INsights CPLP 0

Click here to load reader

  • date post

    07-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    235
  • download

    5

Embed Size (px)

description

Número 0 da nova revista online INsights CPLP

Transcript of INsights CPLP 0

  • COMUNIDADE DOS PASES DE LNGUA PORTUGUESA

    A FASHIONISTA EMPREENDEDORA

    NMERO 0 | ANO IJANEIRO 2015 BIMESTRAL

    BEATRIZFRANCK

    560

    7727

    1072

    79

    00

    01

    3

    O ELIXIR DA INTELIGNCIA

    A ANOREXIA E A BULIMIA NA ADOLESCNCIA

    KARYNA GOMESA REVELAO DA MSICA GUINEENSE

    INSUCESSO ESCOLAR EVENTO COM APOIO INSIGHTS

    CONTO PSICOLGICODESAFIO AOS LEITORES INSIGHTS

    BERTA RODRIGUESAUTORA DE AS AVENTURAS DE

    GUITOTELA

    JUIZ CONSELHEIRO ONOFRE DOS SANTOS AUTOR DE O ASTRNOMO DE HERODES EM ENTREVISTA

  • REVISTA INSIGHTS | AGOSTO/SETEMBRO 20142

    BREVEMENTE

    NAS BANCAS,

    COM MAIS

    CONTEDOS

    E EM MELHOR

    FORMA!

    PUBLICIDADE@REVISTAINSIGHTS.PT

  • EDITORIALFICHA TCNICA

    Directora Elsa Carvalheiro

    Director Adjunto Paulo Gonalves

    Editora Elsa Carvalheiro

    Jornalistas Eduardo Almeida Ins Ruivo Lus de Freitas Mariana Arajo Paulo Duarte

    Reviso Paulo Gonalves

    Colaboradores Carlos Cu e Silva Fernando Fonseca Joaquim Caeiro Lusa Coutinho Mrcia Gonalves Maria Helena Estevo Vnia Fernandes

    Periodicidade Bimestral

    Paginao PginaCarmim Csar vora

    Servio de imagens e fotografia Depositphotos

    Depsito Legal N. 357158/13

    ISSN n. 2182/8032

    N. de inscrio ERC 126344

    Proprietrio Editora mega Rua Guilherme Marconi, n. 13 loja 10 Bons Dias 2620-448 Ramada

    ASSINATURAS assinaturas@revistainsights.pt

    COORDENAO MARKETING, IMAGEM E COMUNICAO Alexandre Ruivo alexruivo@revistainsights.pt

    MARKETING Denise Silva marketing@revistainsights.pt

    CONTACTOS 91 680 69 09 insights@revistainsights.pt correiodoleitor@revistainsights.pt

    www.revistainsights.pt www.facebook.com/RevistaInsights www.facebook.com/editora.omega

    Esta obra no pode ser reproduzida ou transmitida por qualquer processo, excepo de excertos para divulgao. Reservados todos os direitos, de acordo com a legislao em vigor. Os contedos so da responsabilidade do(s) autor(es).

    A Insights Comunidade dos Pases Lngua Portuguesa aparece em suporte digi-tal como alavanca maior para uma cobertura planetria, melhor, para chegar aos pases (e continentes) da CPLP, distncia de um clique.A Insights CPLP procurar radiografar a idiossincrasia destes pases, designa-damente doenas endmicas, investigao, desenvolvimento, turismo e cultura, mantendo, naturalmente, as linhas programticas da irm em papel: sade, bem-estar e desenvolvimento pessoal; mediante artigos de opinio fornecidos por cidados a viver na dispora, no prprio pas; mas tambm na forma de reportagens, crnicas e entrevistas produzidas pela nossa Equipa.Certamente que a Insights CPLP que o estimado leitor tem sua frente este o nmero zero tem um longo percurso pela frente: dever j na prxima edio (daqui a dois meses) ter distribuio diversificada e representativa de todos os nove pases que compem este grmio, coisa que, no nmero zero, ainda no acontece.Preferimos, todavia, avanar desde j, que esperar reunir todas as condies at porque reunir tudo numa estrutura empresarial fora dos grandes grupos de Media (quase) utpico; acreditamos no Caminho realizado passo-a-pas-so: hoje um metro, depois um quilmetro, amanh teremos dado a volta ao Planeta.Como Natal, onde quer que esteja AMIGO LEITOR, na Guin-Bissau, na Guin Equatorial, em Timor Leste, Moambique, S. Tom e Prncipe, Cabo Verde, Angola, Brasil, ou Portugal, queremos, na lngua que nos une, desejar Feliz Natal e prspero Ano Novo com sade, em boa-forma, partilha (tudo partilhvel), como estes contedos, e com muita, muita espiritualidade.PS: Mande as suas sugestes e crticas, Amigo Leitor, certamente sero perti-nentes.

    Elsa Carvalheiro Directora

  • NOTCIAS

    DOENAS CARDIOVASCULARES COM TENDN-CIA PARA AUMENTARAs doenas cardiovasculares so a principal causa de morte da populao a nvel mundial e a Organizao Mundial de Sade (OMS) estima que esse nmero venha a aumentar. Manuel Carrageta, Presidente da Fundao Portuguesa de Cardiologia, foi peremptrio na afirmao A forma como ns vivemos que vai condicionar a forma como adoecemos e morremos. Este tipo de doenas , por norma, resultado de uma combinao de vrios fatores de risco no dia-a-dia como o tabagismo, o colesterol alto, a diabetes e a presso arterial alta. Um estudo apresentado no 23 Congresso da

    Sociedade Europeia de Cardiologia, na Sucia, mostra que o consumo exagerado de carnes, de gordura animal, de derivados do leite, de acar e de cerveja leva a problemas cardiovasculares. Alm do sal, que em excesso tambm perigoso es-pecialmente para quem tem presso arterial alta. Uma boa alimentao pode evitar problemas de colesterol, presso alta e obesidade. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, s no Brasil as doenas cardiovasculares matam, por ano, mais de 300 mil pessoas. A OMS estima que o nmero de mortes por doenas cardacas aumente de 17 para 24 milhes de pessoas at 2030.

    OMS ALERTA PARA POSSVEL CATSTROFEA Organizao Mundial de Sade (OMS) alerta para a probabilidade das infec-es pelo vrus bola poderem aumentar de forma exponencial, caso os esforos de reteno no sejam fortemente reforados. Se no travarmos a epidemia muito em breve, isto vai passar de um desastre para uma catstrofe, confessou o responsvel da estratgia da OMS, Christopher Dye. Caso o surto de vrus no seja controlado, pode arrastar-se por vrios anos e possivelmente tornar-se epidmico na frica Oci-dental onde j matou mais de 3 mil pessoas.

    A minha rdiode sempre ...RLO

    RDIO LITORAL OESTE

    A rdio garante os melhores objectivos publicitrios porque inui directamente na vida das pessoas em casa, no campo, no tra-balho e no carro.

    A Rdio de longe, o melhor veculo de comunicao

    .com

    .pt

    91 F

    .M.

    Rua do Cemitrio 2510-052 bidosTel. 262 955 300 Fax 262 955 301Email: radio@litoraloeste.net facebook.com/litoraloeste

  • ONU PRIMEIRA MISSO PARA UMA EMERGNCIA DE SADE PBLICA a primeira vez na histria da Organizao das Naes Unidas (ONU) que se cria uma misso para uma emergncia de sade pblica. A Misso consiste na unio de recursos das vrias agncias das Naes Unidas e de fundos e programas, para reforar a qualidade tcnica e a experincia da OMS nestes surtos de epidemias.Segundo a Diretora-Geral da OMS, Dra. Margaret Chan, esta no apenas uma crise de sade pblica. tambm uma crise social, uma crise humanitria, uma crise econmica e uma ameaa segurana nacional, bem alm das zonas do surto () por estas razes, o Secretrio-Geral da ONU, Sr. Ban Ki-moon, e eu estamos a aclamar uma iniciativa atravs de todo o conjunto das Naes Unidas, para convergir todas as capacidades das agncias relevantes para o assunto dentro da ONU.

    APTO 8 EDIO PENSAR A PRTICAE OLHAR O FUTURO; FTIMA, ABRIL 2015O Congresso Nacional de Terapia Ocupacional realizar a sua 8 edio em Ftima, dias 16,17 e 18 de Abril, no Centro de Apoio a Deficientes Joo Paulo II; hasteando

    como bandeira temtica Pensar a prtica, olhar o futuro. H 54 anos que a Associao Portuguesa de Terapeutas Ocu-pacionais exerce a sua actividade em prol da Terapia Ocupacional e dos terapeutas ocupacionais em Portugal. A APTO tem sede em Benfica, Lisboa, membro do Conselho Europeu de Terapeutas Ocupacionais e da Federao Mundial de Terapeu-tas Ocupacionais. O manifesto desta Associao assenta as suas linhas programticas na defesa da tica, na deontologia e na qualificao profissional. Segundo Elisabete J. C. Roldo, Presidente da APTO, terapeuta profissional, desempenhamos um papel primordial ao nvel da formao contnua organizando cursos, workshops, jornadas e outros eventos. A Terapia Ocupacional nasceu aps a segunda guerra mundial (1939-1945) como necessidade de reabilitar e integrar na sociedade os milhares de soldados feridos nos diferentes cenrios de guerra, muitos deles com leses graves, a necessitar de reapren-der a viver. Foi de capital importncia a criao, pelos vrios pases europeus flagelados pela guerra, de departamentos de Terapia Ocupacional. Actualmente o curso de Licenciatura em Terapia Ocupacional ministrado em seis escolas do Ensino Politcnico, de norte a sul de Portugal. Os terapeutas ocupacionais intervm numa pliade de leses e diversas patologias fsicas e psicossociais.

    H 4 anos a editar novos autores e areeditar outros sob o signo do compromisso

    +351 211 920 730 editoraomega@editoraomega.com

    A minha rdiode sempre ...RLO

    RDIO LITORAL OESTE

    A rdio garante os melhores objectivos publicitrios porque inui directamente na vida das pessoas em casa, no campo, no tra-balho e no carro.

    A Rdio de longe, o melhor veculo de comunicao

    .com

    .pt

    91 F

    .M.

    Rua do Cemitrio 2510-052 bidosTel. 262 955 300 Fax 262 955 301Email: radio@litoraloeste.net facebook.com/litoraloeste

    H um livro que nos liga

    NOTCIAS

  • SADE

    PORTUGAL

    ANOREXIA E BULIMIA NA ADOLESCNCIA

    DEVEMOS SUSPEITAR DA POSSIBILIDADE DE ANOREXIA E BULIMIA QUANDO O ADOLESCENTE SE RECUSA A MANTER O PESO MNIMO PARA A IDADE E ALTURA; TEM UM MEDO EXAGERADO DE GANHAR PESO OU DE SE TORNAR OBESO, MESMO ESTANDO ABAIXO DO PESO ESPERADO; PERDE PESO SEM UMA CAUSA APARENTE; APRESENTA COMPLICAES MDICAS DEVIDO AO ABUSO DE EXERCCIOS FSICOS. GRUPOS DE RISCO: ATLETAS, BAILARINOS, DANARINOS, GINASTAS E MODELOS.

    Cada vez mais se ob-serva um aume nto significativo no n-mero de casos de transtornos alimentares, no-meadamente, a Anorexia e Bulimia. O tema tem vindo a ser abordado sob vrios as-petos, especialmente do pon-to de vista psicolgico, fisiol-gico e social nos mais diversos meios de comunicao social. Neste artigo, o pblico-alvo ser apenas o sexo feminino, ainda que os transtornos ali-mentares se verifiquem igual-mente no sexo masculino, no entanto em menor nmero. Abordar este tema constitui, sempre, um desafio.