 17 S aqueles que, como ns mesmos, so homens verdadeiros, enviados por Deus, falando com o poder de Cristo, e com o olhar divino sobre ns. Porque no somos como aqueles mascates - e h muitos desses - cujo propsito em espelhar o Evangelho conseguir com isso um bom meio de vida.
  • Slide 8
  • SEGUNDA CARTA DE PAULO AOS CORNTIOS, CORNTIOS, Captulo 3
  • Slide 9
  • Segunda Carta de Paulo aos Corntios, captulo 3 1 Estamos ns comeando a ser como aqueles falsos mestres entre vocs, que lhes precisam contar tudo a respeito de si mesmos, e levar consigo longas cartas de recomendao? Acho que vocs mal precisam de uma carta de algum para falar-lhes a nosso respeito, no? E ns, tampouco, precisamos de uma recomendao de vocs! 2 A nica carta que eu necessito, so vocs, vocs mesmos! S em ver a boa mudana em seus coraes, todos podem ver que ns fizemos uma obra de valor entre vocs. 3 Eles podem ver que vocs so uma carta de Cristo, escrita por ns. Carta escrita no com pena e tinta, mas pelo Esprito do Deus vivo; no esculpida na pedra, mas em coraes humanos. 4 Ns nos atrevemos a dizer essas boas coisas a nosso prprio respeito, to somente por causa da grande confiana que, por meio de Cristo, temos em que Deus nos ajudar a ser fiis ao que dizemos. 5 E no por que pensemos que podemos fazer por ns mesmos qualquer coisa de valor duradouro. O nico poder que possumos e o xito que obtemos vm de Deus. 6 Ele quem nos tem ajudado a contar aos outros o Seu novo contrato para salv-las. Ns no lhes dizemos que eles precisam obedecer a todas as leis de Deus ou, ento, morrer; mas lhes dizemos que h vida para eles da parte do Esprito Santo. O velho caminho - procurar ser salvo mediante a guarda dos Dez Mandamentos - termina em morte; no novo caminho, o Esprito Santo lhes d a vida.
  • Slide 10
  • Segunda Carta de Paulo aos Corntios, captulo 3 7 Entretanto, aquele velho sistema de lei que terminava em morte, comeou com tal glria que o povo no podia suportar a simples viso do rosto de Moiss. Porque, ao entregar-lhes a lei de Deus para que a obedecessem, o rosto dele brilhava com a prpria glria de Deus - ainda que esse brilho j estivesse se desvanecendo. 8 No devemos ns esperar uma glria muito maior nestes dias quando o Esprito Santo est concedendo a vida? 9 Se o plano que leva condenao era glorioso, muito mais glorioso ainda o plano que justifica os h