LAUDO DE ANÁLISE ELEMENTAR SOBRE CAUSAS DO...

Click here to load reader

  • date post

    22-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    219
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of LAUDO DE ANÁLISE ELEMENTAR SOBRE CAUSAS DO...

  • Laudo de Anlise Elementar Sobre Causas do Desabamento daEncosta na Falsia do Cabo Branco

    Em atendimento solicitao feita pela dignssima Sra. Dr. Roseane Costa Pinto

    Lopes, Curadora do Meio Ambiente do Ministrio Pblico do Estado da Paraba - 1 Centro

    de Apoio Operacional, onde no seu ofcio n 0007/CMA, define como objetivo instrucional

    identificar as causas que levaram o desabamento de blocos de terra na falsia do Cabo

    Branco, solicita ainda carter urgente e com sugestes para o problema. A Sra. Curadora

    enviou ainda, por nossa solicitao, e anexando assim ao ofcio, documentos j pertinentes

    ao processo de avaliao e questionamentos sobre aquela rea.

    Dado a pertinncia, urgncia e complexidade da percia em foco, optou-se por

    anlise elementar como instrumento que poder vir a auxiliar na tomada de deciso sobre

    qualquer ao deliberativa junto aquela rea. Considera-se que a anlise elementar o

    primeiro passo aps qualquer processo especulativo, no sendo ainda uma cincia formada

    por hipteses corroboradas ou refutadas, sendo esta cincia, resultado de uma anlise

    sistemtica e transdisciplinar, envolvendo: tcnicos, cientistas e o cidado do cotidiano

    daquela rea.

    Antecedentes da Anlise Elementar

    Mesmo estando ciente da superficialidade de uma anlise elementar no se deve

    trat-la sem a devida responsabilidade, pois sabe-se que seu resultado poder conduzir a

    diversas interpretaes, da opta-se por rigores tanto no uso adequado de postulados quanto

    por rigores determinados pela sistematizao. Esse o primeiro passo para a anlise

    sistemtica. No entanto, sua continuidade se dar em aplicar esse rigor em um volume

    significativo de dados coletados, o que inevitavelmente instrumentar o volume amostral

    enquanto estudo de probabilidade e possibilidades.

    Essa pertinncia conduz a processos estruturais de pesquisa, surgindo ento a

    determinao de como se instruir os procedimentos para resposta a Sra. Curadora, a partir

    do olhar Geogrfico, construindo-se um projeto de estudos:

  • 2

    Projeto

    Caracterizao geogrfica da ponta do Cabo Branco: dinmicaambiental.

    Problema

    Quais os componentes da estrutura da paisagem que determinam adinmica ambiental na zona costeira da ponta do Cabo Branco?

    Hipteses

    a) Ao direta dos elementos componentes do clima: ventos eprecipitaes;b) Ao direta dos componentes ocenicos: mar e ondas;c) Ao abrasiva dos elementos climticos e ocenicos sobre orelevo costeiro;d) Combinao da drenagem superficial, a cobertura vegetal comporosidade do solo e o relevo na distribuio e conteno das guaspluviais;e) O aspecto scio-ambiental na relao sentimental entre asociedade e a paisagem, onde esta representa um monumento designificao historicamente geogrfica.

    Objetivos

    Geral

    Compreender a dinmica ambiental na ponta do Cabo Branco.

    Especficos

    - Delimitar a rea de estudo;- Representar a rea cartograficamente: planta baixa, perfis

    longitudinais e transversais.- Caracterizar os fatores e elementos da estrutura da paisagem;- Definir parmetros de referncia terica para coletar dados e

    informes sobre:, clima, dinmica marinha e eroso costeira;- Elaborar formulrios de coleta de dados;- Elaborar questionrios e questionamentos sobre a paisagem.

    Metas

    - Construo de uma carta geogrfica;- Diagnstico elementar sobre a paisagem;

  • 3

    Metodologia

    Levantamento bibliogrfico pertinente composio tpica da estrutura da

    paisagem; levantamento de documentos ortogrficos e iconogrficos referentes rea em

    observao; Excurses expeditas a fim de se estabelecer ao de observao e coleta direta

    de dados; Medio de elementos componentes da paisagem com instrumental para maior

    grau de rigor; questionamento e entrevista populao sobre o comportamento do lugar e as

    relaes topoflicas.

    Referncia Terica

    As categorias que balizaro o estudo sero de importncia terico-prticas, pois

    serviro como horizontes norteadores determinando sempre os rumos e consequentemente

    avanos e recuos na busca da resoluo do problema e na corroborao ou refutao das

    hipteses.

    Como a pesquisa se dar em um lugar geogrfico e com domnios naturais

    enquanto eventos particpes da paisagem, teremos assim uma pesquisa geogrfica de

    carter regional, pois sero denunciados tpico a tpico que, conectados sistematicamente,

    formaro a estrutura e a dinmica da paisagem.

    A Teoria Geral de Sistemas servir tambm como elemento fundamental para

    compreenso das conexes que determinaro as estruturas componentes da paisagem.

    Tomaremos como super-estrutura os tpicos que isoladamente sero

    caracterizados e sua individualidade capturada de forma tcnica, a partir de observao e

    coleta sistemtica, com auxlio de referncias e instrumental especializado, pois assim se

    aumentar o rigor na explicao dos fenmenos em si.

    A definio de um esquema, enquanto representao grfica da organizao da

    estrutura, servir como mapa das categorias de fundamentao.

    Climtico Bitico Topogrfico

    Hdrico

    (adaptao elaborao a partir da proposta de Sthraeler)

  • 4

    Composio da estrutura dos fenmenos

    Onda:

    - altura Mar;- dinmica;- comprimento;- cronograma;- direo;- relaes com fatores astronmicos.

    Onde observar:

    - dentro do mar na mar baixa marcas de ondas e mar alta (sizigia)

    Clima:

    - vento: sobre a barreira, na praia, na vegetao;- observar: horrios e fenmenos astronmicos;- chuva: canais de escoamento superficial.

    O ambiente: uma tentativa de caracterizao regional

    Tomando-se como paradigma a questo regional devido a complexidade do evento

    em si deslizamento de encosta, mesmo assim a delimitao de reas regionais complexas

    representa uma tarefa espinhosa na medida em que a unidade do conjunto fruto de relaes

    entre fenmenos de natureza diferente neste caso, conveniente partir do interior do sistema

    para determinar os limites da estrutura geogrfica considerada (Dolfuss: 1973 p. 94)1.

    nessa condicionante, sistema e estrutura geogrfica que o evento deslizamento de encosta

    est inserido e como as condies iniciais, no necessariamente, estaro contidas no evento,

    procurar-se- ento inser-lo (o evento) numa concepco regional.

    O termo regio no apenas faz parte do linguajar do homem comum (....) (....) o

    conceito de regio est ligado a noo fundamental de diferenciao de rea, quer dizer,

    1 DOLFUS, Olivier. A Anlise Geogrfica. Trad. Heloysa de Lima Dantas. So Paulo: Difuso Europia do

    Livro, 1973.

  • 5

    aceitao da idia de que a superfcie da terra constituda por reas diferentes entre si

    (Corra, 1990, p.22)2.

    Nessa concepo encaminha-se o evento para o contexto regional, onde est contido

    no subconjunto relevo, cujo conjunto o topogrfico, sendo parte do conjunto paisagem.

    A paisagem reflete uma fisionomia e esta o que se v e o que se salta aos nossos

    olhos (....) (Egler, p. 121)3, a paisagem passa a ser ento um conjunto de fenmenos

    aparentes que ocorrem em um dado momento e num dado lugar. No entanto, nem sempre o

    que est acontecendo numa paisagem as condies iniciais esto a localizadas. Nessa

    perspectiva que se estabelece a proposio regional, onde se tentar determinar elementos

    limites ou limiares para caracterizar os outros subconjuntos dos conjuntos climticos e

    hdricos, demarcando assim a paisagem regional.

    A regio do Cabo Branco: caracterizao da paisagem

    O conjunto paisagstico constitudo estrutural e geogrficamente pelos conjuntos:

    topogrfico, hdrico e climtico. A hierarquia em que apresenta os subconjuntos a mesma a

    que Egler reala sobre o fenmeno que salta aos nossos olhos, pois o evento deslizamento

    de encosta ocorrncia no conjunto topogrfico, subconjunto relevo, ora como fenmeno de

    degradao e paradoxalmente de agradao, ou seja, o material que retirado de um lado

    depositado em outro. O segundo conjunto, o hdrico, tem a ver com a dinmica da massa

    fluida hdrica que o subconjunto ocenico em constante ao erosiva, enquanto fora de

    demolio e construo nas suas zonas de contato com o relevo. O terceiro subconjunto: que

    o climtico, age de forma liminar ou subliminar com seu agentes, tanto na formao como

    na deformao de situaes aparentemente estveis.

    Na tentativa de regionalizar a rea do Cabo Branco fundamental estabelecer alguns

    conceitos que representam aquela realidade. Os elementos que compem o conjunto relevo

    enquanto estrutura, so na realidade elementos da superestrutura, como planaltos e plancies.

    J o conjunto hdrico desmembrado nos subconjuntos: gua continentais e guas

    ocenicas, sendo as guas ocenicas a de primeiro interesse e sua superestrutura

    2 CORRA, Roberto Lobato. Regio e OrganizaoEspacial. 3 ed., So Paulo, editora tica.3 EGLER, Walter Alberto. Coletnea de trabalhos de Walter Egler. Org. por Pedro L. B. Lisboa. Museu

    Paranaens. Emlio Goeldi.

  • 6

    representada pelos eventos: mars, ondas e correntes. E as guas continentais, no caso

    especfico guas em escoamento superficial e de subsuperfcie.

    O subconjunto climtico que ressaltamos sua ao em liminar, algo bem aparente,

    bem sensvel (como a temperatura, os ventos e a chuva e, subliminar como a presso

    atmosfrica.

    O Cabo Branco um acidente geogrfico decorrente da ao erosiva do mar e sua

    litologia constituda por sedimentos que vieram sendo depositados, possivelmente, apartir

    da era terciria entorno de 65 Milhes de Anos (Depar