Artesãos do Século XXI - Artesanato observado ao...

Click here to load reader

  • date post

    21-Jan-2019
  • Category

    Documents

  • view

    213
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Artesãos do Século XXI - Artesanato observado ao...

  • 1

    Artesos do Sculo XXI - Artesanato

    observado ao microscpio

    Clementina Teixeira

    Para mais informaes consultar: http://deqb.ist.utl.pt/visitantes/

  • 2

    Artesos do Sculo XXI: Artesanato observado ao m icroscpio

    Artesos do Sculo XXI: Artesanato observado ao m icroscpio

    Quando a Cincia repousa o seu olhar inquiridor sobre o nosso artesanato, o que

    que pode acontecer?

    No estranho que um investigador trabalhe ao mesmo tempo com microscpios,

    computadores, pipetas, lamelas de vidro, caixas de Petri, reagentes de qumica e, ao

    mesmo tempo, jias, pratas, medalhas e moedas, selos, chourios, pipocas, linhas de

    coser, fitas mtricas e mquinas de costura?

    Se quer ter a resposta a estas provocaes, requisite para a sua escola a exposio

    itinerante Artesos do Sculo XXI, durante as semanas de escola aberta, e visite as

    pginas da internet que lhe permitem documentar-se melhor sobre estas temticas [1]

    e percursos das nossas digresses.

    A exposio, subsidiada pelo Centro de Qumica Estrutural do Departamento de

    Engenharia Qumica e Biolgica do Instituto Superior Tcnico e pela Cincia Viva

    (projecto CV 100-2009/432), nasceu de uma parceria deste Centro com as escolas e

    Cmara Municipal de Penamacor e estreou-se a 11 de Dezembro de 2009 na

    Biblioteca Municipal de Penamacor. Os seus objectivos so claramente expressos no

    Cartaz de divulgao apresentado na pgina seguinte: divulgar a Cincia, a

    Microscopia, a Qumica, o e-learning e, ao mesmo tempo, valorizar o nosso patrimnio

    cultural, inovando e apostando fortemente no nosso artesanato. A exposio poder

    tambm realizar-se em edifcios com valor patrimonial reconhecido que possam

    contribuir para a disseminao da nossa cultura e turismo, como o caso de castelos,

    pousadas, igrejas, museus e outros pontos de interesse. As fotografias tiradas durante

    a realizao destes eventos podero ser publicadas nas pginas Web do IST [1], em

    parceria com as entidades envolvidas, podendo contribuir para a divulgao turstica

    da regio e seus produtos artesanais.

    Para reunir uma coleco razovel de amostras a observar, sem onerar a exposio

    em termos de transportes e seguros pede-se tambm a colaborao dos visitantes

    para que tragam as suas peas e coleces as quais podero ser observadas at

    100x o seu tamanho, fotografadas e posteriormente integradas em padres

    decorativos com aplicaes em tudo quanto se possa imaginar, de aventais a T-shirts,

    individuais de servir mesa, bases para copos e almofadas para ratos, marcadores de

  • 3

    livros, postais, magnetes para o frigorfico, quadros, etc. Actualmente, a exposio

    compreende 18 cartazes com temticas diversas, e a ideia que continue a crescer!

    Figura 1 Cartaz publicitrio publicado pela Cmara Municipal de Penamacor. Texto

    e fotografias de Clementina Teixeira (IST). Composio grfica de Victor Gil (CMP)

  • 4

  • 5

    Este cartaz de divulgao da Exposio faz uma referncia epopeia dos

    descobrimentos qui to bem sucedidos porque a par dos navegadores se

    encontrava a nata dos cientistas de ento, intervindo na construo das caravelas, no

    seu apetrechamento, na elaborao dos mapas, cientes das tcnicas de navegao e

    orientao no alto-mar. Hoje, a Internet tambm uma forma de navegao, desta vez

    numa estrada virtual do conhecimento que se estende por todo o Mundo. A podemos

    com toda a certeza tornarmo-nos eficientes cibernautas, pois temos tido todo o apoio

    possvel em termos de computadores distribudos pelas as escolas e implantao de

    redes que podemos e devemos utilizar.

    As duas fotografias utilizadas neste cartaz foram tiradas durante uma outra exposio

    integrada na Kulturlndia, realizada em Penamacor em Julho de 2008, tambm na

    Biblioteca Municipal. Mostram uma lupa esteroscpica Nikon ligada a uma cmara

    de filmar, utilizada por um jovem que observa a diluio do cido sulfrico com a

    ampliao de 10 a 30x: esta dissoluo fortemente exotrmica provoca, com o

    aumento da temperatura, a diminuio da solubilidade dos gases dissolvidos na gua

    levando formao de pequenas bolhas ampliadas pelo microscpio. Como podero

    observar pelo exemplar em baixo, estas fotomicrografias (fotografias ao microscpio)

    so muito decorativas, podendo ser tratadas digitalmente para compor motivos

    decorativos por inverso e repetio e aplicveis na decorao de cortinas de casa de

    banho, de guarda-chuvas, de papel de embrulho, etc.

    Figura 2 - Diluio do cido sulfrico em gua (30x) Fotomicrografia tirada com uma

    vulgar cmara digital Sony . http://web.ist.utl.pt/clementina/microscopiaquimica1.

    Figura 3 Motivo decorativo obtido pela repetio da fotomicrografia quatro vezes,

    com inverso. Fotomicrografia e composio grfica de Clementina Teixeira.

  • 6

    Um priplo pelos cartazes

    A introduo compreende quatro cartazes dirigidos populao de Penamacor e

    tambm a toda a populao da raia, cada vez mais desertificada, fazendo um apelo

    conjugao de esforos e partilha de meios para tentar inverter esse terrvel processo

    que deixa ao abandono vilas e aldeias histricas que constituem um valiosssimo

    esplio e merecem ter mais visibilidade. No entanto, estes apelos podem tambm ser

    pertinentes em relao a qualquer outra zona do nosso Pas. Os cartazes expem

    actividades de Qumica feita ao microscpio desenvolvidas nas escolas do

    Agrupamento Ribeiro Sanches nos Projectos Cincia Viva feitos em parceria com o

    CQE-IST desde 1998. Nestes cartazes feita uma breve introduo microscopia

    ptica, descrevendo um microscpio ptico vulgarmente utilizado em Biologia e uma

    lupa estereoscpica comum em estudos de Mineralogia/Geologia. De forma inovadora,

    os dois instrumentos podem ser utilizados em Qumica, na observao de cristais e de

    reaces qumicas, bem como na observao de objectos do nosso quotidiano,

    criando motivos decorativos.

    Figuras 4 e 5 -Cartazes de Introduo I, II, III, IV. Na porta, fotomicrografias de

    cristais de cloreto de sdio de hbito (morfologia) modificado [2]. So trs dos muitos

    exemplos de individuais de servir mesa.

  • 7

    Figura 6 - Microscpio binocular, esquerda e lupas estereoscpicas comuns usadas

    nas escolas do Agrupamento de escolas Ribeiro Sanches. perfeitamente possvel

    obter boas fotomicrografias com estas pequenas lupas, utilizando cmaras fotogrficas

    digitais adaptadas ou simplesmente encostadas a uma das oculares. Um bom telemvel

    tambm pode ser uma alternativa. http://web.ist.utl.pt/clementina/microscopia1.

    A lupa estereoscpica e o microscpio vo em seguida ao tear, observar e fotografar as

    rendas e bordados dAv, bem como peas de passamaneria (fitas e gales). As

    fotomicrografias, ao permitirem criar padres decorativos, podero constituir uma mais

    valia na venda destes produtos artesanais [3].

  • 8

    Figura 7 - Cartazes Tear I e II, com um expositor ao meio, contendo peas para

    observao, tais como rendas e bordados. Figura 8 - Observando e fotografando

    bordados, fitas e gales.

    Figura 9 - Lupa escolar e fotomicrografia de um xaile com bordado de Nisa tirada

    com uma cmara digital comum . http://web.ist.utl.pt/clementina/microscopia1.

    Em seguida, continuando a nossa viagem, mostra-se que as lupas estereoscpicas e

    os microscpios so vaidosos e tratam da sua higiene pessoal, fotografando unhas

    pintadas, cabelos, espuma de champ, gel de fixao, enfeites dourados e outros

    acessrios de toilette. As fotomicrografias das unhas pintadas da Mafalda Lancinha,

    Figura 10, com ampliao de 10x, foram usadas para fabricar marcadores de livros.

    Este tema abordado no Cartaz da esquerda mostrado na Figura 11, Cartaz Cabelo

    I.

    Figura 10 - Por sugesto do Professor Hermnio

    Diogo, o microscpio faz uma visita manicura,

    e fotografa unhas pintadas com uma ampliao

    de 10x. http://web.ist.utl.pt/clementina/microscopia1

  • 9

    Figura 11 - Cartazes Cabelo I , esquerda e Campo I , direita.

    Segue-se a viagem do microscpio ao campo, exposta no Cartaz Campo I , na

    mesma fotografia da Figura 11, em cima e direita. Como era de esperar, os nossos

    campos so girssimos, Portugal no s praia e no faltam, a, pretextos para novas

    fotomicrografias, como o caso da alfazema, das flores campestres, das oliveiras,

    sua flores e folhas. Em particular a alfazema e outras ervas aromticas como o

    rosmaninho e o alecrim podem ser muito mais vendveis se valorizadas com motivos

    decorativos construdos a partir de fotomicrografias. Decorando o cartaz do campo,

    vem-se pequenas maarocas de alfazema usadas nas gavetas como anti-traa. Um

    projecto bem interessante seria conjugar a microscopia com a qumica dos aromas

    extrados destas ervas.

    Na Figura 12, a rama da oliveira ampliada num microscpio monocular mostra-se

    muito fotognica, sendo a sua fotomicrografia utilizada para fabricar individuais de

    servir mesa, bem como uma srie de panos de cozinha, pegas e aventais. Mais uma

    vez uma temtica bem interessante para envolver a microscopia na qumica do azeite.

    O nosso priplo dirige-se agora para um cantinho dedicado gastronomia, j que os

    passeios ao campo so muito bons para estimular o apetite. Os cartazes com este

  • 10

    tema so o Garfo I , O microscpio um bom garfo e o Sal I, O microscpio

    descobre o sal , ambos reunidos