Controle de Vazamento

download Controle de Vazamento

of 48

  • date post

    10-Jan-2017
  • Category

    Documents

  • view

    228
  • download

    2

Embed Size (px)

Transcript of Controle de Vazamento

  • PROGRAMA BRASILEIRO DEELIMINAO DOS HCFCs-PBHGuia de Boas PrticasControle de Vazamento

    1

  • Presidncia da rePblica

    Dilma Rousseff

    Ministrio do Meio aMbiente

    Izabella Teixeira

    secretaria de Mudanas cliMticas e Qualidade aMbiental

    Carlos Augusto Klink

    dePartaMento de Mudanas cliMticas

    Adriano Santhiago de Oliveira

    Gerncia de Proteo da caMada de oznio

    Magna Luduvice

  • MMA

    Braslia, 2015.

    PROGRAMA BRASILEIRO DEELIMINAO DOS HCFCs-PBHGuia de Boas PrticasControle de Vazamento

    1MINISTRIO DO MEIO AMBIENTE

    SECRETARIA DE MUDANAS CLIMTICAS E QUALIDADE AMBIENTAL

    DEPARTAMENTO DE MUDANAS CLIMTICAS

  • coordenao

    Frank Amorim

    Stefanie von Heinemann

    autoria

    Rolf Huehren

    Gutenberg da Silva Pereira

    reviso tcnica

    Pedro de Oliveira Serio

    colaborao

    Gabriela Teixeira Rodrigues Lira

    FotoGraFia

    Gutenberg da Silva Pereira

    Rolf Huehren

    Projeto GrFico, diaGraMao e arte

    Agncia Duo Design

    reviso ortoGrFica

    Sete Estrelas Comunicao

    secretaria de Mudanas cliMticas e

    Qualidade aMbiental

    dePartaMento de Mudanas cliMticas,

    Gerncia de Proteo da caMada de oznio

    SEPN 505, Lote 2, Bloco B,

    Ed. Marie Prendi Cruz

    CEP: 70.730-542 Braslia-DF

    Telefone: (61) 2028-2248

    E-mail: ozonio@mma.gov.br

    deutsche GesellschaFt Fr internationale

    zusaMMenarbeit (Giz) GMbh

    SCN Quadra 1, Bloco C, Sala 1501,

    Ed. Braslia Trade Center

    CEP: 70.711-902 Braslia-DF

    Telefone: (61) 2101-2170

    E-mail: giz-brasilien@giz.de

    Catalogao na FonteInstituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovveis

    B823p Brasil. Ministrio do Meio Ambiente.

    Programa Brasileiro de eliminao dos HCFCs-PBH: Guia de boas prticas 1: controle de vazamento / Ministrio do Meio Ambiente. Braslia: MMA, 2015.

    48 p. ; Il. Color.

    ISBN 978-85-7738-247-7

    1. Manual (Refrigerao). 2. Ar condicionado. 3. Camada de oznio. 4. HCFCs-PBH. 5. Protocolo de Montreal. I. Ministrio do Meio Ambiente. II. Secretaria de Mudanas Clim-ticas e Qualidade Ambiental. III. Departamento de Mudanas Climticas. IV. Ttulo.

    CDU(2.ed.)621.565

    MINISTRIO DO MEIO AMBIENTE. Programa Brasileiro de eliminao dos HCFCs-PBH: Guia de boas prticas 1: controle de vazamento. Braslia: MMA, 2015. 48 p.

  • REPRODUO DESTE DOCUMENTOEste documento pode ser reproduzido na n-

    tegra ou em parte sem consentimento prvio

    por escrito desde que a parte reproduzida seja

    atribuda ao Ministrio do Meio Ambiente e

    Deutsche Gesellschaft fr Internationale Zu-

    sammenarbeit (GIZ) GmbH.

  • NDiCE

    PREfCiO: iMPORTNCia DaS aTiviDaDES PaRa DETECO

    DE vazaMENTO DE flUiDOS fRigORfiCOS 08

    1.TiPOS E iDENTifiCaO DOS vazaMENTOS MaiS COMUNS 09

    2. REgUlaMENTOS E NORMaS 13

    2.1. Regulamento europeu f-gas N 517/2014 13

    2.1.1. Escopo do regulamento F-gas 13

    2.1.2. Detalhes dos requisitos do Artigo 3 (Preveno das emisses de

    gases fluorados com efeito de estufa) 13

    2.1.3. Detalhes dos requisitos do Artigo 4 (Verificao para

    deteco de vazamentos) 14

    2.1.4. Detalhes dos requisitos do Artigo 5 (Sistemas de deteco de vazamentos) 14

    2.1.5. Detalhes dos requisitos do Artigo 6 (Registros) 15

    2.1.6. Detalhes dos requisitos do Artigo 8 (Recolhimento) 15

    2.1.7. Detalhes dos requisitos do Artigo 10 (Treinamento e certificao) 15

    2.1.8. Reparo de vazamentos 15

    2.1.9. Verificaes de acompanhamento 16

    2.1.10. Verificao de vazamentos em novos sistemas 16

    2.1.11. Taxas de vazamento 16

    2.1.12. Reduo do consumo de HFCs e restries de uso 17

    2.2. Regulamento europeu de substncias destruidoras da camada de oznio 2037/2000 18

    2.3. EN378/2008 Sistemas de refrigerao e bombas de calor:

    requisitos ambientais e de segurana 18

    2.3.1. Relao de presso com a presso mxima admissvel PS (EN378-2) 19

    2.3.2. Constatao de vazamento geral e problemas de testes de presso no campo 19

    2.3.3. Efeitos colaterais de vazamentos de fluido frigorfico 20

    2.3.4. Princpios de tecnologia de teste 20

    2.4. Qualificao de competncia tcnica para deteco e teste de vazamento 22

    2.5. Norma aBNT NBR 16186:2013(Refrigerao comercial, deteco de vazamentos,

    conteno de fluido frigorfico, manuteno e reparos) 23

    2.5.1. Vazamentos de fluido frigorficos em sistemas de refrigerao comercial 23

    2.5.2. Pontos de vazamentos 23

  • 3. TECNOlOgiaS E EQUiPaMENTOS DE MEDiO 24

    3.1. Teste de aumento da presso de vcuo 24

    3.2. Teste de queda de presso (aplicao em campo) 25

    3.3. Testando o sistema com gs comprimido 26

    3.3.1. Presso de teste 26

    3.3.2. Procedimento de teste de vazamentos, questes gerais 27

    3.3.3. Substncias de teste de presso 28

    3.4. Equipamentos para uso em campo de Nitrognio Seco e Sem Oxignio (OfDN) 29

    3.4.1. Uso do gs OFDN 29

    3.4.2. Regulador de presso para uso com OFDN 31

    4. MTODOS DE DETECO DE vazaMENTO 32

    4.1. Mtodos diretos de deteco de vazamento 33

    4.1.1.Teste de espuma de sabo (soluo de gua e sabo) 34

    4.1.2. Detector de vazamento hlide (lamparina) 35

    4.1.3. Contrastes ultravioletas de deteco de vazamentos 35

    4.1.4. Detectores de gs eletrnico 36

    4.1.5. Vazamento de referncia para a calibrao do detector de gs 38

    4.1.6. Teste de vazamentos N2/H2 (Deteco de vazamento com gs marcador) 40

    4.1.7. Detectores de Vazamento Eletrnico Ultrassnico 42

    4.1.8. Detector de gs eletrnico infravermelho 42

    4.2. Mtodos indiretos de deteco de vazamento de fluido frigorfico 43

    5. Manuteno Preventiva Planejada (PPM) 45

    aNExO

    anexo 1: Relatrio para anlise de vazamento de fluido frigorfico 45

  • PROGRAMA BRASILEIRO DE ELIMINAO DOS HCFCS-PBH

    8

    PrefCio

    iMPORTNCia DaS aTiviDaDES PaRa DETECO DE vazaMENTO DE flUiDOS fRigORfiCOS

    No sculo 20, uma das maiores conquistas do

    homem no ramo da engenharia foi o desenvol-

    vimento e crescimento do setor de refrigerao

    e ar condicionado (RAC). difcil imaginar o

    modo atual de vida sem estes sistemas, que so

    utilizados para diversas aplicaes na refrige-

    rao industrial, comercial e domstica. No

    entanto, um dos principais desafios tem sido

    a obteno de sistemas RAC minimamente

    selados, no qual o fluido frigorfico permanea

    restrito ao circuito de refrigerao, sem vaza-

    mentos para atmosfera.

    Em todo sistema RAC que trabalhe pressurizado

    podem ocorrer vazamentos, que acontecem de-

    vido s falhas que podem ocorrer em cada tipo

    de juno, seja em uma conexo do tipo flange,

    seja em uma conexo do tipo brasada. O tama-

    nho do vazamento pode variar de gramas por

    ano a quilogramas por segundo. Mesmo com a

    utilizao de tecnologias de deteco mais avan-

    adas (de maior sensibilidade), alguns vazamen-

    tos podem ser muito pequenos ou apresentar

    difcil localizao para serem detectados. Se

    determinadas influncias internas ou externas

    estiverem presentes em um sistema RAC, devido

    tenso trmica ou ambiental e tambm devido

    vibrao, ser uma questo de tempo para que

    um vazamento de menor proporo atinja um

    maior nvel at se tornar detectvel.

    Um vazamento simplesmente descrito como

    o caminho fsico (fenda, furo ou imperfeio)

    pelo qual o fluido frigorfico possa passar.

    Um sistema de refrigerao considerado

    prova de vazamentos se a taxa de vazamento

    admissvel no for excedida. Valores de taxas

    de vazamentos podem ser encontrados no re-

    gulamento F-gas da Unio Europeia (veja o

    captulo 2).

    No setor de RAC componentes e sistemas de-

    vem ser constantemente testados contra vaza-

    mentos, para garantir que estejam abaixo dos

    limites especificados. Diversos regulamentos

    internacionais esto em vigor para conter, pre-

    venir e reduzir as emisses de fluidos frigorfi-

    cos, seja de substncias que destroem a camada

    de oznio (SDOs), no mbito do Protocolo de

    Montreal, seja de gases fluorados que contri-

    buem com o efeito estufa, no mbito do Proto-

    colo de Quioto.

    Neste documento so abordados importantes

    componentes, relacionados aos requisitos do

    regulamento Europeu, para controle da emis-

    so de fluidos frigorficos para atmosfera. Os

    contedos tcnicos apresentados demons-

    tram como lidar com essas exigncias e apon-

    tam os caminhos para uma implementao

    bem-sucedida.

  • Guia de Boas Prticascontrole de Vazamento

    9

    1. TiPOS E iDENTifiCaO DOS vazaMENTOS MaiS COMUNSSe houver suspeita de vazamento em um sis-

    tema de RAC, recomendvel verificar pri-

    meiramente os lugares com maiores chances

    de apresentarem vazamentos. Estes lugares

    podem ser diferentes de sistema para siste-

    ma, mas as experincias adquiridas tm mos-

    trado que alguns pontos crticos devem ser

    nomeados. Predominantemente, levando em

    conta todas as fontes potencias de vazamen-

    to, as conexes mecnicas so identificadas

    como as mais crticas. O Relatrio de anlise

    de vazamento de fluido frigorfico, presente

    no Anexo 1 desse documento, fornece orien-

    taes a respeito da identificao do local de

    vazamento de fluido frigorfico e a respeito

    das medidas de monitoramento de ajustes e

    otimizao de sistema.

    Vazamentos mais comuns podem ser encontra-

    dos em:

    Junes de tubulaes por meio de alargamento:

    - Usar conexes com alarg