Boletim cafe dezembro_2010

download Boletim cafe dezembro_2010

of 19

  • date post

    07-Nov-2014
  • Category

    Education

  • view

    950
  • download

    0

Embed Size (px)

description

 

Transcript of Boletim cafe dezembro_2010

  • 1. Safra 2010Quarta Estimativa Dezembro/2010
  • 2. Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento Secretaria de Produo e Agroenergia SPAE Departamento do Caf DCAF Companhia Nacional de Abastecimento CONAB Diretoria de Poltica Agrcola e Informaes DIPAI Superintendncia de Informaes do Agronegcio SUINF Superintendncia de Gesto da Oferta SUGOF Responsveis Tcnicos SILVIO ISOPO PORTO AIRTON CAMARGO PACHECO DA SILVA CARLOS ROBERTO BESTTTI Gerncia de Levantamento e Avaliao de Safra GEASA ELEDON PEREIRA DE OLIVEIRA FRANCISCO DAS CHAGAS COSTA JOS CAVALCANTE DE NEGREIROS JUAREZ BATISTA DE OLIVEIRA MARIA BEATRIZ ARAJO DE ALMEIDA ROBERTO ALVES DE ANDRADE Colaborao:Superintendncias de Minas Gerais, Esprito Santo, So Paulo, Paran, Bahia, Rondnia, Rio de Janeiro, Par e Mato Grosso. Projeto Visual Grfico THAS LORENZINI Ficha Catalogrfica: ADELINA MARIA RODRIGUES CRB 1/1739 633.61 C212 Acompanhamento da Safra Brasileira Caf Safra 2010 quarta estimativa, dezembro/2010 / Companhia Nacional de Abastecimento. - Braslia: Conab, 2010 1. Caf. 2. Safra. I. Companhia Nacional de Abastecimento. II. Ttulo.
  • 3. Safra 2010Quarta Estimativa Dezembro/2010
  • 4. SUMRIO1. INTRODUO ..............................................................................................................52. PRODUO.....................................................................................................................53. REA................................................................................................................................64. INFLUNCIAS CLIMTICAS...........................................................................................65. AVALIAO POR ESTADO.............................................................................................7 5.1 Minas Gerais ............................................................................................................7 5.2. Esprito Santo...........................................................................................................10 5.3. So Paulo.................................................................................................................10 5.4. Bahia.........................................................................................................................11 5.5. Paran.....................................................................................................................12 5.6. Rondnia..................................................................................................................126. QUADROS E GRFICOS DOS RESULTADOS OBTIDOS NO LEVANTAMENTO......14
  • 5. 1 INTRODUO No perodo de 8 de novembro 3 de dezembro de 2010, os tcnicos da Conab e deInstituies parceiras como: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de SoPaulo-SAA/CATI/IEA, Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistncia Tcnica e ExtensoRural - INCAPER; Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrcola S/A - EBDA; Secretariade Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paran - SEAB - Departamento deEconomia Rural - DERAL; Associao de Assistncia Tcnica, Extenso Rural do Estadode Rondnia - EMATER-RO; e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica IBGE,visitaram Municpios dos principais Estados produtores de caf (Minas Gerais, EspritoSanto, So Paulo, Bahia, Paran, Rondnia e Rio de Janeiro que correspondem a 98,0%da produo nacional), para a realizao de entrevistas e aplicao de questionrios juntoaos informantes previamente selecionados, objetivando a realizao da quarta estimativade produo da safra de caf de 2010. Assim, a Conab agradece aos seus parceiros e a todos aqueles que, direta ouindiretamente participaram desse trabalho.2 PRODUO A safra de caf beneficiado no Pas em 2009/10, fechou com uma produo de48,09 milhes de sacas de 60 quilos. O resultado representa um acrscimo de 21,9% ou8,62 milhes de sacas, quando comparado com a produo de 39,47 milhes de sacasobtidas na safra 2009. Tal crescimento justificado pelo ano de bienalidade positiva,aliado s condies climticas favorveis durante o ciclo da cultura. O maior acrscimo se dar na produo de caf arbica, estimada em 36,72milhes de sacas, o que representa um ganho sobre a safra anterior de 27,2%, (7.958,1mil sacas). Para a produo do conilon (robusta) a previso indica um volume de 11,27milhes de sacas, ou seja, crescimento de 6,3% (666,3 mil sacas). Comparativamente terceira estimativa divulgada no ms de setembro/2010, queindicava uma produo de 47,2 milhes de sacas, observa-se um acrscimo de 1,9% oude 895,9 mil sacas de 60 quilos. Os decrscimos em relao s primeiras estimativas nosEstados do Esprito Santo e da Bahia em funo das baixas precipitaes pluviomtricas,foram compensados pelos ganhos de produtividade nos Estados de Minas Gerias, SoPaulo e Rondnia. A produo dos Estados do Acre, Cear, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Goise Distrito Federal, denominada de outros nas tabelas confeccionadas, representa 1,05%
  • 6. (503,3 mil sacas), com destaque para o Estado de Gois, que no grupo produz 70,8%(356,2 mil sacas).3 - REA CULTIVADA A rea cultivada com a cultura de caf no Pas totaliza 2.289,2 mil hectares,reduo de 26,33 mil hectares em comparao safra anterior, que foi de 2.315,5hectares. Essa rea que deixou de ser cultivada foi ocupada pelas lavouras de cana-de-acar, sobretudo nos Estados de So Paulo e Minas Gerais. rea de caf em produo - comparativamente safra anterior, observa-se umareduo de 0,8% ou de 16.284 hectares, passando de 2.092,9 mil hectares para 2.076,6mil hectares. rea de caf em formao reduo de 4,5% ou de 10.044 hectares, passando de222.612 para 212.568 hectares.4 - INFLUNCIAS CLIMTICAS Em setembro, os baixos ndices pluviomtricos registrados no norte e nordeste deMinas, no oeste e centro-sul da Bahia e no Esprito Santo favoreceram a maturao e ofinal da colheita do caf, cuja qualidade melhorou bastante em funo da diminuio dopercentual de gros verdes na planta. Esse problema ocorreu em funo das sucessivasfloradas no ano passado e conseqente maturao desigual dos frutos. No entanto, a qualidade do produto permaneceu aqum do esperado, devido scondies meteorolgicas ocorridas, durante toda a safra, nas principais regiesprodutoras. O clima mais seco nos meses de agosto e setembro fez com que os grosamadurecessem prematuramente, comprometendo o processo de granao. E, emalguns casos, o longo perodo de estiagem entre os meses de abril a outubro favoreceu oataque de pragas, embora os ndices de produtividade permanecessem prximos damdia. J na regio sul e Zona da Mata em Minas, e em todas as reas cafeeiras de SoPaulo e do Paran, as chuvas registradas na ltima semana de setembro possibilitaram aelevao e a recuperao de parte da umidade no solo e contriburam para estimular oflorescimento da prxima safra. Nas demais regies produtoras de Minas, as chuvas svieram a ocorrer com mais freqncia e intensidade em outubro, favorecendo odesenvolvimento dos cafezais, a induo e o pegamento da florada. A previso para a prxima safra indica que a produtividade no dever ser afetadasomente pela bianualidade negativa do caf, mas devido s fortes estiagens que algumas
  • 7. lavouras sofreram desde o inicio de abril. Muitos cafezais ficaram mais de cinco mesescom volumes de chuvas abaixo da mdia, o que contribuiu para um maior desfolhamentodas plantas. E plantas com baixos ndices de rea foliar tendem a ter baixas produes,devido alta taxa de abortamento de chumbinhos. Entretanto, em novembro, as precipitaes estiveram acima da mdia empraticamente todo o estado de Minas Gerais, no Esprito Santo, no oeste, centro-sul e sulbaianos, o que favoreceu o crescimento de novos ramos e a formao dos frutos. Poroutro lado, na regio central de So Paulo, em parte do norte do Paran e em pontosisolados do sul de Minas, as chuvas ocorreram abaixo da mdia e algumas lavouraspermaneceram com baixos ndices de rea foliar, o que chegou a prejudicar o pegamentodos chumbinhos. Atualmente, as chuvas esto ocorrendo de forma regular em todas asregies produtoras do Sudeste, colaborando tanto para o desenvolvimento e crescimentodas plantas quanto para a expanso dos frutos. Contudo, em algumas regies de MinasGerais, os fortes temporais ocorridos no final de novembro e incio de dezembro, onde emalguns casos houve at queda de granizo, chegaram a destruir algumas lavouras. Para os trs prximos meses, a previso indica maior probabilidade dasprecipitaes ocorrerem acima ou prximas da mdia histrica nas principais regiesprodutoras, o que dever beneficiar o crescimento das lavouras e a formao dos frutos.Entretanto, no Paran, o risco de estiagens maior em funo dos efeitos do fenmenoLa Nia, o que poder abaixar o percentual de umidade disponvel no solo e favorecer oataque de pragas.5 - AVALIAO POR ESTADO5.1 - MINAS GERAIS De forma geral, as condies climticas ocorridas durante esta safra, foramcons