Layouts e Movimenta§£o em armaz©ns. entrada sa­da movimenta§£o rpida...

download Layouts e Movimenta§£o em armaz©ns. entrada sa­da movimenta§£o rpida movimenta§£o lenta movimenta§£o m©dia Organiza§£o do Layout Popularidade

of 41

  • date post

    17-Apr-2015
  • Category

    Documents

  • view

    123
  • download

    4

Embed Size (px)

Transcript of Layouts e Movimenta§£o em armaz©ns. entrada sa­da movimenta§£o rpida...

  • Slide 1
  • Layouts e Movimentao em armazns
  • Slide 2
  • entrada sada movimentao rpida movimentao lenta movimentao mdia Organizao do Layout Popularidade os artigos que apresentam um maior nmero de transaces de entrada e sada devem ficar armazenados em locais por forma a minimizar as distncias a percorrer Aspectos Importantes: Similaridade produtos recebidos e/ou enviados em conjunto devem ser armazenados juntos Ex: armazenar as partes de um motor prximas umas das outras Tamanho os produtos devem ser armazenados em espaos apropriados para o seu tamanho o sistema deve ser projectado para se ajustar s necessidades Ex: racks de altura regulvel
  • Slide 3
  • Utilizao do espao uma excessiva optimizao do espao pode conduzir degradao das condies de acesso corredores de acesso devem ser largos e as infra-estruturas de armazenamento acessveis de ambos os lado Caractersticas dos produtos Perecveis: podem requerer ambiente controlado (refrigerao) Forma irregular: necessitam de armazenamento em espao livre Materiais perigosos (inflamveis, cidos) Segurana contra roubo de artigos de valor Incompatibilidades (ambiente refrigerado partilhado) Organizao do Layout
  • Slide 4
  • Frequncia de recepo e embarque de encomendas Nmero de veculos Horrios de chegada Horrios de carga e descarga Volume por linha de produto Volume por meio de transporte Aspectos a ter em conta na recepo e expedio de artigos: As operaes de recepo/expedio devem ser projectadas para estimativas de pico de carga do ano de projecto. Organizao do Layout
  • Slide 5
  • Um armazm ideal: movimentao lenta movimentao mdia movimentao alta movimentao mdia aquele em que se diminuem as distncias percorridas no seu interior e em que se facilita o acesso de veculos s zonas prprias para produtos/materiais de maior uso (Harmom, 1993) in Logstica, de Crespo de Carvalho, J. M. Esse ideal ope-se s configuraes mais frequentes que os armazns apresentam e que privilegiam fluxo : em linha recta (tipo straight-through) em forma de U Segundo Harmom, a configurao de um layout de armazm ideal deveria apresentar uma forma circular. Mas... Organizao do Layout
  • Slide 6
  • Modelos de fluxo U, L e I Organizao do Layout Modelos de fluxo de materiais: Quando o layout de instalao do armazm o permite, a zona de entrega e expedio de material podem ser na mesma rea, efectuando um fluxo de materiais em U, ou em reas diferentes, num fluxo em L ou I.
  • Slide 7
  • Organizao do Layout Recepo e Expedio na mesma rea: maior flexibilidade na utilizao da zona de carga e descarga promovendo a capacidade de canais cruzados facilita a consolidao da funo de superviso para as duas operaes Recepo e Expedio em reas afastadas: a separao pode melhorar a segurana reduo drstica do congestionamento interno e externo reduo considervel do tempo de deslocao adaptao mais apropriada pratica do cross-docking adaptao mais apropriada s instalaes fabris
  • Slide 8
  • Recepo Transferncia Order picking Cross docking Expedio Actividades de movimentao
  • Slide 9
  • Loading area (caribtrans) Actividades de movimentao Recepo Verificao da mercadoria (qualidade/quantidade) 100% de aceitao Amostragem aleatria (7 a 10%) 100% de verificao Descarregamento da mercadoria Retirar a mercadoria recebida do veculo de transporte e coloc-la numa rea de armazenamento temporria (dock staging area)
  • Slide 10
  • Actualizao do inventrio Identificao pode ser: Nenhuma usada a do vendedor Manual Impressa por mquinas com leitura humana Impressa por mquinas com leitura automtica e humana RFID rdio frequncia Empacotamento em unidades de stock mais pequenas Actividades de movimentao
  • Slide 11
  • Transferncia Envolve o movimento fsico da mercadoria para um lugar predeterminado, seja armazenamento, picking ou expedio. Order Picking - seleco de encomendas Envolve a seleco e levantamento dos produtos em inventrio, por forma a satisfazer as encomendas dos clientes.
  • Slide 12
  • Actividades de movimentao Cross docking Transferncia da mercadoria directamente da recepo para a expedio Expedio Juntar as encomendas na rea de expedio (staging) Movimentar as encomendas fisicamente para o veculo de transporte Controlar as encomendas a serem expedidas Actualizar o inventrio
  • Slide 13
  • O investimento em stocks determinado por: - Quantidade consumida por ano - Custo unitrio do produto. Geralmente apenas um pequeno nmero de produtos contribui para uma grande percentagem dos custos anuais. Anlise ABC (lei de Pareto) Quem? A anlise de Pareto, ABC 80-20, baseada no teorema que o economista Vilfredo Pareto inventou no sculo XIX, quando, ao estudar a distribuio da riqueza em Itlia do sculo XIX observou que uma pequena parcela da populao, 20%, concentrava a maior parte da riqueza, 80%. Porqu? Este princpio funciona de modo inequvoco
  • Slide 14
  • Anlise ABC (lei de Pareto) de Pareto por fenmeno: para determinar quais so os maiores problemas Qualidade : defeitos, falhas, reclamaes, devolues, reparaes Custo: perdas, despesas Entregas : rupturas de stock, atrasos nos pagamentos, atrasos nas entregas Segurana : acidentes, falhas paragens de Pareto por causas: para determinar quais so as principais causas dos problemas Operrio : turno, idade, grupo, experincia, habilidade Mquina : mquina, equipamento, ferramenta, modelo, instrumento, organizao Matria Prima : fabricante, fbrica, lote, tipo Mtodo de operao: condies, encomendas, mtodos O diagrama de Pareto um mtodo de identificao de pontos vitais, distinguindo-se dois tipos de diagramas:
  • Slide 15
  • Anlise ABC (lei de Pareto) H ainda a considerar os seguintes aspectos na utilizao dos diagramas de Pareto: Verificar vrias classificaes e construir muitos tipos de Pareto (analisar o problema de vrios ngulos). indesejvel que "outros" representem uma grande percentagem. Utilizar o custo como unidade de medida sempre que possvel. Se um item tiver uma soluo simples, implement-la logo mesmo que o impacto no seja dos mais significativos. Elaborar sempre o diagrama de Pareto por causas.
  • Slide 16
  • Anlise ABC (lei de Pareto) Constata-se que em geral somente um pequeno nmero de causas que contribuem para uma grande percentagem dos custos anuais de m qualidade, enquanto que a maior parte das causas contribuem apenas para uma pequena percentagem dos custos anuais de consumo.
  • Slide 17
  • Produtos A: produtos que contribuem com uma grande percentagem dos custos mas que representam uma pequena fraco dos produtos. Produtos C: produtos que contribuem com uma pequena percentagem dos custos mas que representam um nmero elevado de produtos. Produtos B: produtos no classificados em A ou C. Anlise ABC (lei de Pareto) A anlise de ABC consiste em classificar os produtos em trs grandes grupos: Percentagens usadas para a classificao ABC: Classe% de Produtos% Custo Anual A15-2570-80 C>505-10 Como?
  • Slide 18
  • Esta anlise uma ferramenta valiosa para a gesto de stock Atravs da anlise ABC, o gestor sabe que: Os produtos A devem ter o controle mais cuidado de todos, com registos exactos, controle contnuo, etc. O sistema de controle dos produtos C deve ser simples e eficaz. Os produtos B devem ser objecto de um controlo no to cuidado como os produtos A mas no to simples como os produtos C Anlise ABC (lei de Pareto) Utilidade?
  • Slide 19
  • Equipamentos de Armazenamento Shelving Gravity Racks Carousels
  • Slide 20
  • Shelving Custo elevado Mo-de-obra elevada Necessidade de manuteno frequente Adequado para movimentao lenta de mercadoria Requer um espao amplo para armazenamento de produtos Necessidade frequente de rearmazenamento de produtos Equipamentos de Armazenamento
  • Slide 21
  • Gravity Racks Mais rpido e eficiente do que shelving Mo-de-obra mais qualificada Custo mais elevado Necessidade de pouca manuteno Processos semi-automatizados Necessidade frequente de rearmazenamento de produtos Equipamentos de Armazenamento
  • Slide 22
  • Carousels Tempo de armazenamento muito menor Elevado custo de equipamento Fluxo contnuo
  • Slide 23
  • Equipamentos de Movimentao Porta-paletes Empilhadoras Stacker Crane
  • Slide 24
  • Equipamentos de Movimentao Porta-paletes Carrinhos com braos estticos em forma de garfo e um pisto hidrulico para a elevao da carga Elctricos Manuais Empilhadoras Usados quando o peso e as distncias so grandes Quando existe movimento vertical das cargas Stacker Crane Torre apoiada sobre um trilho e guiada por um trilho superior
  • Slide 25
  • Armazenamento Order Picking Empacotamento Separao Chegada Envio Processamento do pedido Lista de Produtos Funes-base de um armazm: Recepo da mercadoria Armazenamento Order Picking Envio das encomendas Order Picking
  • Slide 26
  • Utilizao do Tempo de um Operador de Picking O picking uma das actividades mais crticas dentro de um armazm. Consoante o tipo de armazm, 30% a 40% do custo de mo-de-obra est associado a esta actividade Aliado ao custo, o tempo de picking influencia de maneira substancial o tempo de ciclo de uma encomenda objectivo fundamental para uma boa produtividade de um sistema de picking minimizao dos tempos de deslocamento ou movimentao Order Picking
  • Slide 27
  • Dar prioridade superior a produtos de maior circulao 20% dos produtos correspondem a 80% das movimentaes A documentao deve ser clara