Da promoção da saúde a escola promotora da saúde perspectivas e realidades

of 39 /39
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO SEMANA DE CAPACITAÇÃO/2011 EDUCAÇÃO FÍSICA. Buscando a excelência pedagógica nos dias de hoje. Da Promoção da Saúde a Escola Promotora da Saúde: Perspectivas e Realidades Prof. Ms.Dagoberto Buarque de Assis Doutorando NUTES/UFRJ.

Embed Size (px)

Transcript of Da promoção da saúde a escola promotora da saúde perspectivas e realidades

  • 1. SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAO SEMANA DE CAPACITAO/2011 EDUCAO FSICA. Buscando a excelncia pedaggicanos dias de hoje . Da Promoo da Sade a Escola Promotora da Sade: Perspectivas e Realidades Prof. Ms.Dagoberto Buarque deAssisDoutorando NUTES/UFRJ. [email_address]

2. Sumrio(1)

  • 1.Retrospectiva do CEED/8 CR- 2010.
  • 2 . Promoo da Sade
  • * Conceitos
  • * Etiologia
  • * Histrico
  • * Princpios.
  • 3.Educao e Sade
  • * Histrico.

3. Sumrio(2)

  • 4.Escola Promotora da Sa de
  • * IREPS / Conceito
  • *Objetivo
  • * Metas
  • 5.Programa de sa de na Escola
  • *Conceito
  • * Objetivo
  • 6.Valncias F sicas P/ Promo o da Sa de / Esporte
  • 7.Educa o F sica Escolar X Esporte.

4. Sumrio(3)

  • 8.Sade do Professor.
  • 9.Consideraes.
  • 10.Cursos.
  • 11.Sites.
  • 12.Referncias Bibliogrficas.

5. Promoo da Sade: Uma questo da Educao. Construindo coletivamente processos educativos em sade naescola. ( MS, 2004) 6. ESCOLA PROMOTORA DA SADE

  • Sade o completo bem-estar fsico, mental e social e no consiste apenas na ausncia de enfermidades.(OMS, 1947)
  • Promoo da sade o nome dado ao processo de capacitao da comunidade para atuar na melhoria da sua qualidade de vida e sade, incluindo uma maior participao no controle sobre os determinantes da sade.(Carta Ottawa, 1986. MS,1996)
  • Destaca o processo deempoderamento / autonomia .

7. Higienismo(1)Sc. XVII XX. Europa/ E.U.A.

  • Brasil
  • Viso mdico-higienista, sustentada pelo Estado, patrocinada pelos dirigentes e empresrios.
  • (ANJOS,1995,P.49).
  • Governo: Legislao , ao policial;
  • Medicina:mdicos sanitaristas e psiquiatras;
  • Educao :foco no prof. primrio e de Ed. Fsica;
  • Ed. Fsica Higienista : 1870 1930.
  • >Descontextualizada, dogmtica;
  • > Aparelho ideolgico do Estado;
  • >Corpos a-histricos, hierarquizados e produtivos.
  • (ROSEN, 1979; ANJOS,1995).

8. Higienismo(2)

  • A escola deve a seus alunos, em primeiro lugar, sade, depoiseducao e por fim, instruo.
  • ( Ren Sand, 1920 in S,1944,p.204)
  • A educao da sade na escola deve ser feita pela professora primria. A professora a nica pessoa no servio pblico, a manter completo e contnuo contato com as crianas. Da sua natural indicao para a tarefa de proteger-lhes e aperfeioar-lhes asade.
  • ( Turner inS, 1944,p.204. )
  • A sade vida a ser vivida em todas as situaes escolares. ( S, 1944,p.205.)

9. HISTRICO DA PROMOO DASADE(1)

  • 1920- Winslow : pela primeira vez, definiu sade coletiva e relacionou a PS a condies de vida do indivduo.(OLINDA e SILVA, 2007);
  • Sigerist (1945)
  • Referncias:
  • *vigilncia da sade;
  • *crticasevera medicalizao;
  • *ao sobre os fatoresdeterminantes.Sociais de agravos sade.
  • Pontos de ao:
  • *Promoo da sade;
  • *Preveno s doenas;
  • * Tratamento dos doentes;
  • *Reabilitao.

10. PRINCPIOS DA PROMOO DA SADE (OMS, 1986 / 1998) #Concepo holstica; #Intersetorialidade; #Empoderamento; #Participao social; #Eqidade; #Aes multi-estratgicas; #Sustentabilidade. ( SCOLI e NASCIMENTO, 2003) A sade se promove proporcionando condies de vida decente, boas condies de trabalho, educao, cultura fsica e descanso ( Pereira et al, 2000 ) 11. HISTRICO DA PROMOO DA SADE (2) ALMA ATA(1978)Sade para todos em 2000 Princpio da multifatorialidade da sade OTTAWA(1986) #Princpios da essencialidade e da universalidade da sade; #2 pilares:Exerccio fsico e Alimentao saudvel(como preveno e tratamento de 85 % das doenas); #Orientao para a boa qualidade de vida; #Diferenciao de preveno de doenas e promoodasade; # Escola apontada como espao privilegiado para aes de educao em sade. 12. Princpios : Preveno e Promoo da sade; DeterminantesSociais O Acesso aos bens e servios que lhe so essenciais e de direito.(WHO/OMS , 1986); LEI8080/90,MS PROMOO DA SADE NA ESCOLA Alimentao Educao Lazer Moradia Meio Ambiente Trabalho Renda Saneamento Bsico Transporte 13. Estilos de vida comoproblema de sade

  • (Variveis com o grupo etrio e o contexto)
  • Uso de tabaco, lcool e outras drogas lcitas e ilcitas;
  • Alimentao inadequada;
  • Falta de exerccios fsicos;
  • Higiene pessoal;
  • Comportamento sexual de risco;
  • Direo perigosa no transito;
  • Posse e porte de arma .

14.

  • Sade
  • Mtodos
  • Exerc. regular aerbio com var. e valnciasespecficas
  • Atividades fsicas moderadas.
  • Alimentaoequilibrada.
  • Resultados
  • Estimulao orgnica, tendncia ao equilbrio das funes.
  • Diminuio de fatores de risco dasDCANT.
  • Expectativa de aumento da longevidade e boa qualidade de vida.
  • ( Pollock & Wilmore( 1993), Nielman (1999), Ghorayeb & Barros (1999). Guedes & Guedes (2003) H-Houzel(2007)

PROMOO DA SADE E EXERCCIO FSICO mudana de paradigma, 1994 15. ESCOLA PROMOTORA DA SADE(1) Amparo legal e Diretrizes : #1971-Lei 5692 (LDB) introduz a temtica Sade; #1977- CFE reafirma o Programa de Sade; #1980- CFE introduz a temtica Doena (AFRS); #1988- Constituio Federal = Sade Direito essencial; #1993- Relatrio da UNICEF;Cuidados primrios com a sade na ed. bsica e educao p/ a sade como tema transversal ; 16. ESCOLA PROMOTORA DA SADE (2) Amparo legal e Diretrizes : #1995 - Iniciativa Regional de Escolas Promotoras da sade IREPS ( OMS/OPAS); #1996 -Multieducao o corpo em movimento; #1998 - PCN / E.F. Educao em Sade; Temas transversais, Viso Epidemiolgica: Preveno, autocuidado; #2004 -OMS Diretrizes de alimentao escolarsaudvel e dinamizao da E.F. escolarpara maior gasto calrico; # 2006 Port. 1010 -MS/ME Diretrizes dealimentao e acompanhamentodoestado nutricional . 17. Escola Promotorada Sade: IREPS(3)

  • A Iniciativa Regional de Escolas Promotoras de Sade -IREPS(OMS/OPAS,1995).
  • As EscolasPromotoras de Sadeconstituem uma grande estratgia de promoo de sade no mbito escolar e um mecanismo articulado de esforos e recursosmultissetoriais , orientados para omelhoramentodas condies desade e bem estar , ampliando assim as oportunidades para um aprendizado dequalidade e o desenvolvimento humano sustentvel , para todos os integrantes das comunidades educativas. ( OMS/OPAS, 2006, p.3)

18. EDUCAO FSICA NA ESCOLAPROMOTORADA SADE Ateno: # garantia da dinamizao das atividades, a participao e a adequao dos contedos por faixa etria; #s orientaes das sociedades mdicas correlatas; #Aos princpios da corporeidade(unidade corpomenteafeto, ludicidade, individualidade); # Ao estmulo permanente compreenso da atividade fsica comonecessidade fisiolgica ( 60 % do crebro ) que demanda a prtica regular e saudvel por toda a vida. 19. Orientaes de Sade

  • Crianas e adolescentes com sobrepeso e/ou obesidade no devem praticar esportes de impacto, pois causam leses nas zonas de crescimento, propiciando desarmonia do crescimento e leses mio-osteo-articulares.( Anbal,NESA,UERJ, 2007).
  • Crianas devem brincar e no praticarem esportes.
  • (CREFITO,2007).
  • Esporte em nenhuma circunstncia promove sade.
  • ( Ruiz, 1992;Darido, 2008)
  • O prof. de Ed. Fsica que no inclui na sua prtica cotidiana escolar a Promoo de Sadeest descontextualizado .( WalterTaam, 2008).

20. Sade: Prof. Ed. Fsica

  • Visitar o Mdico, exames de rotina ( anuais):
  • Praticar Exerc. Fsicos paraPromoo de Sade;
  • Praticar Alimentao Saudvel;
  • Proteger / preservar a voz;
  • Evitar exposio excessiva ao sol, som e Exerccios Fsicos;
  • Usar protetor solar;
  • Manter o corpo hidratado;
  • Utilizar o descanso estratgico a cada 2 tempos de aula (rotina);
  • Racionalizar os tempos de aula com vistas Promoo de Sade;
  • Discutir com Direo as condies de trabalho, seu Direito;
  • Observar e intervir na salubridade da escola;
  • Estimular o protagonismo das atividades com foco na P.S.
  • A sade o maior patrimnio da pessoa, busque adicionar boa qualidade a sua vida. Adote um estilo de vida saudvel, a sua sade agradece ( ASSIS,2008).

21. ESCOLA PROMOTORA DA SADE E.M . ANTNIO AUSTREGSILO- 8 CRE-2004/6 Uma intervenointersetorial: Escola, Unidade de Sade, Famlia, Vila Olmpica # Educao em Sade com foco na Obesidade (7-9 anos ,1ciclo formao, 1 e 2 ano)- EI 1,2 ciclos (2006/9); #Ao interdisciplinar: Prof. de Educao Fsica, Prof. de turma, Direo, nutricionista, merendeiras e famlia; # Aes e estratgias: #Resultados em 1 ano:Obesos:30% (-)peso; 36% (>) eutrofia;24% (>) sobrepesoSobrepeso:60% (>)eutrfico; 40% (-) peso.Observao: Custo financeiroZERO 22. PROCEDIMENTOS PEDAGGICOS NA ESCOLA 23. Extenso

  • E.M. CEL. CORSINO DO AMARANTE- 8CRE/2006/7 (EI- 1, 2 ciclos formao)-PAM-Bangu.
  • E.M. HENRIQUE DE MAGALHES -8 CRE- 2006/7- CMS Waldyr Franco-CAP-5.1 ( 2, 3 ciclos formao)
  • PEJA-PAM-BANGU CAP-5.1- 2007
  • Antroprometria(IMC Circ. Abd.) Palestras Temticas :Educao, Sade, Ativ. Fsica , Ambiente. Ativ. Fsica Especfica:Reed. Motora, Exerc.Aerbios,Posturais e Funcionais,Recreao e Jogos.
  • Grupo:Envelhecer Viver -C.M.S. Waldyr Franco- CAP-5.1 E.M. Antnio Austregsilo 8 CRE 2007/08.
  • Acolhimento:Ateno de sade, Exames bioqumicos, convivncia, Empoderamento, Lazer. Ativ. Fs. Espec. Dana de Salo, Terapia Corporal. Gin. Teraputica.

24. Envelhecer viver. 25. Decreto n 6.286 05/12/2007 :Cria o Programa de Sade na Escola(PSE).

  • Contribuir com a formao integral dos estudantes da rede pblica de educao bsica por meios de aes de preveno, promoo e ateno sade.
  • ( BRASIL, 2007).
  • www.planalto.gov.br/ccivil
  • Presidncia da Republica. Casa Civil.

26. Programa de Promooda Sade na Escola

  • Gov. Fed. +Gov. Munic. = Parceria financiada
  • Dinamizar a Escola para prtica da PSE;
  • Capacitarprofissionais envolvidos;
  • Prof. da U.E>Coord. Do PSE;
  • Estratgia de Sade da Famlia /SUS;
  • Contribuir para formao integral do educando( Foco naCidadania e Direitos Humanos);
  • Fortalecer o enfrentamento das vulnerabilidades no campo da sade.

27. Sugestes

  • Criar diretrizde P. S. municipal;
  • Convergir aes e dilogos entre as secretarias que atuam na P.S;
  • Sensibilizar os gestores escolares e da sadepara educao em sade / P.S;
  • Sensibilizar o professor de Ed. Fs. para a sade escolar; conhecimento da Res.218/97 do CNS; aes em sade= ato mdico;
  • Carga horria de Ed.Fsica= insuficiente;
  • Informar os responsveis quanto a funo da Ed.Fsica na escola.

28. CONSIDERAES FINAIS O papel da Escola Promotora da Sade se dilui em uma perspectiva mais ampla da Escola Promotora da Cidadania, em um modelo de Educao para a cidadania plena que estimule o protagonismo social, mostrando que a pessoa o sujeito do Direito, seja ele qual for, inclusive a sade. (PAGS, 2007) Prof. Ms. Dagoberto Buarque de AssisProf. Ms. Snia Mariano Pags Prof. Rodrigo Sancho 29. Corporeidade e Promoo de Sade naIniciao Esportiva.

  • Prof. Ms. Dagoberto Buarque de Assis.
  • Prof. Ms. Snia Mariano Pags.

30. Aptido Fsica Relacionada:

  • Sade
  • Res. Crdio respiratria
  • Composio corporal
  • Aptidomsculo- esqueltica
  • Fora muscular
  • Resistncia muscular
  • Flexibilidade > Alongamento
  • Mobilidade articular
  • Equilbrio
  • Ao Esporte
  • Agilidade
  • Velocidade
  • Potncia
  • Equilbrio
  • Coordenaomotora
  • Tempo de reao

31.

  • Sade
  • Mtodos
  • Exerccio regular aerbio com variao.
  • Atividades fsicas moderadas.
  • Alimentaoequilibrada.
  • Resultados
  • Estimulao orgnica, tendncia ao equilbrio das funes.
  • Diminuio de fatores de risco dasDCNT.
  • Expectativa de aumento da longevidade e boa qualidade de vida.
  • ( Pollock & Wilmore( 1993), Nielman (1999), Ghorayeb & Barros (1999). Guedes & Guedes (2003) ).

Aptido Fsica Relacionada: 32. Aptido Fsica Relacionada: Ao Esporte Mtodos >Exerccios regulares intensos. >Alto ndice de repeties. >Alimentao especfica em funo da modalidade. Resultados > Risco de LER e acidentes. > Estresse generalizado. > Menor expectativade boa qualidade devida. >Possibilidade de ingesto de hormnios sintticose esterides anabolizantes. ^ Morte sbitas em competies esportivas. ( Pollock & Wilmore (1990), Nielman (1999), Ghorayeb &Barros(1999), Guedes & Guedes (2003), Darido ( 2007-10) . 33. Exerccio Fsico, Promoo de SadeTreinamento Desportivo.

  • Fonte: Revista Oficial Rio 2007.
  • Nvel de exigncias em altos patamares voltado para eficincia biomecnica com vistas alta performance e ofuturo ?
  • Exerccio Fsico e a Promoo de Sade
  • Regularidade, mdia intensidade e variedade com objetivo de promover a sade e a boa qualidade de vida.

34. Educao Fsica EscolarxEsporte

  • O sistema esportivosomenteapela para categoria educao como forma de buscarlegitimidade social . Estando, no entanto, orientado por outros princpios, permanece a questo educacional apenas como recursoretrico . O que importa mesmo amedalha ! Isso no significa que ele no tem efeito educativo, ao contrrio. Significa, isto sim, que algicaque define as aes no campo esportivoignorae no influenciada pelo, resultado educativo. O campo ou o sistema esportivo indiferenteao resultado que produz em termos educacionais. As aes no sero redefinidas em funo de um melhor ou pior resultado educacional e, sim, em funo de um melhor ou pior resultadoesportivo . ( Brancht, 2003, p.22)

35. Iniciao Esportiva Humanizada Atividadesprazerosas. Pensamento rpido, raciocnio criativo, pr disposio mental( Damsio, 2000). > Respeito individualidade e s fases de desenvolvimento biopsicossocial. > Atividades diversificadas e no repetitivas, favorece multiplicidade de conexes neurais. > Respeito cidadania. > Adequaes ambientais. > Orientaes gerais que favoream o cotidiano do aluno / atleta. > Apoio familiar integrado e esclarecido. > Competncia profissional e atitude humanizada.> No esquecer que o atleta antes de tudo uma pessoa e no uma mquina de resultados. 36. Lucena por Lucena Eu dou no gog deles. Barata esperta no atravessa galinheiro. Passarinho que acompanha morcego, dorme de cabea para baixo.Meu filho nesta orquestra voc toca o qu, bumbo, tambor, violino ou...? Os ces ladram e a caravana passa. 37. Iniciao Esportiva

  • Corporeidade
  • >Integralidade da pessoa ( corpo,mente e afetos )
  • > Histria de vida ( potencialidades e limitaes )
  • Qualquer mudanana maneira de pensar de uma pessoae, portanto, em seus sentimentos e em seu comportamento, est condicionado a uma mudana no funcionamento do seu corpo.( Lowen,1970 )
  • Promoo de Sade
  • Aes que garantamo respeito aodireito sade
  • ( prevenir agravos ).

38. Referncias Bibliogrficas

  • Brancht, Valter.Educao Fsica, Cincias: Cenas de um Casamento (in)feliz . 2 ed. Rio Grande do sul. Iju: Ed. Iju, 2003.
  • Castiel, Luis David; Guilam, Maria Cristina Rodrigues e Ferreira, Marcos Santos.Correndo Risco: Uma Introduo aos Riscos em Sade .Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2010.
  • Luz, Madel T.Novos Saberes e Prticas em Sade Coletiva: Estudo Sobre Racionalidades Mdicas e atividades Corporais . 3 ed. So Paulo: Hucitec, 2007.
  • Rabello, Lucola Santos.Promoo da Sade: a constituio social de um conceito em perspectivas comparadas .Rio de Janeiro; Ed. Fiocruz, 2010.
  • Organizao Mundial de Sade. Organizao Pan-Americana de Sade.Escolas Promotoras De Sade: Fortalecimento da Iniciativa Regional, Estratgias e Linhas de ao 2003-2012 . Washington, D.C: OPAS, 2006. Srie Promoo da Sade N 4

39. Sites e Cursos

  • WWW. Saude .gov.br
  • www. Ensp.fiocruz.br
  • WWW. Scielo. org. br
  • www. Lilacs.org.br
  • Cursos
  • * Promoo da sade e Desenvolvimento Social.
  • * Enfrentamento da Violncia e Defesa dos Direitos na escola .ENSP/FIOCRUZ- Rio de Janeiro.