EXTRAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE NUTRIENTES EM - .suprimento de nutrientes (Cardoso et al., 2007). No

download EXTRAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE NUTRIENTES EM - .suprimento de nutrientes (Cardoso et al., 2007). No

of 16

  • date post

    03-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of EXTRAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE NUTRIENTES EM - .suprimento de nutrientes (Cardoso et al., 2007). No

  • EXTRAO E EXPORTAO DE NUTRIENTES EM CULTIVARES...: II MICRONUTRIENTES 2057

    R. Bras. Ci. Solo, 35:2057-2071, 2011

    (1) Parte da Dissertao de Mestrado do segundo autor apresentada Faculdade de Cincias Agronmicas, Universidade EstadualPaulista FCA/UNESP. Recebido para publicao em 18 de agosto de 2010 e aprovado em 1 de setembro de 2011.

    (2) Professor Adjunto do Departamento de Produo Vegetal, Faculdade de Cincias Agronmicas, Universidade Estadual Paulista FCA/UNESP. Campus de Botucatu, Caixa Postal 237, CEP 18603-970 Botucatu (SP). Bolsista do CNPq. E-mail:soratto@fca.unesp.br

    (3) Doutorando em Agronomia (Agricultura), FCA/UNESP. E-mails: adalton@fca.unesp.br; genivald@fca.unesp.br

    EXTRAO E EXPORTAO DE NUTRIENTES EMCULTIVARES DE BATATA: II MICRONUTRIENTES(1)

    Rogrio Peres Soratto(2), Adalton Mazetti Fernandes(3) & GenivaldoDavid de Souza-Schlick(3)

    RESUMO

    Cultivares de batata mais produtivas possivelmente exigem maior quantidadede micronutrientes, porm no Brasil h carncia de informaes sobre extrao eexportao de micronutrientes pelas principais cultivares de batata utilizadas. Oobjetivo deste trabalho foi avaliar a produtividade de tubrculos, a extrao e aexportao de micronutrientes nas cultivares de batata gata, Asterix, Atlantic,Markies e Mondial. O experimento foi conduzido durante a safra de inverno, emum Latossolo Vermelho, no municpio de Ita (SP). As parcelas foram constitudaspelas cinco cultivares, e as subparcelas, por pocas de coletas, realizadas nomomento do plantio e a cada sete dias aps a emergncia. As cultivares Mondial eAsterix, mais produtivas, apresentaram maior extrao de micronutrientes, comquantidades mdias por hectare de 71 g de B, 122 g de Cu, 2.228 g de Fe, 618 g deMn e 405 g de Zn. As menores quantidades extradas foram observadas na cultivarAtlantic, com valores de 50, 81, 1.960, 544 e 270 g ha-1 de B, Cu, Fe, Mn e Zn,respectivamente. A fase de maior demanda por B ocorre logo aps o incio daformao de tubrculos, aos 34 DAP, enquanto a maior demanda por Fe e Mninicia-se a partir dos 42 DAP e vai at 63 DAP. O Cu e o Zn so absorvidos emmaiores propores a partir dos 64 DAP at o final do ciclo. A quantidade de B, Cu,Mn e Zn exportada foi dependente da cultivar, com valores por hectare variandode 48 a 22 g de B, 79 a 16 g de Cu, 65 a 37 g de Mn e 167 a 83 g de Zn. A quantidade deFe exportada no variou entre as cultivares, sendo, em mdia, de 243 g ha-1. A

  • 2058 Rogrio Peres Soratto et al.

    R. Bras. Ci. Solo, 35:2057-2071, 2011

    quantidade de micronutrientes extrada e exportada pela batateira variou com ascultivares utilizadas, indicando necessidade de manejo diferencial da adubao.

    Termos de indexao: Solanum tuberosum, nutrio mineral, curvas de absoro,taxas de absoro, acmulo de nutrientes.

    SUMMARY: NUTRIENT EXTRACTION AND EXPORTATION BY POTATOCULTIVARS: II - MICRONUTRIENTS

    More productive potato cultivars possibly require larger quantities of micronutrients, butin Brazil there is little information on extraction and exportation of micronutrients by thecommonly used potato cultivars. The objective of this study was to evaluate extraction andexportation of micronutrients by the potato cultivars gata, Asterix, Atlantic, Markies, andMondial. The experiment was conducted in Ita, So Paulo State, Brazil, in the 2008 wintergrowing season on an Oxisol. Plots consisted of the five potato cultivars and subplots ofsampling times (at planting and every seven days after emergence). The cultivars Mondial andAsterix, the most productive, absorbed highest average micronutrient quantities per hectare(71 g B, 122 g Cu, 2,228 g Fe, 618 g Mn, and 405 g Zn). Smaller average amounts wereabsorbed by Atlantic (50, 81, 1,960, 544, and 270 g ha-1 of B, Cu, Fe, Mn, and Zn, respectively).B demand was highest after tuber initiation, 34 days after planting (DAP), while the Fe andMn demand was highest between 42 DAP and 63 DAP. Cu and Zn were most absorbed from64 DAP until the end of the cycle. The exported amounts of B, Cu, Mn, and Zn were cultivar-dependent, in the ranges 4822 g B, 7916 g Cu, 6537 g Mn, and 16783 g ha-1 Zn. AverageFe exportation did not differ among cultivars (243 g ha-1). The micronutrient quantitiesabsorbed and exported by potato cultivars varied between cultivars, indicating the need of adifferentiated fertilization management.

    Index terms: Solanum tuberosum, mineral nutrition, absorption curves, absorption rates,nutrient accumulation.

    INTRODUO

    Normalmente, no cultivo da batata (Solanumtuberosum L.) so utilizadas altas doses de fertilizantescom N, P e K (Cogo et al., 2006; Silva et al., 2007),por ser esta uma cultura altamente responsiva aosuprimento de nutrientes (Cardoso et al., 2007). Noentanto, muitas vezes os micronutrientes no soincludos nos programas de adubao da cultura,podendo ocorrer situaes de fome oculta, em quesintomas visveis de deficincia no so constatados,porm a insuficincia de micronutrientes limita aprodutividade (Raij, 2001) e a qualidade do produtocolhido (Mesquita Filho et al., 2001). Embora osmicronutrientes sejam absorvidos em pequenasquantidades, eles so to importantes quanto osmacronutrientes, desempenhando funes comoativador ou constituinte de enzimas, alm do papelestrutural, como constituinte de compostos orgnicos(Malavolta et al., 1997; Dechen & Nachtigall, 2006).

    Segundo Boock (1976) e Filgueira (1993), acarncia de micronutrientes em batata est associadaao uso de fertilizantes com maior grau de pureza, exportao dos micronutrientes do solo por plantiosconsecutivos em uma mesma rea, ao uso de cultivarescom maior potencial produtivo, bem como aplicao

    de elevadas doses de macronutrientes. Mesmo assim,ainda h carncia de informaes sobre extrao eexportao de micronutrientes na cultura da batata.

    No Estado de So Paulo, a recomendao deadubao com micronutrientes inclui apenas o B(Lorenzi et al., 1997), devido ao fato de ter sidoconstatado que a adio desse micronutriente no soloaumenta a produo de tubrculos grados(Gargantini et al., 1970; Boock, 1976; Freire et al.,1981) e diminui os teores de acares redutores(Mesquita et al., 2007), melhorando assim aprodutividade e a qualidade dos tubrculos. Estudosde adubao com os demais micronutrientes foramconduzidos nas condies brasileiras, no entanto,aumentos expressivos de produtividade foram obtidosapenas com a aplicao de B e Mo (Gargantini et al.,1970, 1986). A falta de resposta na produtividade dacultura fez com que a maioria dos micronutrientesno fosse includa nas recomendaes oficiais deadubao, fato que pode causar desequilbrionutricional da planta e comprometer a produtividadede tubrculos. Alm disso, a maioria dos estudos commicronutrientes das dcadas de 1970 e 1980(Gargantini et al., 1970; Boock, 1976; Freire et al.,1981; Gargantini et al., 1986; Paula et al., 1986), comcultivares antigas e de menor potencial produtivo.

  • EXTRAO E EXPORTAO DE NUTRIENTES EM CULTIVARES...: II MICRONUTRIENTES 2059

    R. Bras. Ci. Solo, 35:2057-2071, 2011

    Os nveis de produtividade alcanados pela culturada batata no Brasil praticamente dobraram nosltimos anos, passando de 10 a 15 t ha-1 na dcada de1980 para 25 a 30 t ha-1 atualmente (Faostat, 2011),com reas que chegam a produzir acima de 40 t ha-1.Esse aumento de produtividade deveu-se a inmerosfatores, mas principalmente ao uso de cultivares maisprodutivas, como gata, Asterix, Atlantic, Markies eMondial, que representam 78 % da rea cultivada combatata no Brasil (Abba, 2010). Dessa forma, como asprodutividades obtidas so maiores, possivelmente asnecessidades nutricionais tambm foram alteradas,tornando necessrio conhecer as curvas de absorode micronutrientes dessas cultivares. Com essascurvas, possvel definir as pocas em que sodemandadas as maiores quantidades de micro-nutrientes (Orlando Filho, 2001), assim como asquantidades que so removidas da rea de cultivo pelostubrculos. Essas informaes permitiro manejarde forma eficiente as adubaes, visando reduzir perdase aumentar o aproveitamento dos nutrientes dosadubos, alm de auxiliar no estabelecimento deadubaes de restituio, para manuteno dafertilidade do solo.

    O objetivo deste trabalho foi avaliar a extrao e aexportao de micronutrientes (B, Cu, Fe, Mn e Zn)pelas cultivares de batata gata, Asterix, Atlantic,Markies e Mondial.

    MATERIAL E MTODOS

    O experimento foi conduzido durante a safra deinverno de 2008, em rea produtora de batata nomunicpio de Ita (SP) (2328 S, 4908 W e 670 m dealtitude). O clima da regio Cfa, segundo aclassificao de Kppen. Os valores de temperaturasmximas e mnimas, precipitao pluvial e irrigaodurante o perodo de conduo do experimento estoapresentados na figura 1. As caractersticas qumicas

    da camada arvel (00,20 m) do Latossolo Vermelho,textura argilosa (Embrapa, 2006), foram determinadasantes da instalao do experimento, segundo mtodospropostos por Raij et al. (2001), cujos resultados foram:matria orgnica, 31,8 g dm-3; pH (0,01 mol L-1CaCl2), 4,4; P (resina), 71 mg dm-3; K, Ca2+, Mg2+,H + Al e CTC, 5,6, 28,6, 6,1, 74,7 e 115,1 mmolc dm-3,respectivamente; saturao por bases, 35 %; e teoresde S-SO42-, B, Cu, Fe, Mn e Zn, respectivamente de23,1, 2,1, 1,7, 32,2, 17,1 e 3,1 mg dm-3.

    O delineamento experimental foi em blocoscasualizados, em esquema de parcela subdividida, comquatro repeties. As parcelas foram constitudas porcinco cultivares de batata (gata, Asterix, Atlantic,Markies e Mondial), e as subparcelas, por pocas decoletas de plantas (avaliaes), que foram realizadasno momento do plantio (tubrculos-semente) e aos 20,27, 34, 41, 48, 55, 62, 69, 76, 83, 90 e 97 dias aps oplantio (DAP). Cada parcela foi constituda por 10fileiras de 10 m de comprimento.

    O preparo do solo foi realizado com: dessecao,roagem, duas gradagens pesadas, escarificao,arao e uma terceira gradagem leve s vsperas doplant