Estudos de estratégia erros da seleção na copa de 2013

of 15 /15
Prof. Cirineu José da Costa MSc Estudos de Estratégia: Erros estratégicos da Seleção Brasileira na Copa de 2014

Embed Size (px)

description

desastre na copa de 2014

Transcript of Estudos de estratégia erros da seleção na copa de 2013

  • 1. Prof. Cirineu Jos da Costa MSc Estudos de Estratgia: Erros estratgicos da Seleo Brasileira na Copa de 2014
  • 2. 1 A POSTULAO DO BRASIL PARA SER SEDE DA COPA DE 2014 Em Junho de 2003 a Confederao Sul-Americana de Futebol anunciaou que a Argentina, o Brasil e a Colmbia seriam candidatos sede da Copa FIFA 2014. Em maro de 2006 foi votada de forma unnime a adoo do Brasil como nico candidato. Em Julho de 2006 o presidente da FIFA disse que,a Copa do Mundo de 2014 provavelmente seria sediada no Brasil mas que o pas tinha que provar sua capacidade antes de tomar uma deciso. Em abril de 2007 aps visitar o Maracan, o Morumbi, o Mineiro e o Beira-Rio a FIFA disse que o pas no tinha nenhum estdio em condies de sediar a Copa. Lula afirmou em setembro de 2006 que o Brasil deveria construir doze novos estdios para ser capaz de sediar a Copa. O presidente da Confederao Brasileira de Futebol (CBF) disse que recuperar estdios e/ou construir novos estdios seria responsabilidade da iniciativa privada. Em julho de 2007 a CBF entregou na sede da FIFA em Zurique, na Sua, os documentos da proposta, na qual apareciam as dezoito cidades selecionadas. Em outubro de 2007 a FIFA ratificou o Brasil como pas-sede da Copa do Mundo de 2014. A PREPARAO DO BRASIL PARA SEDIAR A COPA DE 2014 Nosso pas foi candidato nico para sediar a Copa FIFA 2014. Os governantes sabiam das exigncias da FIFA para que as competies fossem aqui realizadas. Construes de novos estdios, denominados de ARENAS, dotados de uma infras-estrutura que no existiam at ento nos nossos campos de futebol eram pontos cruciais para o evento. Visitantes, turistas, torcedores...no importa o nome que tenham, precisam chegar ao pas, ter acomodaes, transporte, alimentao, comunicao, segurana e receptividade.
  • 3. 2 As cidades precisavam ter um plano de mobilidade urbana, infra-estrutura de transportes, segurana pblica, apoio em sade, telecomunicaes, hotelaria e demais facilities para aqueles que viessem assistir aos jogos, para queles que viessem trabalhar na cobertura dos jogos e para as equipes que seriam as figuras principais do torneio. O planejamento nunca foi o forte do Estado Brasileiro. Quando o planejamento feito, dificilmente cumprido. Cronograma de atividades so feitos e no cumpridos. Nossa preparao para a Copa foi um fiasco. Ficamos anos parados espera de que as obras e os servios brotassem espontaneamente no se sabe de onde. S comearam a aparecer alguns sinais de atividade quando a FIFA posicionou-se dizendo que, naquela velocidade em que estvamos, no haveria Copa do Mundo no Brasil. S a partir da as autoridades governamentais que se propuseram a realizar o evento no pas comearam a procurar por parceiros da iniciativa privada para realizar as obras prometidas e comprometidas com a FIFA. Viu-se ento que no havia parceiros privados. O sonho de uma Copa sem a injeo de recursos pblicos foi para o buraco. O Governo Federal passou ento a procurar Governadores e Prefeitos, empresas estatais e bancos pblicos para tentar viabilizar o que havia sido comprometido. A populao passou a manifestar-se contra a realizao da Copa e contra os gastos pblicos com o evento. O Brasil passou por momentos dificeis com manifestaes violentas e acfalas, combinadas atravs de redes sociais que se mostraram como ferramentas eficientes de mobilizao popular. Os Partidos polticos e os polticos ficaram sem ao. No havia uma liderana dos movimentos para ser condenada, para ser chamada mesa de negociao. E a revolta popular s recrudescia a cada momento que se passava. Os governos locais tentavam agir seguindo uma linha poltico-partidria que na maioria das vezes no era alinhada com o governo central do PT. As polcias ou agiam com violncia ou no agiam de acordo com a convenincia do governador. As Guardas municipais seguiam a mesma linha. E as manifestaes ficavam cada dia mais violentas e passaram a ser consideradas um problena nacional de segurana. As medidas de conteno passaram a ser estudadas e tomadas com mais eficincia. As cidades do Rio de Janeiro, So Paulo, Belo Horizonte e Braslia viraram campos de batalha como nunca vistos no nosso Pas. Faltou dilogo prvio com a Sociedade. O Governo foi autoritrio e no discutiu com a sociedade brasileira as decises que foram tomadas de gastar as
  • 4. 3 verbas pblicas com arenas de futebol estando a sociedade carente de aes pblicas nas reas de sade, educao, transporte e segurana. OS PR-REQUISITOS PARA SER UM JOGADOR DA SELEO BRASILEIRA Saber jogar bola; Ter experincia na funo; Ter preparao fsica; Ter equilbrio mental e psicolgico; Ter esprito de equipe e sentimento de sacrifcio; Ter garra e vontade de vencer; Ter amor camisa; ...poderamos preencher pginas de pr-requisitos, mas sabemos que todos os requisitos somados tem que resultar num elemento que d o rsultado desejado ao final do jogo, ou seja, que o somatrio do trabalho de todos os jogadores resulte na vitria do time pelo qual jogam. necessrio ser famoso? essencial ter um valor de mercado fenomenal? imprescindvel atuar ou ter atuado em times de outros pases? fundamental ter porte fsico avantajado? imperativo ter conquistado ttulos importantes? Na verdade, o jogador de futebol, para ser convocado para a seleo brasileira, precisaria ter todos os requisitos citados e possuir GARRA. Mas a convocao para a seleo leva em conta critrios ininteligveis e s vezes obscuros, levados s vezes por interesses comerciais de patrocinadores que atropelam todos os demais interesses justos e legais. Ns, pobres torcedores, ficamos merc..... Vejam abaixo a lista de 2014:
  • 5. 4
  • 6. 5 Dos 23 convocados apenas 2 goleiros e dois jogadores atuavam no Brasil. O Brasil que o pas que tem o maior nmero de times de futebol do mundo forneceu apenas 2 jogadores e dois goleiros reservas. Ser que no temos jogadores que atuam no Brasil com padro de Seleo Brasileira? Ou sero injunes externas que obrigam as convocaes de figurinhas carimbadas pelos patrocinadores? Convocando jogadores nacionais no ficaria mais fcil para a Comisso Tcnica ter acesso aos mesmos e poder executar um programa de treinamento efetivo por um tempo continuo e prolongado? Nossa Seleo contem uma pliade de jogadores excelentes individualmente mas que, infelizmente, no conseguem, ao jogar, dar uma formao de TIME, de EQUIPE ou de CONJUNTO, pois no sabem jogar juntos. OS PR-REQUISITOS PARA SER TCNICO DA SELEO BRASILEIRA A Seleo Brasileira necessita de um Tcnico. O Tcnico, para bem executar o seu trabalho, necessita ter sua disposio um conjunto de jogadores para chamar de Seleo. Qual seria o perfil do Tcnico ideal para nossa Seleo? O Tcnico da Seleo precisa obrigatoriamente ser um LIDER. Para ser um bom lder ele deve pelo menos: -Respeitar e confiar na sua equipe -Saber ouvir e orientar -Ter empatia -Ser motivado e saber motivar -Ser inovador -Ser flexvel -Ter conhecimento -Saber dar e receber feed-back -Ser um bom planejador e estrategista -Saber delegar O Tcnico deve ter sempre em primeiro plano o OJBETIVO PRINCIPAL do seu trabalho: Levar a Seleo conquista da Copa! Nada menos que isso interessa ao grupo e muito menos para os torcedores. Se a equipe no ganhar o campeonato o objetivo no foi atingido.
  • 7. 6 Como ento motivar jogadores com salrios to diferenciados, com contratos publicitrios estratosfricos, com o ego inflado pelo estrelismo a dar sangue pela seleo nacional? Como convence-los que precisam treinar mais, melhorar o preparo fsico, melhorar o aspecto psicolgico, sacrificar-se no relacionamento pessoal e familiar e lutar pelo OBJETIVO do grupo: ganhar a COPA? Assim vemos que a misso do Tcnico e da sua equipe de trabalho no simples e nem fcil. Talvez ele conte com os melhores jogadores do mundo mas tem a misso quase impossvel de transform-los numa EQUIPE, num TIME de futebol. Nivelar os egos individuais, dividir a carga de trabalho, cobrar resultados e aplicao independentemente do nvel estrelar que o jogador esteja....no tarefa fcil para um Tcnico qualquer. Precisamos de um TCNICO! Mas com quais competncias? Ser que iremos pelo velho mtodo de tentativa-e-erro? Ser que sero estabelecidos critrios basilares mnimos para que um postulante possa ser convidado? Qual o nvel de liberdade que o Tcnico realmente tem para desenvolver o seu trabalho? Ser que a CBF d o grau de liberdade necessria ao Tcnico ou ser que ele tem a obrigao de trabalhar com a matria-prima imposta pelo comando da Confederao? COMO FAZER A COMPOSIO DA COMISS/AO TCNICA? Normalmente a CBF compe assim a comisso tcnica: 01 Coordenador Tcnico 01 Tcnico 01 Assistente Tcnico 02 Preparadores Fsicos 01 Treinador de Goleiros 03 Mdicos 02 Fisioterapeutas 01 Administrador 01 Assessoria de Comunicao e Imprensa 01 Analista de Desempenho Ttico 01 Chefe da Segurana 01 Massagista 02 Roupeiros
  • 8. 7 Ser que esta composio est adequada para o tipo de competio atual que a Copa do Mundo apresenta? Falta Preparador Fsico (pelo menos 3), Massagista (pelo menos 3) e Analista de Desempenho Ttico (pelo menos 2) A preparao fsica dos jogadores deve objetivar primeiramente o nivelamento da condio fsica de todos. Alcanado o nivelamento passa-se para o segunda etapa que levar cada jogador ao condicionamento especfico para a sua posio. A ltima etapa dar a cada um deles um adicional de preparao para que possam cobrir toda a rea do campo possibilitando que um jogador de defesa possa surpreender o adversrio na rea defensiva oposta levando perigo do gol e possa retornar para sua posio imediatamente. Da mesma forma possibilitar ao jogador ofensivo condies de, caso perca a bola no ataque, possa, imediatamente chegar na sua rea defensiva reforando a defesa e diminuindo o perigo de gol. Aos jogadores intermedirios este condicionamento extra possibilita a movimentao rpida cobrindo uma extenso maior do campo, diminuindo as possibilidades do adversrio no campo intermedirio, podendo reforar a defesa ou partir para uma posio de ataque auxiliando a zaga e o ataque simultaneamente. Preparao fsica alcanada com dedicao, entrega e muito suor. Cabe equipe fazer a motivao. O jogador vai sentir muito no incio e no meio do condicionamento mas ter a recompensa no final quando conseguir fazer percursos extraordinrios dentro de campo e superar a dor de ter mais dois tempos de prorrogao e cobrana de penalidades, saindo de campo vitorioso e inteiro para uma nova partida. COMO PLANEJAR A PREPARAO DA EQUIPE Algumas selees possuem mais tempo para iniciar o treinamento especfico para a competio COPA DO MUNDO. Como fazer se no possuir o tempo ideal? No possuindo o tempo ideal deve-se programar o tempo disponvel para um aproveitamento mximo da disponibilidade dos atletas. Fala-se muito em perodo de descanso mas o importante focar no perodo disponvel para treinar. Treinar sempre nem que seja com a equipe incompleta. Esta filosofia de trabalho deve ser incutida em toda a equipe tcnica e em todos os atletas que se disponham a conquistar uma COPA DO MUNDO. Os jogadores brasileiros nesta copa de 2014, especialmente os que atuam em clubes do exterior, aproveitaram o perodo de descanso para visitar familiares.
  • 9. 8 O treinamento, a organizao e o planejamento minuciosos da conquista de 70 so esquecidos ou secundarizados nos jornais de hoje. O Comandante e Professor Lamartine Pereira da Costa auxiliou e deu suporte terico ao planejamento da Comisso Tcnica, formada por Admildo Chirol, Carlos Alberto Parreira, Cludio Coutinho, Kleber Camerino e Raul Carlesso. Estes trs ltimos integrantes faziam parte da Escola de Educao Fsica do Exrcito(EsEFEx), solicitados pela ento Confederao Brasileira de Desportos (CBD). Na Copa de 70 o trabalho mais perfeito realizado pela Comisso Tcnica foi o da preparao fsica. Pela primeira vez na histria do futebol brasileiro, um programa de trabalho baseado no melhor que a cincia da educao fsica podia oferecer ao futebol foi utilizado. Objetividade, organizao, disciplina e competncia tcnica foram itens priorizados pela Comisso Tcnica. Estudos de fisiologia do esforo, estudos tticos e treinamento tcnico foram duramente aplicados durante a preparao. O Capito Cludio Coutinho foi o grande nome que, com habilidade, soube fazer bem o trabalho. Ele deu a dimenso do cientista no campo. Tudo era organizado, com a medicina esportiva dando apoio e no dizendo como devem ser as coisas. O esquema de treinamento funcionou aliado com o conhecimento cientfico, com o trabalho de equipe e com a motivao dos atletas para a conquista do ttulo. A seleo brasileira comeou os treinamentos para a Copa do Mundo atrasada em relao a diversos adversrios, inclusive a Crocia, rival da estreia, e as concorrentes ao ttulo Alemanha, Itlia e Frana. Por deciso da comisso tcnica brasileira, os jogadores convocados por Scolari ganharam pelo menos uma semana livre e s se apresentaram ao treinador em 26 de maio para iniciar os preparativos na Granja Comary, em Terespolis (RJ). At o dia do jogo contra a Crocia, em 12 de junho, o time teve 17 dias de preparao, o perodo mais curto das ltimas Copas -- foram 25 dias para o Mundial na frica do Sul (2010), 22 dias para a Copa da Alemanha (2006) e 22 dias a caminho da conquista do penta na Coreia do Sul e no Japo (2002). Apenas aps o encerramento do Campeonato Espanhol o nosso Tcnico pode contar com todos os atletas. A nica exceo foi o Marcelo, que vai defendeu o Real Madrid na final da Liga dos Campees contra o Atltico de Madri. Itlia, Frana, Inglaterra, Alemanha, Holanda, Uruguai, Chile, Portugal e Crocia comearam a treinar para a Copa do Mundo bem antes do Brasil, pelo menos com parte dos jogadores que disputaro o Mundial.
  • 10. 9 A CBF deveria elaborar um Plano de Trabalho para a Equipe Tcnica e para os Jogadores a partir do dia D, considerado o incio das atividades do Projeto Copa do Mundo. Tentar acordo com as equipes de futebol onde atuam os jogadores que interessam Equipe Tcnica para a liberao dos mesmos para cumprir o Plano de Trabalho. Descartar os jogadores cujos clubes no se comprometam na liberao dos mesmos. Dar prioridade aos jogadores que atuam no Brasil para facilitar a liberao junto aos clubes. No concentrar a convocao num nmero reduzido de clubes. COMO JOGOU A SELEO BRASILEIRA ? O jogo de estreia comeou com um gol contra... Seria um prenncio? A seleo ganhou de 3 x 1 da Crocia mas no convenceu. Na sequencia a seleo empatou com o Mxico em 0 x 0 e ganhou de Camares de 4 x 1. A equipe continuou a no empolgar os torcedores. Nas oitavas empatou com o Chile, ganhando nas penalidades e nas quartas ganhou da Colmbia por 2 x 1. A equipe continuou morna e no convencia a torcida, apesar dos resultados. Contra a Colmbia Neymar foi lesionado e ficou de fora do restante da Copa. Thiago Silva por causa de cartes ficou fora do jogo contra a Alemanha. O jogo contra a Alemanha era esperado como um jogo crucial para a equipe brasileira. Esperava-se uma motivao extra da equipe devido ao fato de Neymar estar fora da Copa. Foram decepcionantes 7 x 1 para a Alemanha.
  • 11. 10
  • 12. 11 Nas fotos acima ns podemos ver a perplexidade dos jogadores brasileiros e a paralisia chocante do lder e sua comisso tcnica. O que fizeram? Nada...
  • 13. 12 No existe nada em termos de Liderana e Chefia que justifique uma atitude como essa de toda a equipe da Comisso Tcnica, responsvel por organizar a equipe ttica e estratgicamente. Fizeram o impossvel: pior do que a derrota honrosa frente ao uruguai em 1950. A equipe Alem s no ampliou mais o placar para no desmoralizar ainda mais os penta-campees mundiais. Foi horrvel....
  • 14. 13 COMO JOGARAM AS OUTRAS SELEES? Jogo compacto, jogo limpo, jogo com foco e jogo com objetivo. Todas as equipes que vieram para o Mundial vieram para vencer. Nenhuma equipe saiu de seu pas simplesmente para disputar um campeonato. Vieram com o objetivo de GANHAR, GANAR ou WIN. Nossa seleo, por estar disputando em casa, pensou que seria tudo muito mais fcil. No se prepararam adequadamente para enfrentar adversrios duros, determinados, calculistas e frios. A partida de futebol, numa copa do mundo, hoje em dia um jogo estratgico que precisa ser jogado (e no disputado). O jogo estratgico muito mais amplo do que um jogo simplesmente disputado onde as duas equipes partem para abrir o placar a qualquer custo e no menor tempo possvel. preciso analisar o adversrio e esta tarefa no s do tcnico. Os jogadores precisam aprender a analisar os adversrios que marcam e passar para a comisso tcnica a sua avaliao. As informaes, aps analisadas, transformam-se em aes para melhorar o desempenho da equipe no tempo seguinte. O QUE FALTOU PARA A SELEO NOS JOGOS FINAIS? Na fase de Grupos da Copa as partidas so de 90 minutos somadas as prorrogaes dadas pelos rbitros. Nesta fase a Comisso Tcnica tem que desenvolver uma estratgia para acumular os pontos necessrios para que a equipe fique entre as duas primeiras do grupo. A Estratgia passa pelo estudo minucioso de cada equipe adversria e de cada componente individualmente. Saber como cada adversrio joga, como cada jogador da equipe adversria atua dentro do campo, saber o perfil psicolgico de cada componente da equipe adversria e PASSAR PARA OS JOGADORES todas as informaes conhecidas. Os jogadores precisam, alm de saber jogar bola, saber conhecer o adversrio que ir marcar e o adversrio que o marcar. Ento, hoje, o jogador precisa ter um nvel intelectual elevado para poder receber, repassar e processar informaes rapidamente. O jogador precisa, em campo, ter condies intelectuais de tomar decises tticas baseadas nas orientaes previamente recebidas da comisso tcnica e nas informaes colhidas por ele ou pelos outros componentes da equipe durante o desenrolar o jogo, sem precisar da interveno do Tcnico. No jogo contra a Alemanha ns vimos uma equipe acfala dentro e fora do campo. Perdeu-se todo o conjunto ttico. Os responsveis por tomar deciso e reorganizar o time no souberam faz-lo. Os jogadores, despreparados, foram abandonados prpria sorte em frente a uma equipe fria e calculista e que s no humilhou mais a nossa seleo por que no quiseram. Poderiam ter feito mais de uma dzia de gols.
  • 15. 14 Faltou OBJETIVO. Faltou estudar o adversrio. Faltou orientar a equipe. Faltou aplicao ttica. Faltou ao estratgica. Se a Comisso Tcnica tivesse mandado a equipe retrair e segurar 2 x 0 at o final do 1 tempo, poderiam estudar a situao, estimular os jogadores, reorientar o time e pensar que ainda teriam o segundo tempo para empatar e mais 2 prorrogaes para tentar vencer e aps ainda teriam a cobrana de penalidades. Mas nada foi feito. Vimos o Tcnico com a cabea entre as mos, entregando o caso para o ser Divino resolver. QUAIS ENSINAMENTOS PODEMOS TIRAR DOS ERROS COMETIDOS? necessrio um PLANEJAMENTO prvio para alcanar um objetivo, por mais simples que seja. Para bem executar uma tarefa necessrio TREINAR quantas vezes necessrio at atingir a perfeio. Como dificilmente a perfeio atingida, temos que treinar e treinar sempre. Podemos considerar os jogadores que chegam para a seleo como uma travessa cheia de frutos diferentes. Podemos deixar cada fruto como veio e sabore-los separadamente, podemos fazer uma salada de frutas e sentir ainda o sabor individual de cada fruto, apesar de misturados ou ainda podemos triturar todos eles num belo suco e sentir um sabor nico e harmonioso (ISSO A EQUIPE!). Faltou equipe, sobrou Neymar! Quando um grupo de jogadores forma uma EQUIPE, a Comisso Tcnica tem condies de olhar para os jogadores que esto no banco de reserva e ver um outro time inteiro sua disposio, ter plena liberdade de substituir qualquer um sem que a equipe perca produtividade, visando melhorar um aspecto ttico ou ento visando aproveitar uma vantagem estratgica sobre o adversrio. FALTOU SELEO BRASILEIRA ESPRITO DE CORPO, SENTIDO DE EQUIPE, GARRA E DETERMINAO. O Brasil pode reunir os melhores jogadores que possui mas se no conseguir incutir em cada um deles estes sentimentos, dificilmente conseguiremos conquistar outra COPA do mundo