COMUNIDADES DE PEIXES DE RIACHOS EM FUNأ‡أƒO DA dados digitais utilizados neste trabalho, sem...

download COMUNIDADES DE PEIXES DE RIACHOS EM FUNأ‡أƒO DA dados digitais utilizados neste trabalho, sem os quais,

If you can't read please download the document

  • date post

    25-Nov-2020
  • Category

    Documents

  • view

    0
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of COMUNIDADES DE PEIXES DE RIACHOS EM FUNأ‡أƒO DA dados digitais utilizados neste trabalho, sem...

  • COMUNIDADES DE PEIXES DE RIACHOS EM FUNÇÃO

    DA PAISAGEM DA BACIA DO RIO CORUMBATAÍ,

    ESTADO DE SÃO PAULO

    PEDRO GERHARD

    Tese apresentada à Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", Universidade de São Paulo, para obtenção do título de Doutor em Ecologia de Agroecossistemas.

    P I R A C I C A B A Estado de São Paulo - Brasil

    Janeiro – 2005

  • COMUNIDADES DE PEIXES DE RIACHOS EM FUNÇÃO

    DA PAISAGEM DA BACIA DO RIO CORUMBATAÍ,

    ESTADO DE SÃO PAULO

    PEDRO GERHARD

    Biólogo

    Orientador: Prof. Dr. LUCIANO MARTINS VERDADE

    Tese apresentada à Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", Universidade de São Paulo, para obtenção do título de Doutor em Ecologia de Agroecossistemas.

    P I R A C I C A B A Estado de São Paulo - Brasil

    Janeiro – 2005

  • Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) DIVISÃO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO - ESALQ/USP

    Gerhard, Pedro Comunidades de peixes de riachos em função da paisagem da bacia do Rio

    Corumbataí, Estado de São Paulo / Pedro Gerhard. - - Piracicaba, 2005. 241 p. : il.

    Tese (Doutorado) - - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, 2005. Bibliografia.

    1. Bacia hidrográfica 2. Cobertura do solo – Uso 3. Comunidades animais 4. Corumbataí, Rio 5. Ecossistemas agrícolas 6. Paisagem I. Título

    CDD 551.483

    “Permitida a cópia total ou parcial deste documento, desde que citada a fonte – O autor”

  • “... [esta terra] nunca poderá ser povoada enquanto lá

    houver aquela mata feia, baixa, desigual e insalubre...”

    Edmundo Navarro de Andrade, 1912, p.100

  • AGRADECIMENTOS

    Este trabalho jamais poderia ter acontecido sem a presença e a coordenação do

    Prof. Luciano Verdade. A ele sou grato, em primeiro lugar, pela oportunidade de

    participar dos primeiros anos do Laboratório de Ecologia Animal, o LEA. Em segundo

    lugar, por seu apoio às minhas idéias, desde os primórdios do Programa de Pós

    Graduação Interunidades em Ecologia de Agroecossistemas e do projeto do laboratório

    junto ao Programa Biota da FAPESP. Em terceiro lugar, por suas idéias a respeito de

    ecologia, conservação biológica, filosofia e, igualmente, sobre a complexa simplicidade

    do meio acadêmico (“A geografia é linda, mas a história...”!). Ao Prof. Carlos Alberto

    Vettorazzi devo muito, pois sua dedicação e competência criaram a base do banco de

    dados digitais utilizados neste trabalho, sem os quais, nada teria saído das fundações. O

    Prof. José Eurico Possebon Cyrino ajudou-me nos primeiros anos de estabelecimento na

    ESALQ e contribuiu com este trabalho com seu sólido conhecimento sobre a biologia de

    peixes. O Prof. Walter de Paula Lima auxiliou com ótimas referências e excelentes

    aulas, contribuindo com minha iniciação no campo da hidrologia de microbacias.

    Agradeço, igualmente, as contribuições do Prof. Naércio de Aquino Menezes, Prof.

    Edwin Moisés Marcos Ortega, Dra. Lilian Casatti, por auxílios em aspectos

    fundamentais deste trabalho. Anderson Ferreira, essencial batalhador em todos os

    momentos do meu doutoramento, auxiliou desde os primeiros dias, participou de mais

    de 80 % dos (mais de 200) dias do pesado trabalho de campo, foi presente também em

    muitas discussões, que se transformaram em planos e projetos. Da mesma forma, o

    trabalho de campo não teria tido o mesmo brilho sem os incansáveis (Tamaguchi)

    Henrique Oliveira Sawakuchi, Gabriel (Sapão) Lourenço Brejão, (Prisioneiro) Maurício

    Tassoni Filho, Bruno (Pastor) Humberto Cordeiro Cavichiolli, (Hadija) Ricardo Augusto

  • v

    Brassalotti, Felipe Rossetti (Benito) de Paula, Gustavo Simões (Dexter) Libardi. Junto

    com Anderson, esta trupe bisonha constituiu a bizarra Equipe Salamandra de Pesca

    Elétrica. Que vocês possam perdoar este Ogro, mesmo quando lembram dos matacões

    voando rumo às suas cabeças! Nas muitas estradas da Bacia do Rio Corumbataí fui

    auxiliado pelo intrépido José Henrique Rocha (Mosquinhas) e pelo moderado Edson

    Roberto Davanzo, também colega do LEA. Muitos outros vieram e ajudaram nos

    trabalhos de campo: Leandro (Grude) Ducatti Tremocoldi, Elizandra Chiquito, (Menos

    Um) Cristiano Gomes Pastor, Maíra (Caiaque) Cotrim, (Xuleta) José Wagner Ribeiro

    Jr., Élio César Guzzo, Thiago (Salmão) Simon Marques, Carolina Esteves (Ixalá), Júlio

    César (Frango) Pereira, Jaime Rissi (Passarinho) Passarini, (Beronha) João Vinícius C.

    Bellodi, (Corn) Fernanda Engels do Nascimento, Vivian Maria de Faria Nasser Vilela

    (Vilinha), Henrique Sérgio Alves (Ai-Ai-Ai) e Daline (Vinhaça) Vinhal Pereira. Uma

    grande parte dos frutos apresentados se deve ao casal Kátia Maria Paschoaletto Micchi

    de Barros Ferraz e Sílvio Frosini de Barros Ferraz, fundamentais na orientação e

    discussões sobre geoprocessamento e muitas outras questões ligadas ao desenvolvimento

    geral deste trabalho. Sou grato também pela ajuda intelectual dos colegas Flávio C. T.

    Lima, Roberta de Oliveira Averna Valente, e do Prof. Flávio A. Bockmann. Agradeço

    aos colegas do LEA, companheiros e amigos de campo e escritório: especialmente

    Cláudia Bueno de Campos, André Martins Villaça (também pela trilha sonora), Victor

    Hugo Cantarelli e Érica P. Haller, mas também Marli Penteado, Graziela D. Miranda,

    Maristela P. Miranda, Adenilson Cavalcanti, Carla Gheler-Costa, Fábio Comin e (Dona)

    Nilza. Meus familiares, pais e irmãos, auxiliaram em minha manutenção e estadia em

    Piracicaba, permitindo que este trabalho se concretizasse. Sou particularmente grato à

    minha mãe, Sra. Angelina Martha Chopard Gerhard. Agradeço também a muitos

    proprietários que permitiram nosso acesso aos rios que drenam suas propriedades. Este

    trabalho teve apoio institucional da FAPESP na forma de uma bolsa de doutoramento

    (processo número 00/14284-0) e de uma auxílio à Pesquisa vinculado ao Projeto BIOTA

    (processo número 01/13251-4). Fui auxiliado também pela CAPES e pelo Departamento

    de Zootecnia (não-ruminantes) da ESALQ.

  • SUMÁRIO

    Página

    LISTA DE FIGURAS ............................................................................................ ix

    LISTA DE TABELAS ........................................................................................... xvi

    RESUMO ............................................................................................................... xxii

    SUMMARY ........................................................................................................... xxiv

    1 INTRODUÇÃO .................................................................................................. 1

    2 REVISÃO DE LITERATURA ........................................................................... 4

    3 MATERIAL E MÉTODOS ................................................................................ 17

    3.1 Área de estudo ........................................................................................... 17

    3.1.1 Situação geográfica, política e hidrografia ................................................ 17

    3.1.2 Geologia ..................................................................................................... 18

    3.1.3 Clima .......................................................................................................... 22

    3.1.4 Relevo ........................................................................................................ 22

    3.1.5 Solos ........................................................................................................... 23

    3.1.6 Vegetação nativa ........................................................................................ 24

    3.1.7 Uso e cobertura do solo recente, histórico e perspectivas ......................... 24

    3.2 Seleção das unidades amostrais ................................................................. 29

    3.3 Unidades amostrais selecionadas ............................................................... 37

    3.4 Coleta de dados .......................................................................................... 43

    3.4.1 Caracterização das microbacias ................................................................. 44

    3.4.2 Caracterização do segmento de amostragem dos peixes ........................... 48

    3.4.3 Coleta dos peixes ....................................................................................... 58

  • vii

    3.4.4 Variáveis-resposta ...................................................................................... 59

    3.5 Análises estatísticas ................................................................................... 62

    3.5.1 Objetivo 1 .................................................................................................. 62

    3.5.2 Objetivo 2 .................................................................................................. 63

    3.5.3 Objetivo 3 ..........