Infecção por HPV

of 19/19
Fotos retiradas da Net ou cedidas pelos colegas ginecologistas Deyse Barrocas CRM 52 38502-1 Fabio Russomano CRM 52 43619-3 Leiam os textos HPV e HPV Zé Nota Dez no Clube da Dona Menô
  • date post

    19-Jan-2016
  • Category

    Documents

  • view

    26
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Infecção por HPV. Fotos retiradas da Net ou cedidas pelos colegas ginecologistas Deyse Barrocas CRM 52 38502-1 Fabio Russomano CRM 52 43619-3 Leiam os textos HPV e HPV Zé Nota Dez no Clube da Dona Menô. http://www.clubedadonameno.com/tmedicos/hpv.asp. - PowerPoint PPT Presentation

Transcript of Infecção por HPV

  • Fotos retiradas da Net ou cedidaspelos colegas ginecologistasDeyse Barrocas CRM 52 38502-1Fabio Russomano CRM 52 43619-3

    Leiam os textos HPV e HPV Z Nota Dezno Clube da Dona Men

  • Papiloma vrus humanoPapovavrusHPV

    Virose transmitida pelo contato fsico com a pele ou mucosas contaminadas.

    A forma mais comum de transmisso pelo ato sexual.

    No parto normal tambm possvel o beb adquirir a doena, caso a me tenha o vrus em vagina ou colo uterino. Tanto o homem quanto a mulher podem transmitir o HPV.

  • Condiloma acuminadoLeses vegetantes na pele e mucosa Podem ser imperceptveis a olho nu ou tomarem grandes propores.A leso da direita, denominada Papulose Bowenoide,tem o aspecto de couve flor.

  • A sintomatologia pobre, podendo o paciente referir prurido (coceira), ardncia e apresentar outras infeces sexualmente transmitidas associadas.

  • Condilomas em parede vaginalImperceptveis e assintomticos

  • Colo uterino - a rea mais susceptvel mutao das clulas comprometidas pelo HPV, levando ao cncer.

    Existem mais de 70 tipos de HPV, porm, 18 tipos virais tm maior relevncia.

    Esto divididos em dois grupos, de acordo com seu potencial oncognico.

    Grupo I ou A de baixo riscoVrus 6, 11,42, 43 e 44 Grupo II ou B de alto riscoVrus 16, 18, 31, 33, 35, 39, 45, 51, 52, 56, 58, 59, 68

    Os tipos 6 e 11 esto associados s verrugas genitais.

    Os tipos 16 e 18 esto associados ao cncer do colo.

  • O HPV tem afinidade pelas clulas do colo uterino e pode causar mutao celular, ocasionando leses pr-malignas ou malignas.No se pode determinar se a paciente ter ou no cncer.Tratamentos so preconizados para cada caso na inteno de se retirar as leses do colo.A cirurgia fica reservada aos casos aonde as leses so suspeitas ou j se tem a confirmao por bipsia. Chama-se conizao do colo. Teremos material suficiente para o diagnstico definitivo. Se for confirmado por histopatologia que o tecido era maligno, mas, toda a rea foi removida, a paciente volta ao seu acompanhamento de rotina, pois, o vrus pode estar no colo remanescente.Caso seja confirmado cncer micro invasor, a conduta realizar a cirurgia de Werthein Meigs, que, alm de gnglios linfticos e epiplon, sero retirados tero e ovrios.Cada pea cirrgica ser estudada minuciosamente para o estadiamento do cncer.Isto definir se havia invaso ou no, alm do que se removeu. O tratamento complementar para os estgios avanados quimioretapia e radioterapia.

  • reas leucoplsicas em colo uterino

    Fotos do Atlas Ren Cartier

  • O HPV tambm pode se instalar na boca, qualquer lugar da pele, uretra, nus e reto - no homem ou na mulher. Nestes locais o risco de cncer tambm existe, apesar de haver menor incidncia.As leses podem ser muito pequenas ou invisveis, entretanto, contagiosas.No pnis as verrugas so popularmente chamadas Crista de Galo.Pbis e bolsa escrotal tambm so afetados.

  • Sexo oral favorece o contgio da boca, faringe, esfago,conjuntiva (olho) e laringeAspecto atpico do condilomaCondiloma em palato

  • Nem sempre o aspecto de verrugas.Manchas brancas ou escuras, em formatos diversos, podem ser compatveis com esta infeco.A Colposcopia, que a visualizao da genitlia com uma lente de aumento, realizada por profissional especializado, necessria para investigao, diagnstico e controle do tratamento.

  • Da mesma forma o homem deve ser examinado com o mesmo instrumento (Peniscopia).Da uretra masculina, eventualmente, se colhe material para estudo com um suab especial. Condilomas em pnisNa mulher o aspecto das leses igual

  • Toda vez que se tem dvida sobre a origem da leso ou para se confirmar sua benignidade, realizada coleta de clulas atravs de esfregao ou bipsia do tecido (retirada de um fragmento).Com freqncia o colo uterino com a doena biopsiado, pois, o risco de malignidade maior.Este material vai ser estudado por um citopatologista. possvel se realizar neste material a identificao do vrus por Captura Hbrida, que a deteco do DNA viral por tcnica molecular. Atravs deste exame tambm se faz a tipagem viral. Pode-se tambm realizar a captura hbrida com o material colhido por esfregao.

  • Indicao para a pesquisa por Captura Hbrida

    Diagnstico de Infeco por HPV tipos 6, 11, 16, 18, 31, 33, 35, 39, 42, 43, 44, 45, 51, 52, 56, 58, 59 e 68

    Monitoramento de pacientes aps resultado citolgico de atipias de clulares escamosas de significado indeterminado

    Rastreamento do cncer cervical em mulheres com mais de 30 anos, associado ao exame Papanicolaou (Preventivo)

    O teste no indicado para rastreamento da populao em geral Foi desenvolvido para ser um mtodo de deteco de doena cervical (do colo uterino) e ser utilizado em conjunto com os demais mtodos existentes.

  • HPV em uretra masculinaLeses compatveis com infeco por HPV identificadas por peniscopia

  • O vrus capaz de causar infeco latente nas clulas e no haver qualquer aspecto anormal no tecido. Algum dia, mesmo anos depois do contgio, pode aparecer uma leso.O intervalo mnimo para o surgimento da primeira leso de algumas semanas.Uma pessoa pode ter vrios tipos de HPV ao mesmo tempo, como tambm se contaminar mais de uma vez. A persistncia do vrus e sua progresso para a malignidade vai depender do tipo viral e da defesa imunolgica de cada um.No se sabe se uma pessoa pode se curar espontaneamente ou se ela convive com o vrus em estado latente, sem causar qualquer alterao tecidual ou contgio.

  • A mulher deve fazer seu preventivo a cada 6 meses ou at menos, dependendo da conduta do mdico e de cada caso.Preventivo a colpocitologia ou exame de Papanicolau.Colhe-se suavemente com esptulas o material da superfcie da vagina e da parte externa do colo uterino. Com uma escovinha apropriada colhe-se clulas do canal cervical (colo uterino).Faz-se um esfregao em lminas de vidro que sero levadas para o estudo em microscpio.

    COLPO vaginaCITO ClulaLOGIA Estudo

    Quanto mais precocemente destectarmos a doena, mais fcil ficar o tratamento e o acompanhamento, no s do HPV como das vrias doenas que acometem a genitlia feminina

  • O homem deve ter a mesma conscincia e fazer periodicamente uma avaliao com urologista que realize peniscopia.Somente o mdico especialista poder indicar a conduta teraputica para cada caso.O dermatologista, se munido de todo aparato para investigao, poder ser consultado.Pode- se recorrer ao proctologista para avaliao dos pacientes que tm ou tiveram sexo anal.Jamais o parceiro pode desconhecer o risco de contgio e, preventivamente deve ser alertado a procurar seu mdico.

  • S tero sexo seguro se suas dvidas forem esclarecidas.Qualquer pessoa de qualquer classe social pode ser portador de HPV.A infeco no est relacionada falta de higiene.Quanto mais parceiros sexuais mais possibilidade de sepadquirir o vrus, Porm, no associem HPV a promiscuidade sexual.Sua imunidade dever estar em dia para combater esta virose. Evitem fumo, lcool, drogas. Tenham uma alimentao saudvel .As situaes estressantes diminuem sua resistncia.

    Sejam responsveisCuidem-se

    Dra Leila Marinho LageCRM 52 38501-5