Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

download Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

of 92

  • date post

    07-Jul-2018
  • Category

    Documents

  • view

    220
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    1/92

    DOENÇAS SECUNDÁRIAS DO

    CAFEEIRO NO BRASIL e seu controle

    Engºs. Agrºs. J. B. Matiello e S.R. Almeida –MAPA/PROCAFÉ

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    2/92

    Doenças mais importantes no cafezal •  Ferrugem, principal Secundárias •

      Cercosporiose •  Phoma -Ascochyta •   Leprose •  Mancha aureolada •   Seca de ponteiros, de causa complexa

    Outras de pequena importância •   Roseliniose •   Amarelinho •   Fusariose •  Mancha americana •  Mancha manteicosa •   Koleroga

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    3/92

    Fatores influentes na evolução das doenças

    Ligados à doença - patógeno, raças,virulencia, capacidade de disseminação etc.

    Ligados ao ambiente - pelas condições de

    temperatura, umidade, insolação, ventos,solos. Ligados à condição das plantas  – Variedade, espaçamento, carga pendente, estado nutricional etc

    Ligados à tecnologia de controle   – Natural (cultural e genético) e químico.

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    4/92

       Clima com temperaturas mais altas, insolação

    elevada, com deficit hídrico.

    Solos pobres, arenosos ou com impedimentos.

      Plantas com carga alta, 1ª safra, variedades menos vigorosas e de maturação precoce e concentrada. Problemas de sistema radicular.

      Tratos mal feitos, nutrição deficiente (N, P e Mg), muito mato, ausência de pulverizações preventivas.

    ,

    Condições associadas à gravidade da Cercosporiose

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    5/92

    1- Controle cultural  Uso de variedades mais vigorosas, e, para regiões mais

    quentes, aquelas de maturação tardia.

     Usar espaçamentos que resultem menor produção por  planta.

     Fazer os tratos culturais adequados, visando deixar as plantas fortalecidas, através de nutrição, controle do mato, irrigação, etc.

     Em regiões muito quentes, arborizar ou adensar parareduzir a insolação e o stress por carga

    Controle da Cercosporiose

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    6/92

    2- Controle químico   Uso de fungicidas, para proteger, na época mais crítica,

    que coincide com a granação dos frutos (80-100 dias pós-florada).   Controle entre dezembro e fevereiro, 2-3 pulverizações, período em que as plantas ficam mais susceptíveis e o ataque passa das folhas para os frutos.    Mesma época de maior infecção pela ferrugem - uso de fungicidas protetivos adequados pode resultar no controle simultâneo das duas doenças.    Controle deve ser preventivo, já que não existe,

    principalmente para a cercospora em frutos, fungicidas deefeito sistêmico para a doença.

    Controle da Cercosporiose

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    7/92

    2- Controle químico (cont)  Três grupos fungicidas são os mais eficientes contra a

    cercosporiose: os cúpricos, as estrobilurinas e os tiofanatos.

     Com eficiência média se situam produtos ditiocarbamatos (maneb, mancozeb) e o triazol tebuconazole.

     Os produtos fungicidas triazóis, no geral, tem pouca ação contra a cercosporiose, existindo, por isso, formulações prontas de triazóis + estrobirulinas (Sphere, Opera, PrioriXtra, Aproach-prima).

     Pode-se usar mistura de tanque, com fungicidas cúpricos ou

    com as estrobirulinas, para associar o controle da cercosporiosecom o da ferrugem.

    ,

    Controle da Cercosporiose

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    8/92

       Ataca as folhas, desfolhando as mudas.

    Em associação com outros fungos, atinge o caule, provocando a canela seca, que reduz o desenvolvimento das mudas e aumenta o seu refugo.  A doença aparece quando em substratos pobres.  E na fase de retirada da sombra do viveiro.  A deficiência de N e de P em mudas, especialmente do P, causa a ocorrência da cercospora negra, com ataque em margem de folhas e no caule.

    Cercosporiose em Mudas

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    9/92

       No tratamento protetivo, em viveiros, usam-se

    pulverizações quinzenais, alternando fungicidas cúpricos e ditiocarbamatos.

      Em ataques mais severos, recomenda-se usar

    combinações de estrobilurinas com cúpricos.

     O tratamento com uma fonte de P, irrigado ou pulverizado, recupera mudas com problemas de cercospora negra e canela seca.

    Cercosporiose em Mudas - Controle

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    10/92

    Tratamentos % de folhas

    infectadas

     Número

    médio defls por muda

    (Junho)

     No de

    ramoslaterais  por muda

    Abril Junho

    1- Nativos (Folicur-tebuconazole 200g p litro + Flint- trifloxistrobin a 100 g por l), a 0,15%

    26,7b 18,3ab 5,7bc 0 b

    2- Amistar (Azoxystrobin 500 WG), a 0,04% 38,3c 45,0 c 3,7c 0 b3- Comet (Pyraclostrobin 200 g por litro), a 0,04% 8,3a 5,0 a 8,3a 1,9 a 4- Sphere (Triadimenol 80 g p l + Flint- trifloxistrobin 187 g p l), a 0,25%

    3,3a 10,0 a 6,4b 0 b

    5- Ópera (Epoxiconazole 50 g p l+ Comet- pyraclostrobin 133 g p l), a 0,3%

    10,0a 6,7 a 6,3b 0, 2 b

    6- Oxicloreto de cobre 50% , a 0,6% 21,7b 25,0b 6,2b 0 b7- Folicur (Tebuconazole 200 g por litro), a 0,25% 50,0c 48,3c 4,2c 0 b 8- Antracol ( Propineb 700 WG ), a 0,5% 58,3c 50,0c 3,3c 0 b 9- Ferticlean -Hipoclorito de cobre (9% cu) , a 0,3% 60,0c 61,6c 3,5c 0 b 10- Derosal (Camberdazin 500 SC), a 0,3% 20,0b 75,0d 3,8c 0 b 11- Testemunha 75,0d 90,0d 1,5 d 0 b

    Quadro 1- Discriminação dos tratamentos (produtos e doses), infecção por  Cercosporiose, enfolhamento e emissão de ramos laterais, em mudas de café tratadas com f ormulações fungicidas. Martins Soares-MG, 2010

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    11/92

    Tratamentos

    Peso em gramas das mudas

    (9 mudas/parcela)

    Raízes Parte aérea

    1 – Alliete a 0,5 % pulv. 8,0 14,0 b 2 – Folicur a 0,25 % 7,0 19,0 b 3 – Garant a 0,5 % 10,5 19,5 b

    4 – Alliete + Garant (0,5 + 0,5 %) 5,0 10,0 b 5 – Superfosfato simples 3% + NK solo 50g/m² 13,0 48,0 a 6 –  NK ( 20-0-20 ) 50g/m² irrigado 6,0 12,0 b 7 – Superfosfato simples (3%) pulv. 18,5 45,0 a 8 – Alliete + garant + NK  5,0 13,0 b

    9 – Chorume irrigado 10,5 15,5 b10 – Score ( 0,04%) + Garant + NK solo 9,5 22,5 b 11 – Testemunha 5,0 11,5 b

    Recuperação de mudas de café com problemas de mau desenvolvimento e com canela seca, com produtos fungicidas e nutricionais, M.Soares  – MG, 2001.

    Fonte: Matiello J.B.et alli, Anais 27º CBPC MAPA/PROCAFÉ, 2001, p. 19-20

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    12/92

    Lesões de Cercosporiose em folhas de cafeeiro, com detalhe da lesão típica (em cima àesq.) conhecida como olho de pomba, e a lesão (em cima à dir.) de Cercospora negra.

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    13/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    14/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    15/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    16/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    17/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    18/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    19/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    20/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    21/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    22/92

    C t dí

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    23/92

     Época de ocorrência da doença se prolonga para junho-  julho.    Com a infecção, também, nas folhas novas, que cresceram logo após o término da colheita.    Devido ao baixo estado nutricional da folhagem nova, período após a exaustão das reservas das plantas.

      Agravada pela ação do frio, que atua tanto favorecendo a infecção como tornando as folhas mais susceptíveis à doença.

      E pelo stress hídrico, com a falta de chuva, a partir demaio, esta falta dágua induzindo carência de N.

    Cercospora tardía

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    24/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    25/92

  • 8/18/2019 Doenças Secundárias Do Cafeeiro MATIELO

    26/92

    Interação da incidência de cercospora sobre a infecção por

    ferrugem, em folhas de cafeeiros. Varginha, MG, 1995.

    Fonte: Miguel, Matiello e Almeida, Anais do 21º CBPC, p. 26-7

    Condições das

    folhas

    % de folhas atacadas

    por ferrugem

    Nº médio de lesões de

    ferrugem/folha