Documentação de Apoio às Aulas · Os descontos comerciais em vendas designam-se descontos...

of 28/28
Ano Lectivo 2011/2012. Documentação de apoio às aulas das licenciaturas de GES e FC. Página 1 de 28 © Pedro António Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reprodução sem autorização expressa do autor. Contabilidade Financeira II 2011/2012 Documentação de Apoio às Aulas Licenciaturas: GES e FC Capítulo 3 – Ciclo Operacional By Pedro António Ferreira e Manuela Martins Conteúdo Descontos e Devoluções Adiantamentos Inventários Fórmulas de Custeio das Saídas Ficha de Armazém/Ficha de Inventários Bases de Mensuração de Activos e Passivos
  • date post

    09-Feb-2019
  • Category

    Documents

  • view

    213
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Documentação de Apoio às Aulas · Os descontos comerciais em vendas designam-se descontos...

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 1 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Contabilidade Financeira II

2011/2012

Documentao de Apoio s Aulas

Licenciaturas: GES e FC

Captulo 3 Ciclo Operacional By

Pedro Antnio Ferreira e Manuela Martins

Contedo

Descontos e Devolues

Adiantamentos

Inventrios

Frmulas de Custeio das Sadas

Ficha de Armazm/Ficha de Inventrios

Bases de Mensurao de Activos e Passivos

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 2 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Captulo 3 Ciclo Operacional

Tema: Descontos e Devolues

Autores

Pedro Antnio Ferreira e Manuela Martins

1. Descontos e Abatimentos {Tpico do incio do Captulo 3 Ciclo Operacional}

1.1. Tipologia de Descontos

Os descontos podem classificar-se em dois tipos, comerciais e financeiros, os quais podem, cada um

deles, estar associados a compras/pagamentos e a vendas/recebimentos.

Os descontos relacionados com compras/pagamentos designam-se descontos obtidos; os descontos

relacionados com vendas/recebimentos designam-se descontos concedidos.

Descontos comerciais

So descontos de natureza comercial associados a transaces comerciais, i.e., associados a compras

e a vendas, que so funo das quantidades transaccionadas. Isto significa que, em tese, quanto

maior a quantidade transaccionada maior o desconto comercial. O desconto de quantidade e o

rappel so exemplos de descontos comerciais.

Os descontos comerciais em compras designam-se descontos comerciais obtidos (ou descontos e

abatimentos em compras). Provocam uma "reduo das compras lquidas", reduzem o custo de

aquisio das compras e, por consequncia, reduzem o CMV e aumentam o Resultado.

Os descontos comerciais em vendas designam-se descontos comerciais concedidos (ou descontos e

abatimentos em vendas). Provocam uma "reduo das vendas lquidas", reduzem o preo de venda

e, por consequncia, reduzem as vendas lquidas e o Resultado.

Assim, os descontos comerciais afectam o Resultado:

(i) Positivamente, via: Reduo das compras Reduo do CMV Reduo dos gastos

Aumento do Resultado (descontos obtidos);

(ii) Negativamente, via: Reduo das vendas Reduo dos rendimentos Reduo do Resultado

(descontos concedidos).

Descontos financeiros

So os descontos associados funo financeira, i.e., a pagamentos e a recebimentos. So funo da

rapidez (velocidade) de pagamento/recebimento, i.e., em tese, quando mais rpido se pagar a

fornecedores maior o desconto financeiro obtido destes; quanto mais rpido se receber de clientes

maior o desconto financeiro concedido a estes. Compreendem, nomeadamente, os designados

descontos de pronto pagamento (p.p.) ou descontos de antecipao de pagamento.

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 3 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Os descontos obtidos em pagamentos designam-se descontos de p.p. obtidos e so um rendimento

para a entidade que os obtm. Esto associados a pagamentos de compras.

Os descontos concedidos em recebimentos designam-se descontos de p.p. concedidos e so um

gasto para a entidade que os concede. Esto associados a recebimentos de vendas.

Assim, os descontos financeiros afectam o Resultado:

(i) Positivamente, via: Aumento de rendimentos Aumento do Resultado (descontos obtidos);

(ii) Negativamente, via: Aumento de gastos Reduo do Resultado (descontos concedidos).

Em suma:

Descontos comerciais:

- So funo das quantidades transaccionadas: quanto maior a quantidade transaccionada,

maior o desconto comercial (regra geral).

- Obtidos em compras: reduzem as compras lquidas; aumentam o resultado.

- Concedidos em vendas: reduzem as vendas lquidas; reduzem o resultado.

Descontos financeiros:

- So funo da velocidade de pagamento/recebimento: quanto mais rpido se fizer o

pagamento/recebimento, maior o desconto financeiro associado (regra geral).

- Obtidos em pagamentos: aumentam os rendimentos; aumentam o resultado.

- Concedidos em recebimentos: aumentam os gastos; reduzem o resultado.

Em termos documentais, os descontos financeiros e comerciais podem ser efectuados:

- Na factura

- Extra-factura, i.e., em Recibo e/ou Nota de crdito.

Quadro sntese:

O quadro seguinte sintetiza o registo contabilstico dos descontos financeiros e comerciais,

efectuados na factura e extra-factura.

Pressuposto sobre o IVA:

Para facilitar a compreenso do contedo quadro, partiu-se do pressuposto de que no existia IVA.

No ponto seguinte vamos inserir o IVA nestas operaes. Vamos considerar uma taxa de IVA de 17%.

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 4 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Registo contabilstico dos descontos comerciais e financeiros1

Tipos de Descontos Descontos em Compras Descontos em Vendas

Doc. Registo Doc. Registo

Extra - factura

Comerciais

Na factura

D: 221 Fornecedores c/c

Nota de

Crdito C: 318 - Desc. e abat. em

compras

Registo pelo valor lquido

Factura D: 31 - Compras

C: 221 - Fornecedores c/c

D: 718 - Desc. e abat.

Nota de em vendas

Crdito C: 211 - Clientes c/c

Registo pelo lquido

Factura D: 211 - Clientes c/c

C: 71 - Vendas

Extra - factura

Financeiros

Na factura

D: 221 - Fornecedores c/c

Recibo

C: 782 - Desc.p.p.obtidos

Registo pelo valor ilquido

Factura- D: 31 - Compras

Recibo

C: 11/12 - Cx/DO

C: 782 - Desc.p.p.obtidos

D: 682 - Desc.p.p.conc.

Recibo

C: 211 - Clientes c/c

Registo pelo ilquido

Factura- D: 11/12 - Cx/DO

Recibo D: 682 - Desc.p.p.conc

C: 71 Vendas

1Pressuposto: Neste quadro assume-se o pressuposto de que no existe IVA. No ponto seguinte

vamos inserir o IVA nestas operaes. Vamos considerar uma taxa de IVA de 17%.

1.2. Relevao/Movimentao Contabilstica

Notas:

Entradas e sadas de armazm (SIP e SII). Os exemplos seguintes no compreendem, quando

aplicvel, o registo das entradas e sadas de armazm, em SIP ou SII, por no ser esse o objectivo

deste documento. Assim, sugere-se que o leitor/aluno acrescente, sempre que julgar aplicvel, o

registo contabilstico das entradas e sadas de armazm, em SIP e SII. Para tal, so deixados

espaos em branco.

Letra a: a letra a que precede o cdigo ou a denominao das contas indica a(s) conta(s) a

creditar. No exemplo seguinte, a conta 11 Caixa a conta a creditar (est precedida da letra a):

12 Depsitos ordem 100,0

a 11 Caixa 100,0

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 5 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

1.2.1. Descontos Comerciais

Descontos Comerciais em Compras

1 Extra-factura

Exemplo 1:

Nota de crdito n. 011 (origina a reduo da dvida da nossa empresa ao fornecedor) relativo a um

desconto comercial de 5% sobre o total das compras efectuadas no ms passado (o valor da

mercadoria constante das facturas do ms foi de 10.000 u.m.). IVA taxa de 17%.

Relevao/Registo

221 Fornecedores c/c 585,0

a 318 Descontos e abatimentos em compras 500,0

a 24342 IVA Regularizaes a favor do Estado 85,0

Entrada e/ou sada de armazm, em SIP e em SII

[faa voc mesmo, utilizando o espao em branco seguinte]

2 Na factura

Exemplo 2:

Factura n. 285 referente compra de 1.000 unidades da mercadoria XIS, pelo preo unitrios de 20

unidades monetrias (u.m.). Foi obtido um desconto comercial na factura de 5%. IVA taxa de 17%.

Relevao/Registo

311 Compra de mercadorias 19.000,0

2432 IVA Dedutvel 3.230,0

a 221 Fornecedores c/c 22.230,0

Entrada e/ou sada de armazm, em SIP e em SII

[faa voc mesmo, utilizando o espao em branco seguinte]

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 6 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Descontos Comerciais em Vendas

1 Extra-factura

Exemplo 3:

Nota de Crdito n. 28 (origina a reduo da dvida que o cliente tem para com a nossa empresa)

relativo a um desconto comercial de 5% concedido no dia seguinte venda. O valor da mercadoria

constante da factura n. 499 foi de 5.000 u.m.. IVA taxa de 17%.

Relevao/Registo

718 Descontos e abatimentos em vendas 250,0

24341 IVA Regularizaes a favor da empresa 42,5

a 211 Clientes c/c 292,5

Entrada e/ou sada de armazm, em SIP e em SII

[faa voc mesmo, utilizando o espao em branco seguinte]

2 Na factura

Exemplo 4:

Factura n. 135 relativo a uma venda de mercadorias no valor de 2.000 u.m.. Desconto comercial de

3% concedido na factura. IVA taxa de 17%.

Relevao/Registo

211 Clientes c/c 2.269,8

a 711 Venda de mercadorias 1.940,0

a 2433 IVA Liquidado 329,8

Entrada e/ou sada de armazm, em SIP e em SII

[faa voc mesmo, utilizando o espao em branco seguinte]

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 7 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

1.2.2. Descontos Financeiros

Descontos Financeiros em Pagamentos (Compras)

1 Extra-factura

Exemplo 5:

Nota de Crdito n. 24 relativo a um desconto financeiro de 3% obtido no dia do pagamento da

factura ao fornecedor. O valor da factura foi 3.000 u.m. IVA taxa de 17%.

Relevao/Registo

221 Fornecedores c/c 105,3

a 782 Descontos p. p. obtidos 90,0

a 24342 IVA Regularizaes a favor do Estado 15,3

Entrada e/ou sada de armazm, em SIP e em SII

[faa voc mesmo, utilizando o espao em branco seguinte]

2 Na factura

Exemplo 6:

Factura-recibo n. 110 relativo a uma compra de mercadorias no valor de 15.000 u.m.. Desconto de

pronto pagamento obtido de 5%. IVA taxa de 17%.

Relevao/Registo

311 Compra de mercadorias 15.000,0

2432 IVA Dedutvel 2.422,5

a 11/211 Caixa/DO 16.672,5

a 782 Descontos p. p. obtidos 750,0

Entrada e/ou sada de armazm, em SIP e em SII

[faa voc mesmo, utilizando o espao em branco seguinte]

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 8 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Descontos Financeiros em Recebimentos (Vendas)

1 Extra-factura

Exemplo 7:

Nota de Crdito n. 82 relativo a um desconto financeiro de 5% concedido aquando do recebimento

da factura. O valor da factura foi de 6.000 u.m.. IVA taxa de 17%.

Relevao/Registo

682 Descontos p. p. concedidos 300,0

24341 IVA Regularizaes a favor da empresa 51,0

a 211 Clientes c/c 351,0

Entrada e/ou sada de armazm, em SIP e em SII

[faa voc mesmo, utilizando o espao em branco seguinte]

2 Na factura

Exemplo 8:

Factura n. 531 relativo venda de mercadorias no valor de 4.000 u.m.. Desconto de pronto

pagamento concedido de 3%. IVA taxa de 17%.

Relevao/Registo

111 Caixa 4.539,6

682 Descontos p.p. concedidos 120,0

a 711 Venda de mercadorias 4.000,0

a 2433 IVA Liquidado 659,6

Entrada e/ou sada de armazm, em SIP e em SII

[faa voc mesmo, utilizando o espao em branco seguinte]

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 9 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

1.3. Questes Propostas

Responda s questes seguintes:

{faa voc mesmo, utilizando o espao em branco para o efeito}

a) Os descontos afectam o Resultado da empresa? Como? Justifique.

b) Conceder descontos comerciais ou financeiros , contabilisticamente, indiferente. Comente.

c) Qual o efeito, na Ficha de Armazm, dos descontos concedidos? Como se registam na Ficha de

Armazm?

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 10 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

2. Devolues de Compras e Devolues de Vendas {Tpico do incio do Captulo 3 Ciclo Operacional}

{Faa voc mesmo}

Sugesto de Estudo (Trabalho autnomo; TPC):

Faa para as devolues um raciocnio idntico ao descrito atrs para os descontos.

Considere primeiro as devolues de compras (ou devolues a fornecedores) e depois as

devolues de vendas (ou devolues de clientes).

Formule questes e depois as respostas s mesmas.

2.1. Tipologia de Devolues [Faa voc mesmo] [Devolues de compras Devolues a fornecedores]

[Devolues de vendas Devolues de clientes]

2.2. Relevao/Movimentao Contabilstica [Faa voc mesmo]

2.3. Formulao de questes [Faa voc mesmo]

2.3.1. Exemplos de questes que deve formular:

a) Quais os tipos de devolues que conheo?

b) Qual a influncia das devolues no Resultado da empresa? Justifique.

c) Como se contabilizam as devolues de compras? E as devolues de clientes?

d) As devolues so contabilizadas por que valor? A preo de venda? A custo de aquisio? Ao

custo de sada do armazm? Justifique.

e) Qual o efeito das devolues na Ficha de Armazm? Como se registam na Ficha de Armazm?

f) Qual o impacto das devolues de compra no Balano e na DRN? Justifique.

g) Qual o impacto das devolues de venda no Balano e na DRN? Justifique.

h) As devolues afectam os diversos estdios de Resultados? Justifique.

i) Etc.

2.3.2. Lista de questes e respostas

[Faa voc mesmo]

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 11 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Captulo 3 Ciclo Operacional

Tema: Adiantamentos

Autores

Pedro Antnio Ferreira e Manuela Martins

Matriz com tipos de adiantamentos

Quanto Entidade

Quanto Natureza dos Adiantamentos

Sem preo fixado

(Monetrios)

Com preo fixado

(No monetrios)

1 - Adiantamentos de clientes Adiantamentos de clientes sem

preo fixado

(Adiantamentos de clientes)

Adiantamentos de clientes com

preo fixado

(Adiantamentos por conta de

vendas)

Conta de registo 21.8 Adiantamentos de clientes 27.6 Adiantamentos por conta de

vendas

Natureza do saldo Saldo credor ou nulo Saldo credor ou nulo

Rubrica do

Balano

Passivo corrente Adiantamentos

de clientes

Passivo corrente Outras contas a

pagar

2 - Adiantamentos a

fornecedores correntes e de

inventrios

Adiantamentos a fornecedores

correntes sem preo fixado

(Adiantamentos a fornecedores)

Adiantamentos a fornecedores

correntes com preo fixado

(Adiantamentos por conta de

compras)

Conta de registo 22.8 Adiantamentos a

fornecedores

39.1 Adiantamentos por conta de

compras

Natureza do saldo Saldo devedor ou nulo Saldo devedor ou nulo

Rubrica do Balano

Activo corrente Adiantamento a

fornecedores Activo corrente Inventrios

3 - Adiantamentos a

fornecedores de investimentos

Adiantamentos a fornecedores de

investimentos sem preo fixado

(Adiantamentos a fornecedores de

investimentos)

Adiantamentos a fornecedores de

investimentos com preo fixado

(Adiantamentos por conta de

investimentos)

Conta de registo 27.13 Adiantamentos a

fornecedores de investimentos

455.x Adiantamentos por conta de

investimentos

Natureza do saldo Saldo devedor ou nulo Saldo devedor ou nulo

Rubrica do

Balano

Activo corrente Adiantamento a

fornecedores Activo no corrente AFT/AI/

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 12 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

1. Adiantamentos de clientes

Taxa de IVA = 17%

SEM Preo Fixado COM Preo Fixado

1. Na data do adiantamento

Adiantamento 1.000 D 111/121 Caixa/Depsitos ordem 1.170 D 111/121 Caixa/Depsitos ordem 1.170

IVA 17% 170 C a 21.8 Adiantamentos de clientes 1.000 C a 27.6 Adiant. p/ conta vendas 1.000

Total do Adiant. 1.170 C a 2433.1 IVA Liquidado 170 C a 2433.1 IVA Liquidado 170

2. Na data da factura

2.1. Pela factura (registo)

Valor da merc.ou servio 2.000 D 21.1 Clientes 2.340 D 21.1 Clientes 2.340

Iva 17% 340 C a 71/72 Vendas/Prest. Servios 2.000 C a 71/72 Vendas/Prest. Servios 2.000

Total da Factura 2.340 C a 2433.1 IVA Liquidado 340 C a 2433.1 IVA Liquidado 340

2.2. Regularizao ("Anulao") D 21.8 Adiantamentos de clientes 1.000 D 27.6 Adiant. p/ conta vendas 1.000

do adiantamento D 2434.1 IVA Regul. favor empresa 170 D 2434.1 IVA Regul. favor empresa 170

C a 21.1 Clientes C/C 1.170 C a 21.1 Clientes C/C 1.170

2. Adiantamentos a fornecedores (de inventrios e de servios correntes)

Taxa de IVA = 17%

SEM Preo Fixado COM Preo Fixado

1. Na data do adiantamento

Adiantamento 1.000 D 22.8 Adiant. a fornecedores 1.000 D 39x Adiant. p/ conta compras 1.000

IVA 17% 170 D 2432 IVA Dedutivel 170 D 2432 IVA Dedutivel 170

Total do Adiant. 1.170 C a 121 Depsitos ordem 1.170 C a 121 Depsitos ordem 1.170

2. Na data da factura

2.1. Pela factura (registo)

Valor da compra 2.000 D 31x/62x Compras ou FSE 2.000 D 31x Compras 2.000

Iva 17% 340 D 2432 IVA Dedutivel 340 D 2432 IVA Dedutivel 340

Total da Factura 2.340 C a 22.1 Fornecedores C/c 2.340 C a 22.1 Fornecedores C/c 2.340

2.2. Regularizao ("Anulao") D 22.1 Fornecedores C/C 1.170 D 22.1 Fornecedores C/C 1.170

do adiantamento C a 22.8 Adiant. a fornecedores 1.000 C a 39x Adiant. p/ conta compras 1.000

C a 2434.2 IVA Regul. favor Estado 170 C a 2434.2 IVA Regul. favor Estado 170

Adiantamento a Fornecedores (de inventrios e de servios correntes)

Adiantamento de Clientes

Movimentos e Dados

Movimentos e Dados

Relevao/Registo contabilstico

{Tipos de adiantamentos: COM preo fixado e SEM preo fixado}

{Tipos de adiantamentos: De clientes; A fornecedores; A fornecedores de

investimentos}

Pressuposto: Taxa de IVA = 17%.

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 13 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

3. Adiantamentos a fornecedores de investimentos

SEM Preo Fixado COM Preo Fixado

1. Na data do adiantamento

Adiantamento 1.000 D 27.13 Adiant.fornec.investimentos 1.000 D 45.5 Adiant. conta de investimentos 1.000

IVA 17% 170 D 2432.2 IVA Dedutvel-Investimentos 170 D 2432.2 IVA Dedutvel-Investimentos 170

Total do Adiant. 1.170 C a 121 Depsitos ordem 1.170 C a 121 Depsitos ordem 1.170

2. Na data da factura

2.1. Pela factura (registo)

Valor da compra 2.000 D 41/2/3/4.x Invest.financ./PI/AFT/AI 2.000 D 41/2/3/4.x Invest.financ./PI/AFT/AI 2.000

Iva 17% 340 D 2432.2 IVA Dedutvel-Investimentos 340 D 2432.2 IVA Dedutvel-Investimentos 340

Total da Factura 2.340 C a 27.11 Forneced. de investimentos 2.340 C a 27.11 Forneced. de investimentos 2.340

2.2. Regularizao ("Anulao") D 27.11 Forneced. de investimentos 1.170 D 27.11 Forneced. de investimentos 1.170

do adiantamento C a 27.13 Adiant.fornec.investimentos 1.000 C a 45.5 Adiant. conta de investimentos 1.000

C a 2434.2 IVA Regul. favor Estado 170 C a 2434.2 IVA Regul. favor Estado 170

Movimentos e Dados

Adiantamento a Fornecedores de Investimentos

Notas pessoais: [Utilize este espao para as suas prprias notas sobre adiantamentos]

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 14 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Captulo 3 Ciclo Operacional

Tema: Inventrios1

Tpico 1: Frmulas de Custeio das Sadas2

Tpico 2: Registos na Ficha de Armazm3

Tpico 3: Bases de Mensurao de Activos e Passivos

Autores

Pedro Antnio Ferreira e Manuela Martins

Tpico 1

Frmulas de Custeio das Sadas

Frmulas de Custeio das Sadas versus Resultados da Empresa

Exemplo 1:

Considere os seguintes dados sobre a mercadoria XOC. Efectue a Ficha de Armazm

considerando as frmulas de custeio FIFO e CMP e compare os principais resultados obtidos.

10/12/N - Inventrio inicial (Ii) 100 unidades a 20 = 2.000

15/12/N - Compra 50 unidades a 25 = 1.250

16/12/N - Venda 60 unidades a 40 = 2.400

17/12/N - Compra 20 unidades a 27 = 540

23/12/N - Venda 80 unidades a 40 = 3.200

1 No compreende: variao dos inventrios da produo.

2 Inclui: frmulas de custeio das sadas versus resultados da empresa.

3 Inclui: o registo, na Ficha de Armazm/Ficha de Inventrio, de devolues, descontos comerciais

extra factura, ofertas, quebras normais e quebras anormais.

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 15 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Resoluo:

Hiptese 1 Frmula de custeio: FIFO

Ficha de Armazm/Ficha de Inventrio

Ficha de Armazm/Ficha de Inventrio

Produto: Mercadoria XOC Frmula de Custeio: FIFO

Data

Ano: N

Descrio Entradas Sadas Inventrio/Stock

Quant.

Custo

Unitrio

Valor

Quant.

Custo

Unitrio

Valor

Quant.

Custo

Unitrio

Valor Ms Dia

12 10 Inv. Inicial (Ii) - - - - - - 100 20 2.000

15 Compra 50 25 1.250 - - - 100 20 2.000

50 25 1.250

16 Venda - - - 60 20 1.200 40 20 800

50 25 1.250

17 Compra 20 27 540 - - - 40 20 800

50 25 1.250

20 27 540

23 Venda - - - 40 20 800 10 25 250

40 25 1.000 20 27 540

Resultados Obtidos

Qual o valor do RBV?

Frmula:

RBV = Vendas Custo das Vendas (CMV)

Vendas = (60 unid. * 40 ) + (80 unid. * 40 ) = 2.400 + 3.200 = 5.600

Custo das Vendas (CMV) = 1.200 + (800 + 1.000 ) = 3.000

Nota: os valores do CMV so retirados da "coluna" das Sadas da Ficha de Armazm

Ento, temos:

RBV = 5.600 3.000 = 2.600

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 16 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Qual o valor do Inventrio final (If)?

Frmula:

Valor do If = Quantidades x Custo unitrio

O valor do If retirado da(s) ltima(s) linha(s) da "coluna" Inventrio/Stock em armazm

Ento, temos:

Valor do If = (10 *25) + (20 * 27) = 250 + 540 = 790

Como efectuar o controlo do Inventrio final?

Controlo:

Podemos controlar (verificar") se o valor do If est correcto mediante aplicao da

frmula do CMV (ou, mais correctamente, a frmula do CMVMC).

Frmula do CMVMC:

CMVMC = Ii + Compras Lquidas +- Regularizao e Reclassificao de Inventrios If

Da qual se retira que:

If = Ii + CL CMVMC +- RRI

If = 2.000 + (1.250 + 540 ) 3.000

If = 790

Nota: este valor do If coincide com o valor calculado acima, 790 = 790 .

Hiptese 2 Frmula de custeio: CMP

Ficha de Armazm/Ficha de Inventrio

Ficha de Armazm/Ficha de Inventrio

Produto: Mercadoria XOC Frmula de Custeio: CMP

Data

Ano: N

Descrio Entradas Sadas Inventrio/Stock

Quant.

Custo

Unitrio

Valor

Quant.

Custo

Unitrio

Valor

Quant.

Custo

Unitrio

Valor Ms Dia

12 10 Inv. Inicial (Ii) - - - - - - 100 20 2.000

15 Compra 50 25 1.250 - - - 150 21,67 3.250

16 Venda - - - 60 21,67 1.300 90 21,67 1.950

17 Compra 20 27 540 - - - 110 22,64 2.490

23 Venda - - - 80 22,64 1.811 30 22,64 679

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 17 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Resultados Obtidos

Qual o valor do RBV?

Frmula:

RBV = Vendas Custo das Vendas (CMV)

Vendas = (60 unid. * 40 ) + (80 unid. * 40 ) = 2.400 + 3.200 = 5.600

CMV = (1.300 + 1.811 ) = 3.111

Nota: Os valores do CMV so retirados da "coluna" das Sadas da Ficha de Armazm

Ento, temos

RBV = 5.600 3.111 = 2.489

Qual o valor do Inventrio final (If)?

Frmula:

Valor do If = Quantidades x Custo unitrio

O valor do If retirado da(s) ltima linha da "coluna" Inventrio/Stock em armazm

Ento, temos:

Valor do If = (30 *22,64) = 679

Como efectuar o controlo do Inventrio final?

Controlo:

Podemos controlar (verificar") se o valor do If est correcto mediante aplicao da

frmula do CMV (ou, mais correctamente, a frmula do CMVMC).

Frmula do CMVMC:

CMVMC = Ii + Compras Lquidas +- Regularizao e Reclassificao de Inventrios If

CMVMC = Ii + C. Lq. +- RRI If

Da qual se retira que:

If = Ii + CL CMVMC +- RRI

If = 2.000 + (1.250 + 540 ) 3.111

If = 679

Nota: este valor do If coincide com o valor calculado acima.

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 18 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Anlise Comparativa: FIFO vs CMP

Quadro comparativo

Parmetro de Anlise FIFO CMP

Vendas 5.600 5.600

CMVMC 3.000 3.111

RBV (MBV) 2.600 2.489

If 790 679

Comentrios

Pressuposto: Cenrio de inflao

Como se constata pela evoluo dos custos de aquisio, este exemplo est construdo "num

cenrio de inflao", em que existe uma tendncia para o aumento dos preos ao longo do

tempo (veja a evoluo do custo unitrio de aquisio das compras em 15/12 e em 17/12).

Comparao: Comparando o FIFO e o CMP podemos extrair as seguintes concluses:

1. A diferena entre o CMVMC do FIFO e do CMP = 111 (FIFO < CMP)

2. A diferena entre o RBV do FIFO e do CMP tambm = 111 (FIFO > CMP)

3. A diferena entre o If do FIFO e do CMP tambm = 111 (FIFO > CMP)

4. O RBV do FIFO (2.600 ) mais elevado do que o do CMP (2.489 ).

5. Isto acontece porque o custo de aquisio unitrio das compras aumentou ao longo do

tempo (em 15/12 o custo unitrio = 25 e em 17/12 o custo unitrio = 27) e com a

aplicao do FIFO saram as mercadorias compradas em primeiro lugar, o que origina

um CMV "mais baixo". Se o CMV "baixa", o RBV "aumenta". Isto comparativamente ao

CMP, no qual a concluso a inversa.

6. Esta concluso tpica de "perodos inflacionistas", em que o custo unitrio de

aquisio aumenta ao longo do tempo. Em cenrios inflacionistas, o critrio que

"origina maiores resultados" o FIFO. Mas tambm origina um maior valor de If,

porque ficam em armazm as mercadorias (inventrios) adquiridas em ltimo lugar

(veja o quadro comparativo, em que o If do FIFO superior ao If do CMP).

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 19 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Pressuposto: Cenrio de deflao

Em "perodos deflacionistas", em que o custo unitrio de aquisio diminui ao longo do

tempo, as concluses so "inversas", sendo o CMP aquele que apresenta um RBV mais

elevado e um If tambm mais elevado e, consequentemente, um CMV menor.

Em sntese, a frmula (critrio) utilizado para custeio das sadas influencia os resultados da

empresa (RBV), ao influenciar o CMV. Dado que o CMV est "relacionado" com o If, ento o

critrio utilizado tambm influencia o If (veja o quadro comparativo).

Exemplo 2:

Questo Proposta

Sugesto de Estudo (trabalho autnomo; TPC):

Construa um exemplo idntico ao anterior, mas considerando um "perodo

deflacionista", em que o custo unitrio das compras diminua.

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 20 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Tpico 2

Registo na Ficha de Armazm

Registo, na Ficha de Armazm, de Devolues, Descontos

Comerciais extra-factura, Ofertas, Quebras Normais e

Quebras Anormais

Exemplo:

Considere os seguintes dados sobre a mercadoria XOC.

10/12/N Inventrio inicial (Ii) 100 unidades a 20 = 2.000

15/12/N Compra a F1 50 unidades a 25 = 1.250

16/12/N Venda a C1 60 unidades a 40 = 2.400

17/12/N Oferta ao cliente C1 4 unidades a ?? = ??

18/12/N Devoluo do cliente C1 5 unidades a ?? = ??

20/12/N Desconto comercial obtido de F1 no montante de 10%

23/12/N Quebra normal (1) 10 unidades a ?? = ??

17/12/N Quebra anormal 20 unidades a ?? = ??

(1) Pressuposto sobre quebras normais:

A empresa tem como princpio no registar contabilisticamente as quebras normais, isto , no

valorizar as sadas decorrentes de quebras normais. Isto significa que no reconhece na

contabilidade financeira este tipo de quebras. Todavia, regista a sada em quantidade na ficha de

armazm. Como consequncia, o valor total mantm-se, as quantidades diminuem e,

concomitantemente, o custo unitrio altera-se.

A base de raciocnio a frmula: Valor = Quantidade x Custo unitrio

Pedidos:

a) Prepare a ficha de armazm utilizando a frmula (critrio) de custeio FIFO.

b) Prepare a ficha de armazm utilizando a frmula (critrio) de custeio CMP.

c) Efectue o registo contabilstico das seguintes duas operaes: (i) Venda a C1 e (ii)

Devoluo do cliente C1 (considerando o SIP). Considere IVA 17%.

d) Efectue o registo contabilstico das restantes operaes (em SIP).

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 21 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Resoluo:

a) Frmula (critrio) de custeio: FIFO

Ficha de Armazm

Produto: Mercadoria XOC Frmula de Custeio: FIFO

Data

Ano: N

Descrio Entradas Sadas Inventrio/Stock

Quant.

Custo

Unitrio

Valor

Quant.

Custo

Unitrio

Valor

Quant.

Custo

Unitrio

Valor Ms Dia

12 10 Invent. inicial (Ii) - - - - - - 100 20 2.000

15 Compra 50 25 1.250 - - - 100 20 2.000

50 25 1.250

16 Venda - - - 60 20 1.200 40 20 800

50 25 1.250

17 Oferta a C1 - - - 4 20 80 36 20 720

50 25 1.250

18 Devoluo de C1 5 20 100 - - - 41 20 820

50 25 1.250

20 Desc. comerc.

obtido F1 (1)

- - - - - 125 41 20 820

50 22,5 1.125

21 Quebra normal (2) - - - 10 - - 31 26,45 820

50 22,5 1.125

25 Quebra anormal (3) - - - 20 26,45 529 11 26,45 291

50 22,5 1.125

Notas:

(1) O desconto comercial obtido de F1 reduz o valor da compra (1.250 125 = 1.125) e, como

consequncia, provoca uma alterao no custo unitrio, que diminui (1.125 / 20 = 22,5).

(2) A quebra normal no altera o valor total em armazm, mas altera as quantidades (diminuem) e

o custo unitrio (aumenta); o novo custo unitrio = 820 / (41-10) = 26,45.

Pressuposto: Veja o pressuposto enunciado na pgina anterior sobre quebras normais.

(3) A quebra anormal uma sada de armazm decorrente de um acontecimento extraordinrio.

Este acontecimento provoca um gasto, logo a quebra anormal valorizada como qualquer outra

sada de armazm. O custo unitrio no alterado.

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 22 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

b) Frmula (critrio) de custeio: CMP

Faa voc mesmo TPC [Utilize a folha de apoio seguinte]

Ficha de Armazm

Produto: Mercadoria XOC Frmula de Custeio: CMP

Data

Ano: N

Descrio Entradas Sadas Inventrio/Stock

Quant.

Custo

Unitrio

Valor

Quant.

Custo

Unitrio

Valor

Quant.

Custo

Unitrio

Valor Ms Dia

12 10 Invent. inicial (Ii)

15 Compra

16 Venda

17 Oferta a C1

18 Devoluo de C1

20 Desc. comerc.

obtido F1 (1)

21 Quebra normal (2)

25 Quebra anormal (3)

Notas pessoais: [Utilize este espao para as suas prprias notas e clculos]

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 23 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

c) Registo da venda a C1 e da devoluo de C1, considerando o SIP

N. Descrio Dbito Crdito Valor

1 Venda:

- Pela factura (a preo de venda) 2111 - 2.808

(60 * 40 = 2.400) - 711 2.400

- 24331 408

- Pela sada de armazm (a custo de

aquisio) (60 * 20 = 1.200)

611 321 1.200

2 Devoluo do cliente C1 (1)

- Pela Nota de Crdito (a preo de venda) 71.7 - 200

(5 * 40 = 200) 24341 - 34

- 2111 234

- Pela entrada em armazm

(a custo de aquisio) (5 * 20) = 100

321 611 100

Nota:

(1) Uma operao de devoluo de vendas (i.e., devoluo de clientes) "inversa" operao da

venda, ou seja:

Na venda, existe:

- Um aumento de vendas, mediante emisso de uma factura a preo de venda;

- Uma sada de armazm a custo de aquisio.

Na devoluo de clientes (devoluo de vendas), existe:

- Uma reduo das vendas (devido devoluo) a preo de venda, mediante emisso

de uma Nota de Crdito (N. Cr.);

- Uma entrada em armazm a custo de aquisio (porque as mercadorias em armazm

movimentam-se apenas a custo de aquisio e nunca a preo de venda).

d) Registo contabilstico das restantes operaes (em SIP)

Faa voc mesmo TPC [Utilize a folha de apoio seguinte]

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 24 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Dirio de operaes

N. Descrio Dbito Crdito Valor

Notas pessoais: [Utilize este espao para as suas prprias notas e clculos]

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 25 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

Tpico 3

Bases de Mensurao de Activos e Passivos

As bases de mensurao dos activos e passivos so: (a) Custo histrico (b) Custo corrente (c) Valor realizvel (de liquidao) (v.g., valor realizvel lquido;.) (d) Valor presente (i.e., valor presente descontado) (e) Justo valor (v.g., valor de mercado)

Bases de mensurao:

Conceito de mensurao:

o processo de determinar as quantias monetrias pelas quais os elementos das DF devem ser reconhecidos e inscritos no Balano e na DR (estrutura conceptual, 97)

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 26 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

(a) Custo histrico: registo pela quantia de dinheiro para os adquirir (produzir) no momento da sua aquisio (produo). esta a base mais adoptada.

(b) Custo corrente: registo pela quantia de dinheiro se o mesmo ou um activo equivalente fosse correntemente adquirido (ptica da procura).

(c) Valor realizvel: registo pela quantia de dinheiro que possa ser obtido numa alienao ordenada. Por exemplo, aplicvel nos inventrios. Se o fosse vender. (valor de realizao ptica da oferta).

(d) Valor presente: registo pelo valor presente descontado dos fluxos lquidos de caixa ( valor actual).

(e) Justo valor: registo pela quantia um activo pode ser trocado entre partes conhecedoras e dispostas a isso,.

Mensurao de activos:

Ano Lectivo 2011/2012. Documentao de apoio s aulas das licenciaturas de GES e FC. Pgina 27 de 28

Pedro Antnio Ferreira, ISCTE-IUL. Proibida a reproduo sem autorizao expressa do autor.

(a) Custo histrico: registo pela quantia de caixa que se espera que venham a ser pagas para satisfazer o passivo.

(b) Custo corrente: registo pela quantia no descontada de caixa que seria necessria para liquidar correntemente a dvida.

(c) Valor de liquidao: registo pelo seu valor de liquidao.

(d) Valor presente: registo pelo valor presente descontado dos fluxos lquidos de caixa que se espera que sejam necessrios para liquidar os passivos.

(e) Justo valor: registo pela quantia pela qual um passivo pode ser liquidado entre partes conhecedoras e dispostas a isso, .

Mensurao de passivos: