Edi§£o 545 do jornal O Not­cias da Trofa

Click here to load reader

download Edi§£o 545 do jornal O Not­cias da Trofa

of 20

  • date post

    24-Jul-2016
  • Category

    Documents

  • view

    233
  • download

    4

Embed Size (px)

description

Edição 545 de 6 de novembro de 2015

Transcript of Edi§£o 545 do jornal O Not­cias da Trofa

  • Cancro na gravidez tema das Jornadas Materno-Infantis do Hospital da Trofa

    Manuel Veloso expe fotos

    da Trofano Slotcar

    Passos de Dana com boa prestao

    em Paris

    Semanrio | 6 de novembro de 2015 | N 545 Ano 13 | Diretor Hermano Martins | 0,60

    PUB

    pub

    pub

    //PG. 4

    //PG. 5

    //PG. 9

    //PGs. 7 //PGs. 15

    Homens mais fortes do Mundo no campeonato de powerlifting

    Trofense detido em megaoperao da GNR

    //PG. 3

  • 2 O NOTCIAS DA TROFA 6 NOVEMBRO 2015 www.ONOTICIASDATROFA.pT www.ONOTICIASDATROFA.pTAtualidade

    Jos MariaMoreira da Silva

    CRNICA

    Os moradores da Rua/Praceta Camilo Castelo Branco, em S. Romo do Co-ronado, esto indignados com a no abran-gncia desta rua no projeto de saneamento que est a ser executado na perpendicular Rua das Carvoeiras. Recorde-se que na edi-o 544 do jornal O Notcias da Trofa, Con-ceio Tedim, Isaura Gonalves, Glria Reis e Manuela Silva - que fazem parte do grupo de 17 moradores que assinaram um abaixo-

    -assinado enviado a 24 de agosto ao presi-dente da Cmara Municipal da Trofa, Srgio Humberto mostraram a sua indignao so-bre a no abrangncia desta rua no projeto de saneamento. No sei o porqu de ficar-mos excludos do saneamento. Temos vrias vivendas e estamos numa baixa, onde vemo--nos aflitas no inverno com as fossas cheias. Acho que no faz sentido o projeto que fize-ram, referiu Conceio Tedim.

    Sobre a promessa do autarca trofense de que a Rua faria parte de um prximo plano de investimentos, o mais urgente possvel, ten-do a guas do Norte garantido que seria j em 2016, Manuela Silva afirmou que isso

    Cavaco Silva, o ainda Presidente da Re-pblica, que tinha afirmado j saber o que ia fazer no dia seguinte s eleies legis-lativas 2015, baralhou-se todo, trocou os ps pelas mos decidiu ficar na histria ao demo-rar uma eternidade de tempo a fazer o que de-via ter feito! Apenas o que mandava a Consti-tuio. E j sabia o que fazer no dia seguinte s eleies; imagine-se o que aconteceria se no soubesse! Ah, verdade: depois de tanto tempo, tanta hesitao e tanta baralhao fez uma regurgitao atravs de um discurso bri-lhante, que justificou um acantonamento de toda a esquerda, unindo toda a esquerda par-tidria com assento na Assembleia da Rep-blica e conseguindo o que nunca ningum ti-nha conseguido em quatro dcadas de demo-cracia: uma maioria de esquerda unida, que o PCP sempre lutou e desejou, desde abril de 1974. A persistncia deu os seus frutos: venceu! Se Barreirinhas Cunhal fosse vivo daria saltos de contentamento.

    bvio, que enquanto isto decorria, Ant-nio Costa mostrou a sua capacidade para en-golir sapos vivos. Depois de ter perdido as eleies, comeou a construir uma maio-ria negativa, com os outros partidos polticos perdedores, para derrubar um governo forma-do pela Coligao que ganhou as eleies e tentar governar um pas que tinha ajudado a afundar. Agora quer ter o prazer de sabo-rear o fel de Trotsky acompanhado com um cocktail de Estaline, Mao Ts-Tung e Lenine, tudo servido primorosamente por Ferro Ro-drigues. Deseja-se que Costa no venha a ter um enfarte com esta salada russa explo-siva. Ah, verdade: como estamos num esta-do republicano e constitucional, num regime democrtico semi-parlamentarista, Antnio Costa tem toda a legitimidade, para ser Pri-meiro-ministro. E assim se concretizaria a vontade dos portugueses, que por uma gran-de maioria disseram, atravs do voto, que era isto mesmo que queriam. O grande problema para uma soluo estvel e duradoura Cos-ta fazer uma coligao com o prprio PS, que seja credvel e consistente para os prximos quatro anos. No ser fcil e provavelmente ter que engolir elefantes vivos!

    Quanto ao PCP, depois de ter estado no poder, em 1974 e 1975, principalmente em 1975, atravs do camarada Vasco Gon-alves - embora se diga que, nos ltimos 40 anos, s trs partidos que governaram Por-tugal -, volta a querer mandar no pas, agora de brao dado com os seus inimigos histri-cos e figadais: os socialistas, os maostas e os trotskistas. Foi corrido do poder, depois de uma grande contestao nacional, enca-beada pelos socialistas de ento e tudo tem feito para regressar de novo ao poder. Ah,

    O TinO de Rans candidaTO a PResidenTe da RePblica

    verdade: no pouco tempo que os comunis-tas estiveram e tiveram poder fizeram, entre outras coisas bem-feitas, a reforma agr-ria, as ocupaes e as nacionalizaes. Ain-da hoje estamos, todos ns, a pagar por es-ses desmandos. E j l vo quatro dcadas!

    Os Bloquistas - maostas, estalinistas, trotskistas e outros istas - tambm j tive-rem poder e j nos mostraram o que acontece quando tm poder em Portugal, atravs dos seus antepassados no malfadado COPCON e outras organizaes, que prenderam, sem culpa formada, muitos portugueses s por-que cometeram o crime de serem empres-rios de sucesso ou no serem marxistas. De novo esto a sonhar em voltar a saborear o poder, depois de tantas imploses, tantas ci-ses, tantas divises. Desta vez de mo dada com os seus inimigos de eleio: os socialis-tas e os comunistas. Sempre desejaram vol-tar a ter poder, que o que todos os partidos desejam. Ah, verdade: se assim acontecer vai acabar a misria, o desemprego, a praga dos recibos verdes, a precariedade, vo bai-xar os impostos, vai aumentar muito o sal-rio mnimo e as reformas e tambm vamos trabalhar menos horas e ter mais feriados.

    Para alm disto, se a esquerda unida esti-ver a governar o pas, a economia vai cres-cer a nveis que nunca antes cresceram. Por-tugal vai ser um pas poderoso, rico e inde-pendente, sem necessidade de ter as amar-ras da Unio Europeia e tambm vai deixar de ser membro da NATO, vai ser resolvido o problema da sustentabilidade da Seguran-a Social, vai haver aumentos significativos nos salrios, vai haver melhor sade, educa-o e justia, vai haver uma reduo signi-ficativa da nossa dvida, provavelmente at nem a vamos pagar, vai haver um forte in-vestimento na cultura, na investigao, nas variantes e no metro de superfcie e uma ver-dadeira reforma administrativa, pondo fim agregao das freguesias, com a atribuio de mais poder e dinheiro para as respetivas Juntas de Freguesia.

    Estes partidos que tm em comum as suas ideologias serem centenrias, pois so ideo-logias que nasceram no sculo XIX e prin-cpio do sculo XX vo conseguir, no scu-lo XXI, casarem-se uns com os outros, apa-drinhados por Scrates. J velhinhos e gas-tos, mas com muita experincia e sabedoria!?!

    Ah, verdade: o Tino de Rans candida-to a Presidente da Repblica! E na apresen-tao da candidatura, nas Escadas das Ver-dades, no Porto, disse que a plebe sabe o que quer. Viva o Tino!

    moreira.da.silva@sapo.ptwww.moreiradasilva.pt

    Saneamento na Rua Camilo Castelo Branco est a ser avaliado

    Questionada pelo NT sobre a no abrangncia da Rua Camilo Cas-telo Branco, em S. Romo do Coronado, no projeto de saneamento, a guas do Norte adiantou estar a avaliar a possibilidade da instala-o de rede de drenagem de guas residuais.Patrcia Pereira atirar areia para os olhos. No faz senti-

    do eles andarem na rua ali em cima e no vi-rem a esta rua. Ento se esto a passar agora e no fazem, que tm a oportunidade, acha que depois vo passar e vo pr aqui? Claro que no, terminou.

    A notcia da edio da semana passada no contou com a resposta da administrao da guas do Norte, uma vez que chegou depois da hora do fecho de edio. A empresa infor-ma que, no mbito das empreitadas do Sis-tema de guas da Regio do Noroeste que se encontram em execuo do Municpio da Trofa, no est prevista a execuo de rede de drenagem de guas residuais na Rua Camilo Castelo Branco, em S. Romo do Coronado.

    A Cmara Municipal da Trofa encaminhou o abaixo-assinado realizado pelos moradores da Rua Camilo Castelo Branco, solicitando a instalao da rede de drenagem de guas re-siduais neste arruamento, possibilidade esta que estamos a avaliar, tendo em considerao o perfil do arruamento em causa e a neces-sidade de construo de uma Estao Eleva-tria para a instalao de uma rede de drena-gem de guas residuais, concluiu.

    Concelho da Trofa mais feliz o nome da campanha de Natal que a associao Gota dgua vai promover no prximo fim de semana, 7 e 8 de novembro, no Pingo Doce de Santiago de Bougado. Os voluntrios da coletividade que estaro devidamente identifi-cados - vo recolher bens alimentares, que vo ser distribudos pelas famlias mais neces-sitadas do concelho para tornar o Natal mais feliz. A Gota dgua pede a todos os trofen-ses que faam um sacrifcio e saiam de suas casas para participar nesta corrente solidria to especial. C.V.

    Gota dgua recolhe alimentospara alegrar Natal das famlias carenciadas

  • 3 2 O NOTCIAS DA TROFA 6 NOVEMBRO 2015 www.ONOTICIASDATROFA.pT www.ONOTICIASDATROFA.pT 6 NOVEMBRO 2015 O NOTCIAS DA TROFApolcia

    Um indivduo residente na Tro-fa foi um dos detidos pela Guarda Nacional Republicana, que desmantelou uma rede de trfico de droga que atuava no Baixo Ave.

    Numa megaoperao, que decor-reu de 14 a 30 de outubro, o Ncleo de Investigao Criminal da GNR de Santo Tirso realizou 25 buscas domicilirias e 10 no domicili-

    GNR detm indivduo na Trofapor envolvimento em rede de trfico de droga Ncleo de Investigao Criminal de Santo Tirso deteve 23 pessoas, no mbito de uma operao de combate ao trfico de estupefacientes. Dois suspeitos, um residente na Trofa e outro com uma empresa de seguros na cidade, ficaram em priso preventiva.Ctia Veloso rias, sendo que 15 foram realizadas

    na Trofa e Ribeiro. As restantes di-vidiram-se por Santo Tirso, Porto, Vila do Conde e Vila Nova de Gaia.

    Alm do suspeito que reside na Trofa, foi detido aquele que consi-derado um dos maiores abastecedo-res do Baixo Ave. O indivduo, com cerca de 40 anos e que tem uma em-presa de seguros na cidade da Trofa, foi apanhado em flagrante na Ave-nida 3 de Julho, mesmo em frente

    ao Largo de Santana, em Ribeiro. A casa da me,