Capítulo 14. Coaprendizagem em rede na oer.kmi.open.ac.uk/wp-content/uploads/cap14_  · Web...

download Capítulo 14. Coaprendizagem em rede na oer.kmi.open.ac.uk/wp-content/uploads/cap14_  · Web viewCapítulo

If you can't read please download the document

  • date post

    07-Feb-2019
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Capítulo 14. Coaprendizagem em rede na oer.kmi.open.ac.uk/wp-content/uploads/cap14_  · Web...

Recursos Educacionais Abertos e Redes Sociais : coaprendizagem e desenvolvimento profissional

Captulo 14. Coaprendizagem em rede na formao docente: plasticidade, colaborao e rizomas

Grupo de Pesquisa Aprendizagem em RedeGRUPARUniversidade Federal de Juiz de Fora UFJF(Juiz de Fora, Brasil)

Adriana Rocha Bruno,Ana Carolina Guedes Mattos,Ana Regina Cardoso Cunha,Carla da Conceio Lima,Elisabete da Silva Dutra,Erica Barbosa Medeiros Tavares,Lcia Helena Schuchter,Octvio Silvrio de Souza Vieira Neto,Vincius Rangel dos Santos

RESUMO

Na sociedade hodierna, percebemos mudanas aceleradas ocorrendo na produo, no consumo e na difuso do saber, da informao, da comunicao, aliadas a um aumento vertiginoso de repositrios abertos de mdias. Todos esses fatos potencializam a colaborao, o dilogo, a coaprendizagem em rede, trazendo mudanas, inquietaes e desafios significativos aos que se inserem nessa inegvel realidade histrica. Uma relao entre REA (Recursos Educacionais Abertos), educaoonlinee ciberespao cria um campo de potncia para a Educao e para a aprendizagem e fomenta, por meio dos novos (ciber)espaos, a construo de redes rizomticas viabilizadas pela plasticidade social.

OBJETIVOS DE COAPRENDIZAGEM

So objetivos deste captulo:

Compreender as temticas e bases tericas assumidas pelo GRUPAR (Grupo de Pesquisa Aprendizagem em Rede), a saber: plasticidade social, redes rizomticas, aprendizagem integradora e didtica online;

suscitar reflexes e dilogos, evidenciar que todos os elementos que constituem a coaprendizagem humana devem ser coerentes com o conceito de plasticidade;

entender a web como espao agenciador formao de redes rizomticas, abertas e flexveis.

POSSIBILIDADES DE REUTILIZAO

O presente artigo apresenta como questo norteadora: os REA se apresentariam como potncias para novos sentidos de formao e aprendizagem na cibercultura? A partir desta questo, apresentamos alguns estudos e pesquisa, financiada pela Fapemig e pela Propesq-UFJF, sobre docncia online desenvolvidos pelo GRUPAR, buscando pistas para a questo apresentada e seus desdobramentos. O estudo de referncias mltiplas, a construo de novos conceitos e outras pesquisas so algumas das pistas indicadas de reutilizao, vislumbradas a partir da tecedura deste artigo.

PALAVRAS-CHAVE:Co-aprendizagem em rede, rizomas, plasticidade, colaborao, formao docente, didtica online.

1. ABERTURA

REA 1 Redes Rizomticas e Plasticidade

Co-Autores: Ana Claudia de S (criao) e Adriana Rocha Bruno (Concepo).Fonte:Wikimedia CommonsDescrio: O presente slide tem como objetivo apresentar o processo de constituio das redes rizomticas que so plsticas e se fazem em devir no espao e tempo da web 2.0 se apresentando como espao potencializador formao de redes, especialmente aquelas com caractersticas de rizomas. Criado/produzido no REAFREE FLASH EFFECT GENERATORem que foram agrupados uma coleo de 343 imagens que compostas proporcionam o movimento plstico, rizomtico, intencionado pelo GRUPAR Aprendizagem em Rede. Recurso online disponvel para todos os usurios da Web 2.0, est licenciado e aberto a todo o pblico para modificaes e ampliaes da proposta, desde que seja mencionado a licena do Wikimedia CommonsO REA est presente no Tool Library por ser um REA online.Objetivo: O GRUPAR Aprendizagem em Rede tem como objetivo ampliar a discusso sobre o conceito de Rede Rizomtica, a fim de que sejam compreendidos e ampliados por novas pesquisas em um processo de co-aprendizagem contnuo.Licena: CC BY SA.

A imagem aqui apresentada (Figura 1) busca materializar/representar as ideias desenvolvidas em nossos estudos: rizomas, coaprendizagem em rede, plasticidade, colaborao. Por sua fluidez e plasticidade, esse desdobramento de imagens que se abrem, fecham, multiformam, dobram, desdobram, territorializam, desterritorializam, focam, desfocam em movimentos rizomticos (dinmica de ser rizoma) hibridiza as possibilidades de fazermos e sermos redes. Sua relevncia est em apresentar a dinmica do nosso GRUPAR, na qual todos esto ligados e participam da constante e colaborativa construo dos conceitos que emergem do encontro das mltiplas ideias e contribuies de cada membro. Nesse sentido, a web pode ser um espao potencializador de formao de redes rizomticas?

2. INTRODUO

as primeiras conexesA Histria um carro alegre,Cheia de um povo contente,Que atropela indiferente,Todo aquele que a negue.

Chico Buarque de Hollanda

Na sociedadehodierna[1], percebemos mudanas aceleradas ocorrendo na produo, no consumo e na difuso do saber, da informao, da comunicao, aliadas a um aumento vertiginoso de repositrios abertos[2]de mdias. Todos esses fatos potencializam a colaborao, o dilogo, a coletividade, trazendo mudanas, inquietaes e desafios significativos aos que se inserem nessa inegvel realidade histrica.

Neste contexto, surge o Grupo de Pesquisa Coaprendizagem em Rede (GRUPAR), que nasceu da necessidade premente de se estudar e pesquisar o cenrio contemporneo e suas implicaes para a rea educacional; focando-se, principalmente, em investigaes sobre as Tecnologias da Informao e Comunicao e da Educao online.

O GRUPAR formou-se em maio de 2009, na Faculdade de Educao (FACED) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). parte do Ncleo de Estudos de Educao e Linguagem (NEEL), est cadastrado no CNPq[3], constitudo por professores, alunos e ex-alunos do curso de Pedagogia e do Programa de Ps-Graduao em Educao da FACED/UFJF; professores e coordenadores pedaggicos das redes pblica e privada de ensino da cidade de Juiz de Fora. coordenado pela Prof. Dr. Adriana Rocha Bruno.

Neste presente artigo, objetivamos suscitar reflexes e dilogos (como sugere a figura, faa parte da rede), apresentando nossos estudos, pesquisas e abrindo espaos de discusso para futuras prticas e para construo de novos conceitos: plasticidade scio-cultural, redes rizomticas, aprendizagem integradora e didtica online.

2.1. Uma rede se tece: bases tericas e desdobramentos

Nossos estudos e pesquisas se sustentam em um trip temtico, cujos elos formam uma rede de possibilidades de estudos que buscam compreender: (a) a coaprendizagem do adulto; (b) os processos formativos em ambientes online; e (c) a didtica online. Tais temticas so desdobramentos emergentes do foco central de nossos estudos: a coaprendizagem em rede. O grupo se ancora na teoria das multiplicidades (DELEUZE E GUATTARI, 1995, 2010) e nos estudos sobre cibercultura e neurocincia, dialogando com diferentes autores, tais como: Bruno (2010, 2008, 2007), Castells (2005), Lvy (1999), Santaella (2002, 2007, 2010), Silva (2003,2010), dentre outros. Ao longo de nossos estudos alguns conceitos foram apropriados, outros ressignificados, outros forjados-cocriados: plasticidade scio-cultural, redes rizomticas, aprendizagem integradora, didticaonline(e mediao partilhada). Tais ideias-acepes nos ajudam a compreender melhor, por meio das pesquisas desenvolvidas, como se d a aprendizagem do adulto em tempos de cibercultura, que implicaes decorrem nos/dos processos formativos em ambientesonlinee quais desdobramentos deste mundo scio-tcnico, ciber, para se pensar uma didticaonline. Os temas e conceitos trabalhados em nossos estudos sero apresentados de forma sucinta, mas todos podero ser aprofundados acessando as publicaes do GRUPAR.

Com o objetivo de estudar e vivenciar a coaprendizagem em rede, considerando seus inmeros contextos e o significado que lhe atribumos, ressignificamos o verbeteOnline,que em seu significado puro significa em linha ou conectado, para em rede. Tal transgresso justifica-se por compreendermos que a sociedade cibercultural (conectada) reconfigura as formas de relao para potencializar a metfora da rede. Por sua vez, a educaoonline compreendida como uma Educao hbrida, flexvel, plstica, em que oonlinee o presencial se articulam e se integram, suportadas pelas tecnologias e mdias digitais e em rede.

A educaoonline possibilitada com o advento do ciberespao e da incluso das Tecnologias da Informao e Comunicao (TIC) no cotidiano das pessoas. Apoiados em Lvy (1999), compreendemos o ciberespao como o espao de possibilidades para comunicao, como um cenrio de acontecimentos e potencialidades que as tecnologias trazem/provocam nas relaes cotidianas, inclusive na educao.

Portanto, tais combinaes dos modos de comunicao compem o cenrio da Educaoonlinee so fundamentais para se pensar a didticaonline,que traz em seus estudos reflexes e prticas para a docncia em ambientes em rede. As relaes, as interaes, as cocriaes e as coprodues fazem parte das multiplicidades no ciberespao, auxiliando a didticaonlinee os processos de mediao. A didtica exprime as relaes entre os sujeitos envolvidos na educao e um importante operador conceitual para se pensar o ensino, em sua potncia mxima e nos diferentes modos de aprendizagem (BRUNO, 2008).

Nos ambientes de aprendizagemonline,a colaborao e a parceria so fundamentais, da falarmos de coaprendizagem. Segundo Okada (2011), a coaprendizagem se utiliza de recursos, tecnologias e metodologias disponveis na Web 2.0 para enriquecer a educao, seja ela nos espaos formais ou informais. As aes colaborativas (e cooperativas) que sero tratadas mais adiante implicam e so fomentadas na cibercultura, por cocriaes e coautorias. Tais movimentos nos levam a buscarcomo ponto fulcral da didticaonlinepara o ensino asmediaes assim, no plural. Propomos o que Bruno (2007, 2010) chama demediao partilhada. A partilha no vem no sentido da permissividade, da incluso do outro, visto que todos jesto noeso oprocesso em si. Tal movimento, plstico, possvel desde que existam interagentes que desejem ali estar, colaborar. Partilhar que integra o com uma dinmica de produo de devires, de enredamentos, de novos olhares, de novas percepes. Deve-se considerar que esses devires so