Fiocruz leva expertise em manutenção hospitalar para o Haiti .manutenção hospitalar para o Haiti

download Fiocruz leva expertise em manutenção hospitalar para o Haiti .manutenção hospitalar para o Haiti

of 24

  • date post

    08-Feb-2019
  • Category

    Documents

  • view

    215
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Fiocruz leva expertise em manutenção hospitalar para o Haiti .manutenção hospitalar para o Haiti

CRIS INFORMA | 1

Informativo do Centro de Relaes Internacionais em Sade da Fiocruz

Fundao sedia debatesobre uso de antirretroviraiscomo estratgia depreveno do HIV

Pesquisadora comentaparceria com fundaofrancesa no combate leishmaniose no Brasil

PG. 3

Rebert Lima - Cris

Ensp/Fiocruz, em parceria como Ministrio de Sade Pbli-ca e da Populao do Haiti(MSPP) e a Brigada Mdica

Cubana (BMC), vai realizar um cursode manuteno hospitalar no Haiti. Aestrutura do curso com base em Edu-cao Distncia (EAD), com trs en-contros presenciais entre professores ealunos, e o restante ser via internet,dividido por mdulos, com durao to-tal de um ano. Ele est programadopara comear no ms de julho para 15participantes selecionados pelo Minis-trio da Sade do Haiti.

Fiocruz leva expertise emmanuteno hospitalar para o Haiti

junho2013

N8

A

A plataforma de acesso amedicamentos para doenasnegligenciadas WIPO Re:Searchter maior participao da Fiocruz

Foto pesquisadora

A Gesto de Recursos Fsicos e Tec-nolgicos na rea da Sade (REFIT) foidesenvolvida por pesquisadores da Fio-cruz, e esse modelo utilizado desde2006 pelo Ministrio da Sade do Brasilpara formar especialistas em manuten-o hospitalar no pas. O curso em for-mato Educao Distncia (EAD). Acoordenadora do REFIT, Luisa Pessa, ex-plica que os alunos tero possibilidadede gerir o Parque Tecnolgico que o Bra-sil est construindo no Haiti, envolvendotrs Hospitais Comunitrios de Refern-cia, dois laboratrios de sade pblica,30 Unidades para a Rede de Frio (arma-zenamento de vacinas e insumos), assimcomo as unidades de sade j existentesno pas. A questo da manuteno deequipamentos muito importante, e paraesta finalidade estamos contando com aparceria dos engenheiros e tcnicos cu-banos, refora Luisa Pessa.

Carlos Linger, coordenador do

projeto tripartite na Fiocruz, ressalta queesta atividade se orienta sob os princ-pios da cooperao Sul-Sul, entre pa-ses em desenvolvimento. A presenteiniciativa faz parte da estratgia de co-operao internacional estruturante,modelo defendido e adotado pela Fio-cruz, e fortalece o processo de implan-tao de polticas de Gesto Tecnolgicaem Sade destaca Linger. A BrigadaMdica Cubana atua no Haiti desde1998. Atualmente, cerca de 1200 m-dicos esto operando em todo o pas,rasgado por terremoto, furaces, cle-ra e outras doenas.

A coordenadora do REFIT escla-rece ainda que um bom gestor de uni-dades de sade deve saber planejar egerenciar os recursos fsicos e tecnol-gicos em sade e tambm levar em con-ta os aspectos sociais, econmicos epolticos a fim de atender s necessi-dades de seu pas. preciso ter capa-cidade para interagir com as equipesde sade locais, regionais e nacionais,assessorar na organizao de investi-mentos, apoiar a definio de necessi-dades e prioridades, planejar eprogramar os recursos fsicos em sadee gerenciar as suas execues e a suamanuteno, completa Luisa Pessa.O Cris/Fiocruz convocou profissionais daCooperao Brasil-Cuba-Haiti para quea proposta do curso seja revisada, adap-tada e aperfeioada por representan-tes dos trs pases cooperantes demaneira horizontal e participativa.

PG. 18

O Cris/Fiocruz presta apoio parceria entre os Ministriosda Sade dos trs pases daCooperao Brasil-Cuba-Haiti

O hospital que a Cooperao Tripartite Brasil-Cuba-Haiti est construindo nodepartamento de Bon Reps, que ser entregue no final de julho. Foto Cris/Fiocruz

PG. 5

| CRIS INFORMA2

destaques

CRIS INFORMA #8 | JUNHO DE 2013 - ExpedienteCoordenadoria de Comunicao Social (CCS) | Edio e redao: Danielle Monteiro com colaborao deThiago Oliveira | Projeto grfico e edio de arte: Guto Mesquita e Rodrigo Carvalho | Fotografia: Peter Iliccieve Arquivo CCS | Contato: Danielle Monteiro - Tel: (21) 3885-1065 - E-mail: danimonteiro@fiocruz.br

Isabela Schincariol - Ensp

Rede de Escolas de Sade P-blica da Amrica do Sul (Resp/Unasul), que tem apoio do Cris/Fiocruz, iniciar uma grande

pesquisa para conhecer a capacidade deformao de recursos humanos na reada sade e o contexto poltico, social ecultural de seus pases-membro: Argen-tina, Bolvia, Brasil, Chile, Colmbia,Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Surina-me, Uruguai e Venezuela. O estudoMapeamento dos programas de forma-o em sade pblica na Amrica do Sulconta com a participao dos pesquisa-dores Jos Incio Jardim Motta e SandraSiqueira, da Ensp/Fiocruz, que a secre-tria executiva da Rede. O projeto do ma-peamento passou por diversas etapas. Aprimeira delas foi a construo de umtermo de referncia norteador do proces-so. Alm de Jos Incio e Sandra, partici-param da redao do documento osecretrio executivo da Resp e ex-diretorda Ensp/Fiocruz, Antnio Ivo de Carva-lho; rica Kastrup e Ana Laura Brando,integrantes da secretaria executiva daResp e da Assessoria de Cooperao In-ternacional da Escola.

Finalizado o documento, o gruporesponsvel iniciou a fase de validaodos eixos e subeixos propostos no termoe o desenvolvimento da estratgia de

aplicao da pesquisa. Para tanto, foramrealizadas reunies e oficinas das quaisparticiparam integrantes do Instituto Sul-Americano de Governo em Sade (Isa-gs-Unasul), da Rede de Escolas Tcnicasde Sade (Rets) e do Grupo Tcnico deRecursos Humanos da Unasul. O consul-tor tcnico de polticas e sistemas de sadedo Isags, Oscar Feo, o assessor do Minis-trio da Sade, Alexandro Dias, a inte-grante do Observatrio Regional deRecursos Humanos en Sade do Peru, Do-natila vila tambm foram responsveispela validao do termo de referncia.Segundo rica Kastrup, a experincia jadquirida pela Rets nesse tipo de pesqui-sa pode ajudar muito o desenvolvimentodo mapeamento da Resp/Unasul.

Para rica, o trabalho a ser reali-zado vai alm de um mero levantamentode cursos. Seu objetivo inicial o co-nhecimento das capacidades e do po-tencial dos pases, e isso ser,principalmente, um grande esforo deconstruo de articulao entre as es-colas. De acordo com o secretrio exe-cutivo da Resp, Antnio Ivo de Carvalho,a Amrica do Sul conta com quase 170instituies pblicas de ensino que ofe-recem formao na esfera de especiali-zao, mestrado e doutorado. precisomotivar e mobilizar essas instituiespara que se integrem de fato Rede.Queremos fomentar o sentimento de per-

tencimento em cada um dos integran-tes da Resp/Unasul. Para tanto, precisa-mos saber quem somos, o que fazemos,aonde queremos chegar e como pode-mos responder s demandas desses 12pases, justificou Antnio Ivo.

O documento composto dequatro principais eixos: Sade pblica;Escola e os processos de ensino; A con-cepo de rede; e Particularidades loco-regionais. O primeiro eixo se refere caracterizao dos diferentes contextosem que se inserem as escolas e seusatores. O segundo eixo diz respeito aosconceitos poltico-pedaggicos, assimcomo a sua relao com a poltica p-blica e a governana em sade e sobreas caractersticas gerais dos processosde formao, a capacidade da escola/ator-rede em formular estratgias pe-daggicas e processos de formao querespondam a demandas apontadas porpolticas pblicas, aumentando a gover-nana em sade.

O terceiro eixo trata da compreen-so dos diferentes conceitos de rede e suacapacidade de articulao. Ele englobatambm a sua capacidade para explicaras boas prticas da formao em sade eas necessidades de articulaes bilateraise multilaterais relativas aos diferentes con-textos nacionais. Por sua vez, o ltimoeixo, que se refere s particularidades loco-regionais, visa compreender as dimensespolticas, sociais, culturais, demogrficase territoriais que constituem as necessida-des sociais de sade no contexto da Am-rica do Sul, suas interfaces e possibilidadespara cooperaes bilaterais e multilateraisnos processos formativos da Rede de Es-colas de Sade Pblica.

A prxima etapa prevista nomapeamento, marcada para iniciar emjulho, ser a construo do instrumen-to de pesquisa, baseado no documen-to orientador do projeto. A metodologiaa ser utilizada ainda no foi definida,mas provavelmente sero utilizadosquestionrios e a tcnica de grupos fo-cais com as instituies e pases inte-grantes da Resp. O grupo aindapretende realizar um projeto-piloto comcerca de trs escolas para validar ametodologia escolhida.

Resp pesquisar escolas degoverno na Amrica do Sul

A

Os participantes da oficina para mapeamento dos programas deformao em sade pblica na Amrica do Sul. Foto Isags

CRIS INFORMA | 3

Alexandre Matos - Farmanguinhos

laboratrio americano Pfizer eFarmanguinhos/Fiocruz assina-ram, no dia 13 de junho, Par-ceria de Desenvolvimento

Produtivo para transferncia de tecno-logia de desenvolvimento e produoda Atorvastatina Clcica, usada nocontrole do colesterol. O medicamen-to ser fabricado pela unidade nasconcentraes de 10 e 20mg. A par-ceria ter a participao ainda da Nor-tec Qumica S/A, que ser responsvelpela produo do Insumo Farmacuti-co Ativo (IFA) para a fabricao do me-dicamento. A Atorvastatina oprincpio ativo do Citalor, produzidopela Pfizer. O medicamento faz parteda lista de produtos estratgicos parao SUS, cujos domnios tecnolgico ede produo so essenciais para o de-senvolvimento do Complexo Econmi-co e Industrial da Sade (Ceis).Busca-se, com o acordo, no apenaso domnio da produo, como tam-

Transferncia de tecnologia permiteproduo de remdio que controla colesterol

Obm o incentivo da indstria farmo-qumica nacional, com a fabricao doIFA em solo brasileiro. O diretor da uni-dade, Hayne Felipe da Silva, destacoua relevncia do acordo. Alm de fa-zer uma atualizao do nosso portf-lio com este medicamento estratgico,a parceria segue tambm a linha dapoltica industrial de produzir IFAs emnosso pas, ressaltou. Farmanguinhosj produz quatro outros medicamen-tos contra doenas cardacas, os anti-hipertensivos Captopril, Enalapril,Metildopa e o Cloridrato depropranolol.O medicamento um dosmais importantes