boletim informativo - sns.gov.pt .Atu- almente, este Grupo conta j ... Qual a gest£o...

download boletim informativo - sns.gov.pt .Atu- almente, este Grupo conta j ... Qual a gest£o estrat©gica

of 11

  • date post

    17-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of boletim informativo - sns.gov.pt .Atu- almente, este Grupo conta j ... Qual a gest£o...

  • 32

    boletiminformativoCOMPRAS PBLICAS NA SADE

    OUTUBRO 2018

    N

    Conhea as novidadesMantenha-se informado com o

    Boletim de Compras Pblicas na Sade

  • 2 3

    Como est organizado o Servio de

    Aprovisionamento do Centro Hospita-

    lar Barreiro Montijo?

    O Servio de Aprovisionamento do

    CHBM encontra-se certificado desde

    2009 atravs da norma ISO 9001:2008,

    pelo sistema de gesto e controlo de

    stocks e aquisio de bens e servios,

    tendo este ano renovado a sua certifi-

    cao, atualizando o referencial para a

    norma ISO 9001:2015.

    Em 2007, o Servio de Aprovisiona-

    mento concluiu a 3. fase de um Projeto

    Integrado de Logstica Hospitalar, com

    a beneficiao do armazm e a refor-

    mulao do processo logstico, atravs

    do sistema e-kanban.

    Este sistema veio permitir a eficincia

    na gesto de stocks e consumos. Todos

    os produtos consumidos passaram a ser

    registados online, atravs de um termi-

    nal mvel, a informao devolvida ao

    armazm e o sistema produz os alertas

    da quantidade de material a repor aos

    servios, com base nos nveis acorda-

    dos, ou o ajustamento em funo das

    necessidades do servio e/ou dos obje-

    tivos do CHBM.

    Os produtos so posteriormente reposi-

    cionados por colaboradores do Servio

    ENTREVISTA

    VANESSA RAMOS

    PAULINODiretora do Servio

    de Aprovisionamento

    do Centro Hospitalar

    Barreiro Montijo, EPE

    de Aprovisionamento em armrios

    dos servios requisitantes, libertan-

    do o tempo dos enfermeiros para ou-

    tras tarefas.

    Este modelo de reposio est im-

    plementado em 69 servios clnicos/

    armazns perifricos do CHBM e per-

    mite reduzir os stocks existentes nos

    servios e no Armazm Geral. Permite,

    ainda, rentabilizar os recursos humanos

    e materiais, evitando desperdcios e ga-

    rante a existncia de um inventrio per-

    manente dos materiais existentes.

    Quais as principais atividades que es-

    to sob a sua responsabilidade?

    A grande misso deste Servio passa

    por disponibilizar, de um modo perma-

    nente, os bens e servios necessrios e

    adequados ao regular funcionamento

    do CHBM, em quantidade e qualidade,

    no momento oportuno, ao menor custo

    e segurana desejada.

    A equipa constituda por uma Dire-

    tora, uma responsvel administrativa, 9

    assistentes - tcnicos no Setor Adminis-

    trativo da Gesto de Compras, 3 assis-

    tentes tcnicos e 5 assistentes opera-

    cionais no Setor de Gesto de Stocks,

    que inclui a rea da logstica.

    Relativamente atividade desenvolvi-

    da, este servio tem competncias para:

    a) Planear as necessidades - trabalho

    realizado em colaborao com os

    servios utilizadores/clientes internos;

  • 4 5

    b) Garantir a gesto administrativa e

    econmica de todos os procedimentos

    de aquisio de bens e servios e de

    obras pblicas, em conformidade com

    as disposies legais;

    c) Efetuar a gesto e controlo dos

    stocks, designadamente o desenvolvi-

    mento das aes de gesto administra-

    tiva, econmica e fsica dos stocks;

    d) Garantir a eficcia de um modelo

    logstico em linha com os objetivos es-

    tratgicos do CHBM;

    e) Fomentar a articulao entre os

    seus profissionais e os profissionais dos

    servios utilizadores/clientes internos,

    assegurando a rentabilizao dos re-

    cursos e negociar as condies mais

    vantajosas para a organizao, no mbi-

    to das consultas efetuadas e dos pro-

    cedimentos de aquisio aprovados,

    em aplicao dos mtodos e tcnicas

    de mercado concorrencial.

    O Servio de Aprovisionamento do

    CHBM pioneiro em algum servio?

    Sim. Foi o primeiro servio do SNS a

    obter esta certificao e o segundo a

    implementar o modelo logstico e-kan-

    ban. Foi, ainda, o primeiro a implemen-

    tar o programa de custeio ao doente

    no Bloco Operatrio (referenciado pelo

    Tribunal de Contas como boa prtica)

    e respetivo modelo logstico de bens

    consignados.

    O CHBM tem promovido medidas ino-

    vadoras na rea do Aprovisionamento.

    Quais os benefcios que tm sido al-

    canados?

    Com uma periodicidade que comeou

    por ser mensal, rene um Grupo de

    Benchmarking em Aprovisionamento,

    composto atualmente por dez hospi-

    tais, com o objetivo de identificar boas

    prticas, analisar matrias de elevada

    complexidade, estudar o impacto da

    entrada em vigor de normas e pro-

    cedimentos legais, relacionados com a

    aquisio de bens e servios, permitin-

    do ainda a reflexo sobre matrias de

    ndole organizacional e operacional,

    prprias da funo logstica das uni-

    dades hospitalares.

    Na gnese deste projeto esteve o tra-

    balho desenvolvido, desde 2014, com

    os outros hospitais da Pennsula de

    Setbal (Centro Hospitalar de Setbal

    e Hospital Garcia de Orta), de con-

    tratao conjunta de bens e servios,

    com economias de escala com impacto

    financeiro relevante para todas as Insti-

    tuies.

    Considerando as mais-valias j alcana-

    das com este trabalho conjunto, o

    Servio de Aprovisionamento do CHBM

    impulsionou o alargamento deste grupo

    de trabalho, tendo o CHBM convidado

    outras unidades hospitalares do SNS

    para integrarem o Grupo de Bench-

    marking em Aprovisionamento. Atu-

    almente, este Grupo conta j com 10

    entidades hospitalares: Centro Hospita-

    lar Barreiro Montijo; Hospital Garcia de

    Orta; Centro Hospitalar de Setbal; Uni-

    dade de Sade Local do Norte Alente-

    jano; Unidade de Sade Local do Baixo

    Alentejo; Hospital Distrital de San-

    tarm; Hospital Prof. Doutor Fernando

    da Fonseca; Centro Hospitalar de Lis-

    boa Ocidental; IPO de Lisboa e Instituto

    de Oftalmologia Dr. Gama Pinto.

    O Grupo de Benchmarking em Apro-

    visionamento um projeto inovador

    que promove a melhoria contnua das

    organizaes e a aprendizagem con-

    junta dos profissionais, em prol da

    satisfao eficaz das necessidades de

    bens e servios essenciais misso das

    unidades hospitalares envolvidas, con-

    tribuindo, ainda, para a eficincia e sus-

    tentabilidade destas Instituies.

    Qual a gesto estratgica para o fu-

    turo?

    O Servio de Aprovisionamento en-

    tende que estes projetos e reconheci-

    mento so muito motivadores para as

    equipas, para a gesto intermdia e

    para os Conselhos de Administrao.

    Continuamos a investir numa gesto es-

    tratgica, abordando este Servio numa

    perspetiva multidisciplinar - logstica,

    tcnica, econmica e jurdica - tendo

    em conta os princpios da eficincia e

    eficcia na realizao da despesa e da

    proporcionalidade.

    Com uma periodicidade

    que comeou por

    ser mensal, rene um

    Grupo de Benchmarking

    em Aprovisionamento,

    composto atualmente

    por dez hospitais,

    com o objetivo

    de identificar boas

    prticas, analisar

    matrias de elevada

    complexidade, estudar

    o impacto da entrada

    em vigor de normas

    e procedimentos legais.

  • 6 7

    Continuaremos a manter esta viso,

    com particular enfoque no cliente,

    numa perspetiva de manter os resulta-

    dos de satisfao obtidos nos ltimos

    anos, mantendo uma atitude de res-

    ponsabilizao e envolvimento.

    Continuaremos

    a manter esta nossa

    viso, com particular

    enfoque no cliente,

    numa perspetiva

    de manter os resultados

    de satisfao obtidos

    nos ltimos anos,

    mantendo uma atitude

    de responsabilizao

    e envolvimento.

    Equipa do Servio de Aprovisionamento do Centro Hospital Barreiro Montijo

  • pblicos da UE, partilhando projetos

    e benefcios j alcanados e, paralela-

    mente, delinear estratgias futuras.

    No encerramento do evento, a Minis-

    tra da Presidncia e da Modernizao

    Administrativa, Maria Manuel Leito

    Marques, referiu que: No que diz res-

    peito contratao pblica, em Por-

    tugal, garantimos a transparncia dos

    dados, permitindo a qualquer utilizador

    a sua consulta e utilizao. O contnuo

    financiamento a projetos tecnolgicos

    permite melhorar os servios prestados

    a entidades, profissionais e cidados.

    Dirigindo-se aos representantes das di-

    versas entidades presentes, Maria Ma-

    nuel Leito Marques reforou ainda que:

    Contem sempre connosco. Ns con-

    tamos sempre convosco e agradeceu

    particularmente SPMS, pelo trabalho

    realizado no mbito da transformao

    digital, nomeadamente a parceria com

    a AMA no rastreio do cancro.

    De forma a premiar o trabalho realiza-

    do na rea da transformao digital da

    Contratao Pblica na Unio Euro-

    peia, foram entregues trs prmios. O

    Instituto dos Mercados Pblicos, do Im-

    obilirio e da Construo (IMPIC), res-

    ponsvel pela plataforma Portal Base,

    foi distinguido com o segundo lugar.

    Empenhada no avano desta mudana

    digital na Contratao Pblica, a SPMS

    promove iniciativas que fomentam o

    dilogo e a adoo de boas prticas,

    com impacto na economia e na socie-

    dade e, deste modo, contribuindo para

    melhorar a eficincia e a eficcia dos

    servios pblicos. O V Seminrio, que

    ir decorrer nos prximos dias 21 e 22

    de novembro, em Lisb