Conversando 2

download Conversando 2

of 136

  • date post

    17-Aug-2015
  • Category

    Spiritual

  • view

    11
  • download

    2

Embed Size (px)

Transcript of Conversando 2

  1. 1. 1 CONVERSANDO SOBRE A BBLIA DO SCULO XXI V 2 ULTRA-RELIGIO, COLUNAS, PODERES, BENS E FINS Charles Guimares Filho
  2. 2. 2
  3. 3. 3 INTRODUO Bblia do Sculo XXI uma coleo que sistematiza os Ensinamentos do Messias vista como sua Filosofia Religiosa Deus ao Reino do Cu na Terra, que segue uma ordenao e estruturao da evoluo do Ser Supremo at o Paraso Terrestre, com a seguinte visualizao: Conversando sobre a Bblia do Sculo XXI era para ser uma coleo em seis volumes, um para cada patamar acima mencionado, abordando aspectos das mudanas de paradigmas de cada um dos degraus em forma de leitura dramatizada. Isso foi feito apenas para o primeiro volume compreendendo quatro
  4. 4. 4 tpicos, norteando-se por este se teria em seis volumes um total de 24 tpicos o que daria dois anos e meio, tempo considerado demasiado pelas experincias vivenciadas. Observa-se que se teriam dois anos e meio porque estes eventos so mensais (todas primeiras 3 feiras do ms, em duas horas) exceto o vero donde as atividades so interrompidas devido sensao trmica excessiva na cidade do Rio de Janeiro. Logo, o ano de atividades composto de nove meses. Assim, a coleo tem dois volumes contendo 9 tpicos. Os contedos do primeiro volume sobre o primeiro patamar Princpios - compreendem quatro leituras dramatizadas: Iniciao; Conceituao de Deus; O que o Mundo; Constituio corporal do Homem. Os contedos deste segundo volume sobre os demais patamares so apenas as iniciaes destes. Os objetivos so os de: Difundir a Ultra-Religio; Procurar contribuir com os que estudam e praticam os ensinamentos de Meishu-Sama; Cooperar no crescimento espiritual; Ajudar na pesquisa a Verdade; Auxiliar no conhecimento sobre a F Messinica; Apoiar encaminhamento de pessoas Igreja do Messias; Participar em prol da transparncia religiosa; Colaborar na preparao do elemento humano para dedicar na Obra Divina; Mostrar como elaborar o projeto para construo do Mundo Ideal; Revolucionar o indivduo e o mundo por meio da cultura. A metodologia a exposio de uma hora em forma de leitura dramatizada sobre aspectos das mudanas de paradigmas dos degraus mencionados acima; na outra hora restante o autor responde s dvidas dos alunos presentes no local ou que estejam inscritos no site mencionado abaixo.
  5. 5. 5 NDICE INICIAO ULTRA-RELIGIO 007 Messias 009 Religio 017 Cultura 025 INICIAO S COLUNAS 033 Johrei 035 Agricultura 043 Belo 051 INICIAO AOS PODERES 059 Governo 061 Economia 069 Ideologia 077 INICIAO AOS BENS 085 Sade 087 Prosperidade 095 Paz 103 INICIAO AOS FINS 111 Felicidade 113 Cidade 121 Paraso 129
  6. 6. 6
  7. 7. 7 INICIAO ULTRA-RELIGIO
  8. 8. 8
  9. 9. 9 MESSIAS Em Atenas na Grcia antiga, prximo de 400 a.C. no terceiro perodo da guerra do Peloponeso onde a democracia se encontra ameaada est ocorrendo uma reunio dos grandes intelectuais. Quando uma cortes de nome Mnesarete muito rica, bela e culta, considerada de extrema refinao, est oferecendo para reconstruir os muros de Tebas que haviam sido destrudos por Alexandre, o Grande. Mas, ao mesmo tempo, ... MNESARETE: Reconstruo-os desde que em cima dos muros sejam inscritos as palavras Destrudo por Alexandre, restaurado por Frin a hetaira. DIODORO: Eu no concordo. E quanto mais para por em cima do muro o seu apelido de Frin que quer dizer sapo. O orador Hiprides, um idoso e um dos amantes de Mnesarete, para evitar aquela situao complicada procura mudar a problemtica por meio da oratria que lhe peculiar, no que lhe viesse de pronto cabea. E assim foi feito. HIPRIDES (com oratria): os que vivem em homenagem deusa grega Atena, protegido por ela ser a deusa da guerra, o que acham da profecia que ouo pelas vozes do alm dizendo que a palavra Messias se refere vinda do libertador de Israel? Jovem Anaxmenes outro amante de Mnesarete por ser materialista ou por perceber a preferncia desta por Hiprides.
  10. 10. 10 ANAXMENES: velho orador. Ao continuar ouvindo essas vozes do alm vai passar para a histria como um grande pateta e ... HIPRIDES: ... assassino, para a tragdia grega. Ouo tambm acerca do Messias: O Salvador nasce no oriente, promove uma purificao pelo fogo e a Terra se torna um Paraso. O que diferente do Buda pela sabedoria da terra com a libertao das penitncias e ascetismos por meio dos sutras. Ou at desse que vir Cristo pelo amor da gua com a redeno dos pecados. A salvao que Messias traz tanto espiritual quanto material, bem como individual e social, mas apenas para 3% dos espritos. Anaxmenes cime, ela obsesso pela sua oferta. MNESARETE: Diodoro, esse apelido de sapo se deve a minha tez amarelada. Mas, o que importa saber se terei que esperar para reconstruir os muros pela vinda do libertador de Israel? DIODORO: Cuidado que a prostituio severamente reprimida dentro da cultura judaica, at com a morte. MNESARETE: Sim, mas, aqui sou admirada, pois tenho que pagar pesados impostos ao Estado para praticar essa minha profisso. Aqui exero grande poder poltico e sou extremamente respeitada. DIODORO: No entanto, mesmo aqui em Atenas no pode andar assim vontade, deve utilizar as vestimentas que identifiquem as prostitutas, pois caso contrrio ser rigorosamente punida. Hiprides, mais uma vez, evitando aquela situao complicada.
  11. 11. 11 HIPRIDES: Ouo tambm que essa palavra Messias hebraica e significa Salvador. Os cristos acreditaro que Jesus Cristo o salvador, mas, na verdade, ele e ser apenas o Senhor da Redeno, o que bem diferente de Senhor da Salvao do Mundo. Redentor aquele que redimiu os pecados de todos os povos, tornando-se representante desses pecados, sacrificou sua vida para ser perdoado. Salvador no aquele que perdoado, e sim o que perdoa. (ordenando): E sa de mim destino trgico de ser assassino de meu ... ANAXMENES (debochando em estilo de oratria): Ah! As vozes. As eternas vozes que diro quem sabe se numa poca mais antiga no aconteceu um fato como este no mundo? Aquele no se importando com o deboche continua sua oratria. HIPRIDES (com oratria): Porm, as vozes dizem e eu ouo que: Por ser esta a Segunda Abertura do Portal de Rocha do Cu. ANAXMENES (irritado em estilo de oratria): E eu desisto, pois com sonhador deslumbrado no se discute. E ela distante desta conversa, tira suas roupas, solta seus cabelos e comea a dar mostra que iria sair daquele recinto, quando ... DIODORO: Hei, hei, hei. Onde pensa que vai assim em plena guerra do Peloponeso? MNESARETE: Vou ao Festival de Poisedon em Elusis para entrar no mar e me banhar em suas guas. E quem sabe se l no consigo fazer favores sexuais por uma boa soma em dinheiro?
  12. 12. 12 DIODORO: Hei! Vocs dois a. Como amantes dela, parem com essa discusso. Reparem que Mnesarete est despida e que a fora tem homens em guerra. Salvem a vida dela. Eles olham para ela e se entreolham e sem nada dizer a respeito no perdem o foco do Messias em questo. ANAXMENES: Chame o seu salvador criado pela sua mente para salvar a nossa Mnesarete. HIPRIDES: Salvador que uma pessoa esperada ansiosamente, no simplesmente um salva-vidas, isto : um guarda que protege mulher da fria de guerreiros; ou um nadador que socorre os banhistas em casos de afogamento; nem um cirurgio que trata as vtimas de acidente com hemorragias internas. Ou seja, no se resume a um salvar vida, pois o homem no apenas um ser biolgico, ele tambm um ser lgico, racional, psicolgico, social, ecolgico, cultural, antropolgico, moral, poltico e espiritual. Ento Salvador deve ser aquele que tambm protege e ampara: a lgica; a razo; a mente; a convivncia; as relaes essenciais entre os seres vivos e o meio ambiente; os padres civilizatrios; a natureza com suas classes, raas, gnero, cor e idade; as regras de conduta desejveis num grupo social; a cidadania; o imaterial como, por exemplo, cuidar da doena com acompanhamento da sade que no tem existncia sensvel, e principalmente a alma na sua ascenso para o cu. DIODORO: Parem com esses discursos estreis e a salvem das espadas, lanas, dardos e pedras to prximos de ns.
  13. 13. 13 No entanto tal apelo em vo. ANAXMENES: Do jeito que voc fala Hiprides: o Redentor prometido aquele Salvador no s do ser humano, mas tambm da sociedade, do povo, do planeta Terra. Enquanto isso, Mnesarete est sendo interceptada por Diodoro de modo que ela no saia na rua e quanto mais nua. DIODORO: O que voc pensa que ? Uma menina num ritual de iniciao prostituio quando atinge a puberdade? MNESARETE: No. Mas, sim uma prostituta considerada grande sacerdotisa que recebe honras de verdadeira divindade e presente em troca de ... (pausa): Quer saber de uma coisa, saia do caminho de algum com a profisso mais antiga do mundo. DIODORO: Isso no tem nenhum fundamento, pois as mais antigas so especializaes em agricultura e caa. Do outro lado. HIPRIDES: A vinda do Salvador um assunto to srio que no pode ser discutido de maneira leviana. ANAXMENES: Velho, quem esse tal de Messias nesse sonho? HIPRIDES: No se pode no acreditar na sua viabilidade, pois a Vinda do Messias ser prevista por grandes profetas e santos. (falando para si): Desaparea da minha frente seu assassinado.
  14. 14. 14 ANAXMENES: Nossa! (refeito): E quando isso se dar? HIPRIDES: Da morte nada falo, mas da vinda anos depois em que haver aumento da temperatura da Terra e as purificaes vo ficando mais intensas. E eu afirmo que nem mesmo os descrentes podero duvidar desse fato por essa poca. ANAXMENES: Olhem a o que diz nosso profeta e santo orador? Os dois que procuram se segurar e soltar, ficam curiosos e paralisam suas aes. E ele repete o que escutara de Hiprides. DIODORO: E quantos se salvaro? Todos, no? HIPRIDES: No bem assim porque o essencial no salvar os seres vivos, mas sim edificar o paraso na Terra. ANAXMENES: Mas, insisto saber quando isso se dar com uma resposta relacionada a fatos prximos e compreensveis. HIPRIDES: Lembra-se de Dario o Grande com sua expedio para punir e subjugar a cidade-estado de Atenas por seu