INFORMA‡ƒO COMPLETA 94 - CULTURARTEEN 131

download INFORMA‡ƒO COMPLETA 94 - CULTURARTEEN 131

of 8

Embed Size (px)

description

Parte integrante do CULTURARTEEN 131 - edição de março de 2014. 8 março dia internacional da mulher: você acha justo comemorar a mulher em apenas um dia?

Transcript of INFORMA‡ƒO COMPLETA 94 - CULTURARTEEN 131

  • 1. Parte integrante do Informativo CulturarTEEN. SADE, VIDA, CULTURA e LAZER P ORGO INFORMATIVO DE MARIC ANO 08 NMERO 94 MARO 2014 jornalismopr@hotmail.com - www.culturarteen.com 8 DE MARO Rose Oliveira Professora, Administradora e Orientadora Pedaggica, com curso de especializao em Marketing Poltico e Modas MARIA SEM VERGONHA DE SER MULHER J J so tantas. Milhares... Milhes!!! Uma verdadeira rama, florescendo por todo o planeta. Lils. So Maria-sem-vergonha de ser mulher. No so florzinhas. So mulheres se agrupando, misturando cores, gritando encantos, exibindo suas verdades. So domsticas, bailarinas, mdicas, estudantes, bancrias, professoras, escritoras, garis, brancas, negras, ndias, meninas... agricultoras... So sem-vergonha de lutar, acreditar, denunciar, exigir, reivindicar, sonhar... So Maria-sem-vergonha de dizer que ainda falta trabalho, salrio digno, respeito... que ainda so vtimas da violncia fsica, da porrada, do assdio, do estupro, do aborto, da prostituio, da falta de assistncia... So Maria-sem-vergonha de se indignar diante do preconceito, da escravido, da injustia, da discriminao de seus cabelos pixaim e sua pele negra. So Maria-sem-vergonha de brigar por creches, educao, sade, moradia, terra, comida, meio ambiente... So Maria-sem-vergonha de ficar bonita, pintar a boca e da sua boca soltar um beijo que no vem da boca, mas do seu ser inteiro, indivisvel, solidrio. So Maria-sem-vergonha de dizer NO, de buscar alegria, prazer... Sem vergonha de se cuidar, de usar camisinha e de se apaixonar. ATREVIDAS. Maria sem vergonha de decidir, fazer poltica, escolher e ser escolhida. So essas sem vergonha que a cada tempo mudam a histria. Conquistam direitos. Do a vida. Geram outras vidas. Insistentemente, desavergonhadamente vo tecendo de cor e beleza, o desbotado das relaes humanas. Sem medo, sem disfarce, sem vergonha de ser feliz vo parindo com dores e delcias um novo mundo pr mulheres e homens. Um novo mundo pr comunidade dos seres humanos, plantas e animais. MULHER, sem vergonha de ser MARIA Uma singela homenagem do CULTURARTEEN e da PR Produes para todas essas maravilhosas mulheres que do luz s nossas vidas! (5) DIA INTERNACIONAL DA MULHER justo comemorar a mulher num nico dia? F Fala srio! Tem data mais machista do que essa? Por que comemorar a mulher apenas num dia? As mulheres tem que ser comemoradas a cada dia, a cada hora, a cada minuto, a cada segundo! O que seria da humanidade sem Ela? Elas brincam de ser Deus. Elas do vida! Elas do A VIDA! Elas so A VIDA! E vem o homem comemorar a mulher em apenas um dia!?! Mulheres, parabns por todos os dias! E por favor: MUDEM O MUNDO! (Pery Salgado) Histria do 8 de maro N No Dia 8 de maro de 1857, operrias de uma fbrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fbrica e comearam a reivindicar melhores condies de trabalho, tais como, reduo na carga diria de trabalho para dez horas (as fbricas exigiam 16 horas de trabalho dirio), equiparao de salrios com os homens (as mulheres chegavam a receber at um tero do salrio de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho. A manifestao foi reprimida com total violncia. As mulheres foram trancadas dentro da fbrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecels morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano. Porm, somente no ano de 1910, durante uma conferncia na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de maro passaria a ser o Dia Internacional da Mulher, em homenagem as mulheres que morreram na fbrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, atravs de um decreto, a data foi oficializada pela ONU. Objetivo da Data Ao ser criada esta data, no se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos pases, realizam-se conferncias, debates e reunies cujo objetivo discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforo para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorizao da mulher. Mesmo com todos os avanos, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salrios baixos, violncia masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda h para ser modificado nesta histria. Conquistas das Mulheres Brasileiras Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na histria da mulher brasileira. Nesta data foi institudo o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicaes e discusses, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo. Ana Luiza Werneck (19). Estudante universitria, modelo escolhida para representar a beleza da mulher brasileira em nossa homenagem.
  • 2. C 02 ANO 10 - Maro 2014 (6) CARNAVAL EM MARIC O INFORMATIVO OFICIAL DA FAMLIA DE MARIC www.culturarteen.com Oferecimento: Pousada Vov Bellina, resgatando a Histria de Maric Uma escola com nome engraado, do bairro Jardim Nova Metrpole (Rola Cansada) cresceu e virou Tradio de Maric, a super campe. Era imbatvel, at a chegada a Inocentes de Maric, que veio com estrutura e um novo conceito de carnaval, profissionalizando a festa. ramos felizes e no davamos o devido valor. Maric j teve carnavais fantsticos, que movimentavam vrias agremiaes carnavalescas, com festividades o ano todos gerando recursos para o momento mgico do Carnaval. A partir de setembro (normalmente) estas escolas comeavam a contratar serralheiros para fazer a montagem de carros e estruturas, aderecistas, costureiras, pintores, arrematadores, ... enfim, uma grande festa. Gerava-se empregos, muitos empregos e quando tudo estava pronto, vivia-se o momento mgico dos desfiles. Fantasias bem elaboradas, algumas at luxuosas para nossos padres, carros alegricos, trips e samba no p, principalmente e muito samba no p. As famlias se reuniam na Rua Abreu Rangel, no quarteiro onde existe o colgio Elisirio Matta, se alojavam nas arquibancadas e passavam a noite toda e um bom pedao da madrugada de domingo vendo as escolas do grupo especial e na segunda vendo as escolas do grupo de acesso. E O ltimo ttulo do carnaval de Maric justamente da Inocentes, que disputou ponto a ponto com a Tradio que tentava o seu stimo ttulo seguido. Bons tempos!!! Eram oito agremiaes, quatro do grupo especial e quatro do grupo de acesso, fora os blocos. E os blocos tem histrias tambm. Os mais tradicionais Peladeiros (comemorou este ano 40 anos de existncia) e Carvo sempre fizeram a festa, at que um assassinato pois fim ao Bloco do Carvo, proibido pela justia de sair, pois mesmo com muita alegria, causava muitos transtornos e sujeira em Maric. Hoje nosso carnaval se resume aos blocos, que ainda teimam em fazer (ou tentar) fazer nosso carnaval feliz. na verdade ramos felizes e no demos valor!!!! Jacintho Caethano, um dos homens mais progressistas de Maric era um dos que apoiava bastante o carnaval de nossa terra. Isso mesmo, Jacintho tambm prestigiava o Carnaval de Maric, patrocinando os animados Bloco Tira Teima, que desfilava com lindos cavalos, com celas bem decoradas em amarelo e branco e o Bloco do Jacar, com bonitos carros alegricos enfeitados de verde e branco. Rua Maraj 460, So Jos do Imbassa - Maric (entrada pela RJ 106, km 22 ao lado do Posto Shell) Na dcada de 70, o Antiga Amizade e os Esferinhas eram as escolas mais queridas e tradicionais de Maric. Os desfiles cresciam, traziam turistas que realmente gastavam nas noites de carnaval de maric. At mesmo a Escola de Samba do Engenho do Roado (de So Gonalo) vinha participar dos desfiles maricaenses. Nas dcadas de 90 e incio dos anos 2000, a LIESA, Liga Independente das Escolas de Samba chegou a informar que Maric tinha o melhor Mas essa histria na verdade comeou h carnaval do interior do estado com suas escolas de samba. muitas dcadas. Informativo CULTURARTEEN ano 10 n 131 - Maro/2014 - Propriedade PR PRODUES. Diagramao e Fotos: Jos Pery Salgado e Rosemery Oliveira. Edio: Rosemery Oliveira Jornalista Responsvel: Pery Salgado (R.P. 34659/RJ) Colaboradores: Paula Chagas, Rosy Oliveira, Kito e Daiane Machado. Impresso: Editora Esquema. Distribuio Gratuita e Dirigida ao pblico jovem e a famlia de Maric. CULTURARTE, Culturateen, Culturartween e CulturartKids so marcas de propriedade da PR Produes. Edio mensal. As matrias assinadas so de responsabilidade exclusiva de seus autores. Contatos: (21) 99281-4037 jornalismopr@hotmail.com INFORMATIVO ESPRITA, CULTURARTE, CULTURARTEEN, BARO DE INOHAN, JORNAL DA MICROLINS, INFORMATIVO FRK, INFORMAO COMPLETA e INFORMATIVO PRofissionalizar, H-NIMAL, SER!, UNIversitariUSS, MAIS UM e informativo NET FOX so criaes do Eng. Jos Pery Salgado. Luz Sonora e ECOLOUCOS so produzidos e editados pela PR Produes. Tiragem 5000 exemplares Matrias e anncios so de inteira responsabilidade de seus autores e no nos responsabilizamos pelo seu contedo.
  • 3. O INFORMATIVO OFICIAL DA FAMLIA DE MARIC www.culturarteen.com ANO 10 - Maro 2014 (3) C 03 (3) DESTAQUES DO CARNAVAL 2014 EM MARIC A Aconteceu na noite de sbado - 15 de fevereiro, a eleio para o Rei Momo, Rainha e Princesa do carnaval de Maric. Cinco candidatas participaram da escolha da Rainha e apenas dois foram os candidatos ao trono de Mmo, confirmando Joo Bomfim Lima como Sua Magestade Carnavalesca pelo oitava vez seguida. J o ttulo de Rainha ficou por direito com Duda Jantorno (42) que foi a que melhor mandou no p e na simpatia, alm do corpo escultural, esculpido pela galera da academia Forma Fitness. No ano passado, num concurso marcado por escndalos, favorecimentos e irregularidades, Duda ficou como princesa e a rainha foi a cunhada do secretrio de Turismo de Maric. Neste ano, a princesa foi Helen Caroliny Mendona. Participaram do concurso alm de Duda e Helen, Rosana Barbosa (Musa do carnaval de Maric em 2005