direito litrgico

direito litrgico
direito litrgico
download direito litrgico

of 2

  • date post

    31-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    230
  • download

    3

Embed Size (px)

description

Entenda quando devemos pronunciar o amém por ocasião da celebração do santo sacrifício da missa

Transcript of direito litrgico

  • Parquias & CASAS RELIGIOSAS 36 www.revistaparoquias.com.br |janeiro-fevereiro 2012

    direitocannico

    Entenda quando devemos pronunciar o amm por ocasio da celebrao do santo sacrifcio da missa

    Entre os cnones preliminares do CIC, que so apenas seis, en-contramos o segundo que assim enuncia: O Cdigo, ordinariamente, no determina os ritos que devero ob-servar-se nas celebraes e nas aes li-trgicas; portanto, as leis litrgicas vi-gentes at agora conservam sua fora salvo quando algu-ma delas seja con-trria aos cnones deste Cdigo.

    No CCEO o cnon terceiro que possui essa norma-tiva, mutatis mu-tandi, j que, dentro das Igrejas Rituais Orientais Catlicas, o direito litrgico ainda mais diversificado por sua ri-queza, identificando, de certo modo, grande parte do prprio patrimnio de cada Igreja sui iuris.

    A normativa dos Cdigos deixa perceber ento, que existem as leis li-trgicas e que as mesmas, embora no contidas no texto dos referidos, no podero estar em contradio com as

    normativas contidas neles e devero ser devidamente observadas.

    Participamos de tantas Celebraes Eucarsticas, - para o Oriente, Celebra-es dos Divinos Mistrios e pode-mos deixar passar, desapercebidamen-te, o profundo significado e, alm

    disso, os momentos em que temos que pronunciar o Amm que, lamentavelmen-te, tantas vezes inaudvel, por outras vezes se diz onde no se deveria se di-zer, ou at mesmo se deixa de se dizer onde ele realmente existe, embora fosse obrigatria a sua audvel e unssona

    manifestao. Neste artigo quero recordar, para

    melhor poder se viver, o que o direito litrgico determina em relao mani-festao do nosso Amm, entretanto, antes disso, gostaria de analisar, en passant, no campo puramente etimo-lgico o que ele quer dizer.

    Em um dos mais utilizados dicio-nrios de nossa lusitana lngua, e que

    DIREITO LITRGICO POR D. HUGO DA SILVA CAVALCANTE, OSB

    A pronncia do Amm deve ser feita por parte dos fiis, individualmen-te em um nico momento, quando da recepo da Santssima Eucaristia e como resposta ao bispo ou presbtero presidente, por toda a assembleia celebrante, na maior parte das vezes e oxal de modo unssono

    editado em nosso pas, encontramos a seguinte definio:

    AMM - palavra litrgica de aclamao, que indica anuncia firme, concordncia perfeita, com um artigo de f; assim seja; concordncia; aprovao, consentimento, confirmao...

    A definio etimolgica, j deixa pistas evidentes que nos apontam o valor dessa palavra, cabendo agora percebermos onde dever ser, por de-terminao do direito litrgico empre-gado e aqui, nomeadamente no con-texto da Celebrao Eucarstica, da Santa Missa, do Santo Sacrifcio da Missa. Em tal Celebrao, o Amm ocorre com grande frequncia, tanto naquelas que so celebradas cotidiana-mente, quanto naquelas dominicais ou de solenidades, quando ainda mais amns devemos pronunciar.

    A pronncia do Amm deve ser feita por parte dos fiis, individual-mente em um nico momento, quando da recepo da Santssima Eucaristia e como resposta ao bispo ou presbtero presidente, por toda a assembleia cele-brante, na maior parte das vezes e oxa-l de modo unssono.

  • Parquias & CASAS RELIGIOSAS 37Assine: assinaturas@promocat.com.br37

    11. Quando se recita o Glria, seja em latim ou em lngua verncula

    Todos respondem: Amm.12. Se est presente um dicono, antes de proclamar o Evangelho ele pede a bno ao presbtero (D-me a tua bno!); se for um Bispo que preside e um presbtero proclama, esse pede a bno ao bispo (D-me a tua bn-o!)

    O dicono ou o presbtero respon-dem: Amm.13. Se h recitao do Credo, em ln-gua verncula ou latim, ao seu final

    Todos respondem: Amm.14. Se a Bno final dada de forma solene, lamentavelmente, algo em desuso em tantos lugares,

    Todos respondem: Amm, desse modo: depois do convite ao inclinai--vos para receber a bno!, aps cada uma das invocaes feitas pelo presidente, geralmente trs e tambm aps a frmula final de bno.

    D. Hugo da Silva Cavalcante, OSB Dou-torando em Direito Cannico pela Lateranen-se em Roma, Scio da SBC, da APC, Vigrio Judicial do Tribunal Interdiocesano de Ubera-ba/MG, Consultor Cannico da Revista Par-quias & Casas Religiosas. Autor dos livros In-troduo ao Estudo do Cdigo de Cnones das Igrejas Orientais, Edies Loyola; Os Conselhos Paroquiais, pela DLL Books, den-tre outros.Contato: hugonis@infosbc.org.br

    1. No incio da Celebrao, logo de-pois que se faz a persignao, quando somente o presidente deve dizer:

    Em nome do Pai e do Filho e do Esprito Santo.

    Todos respondem: Amm.2. Como resposta a Orao, dita uni-camente pelo presidente e que con-clui o Ato Penitencial, que no o Rito da Penitncia ou Confisso e onde no se devem utilizar gestos prprios da absolvio sacramental:

    Deus todo-poderoso tenha com-paixo de ns, perdoe o nossos peca-dos e nos conduza a vida eterna.

    Todos respondem: Amm.3. Na concluso da Orao da Coleta (Orao do Dia), que dita unica-mente pelo presidente em suas trs possveis formas para a doxologia fi-nal:

    Oremos... Por nosso Senhor Jesus Cristo, vos-

    so Filho, que Deus Convosco, na Unidade do Esprito Santo ou Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Esprito Santo e se vem dirigida a Jesus: Ele que Deus Con-vosco na unidade do Esprito Santo ou Ele que Convosco vive e reina na unidade do Esprito Santo.

    Todos respondem: Amm.4. Depois da concluso feita pelo pre-sidente Orao dos Fiis:

    Por Cristo, nosso Senhor. Todos respondem: Amm.

    5. No momento em que o presidente conclui a Orao sobre as Oferendas:

    Por Cristo, nosso Senhor. Todos respondem: Amm.

    6. No final da Orao Eucarstica (c-non), que dita pelo presidente acompanhado ou no pelos presbte-

    ros concelebrantes, mas jamais pelos fiis e depois da doxologia conclusi-va:

    Por Cristo, com Cristo, em Cris-to...

    Todos respondem: Amm.7. Na concluso das Oraes depois do Pai Nosso (que no tem Amm), ditas pelo presidente somente, e ime-diatamente antes do Rito da Paz:

    Vs que sois Deus, com o Pai e o Esprito Santo.

    Todos respondem: Amm. to comum, ouvir depois da re-

    citao do Pai Nosso o Amm, mas na missa ele no existe imediatamen-te depois, ele se dir depois ao final da segunda orao depois do Pai nos-so, ambas ditas apenas pelo Presiden-te.8. Durante a comunho, em resposta s palavras do ministro ordinrio ou extraordinrio que distribui a Sants-sima Eucaristia:

    Corpo de Cristo ou Corpo e San-gue de Cristo.

    Individualmente e de modo aud-vel, responde-se: Amm.9. No final da Orao Depois da Co-munho, dita unicamente pelo presi-dente:

    Por Cristo, nosso Senhor. Todos respondem: Amm.

    10. Como resposta bno final dada pelo presidente:

    Abenoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Esprito Santo.

    Todos respondem: Amm.Na Celebrao Eucarstica, em

    alguns casos somente realizadas nos Domingos e Solenidades a palavra Amm pode ressoar tambm em ou-tras ocasies:

    Que o nosso Amm, portanto, seja dito com disposio e convico, indi-cando anuncia firme, concordncia perfeita, com um artigo de f; assim seja, bem haja; concordncia; aprova-o, consentimento, confirmao, do jeito certo, no lugar certo e tambm na hora certa.

    Eis, ento, os momentos em que devemos pronunciar o AMM: