BIREME / OPAS / OMS - Red BVSred.bvsalud.org/wp-content/uploads/2016/07/SeCS... · 1.2 Sobre a BVS...

Click here to load reader

  • date post

    12-May-2020
  • Category

    Documents

  • view

    0
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of BIREME / OPAS / OMS - Red BVSred.bvsalud.org/wp-content/uploads/2016/07/SeCS... · 1.2 Sobre a BVS...

  • BIREME / OPAS / OMS

    Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde

    Metodologia SeCS

    Registro de Títulos e Coleções de Periódicos -

    Manual de Instruções

    Versão 2.3

    São Paulo - Abril 2008

  • Copyright © Abril 2008 - BIREME / OPAS / OMS

    Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções

    É garantida a permissão para copiar, distribuir e/ou modificar este documento sob os termos da

    Licença de Documentação Livre GNU (GNU Free Documentation License), Versão 1.2 ou

    qualquer versão posterior publicada pela Free Software Foundation; sem Seções Invariantes,

    Textos de Capa Frontal, e sem Textos de Quarta Capa. Uma cópia da licença é incluída na seção

    intitulada "GNU Free Documentation License".

    Ficha Catalográfica

    BIREME / OPAS / OMS (Brasil)

    Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções. BIREME / OPAS / OMS. São Paulo : BIREME /

    OPAS / OMS, Abril 2008.

    61 p.

    1. Manual do usuário. 2. Acesso à informação. 3. Sistemas

    de informação. 4. Gerenciamento de informação. 5.

    Saúde Pública. 6. Serviços de saúde. I. BIREME II. Título

    Advertência - A menção a companhias e/ou instituições específicas ou a certos produtos não

    implica que estes sejam apoiados ou recomendados por BIREME / OPAS / OMS, e não significa

    que haja preferência em relação a outros de natureza similar, citados ou não.

    BIREME / OPAS / OMS

    Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde

    Rua Botucatu, 862 - V. Clementino

    Este documento foi produzido com a Metodologia para Normalização de Documentos (NorDoc) desenvolvida pela BIREME.

  • Conjunto de documentos da metodologia

    A série completa é composta de 1 documento, sendo:

    1. Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções

    I

  • Sumário

    Conjunto de documentos da metodologia ................................................................ I Abreviaturas utilizadas ...................................................................................... III Como usar este manual ...................................................................................... V 1 Prefácio ....................................................................................................1

    1.1 Sobre a Bireme ......................................................................................1 1.2 Sobre a BVS...........................................................................................2 1.3 Sobre a Metodologia SeCS..........................................................................3

    2 Obtenção do software...................................................................................5 3 Configuração ..............................................................................................6 4 Entrada de títulos - descrição .........................................................................7 5 Importação de descrição de títulos no Sistema SeCS ........................................... 13 6 Importação de títulos do Catálogo Coletivo Nacional........................................... 16 7 Módulo de recuperação ............................................................................... 17 8 Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos .................................. 23

    8.1 Fascículos ausentes ............................................................................... 29 8.2 Fascículos publicados juntos ou em partes, números avulsos.............................. 30

    9 Geração do catálogo, lista de duplicatas, lista de fascículos ausentes ..................... 35 10 Criação de nova máscara .......................................................................... 38 11 Envio de registros para o catálogo coletivo SeCS............................................. 42 12 Envio de registros para o Catálogo Coletivo Nacional - CCN ............................... 44 13 Cópia de segurança das bases de dados ........................................................ 47 14 Exportação do sistema SeCS para MICROISIS................................................... 48 15 Referências bibliográficas ......................................................................... 52 16 Glossário .............................................................................................. 53

    II

  • Abreviaturas utilizadas

    ANSI. American National Standards Institute [Instituto Nacional Americano de

    Normas].

    ASCII. American Standard Code for Information Interchange [Código Padrão

    Americano para Intercâmbio de Informações].

    BIREME. Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da

    Saúde.

    BVS. Biblioteca Virtual em Saúde.

    CCN. Catalogo Coletivo Nacional.

    ISO. International Organization for Standardization [Organização Internacional

    para Padronização].

    ISSN. International Standard Serial Number [Número Internacional Normalizado

    para Publicações Seriadas].

    LILACS. Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde.

    MEDLINE. Medical Literature Analysis and Retrieval System Online.

    III

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Abreviaturas utilizadas

    OMS. Organização Mundial da Saúde.

    OPAS. Organização Pan-Americana de Saúde.

    SeCS. Seriados em Ciências da Saúde.

    IV

  • Como usar este manual

    Este manual descreve passoa a passo como instalar, configurar e utilizar o programa de Registro

    de Títulos e Coleções de Periódicos (SECS), orientando inclusive o preenchimento dos campos de

    dados.

    Informação sobre a descrição bibliográfica não consta do manual, uma vez que encontra-se

    disponibilizada através da tecla de ajuda (F1) do programa.

    A padronização dos elementos de dados segue normas internacionalmente aceitas, sendo alguns

    elementos padronizados de acordo com as recomendações do ISBD(S) (International Standard

    Bibliographic Description for Serial , IFLA), o que garante controle de qualidade dos dados na

    entrada e na exportação para a base SeCS, uma das fontes de informação da BVS.

    V

  • 1 Prefácio

    1.1 Sobre a Bireme A BIREME cumpre ano após ano sua missão como centro especializado em informação científica e

    técnica em saúde para a região da América Latina e Caribe. Estabelecida no Brasil em 1967, com o

    nome de Biblioteca Regional de Medicina (que originou a sigla BIREME), atendeu desde o

    princípio à demanda crescente de literatura científica atualizada por parte dos sistemas nacionais

    de saúde e das comunidades de pesquisadores, profissionais e estudantes. Posteriormente, em

    1982, passou a chamar-se Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da

    Saúde para melhor expressar as suas funções orientadas ao fortalecimento e ampliação do fluxo de

    informação científica e técnica em saúde em toda a região, mas conservou sua sigla.

    O trabalho em rede, com base na descentralização, no desenvolvimento de capacidades locais, no

    compartilhamento de recursos de informação, no desenvolvimento de produtos e serviços

    cooperativos, na elaboração de metodologias comuns, foi sempre o fundamento do trabalho de

    cooperação técnica da BIREME. É assim que o centro se consolida como um modelo internacional

    que privilegia a capacitação dos profissionais de informação em nível gerencial e técnico para a

    adoção de paradigmas de informação e comunicação que melhor atendam as necessidades locais.

    Os principais fundamentos que dão origem e suporte à existência da BIREME são os seguintes:

    acesso à informação científico-técnica em saúde é essencial para o desenvolvimento da saúde;

    1

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Prefácio

    a necessidade de desenvolver a capacidade dos países da América Latina e do Caribe de operar as fontes de informação científico-técnica em saúde de forma cooperativa e eficiente;

    a necessidade de promover o uso e de responder às demandas de informação científico-técnica em saúde dos governos, dos sistemas de saúde, das instituições de ensino e investigação.

    A BIREME, como centro especializado da Organização Pan-Americana da Saúde

    (OPAS)/Organização Mundial da Saúde (OMS), coordena e realiza atividades de cooperação

    técnica em gestão de informação e conhecimento científico com o objetivo de fortalecer e ampliar

    o fluxo de informação científica em saúde no Brasil e nos demais países da América Latina e

    Caribe como condição essencial para o desenvolvimento da saúde, incluindo planejamento, gestão,

    promoção, investigação, educação e atenção.

    O convênio que fundamenta a BIREME é renovado a cada cinco anos pelos membros do Comitê

    Assessor Nacional da instituição (OPAS, Ministério da Saúde do Brasil, Ministério da Educação e

    Cultura do Brasil, Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e Universidade Federal de São

    Paulo – Unifesp). Esta última oferece a infra-estrutura física necessária ao estabelecimento da

    instituição.

    Em 2004 a instituição assumiu a responsabilidade de tornar-se uma instituição baseada em

    conhecimento.

    1.2 Sobre a BVS Com o surgimento e consolidação da internet como meio predominante de informação e

    comunicação, o modelo de cooperação técnica da BIREME evoluiu, a partir de 1998, para a

    construção e desenvolvimento da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) como espaço comum de

    convergência do trabalho cooperativo de produtores, intermediários e usuários de informação. A

    BVS promove o desenvolvimento de uma rede de fontes de informação científica e técnica com

    acesso universal na internet. Pela primeira vez abre-se a possibilidade real de acesso eqüitativo à

    informação em saúde.

    A BIREME tem a Biblioteca Virtual em Saúde como modelo para a gestão de informação e

    conhecimento, o qual envolve a cooperação e convergência de instituições, sistemas, redes e

    iniciativas de produtores, intermediários e usuários na operação de redes de fontes de informação

    locais, nacionais, regionais e internacionais privilegiando o acesso aberto e universal.

    2

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Prefácio

    Hoje todos os países da América Latina e Caribe (Região) participam direta ou indiretamente dos

    produtos e serviços cooperativos promovidos pela BVS, envolvendo mais de mil instituições em

    mais de 30 países.

    A BVS é simulada em um espaço virtual da internet formada pela coleção ou rede de fontes de

    informação em saúde da Região. Usuários de diferentes níveis e localização podem interagir e

    navegar no espaço de uma ou várias fontes de informação, independentemente de sua localização

    física. As fontes de informação são geradas, atualizadas, armazenadas e operadas na internet por

    produtores, integradores e intermediários, de modo descentralizado, obedecendo a metodologias

    comuns para sua integração na BVS.

    A BVS organiza a informação em uma estrutura que integra e interconecta bases de dados

    referenciais, diretórios de especialistas, eventos e instituições, catálogo de recursos de informação

    disponíveis na internet, coleções de textos completos com destaque para a coleção SciELO

    (Scientific Electronic Library Online) de revistas científicas, serviços de disseminação seletiva de

    informação, fontes de informação de apoio à educação e a tomada de decisão, notícias, listas de

    discussão e apoio a comunidades virtuais.

    O espaço da BVS constitui, portanto, uma rede dinâmica de fontes de informação descentralizada

    a partir da qual se pode recuperar e extrair informação e conhecimento para subsidiar os

    processos de decisão em saúde.

    A Biblioteca Virtual em Saúde é visualizada como a base distribuída do conhecimento científico e

    técnico em saúde registrado, organizado e armazenado em formato eletrônico nos países da

    Região, acessível de forma universal na internet de modo compatível com as bases internacionais.

    1.3 Sobre a Metodologia SeCS A metodologia SeCS foi desenvolvida pela BIREME para o controle automatizado de coleções de

    publicações periódicas.

    Esta metodologia é utilizada na Rede Latino-Americana e do Caribe de Informação em Ciências da

    Saúde para o controle dos acervos de seus centros integrantes, bem como para manutenção do

    Catálogo Regional de Publicações Periódicas na área de saúde.

    3

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Prefácio

    O programa efetua o controle das coleções de publicações periódicas utilizando três bases de dados

    no formato CDS/ISIS:

    TITLE – contém a descrição dos títulos de publicações periódicas;

    FACIC – contém a descrição de cada um dos fascículos das publicações periódicas;

    MASK – contém a descrição das máscaras que indicam a numeração dos fascículos.

    4

  • 2 Obtenção do software

    O sistema SeCS pode ser obtido a partir do site do Modelo da BVS

    (http://bvsmodelo.bvsalud.org/php/index.php?lang=pt), grupo de programas "Família ISIS".

    Execute o arquivo baixado e siga as instruções da tela.

    5

    http://bvsmodelo.bvsalud.org/php/index.php?lang=pt

  • 3 Configuração

    Desde a versão 2.1 o Sistema SeCS pode ser executado com menor quantidade de memória

    convencional disponível, porque utiliza a memória alta dos microcomputadores.

    Entretanto, é necessário fazer ajustes de acordo com o ambiente operacional. Para o Windows 98 o

    arquivo a ser alterado é o CONFIG.SYS enquanto para o Windows 2000 (ou XP) é o arquivo

    CONFIG.NT. Para ambos a configuração deve ser a seguinte:

    BUFFERS=99 FILES=99

    6

  • 4 Entrada de títulos - descrição

    O primeiro processo a ser feito no sistema SeCS é o registro dos títulos das revistas da coleção da

    biblioteca.

    Todos os títulos registrados serão armazenados na base de dados do sistema SeCS, chamada

    TITLE.

    O registro bibliográfico dos títulos é feito no módulo Bases de Dados, na opção Títulos/Novo

    Título:

    O registro bibliográfico do título é feito por partes. A primeira tela, solicita o número de

    identificação da revista (caso a biblioteca não adote nenhum número de identificação da revista

    7

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Entrada de títulos - descrição

    em sua coleção, pode se usar o critério de número seqüencial), título da revista, menção de

    responsabilidade e título abreviado. Use a opção F1- Ajuda para ter explicações sobre o

    conteúdo do campo, exemplos de preenchimento, etc.

    Considerando como exemplo a Revista Brasileira de Psiquiatria, temos assim a primeira

    tela do registro da revista:

    Informações complementares do título são, por exemplo, título anterior, mudança do título, se o

    título tem seção, parte, etc.

    Seguindo a mesma revista como exemplo, como há uma informação complementar (a revista é

    continuação de outra), selecionando a opção SIM e o sistema abre a primeira tela para

    informações complementares:

    8

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Entrada de títulos - descrição

    Todos os campos possuem a opção F1-Ajuda que orienta o preenchimento correto. Para a revista

    do exemplo, nesta tela não há nada a ser preenchido.

    Passando para a segunda parte de informações complementares, temos os seguintes campos:

    A revista do exemplo considerado é continuação de outro título, como está informado no campo

    correspondente. Neste exemplo é importante destacar que no sistema SeCS deverá existir um

    registro para a revista anterior, que no caso é "Revista ABP-APAL", cujo campo continuado

    por estará preenchido com o título "Revista Brasileira de Psiquiatria".

    A próxima tela contém outros campos de descrição bibliográfica da revista, tais como:

    Editor - se for o mesmo da entidade responsável, não precisa preencher

    Cidade, país e estado onde a revista é publicada (o estado só é informado quando for Brasil.

    ISSN - é o número internacional da revista (deve ser informado no formato correto).

    Situação da publicação - não é situação da coleção da revista na biblioteca, mas sim se a revista

    é corrente ou encerrada.

    9

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Entrada de títulos - descrição

    Ano/volume/fascículo inicial da revista - não é o primeiro ano/volume/fascículo da coleção

    da revista na biblioteca, mas sim o primeiro ano/vol/fasc publicado pela revista.

    Ano/volume/fascículo final da revista - somente no caso da revista estar encerrada, também

    não é a informação do último fascículo da revista na coleção da biblioteca, mas sim informação do

    último fascículo publicado.

    Freqüência da revista - se a revista teve mais de uma freqüência, deve ser informada a

    freqüência dos primeiros fascículos publicados.

    Idioma de publicação dos artigos da revista - é possível selecionar mais de um idioma.

    Todos os campos possuem a opção F1-Ajuda que orienta no preenchimento correto.

    Alguns campos possuem um índice com as opções possíveis de serem selecionadas. O índice é

    indicado com [F2]. Para abrir o índice destes campos é necessário usar a tecla F2.

    Por exemplo, ao marcar a tecla do campo Idioma do resumo, o sistema mostra o seguinte

    índice:

    10

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Entrada de títulos - descrição

    Alguns índices permitem a seleção de mais de uma opção, como por exemplo o índice do campo

    idioma do texto da revista. A seleção da(s) opção(ões) deve(m) ser com a . A

    opção selecionada fica iluminada. Para finalizar a seleção use a tecla .

    A próxima e última tela da descrição bibliográfica do título da revista, contém os seguintes

    campos: sistemas relacionados (é onde se indica para qual catálogo coletivo a biblioteca coopera

    com sua coleção. A revista do exemplo é uma revista LILACS e por esta razão as bibliotecas

    cooperantes do catálogo coletivo SECS deverá indicar neste campo o nome do catálogo); Número

    SeCS (é o número de identificação da revista no catálogo coletivo SECS e deve ser preenchido

    quando a revista pertence a este catálogo. Este número é conhecido consultando o catálogo

    coletivo SECS no cd-rom LILACS ou através da página web da BIREME); descritor (é o assunto da

    revista); índice de cobertura (onde a revista é indexada); prioridade de aquisição da revista (para a

    biblioteca) e forma de obtenção da revista (como a biblioteca obtém a revista, se através de

    compra, doação, permuta, etc).

    11

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Entrada de títulos - descrição

    Alguns campos possuem um índice com as opções possíveis de serem selecionadas. O índice é

    indicado com [F2]. Para abrir o índice destes campos é necessário usar a tecla F2.

    Por exemplo, ao marcar a tecla do campo Forma de Obtenção, o sistema mostra o

    seguinte índice:

    Deve ser selecionada a opção que for o caso com a tecla .

    12

  • 5 Importação de descrição de títulos no Sistema SeCS

    O sistema permite a importação de descrição de títulos de revistas do Catálogo Coletivo Nacional

    do IBICT e do Catálogo coletivo SeCS - Seriados em Ciências da Saúde (disponível no CD-Rom

    LILACS da BIREME). O Catálogo coletivo SeCS tem cerca de 4.000 títulos, cujas descrições

    podem ser importadas no sistema SeCS, evitando assim duplicação de esforços.

    • Procedimento de exportação a partir do catálogo coletivo SeCS: 1.

    2.

    A partir do CD-Rom LILACS, catálogo coletivo SeCS: a) Selecione através de pesquisa os títulos que fazem parte da coleção de sua Biblioteca.

    Proceda a pesquisa como de costume, mas se preferir use o índice para facilitar a busca.

    b) Uma vez recuperados os títulos, a partir da visualização do resultado da pesquisa, escolha a opção Imprime/Grava. Antes de gravar, mude o formato para o formato “ISO de exportação de títulos” e, na função altere os parâmetros: indique o nome do arquivo de gravação. Grave o arquivo de exportação em um disquete ou em outro drive/diretório que seja possível acessar a partir do diretório onde está instalado o sistema SeCS (exemplo: A:titulo.iso). Uma vez selecionado o formato e indicado o arquivo de gravação, confirme a opção “grava todos os títulos”.

    A partir do Portal de Revistas Cientificas : a) No Portal de Revistas Científicas da BVS, faça uma pesquisa, para recuperar o(s) título(s)

    que estiver(em) sendo buscado(s).

    b) A partir do item INFO que aparece para cada título recuperado e mostrado na tela de apresentação do resultado da pesquisa, clique na opção GRAVAR ISO que aparece no canto superior direito da página.

    13

    http://portal,revistas.bvs.br/

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Importação de descrição de títulos no Sistema SeCS

    A geração do arquivo ISO de exportação é um processo individual para cada título. Repita o

    processo para cada título buscado.

    A partir do Sistema SeCS, processe a importação do arquivo – Opção tíítulo/importação de título.

    • Procedimento de importação no sistema SeCS:

    A partir do sistema SeCS, módulo Bases de Dados, opção Títulos / Importação de títulos:

    O sistema abre uma janela onde deve ser indicado o nome do arquivo a ser importado, o formato e

    o tamanho do arquivo. Exemplo: arquivo titulo.iso que está em disquete:

    Onde:

    Nome do arquivo de importação: deve ser indicado o nome do arquivo e o caminho onde

    está o arquivo a ser importado. Exemplo: A:titulo.iso

    Formato IBICT: Digite 1 se o arquivo a ser importado é do CCN - Catálogo Coletivo Nacional

    (formato IBICT). Digite 0 se o arquivo a ser exportado é do catálogo coletivo SeCS ou de outra

    base diferente do CCN.

    Linhas de tamanho fixo: Normalmente os arquivos de exportação são sem tamanho fixo.

    Digite sempre 0 (zero). Em caso de algum problema na importação, tente fazer com o formato

    fixo, digitando 1 (hum).

    14

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Importação de descrição de títulos no Sistema SeCS

    O processo de importação é automático e o sistema faz a verificação de títulos duplicados. Ao

    localizar um título duplicado, o sistema pergunta se o título em questão deve ser incluído na base

    de títulos sem substituir ou se deve substituir o anterior.

    Qualquer problema na identificação do arquivo o sistema aborta a operação. Verifique se o nome

    do arquivo e caminho estão corretos e refaça o processo.

    Uma vez finalizada a importação, os títulos estarão no sistema SeCS. No módulo de recuperação,

    recupere os títulos importados, faça as alterações que forem necessárias e registre as coleções

    correspondentes, um por um.

    15

  • 6 Importação de títulos do Catálogo Coletivo Nacional

    Solicite à coordenação do Catálogo Coletivo Nacional, no IBICT, a geração de um arquivo de

    exportação com todos os títulos de sua biblioteca neste catálogo. Somente os dados de títulos

    poderão ser importados no sistema SeCS. O sistema SeCS não aceita a importação de dados de

    coleção.

    Importe o arquivo do CCN no sistema SeCS: no módulo base de dados, opção Títulos/Importação

    de Títulos, indique o nome do arquivo, formato 1 (que indica o formato IBICT) e tamanho fixo 0

    (sem tamanho fixo). Siga as instruções do item anterior.

    Dependendo da base de origem dos dados, após a importação, alguns campos precisam ser

    editados. Para fazer a edição de títulos, a partir do módulo de recuperação, recupere o(s) título(s)

    importado(s) e faça a edição que for necessária. Nos próximos itens deste manual está a explicação

    de como recuperar e fazer edição de um registro de título.

    16

  • 7 Módulo de recuperação

    A partir do módulo de recuperação é possível entrar no registro dos títulos para fazer edição de

    campos da descrição bibliográfica, deletar títulos, gerar listas/relatórios e registrar fascículos

    (coleção).

    Há duas maneiras de recuperar títulos: através do número de MFN, que é o número seqüencial de

    entrada dos títulos no sistema, e através de pesquisa.

    A recuperação por MFN pode ser a partir da indicação de um intervalo de números ou, deixando

    em branco o MFN inicial e final, o sistema recupera todos os títulos registrados no sistema.

    17

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Módulo de recuperação

    Neste exemplo, através da recuperação por MFN (deixando em branco o MFN inicial e final), o

    sistema recuperou todos os títulos registrados no sistema (que no exemplo são 638). A ordem de

    apresentação da lista é por entrada no sistema (ordem crescente do número de MFN). Veja a

    forma que o sistema apresenta a lista com os títulos recuperados:

    A recuperação por pesquisa tem várias opções, entre as quais buscar por um título de revista

    específico, por uma palavra do título, pelo número de ISSN, entre outras.

    18

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Módulo de recuperação

    Por exemplo: para recuperar a revista cujo título é "revista brasileira de psiquiatria",

    podemos digitar o nome da revista, podemos digitar somente uma das palavras ( psiquiatria )

    ou ainda digitar parte do título usando o recurso de truncamento $ ( revista brasilei$ ).

    Veja exemplo:

    Ou, a pesquisa usando o recurso de truncamento, com o $ :

    A opção de recuperação por pesquisa também dispõe de um índice. A tecla abre o índice

    único que inclui palavras do título da revista, título completo, ISSN, entidade responsável, entre

    outros campos do registro.

    Veja um exemplo do índice. Ao marcar o sistema abre o índice no seu início:

    19

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Módulo de recuperação

    Para localizar um título ou uma palavra específica no índice, a opção é digitar o que se quer

    localizar. Também pode andar no índice usando as setas.

    Por exemplo, para encontrar o título revista brasileira de psiquiatria no índice, podemos

    digitar a primeira palavra, que é revista. Veja exemplo:

    Com um o sistema busca no índice e posiciona o cursor no item encontrado com a

    palavra revista. Veja a continuação do exemplo:

    20

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Módulo de recuperação

    Para selecionar a partir do índice, use a . O sistema aceita a seleção de um

    ou mais itens do índice.

    Selecionando com o item "revista brasileira de psiquiatria", o sistema

    transfere para a área de expressão de pesquisa. Confirme a pesquisa com .

    O sistema mostra a lista com o(s) título(s) recuperados através da pesquisa. Veja exemplo:

    A partir da lista dos títulos recuperados, seja recuperação por MFN ou por pesquisa, as principais

    opções são as seguintes:

    F4 - Mostra Título

    O sistema mostra o registro do título no formato curto, mas há outros formatos disponíveis:

    formato catálogo, longo e total. Para mudar formato use a tecla .

    21

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Módulo de recuperação

    Espaço - - edita títulos

    Esta opção permite a edição dos campos do registro bibliográfico do título. Ao teclar a o sistema abre o registro do título correspondente. Localize o(s) campo(s) a serem

    corrigidos e proceda da mesma forma da opção de novo título.

    DEL - tecla - deleta o registro do título

    Ao clicar na tecla DEL o sistema pede confirmação para eliminar o registro correspondente ao

    título. Só é possível deletar um título por vez. Veja um exemplo:

    Para confirmar a operação use a tecla , e o título mostrado será eliminado.

    Importante: o número MFN do título eliminado não será reutilizado pelo sistema.

    - Edita fascículos

    Esta opção é usada para o registro dos fascículos (coleção) de determinado título de revista, como

    está explicado no próximo item deste manual.

    22

  • 8 Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    No módulo “Recuperação” recupere o título da revista correspondente à coleção que será

    registrada.

    Veja um exemplo, recuperando o título "revista brasileira de psiquiatria":

    Uma vez recuperada o título da revista, a opção para a entrada de coleção é “Editar

    Fascículos”.

    23

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    Para registrar os fascículos, é necessário selecionar uma “máscara” que corresponda à

    periodicidade da revista, numeração de volumes, fascículos, etc. Para ver explicação sobre uma

    máscara, tecle Mostra Máscara.

    Por exemplo:

    B1V6F - títulos com periodicidade Bimestral, com 1 volume por ano e cada volume com 6

    fascículos (numerados de 1 a 6).

    B1V6F+ - títulos com periodicidade Bimestral, com 1 volume por ano e cada volume com 6

    fascículos, com numeração crescente dos fascículos (v1 - fascículos de 1 a 6, v2 - fascículos de 7 a

    12, v.3 - fascículos de 13 a 18, e assim por diante).

    Q2V2F - títulos com periodicidade trimestral, com 2 volumes por ano e cada volume com 2

    fascículos (numerados de 1 a 2, ou seja: v.1 - fascículos 1 e 2; v.2 - fascículos 1 e 2; e assim por

    diante).

    O sistema já inclui uma base de dados de máscaras para atender a maioria das periodicidades.

    Entretanto, pode ser necessária a criação de uma máscara para atender à uma periodicidade não

    considerada previamente. Veja o item sobre criação de nova máscara, deste manual.

    Uma vez identificada a máscara correspondente à periodicidade da revista em questão, selecione a

    máscara com . Em caso da coleção da revista ter mais de uma periodicidade no longo de

    sua existência, para iniciar deve-se considerar a primeira periodicidade da revista. Para o registro

    de uma coleção podemos usar mais de uma máscara, mas uma de cada vez.

    Supondo que a periodicidade inicial da revista em questão é semestral, com 1 volume por ano e

    cada volume com 2 fascículos (numerados sempre de 1 a 2).

    A máscara selecionada deve ser: F1V2F

    24

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    Antes de confirmar a seleção da máscara, use a tecla F3 para ver a explicação da máscara. O

    usuário não tem a obrigação de saber todos os códigos das máscaras usadas no Sistema.

    Veja a explicação da máscara F1V2F:

    A informação INFINITO quer dizer que a numeração segue crescente, e FINITO quer dizer que é

    uma numeração fixa que se repete a cada ano, no exemplo, será sempre 1 e 2.

    Se a máscara foi identificada corretamente, selecione com :

    25

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    O primeiro fascículo gerado, corresponderá ao primeiro fascículo editado pela Revista em questão

    (esta informação está no registro bibliográfico de descrição do título, é o campo

    ano/volume/fascículo inicial editado pela revista). Não necessariamente a coleção da Biblioteca

    também inicia no primeiro fascículo editado pela revista. Considerando que sua coleção inicie em

    outro ano, por exemplo no ano 1995, volume 5, é necessário fazer edição da primeira linha.

    Para editar uma linha o comando usado é . Para editar uma linha o sistema

    abre uma janela com os campos possíveis de serem editados. Como exemplo será editado o ano, o

    volume e o fascículo:

    Edite a primeira linha (ano/volume/fascículo) e passe em frente com a tecla até voltar à

    planilha normal de entrada da coleção.

    26

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    Veja que a primeira linha foi editada e agora corresponde ao início da coleção usada como

    exemplo.

    Importante: mesmo que a biblioteca não possua o primeiro fascículo do ano de início de sua

    coleção, o primeiro fascículo deve ser gerado e depois assinalado como AUSENTE.

    (mais a frente será explicado a marcação de fascículos ausentes da coleção)

    Para gerar os próximos fascículos o comando é < ENTER>. O sistema obedece a máscara para a

    geração dos próximos fascículos.

    Entretanto, há um comando que permite a geração de vários anos da coleção de forma automática:

    pressione simultaneamente as teclas . Indique até que ano deve ser gerada a

    coleção.

    Importante: a coleção será gerada considerando a periodicidade indicada pela última máscara

    indicada. Portanto, considerando como exemplo que a revista em questão seguiu com esta

    periodicidade até o ano de 1997 e que em 1998 houve uma mudança de periodicidade, passando a

    ser bimestral, vamos gerar automaticamente os fascículos somente até o primeiro fascículo de

    1998, que é quando houve a mudança. Veja o exemplo:

    27

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    Ao confirmar, teremos a coleção gerada até o primeiro fascículo de 1998.

    Se considerarmos, como exemplo, que a partir de 1998 a revista passou a ser Bimestral, com 1

    volume por ano e com 6 fascículos por volume (de 1 a 6 - finito), será necessário mudar a máscara

    antes de continuar gerando novos fascículos. O comando para mudar máscara é F4 e a nova

    máscara que deve ser selecionada é B1V6F.

    28

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    Ao selecionar a máscara, o sistema passará a considerar a nova máscara para a geração dos

    próximos fascículos, seja usando o para geração de fascículo por fascículo, seja usando a

    função para geração automática de fascículos.

    8.1 Fascículos ausentes Para marcar os fascículos ausentes da coleção referente ao título, posicione o cursor na linha do

    fascículo a ser alterado e tecle a letra . O sistema mudará da situação P de presente para a

    situação A de ausente. O contrário também está disponível: digite a letra P para trocar de A para

    P.

    Considerando por exemplo, que a coleção da revista em questão tem ausente o fascículo 1 do

    volume 5 e o fascículo 2 do volume 7. Para fazer a marcação, posicione o cursor na linha do

    fascículo ausente, um por vez, e digite a letra A . Veja na tela abaixo que o sistema

    automaticamente muda a situação do fascículo de PRESENTE (P) para AUSENTE (A). O

    inverso também é possível, de AUSENTE pode passar para PRESENTE digitando a letra P.

    29

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    Para mover o cursor mais rápido pela lista de fascículos, digite um determinado ano e o sistema

    posiciona o cursor no primeiro fascículo correspondente ao ano digitado. Este recurso deve ser

    usado em se tratando de grandes coleções, para agilizar o movimento do cursor.

    ! Ao finalizar a geração de fascículos, tecle para gravar e salvar. 8.2 Fascículos publicados juntos ou em partes,

    números avulsos

    Para o registro de fascículos publicados juntos ou em partes, suplementos, índices, etc, não

    considerados na máscara, é necessário usar os seguintes comandos de edição:

    INS - Insere Fascículo - Tecla - para incluir uma linha adicional na planilha de

    entrada da coleção

    DEL - Elimina Fascículo - Tecla - para eliminar uma linha da planilha de entrada da

    coleção

    ESPAÇO - Tecla Editar Linha - para editar os dados do fascículo

    correspondente

    30

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    Considerando por exemplo que em 1996, no volume 6, a revista publicou o fascículo 1 e 2 juntos,

    representados como 1/2. Inicialmente vamos posicionar o cursor no fascículo 1 do volume 6 para

    que seja feita a edição. Para editar a linha, o comando é . Na janela de edição

    deve ser feita a alteração no número do fascículo 1 para 1/2. Veja a tela abaixo:

    Continuando a alteração, o fascículo 2 do volume 6 deve ser eliminado. Posicione o cursor no

    fascículo a ser eliminado e marque a tecla .

    O fascículo 2 será eliminado com a tecla .

    31

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    ! Aofinalizar a edição dos fascículos, tecle para gravar e salvar. Considerando um outro exemplo, como a publicação de um suplemento, no fim do ano de 1995.

    Neste caso será necessário incluir uma linha na planilha de entrada de coleção, usando a tecla

    . O sistema insere uma linha acima da linha onde o cursor está posicionado.

    Veja a tela já com a linha inserida:

    32

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    O sistema insere a linha com volume e fascículo em branco. É necessário editar a linha incluindo a

    informação do suplemento que estamos inserindo. Considerando que é o Suplemento indicado

    como S1, veja como deve ficar a edição da linha:

    No caso de números especiais, suplementos, partes, índices, deve-se indicar o TIPO de fascículo

    que está sendo incluído. Este campo dispõe de um índice com as opções. No exemplo foi

    selecionada a opção S de suplemento para o tipo.

    Veja como fica a planilha de entrada de coleção com o suplemento incluído:

    Uma vez finalizada a edição, confira a entrada dos dados de coleção usando a opção Mostra

    Coleção. Esta opção mostra os fascículos registrados no formato de catálogo. Observe que

    fascículos avulsos (suplementos, partes, índices, etc) são mostrados separados, no final da coleção

    normal. Veja a tela:

    33

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de Instruções Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos

    Se está correta a entrada de dados de fascículos, finalize a operação gravando, com a tecla .

    Para gerar novos fascículos que forem chegando na biblioteca, o processo deve ser o seguinte:

    • Recupere o título da revista - módulo recuperação; • Com o título recuperado, tecle para editar fascículo - o sistema vai entrar na planilha

    da coleção;

    • A partir da planilha de entrada de fascículos, tecle para gerar o próximo fascículo; e • Antes de sair, para salvar.

    34

  • 9 Geração do catálogo, lista de duplicatas, lista de fascículos ausentes

    O sistema SeCS permite a geração de listas de revistas específicas, listas de duplicatas, lista de

    fascículos ausentes, o próprio catálogo, etc.

    Esta opções são definidas por formatos, sendo necessário somente recuperar os títulos que se quer

    incluir nas listas/catálogo e selecionar o formato para geração das mesmas.

    Por exemplo:

    • Gerar o catálogo da biblioteca, incluindo todas as revistas/fascículos registrados sem exceção: 1. recupere todas as revistas, por MFN (deixando em branco MFN inicial e final). 2. a partir da lista de títulos recuperados, a tecla Imprime/Grava. O sistema mostra a

    tela com os últimos parâmetros definidos, que no exemplo é todos os registros, com formato curto e nome do arquivo. No exemplo foi indicado como nome do arquivo a ser gerado: catalogo.lst

    35

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Geração do catálogo, lista de duplicatas, lista de fascículos

    ausentes

    Para alterar os parâmetros da lista ou da gravação, como por exemplo alterar o formato, a tecla

    usada é . Selecione o formato desejado. No exemplo vamos selecionar o formato catálogo.

    O arquivo será gerado e gravado em formato de catálogo, e o nome do arquivo será catalogo.lst,

    como indicado. Neste caso o arquivo será gravado dentro do diretório onde está instalado o

    sistema SeCS. Entretanto, pode-se indicar caminho/diretório diferente, como por exemplo a

    unidade de disquete.

    • Gerar a lista de fascículos ausentes, incluindo todas as revistas/fascículos registrados sem exceção: 1. recupere todas as revistas, por MFN (deixando em branco MFN inicial e final).

    36

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Geração do catálogo, lista de duplicatas, lista de fascículos

    ausentes

    2. a partir da lista de títulos recuperados, a tecla Imprime/Grava. O sistema mostra a tela com os últimos parâmetros definidos. Indique um nome/caminho para o arquivo que será gerado (por exemplo: ausentes.lst).

    3. altere parâmetros indicando o formato fascículos ausentes.

    O arquivo será gerado e gravado em formato de fascículos ausentes, e o nome do arquivo será

    ausentes.lst, como indicado no exemplo. Este arquivo pode ser aberto em qualquer editor de

    texto, tipo word, wordpad, etc.

    • Gerar a lista de fascículos duplicados, incluindo todas as revistas/fascículos registrados sem exceção: 1. recupere todas as revistas, por MFN (deixando em branco MFN inicial e final). 2. a partir da lista de títulos recuperados, a tecla Imprime/Grava. O sistema mostra a

    tela com os últimos parâmetros definidos. Indique um nome/caminho para o arquivo que será gerado.

    3. altere parâmetros indicando o formato fascículos duplicados.

    O processo é igual ao item anterior, o que muda é somente o formato.

    37

  • 10 Criação de nova máscara

    Uma máscara é o que representa a periodicidade de publicação de fascículos de uma revista, assim

    como a quantidade de volumes e fascículos no período de um ano. O Sistema já dispõe de uma

    base de dados de máscaras pré-definidas. Entretanto, é possível a criação de novas máscaras, no

    caso de não identificação de uma máscara que represente a periodicidade de uma determinada

    coleção.

    A opção de criar nova máscara está em Bases de Dados/Máscaras.

    Primeiramente selecione a opção Bases de Dados/Máscaras. O sistema vai mostrar uma lista

    com as máscaras pré-definidas:

    38

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Criação de nova máscara

    A partir desta tela, as principais opções são as seguintes:

    Espaço - - Edita máscara - função usada para fazer edição em uma

    máscara pré-definida. A edição pode ser tanto na nota de explicação da máscara, no código de

    identificação da máscara quanto na representação gráfica dos volumes/fascículos. Uma máscara

    somente poderá ser editada se não estiver sendo usada para a descrição de coleção de uma revista.

    Del - - Elimina máscara - função usada para eliminar uma máscara do banco de

    dados. Uma máscara somente poderá ser eliminada da base de dados se não estiver sendo usada

    para a descrição de coleção de uma revista.

    Nova Máscara - função usada para a criação de uma nova máscara.

    Como exemplo, vamos criar uma máscara para representar uma periodicidade irregular, com 3

    volumes por ano e cada volume com 5 fascículos (numerados de 1 a 5).

    Esta é a primeira parte de definição da máscara, que é a representação dos volumes/fascículos do

    período de 1 ano de publicação da revista. A partir desta tela, as principais opções são as seguintes:

    - cria nova linha

    - insere linha

    - deleta linha

    - Copia/Mostra máscara - esta opção permite a cópia de uma representação de

    volumes/fascículos de uma máscara já existente no banco de dados. Esta função facilita a criação

    da nova máscara e deve ser usada.

    39

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Criação de nova máscara

    Usando a opção F4, selecione uma máscara que mais se aproxima da máscara que está sendo

    criada (irregular, com 3 volumes e 5 fascículos por volume). No exemplo, será selecionada uma

    máscara com periodicidade irregular, com 3 volumes por ano e cada volume com 6 fascículos.

    Selecione a máscara a ser copiada com . O Sistema copia a representação dos

    volumes/fascículos e permite a partir daí a edição, inclusão e/ou eliminação de linhas para

    adequar a representação à máscara que está sendo criada.

    No caso do exemplo, a nova máscara deve ter 3 volumes, com 5 fascículos por volume (de 1 a 5).

    Então, considerando a máscara copiada, será necessário eliminar as linhas correspondentes aos

    40

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Criação de nova máscara

    fascículos de número 6. O comando para eliminar é . Uma vez excluídos os fascículos

    que estavam a mais, tecla PRONTO para finalizar esta etapa de representação gráfica dos

    volumes/fascículos.

    A próxima etapa de criação da máscara inclui:

    • Marcação da seqüência dos volumes e fascículos: FINITO - para seqüência fixa, e INFINITO para seqüência crescente;

    • Nota de explicação da máscara: deve ser objetiva, incluir a periodicidade, a quantidade de volumes por ano e a quantidade de fascículos por volume, além de explicitar a seqüência;

    • Nome da máscara: deve ser usado o mesmo sistema de codificação do sistema para facilitar a identificação de uma máscara no momento do registro de coleções: primeiro a letra que identifica a periodicidade, segundo a quantidade de volumes por ano e por último a quantidade de fascículos por volume. O sinal de + deve ser usado para indicar uma seqüência INFINITA de fascículos.

    Preencha corretamente os campos e a nova máscara estará criada, pronta para ser utilizada no

    registro de coleções.

    As letras indicadas para especificar a periodicidade de uma coleção são as seguintes:

    41

  • 11 Envio de registros para o catálogo coletivo SeCS

    Todos os títulos de revistas indexados nas bases de dados MEDLINE e LILACS

    interessam para o Catálogo Coletivo SeCS. Estes títulos devem estar identificados dentro do

    sistema, no campo “número SeCS”, com o número correspondente e no campo “sistemas

    relacionados” com a sigla SeCS.

    Para envio regular dos registros para o catálogo coletivo SeCS, selecione a opção Base de

    Dados/Envio para SeCS e indique um nome/caminho para o arquivo a ser gerado, SEM

    EXTENSÃO. Por exemplo, para gravar em disquete, unidade A, nome do arquivo ENVIO.

    42

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Envio de registros para o catálogo coletivo SeCS

    ! O sistema vai gerar dois arquivos: um com a extensão .001 e outro com a extensão .002 . Os dois arquivos devem ser enviados a BIREME, por e-mail ou por correio em disquete ou cd-rom.

    No exemplo, serão gerados os arquivos envio.001 e envio.002

    Os arquivos também podem ser enviados a BIREME por FTP:

    Máquina: Login: secs Password: s3c52003 Diretorio: secs

    Subdiretorio: Mensal (colocar os arquivos dentro do código correspondete de de sua Instituição)

    Depois do envio dos arquivos por FTP, por favor envie um e-mail para

    informando sobre o envio dos arquivos.

    ! O envio mensal das coleções para a Bireme não caracteriza Backup que deve ser feito localmente pelo administrador da coleção local.

    43

    ftp://ftp.bireme.br/

  • 12 Envio de registros para o Catálogo Coletivo Nacional - CCN

    Se um título é CCN, no campo “Código Nacional”, deve estar informado o “SIPS” do título, e no

    campo “Sistemas Relacionados” deve estar informado “CCN”.

    Exemplo de um título CCN:

    Um mesmo título pode ser CCN e SeCS ao mesmo tempo. Neste caso o campo “Sistemas

    Relacionados” estaria preenchido da seguinte forma: CCN%SECS e o campo “Número SeCS”

    estaria preenchido com o número SeCS.

    44

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Envio de registros para o Catálogo Coletivo Nacional - CCN

    Para recuperar todos os títulos CCN, entre no módulo de “Recuperação” opção “Pesquisa” e

    digite “CN=$” (onde CN representa o código do campo número SIPS; e $ é o sinal de

    truncamento de um termo).

    Supondo que o sistema recuperou uma lista de títulos, a partir desta lista selecione a opção envio

    e a opção “Catálogo Coletivo Nacional”. Em seguida indique o código de sua Biblioteca

    no CCN sem hífen e o nome para o arquivo que vai ser gerado, sem extensão. Se preferir

    direcione o arquivo para a unidade de disquete (exemplo: A:titu0196)

    45

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Envio de registros para o Catálogo Coletivo Nacional - CCN

    O sistema vai gerar dois arquivos com o nome indicado, mas com extensões diferentes. Ao

    finalizar o processo, envie os dois arquivos para o IBICT/CCN. Os arquivos gerado estão dentro do

    formato autorizado pela Coordenação do CCN.

    46

  • 13 Cópia de segurança das bases de dados

    O sistema SECS trabalha com 3 bases de dados:

    TITLE - que contém a descrição bibliográfica dos títulos das revistas

    FACIC - que contém a descrição da coleção - os fascículos

    MASK - que contém as máscaras pré-definidas e as criadas pelo usuário

    Estas bases de dados - MASK, FACIC e TITLE - ficam armazenadas no subdiretório chamado

    BASES. Este diretório deve ser copiado, periodicamente, de preferência em disquete. É a cópia de

    segurança do sistema. Use o procedimento de backup adotado por sua instituição.

    Importante: Quando houver necessidade de reinstalar o Sistema SeCS, as Bases de Dados já

    inicializadas são protegidas. O usuário não perde nenhum dado das bases de dados TITLE, FACIC

    e MASK.

    47

  • 14 Exportação do sistema SeCS para MICROISIS

    O sistema SeCS gera uma base de dados CATAL (Catálogo), no subdiretório também chamado

    CATAL.

    Para ler esta base via MICROSIS, siga o seguinte procedimento:

    1. 2.

    Instalar o MICROISIS Criar ou editar o arquivo CATAL.PAR no subdiretório ISIS\DATA com a indicação do caminho onde está a base de dados CATAL no sistema SeCS. Considerando que o seu Sistema SeCS esteja instalado no diretório SECS, o arquivo CATAL.PAR deve ter o seguinte conteúdo:

    1=c:\secs\catal\ 2=c:\secs\catal\

    3=c:\secs\catal\ 4=c:\secs\catal\ 5=c:\secs\catal\

    6=c:\secs\catal\ 7=c:\secs\catal\ 8=c:\secs\catal\ 9=c:\secs\catal\

    10=c:\secs\catal\

    Crie ou edite este arquivo em um editor de texto tipo EDIT, por exemplo.

    Salve o arquivo.

    48

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Exportação do sistema SeCS para MICROISIS

    3.

    4.

    No sistema SeCS, recupere todos os títulos registrados e grave em um arquivo de exportação de título e coleção (ISO). Exemplo: catal.iso A partir do MICROISIS, selecione a opção M - Backup e intercâmbio de dados;

    Nome da Base de Dados: CATAL

    Processador ISISXCH Backup e intercâmbio de dados Menu PXCH--------------------------------------------------------------------------------

    Opçäo >>> B - Backup do arquivo mestre R - Restaura arquivo mestre C - Reorganiza arquivo mestre

    I - Importa arquivo E - Exporta arquivo

    X - Volta ao menu anterior

    Base Dados: CATAL Formulário: CATALUltimo MFN: 49 Formato : CATAL Micro CDS/ISIS - Ver. 3.07 (c)Unesco 1993

    Selecione a opção: I - Importa arquivo

    Processador ISISXCH Intercâmbio de dados - Importaçäo Menu PYISO-------------------------------------------------------------------------------- Nome da base CATAL_

    +------------------------ Parâmetros do arquivo ISO ---------------------------+¦ ¦¦ Nome do arquivo catal. ISO___ Delimitador de campo # ¦¦ Delimitador de registro # ¦+------------------------------------------------------------------------------+

    +------------------------------ Opçöes da importaçäo --------------------------+¦ ¦¦ MFN inicial 1_____ ou MFN assinalado no campo nº _____ ¦¦ ¦¦ Load/Merge/Update U ¦+------------------------------------------------------------------------------+

    +------------------------- Parâmetros de reformataçäo -------------------------+¦ ¦¦ Reformata pela FST __________ Arquivo de conversäo Gizmo __________ ¦+------------------------------------------------------------------------------+

    Substitui Ultima página

    49

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Exportação do sistema SeCS para MICROISIS

    5.

    No nome do arquivo, digite da forma como você nomeou o arquivo de exportação iso gerado no

    sistema SeCS. Exemplo: catal.iso

    OBS.: O MICROISIS pede depois o caminho do arquivo (drive e diretório)

    Gere o arquivo invertido da base de dados CATAL.

    Para gerar o arquivo com os títulos em ordem alfabética, selecione a opção P - de impressão e ordenação.

    Selecione a opção P para usar a planilha de parâmetro do Sistema.

    Nome da Base de Dados CATAL_ Limites MFN 1/99999999 Arquivo SAV ______

    Primeiro Cabeçalho _____________________________________________________________________________________________________________________________________________Segundo Cabeçalho _____________________________________________________________________________________________________________________________________________Terceiro Cabeçalho _____________________________________________________________________________________________________________________________________________

    Formato de impressäo @catal_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

    Tamanho linha 70_ Número de colunas 1 Tamanho da coluna 70_

    Linhas/página 60_ Nº primeira página n___ Tolerância fim col. 3_

    Indentaçäo 0_ Ordenaçäo (Y/N) ? s Folha de ordenaçäo _____

    Arquivo de saída catal.doc_

    ¦ �+ - Segue ¦ M - Modifica ¦ C - Cancela ¦ X - Sai ¦ �

    Preencha de acordo com as indicações acima.

    O formato de impressão padrão é @catal

    Ordenação: Y

    Nome do arquivo: catal.doc

    No formulário de ordenação, digite a primeira chave de ordenação, que deverá ser o campo de

    título v100 (lista em ordem alfabética de títulos).

    50

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Exportação do sistema SeCS para MICROISIS

    Número de entradas 0 Arquivo de stopwords ______

    Formato das entradas: _______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

    Tamanho da 1ª chave 100 Indicador para processamento da entrada 0FST para 1ª chave 1 0 (v100/)____________________________________________________________________________________________________________________________

    Tamanho da 2ª chave ___ Indicador para processamento da entrada 0FST para 2ª chave _______________________________________________________________________________________________________________________________________

    Tamanho da 3ª chave ___ Indicador para processamento da entrada 0FST para 3ª chave _______________________________________________________________________________________________________________________________________

    Tamanho da 4ª chave ___ Indicador para processamento da entrada 0FST para 4ª chave _______________________________________________________________________________________________________________________________________

    Insere Ultima página

    O sistema vai gerar um arquivo no diretório de trabalho do MICROISIS, chamado \isis\work,

    que poderá ser aberto em qualquer editor de texto.

    51

  • 15 Referências bibliográficas

    1. BIREME. Manual de descrição bibliográfica. São Paulo, jun. 1988.

    2. FEDERACIÓN INTERNACIONAL DE ASOCIACIONES DE BIBLIOTECARIOS E

    INSTITUCIONES. GRUPO CONJUNTO DE TRABAJO SOBRE LA DESCRIPCIÓN

    BIBLIOGRÁFICA INTERNACIONAL NORMALIZADA PARA SERIADAS. ISBD(S)

    Descripción Bibliográfica Internacional Normalizada para Publicaciones Seriadas. ICFES,

    Bogotá, 1980. (Tradución de ISBD(S) International Standard Bibliographic Description for

    Serial. IFLA, London, 1977.)

    3. BIREME. Manual do Sistema SeCS. Versão 1.1. São Paulo, 1992.

    52

  • 16 Glossário

    Aplicativo. Programa utilizado para executar tarefas direcionadas para uma

    aplicação, como criação ou edição de textos, desenhos, diagramação etc. Ex.:

    processador de textos, gerenciador de banco de dados, navegador de internet

    etc.

    Arquivo. Em computação, um conjunto de dados que pode ser gravado em algum

    dispositivo de armazenamento. Os arquivos de dados são criados por aplicativos,

    como por exemplo um processador de textos.

    Backup. Procedimento no qual um ou mais arquivos e/ou diretórios são duplicados

    para outro dispositivo de armazenamento (fita ou disco), produzindo uma cópia

    de segurança que pode ser restaurada em caso de apagamento acidental ou dano

    físico dos dados originais.

    Base de dados. Coleção de dados estruturados para serem acessados e

    manipulados facilmente. É formada por unidades chamadas registros, cujos

    diversos atributos são representados por campos. Por exemplo, num arquivo

    "cadastro de clientes", cada cliente representa um registro, que possui vários

    campos, como "NOME", "CÓDIGO DO CLIENTE", "TELEFONE" etc.

    53

  • Registro de Títulos e Coleções de Periódicos - Manual de

    Instruções

    Glossário

    Ver Base de dados. Campo.

    CDS/ISIS – MicroISIS. Softwares desenvolvidos e mantidos pela UNESCO para o

    tratamento de dados bibliográficos.

    Centro Cooperante. Instituição participante da BVS e/ou contribuinte de registros

    bibliográficos com a Bireme.

    Formato ISO (de arquivo). Padrão estabelecido pela ISO para intercâmbio de dados

    entre instituições, redes e usuários.

    Formato LILACS. Formato de descrição bibliográfica estabelecido pela BIREME,

    baseado na UNISIST Reference Manual for Machine-readable Bibliographic

    Descriptions.

    Ver Base de dados. Registro.

    54

    Conjunto de documentos da metodologia Abreviaturas utilizadas Como usar este manual Prefácio 1.1 Sobre a Bireme 1.2 Sobre a BVS 1.3 Sobre a Metodologia SeCS Obtenção do software 3 Configuração 4 Entrada de títulos - descrição 5 Importação de descrição de títulos no Sistema SeCS 6 Importação de títulos do Catálogo Coletivo Nacional 7 Módulo de recuperação 8 Registro de coleção de uma revista - entrada de fascículos 8.1 Fascículos ausentes 8.2 Fascículos publicados juntos ou em partes, números avulsos

    9 Geração do catálogo, lista de duplicatas, lista de fascículos ausentes 10 Criação de nova máscara 11 Envio de registros para o catálogo coletivo SeCS 12 Envio de registros para o Catálogo Coletivo Nacional - CCN 13 Cópia de segurança das bases de dados 14 Exportação do sistema SeCS para MICROISIS Referências bibliográficas Glossário